Partials

Partials Dan Wells




Resenhas - Partials


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Kleyssi 23/06/2017

Ler para conferir
Eu não sei se é devido eu estar meio cansada de distopias pós apocalípticas e séries/trilogias, mas achei que a história é "mais do mesmo" que está sendo publicado. Não, não estou dizendo que não vale a pena ler, ou que não presta, pois o livro é bom para passar o tempo, a idéia de seres criados que se revoltaram contra os criadores, e outros detalhes que se escrever aqui será spoiler rs, são coisas legais de se abordar. A personagem principal não é uma chata ou que só é salva, também não é badass, mas é tão inteligente que a torna forte, essas coisas e outras dão um toque legal. Tem muitas coisas previsíveis, pelo menos para mim, e espero que o segundo seja bem melhor e traga mais emoção. E uma coisa que me deixa agoniada nessas histórias, é que os sempre os soldados com experiência morrem facil. Rsrs
Há um ponto que quero colocar, também, acho que deveriam fazer uma melhor revisão de palavras, não sei para vocês, mas achei muitas palavras escritas coloquiais demais, até estranhei.
Mas é isso, vale a pena conferir.
Fui! :)
comentários(0)comente



Taverna do Pergaminho 28/03/2017

Me surpreendeu - Confira o Vídeo no canal da Taverna do Pergaminho e participe dos sorteios
Esses dias me perguntaram sobre o livro Partials pq eu comprei o segundo livro e tal.. e ai comentando com a pessoa .. ela perguntou sobre o primeiro ..então vou falar um pouco sobre. Bom o livro é infanto juvenil, de começo achei a história bem bobinha, mas confesso que no decorrer do livro me surpreendi. A história se tornou bastante interessante, e as partes infanto juvenil ficaram relevante sem atrapalhar o enredo do livro... O livro tem bastante ação,... são tantos acontecimentos, são tantas coisas.. são tantas informações... que as vezes parecia que eu ja estava lendo uns 3 livros sobre o assunto ..e na verdade ainda estava na metade do primeiro.
O autor criou uma história bem doida mas que ao mesmo tempo é bem interessante e diferente. No começo não da muito para você ter um noção do que se trata ao certo tudo que esta acontecendo...mas conforme as coisas vão linkando você vai entendendo tudo e fica bem interessante. Como eu disse são tantas informações que eu achei que o autor iria se perder no livro, mas de uma forma brilhante ele encaixou tudo até o final, na minha opinião ele só poderia ter amarrado mais o finalzinho do livro, mas isso não estragou a história.
Enfim, é um livro de surpresas, é um livro de bastante ação.. é um livro bem diferente... é um livro bem detalhado.. tem uma ótima escrita que flue super bem e da para ler bem rápido. É uma leitura que ti prende, e uma leitura que ti deixa curioso.
Algumas coisas no final são bastantes previsíveis, mas outras foram realmente uma surpresa.
Não é o melhor livro que já li mas é um bom livro e uma história que vale a pena ser lida. É bem interessante.
OBS: quem for ler, não leia a sinopse do segundo livro..pq ele da spoiler do primeiro livro inteiro contando inclusive o final. Sabendo disso o terceiro livro que ainda não li e o segundo, eu não lerei a sinopse do terceiro livro rsrs...
Enfim .. leiam, como eu disse não é o melhor livro do mundo, mas é uma leitura muito interessante. Achei bem diferente... não esperava muito desse livro, muito menos da história... me surpreendeu.


site: https://www.youtube.com/watch?v=xMO-OAX85bw
comentários(0)comente

Nany 19/11/2014minha estante
Amo esse livro


Josi 20/07/2018minha estante
undefined




Brenda Bremer 07/01/2017

Viciante
Um mundo pós apocalíptico assolado por um vírus que impede o nascimento de crianças, ameaçado por inimigos que ninguém vê a mais de 11 anos, e um povo insatisfeito com as medidas rígidas do Senado.

Uma médica determinada salvar o mundo, um cientista apaixonado, um irmão protegendo a irmã, e um forasteiro do qual ninguém sabe quase nada. Eles vão contra tudo e todos na busca por uma cura, mas acabam descobrindo mais do que imaginam.

Admito, o começo do livro não é exatamente empolgante, mas quando as descobertas começam...elas não param mais.
Patrick O. 25/02/2017minha estante
Ainda bem que eu li essa resenha sobre o começo não ser empolgante, pq eu já tava desistindo aqui kkkkkk




carolina.trigo. 04/10/2016

Mais uma Distopia Juvenil? Acho Que Não!
Fazia muito tempo que esse livro estava na minha pilha de leituras, e também fazia muito tempo que não lia distopias. Estava com saudades. E acho que escolhi o livro certo para voltar nesse gênero que tanto gosto.
Partials, do estadunidense Dan Wells, Editora iD, é uma distopia para os fãs de Jogos Vorazes e Divergente, para os fãs dos clássicos como 1984 e Fahrenheit 451, e para quem quer entrar neste gênero, ou para quem quer algo um pouco diferente.
O livro se passa no final do século XXI. A população foi reduzida a 40 mil habitantes aglomerados em Long Island. Isso é devido à guerra entre humanos e Partials - seres criados em laboratório idênticos aos humanos - que liberam o vírus RM, no qual dizima quase toda a população.
Eles vivem sobre vigilância 24 horas por dia e não podem sair da ilha, pois irão ser mortos pelos Partials ou pela Voz - grupos que vivem fora de Long Island, formado por humanos que se rebelaram contra o governo e que não concordam com as atitudes tomadas pelos governadores.
Porém, o maior problema dos humanos é que depois da guerra dos Partials, eles não conseguem mais se reproduzirem. Todo bebê que nasce morre depois de três, quatro dias. Na tentativa de sobreviver, o Senado cria a Lei da Esperança, que obriga cada moça que chegar aos 18 anos a engravidar. Se ela não tiver um parceiro pode se designado um para ela ou a partir de inseminação artificial. E esse é um dos motivos para a Voz atacar o Senado.
Além de todos os problemas já existentes, aparece mais um: o Senado pretende diminuir a Lei da Esperança para 16 anos. E é nesse mundo que vive nossa personagem principal: Kira, uma estudante de medicina de 16 anos.
E é com ela que as coisas começam a mudar. Por ela ser muito inteligente mas também muito curiosa, ela não aguenta mais ver bebês morrendo a todo instante e não acredita que a diminuição na idade para engravidar irá ajudar muito as coisas.
É a partir disso que ela tem uma ideia talvez um pouco louca, e que tem pouca chance do Senado concordar: ela pretende capturar um Partial no continente para estudar seu metabolismo, pois eles são os únicos imunes ao vírus RM. Ela acaba conseguindo convencer alguns de seus amigos a irem com ela ao continente e a ajudarem.
Também faz parte de uma trilogia, tendo seu segundo livro já lançado aqui no Brasil: Fragmentos. Tem seus dilemas adolescentes, porém discute assuntos pouco tratados nos livros, particularmente os distópicos. Temas como estupro, liberdade civil e autoritarismo.
Um deles me chamou muita a atenção. Em um certo momento, um dos personagens faz a seguinte indagação: 'porque um rapaz de 17/18 anos pode ser um comandante e é considerado adulto, e as moças com 16 anos que são forçadas a engravidar não são consideradas adultas?' A idade, principalmente nos tempos de hoje, não representa a sua maturidade. Temos muito adultos que não tem postura de tal, e "jovens" (talvez só na idade) que são muito mais adultos do que alguns que vemos por aí. É uma coisa a se pensar!
Comprei Partials num sebo por não ter encontrado nenhum outro que me chamou a atenção. Mas que bom que não achei outro, pois esse foi uma grata surpresa e nos mostra que temos bons tesouros escondidos por ai. E que muitas vezes a gente nem conhece...

site: http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/03/mais-uma-distopia-juvenil-acho-que-nao.html
comentários(0)comente



Luiza 02/09/2016

Mslhor
Muito bom
comentários(0)comente



Jessica 26/08/2016

Não é mais do mesmo!
Esse livro, que não é tão conhecido, não é muito comentado, mas é recomendado pela Pam Gonçalves é incrível! !
A raça humana está quase instinto após a guerra contra os Partials, seres criados em laboratório, idênticos aos humanos, na aparência. Eles liberam o vírus RM, ao qual apenas uma pequena parte da população sobreviveu, uma lei foi implantada, determinando que todas as mulheres a partir de 18 anos devem engravidar, mas os bebês que nasceram ao longo de 11 anos não sobreviveram.
A história acompanha Kira, uma jovem médica em treinamento, que começa suas atividades na maternidade e acompanha a rotina, porém, percebe que nada tem mudado, os bebês continuam morrendo, então ela decide que algo tem que ser feito.
ACHO QUE SE CONTAR MAIS DO QUE ISSO É SPOILER!!!
O livro é simplesmente incrível, amei e não vejo a hora de poder ler a continuação!!!!
comentários(0)comente



odara 15/06/2016

partials
Estou lendo o livro e apesar dele não ser tao conhecido é bastante interessante, quem não ama um universo pós apocalíptico? É uma trama envolvente com personagens cativantes, há um romance mas não daqueles melosos que ficam naquele assunto chato o livro todo, o autor aborda vários assuntos e estou louca para terminar de ler o primeiro livro, espero que vocês gostem também
comentários(0)comente



Sarah 04/06/2016

Partials
Desde que li a sinopse fiquei bem interessada nesse livro. Embora seja uma distopia que acaba caindo nos clichês atuais, ainda vi um pouco de originalidade na sua história, o que me empolgou bastante.
O livro de fato tem um enredo criativo, interessante e que faz você querer entender tudo sobre esse mundo fictício de 2076. Porém, em algumas partes a narrativa consegue ser bem cansativa, em momentos de adrenalina e ação, ela acaba sendo confusa, algumas vezes, e bem chata. E em boa parte do livro há bastante explicação de termos biológicos, particularmente eu gostei, achei interessante e vi até como um diferencial para a história, mas pra quem não gosta pode ser tornar bem maçante!
Entretanto os acontecimentos em si tornam a leitura válida, tendo um final bom que faz você querer ler a continuação mesmo temendo um pouco a narrativa.
comentários(0)comente



Íris - @coresliterarias 08/05/2016

A raça humana está quase extinta após a guerra contra os Partials - seres criados em laboratório por humanos para serem um exército e acabaram se voltando contra os seus criadores. Eles liberaram um vírus chamado RM, que somente uma pequena parte da população é imune. Os sobreviventes da América do Norte se reuniram em Long Island ao mesmo tempo que os Partials se retiraram da guerra misteriosamente.

11 anos se passaram desde a guerra e a última aparição dos Partials.
Kira é uma médica em treinamento que todos os dias vê bebês morrendo após o nascimento por não serem imunes ao RM. Todos esses anos se passaram e ninguém conseguiu descobrir a cura para o vírus.
Determinada em tentar encontrar a cura, Kira irá descobrir que a sobrevivência e o futuro da humanidade depende muito mais dos Partials do que todos pensam. Uma ligação entre as duas espécies que pode ter sido esquecida ou que nem ao menos tenha sido descoberta.

Partials e os humanos terão que trabalhar juntos, mas como será possível quando um vê o outro como uma ameaça e um inimigo? Kira precisará ir contra as autoridades para chegar ao seu objetivo e contará com ajuda de amigos. Será que vai valer a pena virar a "criminosa" mais procurada?

Cheio de mistérios e teorias, Partials tem uma história totalmente envolvente do começo ao fim. Não pensava que fosse gostar tanto da leitura, me surpreendeu totalmente o rumo que a história foi tomando e não teve como não devorá-lo. É daqueles livros em que você não sabe em quem confiar e em quais informações são reais ou invenções. E até onde as informações passadas pelo governo são confiáveis? Por onde andaram os Partials durante todo esse tempo?

O primeiro livro de uma trilogia, consegue deixar o leitor louco pela continuação, com um final surpreendente e com muitas pontas soltas para serem aprofundadas no próximo livro. Quem é fã de distopias com certeza vai adorar!

Partials foi publicado pela Editora ID, que também publicou o segundo livro, Fragmentos, mas recentemente a Editora "fechou", então não teremos o último livro lançado aqui a não ser que outra editora compre os direitos. O que é triste, pois a ID deixou várias séries de livros inacabadas. Torcemos para que outras editoras vejam esses livros e dêem continuidade nas publicações das séries/sagas.

site: http://www.coresliterarias.com.br/2016/05/resenha-partials-de-dan-wells.html
comentários(0)comente



Thaís Tomaz - @sintoniabooks 02/01/2016

A resposta para cura está onde menos imaginam.
Fiquei empolgadíssima com a sinopse do livro, mas durante a leitura isso foi se perdendo um pouco, li algumas resenhas e a maioria que leu gostou muito do livro. Não sei, talvez o problema seja eu ou talvez ter ido com as expectativas lá em cima e as mesmas não serem atendidas.

***
Resumidamente, achei o começo do livro tedioso as coisas aconteciam muito lentamente e só foi pegar um ritmo mais legal no meio do livro e embora a leitura nos traga toda essa carga emocional de sobreviver, de se unir a algo inesperado, algumas coisas me irritaram um pouco, por exemplo o plano elaborado pela personagem me fez pensar que já que era tão simples achar uma cura por que não foi feito antes? Diante disso, entra a questão das autoridades não quererem correr o risco de que explodisse uma outra guerra, visto que se isso acontecesse, na mente deles os humanos seriam dizimados o problema é que: de qualquer forma os humanos acabariam morrendo com guerra ou sem guerra já que a cura não tinha sido encontrada, será que não valia apena o risco?

Agora com relação a construção de mundo não tem nada de surpreendente é aquele mundo pós-guerra que já vimos.

O autor cumpre com o que diz na sinopse com relação ao assunto principal a ser abordado. O objetivo é encontrar uma cura então todo o livro aborda esse assunto, isso se torna um pouco cansativo durante a leitura pois foca demais nos problemas daqueles personagens não existe um outro ponto de vista, o autor poderia ter nos mostrado um pouco mais sobre os Partials, como eles viam toda aquela situação ou a razão pela qual sumiram, mas esse é o primeiro de uma trilogia talvez nos próximos algumas coisas sejam melhor esclarecidas.

Vamos falar dos pontos positivos do livro, durante a leitura percebi o quão forte é o instinto de sobrevivência da personagem ela não se conforma em simplesmente deixar que uma situação continue do mesmo jeito sem nenhum progresso para a cura, não se contenta com a vida estipulada pelo governo de que quanto mais bebês nascessem mais perto estariam da cura.

Outro ponto positivo é sobre os conceitos biológicos dos Partials, embora eles sejam idênticos aos humanos o organismo deles é diferente do nosso, e o livro explica bastante sobre isso o que faz com que entendamos alguns aspectos desses seres.

Além disso, traz alguns valores como: persistir em busca de uma solução e entender que esta solução que tanto procuram está no que eles consideram ser o problema.
comentários(0)comente



Raquel Comunale 18/10/2015

O ano é 2076 e a raça humana está quase extinta devido ao vírus RM lançado no ar em uma guerra contra os Partials que são robôs criados pelos humanos que em um determinado momento se cansaram de ser usados pelos humanos. Contudo o vírus RM além de ter matado boa parte da população mundial impede que os bebês sobrevivam tornando ainda mais difícil a contuidade da espécie. Nesse contexto catastrófico demos Kira Walker uma adolescente que trabalha na maternidade da ilha que reúne o que restou da civilização.

Kira se sente desconfortável como o fim eminente da civilização humana e mesmo com Marcus, seu namorado, tentando convencê-la a simplesmente viver sua vida a jovem não consegue se manter tranquila. Quando uma grande amiga sua engravida Kira decide que definitivamente não pode cruzar os braços e toma uma decisão ousada: sequestrar um Partial para encontrar a cura para o vírus RM.

O livro tem vários trechos com explicações científicas e diversos questionamentos políticos e sociais. O Partial que Kira captura traz ainda mais questionamentos sobre até que ponto é necessário cometer atos desumanos para salvar a humanidade. Gostei bastante da leitura.

site: http://desencontre.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Pratelivros 08/10/2015

Ainda existem distopias originais!
OBS: Para ler essa resenha com seus recursos completos de imagem (gifs e imagens), acesse o link ao fim dessa resenha.

Os humanos criaram os Partials para lutar suas guerras por eles. Fisicamente mais resistentes e desenvolvidos, mas com uma aparência exatamente igual à de seus criadores, essas criaturas se rebelam e iniciam um massacre contra eles. Como arma final utilizam o vírus RM, que mata a maioria da população humana da Terra, poupando apenas a pequena porcentagem imune à ele. Após o incidente, os Partials cessam a ofensiva, e o pouco que restou da raça humana se junta na tentativa de reconstruir uma sociedade minimamente organizada e capaz de se defender caso esse conflito não finalizado se reascenda. Onze anos após o lançamento do RM, seus efeitos ainda se fazem presentes: nenhum bebê nascido após o conflito consegue sobreviver mais do que alguns dias. Diante da ameaça de extinção, o governo autoritário estabelecido após a crise impõem a Lei da Esperança, que obriga toda menina com mais de 18 anos a engravidar. E é em meio a esse cenário turbulento, repleto de insatisfação popular, indícios de uma rebelião e um regime que está na linha tênue entre o austero e o opressor, que conhecemos Kira, que está disposta a à tudo para salvar seu futuro e de toda a humanidade.

"A vida vem da morte, e a fraqueza nos ensina força"

Kira, de apenas 16 anos é estagiaria do hospital e já não aguenta mais assistir bebês morrendo diariamente, enquanto colhe informações e faz testes na esperança de conseguir salvar o próximo, embora continue falhando. Frente à ameaça de ampliação da Lei da Esperança e a consequente intensificação da ofensiva rebelde, a Voz, Kira acredita saber onde encontrar a cura para o RM e, portanto, a solução para os problemas da humanidade. Mas, para isso, ela terá que correr o risco de reacordar a guerra contra os Partials e ser responsável pela morte de toda sua espécie.

epois do sucesso do gênero, inúmeras distopias surgiram e ganharam fama. Partials, no entanto, consegue se destacar pela precisão e veracidade das informações colhidas para escrevê-lo de forma tão concisa e lógica, além da qualidade da narrativa que o compõe. Virologia e genética são basicamente a fundamentação de todo o livro. Se você possui uma educação básica no assunto (aquilo que você aprendeu na aula de biologia mesmo) é impossível não se admirar e se empolgar à cada fato descoberto e revelado sobre o RM e sua atuação no organismo. E é impressionante como todas as informações vão se encaixando conforme a trama evolui. Quanto a narrativa, o livro é repleto de cenas de ação, tiros, perseguições e reviravoltas. Viciante.

Outro fator que diferencia esse livro é a linha não tão nítida entre os inimigos e aliados. Durante vários momentos do livro, os personagens tem suas crenças questionadas e refutadas, o que originou surpresas durante toda trama. Enquanto a maioria das distopias tem como inimigo principal o governo que os subjuga, Partials expõe os dois lados da moeda. Nos mostra a necessidade da mão firme dos que estão responsáveis pela sobrevivência dos que podem ser os últimos de sua raça na face da Terra e também o qual fácil é ultrapassar o limites de qualquer forma de democracia numa situação dessas.

"A liberdade é uma responsabilidade a ser merecida, não uma licença para a imprudência e a anarquia."

E adorei o modo como Dan abordou a estória. Menos emotiva ou sentimental e mais fatídica, ativa. Do mesmo modo ele construiu seus personagens. Kira é prática e rápida em analisar os prós e contras de suas decisões. Pra implementar qualquer mudança numa sociedade como a dela sacrifícios devem ser feitos. Kira entende isso. Essa objetividade é rara em personagens femininas. Os personagens secundários também foram muito bem construídos e cada uma possui um papel de certa importância no enredo Madison - a amiga que, quando fica grávida reforça a vontade de Kira encontrar a cura, Marcus - o namorado de Kira e que dá certa leveza a estória , Xochi - a filha de uma das Senadoras e Jayden - o soldado com experiência de campo possui papel chave em várias partes do livro.

"Bom, obrigado por não atirar em ninguém, eu acho," disse Marcus. "Minha contribuição foi de algum modo não mijar nas calças. Você pode me agradecer depois." - Marcus

É um livro muito bom e bastante surpreendente. O potencial das continuações é imenso e pretendo lê-las em breve.
Espero que vocês gostem tanto quanto eu.

OBS: Para ler essa resenha com seus recursos completos de imagem (gifs e imagens), acesse o link abaixo:

site: http://pratelivros.blogspot.com.br/2015/10/resenha-partials-dan-wells.html#more
comentários(0)comente



Lyly 01/07/2015

As vezes os livros superam suas expectativas...
Posso dizer que comecei a ler Partials com a expectativa lá na Lua. Fazia muuuuito tempo que um livro não me deixava vidrada na história e eu estava esperançosa de que Partials ia acabar com esse ciclo de livros bons, mas que não sejam sensacionais. E quando estava na metade percebi que ele estava alcançando a mesma e ultrapassando de tão legal que era. Nunca li nada do Dan Wells, ouvi falar desse livro no blog da Pam Gonçalves, e devo dizer que devo muitos agradecimentos a ela por apresentar esse livro legal.

[SOBRE A HISTÓRIA, pode conter spoiler]

Bom, Partials é cheio de detalhes sobre o mundo destruído pelos "Partials" que são "Seres Humanos" feitos em laboratório para lutar na guerra que ocorria na época. Após a Guerra acabar, os mesmos se viraram contra os humanos e soltaram o vírus RM, que só sobreviveu que era imune ao mesmo, ou seja, a humanidade está prestes a ser extinta. De sete bilhões, sobraram trinta mil. E os humanos não conseguem manter seus bebês vivos por causa do vírus. E é ai que a Kira entra.

Kira é uma médica -estagiária- que quer fazer de tudo para conseguir salvar os bebês e essa vontade fica maior quando sua amiga se descobre grávida. Acontece que o Governo... Bem...

[MINHA OPINIÃO, sem spoilers]

Achei a ideia do livro muito boa. O livro tem seus momentos parados, mas são momentos bons e as partes de ação são igualmente boas. O modo como o mundo após o caos é narrado, nos faz imaginar direitinho. A Kira é uma ótima personagem. O que me irritou profundamente foi o tal namorado dela, chatinho, e etc, ele morto ou vivo na história não faria diferença. O Governo ou Senado me irritou profundamente também, não posso falar os motivos, pois seria spoiler, mas quem ler vai sentir o mesmo que eu.

Então o que digo é: leia. Partials não é uma trilogia distópica muito comentada por aqui, mas leiam!!! Vale a pena.
comentários(0)comente



Natália 10/02/2015

Surpreendentemente MARAVILHOSO!!!
Com certeza um dos melhores livros que já li em todos os meus anos de leitura!
Partials, te apresenta uma heroína que faz o leitor acreditar que vale a pena lutar pela humanidade, mesmo que isso custo sua vida.
O livro também te ensina a nunca desistir do que você acredita ser o correto, mesmo que as adversidades se apresentem a sua frente. Além de passar uma bela mensagem de superação e de fé em si próprio e em um futuro melhor construído a partir de nossa coragem, Partials tem ótimos elementos de um sci-fi inquestionável! mega recomendo!!!
comentários(0)comente



Mônica 31/10/2014

Kira é uma médica recém formada, q luta para encontrar a cura do vírus RM. Um vírus q foi lançado na época da guerra contra os partials - os partials foram construído pelo homem como uma máquina de guerra, mas eles se revoltaram contra os humanos. Esse vírus quase dizimou a raça humana, mas algumas poucas pessoas(na maioria crianças denominadas geração Babylândia)ficaram imunes ao vírus. Só q as crianças q nasciam não tinham a imunidade de seus pais e depois q nasciam viviam apenas dias. Então não tinha esperança para a raça humana, já q não conseguiam dar continuidade a sua prole. Onze anos depois da guerra com os partials, ainda não tinham a cura para o RM. Nenhuma criança sobreviveu ao Break como eles chamavam o evento. E Kira tinha a ânsia de descobrir a cura. Começou a trabalhar na maternidade, com os recém-nascidos e vendo os morrer. O senado q governava essa comunidade instituiu uma lei, a lei da esperança, onde todas as mulheres a partir dos 18 anos eram obrigada a terem filhos - o intuito era terem filhos até q num golpe de sorte, nascesse algum com a imunidade. Por causa dessa lei arbitrária, muitos se revoltaram e faziam ataques para forçar o senado revogar a lei imposta. Esses revoltos eram dominados de A Voz.
Os Partials depois do Break nunca mais foram vistos, não se sabe pq eles não mais os incomodaram e nem se eles estão por lá ainda.

Sempre quis ler esse livro, mas acabava deixando pra depois. E por causa do desafio literário peguei-o para ler. Eu gostei muito desse livro, embora o começo achei um pouco cansativo - bom de certa forma precisa ter uma introdução para a estória-, depois não consegui mais largar até terminar.
Eu só tenho a dizer é Samm, humm!!! :v kkkk Leiam e entenderam :P
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3