Depois dos Quinze

Depois dos Quinze Bruna Vieira




Resenhas - Depois dos Quinze


109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


MermaidTears 25/04/2017

Depois dos Quinze
Li esse livro quando fiz quinze anos. Confesso que crônica nunca foi minha leitura favorita, eu prefiro histórias mais desenvolvidas, porém eu realmente me identifiquei com diversas crônicas do livro. Não me prendeu, mas é uma leitura fácil e rápida, boa para quando se está em uma ressaca literária.
comentários(0)comente



Iasmin.Bonfim 20/03/2017

Depois dos quinze
Eu achei ótimo o livro. Além disso, há passagens incríveis nele. Para quem não sabe o que ler, eu o recomendo.
comentários(0)comente



Isa 22/02/2017

Um amor de livro
Esse é um dos livros que eu mais me divirto lendo, ele fala um pouco sobre a colunista da revista da capricho, Bruna Vieira uma garota de 18 anos que acabou descobrindo de verdade que o amor da sua vida era somente uma das numerosas fases em que ela já tinha vivido ... Como ela já tinha um blog , criado quando ela tinha 15 anos decidiu desabafar tudo que tinha em sua mente é uma das parte do livro onde eu mais gosto é aonde ela fala para si mesma que as palavras que vinham na mente dela não se conectava, Bruna Vieira conta sobre a suposta ''paixão platônica '' em que ela entra em desilusões , expectativas e acaba se decepcionando...
comentários(0)comente



Sarah 30/11/2016

Gostei. Adorei. Amei. Bruna escreve muito bem, esse foi só o rascunho de grandes livros que estavam por vir. Claramente há muito no que melhorar, mas gosto da honestidade e humildade dela em querer sempre aprender e melhorar a sua escrita.
comentários(0)comente



andy 25/11/2016

Não me surpreendeu...
"Depois dos Quinze" é um dos livros que sempre evitei ler, nunca tive vontade de ler e inclusive julgava quem lia (todos passam por essas fases).
Admito que gostei de algumas partes, assim como gostei muito de algumas lições de vida que o livro passa, mas teve outras que qualquer um poderia ter escrito. Antes de chegar ao último conto pensei em dar 3 estrelas...
O último conto foi a coisa mais clichê que eu li na vida! DEUSES! A protagonista conversava tanto com o leitor que chegava a ser irritante !! Estava mais para um texto aleatório que você faz quando a professora manda fazer e você faz na última hora. Pior, ao tentar deixar a história mais complexa e interessante, a autora só fez ficar mais tosco do que estava antes. Decepção.
Não foi TÃOOOOOOOOOOO ruim
comentários(0)comente



Sayuri.Charbel 25/10/2016

Depois dos Quinze
Um livro de crônicas, contos, bem água com açúcar, mas tem partes interessantes, reflexivas, para jovens adolescentes! O meu está todo grifado! Reli várias vezes quando era mais novinha! Acho uma graça
comentários(0)comente



Bruna.Silva 30/08/2016

Um pouquinho sobre
Depois dos quinze é um livro de cronicas que vão fazer você se apaixonar.
Fala sobre amor, amizade, medos, escola e tudo aquilo que a gente passa quando se é adolescente.
Você vai aprender lições pra vida e ter uma ajuda pra entender o que está acontecendo. Cheio de frases fofas e fotos lindas da BRU, esse livro vai te fisgar de primeira.
comentários(0)comente



Franciele 28/08/2016

Cansativo
É um livro de contos e crônicas clichês e por vezes cansativos
comentários(0)comente



Mary 28/08/2016

Um livro com contos e crônicas sobre o cotidiano adolescente.
comentários(0)comente



Carol 26/08/2016

Apenas um blog
Eu achei interessante e quis comprar..mas me decepcionei ao ver que era apenas um blog em forma de livro...
comentários(0)comente



Domi Berthoux 31/07/2016

Bom, porém extremamente repetitivo
Eu recebi esse livro de presente da minha mãe logo após meu aniversário de quinze anos. Tive algumas expectativas assim que olhei a adorável capa do livro e descobri quem era Bruna Vieira ‒ diferentemente da maioria das leitoras desse livro, esses foram os primeiros textos da blogueira com os quais eu tive contato. Imaginei que o livro seria composto por contos narrativos que falassem sobre primeiras experiências, escola, bullying, drogas, responsabilidades, boas amizades, más amizades, a escolha da profissão e do curso universitário, as expectativas pro vestibular, família, festas de quinze anos, mudanças corporais (naturais ou não), viagens, romances, namoros e, por fim, as próprias experiências da Bruna ‒ como se mudar do interior de Minas Gerais para São Paulo para tentar realizar um sonho, viajar para a Europa, fazer tatuagens, se tornar uma pessoa influente na internet. Talvez cada conto tivesse sua própria narradora, pensei, já que aparentemente o livro se trata se “crônicas e contos” (pelo menos é o que está escrito na capa). Infelizmente, boa parte dessas expectativas foram frustradas.
A começar pela falta latente de versatilidade dos temas abordados no livro, o que não condiz em nada com uma fase tão turbulenta quanto a adolescência. Dos cinquenta e nove textos do livro, mais ou menos quarenta tem como tema principal o romance, e apenas o texto “Meu Primeiro Mês em São Paulo” não o cita. Mais da metade fala exclusivamente sobre namoros que deram errado ou namoros que deram certo. Três são sobre o porquê de ela escrever (contando com a introdução do livro), dois são sobre viver em São Paulo e menos de dez são sobre amadurecimento. Apenas um deles tem a amizade como tema principal. Alguns textos misturam temas, mas esses são poucos.
É quase desnecessário dizer que o fato de dos contos baterem sempre na mesma tecla me irritou profundamente. Esse é um dos maiores motivos pelos quais eu levei mais de um ano e meio para terminá-lo.
Além de priorizar totalmente um tema em detrimento dos outros, a coletânea tem um propósito confuso. Não é possível determinar se o livro se trata simplesmente de uma coletânea de textos que ela escreveu durante sua juventude, se também é uma espécie de autobiografia desconstruída (e a autora prefere falar de suas antigas paixões a falar de si mesma); ou se tem como propósito guiar jovens adolescentes. Há um quê autobiográfico porque o livro é extremamente pessoal, e são pouquíssimos os textos em que Bruna Vieira não é o narrador/eu lírico. Mesmo assim, a autora praticamente só fala sobre si quando o assunto é experiências românticas: resumo de seus primeiros trinta dias sem São Paulo foi espremido em um conto de míseras duas páginas e meia. E há um quê de guia porque os textos são subjetivos, como se houvesse a intenção de universalizar as situações descritas e fazer o leitor se identificar com elas. Além disso, alguns textos estão repletos de verbos imperativos, como se fossem conselhos de uma amiga. Ainda assim, nenhum dos dois aspectos foi dominante o suficiente para provar o objetivo do livro.
A inflexibilidade percebida nos temas abordados também ocorre com os gêneros utilizados. Mais de três quartos do livro têm um gênero textual difícil de classificar ‒ mas que certamente não lembram em nada um conto ou uma crônica. São algo entre o relato pessoal introspectivo e uma coletânea de “ensinamentos” de Bruna para as leitoras do livro. Apenas sete são efetivamente contos, sendo que cinco deles formam os últimos itens do sumário.
Há também um poema, que precede uma série de quatro folhas coloridas com fotos e microtextos da autora. As fotos têm um estilo espontâneo e um efeito gradiente multicolorido, que me agradou bastante. Entretanto o mesmo não pode se dizer dos textos e cobrem parcialmente as imagens. Não vi nada de especial neles, exceto pelo fato de serem mais curtos que os outros relatos presentes na coletânea.
Apesar das críticas, o livro possui vários pontos positivos: começando pela capa, que como já citei aqui, é uma gracinha. A questão estética do livro é extremamente bem planejada e executada, as fontes escolhidas e a paragrafação agradam aos olhos. E, embora alguns temas não sejam abordados com a profundidade que deveriam, os capítulos em geral tem o tamanho certo: entre uma e três páginas. Dá pra ler um pouquinho por dia.
Também percebe-se o talento da autora em se expressar com poucas palavras. Todos os textos são gostosos de ler a fáceis de entender. É inegável que a autora escreva bem; o problema é que as histórias são muito semelhantes entre si, e isso deixou o livro maçante.
Antes dos apelos finais, vou falar dos textos que pra mim foram mais significativos, a começar pelo final: o conto “Vértices de um amor”, que ocupa as últimas trinta páginas, se destacou bastante, ainda que alguns trechos tenham ficado apelativos, confusos ou inverossímeis. Entretanto, eu diria que o meu texto favorito é a crônica “Da janela do ônibus", por ser introspectivo e extremamente interessante.
Eu recomendaria esse livro para meninas de dez a catorze anos de idade, por representar a realidade de uma forma branda e agradável.
Hemy Gomes 21/08/2016minha estante
Quando tinha 12, comecei a ler e abandonei, achei muito chato e a "protagonista" fresca e sofredora à toa




Ariane 17/06/2016

RESENHA - DEPOIS DOS QUINZE
Esse não é um tipo de livro que eu costumo pegar para ler, contos e crônicas, porém já tinha ele na estante a algum tempo e li para uma maratona que participei. E posso dizer que valeu a pena.
Eu tenho uma teoria de que o livro vai nos tocar mais, ou menos, dependendo do momento sentimental em que estamos. E vai tocar de diferentes maneiras em cada pessoa.
E esse livro tocou muito em mim, gostei de cada palavra dele, de cada crônica.
Bruna escreve muito bem, com sentimentos. Cada crônica que acabava, me via querendo mais um pouquinho dela.
E no final ainda tem um conto muito lindo.
Esse livro é para quem gosta desse estilo e para quem não gosta tbem. Rs

VEJA A RESENHA COMPLETA NO BLOG

site: http://arianeeleuterio.blogspot.com.br/2016/06/livros-depois-dos-quinze-e-menina-que.html
Ester.Pereira 05/10/2016minha estante
Concordo! Depende muito do momento sentimental em que estamos... Me tocou de muitas formas... Já li e reli várias vezes, muito bom!!





Monica 12/06/2016

RESENHA: DEPOIS DOS QUINZE
Esse é o primeiro livro da Bruna Vieira. É um livro recheado de crônicas e textos. Leitura agradável e fácil.

Meu ponto de Vista: Esse livro é maravilhoso! Eu simplesmente amei! Um livro ótimo para quem gosta de crônicas e textos. Ele se tornou um dos meus favoritos e já li 2 vezes.
Ester.Pereira 05/10/2016minha estante
Também já li mais de uma vez... haha




Bia_Jesus 19/03/2016

c:
Que livro mais fofooooo haha
adorei!
comentários(0)comente



Hemy Gomes 20/02/2016

Péssimo, mas Bruna tem potencial.
Em Depois dos Quinze você encontra “histórias, desabafos e segredos de uma garota que nasceu no interior, ama animais, usa boinas coloridas e ainda acredita no amor simples e verdadeiro.”. Eu substituiria essa descrição por “histórias de uma garota chata, sem sal e que só sabe sofrer por amor”, porque 90% do livro é isso e os outros 10% são poemas com frases bonitinhas que podem virar status no Whatsapp.
Eu comprei esse livro porque eu imaginava que era ficção (no estilo Fazendo Meu Filme ou Minha Vida Fora de Série) e a sinopse me atraiu. Acho que me decepcionei porque as expectativas eram muito altas (vi muita gente falar bem e a capa era bem fofa), mas eu já sabia do potencial da Bruna quando li Um Ano Inesquecível, e ela inventa histórias melhor do que conta. Também posso ter me decepcionado porque não me identifico com esse tipo de personalidade (inclusive, minha amiga leu e disse que se identificou muito).

Resumindo, achei péssimo (nem consegui terminar) e acho que a Bruna devia continuar escrevendo ficção. Não recomendo.

Nota 1 de 5
Não recomendo, a menos que você sofra pelo crush e se identifique com esse tipo de garota.

Nota 1 de 5
comentários(0)comente



109 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |