Always to Remember

Always to Remember Lorraine Heath
Lorraine Heath




Resenhas - Always to Remember


16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Lizzy 30/01/2013

"Dentro das sombras da honra, a coragem muitas vezes caminha em silêncio"
Que livro lindo, inspirador, reflexivo. A capa simplória em nada representa a grandeza desse conto de amor, que fala sobre o verdadeiro significado da honra e da coragem. Não é um livro água com açúcar, não é um melodrama qualquer, é uma história profundamente humana, sobre as escolhas que fazemos na vida, as suas consequências, e a força necessária para suportar o peso de lutar pelo que acreditamos. Clayton Hallond, é o herói da história. E não se trata de um herói que se impõe pela força bruta, por representar o estereótipo do macho alfa, tão comum nos romances. Ele é um homem que luta por suas convicções e prova que coragem não é violência, nem força e nem orgulho. Ele é um jovem que desertou em plena Guerra Civil americana. Ele foi brutalmente torturado por isso, mesmo assim, em silêncio, ele volta para casa, para cuidar dos irmãos gêmeos Josh e Joe (crianças adoráveis) ao lado de Lucian. No entanto, ele é desprezado, ignorado, taxado de "o covarde de Cedar Grove". Ah, que repugnante, como a intolerância me causa asco...me senti enojada com as atitudes das pessoas para com Clay e sua família. Até mesmo Meg, a esposa de Kirk, um dos jovens da cidade que morreram na Guerra, repudiava Clay, a sua vida era um insulto, quando tantos haviam morrido “lutando”. Ela queria vê-lo derrotado, e por isso, secretamente, encomenda um monumento aos mortos...o contato constante, a convivência com o Clay e os irmãos, aos poucos, mostra para ela a realidade das coisas e o amor cresce entre eles. Ela plantou a semente da retribuição, mas os frutos da vingança em nada se pareciam com o que ela esperava. Há muito o que enfrentar, muitas barreiras precisam ser derrubadas, Clay necessita ter seu verdadeiro valor reconhecido e também havia muito a ser revelado. Clay é um escultor talentoso, ele faz coisas incríveis, um personagem tão especial que dá vontade de aconchegá-lo e amá-lo nos momentos que ele não tinha ninguém. O desfecho da história é emocionante. Segurem os lenços. Lindíssimo.
Lelinha 30/01/2013minha estante
Parece ser uma estória lindíssima...


Lizzy 30/01/2013minha estante
Oi Lelinha, sim dúvida é linda mesmo. Esse livro tem uma cotação altíssima nos sites especializados. Bjs


Gisele Melo 17/07/2013minha estante
Ai meu coração, Meus Deus do Céu!


Lizzy 17/07/2013minha estante
Gi, já enviei o arquivo, é tão emotivo quanto um livrinho da Lavyrle Spencer. bjs


Tess 08/09/2013minha estante
Falou tudo Lizzy, o livro eh liiiindoooo!!!! O contexto me lembrou um pouco de Les Miserables, pois Clay eh um heroi que ninguem enxerga devido a apenas acreditar no que querem, assim como o Jean Valjean *-*


Lizzy 08/09/2013minha estante
Oi Tess, é verdade! Eu percebi que essa autora costuma utilizar o contexto de livros famosos para conferir um toque todo especial. Bjs


Rubia 27/02/2017minha estante
Vou começar amiga..vamos ver o que me aguarda..




Evy 08/06/2015

O que é coragem?
Se fosse perguntado a mim isso a 5 dias atrás eu responderia que coragem é quando uma pessoa tem garra para enfrentar o que normalmente a maioria das pessoas não enfrentariam; e ao dizer isso viria em minha mente vários pensamentos sobre a bravura de homens, e eu sei que esses pensamentos teriam como base homens em um cenário onde todos devem ser corajosos: a guerra.

Mas hoje, depois de ter lido Always to Remember, a coragem para mim se define com uma única palavra: Clay.

Clay é apelido de Clayton e quando eu vi esse nome na sinopse já pressenti que viria coisa boa no livro, afinal além de amar esse nome, esse nome é sinônimo de sorte para mim. Até hoje de todos os livros que li com um Clayton como personagem, nenhum me decepcionou.

E esse além de não ter me decepcionado, conseguiu um lugar imenso no meu coração, ou seja, um favorito.

A história se passa em uma cidadezinha chamada Cedar Grove depois do fim da Guerra Civil, essa cidade foi marcada pela dor da perda de 22 homens em meio a guerra. Desses 22 homens 1 foi marido de Meg Warner e 3 foram seus irmãos, ou seja, 4 homens perdidos em sua vida. Meg e a cidade toda juntos odeiam uma pessoa: Clay. Por quê? Porque ele não lutou na guerra. Agora me diga, isso faz mesmo de Clay um covarde?

5 dias atrás eu diria sem hesitação que sim. Hoje? Eu digo que não.

Clay representa aquelas raras pessoas que quando se tem uma crença em algo, não desiste dessa crença ou a contorna porque a sociedade assim o pede, ele representa o significado de persistir em determinada coisa porque sua consciência te pede isso, mesmo que todos os outros ao seu redor digam que você está errado. E para mim foi esse fato que o fez corajoso aos meus olhos, não o que ele sofreu na mão da Confederação e sim como ele nunca se desviou daquilo que ele acreditava mesmo que sua crença tenha trazido o ódio daqueles que um dia foram seus amigos, pessoas que também tinham afeto por ele.

E qual era a sua crença? A sua crença é algo tão simples que passa pelos ensinamentos da maioria dos seres humanos na vida e a maioria não cumpre. Ele não queria matar outro ser humano e com isso defender uma Confederação que lutava por escravidão e a separação de um estado do resto do país. Simples não é? Pena que as pessoas não achavam.

Meg queria que Clay sentisse dor, que ele enfrentasse sua "covardia", então teve a ideia de pedir a ele que fizesse um monumento homenageando seus "heróis" de guerra, porém ela foi surpreendida pela vida e por Clay que a fez questionar se o seu ódio era realmente certo e com isso finalmente abriu as portas para o amor entre os dois.

Destaque também para Mama Warner (todo mundo gostaria de envelhecer com o seu tipo de sabedoria); para Joe e Josh (os gêmeos mais adoráveis que mais apoiaram Clay quando ele pensou que só poderia existir ódio para ele); para Lucian (que enfrentou o ódio que sentia por seu irmão como sendo um ódio por si mesmo); e finalmente, para o Dr. Martin (o único cidadão da cidade que enxergou primeiramente, que Clay não era um covarde).

A forma como a história foi desenvolvida eu cheguei no final querendo mais, muito mais... Sendo que aí eu percebi que mesmo se essa história se estendesse por várias e várias páginas eu sempre iria querer mais e nunca seria o suficiente.

Muito obrigada Lorraine por fazer uma obra tão excepcional, minha mente, olhos e coração estão extremamente satisfeitos.
Lizzy 08/06/2015minha estante
Que linda resenha. Esse livro é muito especial. =D


Evy 08/06/2015minha estante
Obrigada *-*. Pois é, depois desse virei fã da Lorraine.


Lizzy 08/06/2015minha estante
Recomendo este aqui: http://www.skoob.com.br/sweet-lullaby-151014ed168410.html O herói lembra muito o Clay. O livro é lindíssimo. Sou super fã. A trilogia Texas também é maravilhosa. Bjs


Evy 08/06/2015minha estante
Vou colocar na minha lista sabe, pelo visto mais um bom livro pela frente! Eu li Texas Destiny e Texas Splendor, adorei os dois só falta eu ler Texas Glory.


Leila 06/01/2016minha estante
Resenha maravilhosa Evy.
Estou terminando o livro e apaixonada. Pretendo evitar os demais livros da autora.




Rubia 05/03/2017

Uma lição de amor e perdão!!
A tempos que estava com esse livro para ler, mas acho que não tinha chegado o momento, o que posso dizer agora? Deveria ter lido antes..Um livro encantador, que me deixou pensando como as vezes julgamos as pessoas sem saber o real motivos de elas serem de determinada maneira..Nesse livro o mocinho que se chama Clay, enfrenta o desprezo de uma cidade inteira até mesmo de alguns de sua família por ter se recusado a lutar na guerra.Era conhecido como o covarde da cidade..A revolta do povo foi intensa pois todos os que foram para a guerra não voltaram vivos, por isso todos queriam até mesmo matar ele por conta de sua suposta covardia..Meg viúva de um desses homens que foi para a guerra resolve dar uma lição de moral em Clay encomenda um memorial de pedra com o nome de todos os que morreram...e para isso ela se certifica vindo todo dia ver como esta o tal memorial a fim de ver a humilhação de Clay. Mas Clay é quem dá uma lição a ela, de humildade, amor, gentiliza e sabedoria..Simplesmente lindo..super indico esse livro a todos!!
Pati 05/03/2017minha estante
Lindo não!??


Pati 05/03/2017minha estante
Lindo, né!? Se apaixonou pelo Clay? rsrsrs


Rubia 06/03/2017minha estante
menina...o Clay foi dos mocinhos mais lindos que já li..que coração né..não tem como não se apaixonar.


Lisa.Vieira 09/07/2017minha estante
Eu amei.
É o livro mais lindo que já li!


Rubia 11/07/2017minha estante
muito mesmo...me apaixonei,,mas a trilogia texas é maravilhosa...essa autora é incrivel.


Lisa.Vieira 12/07/2017minha estante
Lerei a trilogia em breve Ru.
Estou bem curiosa... Amei demais a escrita da Lorraine.


Rubia 12/07/2017minha estante
só digo uma coisa vc vai pirar quando ler...que livros mais maravilhosos..




Mariana 10/09/2016

Que livro é esse, minha gente?! Sem palavras e ainda de ressaca por conta dessa história maravilhosa.
Começamos a conhecer o Clay, no dia da sua execução como desertor de guerra. Ele se recusa a pegar em um rifle e matar outro ser humano e por isso está disposto a morrer. Algo acontece e ele não é executado.
O tempo passa e somos levados de volta a cidade dele, pós guerra. Conhecemos a Meg, uma jovem viúva que além do marido, tbm perdeu os irmãos. A cidade inteira perdeu algum filho, esposo, pai ou amigo na guerra. Esse fato faz inflamar o mais profundo ódio pelo Clay, que é visto como covarde. Ele não é digno de viver, já que não teve honra pra lutar ao lado de seus amigos da cidade.
Então a Meg tem uma ideia: exigir que o Clay construa um monumento para os bravos soldados da cidade e durante esse tempo ele veja tal punição como um momento pra refletir e se confessar como covarde diante da cidade inteira.
Minha nossa que lição que o Clay dá. Fiquei escandalizada com o ódio e desprezo arraigado das pessoas diante da escolha do Clay, por não lutar. Ele sofre ( e nos leva junto) mto pelas consequências de defender aquilo que acredita. Nesse meio tempo, de construir o monumento, a Meg vai convivendo com ele é vendo todas as suas defesas e seu ódio perdendo força, cada dia mais.
De quebra ainda tem os irmãos gêmeos do Clay que vira e mexe tem umas tiradas, que te fazem refletir.
A história é arrebatadora!!! Tem 5 estrelas sim, foi para os favoritos sim... e é um dos melhores do ano até agora.?
comentários(0)comente



Lisa.Vieira 09/07/2017

O LIVRO MAIS LINDO DE TODOS!
Amores, esse livro tocou minha alma e coração.
Eu não havia lido nada da Lorraine Heath até agora, e com certeza essa experiência valeu pra que eu queira devorar tudo que ela publicou!

Nessa história, Clayton é um homem do bem, altruísta, honrado e que só quer viver sua vida dentro das suas crenças.
Ele não se alista na guerra pois não compartilha dos ideais separatistas entre Sul e Norte.


***A Guerra de Secessão (Guerra Civil) foi um conflito militar que ocorreu nos Estados Unidos, entre os anos de 1861 e 1865. De um lado ficaram os estados do sul (Confederados) contra os estados do norte (União).***

Essa decisão acaba colocando ele no hall dos covardes da cidade de Cedar Grove. As pessoas não aceitam que todos os outros homens em idade para a guerra se aliste e parta para os campos de batalha, e Clayton se recuse a ir.
Ele é levado pelo exército e preso. Ele sofre com a tortura e a desumanidade com que é tratado e quando a guerra termina ele é libertado e resolve voltar para sua cidade. É aí que ele começa a sofrer ainda mais...
As pessoas não tem noção do quanto ele sofreu. Elas acham que somente os que levantaram armas e morreram nos campos são os que merecem admiração e respeito. E então eles crucificam um homem inocente.
Dói muito ver o desprezo com que ele é tratado. E os irmãos dele também acabam sofrendo parte dessa injustiça.

Meg, uma viúva de um dos soldados e irmã de outros 3 que morreram durante um confronto, acha um absurdo e falta de respeito Clay voltar a Cedar Grove e conviver entre eles. Ela arquiteta um plano para executar sua vingança e destilar seu ódio e o dos habitantes da cidade.
Meg encomenda para Clay um memorial em Pedra, já que ele é escultor, onde ele terá que homenagear todos os homens que partiram e não voltaram. Ele acaba concordando e Meg passa a ir diarimente à sua propriedade para ver ele trabalhar e com a intenção de ver o sofrimento dele ao esculpir a obra.
O que Meg não esperava era ver a dedicação de Clay e muito menos descobrir seu espírito gentil. Ela começa a perceber coisas que ele guarda pra si mesmo. Ela passa a observar a relação dele com os irmãos gêmeos e o quanto eles o admiram e respeitam, e o quão dedicado ele é para com a família.
Esses gêmeos são a cereja do bolo. É lindo demais ver o quanto são leais ao irmão.
Meg acaba sendo desarmada pelas atitudes altruístas de Clay e mesmo querendo odiá-lo seu coração não consegue mais guardar mágoa. Ela percebe que só há espaço para o amor!
É muito lindo esse livro. Eu sofri com cada ato ignorante e cruel contra o Clay. Meu coração se partiu em milhões de caquinhos! Mas é espetacular ver a virada da trama, quando todos descobrem o quanto esse homem é digno de amor e respeito.
As pessoas entendem que não é preciso ter uma arma em mãos para lutar. Que existe muitas formas de padecer numa guerra. Que sofrimento vai além de marcas na carne... Que o espírito também pode se ferir. O coração pode ser atingido com palavras e ações, para o bem e para o mal.

Meg e Clay se entregam ao amor. Eles deixam de lado todo o passado e olham para o futuro. Eles costroem uma vida juntos e nela só há espaço para o amor.

Eu recomendo muito esse livro.
Ele é sensacional.
comentários(0)comente



Dani A. 22/01/2016

4,5 estrelas.
Emocionante

Nossa,o Clayton entrou para o meu rol de mocinhos perfeitos,com todo o mérito possível.Ele me fez chorar muito ao ler esse livro,com sua pureza,caráter,culpas e sofrimentos. Um personagem dotado de uma beleza interna surpreendente,amei ele ❤

No começo do livro fiquei com muita raiva da mocinha Meg,que assim como toda a população da cidade onde Clayton morava,nutria um sentimento descabido e cruel de ódio e vingança contra o mocinho,por ele não ter lutado na Guerra,em que morreu todos os familiares das pessoas que o menosprezavam,ou seja,o julgavam por não ter morrido com dignidade como os outros. Affs,uma hipocrisia imensa contra o Clayton,fizeram a vida dele um inferno depois deste fato,sem nem mesmo concederem a oportunidade dele se defender ou explicar. Tadinho :'(

E como plano de vingança,a mocinha Meg,que perdeu seu marido e irmãos na guerra,se aproxima do Clayton. Só que durante o tempo que eles passam juntos,ela vai descobrindo mais do caráter dele,e se questiona sobre se sua raiva sobre ele é mesmo válida.

O romance vai se desenvolvendo aos poucos,e o surgimento de sentimentos e atração sexual entre eles é descrito de forma muito bonita e singela.

Destaque para os irmãos gêmeos do mocinho kkkk uma fofuraaa as crianças...sempre deixando escapar umas verdades,lindinhos. Eu também achava lindo quando eles falavam algo para a mocinha que o Clayton tinha falado para eles,quanto á respeitar as mulheres e tudo mais ownn é impossível não se apaixonar pelo Clayton *--*
Amy 22/01/2016minha estante
Ahh me incentivou a ler :D


Zana 22/01/2016minha estante
Mocinhos gentleman são os melhores, esse Clayton parece dos bons Dani


Alessandra 22/01/2016minha estante
Amei esse livro!!!


Bla Bla Bla da Lis 23/01/2016minha estante
o livro parecer ser tão bom, que deu vontande de ler.


Dani A. 23/01/2016minha estante
Esse mocinho é dos melhores viu...foge dos libertinos experientes que estamos acostumados á ver em romances históricos...ele é de uma inocência e pureza de coração singular,só lendo para entender.

Só não foi para os meus favoritos por que achei que faltou um algo a mais,em alguma parte do livro...não sei explicar direito. Mas enfim,o livro é uma leitura bem agradável :)
Bjs


Menina com Livros 24/01/2016minha estante
Mocinho bonzinho, crianças peraltas e mocinha vingativa... Hummm... Parece um boa receita para um bom livro. Depois desta resenha, tenho que colocar na lista!


Dani A. 24/01/2016minha estante
Eu gostei bastante Nelly... bem lindinho o livro! Os gêmeos são umas fofuras *--*
Bjs


Louise 13/05/2017minha estante
Dani, vc leu todos os livros dela em inglês?


Dani A. 17/08/2017minha estante
Oi Louise, só vi sua msg agora...Não, em inglês não...se vc ainda se interessar, me manda msg em inbox. Bjs




Estante da Rai 04/02/2017

MA-RA-VI-LHO-SO
Gente, que obra prima! Sério! A história é tão linda que terminei o livro há alguns dias e não consigo parar de pensar nele.
Um romance de época diferente do que estou acostumada, se passa nos Estados Unidos, do meio do nada, sem bailes, sem títulos de nobreza, sem os campos do interior da Inglaterra. Mas pensa que senti falta? De jeito nenhum!

Essa é uma história forte, fala não somente de romance, mas fala dos ideais de um povo, do sentido de família e da vida numa comunidade.

O Clay é um sonho de homem, não só no sentido romântico, mas também como ser humano. Ele é íntegro, digno, honesto, sensível e muito doce.
Da Meg, a princípio não gostei muito, ela é bem intransigente, mas consegui entedê-la e a sua dor. O crescimento dela no decorrer da história é lindo de se ver.

Lorraine Heath está de parabéns!
Alô editoras, publiquem esse livro aqui no Brasil, por favor!!!
comentários(0)comente



Aline 03/02/2018

Quase Perfeito
A história é linda, Clay é o personagem mais perfeito que já li na vida.

Não sei porque este livro não foi lançado aqui no Brasil, é uma história linda sobre amor, ódio, perdão e coragem.

Sem duvidas, melhor livro que li este ano, só não vai entrar na minha lista de favoritos porque achei o final meio corrido e fantasiado, mas isso não tira em nada a beleza dessa estória.

Super recomendo!
comentários(0)comente



Dayane 20/03/2018

Você lutaria pelo que você ama, ainda que te deixassem nu e sem dormir por dias?
Meus Jesus, da Glória! Estou sem palavras, para ser eloquente sobre essa história tão intensa. Então, se eu parecer incoerente, me perdoem.
Depois de várias e várias leituras no mínimo esquecíveis, andei até relendo alguns favoritos para me lembrar o que é realmente tombar diante de um livrão. Até que comecei esse aqui.
Do enredo muito bem construído, até à construção de personagens completamente verossímeis e apaixonantes, o livro é impecável.
O protagonista é um homem forte, íntegro, misterioso, tudo na medida certa para ser um príncipe encantado. A autora ainda nos presenteia com a originalidade de fugir
Dos clichês que parecem tomar conta da literatura romântica atual. Obrigada Lorraine, por criar um herói romântico que não precisa ser bilionário para ser interessante, não
Precisa ser galinha para ser apaixonante e nem precisa avisar que o pau dele está duro a cada duas páginas, para vermos que ele é viril. Isso meus amores é saber escrever e construir personagens.
Sobre Meg, seu par, a autora nos brinda com uma anti-heroína, uma mulher simplória, sem muita empatia, do tipo que só vê preto e branco, e que precisa tomar seu tempo para perceber as nuances de cinza. Alguém que aprendemos a tolerar, depois a gostar até finalmente torcer por ela.
Aqui, neste livro, falamos de coragem, a mais difícil de todas, aquela ensinada por Cristo, defender sua crença sem medo. Estar disposto a morrer pelo seu próximo, mas nunca aceitar matar em nome dele. Isso causou ao Clayton, nosso herói, infinitas dores, no corpo e na alma, e ainda assim não matou seu espírito sereno, amoroso e tenaz.
Esse livro fala sobre dignidade. Ser digno, quando te despojaram de tudo e ainda assim entender, que valeu a pena.

Quote:
?Consciência é quando sua mente faz uma reunião com seu coração e elas chegam a um entendimento, uma decisão?
comentários(0)comente



LucianaSimoes 25/11/2016

Acabaram minhas lágrimas ?
Que livro lindo!!!!!!! Impressionada ... já quero ler todos os livros dessa escritora!
Eu não tenho nem palavras pra descrevê-lo!
comentários(0)comente



Alessandra 09/09/2019

Arrebatador !! Clay e Meg vão roubar seu coração !!
"Dentro das sombras da honra, a coragem muitas vezes caminha em silêncio"
Lorraine sempre Lorraine, e os livros individuais dela são ainda melhores. Aqui temos a história de Clay, um homem honrado e fiel as suas convicções que não deveria lutar na guerra das Confederações, ele daria a vida por qualquer pessoa, mas não tiraria a vida das pessoas em uma guerra. Do outro lado temos Meg, uma mocinha linda e guerreira que junto com uma cidade inteira dá as costas para Clay quando ele retorna da prisão, todos acreditam que ele é um covarde por ter se recusado a lutar na guerra. Com esse ódio Meg planeja uma vingança contra ele, só que vale aquele ditado 'o feitiço vira contra o feiticeiro"e Meg consegue ver o verdadeiro homem que Clay é.
Pode chorar produção ? Estou ainda arrebatada por esta narrativa linda da Lorraine, chorei litros com toda a história, a luta de um homem para mostrar que não é covarde para toda uma cidade cega pelo ódio e vingança, que agride ele e sua família, não só com gestos e palavras, mas com a privação de comida e sobrevivência (esta parte foi a que mais me tocou). Este livro tem muita mais história que romance e consegue ser apaixonante. Me apaixonei perdidamente por Clay e Meg, Lorraine amarra toda a história, o texto flui, é leve e com um final emocionante. Destaque para Mama Warner (que mulher incrível), para o Dr. Martin, e em especial os irmãos do Clay: os gêmeos Joe e John e a linda caminhada de Lucien para encontrar seu verdadeiro irmão !!
comentários(0)comente



Adrya Ribeiro 03/09/2017

Uau, que livro.
Peguei esse livro por indicação de alguém, e não me arrependo.
Que história sofrida, mas linda. Cheia de superação, enfrentar seus preconceitos e julgamentos.
Em vários momentos queria entrar na história e abraçar o Clay, diante de todos os problemas que ele enfrentou no passado e ainda sofria no presente. O ódio tão enraizado das pessoas, só porque ele não acredita na mesma coisa que elas é um aspecto tão parecido com o que se vive, a intolerância, que me fez pensar em algumas situações que já vi na vida. Gostei como o amor foi trabalhado, a Meg foi aprendendo sobre ele, o conhecendo, mesmo que ela tenha ido com "ódio nos olhos" no começo, ela foi vendo o que a intolerância e os julgamentos fizeram com o Clayton.
Eu ia tirar 0,5 pelo final utópico, mas o livro foi tão lindo que eu não poderia fazer isso.
Uma menção honrosa pelos Gêmeos, Josh e Joe que abrilhantaram mais ainda o livro.
comentários(0)comente



Caro 10/07/2017

Quando comecei a ler esse livro, não sabia que seria tão encantador, doloroso, sofrido e maravilhoso!

Clay foi convocado a lutar na guerra e recusou. Foi dado como desertor. Foi humilhado, torturado, machucado, mas jamais desistiu de lutar pelo o que acreditava. Na cidade, era conhecido como o covarde. Ninguém mais se dirigia a ele de forma séria, a não ser seus dois irmãos gêmeos, o médico da cidade e Mama Warner.

Meg perdeu muito na guerra: seus irmãos e seu marido. Por isso não se conforma de Clay ainda estar na cidade. Pensando em seu ódio e rancor pelo Clay, decide que exigirá que ele construa um monumento em homenagem aos soldados que foram mortos. E durante todo o processo, sentaria e veria como Clay se humilharia diante do monumento.

Nossa, não sei nem dizer o que achei desse livro. Não consigo explicar! Não consigo por em palavras tudo o que senti! Doeu, eu chorei, ri, chorei mais um pouco, solucei, amei! Não esperava nada desse livro, foi tão surpreendente para mim!

Clay com certeza é o homem mais íntegro e corajoso. A cada palavra dita e a cada gesto dele, ficava um pouco mais encantada!

Meg por outro lado estava cega de ódio e de rancor. Mas Clay era tão altruísta e sincero que todos os dias o gelo do coração da Meg se dissolvia um pouco mais... já disse que é mágico?

Esse livro foi diferente de tudo que já li! Não sei se releria porque chorei demais... a cada cinco páginas, parava e respirava. Não sei mesmo o que aconteceu comigo. Porém vou guardar para sempre os ensinamentos de Clay em meu coração!

"A única diferença entre nós era que seu marido estava disposto a matar por aquilo em que acreditava. Eu não estava."
Dani A. 10/07/2017minha estante
O Clay, um dos melhores protagonistas masculinos EVER!!
Altruísta e sincero, realmente ótimos termos para definir ele S2


Renata 10/07/2017minha estante
Esse livro me fez chorar! Lindo demais!!!




Celina 02/03/2019

O diario de um pacifista.
Profundo e reflexivo, esse romance nos mostra até onde uma pessoa é capaz de ir para defender suas convicções. Ele nos mostra a solidão da alma que faz a escolha pelo diferente, por aquilo que a sociedade onde vive não acredita.
Um romance comovente, emotivo, intenso a sua maneira.
Muito bonito!
Para ser lido com a caixinha de lenços a mão!
Fran 02/03/2019minha estante
Um dos meus livros favoritos da vida! S2


Celina 02/03/2019minha estante
Muito bonito, Fran! Emocionante!


Fabiana.Martino 06/03/2019minha estante
Bota na lista o Presente de Despedida dela. Aí vc vai ver o q é chorar...


Fabiana.Martino 06/03/2019minha estante
Em inglês: Parting Gifts


Celina 06/03/2019minha estante
Opa! Anotado Fabi!




Luciana 24/11/2016

Que livro meu Deus!
Eu já vi vários livros, vários mesmo! Mas meu Deus .... que livro!
Já chorei no primeiro capitulo, imagina nos demais!!!!
Gostaria de escrever uma linda resenha sobre o Clay, mas meus olhos não deixam por estarem embaçados!
Leiam .... quem ama um bom livro não pode deixar de ler!

Mais uma vez repito: Que livro!
comentários(0)comente



16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2