A Aprendiz

A Aprendiz Trudi Canavan




Resenhas - A Aprendiz


120 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8


Well 19/09/2014

Lentamente divertido

Continuei lendo esta série por teimosia. O primeiro livro gera expectativa demais numa trama que teria tudo para ser mais legal, mas que não eh tão bem elaborada como imaginei. Mas ao fim te deixa familiarizado com os personagens.
Dai, resta a gente ler o segundo... Que pra mim seguiu praticamente o mesmo esquema que o primeiro.
Também dividido em duas partes, a primeira mostra toda a parte chata de Sonea sendo maltratada pelos colegas aprendizes,pois ela eh uma favelada, e também com seus tutores que nada fazem para impedir aquilo. A parte em que ela eh chamada de ladra realmente me irritou,mas serviu para dar sustentação ao sofrimento da personagem. Também vemos que o diretor da universidade pede para Dannyl (um personagem que cresce bastante na trama)para investigar os passos do Lorde Supremo. Dai volta e meia fika um pouco mais chato com aquelas viagens para outros países das Terras Aliadas. Pra mim, esta parte poderia ser melhor explorada,ou pelo menos com um pouco mais de criatividade(Não sei... Depois de George R.R.Martin, tudo se torna meio raso,rsrs).
Até que chegamos a segunda parte e as coisas mudam de figura... Quando o "vilão" descobre a verdade e manipula os "bonzinhos" para não revelar seu segredo. Também temos partes chatas e outras mais legais. Como Sonea meio que se interessando pelo Dorrien, filho de Rothen, seu antigo tutor. E nestas viagens de Dannyl, ele descobre algumas coisas (irrelevantes) mas que fazem com que sua relação com Tayend se estreite... Mesmo ele sendo um "moço" (termo usado pela autora para tratar os gays deste mundo). Achei este tema arriscado numa serie de fantasia,mas muito interessante,pois nunca se tinha ouvido falar sobre personagens magos gays. Eu achei legal... Então o risco da autora valeu a pena pela "inovação".
Mas não eh só de preconceitos e medos que se fazem os temas de um livro relacionado a magos. Cadê as magias? Ah sim... Tem magias,mas não muito bem descritas, o que torna um tanto confuso entender como funciona. Mas ai, dependendo da imaginação de cada um, se torna legal a batalha que acontece no fim do livro. E também ha mais um mistério (meio que mais do mesmo sabe...) sobre o Lorde Supremo e que deixa a personagem Sonea e nós leitores na dúvida sobre quem eh mal e quem não eh. E ainda com algumas pistas para o próximo livro.
Este livro como um todo se torna melhor do que o primeiro,mas ainda assim eh longo para tudo que se ocorre. Tipo,paginas demais para ações de menos, pelo menos a personagem principal se desenvolve um pouco mais e quem sabe faça tudo fluir com mais ação e emoção no terceiro livro da série.
Não eh a melhor série sobre magos,mas eh uma distração até que agradável.
comentários(0)comente



LT 09/06/2015

"Ela lutou contra seu poder, mas para sobreviver teve que se tornar um deles."
A alguns dias atrás, postei a resenha do primeiro livro da "Trilogia do Mago Negro" que chama-se "O Clã dos Magos", para lê-las visite o Blog. E hoje, venho trazer para vocês a resenha do segundo volume dessa saga que recebeu o título de "A Aprendiz", então, vamos ao que interessa!

– Essa é a favelada, não é?– Sim. Eu disse a Bina para ficar longe dela. Não quero minha filhinha desenvolvendo nenhum habito ruim.– Ou uma doença – respondeu a primeira.
Página 18.

"A Aprendiz", como o próprio título sugere, traz parte da evolução de Sonea - a nossa mocinha, e gente, ela me conquistou - ainda que me irrite com o fato de que, exatamente como o Lorde Yikmo (novo professor de artes guerreiras da mocinha) a descreve: ela é boazinha demais! Todavia, Sonea se mantém forte e determinada, uma boa garota de verdade e extremamente corajosa, ainda que se resguarde por medo de ferir aos que ama. Ela aceita imposições, entre outros problemas que surgem e encara a maior parte sozinha.

O Mago de túnica preta. O Lorde Supremo.No fundo de sua mente uma voz gritava: "É ele! Corra! Fuja!". Sonea deu alguns passos rápidos para trás, saindo do caminho dele. "Não", ela pensou. "Não chame a atenção para você. Comporte-se como ele esperaria que você fizesse." Reequilibrando-se, ela se curvou respeitosamente.
Página 197.

Nesse segundo volume, pensamos de início que as coisas iriam melhorar um pouco para Sonea em relação aos aprendizes e Magos devido a sua postura e comprovação dos atos do Lorde VILÃOZINHO Fergun, mas... não! Caramba, que raiva que eu criei nesse livro de diversos personagens, nossa, é muito preconceito e o que mais irrita é que, por ela ser uma favelada e devido a sua origem colocarem-na sempre em dúvida, então, qualquer 'mimimi', é culpa da favelada! Aff, hipocrisia a gente vê no meio do povo do Clã dos Magos! Irritante e até certo ponto cruel, mas... não pense que é apenas a humilde aprendiz favelada e como diz o Aprendiz que a persegue, Regin (odiado por mim), Sonea de nenhuma família importante, que sofre, não! Ao decorrer desse volume, nós conhecemos um pouco mais do maluco, fofoqueiro confiável (acredite, é bem assim - rs - é que, ele gosta de saber dos boatos, todavia, não os utiliza para prejudicar os demais), sério e divertido, Mago Dannyl. A autora aborda bem as questões e tabus dos preconceitos, claro que, a sociedade é diferente da nossa, ainda assim, ela insere as temáticas dos preconceitos na história com maestria.

Dorrien deu um passo, aproximando-se e, em seguida, abriu a boca como se fosse dizer mais alguma coisa, porém, as palavras lhe faltaram. Ele tocou o queixo de Sonea, elevando um pouco sua cabeça, inclinou-se e encostou seus lábios nos dela.
Página 238. (Adorei a alegria de Rothen ao perceber algo no ar -rs.)

A sociedade na qual Trudi nos insere é muito bacana e você compreende cada classe apresentada com muita facilidade e seu funcionamento. Bom, eu não vou contar muitas coisas, apenas que, o livro vale muito, muito a pena para quem gosta de livros de literatura fantástica de Magos - magia, é muito bacana, mesmo! Obs: Leia de mente aberta, não fique tentando comparar o livro com outros desta temática que você tenha lido, cada obra tem seu valor e obviamente, você vai gostar mais de uma do que de outra, mas não as compare, nunca; ou você pode acabar estragando a sua leitura.

– Caso ela o tivesse simplesmente derrotado, não teria conquistado o respeito de todos. Vencendo e perdendo as lutas com o uso de sua habilidade, ela mostrou que desejava uma luta justa apesar de sua vantagem.
Página 526.

Bem, somos apresentados a novos personagens e conhecemos um pouco mais de alguns e a um potencial romance? Não sei, ficou no ar (eu estou torcendo para que sim - adorei os dois juntos - rs). As histórias paralelas na verdade são totalmente interligadas com o eixo central e se encaixam perfeitamente dentro de toda a trama e, Canavan, literalmente dá um nó na cabeça do leitor no final desse livro. Você termina a leitura dele se perguntando:

1. Como será que Dannyl vai resolver toda a situação que o envolve? Como é que o Clã vai reagir em relação a sua pesquisa e o que ele revelou a si mesmo sobre determinados fatores?

2. Como é que Sonea vai sair da enrascada em que se meteu com o Lorde Supremo? Ela está em péssima situação mesmo ou não? Ele mentiu para ela? Não? Caramba, que situação, que confusão mental e que curiosidade!

3. O sangue está rolando solto, ainda que em silêncio e "debaixo do tapete" na tentativa de não alarmar o povo, mas, na favela, na cidade e nas casas, todo mundo sabe, só não sabem que indícios de magia estão sendo encontrados em meio aos assassinatos misteriosos. A Guarda e os Ladrões estão caçando o infeliz que está causando as mortes, porém, não chegam a lugar nenhum. Ah, eu havia esquecido de mencionar, assassinatos misteriosos estão acontecendo por todos os lados, nas favelas, nas casas, e fica a pergunta: Quem é o assassino? Por que ele usa um anel com uma enorme pedra vermelha? É a única coisa que sabem sobre ele, e agora, quem poderá os salvar? É um único assassino?

4. É magia antiga ou magia negra? E agora?

5. Akkarin, mocinho ou vilão? Ah, Lorde Supremo, como você me intriga!

6. Sachakan, você ainda quer entrar em guerra, ou seus Magos estão apenas sendo mencionados para nos distrair e para que a autora nos leve a pensar em um rumo para a história e ser outro completamente diferente?

7. Existem outros favelados com potencial para magia?

8. Sonea, que inferno! Por que você é tão bondosa? E por que você se sente responsável pelo povo que te condena sempre que pode? Ah, boazinha demais, mesmo!

– Muito bem – disse Dannyl. – Obrigado por vir me buscar no cais, Tayend de Tremmelin.– Foi uma honram meu Lorde – o jovem respondeu.
Página 89.

Bem, tenho muitas outras perguntas e estou descobrindo ou não todas as respostas no terceiro volume de título "O Lorde Supremo", o qual, já estou lendo e confesso a você: Ainda estou completamente perdida. Poxa Trudi, que mente é essa sua que nos enrola e nos faz pensar em diversos caminhos? Os livros parecem óbvios, talvez sejam, todavia, são ótimos!
Eu recomendo a leitura dessa trilogia para quem gosta de literatura fantástica sobre magia.

Como gosto do bondoso Rothen e do seu divertido filho que nos foi apresentado, como adorei algumas cenas que envolvem Regin. Estou com dó do Cery, ele apareceu pouquíssimo no segundo volume, quem ler vai entender o porquê, fico sentida por ele. (Ah, os sentimentos!)

O final, é esperado, mas é exatamente por isso que ele te instiga e te deixa na curiosidade para saber logo como será o desfecho dessa história. O livro gira ao entorno de diversos personagens o que o deixa mais dinâmico do que o primeiro, a escrita da autora continua fluida e linear - ótima. Então, que venha finalmente "O Lorde instigante - potencial a vilão ou mocinho - misterioso e temível Supremo Akkarin!

Ela o tinha visto matar e sabia que era algo que nunca ia esquecer.
Página 534.

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Yago.Gecy 22/12/2017

??
O segundo livro é bem melhor q o primeiro, e começamos a nos apaixonar pela protagonista, apesar de ela ser bem idiota as vezes.
Ícaro 18/11/2018minha estante
aaaah cara ela não é idiota não, idiota é o Regin! haha




Santarosa 09/05/2016

Resenha - A Aprendiz
Como ficou claro já na sinopse do primeiro livro, Sonea não conseguiu atingir o mago por acaso, ela usou magia. Até então ela desconhecia que tinha poderes, e mesmo agora parecia impossível que fosse verdade, pois somente os membros das Casas tinham poderes e eram treinados pelo Clã para se tornarem magos. Era impossível então que uma favelada, a quem o clã chamava de selvagem, tivesse poderes. Mas, não importava como, o fato é que ela tinha poderes e com o passar do tempo, após aquele dia na praça quando usou magia pela primeira vez e de forma acidental, esse poder estava crescendo e ela não sabia controlá-lo. Foi quando ela percebeu que um mago selvagem, sem nenhum treinamento, pode colocar os outros em risco e, portanto, decidiu aceitar a ajuda do clã. Ela passa então a ter aulas na universidade dos magos, mas sendo uma favelada entre membros das Casas, não é bem recebida por seus colegas nem por alguns professores, sofre as mais bárbaras discriminações e preconceitos, sendo alvo de muitas maldades, tudo para tornar sua permanência na escola a mais desagradável possível. Felizmente, e com a ajuda de seu tutor, Rothen, ela que nem sabia ler direito se tornou ótima aluna, tendo demonstrando aprendizado superior aos colegas e um poder raro para alguém de sua idade. Mas a aprendiz das favelas guarda um segredo. Algo que ela viu, ainda no primeiro livro, sobre o Lorde Supremo, o líder de todos os magos do clã. Então, a única coisa que ela deseja agora é aprender o máximo possível, para lutar por Imardin quando chegar a hora.
Felizmente esse livro corre mais rápido e dinâmico que o primeiro, tornando a leitura mais fácil e prazerosa. Abordando temas atuais como bullying, discriminação e homofobia, vai te prender do início ao fim numa aventura onde é impossível não torcer por seus personagens em algum momento.
comentários(0)comente



Made 20/07/2015

Como conter a vontade de devorar o próximo?
Essa foi a principal questão após finalizar o livro. Como eu resistiria a tentação de pegar o terceiro livro? Afinal, tenho outros volumes aguardando sua vez na fila. E a verdade é que não sei o que fazer.

Poderia escrever essa resenha falando tecnicamente do livro, ou contando o enredo do mesmo, mas não é a minha intenção, afinal, todo mundo que está aqui buscando um empurrãozinho para ler o segundo volume já deve ter lido a sinopse do skoob. O que vou contar é minha experiência lendo.

Desde o começo estava super ansiosa para saber o que seria de Sonea, e nas primeiras páginas me vi imensamente agoniada e ultrajada por nada ser feito a seu respeito. Lady Sonea continua sofrendo com as peças pregadas pelos aprendizes mais novos e, em determinado momento, achei q não poderia suportar mais os maus tratos sofridos pela menina. E esse foi a principal base para a vontade de ler o livro de forma ininterrupta. A cada página queria me aprofundar mais na história e descobrir se Sonea teria ou não sua vingança. Alguns personagens têm suas histórias mais amplamente contadas, dando movimento a passagens que poderiam ter caído na monotonia. As passagens de Lorde Dannyl então, são as mais surpreendentes. Jamais imaginaria tal rumo para seu personagem.

Quanto ao "vilão" da saga, ainda não sei o que pensar. O mago negro ainda é um mistério. Aplaudo a competência da autora em ter deixado as intenções dúbias de Akkarin permanecerem até o último momento.

Resumindo toda a experiência... Bem, acho que não vou conseguir adiar o último livro da série.
comentários(0)comente



Nina 26/02/2013

A Aprendiz - Trudi Canavan
Este é o segundo volume da Trilogia do Mago Negro, que se iniciou com O Clã dos Magos. A série é um misto de magia, com crítica social e política, que se desenrola em um ambiente medieval, ou seja, um prato cheio para quem gosta de um bom sobrenatural!

No primeiro livro, conhecemos a próspera cidade de Imardim, capital de Kyralia, que mantém a traquilidade de seus habitantes graças a um acordo feito entre o rei e os magos do Clã. Todos os anos, durante um ritual chamado de Purificação, os magos limpam a cidade de todos os "indesejados" que são expulsos e obrigados a viver fora dos muros da cidade, nas Favelas. O ritual gerava revolta, mas os pobres nada podiam fazer contra a barreira de força que protegia dos magos. Até que Sonea, uma jovem favelada, atira uma pedra contra eles, depositando toda sua raiva nela... e a pedra rompe o escudo e atinge em cheio a testa de um dos magos. Apavorada, Sonea foge e caçada pelos magos, capturada e levada para o Clã para treinar seu poder.

A partir daqui contém spoilers caso você não tenha lido o primeiro livro.

Com a ajuda de Rothen, que a ensinou a ler, escrever e a controlar seus poderes, Sonea é aceita no Clã e começa a ter aulas com os demais aprendizes. Mas a vida da garota não será nada fácil, ela é a primeira aprendiz do Clã que não pertence a nenhuma das Casas, ela é a única favelada vivendo entre nobres e muitos alunos e professores não estão dispostos a aceitar esse disparate. Regin, o líder desse grupo, está disposto a qualquer coisa para infernizar a vida de Sonea e obrigá-la a desistir. Mas ela é poderosa, tem muito mais força e magia do que os demais aprendizes, e mesmo sofrendo com o boicote e o bullying diários, não pretende abandonar sua única chance de ajudar sua família e amigos. Ela acredita que com sua magia, talvez possa melhorar a vida de quem está nas Favelas, principalmente se se tornar uma Curadora. Mas Sonea não imaginava que os aprendizes poderiam ser tão cruéis....

E como se todo esse problema em ser aceita não bastasse, ela, Rothen e o administrador Lorlen precisam manter em segredo o envolvimento de Akkarin, o Lorde Supremo, com magia negra. Isso porque o Clã precisa encontrar uma forma de se defender do poder do Lorde antes que ele resolva "dar o bote". Por isso, Lorlen envia Dannyl para ser embaixador em Elyne, um país vizinho, e tentar refazer os passos e a pesquisa de Akkarin, quando este passou longos anos longe do reino. O problema é que Dannyl não sabe da verdade e nem imagina em que está se envolvendo.

Enquanto isso, uma série de assassinatos assombra Imardim, principalmente pela maneira como as vítimas são levadas à morte. Será que Akkarin e sua magia negra estão envolvidos nesse mistério?

* * * *

Preciso confessar que gostei muito mais do segundo livro do que do primeiro, e em mundo cheio de continuações torpes, vamos combinar que isso é coisa rara! O livro tem muito mais intrigas, ação e mistérios. E tem Akkarin, pois esse personagem roubou a cena, ele é um vilão de dar medo. Isso se ele mesmo for um vilão, pois do jeito que a história dá reviravoltas, eu não me admiraria se isso mudasse também.

A luta de Sonea para superar o bullying e conseguir sobreviver dentro do Clã é desesperadora. Ela teme se tornar uma maga cruel como os que mataram o garoto no dia da Purificação, por isso não usa todo seu poder para se defender dos colegas. Ao mesmo tempo, acompanhamos Dannyl em um outro tipo de luta, esconder sua homessexualidade. Vivendo em um país diferente, com regras sociais um pouco mais brandas, ele baixa um pouco sua resistência e passa a refletir melhor sobre o assunto. Já Rothen luta contra a insônia e seu vício em um medicamento calmante.

Mas mesmo gostando tanto da trama, acredito que a autora repetiu o mesmo erro de O Clã dos Magos se estendendo demais nas descrições. As cenas de bullying com Sonea se tornam repetitivas e acabam cansando um pouco, já que ela nunca reage.

Estou ansiosa pelo terceiro livro, os poderes de Sonea estão aumentando a cada dia e sinto que muitas surpresas ainda virão. Se você é fã de ação e magia, não perca tempo e leia essa série!

Trilogia do Mago Negro

1- O Clã dos Magos (The Magician's Guild)
2- A Aprendiz (The Novice)
3- O Lorde Supremo (The High Lord)

B-jussss! ♥
;-p

Resenha postada no meu blog Pronto.Falei!
http://ninattavares.blogspot.com.br/2013/02/a-aprendiz-trudi-canavan.html
comentários(0)comente



Pedro.Henrique 13/02/2016

Inicio dos Eventos Importantes
Muito bom esse livro , nos transmite todo o sentimento de Sonea ao aprender magia , insere muitos personagens legais e cria novas aventuras para eles ( como Danyl ) . Além de expor o preconceito entre as classes de Imardin .
comentários(0)comente



Pandora 21/01/2013

Nos últimos tempos tenho andado um tanto quanto enjoada de trilogias e derivativos, no entanto a “Trilogia do Mago Negro” da Trudi Canavan, cujo livro “A Aprendiz” é o segundo volume, é um caso para lá de especial. Aguardei ansiosamente pelo lançamento desse volume, saldei ele com alegria de desde as primeiras páginas do “O clã dos Magos”, livro 1 dessa trilogia, sou fã da autora, ou seja, essa resenha tende a ficar enorme.

Gosto da Trudi Canavan, pois sei que não é qualquer autora a ter a sensibilidade de construir uma narrativa voltada a descrição da história e da vida dos que vivem dentro de uma favela. Mas, nesse segundo volume a favela ou as ruas da cidade de Irmardin não são mais os únicos cenários para as aventuras de Sônea, nossa favelada do coração que se descobriu uma maga poderosa em meio a um acaso do destino, e sua trupe.

Nesse segundo volume vamos acompanhar o inicio da dura trajetória de Sônea na “Universidade do Clã dos Magos de Kyralia” como aprendiz de maga, ou, na linguagem do livro, uma lady. O problema é que Sônea é uma menina favelada e, a parte sua alta capacidade cognitiva incrível, natural talento para a magia e forte senso ético construído pela educação que recebeu dos seus tios, ela não vai ser bem recebida pelos jovens riquinhos.

A Sônea é a primeira favelada a frequentar universidade e ter a oportunidade de desenvolver seus poderes sob a tutela do “Clã dos Magos de Irmadin” por isso ela vai ter que enfrentar toda a dureza e crueldade de uma chaga chamada “preconceito social”. As outras crianças se sentem no direito de maltratá-la, contando com a permissividade e tolerância dos professores, unicamente por sua origem social. As situações de violência físicas e simbólicas enfrentadas por nossa heroína doeram em minha carne, são graves e ocorrem todos os dias em cidade como Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Irmardin é aqui.

Mas, como se não bastasse, o preconceito social não foi o único tema polêmico abordado na história, assim como a Sônea não foi o único personagem a ser acompanhado por nossos olhos. Nesse livro nós também nos deparamos com aventuras de Dannyl, um dos magos do clã, nomeado embaixador e será enviado por Lorlen, administrador do Clã, para descobrir alguns segredos a respeito do misterioso Mago Negro, Lorde Supremo do Clã, Lorde Akkarin, cuja vida e a índole são um mistério para todos nós. Eu me pergunto: “Será o Lorde Supremo realmente o vilão dessa história?”.

Responder qualquer pergunta a respeito de Akkarin se mostrou algo muito difícil, pois enquanto vamos avançamos na leitura de “A Aprendiz” nós descobrimos que Trudi Canavan não é Joanne Kathelyn Rowling, Sônea não é uma versão de Harry Potter, a Universidade do Clã não é Hogwarts, Rothen, professor da Sônea não é Dumbledore, o Lorde Supremo não é Lorde Voldermort e o bom e velho maniqueísmo parece ser algo estranhamente difícil de ser incluído nessa história.

Devaneando menos e voltando a Dannyl, preciso dizer: buscando a resolução de mistérios relacionados ao Lorde Supremo, o nosso mago vai desvendar os seus próprios mistérios e o volume 2 da Trilogia do Mago Negro termina por me apresentar o par romântico mais verossímil, fofo, encantador e bem trabalhado dos meus últimos tempos literários, e olha que de romance eu entendo rsrsrsrs... Foi uma delícia acompanhar como um casal se conhece, começa a construir uma relação de amizade, se percebe muito cúmplice e caminha para um amor bonito. Ah, eu sou romântica gente!!!

Porém, romance por romance não é nada de mais, afinal romantismo e livros infanto-juvenis são até clichês, para desespero do Luciano néh?!?! É, mas caiam para trás nobres amigos, porque esse par do qual vos falo não é nada comum ou clichê. A Trudi nos faz amar, vibrar e torcer por um casal claramente homoafetivo, desvelando diante de nossos olhos, com toda a delicadeza do mundo, um pouco do universo social e afetivo no qual habitam os homens que amam a outros homens, conhecidos em Irmadin como “moços” e no nosso como mundo como gays ou homossexuais.

Putz, realmente essa australiana não é uma autora qualquer, ela se mostra comprometida em construir uma narrativa na qual os mais diversos tipos de sujeitos podem se encontrar sem perder de vista a ação, a aventura, o suspense e a leveza, elementos característicos e necessários a uma narrativa destinada ao público infanto-juvenil.

Em vários quesitos “A Aprendiz” consegue superar “O clã dos magos”, deixando nossos corações batendo de forma acelerada o tempo todo. Suspense, aventura, velocidade de ação e critica social sutil e bem colocada são marcas desse momento da trilogia e pelo que li em outras resenhas não sou a única que esta louca de ansiedade para que saia “O Lorde Supremo”, terceiro e ultimo volume da trilogia.

Originalmente publicada em: http://www.pontolivro.com/2013/01/a-aprendiz-trilogia-do-mago-negro-livro.html
comentários(0)comente



Diogenes 19/04/2014

Ansioso para ler o próximo.
Mutio bom, leitura rápida e fácil. A estória prende o leitor cada vez mais. ;)
comentários(0)comente



Ana 06/02/2018

Eis que surge um Lorde
Sonea entra na Universidade e como era esperado enfrenta a hostilidade de alguns mestres e colegas. Como se nada pudesse piorar, perde a compania de seu protetor para o Lorde Supremo, justamente quando encontra um namorado. Sonea teve que se afastar de todos que lhe eram caros e viver invejada sob a tutela e no isolamento imposto pelo Lorde. O livro mostra paralelamente Dannyl, em aventuras cativantes. A sequência é infinitamente mais dinamica é interessante que o Clã dos Magos, mostrando claramente o amadurecimento da autora.
comentários(0)comente



)o( Sandra Marq 25/11/2012

Aprendiz é uma história de bulling. Embora creia que o livro como um todo é bem melhor do que o primeiro (cuja leitura além de dispensável é chata pra caramba) por ter um pouco mais de diálogos, o que dá um maior dinamismo à história, eu ainda não o considero um bom livro.

Acredito, que o que torna um livro interessante é a possibilidade de o autor falar sobre como o personagem se sente, as suas reflexões internas, tudo aquilo que faz com que um personagem seja único. Bom, você não irá ver nada disso no livro A aprendiz.

Trudi Canavan parece ser uma autora extremamente visual; ela descrever uma cena nos seus mínimos detalhes, mas não envolve. Ela é prolixa em suas descrições, excessivamente detalhista, o que faz o ritmo ficar truncado e o leitor ter a sensação de que a leitura se arrasta. Pra complicar a coisa, a história não se desenvolve de verdade. Uma e outra vez, são narradas cenas em que a personagem central Sonea é torturada pelos seus colegas de classe. Fica repetitivo. E se você não têm interesse em sadismo, estas na verdade não serão cenas interessantes.

Existe uma trama maior acontecendo, que irá ser verdadeiramente desenvolvida no terceiro livro. Mas no segundo, isso quase não será tocado.

A Trilogia do Mago Negro possui um argumento geral muito bom, mas a execução dela deixa muito a desejar. E torna a sua leitura algo um bocado decepcionante.
comentários(0)comente



Nanda 11/03/2017

A Aprendiz
Pessoal, se eu gostei do primeiro livro, gostei mais ainda desse. Depois da caçada a Sonea no primeiro livro, ela finalmente se rende aos magos mesmo com medo de ser assassinada por eles, já que, todos falam que eles são maus.

Mas o que Sonea não esperava é que eles querem que ela estude para aprender a controlar a magia que ela tem e nem ela sabia que tinha. Pessoas comuns com magia podem ser perigosas para as outras pessoas e principalmente para elas mesmas. Além disso, ela aceita a estudar na universidade dos magos não somente por isso mas devido a um mistério que ronda um certo mago e que se é perigoso para ela ficar perto dele seria mais perigoso ainda se ela não aceitasse ficar com eles e ir para a favela. Ambos os caminhos faz dela uma pessoa que corre perigo e que deve estar sempre alerta a todo ao redor.

Mas no Clã dos Magos ela faz amigos, um deles seu mago protetor que realmente quer o bem dela, mas Sonea por mais que queira se tornar invisível lá dentro, acaba sendo sempre destacada nas brincadeiras cruéis dos outros alunos, afinal ela é da favela e todos eles vem de famílias tradicionais. Sonea acaba sendo obrigada a aguentar muito preconceito, crueldades e ainda mais, guardar segredos perigosos.

Sonea porém não está sozinha guardando um certo segredo, existe mais 2 magos que sabem e mais um que desconfia e mesmo não sabendo ao certo o que é ajuda a desvendar mais esse segredo fazendo pesquisas "por baixo dos panos".

No final do livro, muitos que achavam que estavam escondendo bem o que sabiam, se veem numa situação complicada e é lançada a dúvida: será que o pensam ser algo ruim é ruim mesmo? Será que os vilões são vilões ou os magos estão fazendo "tempestade em copo d'água"?

O livro apesar de grande é de leitura rápida pois a história nos envolve de tal forma que não sentimos as páginas passarem. No final do livro eu só queria desesperadamente o terceiro e último livro da trilogia: O Lorde Supremo.

Quem gosta de aventura: sim leia sim, leia muito estes livros, eles são ótimos!! Mais um para minha lista de favoritos.


site: http://trilhas-culturais.blogspot.com.br/2016/03/resenha-aprendiz.html
comentários(0)comente



Luh 14/02/2013

Uma sequência eletrizante e divertida, mas que aborda diversos temas importantes.
Nota: Essa resenha tem spoilers de O Clã dos Magos, primeiro livro da série.

Resenha feita pela Luh no blog Fome de Livros: http://blog.fomedelivros.com.br/2013/02/resenha-aprendiz.html

A Trama: A trama inicia pouco tempo após o término do livro anterior, com Sonea fazendo o juramento dos magos e inciando seu treinamento com os outros aprendizes. Felizmente, A Aprendiz tem um ritmo mais rápido e dinâmico que o primeiro livro, o que tornou a leitura mais fácil e agradável.
O foco dessa vez é no treinamento de Sonea e no bullying (agressão física e verbal) que a garota sofre de seus colegas. Algumas partes da trama, vou admitir, são tão tristes que eu quase quis parar de ler. Os professores e outros adultos da Universidade dos magos parecem ignorar as 'brincadeiras' que a garota sofre recebe, não sei se por negligência ou deliberadamente, já que Sonea é uma 'favelada'. Ainda assim, é impossível não ser sugado pelos acontecimentos e eu me via grudada no livro, torcendo intensamente para que a situação da garota melhorasse um pouco.
A trama se divide em duas e temos um novo protagonista, Dannyl, que começa uma viagem por todo o reino de Kyralia. Apesar de essa nova trama não ter me prendido tanto quanto a de Sonea, não deixa de ser muito interessante por termos a oportunidade de conhecer melhor o universo criado por Trudi Canavan e sermos apresentados a personagens muito peculiares.

Para os que ainda não leram A Aprendiz, uma dica é que confiram o mapa que se encontra no final do livro, pois ele ajuda bastante o leitor a entender onde Dannyl está indo a cada nova viagem. Não vemos mais as favelas e, portanto, não existem mais palavras escritas propositalmente errado, mas A Aprendiz aborda novos temas interessantes como o bullying e a homofobia, o que só enriquece a história.

Os Protagonistas: Sonea evoluiu e se tornou uma protagonista muito agradável, seus poderes foram crescendo bastante ao longo da trama, assim como seu conhecimento, tornando-a uma aprendiz excelente. O único ponto que me irrita um pouquinho, apesar de eu entender sua necessidade, é que a garota parece nunca ter uma 'folga', sempre surgem novos problemas e situações difíceis que a envolvam. Gostei de ver Sonea se tornando uma jovem calma e madura, que pensa antes de agir e se esforça para atingir seus objetivos, sem tentar tirar vantagem das situações.
Dannyl foi provavelmente o personagem que mais evoluiu ao longo da série. No primeiro livro ele parecia ser bem jovem (com vinte e poucos anos), sempre agindo impulsivamente e fazendo piadinhas que tornavam o clima mais divertido. Agora é possível vê-lo amadurecer muito, tornando-se um adulto curioso, porém responsável, apesar de não ser mais tão divertido.

Os Personagens Secundários: Rothen não aparece muito nesse volume, o que me deixou triste pois gostava bastante do personagem. Regin é um ótimo antagonista, tornando-se quase um psicopata com sua obsessão em perseguir e atormentar a protagonista, e consigo pensar poucos personagens que tenham me deixado tão brava. Nesse livro também conhecemos um pouco mais sobre Akkarin e Lorlen, os magos mais fortes do Clã, e me surpreendi por ter adorado a personalidade de ambos.
Em geral os personagens secundários são bem construídos, mas alguns (como Porin, amigo de Sonea) aparecem apenas por algumas páginas, para cumprir algum papel, e não são mais mencionados, o que me deixou com uma sensação de incompletude.

Capa, Diagramação e Escrita: A capa segue o mesmo padrão da primeira e eu gostei de cada uma ser baseada em uma cor diferente. A diagramação do livro é simples, com a fonte em tamanho ideal e um título diferente no início de cada capítulo. Ainda encontrei alguns erros gramaticais, mas não tantos quanto no primeiro volume da série.
Trudi sabe envolver o leitor e sua escrita é gostosa de ler, o único problema é que o livro tem muitos narradores e eles às vezes trocam sem aviso, deixando o leitor meio perdido.

Concluindo: A Aprendiz é um pouco melhor que O Clã dos Magos, com um ritmo mais rápido que tornou leitura muito agradável, já que não houve a necessidade de tanta introdução e descrição de locais e personagens. Gostei muito do desenvolvimento dos protagonistas e da trama e mal posso esperar pelo último livro da série.
comentários(0)comente



George 02/10/2015

Início do fim
Apesar de não ser tão empolgante quanto o primeiro, me deixou curioso sobre o final.
comentários(0)comente



Laila 30/08/2013

Sonea a maga
Este livro me agradou mais que o primeiro.
Prós:
Sonea aprende rápido e evolui
Tem bastante ação e aventuras
Alguns mistérios instigam
Contras:
Os diálogos entre coadjuvantes poderia ser mais conciso
Cery praticamente desaparece
As cenas de ação poderiam durar mais

Ao todo é um livro muito bom! Vale a pena ler!
comentários(0)comente



120 encontrados | exibindo 61 a 76
1 | 2 | 3 | 5 | 6 | 7 | 8