Morte Súbita

Morte Súbita J.K. Rowling




Resenhas - Morte Súbita


802 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


Érika 27/02/2017

Intenso e pesado.
Difícil expressar como eu me senti ao terminar esse livro.

Começou como uma leitura chocante pois, de início, não consegui separar a autora da série que ela escreveu. Ao longo do tempo, e graças a muitas conversas com uma amiga, consegui deixar meu julgamento de lado e mergulhar na história. Acabou que eis a sensação que ficou em mim, após a entrega para a leitura, foi justamente essa: julgamento.

Como é fácil julgar sem conhecer. E, pior ainda, como é fácil julgar por achar que conheço.

Quantas vezes nós julgamos que os problemas do outro são "refresco" perto dos nossos? O quanto nos flagramos pensando mal de alguém, pensando que o outro se vitimiza, incomoda, magoa, "se faz de coitado", simplesmente porque conhecemos essa pessoa como colegas de trabalho, faculdade, e até mesmo como amigos. Quantas vezes pensamos isso porque acreditamos que nossos problemas são piores, e que nós é quem somos dignos de pena e de atenção?

Não sabemos. É fácil julgar. É fácil interpretar as coisas como queremos. É fácil convivermos diariamente com alguém e pensar que não há nada de errado. É fácil acreditar que é "mimimi". É fácil se cansar do coitadismo alheio, é fácil estar desatento a pedidos de socorro, é fácil julgar e não querer ser julgado.

A autora escancara nesse livro a podridão que é o ser humano. A necessidade de atenção, de ser melhor, a falsidade que está em todos, até naqueles que menos esperamos que esteja: nós mesmos.

É uma leitura pesada, porém necessária. Que nos faz perceber o quão parecidos somos com vários desses personagens, e quantas experiências em comum possuímos com eles. Um livro bem escrito, que me encantou mesmo trazendo à tona sensações que doem no fundo do meu coração.

Livro intenso, livro incrível.
comentários(0)comente



Murilo.Alves 19/02/2017

Morte Súbita
Meu deus o que dizer desse livro?...Raiva,angústia, nojo, foram uns dos sentimentos que eu senti lendo essa historia,na primeira vez que tentei ler esse livro só fui até a pagina 20 pq estava achando super chato,na segunda vez só fui até a pagina 123 e também parei pq estava achando chato,um ano depois de ter ganhado esse livro eu tentei ler de novo pela terceira vez,e eu amei cada pagina(menos em uma determinada cena que pra mim foi tão forte que cheguei a passar mal)
Eu senti como se o livro tivesse falado:olha o mundo que você terá que enfrentar.
Pra mim a historia foi um choque de realidade.Valeu a pena cada palavra.
comentários(0)comente



Luiz 14/02/2017

Como é possível?
Como é possível que a mesma autora de uma série de livros maravilhosa escreva um livro tão chato, clichê, lotado de status quo e repleto de detalhes que não agregam NADA ao enredo?
comentários(0)comente



Fer . 06/02/2017

O final que remete ao início
No início, me vi perdida entre tantos personagens e tantas famílias com historias que se cruzavam. Mas aos poucos fui me familiarizando com os nomes, e compreendendo as relações que haviam entre um personagem e outro. Passado esse primeiro momento de confusão, me dediquei a leitura de forma detalhada, pois acreditava que havia um mistério a ser descoberto na morte súbita. Mero engano. O livro, em seus momentos finais, retoma o que havia me chamado a atenção já desde o início. As relações interpessoais. O desfecho só foi possível acontecer devido às relações que foram trabalhadas pela autora durante toda a história. E ainda nos dá a oportunidade de refletir sobre as segregações, traições e preconceitos que permeiam nossas próprias relações pessoais.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rael 27/01/2017

Leitura cheia de informações inúteis e enredo parado demais.
A história acontece num pequeno vilarejo. Cada personagem da pequena Pagford tem seus anseios e seu estilo de vida. A autora escreveu de uma forma tão mágica que faz com que você se apegue aos poucos a algum personagem. A história começa focada na vida de Barry Fairbrother, que é uma das maiores personalidades da pequena cidade, sendo o comandante do grupo de remo feminino. A morte do Sr. Fairbrother é o que desencadeia a trama. Com a morte do líder feminino vários conflitos começam a aparecer e as pessoas começam a se mostrar realmente quem são. Howard Mollison atual líder do conselho logo vê a oportunidade de crescer e alcançar um espaço maior do que acha que merece, mesmo sendo amado e respeitado por ser quem é por sua esposa Shirley Mollison.

site: http://obaucultural.blogspot.com.br/2016/06/resenha-morte-subita-de-jk-rowling.html
comentários(0)comente



Juliana.Cantuária 20/01/2017

Sensacional
À primeira vista ficamos tentados a imaginar que se trata de algum conto fantástico a lá Harry Potter. Mas basta ler o início e essa expectativa vai embora. O livro não tem nada de fantasia, pelo contrário, fala justamente sobre as agruras da vida real, dos dramas que pessoas comuns enfrentam. Particularmente gostei demais, pois a autora J.K. Rowling mostra que seu talento é muito mais profundo além da escrita fantástica.
O que mais me encantou, além da excelente escrita e o desenrolar dos acontecimentos, que são ambos espetaculares, foi a possibilidade de ver que, independente do país onde moramos, nos deparamos com os mesmos problemas, que a natureza humana é muito similar (pra não dizer idêntica) em qualquer lugar do mundo. Problemas como violência, tráfico, desvirtuação de valores, desestrutura familiar infelizmente não estão apenas presente na sociedade brasileira, mas em todas...
Recomendo. É maravilhoso! Obrigada J.K. Rowling!!
Dan Pontes 22/01/2017minha estante
Faz tempo que quero ler este livro. Vou tentar ler este ano.


Gabii 30/01/2017minha estante
Tô lendo ,mas com um pouquinho do pe atras




Leandro Moura 19/01/2017

Tive contato com esse livro devido a um clube do livro que eu participo. O fato de ter sido escrito pela mesma autora de Harry Potter não me gerou grandes expectativas, li já sabendo que não encontraria NADA de Harry Potter nesse livro (imagino que mtas pessoas tenham se frustrado por conta desse detalhe, mas enfim).

O livro demora MUITO para engrenar. As personagens são muito mal introduzidas, a morte súbita do título não provoca qualquer empatia no leitor, o conflito central do livro demora muito pra ser apresentado e quando isso acontece, ele não empolga, a trama se arrasta por várias e várias páginas sem que nada de muito relevante aconteça. Da metade para o final, consegue melhorar e ficar mais interessante, mas o final é bem decepcionante. Só não é pior pq pelo menos algumas personagens conseguem ter um final digno, mas mesmo assim, não mudou muito minha percepção do livro.

Acredito que os principais problemas do livro sejam: personagens mal-construídas e história excessivamente longa. O livro só começa de verdade da página 300 em diante. Muita coisa ali poderia ter sido cortada. Quanto às personagens, nunca vi tanta gente medíocre e detestável numa história só! Vc não consegue sentir empatia por nenhum deles, pq todos são péssimos! E os poucos personagens interessantes mal aparecem! Espero que ela tenha feito isso de propósito, pq se não foi, lamento dizer, mas isso é um erro de principiante. QUALQUER escritor sabe que o livro precisa ter personagens que despertem a simpatia do público.

Enfim, considero um livro bem mediano.
comentários(0)comente



Bettina 18/01/2017

Nunca li nenhum dos livros de Harry Potter, então não conheço a escrita de J.K Rowling, mas sim, a sua genialidade contada através dos filmes da série.
Morte Súbita é uma trama totalmente diferente do seu personagem mais famoso, porém, foi uma leitura da qual não me cativou, os personagens são confusos, a história parece nunca se desenvolver, tanto que não consegui terminar a leitura, que acabou se tornando enfadonha para mim.
comentários(0)comente



Carla 17/01/2017

uma ótima surpresa!!
“Morte súbita” se inicia com a morte de Barry Fairbrother, um dos membros do conselho de moradores da pacata Pagford, um vilarejo interiorano que guarda em suas pequenas vielas muitos segredos e mazelas de seus moradores.
Após a morte súbita de Fairbrother, há necessidade de se preencher a sua vaga no conselho e com esse fato vem a sensação de que a arrogância, a indiferença e a “pequenas” maldades dos moradores de Pagford não pode mais passar despercebida sendo colocadas em xeque e trazendo desequilíbrio a falsa tranquilidade experimentada no vilarejo.
Um livro com muita crítica negativa, entretanto uma grande surpresa! Rowling traz em sua escrita, um forte apelo social e uma crítica contundente à sociedade atual. Recomendo muito a leitura mas quem espera encontrar algo parecido com o bruxinho mais famoso do planeta ficará decepcionado pois Rowling mostra uma faceta diferente de sua escrita.
comentários(0)comente



Raquel.Chiaradia 11/01/2017

Do mundo da magia para a realidade nua e crua
Em Morte Súbita, J.K. Rowling nos apresenta um universo nada fictício e muito menos mágico como Harry Potter. Os diversos núcleos que compõem a história se interligam através de personagens muito bem construídos. O que chama a atenção é que Rowling criou um cenário extremamente caótico para desenvolver a trama: em Morte Súbita, a realidade nua e crua de milhares de pessoas no mundo todo foi retratada a partir de fatos existentes na sociedade: política, violência sexual, drogas e saúde pública, relacionamentos, bullying, entre outros. Outro destaque, a meu ver, fica por conta das questões que envolvem a vida privada. É notório como os personagens (nenhum flor que se cheire, por sinal) têm grande interesse pela vida alheia, sempre em busca de alguma informação, melhor ainda se for algum podre.
Morte Súbita, além dos conflitos sociais, está cheia de conflitos psicológicos, o que faz o leitor se envolver com os personagens, sentir raiva, pena, compaixão e desprezo.
Um problema para mim foi o final, pois me pareceu que o desfecho não ficou totalmente completo. Porém, é uma leitura que vale a pena e que prova que J.K Rowling é uma grande autora e que suas construções literárias estão muito além do universo fantástico que a consagrou mundialmente.
comentários(0)comente



Ana Vitória 11/01/2017

“Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades.”
comentários(0)comente



ANINHAPONCE 03/01/2017

Morte Súbita
O livro de hoje é um tanto quanto polêmico, pois muitas pessoas gostaram, outras se decepcionaram... Estou falando do livro Morte Súbita da incrível J. K. Rowling. O livro foi originalmente lançado em 2012, sendo traduzido e publicado aqui no Brasil pela Nova Fronteira também em 2012 (UAU).
Em inglês o titulo é Casual Vacancy, que faz referência não apenas a vaga aberta no conselho, mas a vacância causada, por exemplo, pela perda de entes queridos, de amigos. Mas tudo é nublado pelo final muito emocionante e triste. Já em português o título, Morte Súbita, não abre margem para essa interpretação.
A história se passa em um pequeno vilarejo fictício da Inglaterra, Pagford, e está dividido em sete partes: Parte Um (Vacância do Mandato de um Conselheiro), Parte Dois (Comentário Fundamentado), Parte Três (Duplicidade), Parte Quatro (Lunáticos), Parte Cinco (Privilégio), Parte Seis (Pontos Francos dos Grupos Voluntários) e Parte Sete (Combate à Pobreza).
Na primeira parte nos é apresentada a reações dos moradores de Pagford, ao saberem da morte de Barry Fairbrother, membro influente do Conselho Municipal. Acha falsidade...
A sua “morte súbita” abre uma vacância no conselho, e uma eleição deve ser realizada, a fim de suprir essa vaga. Mas não é simplesmente isso, a morte de Barry trás a tona uma velha questão que sempre dividiu os membros do conselho: o problemático bairro ‘Fields’, onde está instalada a clínica Bellchapel de reabilitação para viciados em drogas, deve continuar fazendo parte de Pagford, ou ser entregue à responsabilidade da cidade de Yarvil?
Barry sempre defendeu a permanência da clinica nos domínio de Pagford, mas outros membros do conselho defendiam a saída da clínica. Sendo assim, nada mais natural que essa seja a questão central da eleição que será realizada, e os candidatos são divididos entre estar a favor ou contra Fields.
Nesse livro, voltado para um público mais adulto, J. K. aborda temas como relações familiares, interesses políticos, hipocrisias sociais com muita acidez e ironia. Então fica a dica: não leia este livro esperando um novo Harry Potter, uma nova aventura fantástica, pois esse livro retrata antes de qualquer coisa o ser humano, em sua baixeza de sentimentos ou no que tem de melhor.
O livro foi adaptado para televisão pela BBC como um seriado de 3 episódios, o seriado ficou muito interessante, com algumas modificações, em especial o final, que ficou menos trágico do que o do livro.

Então fica a dica, espero que tenham gostado. Beijos e até a próxima.

site: viajandocompapeletinta.blogspot.com
comentários(0)comente



MoisesMota 30/12/2016

Me surpreendeu
Não sabia o que esperar desse livro quando comprei, tinha muita curiosidade sobre como seria essa investida de J. K. Rowling nessa nova obra que não tinha nada de mundo mágico. E foi uma boa surpresa. Ela escreve bem e independente de onde ela localizar a história, vai sair algo no mínimo bom.

Ela colocou nesse livro tudo que não pôde colocar em Harry Potter, há sexo, drogas, estupro, e uma sorte de temas mais adultos. É interessante a forma como ela costura todos os principais personagens da história, ela dá um tom de realidade à cada uma das famílias de Pagford. Gostei do livro e da história.
comentários(0)comente



Dâmares Dias 28/12/2016

Morte súbita - J. K. Rowling
Primeiro: mesma autora, mas nada a ver com Harry Potter... Comprei "Morte Súbita" esperando encontrar um mistério misturado com magia, porém achei um livro profundo, com um quê de crítica a sociedade hipócrita; cheia de segredos e julgamentos, baseados em classes sociais ou naquilo que se "parece ser"...
Realmente há uma morte, Barry FairBrother, conselheiro do Vilarejo de Pagford morre...
Não de forma misteriosa, mas de um aneurisma, na rua, aos olhos de vários conhecidos, abrindo assim uma vaga no Conselho...
A partir daí a autora cria uma história ao redor da morte do conselheiro e da forma como ela afeta a vida dos moradores do Distrito.
O livro é dividido em 7 partes, cada uma delas traz um pequeno título como tema, e um trecho da "Administração dos Conselhos Locais".

Parte Seis Pontos fracos dos grupos de voluntários

22.23 (...) O principal ponto fraco de tais grupos é que são difíceis de se constituir, propensos a se desintegrar (...)

Charles Arnold-Baker Administração dos Conselhos Locais 7ª edição


O livro gira em torno do pequeno Vilarejo de Pagford, mas a história poderia pertencer a vida de qualquer morador de uma cidade grande.
Os personagens são muitos e, vamos identificando no decorrer das páginas as personalidades e segredos de cada um.
O que mas me marcou porém foi o final do livro... Bom, mas cheio da dura realidade da vida... Faz a gente refletir quantos moradores de Pagford nos rodeiam no ônibus, na escola, no trabalho, e como a vida (e a morte) de um afeta a vida de todos, nesse emaranhado que é a teia da vida...
Pra finalizar, um trechinho do livro:

"Ó mente, o mundo é um poço escuro e profundo. Por todo lado, a Morte lança a sua rede." (pg 55)

site: lifalei.blogspot.com.br
comentários(0)comente



802 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |