Morte Súbita

Morte Súbita J.K. Rowling




Resenhas - Morte Súbita


813 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |


Dâmares Dias 28/12/2016

Morte súbita - J. K. Rowling
Primeiro: mesma autora, mas nada a ver com Harry Potter... Comprei "Morte Súbita" esperando encontrar um mistério misturado com magia, porém achei um livro profundo, com um quê de crítica a sociedade hipócrita; cheia de segredos e julgamentos, baseados em classes sociais ou naquilo que se "parece ser"...
Realmente há uma morte, Barry FairBrother, conselheiro do Vilarejo de Pagford morre...
Não de forma misteriosa, mas de um aneurisma, na rua, aos olhos de vários conhecidos, abrindo assim uma vaga no Conselho...
A partir daí a autora cria uma história ao redor da morte do conselheiro e da forma como ela afeta a vida dos moradores do Distrito.
O livro é dividido em 7 partes, cada uma delas traz um pequeno título como tema, e um trecho da "Administração dos Conselhos Locais".

Parte Seis Pontos fracos dos grupos de voluntários

22.23 (...) O principal ponto fraco de tais grupos é que são difíceis de se constituir, propensos a se desintegrar (...)

Charles Arnold-Baker Administração dos Conselhos Locais 7ª edição


O livro gira em torno do pequeno Vilarejo de Pagford, mas a história poderia pertencer a vida de qualquer morador de uma cidade grande.
Os personagens são muitos e, vamos identificando no decorrer das páginas as personalidades e segredos de cada um.
O que mas me marcou porém foi o final do livro... Bom, mas cheio da dura realidade da vida... Faz a gente refletir quantos moradores de Pagford nos rodeiam no ônibus, na escola, no trabalho, e como a vida (e a morte) de um afeta a vida de todos, nesse emaranhado que é a teia da vida...
Pra finalizar, um trechinho do livro:

"Ó mente, o mundo é um poço escuro e profundo. Por todo lado, a Morte lança a sua rede." (pg 55)

site: lifalei.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Erica 06/12/2016

The Casual Vacancy
Nossa, eu demorei a engatar nessa história, mas o mais bizarro é que eu acabei gostando. Acho que o primeiro impacto que você recebe desse livro é que ele é uma novela. Fazia tempo que não lia novela e está longe de ser meu gênero mais lido ou preferido, diga-se de passagem. Mas na mesma época, tinha pego da estante Ligações Perigosas para ler, aí resolvi pegar novamente Morte Súbita e, cara, acho que como já havia me re-acostumado com o ritmo da novela, a minha forma de enxergar o livro foi outra.
Os personagens, é difícil gostar de algum realmente em um primeiro momento, mas tem alguns ali realmente interessantes e querendo ou não você acaba se envolvendo. Os assuntos que a JK trás são necessários de serem discutidos, mas também extremamente desconfortáveis. Há algumas partes que são realmente indigestas (não por serem mal escritas ou ruins, mas por causa da história mesmo), mas também tem umas que tem um humor estranhamente interessante. Não há como não se envolver com a história da Cristal; e a filha dos Sukhvinder passa por uma situação desesperadora. Tudo é meio dúbio e há várias formas de pensar a mesma situação, não dá para apontar dedos de forma simples ali dentro.
Acho que o maior problema desse livro é que ele foi vendido como algo meio investigativo, sei lá. E passa longe disso. É um livro sobre discussão da natureza humana (algo que ela também não deixou de lado em HP, inclusive), e trás reflexões interessantes. Sinto que preciso ler esse livro novamente.
Ah, outra coisa que acho que acabou se perdendo um pouco com a tradução, foi a ideia que o título trás. Casual Vacancy não se trata apenas de cargo vago, mas a medida que você vai entrando na história percebe que são os espaços vazios que estão ou vão surgindo na vida de cada um daqueles personagens.

Aliás, você viram essa entrevista que a JK Rowling deu no lançamento do livro? Está bem legal. Caso alguém se interesse, aí o vídeo (p.s. está legendada):


site: https://www.youtube.com/watch?v=yRDlLsl8aiM
comentários(0)comente

Erica 10/01/2017minha estante
Não consegui postar o link na resenha, mas caso alguém queira assistir a entrevista, está aqui: https://m.youtube.com/watch?v=yRDlLsl8aiM




Gengis 03/12/2016

Robert Galbraith Vs Joanne Rowling
Tinha lido apenas um dos primeiros livros de Harry Potter (o primeiro ou segundo), achei um pouco infantil pro meu gosto, mas me agradou bastante pelo ritmo e a maneira como tudo acontecia, me remeteu bastante ao filme. Então comprei Morte Súbita (aliás, que tradução infeliz, será que quem traduz nome de livro são os mesmos manés que traduzem e inventam nomes dos filmes?) por curiosidade, a capa me agradou muito, não pelo visual mas pela textura, parece aveludada.

Comecei a ler sem muita "fome", pela sinopse não tinha nada que costuma de atrair, depois de algumas páginas parei e deixei de lado por outras leituras, dentre elas os dois livros de Robert Galbraith, estes sim por trazerem temas que me atraem. Gostei bastante, me lembro de ter adorado o desenrolar da história, e de esperar ansiosamente o final... que acabou não trazendo aquela sensação boa depois do clímax... mas gostei.

Tendo devorado as duas aventuras de Cormoran Strike e mais alguns livros, acabei voltando a Morte Súbita. Conforme os personagens foram se revelando, fui ficando cada vez mais interessado e curioso; achei meiga a maneira estereotipada com que a autora apresentou seus personagens, me lembrou o jeitinho quase infantil do primeiro Harry Potter que li. Mas depois percebi que o livro me deixou bem interessado, você acaba se identificando e simpatizando com alguns tipos ali, e também sabia bem com quem não ir com a cara... Ah! não é infantilidade, é pura ironia! Os estereótipos são afinal caricaturas!

Me enganei completamente com a primeira impressão (desculpem o trocadilho ^^), que p*#@ livro bom! Emocionante! O final te da um tapa na cara e tenta de estrangular, depois te larga tentando recuperar o fôlego.
comentários(0)comente



Daniella.Melo 30/11/2016

Melhora perto do fim
Achei meio chato, demorei bastante para terminar pois ficava parando. Gostei do jeito como a autorá escreveu como ela falou dos personagens e como descreveu algumas situações, mas a história em si eu não gostei. Perto do fim melhora pois é quando começa a movimentar a história (que é bem parada durante o livro inteiro) mas também não gostei muito do final queria saber do fim de todos os personagens.
Débora 21/07/2017minha estante
undefined




Gabriel Valente 25/11/2016

Uma bela viagem pelas questões da vida.
Morte Súbita é um livro diferente. Não existe especificamente um objetivo a ser alcançado por algum personagem no decorrer do livro, mas mesmo assim você quer continuar lendo cada página, com interesse em saber o que essa cidade tão intrigante vai nos proporcionar, acompanhando as consequências de cada ação.
Cada personagem tem a sua índole, o seu caráter e as suas razões, e nem sempre esses aspectos são claros para todos eles, tornando a narrativa mais real. São tantos personagens que levei um bom tempo para conseguir lembrar do nome da maioria, mas isso não chega a ser um problema, pois como sabemos, a escrita de J.K. Rowling é cativante do início ao fim.
Tanto aspectos da vida adulta quanto da vida adolescente são abordados, fazendo críticas sociais muito pertinentes e sempre de maneira a inserir o leitor naquele mundo.
Provavelmente esse livro não estará na minha lista de melhores livros lidos, mas isso não muda o fato de que foi uma ótima leitura. Se você ainda não se decidiu, eu lhe digo: vale a pena.
comentários(0)comente



Bruno Bulnes 09/10/2016

Crueldade humana
Com narrativa fluída e envolvente, J. K. Rowling conta as histórias das diversas famílias e indivíduos de Pagford logo após a morte de seu representante político, Barry Fairbrother. Muitas intrigas, brigas e desentendimentos são relatados no decorrer da história.

Porém, o que mais me chamou a atenção no livro foi a capacidade que a autora teve em relatar toda a sorte de sentimentos e ações negativas que as pessoas tem por si mesmas e pelas outras. Fofocas, traições, maldades e crueldades ficam evidentes, a cada página lida, e nos mostram do que o ser humano é capaz de fazer, mesmo que através de ações cotidianas e simples.
comentários(0)comente



Dani.Peghim 02/10/2016

Um ótimo livro.
No começo a leitura é bem lenta, em algumas vezes a achei bem cansativa, mas do meio para o final a história me pegou e não conseguia parar, queria realmente saber o final. E que final (=/), muito triste, principalmente devido ao que aconteceu com a que era a minha personagem preferida. Senti que é um livro sobre perda, sobre as vagas ocasionais que ocorrem na vida de cada pessoa. Me identifiquei em muitos pontos com as descrições da história, devido a morar em uma cidade pequena também. Achei as histórias de cada personagem muito interessantes e me emocionei realmente em diversas partes. Recomendo o livro, de fato gostei muito do mesmo.
comentários(0)comente



Moshmani 21/09/2016

Pegada adulta e muito realismo
Esse livro é um livro diferente do que estamos habituado a ler da JK Rowling. Enquanto a saga que deu fama a autora é repleta de sonhos e fantasia, Morte Súbita nos mostra uma realidade suja e cruel. O livro é bem pé no chão, bastante apegado ao cotidiano dos personagens. Posso afirmar com quase certeza que o leitor vai se pegar identificado com alguns personagens e situações que aparecem ao decorrer do livro. Se você já sofreu desilusões amorosas talvez você se identifique com a Kay. Se já sofreu bullying alguma vez na vida, vai sentir na pele as aflições de Sukhvinder. Se você é um eterno apaixonado, talvez enxergue si mesmo em Andrew. Se já sofreu problemas familiares e tem uma vida dura, Krystal Weedon pode ser uma boa representante.

O livro começa com a morte de Barry Fairbrother: membro do Conselho de Pagford, marido, pais pra uns, professor de remo pra outros...Enfim, o protagonista que morre subitamente bem no início do livro faz parte da vida de muitos cidadãos do vilarejo. A introdução do livro apresenta os personagens reagindo a notícia,que de uma forma ou outra acaba interferindo na vida local do pequeno vilarejo. A premissa do livro é essa: as consequências causadas por essa "morte súbita".

A escrita do livro é muito gostosa de se ler, do modo como somente JK Rowling sabe fazer. Talvez isso compense com a repulsa que podemos sentir ao longo das páginas. O mundo não é tão "limpinho" assim. Enfim, Morte Súbita é um ótimo livro para quem curte esse tipo de gênero com pegada mais adulta.
S.Y. 23/09/2016minha estante
Mais adulta e mais séria... E é um livro que instiga, provoca o leitor... É, na minha nada humilde opinião, genial.




Amanda.Andrade 15/09/2016

Morte Súbita
Tive receio em ler esse livro por conta da autora, mas como foi bem indicado resolvi ler. O livro é de leitura fácil, entretanto achei um um pouco confuso em virtude dos muitos personagens com seus difíceis nomes. A história e retratada através da morte de um de seus personagens, muito querido pela comunidade. Com essa morte podemos ver os problemas sociais que são comuns em cidades, onde há o lado rico e o lado periférico. Guerras secretas são mostradas durante toda a estória. Não gostei muito dos finais, pois toda a leitura é rica em detalhes, mas durante o processo de finalização é mostrado somente o "grosso" do final dos personagens, e achei o final um tanto desnecessário.
comentários(0)comente



Daniele.Schneider 11/09/2016

Surpreendente
Confesso que iniciei a leitura desacreditando da capacidade de escrita da autora. Mas a construção psicológica das personagens é muito bem feita.
Fantástico.
comentários(0)comente



Regina Rossini 05/09/2016

Singular e tão similar a vida real


Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.

A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra.

Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos¿ Pagford não é o que parece ser à primeira vista.

A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo.

Bom, este livro não foi admirado por muita gente talvez porque ainda impera a fantasia de Harry Potter. Esse livro Morte Súbita pra mim é um livro maravilhoso, são vários personagens e com certeza você vai se identificar com a história de algum personagem ou você conhece alguém que passou por isso ou você mesmo já passou por uma situação similar ,eu chorei no final do livro Ele é bem emocionante ele realmente mostra a realidade de um pequeno Vilarejo formado por vários tipos de pessoas ele é muito válido talvez esta realidade nua e crua que foi passada não agradou as pessoas talvez porque as pessoas querem fugir muito da realidade mas eu indico é um livro muito bem escrito só histórias singulares e ao mesmo tempo muito similares as da vida real.
comentários(0)comente



Luis Fernando 04/09/2016

O que está por trás de uma Morte Súbita?
No dia do aniversário de casamento de Mary e Bary Fairbrother algo inesperado acontece: Barry morre subitamente no estacionamento do restaurante onde iriam comemorar mais um ano casados, e calma, não é spoiler! É a partir desse ponto J. K. Rowling começa a nos mostrar a história de 7 famílias do vilarejo fictício "Pagford". Vamos descobrir como cada pessoa do vilarejo receberá a notícia dessa morte, já que o falecido era um dos membros do conselho do vilarejo e portanto era conhecido pela maioria. Será que isso afetará de alguma forma as suas vidas? E se sim, por quê?
A forma como J. K. nos mostra cada história aos poucos e individualmente é fundamental para que o livro se torne tão envolvente a cada página. É sensacional o modo como cada trama está ligada a outra. Começamos então a perceber que esse vilarejo aparentemente pacato, na verdade mantém muita coisa escondida "debaixo dos panos". Há uma uma guerra entre as classes sociais que se acirra ainda mais quando começam as especulações sobre quem será o substituto de Barry Fairbrother no conselho do vilarejo. Será que Barry era o único morador com um "bom caráter"?
Os personagens são muito bem construídos e te fazem querer saber cada vez mais sobre suas vidas e a razão de seus atos. Em especial, posso destacar a personagem Kristal Weedon que me prendeu desde o momento em que apareceu no livro. Ela foi muito bem construída e tem uma história comovente, o que talvez justifique a maioria de seus atos talvez desesperados.
É importante lembrar: Essa não é uma história feliz e nem se propõe a isso. É uma história sobre realidade, sobre caráter, comportamento, tudo sem censura, por exemplo: consumo de drogas, sexo, palavrões, etc. Então não reclame se surpreender com alguma dessas coisas, afinal, esse é um livro adulto. Esse não é um livro de leitura rápida, é necessário atentar-se aos detalhes e aos nomes dos personagens (são muitos). Então eu aconselho a ler em um momento mais tranquilo em que você possa aproveitar melhor a leitura.

Opinião Final
Eu adorei o livro! Uma história envolvente, cheia de personagens interessantes e bem construídos. J. K. Rowling pode mostrar que Harry Potter não foi um golpe de sorte e ela é sim uma autora totalmente competente e que tem muito a oferecer para a literatura mundial. Eu indico muito a leitura pra quem é fã da J. K., pra quem não é, pra quem gosta de uma "novela literária", enfim... Leiam Morte Súbita!

site: http://blogfica-a-dica.blogspot.com.br/2015/04/resenha-critica-do-livro-morte-subita_29.html
comentários(0)comente



Lucas 30/08/2016

Morte Súbita
Para quem espera pegar o livro e ler coisas relacionado ao mundo do Harry Potter, sinto-lhe informar, mas não tem nada do bruxinho. A história em cima é incrível, uma visão totalmente diferente da rainha J. K. Rowling.
comentários(0)comente



Bia 30/08/2016

Os segredos de Pagford
Em 2012 a minha amada JK Rowling lançou um livro que deixou todo mundo apreensivo. A autora de Harry Potter tinha escrito um livro novo, completamente diferente da saga, e com uma pegada mais adulta. Óbvio que fiquei super curiosa pra ler o livro e entender o que tava acontecendo nessa mudança. Mas as prioridades foram mudando e o livro foi ficando pra depois. Um dia, vi um menino que estudava na minha faculdade e sempre pegava o ônibus comigo lendo justamente esse livro. Aí a vontade de ler bateu outra vez. Chegou 2016 e eu não tinha nem comprado o livro ainda. Comecei a ficar amiga desse menino, e ele me falou pra ler o livro. Então fui e comprei o livro, finalmente. Morte Súbita ficou na minha estante por dois meses até eu começar a namorar com esse mesmo menino. Aí me senti mais motivada ainda a ler o livro. E desde março eu estou nessa luta com o Morte Súbita. A novela da leitura acabou hoje, finalmente.

Acho que a coisa que mais me deu nervoso no livro, foi que eu levei meses pra ler. E não foi só porque a minha edição tem 651 páginas não. É que o livro é detalhado demais, então você tem que ler com muita calma pra absorver tudo que tá acontecendo, senão você se perde na história. Confesso, quase desisti do livro umas três vezes. Fiquei chateada por isso, afinal, é a JK né?! Não podia desistir da mulher que me fez mergulhar de vez no mundo dos livros. Mas a minha curiosidade enorme falou mais alto e eu me obriguei a ler o livro até o fim. Gente, essa foi a melhor coisa que eu fiz! Que livro maravilhoso! Sim, paguei a minha língua, fiquei apaixonada. Até leria de novo.

A história já começa com uma morte, a de Barry Fairbrother. Um personagem, que vai sendo apresentado ao longo do livro, já chega na história tendo uma morte inesperada. Ele deixa uma lacuna que nunca vai poder ser preenchida em sua família, emprego, amigos, e também, um legado com sua visão a respeito do conselho da cidade e de um "bairro-problema", em torno do qual giram todos os problemas do livro. Aos poucos você conhece a cidade de Pagford e o bairro de Fields, e todos os seus problemas sobre como a cidade vai administrar o bairro onde moram viciados e pessoas mais simples.

O livro não tem um protagonista, o que ajuda a deixar a história mais dinâmica, mas ao mesmo tempo pode confundir um pouco, até que você se acostume com cada personagem. A história, basicamente, gira em torno dos núcleos familiares e do Conselho Distrital de Pagford. As famílias que você vai conhecer na história são os Jawanda, Wall, Mollison, Price, Fairbrother, Weedon e Bawden. Todas essas famílias tem uma ligação umas com as outras. Todos os seus filhos estudam ou estudaram juntos e seus empregos, no Conselho ou em outros lugares, acabam se encontrando em várias partes do livro.

A grande questão que move a cidade é se o bairro de Fields deve permanecer sob comando de Pagford ou não. Barry e Parminder Jawanda são as únicas pessoas dentro do Conselho que são a favor dessa ideia. Howard Mollison, o presidente do Conselho, consegue convencer todos os outros a trabalhar para que o bairro seja retirado de sua administração. Quando Barry morre, sua vaga no conselho fica aberta. Mensagens postadas por alguém que se intitula "O Fantasma de Barry Fairbrother" começam a aparecer no site do conselho contando segredos vergonhosos de pessoas que se candidatam para ocupar a vaga de Barry, e também sobre Parminder e Howard. Enquanto o Fantasma e a eleição para a vaga de Barry movimentam a cidade, as vidas dos jovens dessas famílias vão se misturando e apresentando situações típicas das vidas de adolescentes.

Algumas partes da história, principalmente aquelas mais adultas, são detalhadas de uma forma que quase constrange o leitor. Particularmente não vejo a necessidade disso, mas no todo ela não prejudica a qualidade do livro. A história não é só a vida das pessoas, não é mera observação do cotidiano. O livro trata de situações delicadas como vício em drogas, preconceito com pessoas de diferentes níveis sócio-econômicos e etinias, estupro e comércios ilegais. Além, é claro, de morte. JK sabe matar um personagem de uma maneira extremamente comovente e tocante. E nesse livro ela mata gente que ninguém esperava. Não vou dar nenhum spoiler aqui, porque as mortes que mais me impactaram estão bem no finalzinho do livro. Pra entender do que eu to falando, tem que ler o livro.

Não posso garantir que não vai ter decepção com a história. Eu acho que ela poderia ter contado a mesma história de forma mais objetiva. Pra mim, muitas partes do livro são completamente desnecessárias. Apesar disso, o livro não deixa a desejar em nada se comparado a todos os bons livros de ficção. A história é envolvente, te deixa curioso, e em certo ponto da trama te motiva a continuar lendo disparadamente até chegar ao fim. Confesso que no final fiquei com um gostinho de quero mais. Queria saber o que acontece com alguns personagens que tiveram um final em aberto no livro.

site: https://paisdaliteratura.wordpress.com
comentários(0)comente



Bia 28/08/2016

Esse foi um livro que me surpreendeu bastante, não pelo talento da JK que eu conhecia há muitos anos mas pela história, não estava acostumada com outro livro dela a não ser HP e logo que começei a história fiquei encantanda com a escrita e como ela era diferente, os personagens alguns complexos outros tão transparentes e como fui envolvida pelas suas histórias e suas ações.
Confesso que até hoje não superei esse "final" queria saber mais do desfecho mas talvez tudo tenha acontecido sido desse jeito mesmo e a história acabou assim. Vale muito a pena ler e reler sempre, é fantástico
comentários(0)comente



813 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |