A Aprendiz

A Aprendiz Trudi Canavan




Resenhas - A Aprendiz


120 encontrados | exibindo 76 a 91
1 | 2 | 3 | 4 | 6 | 7 | 8


Su 28/01/2016

Esse é o segundo livro da trilogia do mago negro. Tinha altas expectativas com relação a esse livro, principalmente depois do final de O clã dos magos.
O livro começa no dia da Cerimônia de Aceitação da Sonea. Ela sabia que alguns dos aprendizes poderiam ignorá-la devido as suas origens. Mas, também acreditava que alguns deles estariam dispostos a passar por cima disso. Durante a Cerimônia, Rothen assume a guarda dela, como já era de se esperar.
Dannyl foi nomeado Segundo Embaixador do Clã em Elyne. A viagem até lá foi feita a barco e tudo transcorreu bem. Apenas um acontecimento o surpreendeu, receber uma carta do Administrador Lorlen lhe pedindo que seguisse o trajeto feito pelo Lorde Supremo, Akkarin, durante suas viagens pelas Terras Aliadas a procura de indícios de Magia Antiga.
O primeiro dia de Sonea na Universidade foi tranquilo. Com relação aos estudos, ela estava muito adiantada, e as interações sociais, ela conseguiu até mesmo começar uma conversa com uma de suas colegas de classe. O que ela não poderia imaginar é que isso não duraria muito.
A aprendiz traz algumas revelações com relação ao Lorde Supremo e deixa outras tantas dúvidas. Gostei do livro, apesar de sentir que algumas situações foram repetidas vezes sem conta e de alguns personagens que eu acredito serem desnecessários. Espero que o terceiro esclareça todas essas questões e incômodos.
“— Vá lá. Volte para seus estudos. Vou tentar aparecer logo.
— Eu vou lhe cobrar isso.
Ela começou a seguir para os Alojamentos dos Aprendizes com relutância. Lorde Ahrind a observou, os braços cruzados.
— E diga àquele garoto que vou quebrar as pernas dele se ele não te deixar em paz — Cery gritou, alto o suficiente para apenas ela ouvir. Ela se voltou para sorrir para ele.
— Vou fazer isso eu mesma se ele me provocar o suficiente. Por engano, é claro.
Ele fez um movimento de aprovação com a cabeça, e então acenou com as mãos para que ela fosse embora. Ao chegar aos Alojamentos dos Aprendizes, ela olhou de volta. Ele ainda estava parado perto do banco. Quando ela acenou, ele fez para ela um rápido sinal na linguagem de sinais de rua. Ela sorriu e então deixou Lorde Ahrind conduzi-la para dentro.”

site: http://detudoumpouquino.blogspot.com
comentários(0)comente



Gabriel 10/08/2013

A Aprendiz: Simplesmente fantástico.
O que dizer desse livro que é a pura perfeição? 544 páginas de uma leitura empolgante e prazerosa. Definitivamente, A Aprendiz passou a ser o meu livro favorito. Com um ritmo muito melhor que o livro anterior, Trudi Canavan conseguiu me surpreender nesse segundo volume, me prendendo do começo ao fim na trama.Agora que as coisas começam a pegar fogo.
Sonea começa sua vida como aprendiz no Clã, uma vida que se mostra dura, devido à enorme insatisfação dos demais quanto às suas origens. Um aprendiz em especial deixa a vida da protagonista bem difícil, mas Sonea descobre que é mais forte do que imaginava e aprende maneiras de lidar com a situação. Lorde Dannyl, agora promovido a Embaixador, parte em uma viagem que acaba culminando em descobrir mais sobre as antigas pesquisas feitas pelo Lorde Supremo sobre magia antiga. Com a ajuda de um acadêmico para lá de especial, Dannyl refaz as supostas trajetórias feitas no passado por Akkarin e acaba se envolvendo com questões do passado e descobrindo mais sobre si mesmo. Enquanto isso, Lorlen descobre mais sobre o Lorde Supremo do que ele poderia imaginar, se envolvendo em um jogo perigoso.
Achei bem interessante a maneira como a autora abordou o tema da homossexualidade, colocando de uma forma delicada e objetiva, quebrando um forte tabu do universo literário. Uma leitura leve, empolgante, recheada de reviravoltas e com uma dosagem fascinante de mistério.
Realmente, agora posso afirmar que fiquei apaixonado pela Trilogia do Mago Negro.
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 21/08/2018

A Aprendiz
O primeiro livro terminou com um cliffhanger bacana, descobrimos que nosso poderoso Lord Supremo é o homem que Sonea viu na noite em que espionava o Clã e que o que ele estava fazendo era magia negra, algo completamente proibido entre os magos. Ai, além desse segredo que precisa ser mantido, a garota também precisa lidar com o resto, que é basicamente ela tentando sobreviver em uma escola de elite sendo uma favelada.

Bullying é a palavra desse segundo livro e é logo na cerimônia de aceitação na universidade que já vemos o quanto Sonea vai sofrer pela sua origem. Nunca um favelado se tornou um mago e é óbvio que as Casas não estão muito aceitativas com isso, principalmente seus filhos criados a pão de ló. Como uma garota pobre, selvagem e ladra pode ser mais poderosa que alguém de sangue puro e azul?

Com isso, aqueles que vão lhe atormentar logo adquirem um líder e ele vai infernizar a garota durante todo o livro. Porém, apesar de ser o conflito mais duradouro, não é o único. O Lord Supremo não vai ficar muito tempo alheio a Sonea e seus olhos vão se voltar para a garota, complicando a relação dela com Rothen.

“Não me importa se acredita em mim ou não, Sonea. Apenas tenha em mente que se contar algo sobre isso, vai provocar a destruição de tudo que é importante para você.”

Acho que o que me incomodou nesse livro foi a indecisão da protagonista com relação a tudo. Parece que ela desaprendeu a tomar decisões. Por vezes ela tem uma opinião forte e na frase seguinte já mudou de ideia, fazendo o leitor dar aquele suspiro de frustração. Sonea também terá um possível interesse amoroso nesse livro, e pra mim soou um pouco abrupto demais, porém a coisa não vai muito a frente e portanto acaba não fazendo muita diferença. Acho que no meio de toda a tempestade, a autora resolver trazer um pouco de alívio para a menina inserindo essa situação.

Rothen perde um pouco do brilho no livro, mas é porque ele vai enfrentar situações onde o poder de decidir ou fazer alguma coisa não está em suas mãos e, portanto, ele fica sem ter como agir. Dá até uma peninha do personagem em vários momentos, principalmente por ele ter se tornado um dos queridinhos no primeiro livro.

Outro tema que começa a ser trabalhado aqui é a homossexualidade e a forma como as culturas desse mundo a enfrentam. Dannyl tem um histórico e ele vai vir a tona quando ele é nomeado embaixador nas relações com outros reinos e o seu guia entre os vizinhos é alguém que também tem um histórico semelhante ao seu. A forma como eles se portam e também as sociedades magas e não magas frente a essa situação é bastante debatida e surge a todo momento no livro.

Achei interessante isso ser inserido, mas em alguns momentos ansiei por algo mais sutil. Parece que a autora estava querendo que comprássemos demais a aceitação, quando na verdade ela precisa vir naturalmente e isso acontece melhor quando esses tópicos são tratados com mais naturalidade. Há um debate, ok. Não é necessário trazer o assunto à conversa toda vez que o personagem é mencionado, nós já entendemos.

Esse é um livro maior que o primeiro e ainda há aqui páginas demais e alguns pontos de enrolação, mas o segundo livro já bem melhor que o primeiro e pelo menos as páginas que são sobressalentes estão ajudando a fortalecer o enredo da história, o que já é um progresso.

A Trilogia Mago Negro não tem uma trama excepcional, mas certamente nos insere num mundo interessante com uma protagonista que aos poucos vai ganhando seu espaço em nossos corações. Sonea ainda tem seus altos e baixos aqui, mas já melhorou bastante e, como mais de ano já se passou é normal que notemos a evolução da personagem junto com a história.

No livro final da trilogia, O Lorde Supremo, teremos o desfecho desses personagens e ele é certamente o melhor livro de todos, como deveria ser. Portanto, se você chegou até aqui, certamente deve encarar o terceiro livro e descobrir onde esses personagens tão queridos e por vezes odiados vão chegar.

site: http://resenhandosonhos.com/aprendiz-trudi-canavan/
comentários(0)comente



Lay 05/01/2013

Fico revoltada quando estamos no melhor da história e o livro acaba nos fazendo esperar pelo lançamento do próximo para saber o que vai acontecer!! Mas não se preocupem, é um revolta contida, se é que isso é possível, kkkk. Pois bem, como eu disse no final da minha resenha de O Clã dos Magos:

Eu sinceramente gostei bastante do livro e fiquei curiosa em ler a sequência. A forma como o livro acaba praticamente exige que você já tenha o segundo livro em mãos para ler logo. Espero que não demore muito de sair e que o livro só melhore cada vez mais.
Demorei só 4 meses para conseguir ler a sequência e tenho que dizer que realmente o livro só melhorou!!! Pena que um dos meus personagens favoritos praticamente não apareceu e eu me encantei por mais um, Dorrien, mas vamos com calma, né?!

A Aprendiz, inicia sua narrativa seis meses após o final que vimos em O Clã dos Magos. Sonea, após aceitar ficar no Clã, iniciará seus estudos na universidade dos magos. Porém, sendo a única não pertencente às Casas, Sonea percebe logo no dia da Cerimônia de Aceitação que terá um longo percurso até sua graduação (5 anos de estudos), mas não apenas por ter a desvantagem dos estudos (embora Rothen tenha se empenhado nesses seis meses em lhe mostrar os costumes, lições, escrever, ler, enfim, muitas coisas que a ajudariam nos estudos da Universidade), mas pelo fato mesmo de vir das favelas.

Sonea sofre com o bullying desde o seu primeiro dia de aula. Alvo fácil de Regin, um aprendiz, assim como ela, mas, claro, vindo das Casas, acha-se no direito de atormentá-la. Apoiado pelos outros aprendizes de sua classe Regin torna a vida de Sonea em um inferno. Então decidida a fugir deles, Sonea passa a estudar dia e noite com Rothen para passar para a turma seguinte. Mas, embora consiga passar para a turma seguinte e até consiga fazer um amizade, Regin também se transfere para a mesma turma e continua a atormentá-la.

Cada vez mais juntando aprendizes a ficarem do seu lado no tormento à Sonea, ela passa a ser emboscada diversas vezes durante seu percurso pela universidade, pelos alojamentos, enfim, em qualquer lugar. Entretanto, mesmo vários magos sabendo do bullying sofrido por Sonea, ninguém faz nada de muito drástico que impeça Regin de atacá-la.

Para piorar a situação de Sonea, Akkarin descobre que Lorlen sabe sobre prática de magia negra e chega até Rothen e Sonea. Decidido que eles não contem para mais ninguém sobre o que sabem, Akkarin toma a guarda de Sonea, obrigando-a e à Rothen que não contem para ninguém sobre a prática sob a ameaça de punir o outro.

Rothen se vê sem sua aprendiz, a quem tratava como filha e sem poder comunicar-se com ela. Já não bastava a falta de seu amigo Dannyl? Que após tornar-se Segundo Embaixador do Clã em Elyne mudou-se para Elyne a fim de assumir seu cargo?

Dannyl, por sua vez, não faz ideia de toda a intriga que tem ocorrido no Clã e porque o Administrador Lorlen pediu-lhe que viajasse tanto por outras terras com o objetivo de buscar sinais de magia antiga. Mas para ajudá-lo nessa busca, ele conta com o apoio de Tayend, acadêmico da Grande Biblioteca (em Elyne), que torna-se sei assistente. Porém, essa “amizade” torna-se perigosa para Dannyl, pois o fato de Tayend ser um “moço” como é denominado em Elyne, trouxe de volta vários rumores sobre seu passado quando ainda era apenas um aprendiz.

Mas apesar de toda essa confusão e intriga, Dorrien, Curador, filho de Rothen, em sua segunda visita em poucos meses ao Clã, dá uma ideia à Sonea que pode ser a solução de seus problemas com Regin (menos um problema pelo menos!!): Desafiá-lo à uma Luta Oficial na Arena. Ganhando, Sonea veria-se livre de Regin, que não desejaria ser afrontado diretamente novamente por ela, e a luta era na Arena, com todos os magos e aprendizes vendo a derrota dele.

Dorrien, desde sua chegada ao Clã em sua primeira visita, mostra-se muito amigo de Sonea, decidido à ajudá-la se distraindo, como seu pai havia pedido, preocupado que ela estivesse tão ligada aos estudos e preocupada com as investidas de Regin. Mas ao final de sua visita Sonea percebeu que as coisas poderiam ser diferentes entre eles.

Mas como eu tinha dito logo no começo, esse livro não mostra muito Cery, que na verdade aparece apenas uma vez aqui para visitar Sonea no Clã. O livro tem a visão de Sonea, as viagens de Dannyl (muitas novidades aqui…), e as preocupações vividas por Rothen e o Administrador Lorlen sobre Akkarin, o Lorde Supremo.

Embora eu tenha passado o livro inteiro com a convicção de que sabia o que estava acontecendo, fatos ocorridos nas últimas cem páginas me levam a crer que estava errada. Ainda bem que o terceiro e último livro, O Lorde Supremo, já foi lançado e deve estar chegando aqui em casa, porque eu preciso saber o que irá acontecer…

Acho que prolonguei muito nessa resenha! Mas confiram abaixo o book trailer e boa leitura à todos!!!!

Até a próxima!!
comentários(0)comente



Arctos 08/12/2015

Surpreendente
O livro não gastou toda a sua criatividade no anterior, poupando ainda folego para este segundo livro. O foco passeia por outros locais, outros personagens, não de forma a distrair e sim enriquecer os acontecimentos.
comentários(0)comente



erosgmmj 08/05/2015

Muito Bom!!!
Uma história bem escrita, onde as personagens são muito bem descritas e caracterizadas!
comentários(0)comente



Milton 27/10/2013

Este livro confirma a expectativa do livro anterior: haverá um mix de Harry Potter com Guerra dos Tronos. A personagem principal foi criada pelos tios, foi para um escola de magia (que aqui é uma universidade), possui um colega rival, alguns professores gostam, outros não, e tem um mago mal. Por outro lado, há vários países, amigos e inimigos, a elite desses países é divido por casas, tem rei, tem corte, tem rituais sociais. No geral este livro é melhor que o anterior. Praticamente acaba as passagens pela favela e o uso de gírias. Os mistérios que envolveram o Lorde Supremo no primeiro livro aguçam a expectativa do leitor, principalmente por causa dos acontecimentos que passam a acontecer na cidade.
comentários(0)comente



Mandy 11/04/2013

Trilogia do Mago Negro - 02
Resenha original: http://the-sook.blogspot.com.br/

Sonea está começando as aulas na Academia e tem Rothen como seu guardião. Tudo parece estar melhorando, mas durante as aulas, Sonea não consegue fazer amigos e ainda tem que aguentar Regin, um dos alunos que a persegue por achar que ela não pertence aquele lugar, afinal ela veio da favela. Regin começa seus ataques durante as aulas e depois delas, Sonea sempre tenta fugir dele, mas por mais que o clã seja um local grande, ela não consegue ficar a salvo por muito tempo.

Decidida a não revidar, ela começa a se empenhar cada vez mais nos estudos para poder mudar de classe e deixar Regin e seus seguidores para trás. Ela consegue mudar de classe, surpreendendo a todos. Mas Sonea também é surpreendida quando o Lorde Supremo torna-se seu novo guardião.

Nesse livro, Cery é um personagem ofuscado. Então se você estava torcendo para ele ter um romance com Sonea, praticamente esqueça isso. Dannyl embarca em uma busca para saber mais sobre a magia negra e acaba fazendo um novo amigo — Tayend — que o ajuda a descobrir sobre o passado do clã e o mago negro.

Sonea não está apenas mais velha, como também está mais forte. Ela consegue controlar sua magia e cada vez mais o poder dentro dela parece aumentar. Sonea pode não estar fazendo muitos amigos no clã, mas quando Dorrien — o filho de Rothen — vem visitar o pai e eles passam um bom tempo juntos, algo pode mudar a solidão de Sonea.

A Aprendiz tem uma narrativa mais rápida do que o primeiro livro. A leitura não é entediante e você consegue descobrir mais sobre Sonea e o clã, assim como consegue aprender e crescer juntamente com ela. Livro recomendado!
A diagramação da editora Novo Conceito é simples. Páginas amareladas e fonte agradável, que facilitam a leitura. A capa segue o design da primeira.
comentários(0)comente



Carolina Durães 24/03/2013

Curiosa com a continuação do “Clã dos Magos”, mergulhei mais uma vez na história de Sonea e não me decepcionei. Em “A Aprendiz”, vemos a luta de Sonea em se “adaptar” a Universidade, pois além das aulas e treinamento exaustivo, Sonea ainda vai ter que lidar com a desconfiança dos magos, a não aceitação dos demais aprendizes e a própria diferença cultural que existe entre ela e o clã no geral. Nesse segundo livro, temos a inserção de um personagem em particular que realmente acabou com a minha paciência: Regin, mas também temos a oportunidade de conhecer Dorrien, o filho de Rothen. Alternando os capítulos da trama, teremos Dannyl, aquele mago “conhecedor de todas as fofocas do clã” do primeiro livro. A pedido de Lorlen, ele vai embarcar em uma jornada capaz de trazer informações valiosas para o clã e para si mesmo, pois vai ter que lidar com situações que irão fazê-lo confrontar a verdade por trás de antigas “fofocas”. Se durante a leitura do primeiro livro eu reclamei sobre o excesso de “linguagem errada” utilizada, no segundo ela é praticamente ausente. A minha única queixa quanto a isso é que os personagens da antiga vida de Sonea quase não aparecem no livro, o que me deixou um pouco frustrada. Em compensação observamos como Sonea está se desenvolvendo como maga e um novo mistério é adicionado à trama. E não podemos nos esquecer do papel fundamental que o Lorde Supremo exerce nesse livro, papel esse que me levou a frustração em vários momentos. O livro foi muito bem revisado, a diagramação e layout estão ótimos e a capa segue de acordo com a do primeiro livro. A autora conseguiu manter um clima de aventura, com direito a uma grande parcela de drama e uma pequena parte de romance.


site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/
comentários(0)comente



Poly 06/04/2013

Confesso que assim que terminei de ler O Clã dos Magos não fiquei muito ansiosa para ler a continuação da trilogia, então fiquei adiando a leitura do segundo livro por um tempo. Só não me arrependi de não ter começado a ler antes porque assim pude ter em mãos o terceiro – e último – livro, O Lorde Supremo e assim não ficar ansiosa para saber o que acontece em seguida com Sonea.

“- Hoje cada um de vocês dá o primeiro paso para se tornar um mago do Clã de Kyralia – ele começou, a voz severa. – Como aprendizes, vocês terão de obedecer às regras da Universidade. Pelos Tratados que unem as Terras Aliadas, essas regras serão sancionadas por todos os governantes, e se espera que todos os magos as façam cumprir. Mesmo que vocês não se formem, ainda estarão subordinados a elas.
P. 21

A história começa basicamente com o início das aulas. Sonea está ansiosa e insegura para começar a ter aulas propriamente ditas, isso porque ela veio das favelas e não sabe a reação dos alunos com relação a isso. Apesar de Rothen a encorajar bastante, Sonea não se sente tão motivada assim.
Conforme vamos conhecendo os alunos é notável a exclusão que eles fazem de Sonea e logo ela passa a ser vítima de todo tipo de bullying.

“Atrás de Sonea, alguém conteve uma risada. Ela virou a cabeça. Pelo canto de olho, viu Kano passar algo para Vallon e seu estômago se contorceu. Sem que Lorde Elben visse, sua caligrafia estava divertindo a sala toda.
P. 80

Sonea sofre ataques dos outros alunos, principalmente de Regin, durante toda a história e, apesar de seus esforços para evitar conflitos e fugir dos outros aprendizes, tudo é em vão.

“Ele tinha mostrado a todo mundo do que Sonea era capaz. Lorlen suspeitou que Rothen também fora surpreendido por quão forte ela provara ser.
P. 243

Só que o que Regin e o resto do Clã não esperava era que Sonea é uma aprendiz muito forte. Tão forte que chega a ter mais força que alguns de seus mestres. A surpresa apesar de boa não alivia em nada as ações dos outros alunos e ela continua sendo alvo dos constantes ataques.
Paralelamente à vida na Universidade, temos a narração da viagem de Dannyl por terras distantes para investigar o passado do Lorde Supremo e seu possível envolvimento com magia negra.

“- Curando, talvez. O que faria sentido, já que, há mil anos, a Cura seria algo muito raro. Foi apenas mediante cooperaçãoo e experimentação que o Clã conseguiu desenvolver a habilidade… e ela ainda é a disciplina mais difícil de ser aprendida.
P. 342

As aventuras de Dannyl com Tayend, um estudioso, são uma parte bem divertida da história e em alguns momentos eu ficava mais ansiosa pela saga deles do que pela de Sonea.

“O que era natural e certo? Quem realmente sabia? O mundo nunca fora algo tão simples a ponto de uma única pessoa saber todas as respostas. Ele tinha lutado contra isso por muito tempo. Como seria parar de lutar? Aceitar o que ele era.
P. 472

Há várias reviravoltas durante a história e a narrativa tem um ritmo muito bom. De longe, bem melhor que O Clã dos Magos. Se O Lorde Supremo continuar desse jeito, A Trilogia do Mago Negro tem tudo para se tornar uma de minhas favoritas.
comentários(0)comente



Literatura 18/06/2013

O bom melhora
Há quem diga que a leitura de livros de fantasia servem apenas para distrair e passar o tempo, como se essa fosse sua única função no mundo, mas eles são mais do que isso. Sim, pois em um ou outro encontramos uma mensagem bonita de amizade, amor e superação etc. Ainda têm aqueles que abordam temas em alta, conduzidos com sutileza, para não deixar a leitura entediante e enfadonha. Sem nem percebemos, estamos tomando pra si algo que lembraremos por muito tempo e de alguma forma passará a fazer parte da nossa vida. Se antes tínhamos certo preconceito com isso ou aquilo, após a leitura de um livro que fala do assunto, podemos até mesmo a rever nossos conceitos e passar a respeitar certas coisas.

Em A Aprendiz (Editora Novo Conceito, 534 págs.), a sequência do livro O Clã dos Magos, Sonea está mais madura, extremamente convicta de suas decisões e mais simpática. Gostei muito disso, pois se afeiçoamos ainda mais a personagem. Depois de ter decidido ficar no Clã e aprender a controlar seus poderes, ela está agora diante da Cerimônia de Aceitação, no qual vários aprendizes são apresentados aos magos. Se caso algum mago se interessar por tal aprendiz, ele ergue a mão e passa a ser seu guardião para lhe ensinar particularmente durante os cinco anos de permanência no Clã. Rothen, então, decide que quer ser o guardião dela.

Ao início das aulas com os magos, Sonea passa a sofrer bullying dos outros aprendizes por ter vindo das favelas. Constantemente era provocada por Regin e seu séquito de amiguinhos de casas mais elevadas. Ficavam fazendo desde brincadeirinhas de mau gosto a agressões físicas pelos corredores. Até que um dia, sua evolução nas aulas com os poderes vai aumentando e chamando atenção de todos, principalmente do Lorde Supremo. Akkarin então decidi reivindicar a guarda de Sonea para si, tomando-a de Rothen e passa a ser seu guardião oficialmente. E assim, Sonea é vista por todos como a Favorita do Lorde Supremo.

Veja resenha completa no site:
http://migre.me/f4BIc
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Priscila 09/06/2019minha estante
To tentando tbm mas tá sendo uma leitura lenta




Rafaela Dione 26/08/2016

O caminho pelo poder
O segundo livro da trilogia do Clã do Mago Negro nos mostra o caminho percorrido por Sonea, uma jovem aprendiz que se destaca dos demais alunos.
A narrativa é dinâmica e mostra uma Sonea atormentada pelos seus colegas de classe, que fazem de tudo para atrapalhar a garota.
A história prende do início ao fim , e dá até mesmo uma certa agonia quando ela não se defende ou quanto acontece justamento o contrario. Um misto de emoções, a leitura é mais do que recomendada!
comentários(0)comente



vsferreira 21/08/2015

Melhor que o primeiro
Este livro teve mais emoções do que o primeiro da série. Neste livro houve algumas reviravoltas e achei que a Sonea (personagem principal) sofreu muito e em alguns momentos eu me irritava com isso... O desfecho foi ótimo e deu muita vontade de continuar a série... A narrativa se divide e em alguns momentos é sobre Sonea, em outros sobre Dannyl ou outro personagem. Algumas pessoas não conseguem lidar bem com essas trocas repentinas de lugar/personagem, mas não me incomodou.
comentários(0)comente



Românticas 20/05/2013

Por Flavinha

http://www.mulheresromanticas.com.br/2013/05/trudi-canavan-aprendiz-novo-conceito.html

Ah, que livros maravilhosos os dessa trilogia de Trudi Canavan. Como disse a vocês me encantei primeiro com as capas. Depois com o enredo maravilhoso do primeiro livro, o que continua em A Aprendiz. Sonea agora se junta a jovens aprendizes para aprender sobre magia. Mas, ela não é nem recebida pelos "colegas" de turma já que veio das favelas. Principalmente um deles, Regin, parece adorar atormentá-la.

O amigo Cery quase não aparece nesse livro, entretanto o filho de Rothen chega para abalar o coração da nossa pequena maga. Dorrien é divertido e é um fofo! Já Dannyl. o divertido amigo de Rothen parte para outro país e faz descobertas incríveis sobre magia e sobre o Lorde Supremo.

Falando nele, o pequeno segredo que ela descobriu no livro anterior faz com que o Lorde Supremo se torne seu guardião e a afaste de Rothen. Que dó! Sonea se torna cada vez mais forte e também aprende muito rápido sobre magia, o que fica visível em seu confronto com Regin no final do livro.

Recomendo muito! Não fique desanimado com a "grossura" do livro. Certeza que você vai devorar as 534 páginas tão rápido como eu!
comentários(0)comente



120 encontrados | exibindo 76 a 91
1 | 2 | 3 | 4 | 6 | 7 | 8