Filhos do Éden

Filhos do Éden Eduardo Spohr




Resenhas - Anjos da Morte


216 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Amanda 24/09/2020

Muito bom
O livro é bom, mas a alternância entre o passado e o presente me tiravam totalmente do ritmo da leitura. O personagem do Denyel é muito mais cativante que os outros três juntos. O autor até avisou no início do livro, mas as partes do presente foram pouco prazerosas. Ainda bem que grande parte do livro se foca no Denyel. Recomendado.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marriete 10/09/2020

Anjos da Morte (Filhos do Éden) Volume II ? Resenha
Denyel é um querubim. Sua casta é de guerreiros e como tal eles jamais fogem a uma batalha. Ele vive exilado na Haled sob as ordens do Arcanjo Miguel, e, então é designado a se misturar com os humanos e participar de suas guerras para passar informações aos Malakins, (anjos que estudam os seres terrenos e todo o universo. Após o término dessa missão ele é chamado a outra, dessa vez com um objetivo mais direto: ele deve exterminar outros anjos que fazem parte da rebelião junto com o Arcanjo Gabriel, dessa forma, quebrando a trégua que existia entre eles. Claro que tudo deve ser feito no mais absoluto sigilo o que de qualquer forma fica difícil manter.

Denyel é um personagem importante já no primeiro volume, onde ele aparece e auxilia Laura em sua missão. Então aqui Spohr resolve destacar qual a importância dele no conteúdo histórico. Podemos perceber nos detalhes o conhecimento histórico, religioso e militar do autor, que continua nos mostrando como as batalhas angélicas se misturam com as guerras que nosso mundo viveu. Ficção e uma boa dose de realidade se misturam aqui, como podemos perceber nas citações sobre sociedades secretas e religiosas que tomam parte na época do nazismo. É um livro contagiante e de imagens bastante cruas quanto as mortes e sentimentos dos soldados e do próprio Denyel que vai se distanciando de tudo aquilo em que acredita para poder cumprir o seu papel. Não consigo definir com algo menos que magistral! É impressionante como nos envolvemos com a história e como ela flui sem um momento maçante. O segundo volume é ainda maior que o primeiro mas quase não notei a diferença por estar bastante envolvida pelo enredo.

Recomendo a leitura!

#AnjosDaMorte#FilhosDoÉden#EduardoSpohr#Marry#ResenhandoLiteratura#AautorNacional#LiteraturaBrasileira#LiteraturaFantástica#AmoLer#Instabooks
comentários(0)comente



Hidalberto 09/09/2020

Um pouco mais sobre anjos
Depois de algumas pausas para dá continuidade a outras leituras finalmente termino a 2ª parte da trama de Eduardo Spohr 'Filhos do Éden: Anjos da morte'. Foi uma leitura em certos pontos cansativa e desinteressante em alguns trechos, no entanto, se gostou do primeirão (A batalha do apocalipse) e leu a 1ª parte do 'Filhos do Éden' sem sombra de dúvida é quase que uma leitura obrigatória.

Quando digo que a leitura é desinteressante possa ser pelo fato de achar que Denyel passa o livro todo fazendo (ou melhor não fazendo) nada, só ali vendo as coisas acontecerem sem se envolver, sem questionar, sem aparentemente uma motivação (cai entre nós, viver uma eternidade dessas como os anjos podem viver não é tão interessante assim). Lá para metade do livro é que percebemos que ele um pouco muda seu ponto de vista e vai atrás de respostas. No fim, o que deu a entender é que ele vive a vida do jeito que dá. Achei essa sacada um tanto meio sem nexo para um anjo, mas até entendo o ponto de vista do autor.

Embora, opinião minha, achando que deveria ter dado uma certa atenção ao desenvolvimento do Denyel o autor explorou muito bem o contexto entre as grandes guerras mundiais e também os conflitos históricos do século passado para fazer sua trama. Muito do que ele citou e até narrou fizeram eu refletir a condição humana que muitos viveram e ainda vivem nestes países assolados pela guerra.

O final embora um pouco estranho me motivou a querer ler o terceiro livro dessa saga e vê no que vai dá, já que agora o autor misturou muitas culturas, muitos contextos quero vê se ele consegue amarrar tudo e fazer um xeque-mate da sua trama. E vamos para 'Paraíso perdido'.
comentários(0)comente



vini 04/09/2020

Uma volta ao mundo em (quase) 600 páginas
Certamente o livro mais emocionante do autor que eu li até agora. Tem um enredo interessante, apresenta cenários muito variados e me proporcionou uma leitura fluída e rápida, apesar das quase 600 páginas. Muito bom.
comentários(0)comente



Diih 19/08/2020

Anjos da Morte
"Quando o século XX raiou, o tecido da realidade, a barreira mística que separa os mundos físico e espiritual, adensou-se. Os novos meios de transporte, as ferrovias e os barcos a vapor levaram o progresso aos cantos mais distantes do globo, pervertendo os nódulos mágicos, apagando o poder dos velhos santuários, afastando os mortais da natureza divina.
Isolados no Sexto Céu, incapazes de enxergar a terra justamente pelo agravamento do tecido, a casta dos malakins, cuja função é estudar e catalogar os movimentos do cosmo, solicitou ao arcanjo Miguel a criação de uma brigada que descesse à Haled para pesquisar os avanços da civilização. O príncipe ofereceu o serviço dos exilados, que há milênios atuavam na sociedade terrestre, alheios às batalhas que se desenrolavam no paraíso.
Destacados, então, para servir sob as ordens dos malakins, esses exilados foram reorganizados sob a forma de um esquadrão de combate. Sua tarefa, a partir de agora, seria participar das guerras humanas, disfarçados de meros recrutas, para anotar as façanhas militares, as decisões de campanha, e depois relatá-las aos seus superiores celestes.
Esse esquadrão tomou parte em todos os conflitos do século XX, das sangrentas praias da Normandia ao colapso da União Soviética. Embora muitos não desejassem matar, era exatamente isso o que lhes foi ordenado, e o que infelizmente acabaram fazendo.
Em paralelo às aventuras de Denyel, que se desenrolam cronologicamente de 1944 a 1989, acompanhamos também, no tempo presente, a jornada de Kaira e Urakin em busca do amigo perdido, que caíra nas águas douradas do rio Oceanus, durante a destruição da ilha-fortaleza de Athea em Herdeiros de Atlântida."

Basicamente nesse livro o foco da história é o passado do Denyel, onde conhecemos tudo que ele vivenciou na terra. E no presente temos a Kaira tentando encontrar ele.
É um livro tão grande quanto a batalha do apocalipse, mas esse li bem rápido, porque eu amei conhecer a vida passada do Denyel, e precisava desesperadamente saber se ele sobreviveu a quedo no rio.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Yara 02/08/2020

Anjos da morte traz toda a sagacidade dos celestes em meio a momentos históricos como a primeira e a segunda guerra.
comentários(0)comente



Emy Santana 22/07/2020

Ótimo livro
Anjo da morte é uma saga dentro de uma saga com variações temporais com ação do começo ao fim, eu particularmente, gostei mais deste livro do que o primeiro "Herdeiros de Atlanta".

comentários(0)comente



Felipe G. | @Felipee_gomees 19/07/2020

O FATOR HISTÓRICO FEZ ESSE LIVRO
Ao ler o segundo livro da série OS FILHOS DO ÉDEN - OS ANJOS DA MORTE. A princípio não entendi porque o autor quis trazer como pano de fundo as guerras. Mais ao decorrer das leitura, acompanhado o personagem principal, Denyel. Compreender o que ele quis trazer. Sem sobre de dúvidas a leitura é muito válida, pois entendemos melhor o Denyel do primeiro volume. Só pecou mais uma vez nos detalhes que as vezes não são tão necessários. Mais a leitura foi muito boa! Enfim ir para o último volume da série, para saber da conclusão!
comentários(0)comente



Filipe Campos 14/06/2020

Excelente livro
Quando eu comecei a ler Filhos do Éden achei que não ia gostar, mas claramente eu estava enganado. Herdeiros de Atlântida é um livro muito bom, e Anjos da Morte é melhor ainda. Melhor até do que eu esperava.
Super recomendo.
comentários(0)comente



Whermeson 23/05/2020

Livro 07 em 2018 - Filhos do Éden - Anjos da Morte - Eduardo Spohr
"Nessas condições, parecia impraticável continuar, até que ocorreu um fenômeno notável, que Denyel jamais esqueceria. De todas as características humanas, ele refletiu ao focalizar uma bala traçante, talvez a mais estupenda seja a capacidade de se adaptar, de se moldar, física e mentalmente, às situações mais adversas. Passadas duas horas de pura carnificina, os sobreviventes, agachados junto aos cadáveres, começaram a se acostumar ao perigo. O choque que os paralisara no início aos poucos se transmutava em uma coragem instintiva. Os combatentes que ainda resistiam foram tomados por uma espécie de embriaguez, por uma vontade absurda de sobreviver, não importava a que custo."


site: http://www.literalmenteuai.com.br/filhos-do-eden-anjos-da-morte/
comentários(0)comente



annacarolina.leoncini 17/05/2020

A riqueza de detalhes sobre a guerra e momentos históricos mundiais no decorrer do livro podem cansar.
Explorar a estória de Denyel foi maravilhoso
comentários(0)comente



A menina que comia livros 13/05/2020

Tetralogia Angêlica
Relendo pela terceira vez a Tetralogia Angélica, sou extremamente suspeita para falar de Eduardo Spohr. Acho que já citei em outra resenha que, caso ele venha a escrever bulas de remédio, eu compro. Amo tudo o que ele escreve. Inclusive ele. Este livro é especialnpra mim porque foca muito no querubim Denyel, que é com certeza meu personagem preferido da série.
comentários(0)comente



Jhon.I.Am 20/04/2020

Esse livro me conquistou pelo simples fato de se ambientar tão profundamente na Segunda Guerra em meio a este universo. Incrível.
comentários(0)comente



216 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |