O Caminho

O Caminho Richard Paul Evans




Resenhas - O Caminho


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Mi 18/03/2015

Várias pessoas fazem parte dessa caminhada, umas para o bem e outras para o mal.

Vale a leitura.
comentários(0)comente



Raquel.Silva 19/10/2020

Leitura leve
Confesso que peguei esse livro sem expectativa, mas quando percebi que estava no fim dele em 3 dias e nao tinha os d+ me apavorei.
comentários(0)comente



Nica 04/12/2012

Uma prova de que ter esperança pode mudar sua vida e a daqueles que te cercam
O Caminho (Miles to Go, no original) é o segundo volume da série Caminhos escrita pelo autor Richard Paul Evans e publicada pela Editora Lua de Papel aqui no Brasil. Assim como o primeiro volume da série - composta por cinco títulos-, este romance é maravilhoso e nos leva em uma viagem de autoconhecimento, amor, amizade, fé e esperança.

Nesse segundo volume nos encontramos novamente com Alan Christoffersen, ex-publicitário que, após o falecimento de sua esposa viu sua vida desmoronar e, por muito pouco, não se deixou desabar também. Não fossem sua ex-secretária Falene e a misteriosa voz que falara com ele em um de seus momentos mais deprimidos, Alan não teria resolvido mudar, dar a volta por cima e buscar um novo rumo, uma nova esperança para sua vida.

"(...) quando um homem perde sua visão do futuro, ele morre. Hoje em dia, fala-se muito de viver o agora, mas se você não tem um futuro, não existe o agora."

O Caminho começa exatamente do ponto em que O Encontro parou: Alan está hospitalizado após ser agredido por uma gangue no meio da estrada em sua trajetória com destino à Key West. Ficando entre a vida e a morte, Alan passará por grandes provações para se recuperar totalmente; ao ser esfaqueado, a tonicidade de seus músculos abdominais foi afetada e, com isso, ele precisará reaprender a andar.

Com a ajuda de Angel, uma das pessoas que Alan ajudara ao longo de sua caminhada e que este acredita ser um anjo que Deus ou sua McKale colocaram em sua vida, bem como da enfermeira Norma, o nosso peregrino irá aos poucos se recuperar; mas, ao mesmo tempo, descobrirá que talvez não seja ele quem precisa de ajuda, quem precisa de esperança...


"Fora de seus surtos temperamentais, era sempre bondosa comigo, me incentivando quanto ao meu progresso. Porém, por baixo do verniz de hospitalidade, havia um abismo de profunda tristeza e solidão, sentimentos que eu compreendia bem demais."

Ao longo de O Caminho, Alan conhecerá pessoas diferentes e com problemas similares ao seu: a perda de algum ente querido. Independente da maneira que a dor se deu - morte ou abandono, nosso protagonista perceberá que cada um sente de uma maneira a perda e que cada um reage de singular modo também: uns decidem por terminar de vez com o sofrimento - se programando, inclusive, para isso -, outros se reclusam em seus cantos, ignorando tudo o que a vida ainda pode os proporcionar e vivendo na desesperança.

Ainda, Alan percebe o poder que a amizade e a confiança podem significar na vida das pessoas; percebe que ao estender uma mão, vidas e/ou relações podem ser salvas (inclusive a dele com seu pai)! Finalmente ele entende o por quê de sua jornada e descobre mais razões para seguir em frente, continuar vivendo, cheio de fé e esperança.


"- Bem, existem as mentiras que contamos a nós mesmos e existe a verdade. Eu disse a mim mesmo que não queria confundi-lo, trazendo uma mulher estranha pra casa. Mas a verdade era que eu estava com medo de me arriscar novamente. (...) Só estou dizendo para que você não seja um covarde como eu. A vida é curta. Você deve encontrar amor, quando e onde puder."

Narrado ainda em primeira pessoa em forma de diário, O Caminho consegue nos prender do início ao fim, da mesma maneira que O Encontro fez. Este último era mais emotivo, mas o segundo volume não fica atrás. Na verdade, não chorei como no primeiro, mas me emocionei da mesma forma, me peguei presa ao livro, sem querer parar a leitura (tanto que li em um dia somente), ávida pelo desfecho da história que se desenrolava à minha frente.

É impressionante como Richard Paul Evans consegue escrever um livro-diário, nada biográfico, mas que soa altamente como tal. Parece que Alan existe e que toda a sua história é verdadeira. O autor escreve de um jeito singular, misturando todos os ingredientes necessários para conquistar, principalmente, o público feminino. No entanto, não pensem os homens que o autor escreve somente para mulheres... Eu disse principalmente, mas tenho certeza que se alguns indivíduos do sexo masculino lessem os romances de Evans, muitos casamentos seriam amorosos e de entrega total ao outro.

Enfim, sou fã do autor e mal posso esperar para ler a continuação. O livro se chama "The Road to Grace" e ainda não tem previsão de lançamento no Brasil... Espero que não demore muito! ^^


"A pior coisa que você pode dar a um homem é o que ele quer. Procurar é que é o negócio. Quando um homem consegue o que está procurando, a estrada termina, não é? - Ele sorriu. - Mas você é jovem. Vai entender."

Resenha postada no blog Drafts da Nica (http://nicasdrafts.blogspot.com.br/2012/12/resenha-uma-prova-de-que-ter-esperanca.html) sendo proibida a reprodução sem autorização, considerando-se tal ato como plágio.
comentários(0)comente



Eli @leituraentreamigas 20/11/2012

Recomendo O Caminho pra quem busca palavras de sabedoria, para quem necessita de uma história onde a esperança e a fé por dias melhores não estão perdida, onde o amor verdadeiro existe e que apesar de todas as dificuldades da vida ainda vale à pena viver.
No segundo livro da série Caminhos do autor Richard Paul Evans voltamos a nos reencontrar com a história de Alan Christofferson, um jovem publicitário que tinha uma vida perfeita, mas tudo muda com a morte da sua esposa. Assim como no primeiro livro O Encontro, Caminhos trás bastante ensinamentos e reflexões sobre a vida não só para o protogonista do livro, mas também para nós leitores.

Desde que comecei a minha caminhada, só viajei 558 quilômetros, menos de dez por cento da distância até Key West. Mas já tive experiências profundas, ao longo do caminho conheci pessoas que acreditei estar predestinado a conhecer e estou certo de que há mais por vir. Essa é uma história de contrastes, sobre viver e morrer, esperança e desespero, dor e cura, e os locais tênues entre esses estremos, onde a maioria de nos reside. Pág. 14

Depois de ser esfaqueado no primeiro livro, Alan se encontra interno em um hospital em Spokane cidade de Washington. Lá ele irá conhecer Angel, a mulher que lhe ajudará na sua recuperação, ela é a mesma mulher que ele encontrou em sua caminhada no livro anterior, e que ajudou a consertar o carro dela, e a mesma que McKale disse (em um sonho) que ele iria encontrar enquanto ele estava sendo esfaqueado. Coincidência ou destino Angel leva Alan para a sua casa, enquanto ele se recupera. E é nessa convivência entre os dois que vai surgir uma grande amizade, e muitas revelações.

Angel esconde muitos segredos, e muita dor, Alan vai fazer de tudo para descobrir o que aconteceu em sua vida e tentar ajudá-la a superar, um suspense que vai deixar os leitores curiosos. Outra coisa que achei interessante é a amizade forte entre os dois, e a vivência vai deixando essa amizade cada vez mais sólida e verdadeira, depois disso passei a acreditar que amizade entre homens e mulheres é realmente possível.

Assim que se recupera Alan retorna a sua caminhada, rumo a Key West, na Flórida. No caminho conhecerá muita gente, cada uma com uma história diferente, que fará repensarmos sobre nossas vidas, e nossos valores. Ele também encontrará uma companheira de viajem bastante divertida, apesar da sua história de vida bastante difícil.

Como no livro anterior a narração é feita em primeira pessoa, pelo próprio Alan, que através do seu diário vai nos relatando a sua jornada. Preciso dizer que nos momentos em que ele caminha sozinho, a leitura se tornou arrastada, e um pouca chata. É também é triste ver o Alan sofrendo pela perda da sua McKale, espero desesperadamente que no próximo volume da série ele encontre alguém por quem se apaixonar.


Ainda assim há esperança, não de esquecer McKale nem de entender o motivo de tê-la perdido, mas para aceitar que perdi e, de alguma forma, seguir em frente. Conforme um amigo recentemente me disse, não importa o que eu faça, McKale sempre será parte de mim. A questão é que parte: uma fonte de gratidão ou de amargura? Algum dia terei de decidir. Algum dia o sol voltará a levantar. A única incerteza é se me levantarei para saudá-lo. Pág. 10

O Epilogo do livro é lindo, Alan nos deixa uma linda mensagem, dizendo que apesar dos momentos ruins que passamos em nossas vidas, todos nós estamos destinados a coisas maravilhosas e que não devemos jamais desistir dos nossos objetivos e sonhos.

Recomendo O Caminho pra quem busca palavras de sabedoria, para quem necessita de uma história onde a esperança e a fé por dias melhores não estão perdida, onde o amor verdadeiro existe e que apesar de todas as dificuldades da vida ainda vale à pena viver
comentários(0)comente



Ândrea - LPL 27/01/2013

Tive, literalmente, o livro de Richard Evans jogado em minhas mãos essa semana. Eu nunca havia lido nada dele antes, apesar das muitas indicações e em uma tentativa frustrada de sentar e ler em uma cafeteria me foi posto em mãos o pequeno romance: "eu comecei a ler e realmente acho que você é quem deve lê-lo primeiro." Foi o que eu ouvi.
Pela segunda vez na semana eu parei de ler A Guerra dos Tronos (não me matem) para dar espaço a algo que, talvez, me desse inspiração. Não estou aqui para falar dos meus problemas pessoais, mas posso garantir que O Caminho é um livro que ajudaria qualquer um...

Continue lendo:
http://leioporqueleio.blogspot.com.br/2013/01/o-caminho.html
comentários(0)comente



Paulinha 09/02/2013

O livro O Caminho, do escritor Richard Paul Evans (Editora Lua de Papel, 292 páginas, R$ 16,90 na Saraiva) é o segundo livro da série Caminhos. Não tive a oportunidade de ler ainda o primeiro livro, O Encontro, ganhei só o segundo de natal, mas não precisei para conseguir entender a história.

O Caminho fala sobre Alan Christofferson, um jovem e bem sucedido publicitário que perde tudo, a empresa, o sócio, a mulher, e larga tudo para fazer uma longa caminhada, em buscas de respostas. No meio do caminho, esbarra com uma gangue e fica seriamente ferido. É aí que conhece Angel, "o anjo" que o ajuda a perceber coisas sobre sua vida. E a ajuda a seguir em frente.

Não se pode negar que é um livro estilo auto-ajuda, e me surpreendi com blogs que não gostam de Paulo Coelho, mas que se surpreenderam com esse livro, porque são muito semelhantes... são livros de auto-respostas.

Confesso que estou surpresa. A leitura foi rápida. A história é capaz de prender nossa atenção. Não a subestimem lendo a sinopse. A escrita te laça e, quando você vê, a história já andou e o livro já acabou.

Obviamente, não considero um livro que agrada a todos, mas vale a leitura.
comentários(0)comente



Altieris 17/03/2013

O Caminho - Vol 2 - Richard Paul Evans
O livro "O Caminho" é a continuação da história narrada no livro "O Encontro". A história dá prosseguimento a história de Allan, que resolveu caminhar cruzando o país na tentativa de encontrar respostas para suas perguntas e também uma forma de se desprender do passado, que para ele ainda doe muito. O jovem bem sucedido, que resolveu largar tudo, acaba se esbarrando com uma gangue no meio do caminho. Após este encontro ele acaba seriamente ferido. já no hospital, ele acaba reencontrando uma pessoa, que sem pretensão nenhuma ele acabou ajudando na estrada antes de encontrar a gangue. Esta mesma pessoa se torna sua amiga, cujo nome é Angel e, que por coincidência, ela acaba se tornando seu "anjo da guarda". Ela o ajuda a perceber coisas sobre sua vida que ele tinha resolvido esquecer e o ajuda a seguir em frente. E ele por sua vezes também acaba ajudando ela a superar os traumas do passado. O livro, em si, passa a ideia de que nenhum homem é uma ilha, que ele precisará sempre de alguém e de que esta ajuda pode vir de quem menos se espera. Até de alguém que você resolveu ajudar na estrada da vida. Outro ponto forte do livro é nos fazer refletir, que apesar dos nossos problemas, podemos facilmente nos tornar solução para outras pessoas, independentes dos problemas ela tem vividos.
comentários(0)comente



A manda :) 16/05/2013

O Despertar de Reflexões
Esse poderia ser outro título para este livro. Minha irmã ganhou de natal e eu me propus a lê-lo durante minhas férias. Não me arrependo nem um minuto por isso. Esse livro despertou em mim questões que eu nunca havia pensado de forma totalmente consiente. Bom, como foi um presente, e eu não conhecia nem o livro nem o autor eu li e só depois que descobri que ele era o segundo livro de uma trilogia. Eu tenho muita vontade de ler a trilogia completa, e pretendo fazer isso logo, pois apesar de muitas as tragédias eu estou anciosa pelo desfecho da sua chegada a inicial situação do livro e pelo rumo final que as coisas vão tomar. Concerteza um livro pra ler e refletir, de certo modo, os princípios são tratados com tanta delicadeza e, ao mesmo tempo, com tanta agucidade que contribuiu e muito para as ideias de construção do meu caráter.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Aline Natália 09/06/2014

O Caminho - Richard Paul Evans
"Todo mundo tem problemas. A questão é a forma como você lida com eles. Algumas pessoas escolhem ser choronas, outras escolhem ser vencedoras. Algumas escolhem ser vitoriosas, outras escolhem ser vítimas."

Apesar de ser o segundo livro da trilogia "Caminhos" não encontrei nenhuma dificuldade em fazer a leitura sem ter lido o volume anterior.

Com uma escrita encantadora, o autor relata as angustias vivenciadas pelo protagonista e as difíceis decisões a serem tomadas pela sua viagem. Uma história sensível, para refletirmos sobre nossas escolhas, principalmente como optamos viver nossa vida.
______________________________________________________________
Confira a Resenha completa no meu Blog:

Relíquias
http://reliquiasaline.blogspot.com.br/


site: http://reliquiasaline.blogspot.com.br/2014/06/livro-o-caminho-2.html
comentários(0)comente



Ida 17/02/2015

O caminho
Leitura agradável, proporciona momentos de reflexão sobre a vida, as dificuldades que todos nós passamos ao longo dela, as amizades que vamos fazendo ao longo dessa caminhada e fala principalmente de perdas e de recomeços...

comentários(0)comente



Bruna 10/09/2015

Resenha O Caminho - Richard Paul Evans
Já imaginou como seria uma vida perfeita??

“O Caminho”, escrito por Richard Paul Evans, é o segundo livro da série caminhos.
O livro nos leva a reflexão do significado da vida, e ao que devemos dar valor. É uma história emocionante, envolvente, que nos cativa e nos incita a sermos pessoas melhores. Aborda temas importantes como perdão, rendição, amor, família, amizade e reconhecimento, de uma forma extremamente simples. Leiam a resenha, e para quem se interessar, vale a pena conferir.

O Sr. Alan Christoffersen era o exemplo de um homem cuja vida era perfeita.
No auge de seus trinta e dois anos de idade, o mesmo era casado com McKale, o grande amor de sua vida, uma mulher bela, que também o amava, e era sua companheira de todos os momentos. Tinham uma bela casa de dois milhões de dólares, inclusive com um haras, localizada numa região nobre de Seattle, tinham carros de luxo, e eram sócios proprietários da agencia de publicidade que chegou a ser considerada a mais promissora do estado de Washington.
Porém um golpe do destino, fez com que sua esposa se ferisse em um acidente com um cavalo, que era a segunda paixão de McKale.
Alan fica ao seu lado após o acidente, contudo em um mês a mesma vem a falecer em razão de infecção hospitalar.
O mundo de Alan desmorona.
Se não bastasse a perda da esposa, ele ainda descobre que seu sócio, roubou a empresa, seus clientes e em razão das dividas adquiridas, Alan perdeu ainda, sua casa, seus carros, e quase todos os seus bens, ficando apenas com a mobília da casa.
Após o enterro da esposa, Alan pega um mapa, e traça a cidade mais longínqua do país, Key West situada na Flórida. E então em profunda tristeza estabelece que irá até lá.
O que mais chama a atenção é como pretende chegar até lá... simplesmente andando.

Sua assistente Falene, é a única amiga que Alan tem, e então pede para que ela lhe ajude a vender o que lhe restou e que dividam o dinheiro.
Após a mesma concordar sob ressalvas, de que não queria metade do valor. Então, Alan arruma sua mochila apenas com o que lhe é essencial e parte rumo a Key West.
Pelo caminho conhece várias pessoas, ajudam algumas e segue em sua caminhada.
Ao andar 1.600 Km, Alan é assaltado e ferido com três facadas, e acorda em um hospital sem saber ao certo o que lhe aconteceu.
Ao acordar vê que uma mulher o está acompanhando que ela vem todos os dias.
Ele a ajudou a trocar o pneu pelo caminho pouco antes de ser assaltado, ela se apresentou como Angel, e lhe dera um cartão para que o mesmo ligasse caso precisasse.
Esse foi a única informação de qualquer pessoa encontrada com Alan, uma vez que o mesmo não carregava celular, nem fotos.
Ele trazia consigo algumas roupas, um saco de dormir, um cartão de crédito, um bloco de notas onde fazia algumas anotações como em um diário, e o cartão dado por essa mulher.
Após receber alta do hospital, Angel o levou para sua casa e cuidou dele como se fosse alguém próximo, dando todo o necessário para que o mesmo se recuperasse, para que voltasse a andar uma vez que o mesmo tinha a intenção de continuar sua caminhada.
Algumas pessoas começam a procurar por Nicole no apartamento de Angel, o que leva Alan a ficar curioso quanto a essa Nicole. Ao questionar Angel a mesma se esquiva, mas Alan percebe que tem algo que ela não quer lhe contar.
E então, Alan descobre que ela esconde um terrível segredo, que a fez se afastar de seus amigos, e familiares.
Angel é Nicole, e se afastou de todos porque planejava tirar sua própria vida.
Ela pede que Alan a ajude, e ele o faz... dando todo o apoio necessário.
Um dia é surpreendido por seu pai. Que chega a casa de Nicole a sua procura.
Alan nunca teve um relacionamento carinhoso com seu pai, uma vez que o mesmo sempre foi uma pessoa reservada, especialmente após a morte da esposa, quando Alan ainda era uma criança.
Eles se reconciliam, não que estivessem brigado, apenas um tem a certeza do amor do outro.
E após três meses, na casa de Nicole, ele sua caminhada...
Alan encontra uma jovem de 17 anos que fugiu de casa, e que está a procura de seu caminho.
Ele a salva de ser estuprada por três rapazes, e então ela caminha junto com ele durante alguns dias.
Até que ele vê uma forma de ajuda-la.
Alan tem sua vida e a de quem cruza o seu caminho transformada, uma vez que cada pessoa doa um pouco de si ao conhecê-lo e idem.

site: http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/search?q=o+caminho
comentários(0)comente



Fer - Mato Por Livros 03/11/2015

Resenha dupla O caminho e A Felicidade
Bem resolvi fazer as duas resenhas juntas por motivos simples.
Primeiro, que essa história foi muito difícil para mim de resenhar. Histórias que mexem profundamente comigo, sempre me causam isso, já que eu sofro um bloqueio e pareço nunca conseguir expressar tudo o que senti.
E segundo que a série conta a jornada de um homem, e o que ele busca; só vamos descobrir a cada passo que ele dá e juntamente com ele. Então não quero mesmo me estender em detalhes ocorridos na história, até porque cada um que ler tem que tirar as suas conclusões. Esses são aqueles tipos de livros, que cada leitor vai sentir e aprender conforme o seu coração. Então, nada que eu escreva aqui, vai expressar de forma completa o que a leitura me trouxe. Mas espero que desperte pelo menos um pouco em vocês, a vontade de conhecer a história de Alan.

Lá vou eu tentar explicar sensações, sentimentos e aprendizados que são impossíveis de se explicar ou expressar.

O caminho é o segundo livro da Trilogia Caminhos. E Felicidade o terceiro e último. Se bem que eu adoraria que tivesse muito mesmo um quarto livro.

No primeiro livro O ENCONTRO. Conhecemos a história de Alan e o porquê dele resolver fazer essa longa caminhada.

Em O Caminho e em A Felicidade, continuamos com ele em sua jornada e assim como ele, a cada passo, cada cidade que ele passa, cada pessoa que ele conhece, é algo novo em sua e em NOSSA história.

Eu fico impressionada como um autor consegue nos ensinar muito ás vezes com tão poucas páginas.
A jornada de Alan, uma jornada que nem ele mesmo ainda compreende, é algo que todos deveríamos passar. Não digo que temos que pegar um ponto no mapa e sair andando por ai não. Mas a forma como ele vive, a forma como ele consegue manter o bom coração mesmo depois de toda a desgraça que viveu, é impressionante. Com certeza temos muito a aprender.
Claro que ele ainda tem muitos espinhos para tirar de seu coração, mas o mais lindo é ver o quanto ele consegue aprender com pequenas coisas. O quanto um simples ‘oi’ tem o poder de fazê-lo refletir tanto.

O mais incrível dessa jornada são as pessoas que passam em sua vida. Meu Deus, como existe dor, como existe sofrimento nesse mundo. E como existe a felicidade, como existem pessoas de bom coração, como existem seres humanos necessitando de seres humanos.

A história de Alex em O Caminho retoma exatamente de onde terminou o primeiro livro. Então ele conhece Angel, a mulher que o ajuda até que ele possa retornar a sua caminhada.
Vamos conhecendo um pouco mais de Angel a cada página e aprendendo mais com Alan também. O “mistério” que cerca a vida de Angel é presente em todos os momentos e é possível sentir todo o vazio que a habita mesmo que isso não fique implícito na história.
Quando finalmente Angel decide se abrir, compreendemos mais um pouco da jornada e do destino de Alan. Eu acredito muito em destino, mas no destino que Deus quer para todos nós, e acredito que muitas pessoas ás vezes passam em nossas vidas por algum motivo maior, que na maior parte do tempo nem nós mesmos somos capazes de entender.
E naquele momento eu compreendi que TUDO, mas tudo mesmo o que aconteceu a Alan tinha não só um, mas vários motivos. Que os acontecimentos de sua vida estavam interligados a vários outros, e ali na redenção de Angel eu percebi que Deus colocou um no caminho do outro, não para que Angel ajudasse Alan, mas para quem um salvasse o outro.

Bem não pensem que esse destino tem algo a ver com romance. Não tem. Na verdade a série pouco tem a ver com o amor entre um homem e uma mulher e mais com o amor que temos por nossa vida, por viver, e o que esse viver significa para nós. Mas a história de Alan está longe de ser um livro de autoajuda.

Em A Felicidade Alan vai reencontrar uma pessoa de seu passado, pessoa essa que trouxe sofrimentos a alguém que Alan amou demais. Alan resiste em se encontrar com essa pessoa, mas o destino mais uma vez vai lhe mostrar que tudo o que está destinado a acontecer não adianta fugir. Nossos caminhos estão traçados e bem ou mal, precisam acontecer para que nos tornemos os humanos que devemos ser.
Sua jornada continua a mesma. Ele continua sua caminhada e continua cruzando muitos caminhos de várias pessoas. E várias pessoas continuam cruzando seu caminho. Fica difícil em alguns momentos compreender a extensão dos aprendizados, quem aprendeu com quem. Que exemplo de vida foi mais avassalador. Mas uma coisa é certa: - Basta olhar para o lado, para aprendermos com algo que alguém viveu. E com certeza nossa vida também pode ser um grande aprendizado a alguém.

O que aprendemos com essa história, vai além do que eu possa falar aqui. Eu só acho que essa série deveria ser lida por todos, principalmente por aquelas pessoas que no momento se encontram afundadas em suas dores, desanimadas com seus problemas.

O final foi com certeza surpreendente. Por um momento, por alguns poucos segundos, o rancor e a raiva podem se apossar de nós.
Vamos nos perguntar se tudo aquilo é uma grande brincadeira. Questionamos se realmente Deus existe e porque ele tem tanta raiva de Alan. Mas na mesma hora, antes que esse sentimento se aloje em nosso coração, como se fosse um filme, todas as cenas vividas por Alan repassam em nossa mente e ai nos damos conta, de que tudo bem, é assim que tem que ser. Esse é apenas mais um momento de sua vida. E não importa o “fim”, o importante é que esta acontecendo.
A mensagem é única: - Não importa o que aconteça, ainda há sempre uma vida a se viver. Não importa quanto tempo ainda temos para viver essa vida, mas ela ainda está lá para ser vivida.

site: www.matoporlivros.com.br
Mariana 12/11/2015minha estante
trilogia ótima


Fer - Mato Por Livros 12/11/2015minha estante
Nossa, com certeza, muito especial


Mariana 12/11/2015minha estante
tenho outros 2 livros dele além dessa trilogia: A PROMESSA E GRACE, ÓTIMOS TB


Fer - Mato Por Livros 12/11/2015minha estante
A promessa eu tenho e adorei. Mas Grace eu não tenho e não li rs


Mariana 12/11/2015minha estante
é lindoooo


Fer - Mato Por Livros 13/11/2015minha estante
mais um para querer rs




Raquel.Euphrasio 02/03/2017

A saga do protagonista continua cheia de aprendizados, emoções e muita reflexão.
comentários(0)comente



Hendrick Brian 16/05/2017

Boa leitura!
Muito boa a história, muito bem escrita. Assim como o primeiro livro é uma leitura prazerosa e só da vontade de continuar e ir descobrindo o que vai acontecer nos próximos capítulos.
Só me descepcionei um pouco com o final, achei um pouco súbito, meio repentino, parecia que a história estava fluindo e de repente acabou.
Mas talvez seja essa a intenção para poder criar uma expectativa de um bom final no terceiro livro da saga The Walk (A Felicidade).
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15