Astronauta: Magnetar

Astronauta: Magnetar Danilo Beyruth




Resenhas - Astronauta: Magnetar


82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


joobart 28/08/2020

Solidão
O Astronauta sempre foi um personagem muito solitário e um dos mais profundos criados por Mauricio de Souza. É muito bom ter a oportunidade de ver ele sendo tratado de forma mais adulta e achei a Graphic muito bem feita.
comentários(0)comente



Lucas Ed. 01/11/2012

Uma proposta inovadora que começa pela mais profunda solidão…
-- Resenha originalmente publicada no Melhores do Mundo.net (http://interney.net/blogs2/melhoresdomundo/2012/10/31/a-gente-lemos-astronauta-magnetar/#more-15499)

Quando, no FIQ do ano passado, nosso grande amigo da Moóca Sidney Gusman (que tem o péssimo defeito de ser corintiano) anunciou a série de graphic novels estrelada por personagens do Maurício de Sousa, não houve quem não se entusiasmasse. E não só pela iniciativa inédita, mas também pelo time de pesos-pesados escalados para cuidar da missão – entre eles estava nosso chégas Danilo Beyruth, cuja carreira nos quadrinhos, até o momento, não tem um, unzinho sequer ponto baixo.

Astronauta – Magnetar (ou “Manouar”, como diria o Paulo Ramos) não é este ponto baixo.

Nota 9
comentários(0)comente



@olamundogeek 07/07/2020

Magnetar
Já pensou em ser um astronauta? Quando criança, Maurício de Sousa me fez acreditar que sim, eu poderia conhecer outros planetas, conhecer o universo, através deste seu personagem homônimo.?
?
Essa foi minha primeira Graphic MSP, que por coincidência da vida, foi a primeira a ser publicada também. O mais interessante é que esta edição que tenho em mãos, já passou de colecionador para colecionador (obrigada @pandoraelf e @livroegeek pelo presente, vocês são especiais demais pra mim), quase que uma tradição.?
?
O responsável por essa Graphic MSP foi o Danilo Beyruth, onde ele faz um trabalho de roteiro e arte excepcionais, com páginas duplas lindas. ?
?
Vemos o nosso querido astronauta preso no espaço, sem suprimentos, onde ele começa a fazer várias reflexões sobre sua vida antes de ser resgatado. ?
?
Pra quem nunca leu nenhum tipo de HQ ou até mesmo pra quem já tem o hábito de leitura, recomendo fortemente, vale super a pena.?
comentários(0)comente



Sybylla 23/01/2013

Adorei a releitura dada por Danilo ao icônico personagem de Maurício de Souza, um dos meus prediletos da turminha. Além do traço dramático e marcante, o enredo mostra a solidão que acomete a todos nós em algum momento da vida. Ele já está perto de alucinar completamente quando os ensinamentos de seu avô retornam em sua mente debilitada.

Também achei uma grande sacada de Maurício em trazer esta nova visão de seus personagens. Mostra um amadurecimento do estúdio e podemos esperar assim novos trabalhos tão bacanas e profundos quanto este.

Leitura recomendada, para ter na biblioteca.
comentários(0)comente



Gabriela 02/06/2016

Como a média no Skoob estava bem alta, por volta de 4.4, eu estava esperando me encantar com esta história do Astronauta, mas não foi assim. Achei-a boa e ela me entreteve, mas não é nada inovadora. Se parece com qualquer uma das histórias de filmes no espaço. Aliás, eu tinha acabado de ver o filme "Perdido em Marte" e ficou parecendo a HQ do filme.

Quanto à parte gráfica, achei as cores muito bonitas, realmente criam aquele ambiente espacial. Também gostei dos extras no final, onde é contada a origem do Astronauta e o processo de criação desta nova HQ. Contudo, apesar de achar os desenhos bonitos, penso que o traço ficou muito "quadrado", o Astronauta é tão redondinho...

De qualquer forma, vale a leitura, para ver como Astronauta fica numa roupagem mais "adulta", e também pelos extras, para conhecer a história do personagem.

site: https://bibliomaniacas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Ana 25/02/2020

Estou surpresa! Não pensei que
encontraria uma ficção científica tão boa quanto os maiores clássicos do gênero nas páginas de uma graphic brasileira. Falha minha por subestimar os nossos autores.

Astronauta: Magnetar é 10/10
comentários(0)comente



Rodrigo 12/04/2013

Desde que foi lançada em outubro de 2012, Astronauta - Magnetar vem fazendo muito sucesso, tanto de vendas quanto de críticas (não me lembro de ter visto um única crítica negativa sequer). O sucesso é tamanho que a Graphic Novel será lançada também na Europa.

Ser publicado na gringa é um feito para pouquíssimos autores nacionais, de cabeça me lembro apenas dos irmãos Moon e Bá, que primeiro fizeram sucesso no exterior com sua excelente Daytripper para depois ser publicada no Brasil, e com o próprio Danilo Beyruth, autor de Magnetar, que teve o seu Necronauta publicado pela editora americana Image.

Como se não fosse o bastante, o trabalho do Danilo o rendeu uma entrevista no programa Agora é tarde, da Rede Bandeirantes. Pode não parecer grande coisa, mas quando poderíamos imaginar que um autor BRASILEIRO de QUADRINHOS daria uma entrevista em rede nacional por conta de um trabalho com um personagem de Maurício de Sousa, intimamente relacionado com os quadrinhos infantis da TURMA DA MÔNICA?

Pois bem, recentemente, meses após o lançamento, finalmente consegui ler o elogiadíssimo trabalho de Danilo (e também de Cris Peter, a colorista da HQ) e, honestamente, me decepcionei! *voz do Silvio Santos on* Calma, calma sua piranha, eu explico. *off*

Não que Astronauta - Magnetar seja ruim, longe disso! É uma boa história, com uma arte sensacional, só que esperava bem mais depois de tantas críticas positivas e do sucesso de vendas.

O tema principal da obra gira em torno da solidão: em meio a uma missão no espaço, o Astronauta , por um descuido seu (dele, não seu!) danifica a sua nave e fica "à deriva". Na tentativa de consertar a sua nave e volta para a casa, o Astronauta vai perdendo a sua sanidade conforme os dias vão passando, não tendo ninguém com quem conversar além da sua própria consciência e, principalmente, das memórias que tem do seu avô (do dele, não do seu, sua mula!), que nunca saiu de perto da fazendo onde morava.

O grande problema da história, ao meu ver, é o seu desenvolvimento. Ela é muito curta e acaba de forma muito abrupta, dando a sensação de que ela poderia ter sido melhor explorada. Por exemplo, os amigos e familiares que aparecem em um delírio do protagonista. Não sabemos os seus nomes e temos uma vaga noção de seus relacionamentos com o herói, sendo apenas o relacionamento do Astronauta com o seu avô mais aprofundado.

A impressão que tive ao término da leitura é que essa história era grande demais para ter sido publicada nas coletâneas MSP 50 (uma homenagem de diversos quadrinistas aos 50 anos de carreira de Maurício de Sousa) e que acabou sendo lançada em forma de graphic novel. O que, mesmo assim, é estranho, porque o autor já provou que pode muito bem desenvolver excelentes histórias curtas, como provou em Necronauta, personagem de sua autoria.

Para dizer que não falei das flores, volto a frisar que o trabalho de dupla Beyruth e Cris Peter na arte é de tirar o chapéu, com painéis muito bonitos e detalhados (destaque para as páginas que mostram a repetição enfadonha da rotina do protagonista e, depois, quando ele está desacordado vagando no espaço) e também o ótimo trabalho de pesquisa que o autor fez para desenvolver a trama, que pode ser conferido nos extras da edição.

Resenha originalmente publicada em http://estantenerd.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



BanjoCore 03/10/2020

Somos Poeira Espacial
Caramba, bem ousado mesmo. Me lembrou do filme Lunar, de Duncan Jones.
comentários(0)comente



Renan 07/11/2013

Ficção Cientifica de Primeira
A hq mais adulta do selo MSP, as outras duas podem ser facilmente lida por crianças, não que essa tenha violência ou coisa do tipo, mas é adulta pela história.

Sempre gostei do Astronauta quando criança, e fica imaginando as histórias dele como se fossem filmes, ai vem essa hq que facilmente seria um filme, no estilo de Lunar e Gravidade.

Os desenhos são bem bonitos, principalmente quando mostra o espaço. A pagina que mostra a passagem de tempo é muito bonita.

Poderia ser mais longa para explorar melhor a loucura do Astronauta, e o final achei que não ficou condizente com o rumo da historia, estava sendo adulta é teve um final bem adocicado, nada que tire o brilho do livro.
comentários(0)comente



aureogiunco 02/01/2016

Toda escolha tem um preço!

De forma simples, bonita e objetiva essa Graphic Novel consegue provocar a reflexão sobre as prioridades da vida.

Em Astronauta Magnetar percebemos o quanto buscamos explorar a imensidão do universo enquanto nem fomos capazes de conhecer a nos mesmos, a nossa família, vizinhos, amigos, comunidade, cidade e e por que não o país.

Toda escolha tem um preço, Danilo Beyruth nos questiona de forma brilhante o quanto estamos dispostos a pagar e abandonar para explorar o universo de possibilidades que batem em nossas portas todos os dias.

Espero que possamos ter tempo de viver, quando reconhecermos o que realmente vale a pena ser vivido!
comentários(0)comente



Tatah 03/08/2015

Solidããããoooooo...
É difícil. Astronauta sempre foi um dos meus personagens preferidos da Mônica, e por um motivo simples: ele era uma bolota azul engraçada falando com ETs bobalhões - mas com temas bem sérios e umas pegadas filosóficas meio dark pra criancinhas. Então quando um artista pega e tira a parte da zoeira e deixa somente o tom sério, filosófico e meio dark... ééé, pra mim, metade da coisa se perde.

Mas não dá pra negar que foi muito digno. Valeu pelo esforço de tentar deixar super realista com termos astrofísicos reais e etc, e eu até quero ler novas aventuras desse ser aí - massss tendo que desapegar mesmo e totalmente do gordinho original...
comentários(0)comente



Carlos Francisc 07/01/2013

Bem-vindo a solidão do Universo.
Astronauta: Magnetar, tem uma narrativa simples, mas já pode ser considerado um clássico do gênero Sci-fi, das Histórias em Quadrinhos. Com um enredo, íntimo e filosófico, Danilo Beyruth mostra o que a solidão do Universo, pode causar ao homem, ao tentar se aventurar nele. Beyruth, prova também, seu vasto conhecimento do gênero Sci-Fi, do cinema. Magnetar, contém diversas referências a clássicos do cinema. Lêia, com atenção e você vera. Não posso, deixar de citar, a Arte de Danilo Beyruth. Em Astronauta: Magnetar, Danilo, mostra um de seus melhores trabalhos artísticos. Cores vivas e desenhos magníficos, preenchem as páginas de Magnetar.

Em suma, Magnetar, é uma história épica, cheia de referencias a clássicos do cinema e da história.
comentários(0)comente



Yogimbo 26/09/2015

Uma obra prima
Um encontro consigo que todos devemos ter algum dia.
comentários(0)comente



Dani Moraes 15/02/2015

Maravilhoso!!! Vale muito a pena!!!
O Astronauta da Silva mais adulto e com conflitos bastante complexos.
Cores linda e muito significativa.
Se você quiser saber um pouco mais sobre a minha opinião, clique no link abaixo.

site: http://www.asverdadesqueopinoquioconta.blogspot.com.br/2015/01/astronauta-magnetar-e-singularidade.html
comentários(0)comente



Ricardo Santos 26/09/2015

incrível, pena que tão curta
essa graphic novel tem algumas das páginas mais bonitas e impactantes do mundo quadrinhos recente. é algo de padrão internacional. essa versão adulta do astronauta, de maurício de souza, ganhou uma profundidade que parecia impossível. o ilustrador e roteirista danilo beyruth acertou em cheio ao tratar essa adaptação como uma história de ficção científica. a única reclamação é que as poucas páginas obrigaram o autor a correr com a trama, comprometendo seu ritmo, seu desenvolvimento.
SRMelão 14/12/2015minha estante
Realmente pela qualidade apresentada na HQ merecia mais páginas...




82 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6