Desastre Iminente

Desastre Iminente Jamie McGuire




Resenhas - Desastre Iminente


333 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Tícia 22/09/2013

Resenha publicada originalmente em http://www.sempreromantica.com.br/2013/04/walking-disaster-jamie-mcguire.html
Walking Disaster...
Por onde eu começo?
Por Belo desastre, claro.
Você pode até não ter lido, mas certamente já ouviu alguém comentar ou leu em algum lugar sobre a história de Travis Maddox e Abby.
Ele - o bad boy/pegador/lutador de UFC paraguaio.
Ela - a garota certinha, comedida e cheia de segredos.

Os dois se conhecem na faculdade e, nesse meio adepto à filosofia do pegar geral e beber até o coma, Abby consegue o improvável: conquista o muchacho mais cobiçado, Travis.
A partir daí, temos um romance conturbado, cheio de idas e vindas com direito a loucuras do mocinho e acertos e desacertos da mocinha.
Resumindo em poucas palavras, posso dizer que minha leitura de Belo desastre foi marcada por sentimentos contraditórios porque adorei algumas partes enquanto outras, detestei. Detestei mesmo.

Mas eis que surge Walking Disaster, sob a ótica de Travis.
Se você já gostava desse tatuadão antes, prepare-se: você pode se apaixonar ainda mais.

A história sob o ponto de vista dele é muito interessante porque suas atitudes e seu comportamento bipolar são explicados e, com isso, entendemos melhor tanta instabilidade emocional e ações descabidas.
É óbvio que quebrar uma casa porque foi abandonado ou sair sovando todo cara que olhar pra namorada continua sendo coisa de gente doida, mas é impossível não criar empatia por Travis.

E não poderia deixar de dizer que quando eu soube que sairia essa versão, meu maior medo era o de ler a mesmíssima história, ou seja, mesmas cenas, mesmos diálogos e conflitos, com uma leve maquiagem pra enganar desavisados.
O início foi assim, não vou negar. Achei bem parecido, e quase desisti. Porém, na medida em que a trama desenvolvia, deu pra sentir diferença. Não só porque temos outra visão, mas porque muitas cenas são inéditas.

Aliás, fiquei impressionada como desapareceram em Walking Disaster a maioria das coisas que me incomodaram na versão Abby.
O tal do triângulo amoroso - que eu aprecio tanto quanto um piriri crônico por exemplo, não foi tão explorado. Até os pitis da América foram mais brandos, acredita? E, mesmo correndo o risco de ser esculhambada geral, é muuuuito melhor estar na cabeça de Travis do que na de Abby.

Implicância? Sei lá. Já me falaram que quando pego birra sou pior do que mula empacada.
De qualquer forma, não simpatizei com algumas ações inconstantes e alguns pensamentos da mocinha e estar livre de tudo isso foi catártico pra mim.
Mais um ponto para Walking Disaster.

Bem, não dá pra falar muito mais porque a história já é conhecida.
E acredito que, exatamente por isso, muitos podem desistir de ler. Já vi gente que gostou, gente que amou e gente que detestou porque não viu lá tanta diferença.
Eu gostei muito.
Tanto que até favoritei o livro no Skoob!

Recomendo?
Ôxi! Com Abby e tudo!

; )
shirley 03/10/2013minha estante
Acabei de ler! É simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO!!!!!!!!Arrisco a dizer até que é melhor que o primeiro livro, "entrar" na cabeça do Travis foi simplesmente o máximo!!!!!!!


Tícia 05/10/2013minha estante
Oi Cam,
ah! gostei beeeeeem mais de Desastre iminente do que Belo desastre. Entrar na cabeça de Travis (por incrível que pareça) foi muito melhor.
rsrsrsrs
bjooooooooo


Cristiane 14/10/2013minha estante
O desastre Iminente foi bem melhor do que Belo Desastre.Amo Travis Maddox


Tícia 15/10/2013minha estante
Não é, Cris?
Beeeeem melhor. ; )
bjooooooo


Flaveth 17/11/2013minha estante
AMIGAAAAAAAAAAA

32 LIKESSSSSSSSSSS QUE EH ISSO:????? PReciso le=lo!!!! kkkkk bjo


Fran 09/12/2013minha estante
Ja tem uma sequencia em portugues depois de Belo Desastre e Desastre Iminente ? #please


Tícia 10/12/2013minha estante
Oi Fran,
ainda não tem nada em português. A única coisa que fiquei sabendo é que ela vai publicar nesse mês um livro pequeno contando a lua de mel do Travis e da Abby. E as outras histórias (ainda não lançadas) serão sobre os irmãos dele.
Espero ter ajudado.

bjooooo


Camila 11/03/2014minha estante
Fui comprar Belo Desastre no último sábado e quase comprei o Desastre Iminente junto.. Quando vi que o livro 2 era apenas o ponto de vista de outro personagem, no caso do Travis, eu decidi só levar o primeiro livro, pois estava com medo de não gostar e gastar dinheiro a toa com o 2. Bom, obviamente me arrependi de ter feito isso kkkk Sua resenha, Tícia, só me atiçou mais!!! Realmente, a visão do Travis parece ser muito mais interessante ! Beijos, fique com Deus!


Tícia 11/03/2014minha estante
Oi Camila,
com certeza a visão do Travis é bem melhor. Provavelmente pq não fui com a cara da Abby. kkkkkkkkk

bjoooooooo


Lia 25/11/2016minha estante
Com essa tua resenha fantástica Tícia, juro que me animei a prosseguir a leitura. Valeu! Sou tua fã.


Cams 06/01/2018minha estante
Nem li, mas super concordo com você, odiei aquele triângulo amoroso insuportável, e creio que os pitis da America ficaram brandos pelo fato do Travis não escutar tanto ela, todo aqueles pitis ficaram irritantes, menos aquele que ela xinga a Abby e fala na cara dela sobre os sentimentos do Travis.


Katy.Bush 02/04/2018minha estante
Acho que vou ficar suspirando pelo Travis Maddox




Carol- Books and Tea 25/06/2013

Fan-girling a gente vê por aqui
Desastre Iminente
Belo Desastre #2- Jamie McGuire

Como vocês já viram no título, esta resenha em especial, tem muito fan girling, então, caso você leitor, assim como eu não ficou eufórico com este livro, ou até mesmo com Belo Desastre, bem, você vai presenciar muito sentimento transcrito dessa leitura maravilhosa!

Belo Desastre, ao ser lançado, tornou-se uma febre rapidamente, seja pela qualidade da escrita, pelos personagens, ou claro e obviamente, por vim com um gênero que até então era novidade, o "new adult", hoje, claro, ele não é novidade alguma, e vira uma ou outra resenha, é comentado o gênero. Desde então, vai-e-vem são lançados livros, buscando o mesmo feito de BD, mas sabe quando todas histórias se tornam iguais, sem nada novo? Então, essas acabaram ficando assim. Seja pela nossa acomodação de leitor sob o gênero, ou por eles serem sempre o mesmo. Mas ok, confesso, eu adoro livros assim.

Agora, bem, preparem-se meu fan girling está para começar...
DEUS DE TODOS OS LEITORES, que prólogo foi aquele? Emocionante, e sim, me fez chorar com a promessa feita por Trav no leito de morte de sua mãe, e sim! A partir dai, muitas coisas se encaixaram, seja o apelido de Abby, seja a personalidade de Trav, e seja a sua mania de falar palavrões a todo o tempo, está feliz, um palavrão, está triste um palavrão, está dormindo, ops palavrão. Sim gente, no sonho ele fala palavrão. Mas, nada, absolutamente NADA afeta nosso carinho pelo Travis, é ou não? Posso dizer com toda a certeza, Walking Disaster é ainda mais extasiante e cativante que BD.

Sim, todos nós, absolutamente, todos nós que lemos seu anterior, e ao vermos que seria lançado o mesmo livro, pensamos que realmente, seria o mesmo livro, apenas pelo poNto de vista de Travis, certo? NÃO, SUPER ERRADO!

HOLY COW!

QUE FINAL FOI AQUELE?

Não vou dar spoiler, não adianta.

Ok, hm, uh, Carol, recomponha-se menina, e continue sua resenha.

Muitas coisas que foram "finalizadas" em BD, com aqueles gostinho de quero MUITO mais, desse casal desastroso-sem trocadilhos- Foi mais que bem definida, revelada e sim, devidamente finalizadas pela visão de Trav. Muitas partes foram puladas, algumas prolongadas, mas sem deixar de nos envolver nessa trama, inconsequente e irresistível!
Mas... Um aviso, se você ficou revoltada com a Abby, e seu super orgulho e seu não-posso-namorar-um-meu-pai-mais-jovem, o que era definitivamente uma tontice, até porque todos nós vimos o quão diferente era Trav de Mick, e o quanto ela estava sendo boba, uma verdadeira Lucky Thirteen, mas não no quesito de roubar a sorte, nada disso, mas de roubar a vida de Trav, porque NOSSA, NOSSA. Trav estava praticamente um zumbi ambulante, sem ela, cruzes.

Está ok, beleza, ai você me pergunta, mas cara, ele não é um livro como qualquer outro livro jovem lançado a todo momento, início desastroso, mocinha, mocinho, menino e menina se amam, sofrem, fim. Com eles juntos. Bem, sabe a diferença?
Abby e Travis, são personagens reais, sim, não digo como em filmes/livros -"baseados em fatos reais"- Mas sim no sentido deles terem problemas de jovens, causas de jovens, e toda aquela pressão de sair da fase jovem para adulta, todos os traumas, brigas, casos e enfim, tudo típico de jovens da idade. E um grande parabéns a Jamie, por caracterizar de forma magistral cada situação do livro, cada fala, cada ato. Sério, meus parabéns McGuire!

Você não irá se entediar, ou querer jogar o livro pela janela.. OH WAIT, se você leu em ebook assim como eu, bem, isso daria um prejuízo e tanto, é. Então, nem que fosse entediante.
Você o lê rápido, super rápido, com a mesma rapidez que Trav derrubava seus oponentes, mas, talvez em alguns momentos, diferente dele, você acaba saindo machucada(o). Sim, você chora, claro, se você for um leitor dramático como eu.

Bem, quem amou "BD", vai se apaixonar ainda mais por Desastre ambulante, iminente, enfim, pelo Trav 1000x mais, e pela Abby, você pode se revoltar mais com ela também. Nesse livro, você também percebe o quão forte é a amizade de Trav e América, e que linda amizade, Trent? Que irmão, e Shep? Você aprende a amar cada novo velho personagem.

Tradução livre do último quote do livro:

"Eu respirei fundo, e fechei a porta do quarto atrás de mim. Mesmo que nós tivéssemos colocado um ao outro através de um inferno, nós tínhamos encontrado o céu. Talvez fosse mais do que um par de pecadores merecia, mas eu não ia reclamar."


Mega hiper recomendado!
Boa leitura :)
Andressa.Mendes 11/07/2020minha estante
É livro 2 esse?




Fernanda 26/08/2013

Resenha: Desastre Iminente
Resenha: Me sinto extasiada desde o momento que iniciei a leitura de “Desastre Iminente” da autora Jamie McGuire e ainda assim, acho que mesmo citando várias passagens, nunca será o suficiente para descrever todas as emoções passadas. Mesmo já sabendo o que vai acontecer na história, o mais empolgante é ler pelo ponto de vista de outro personagem – um dos mais importantes e intensos – Travis Maddox. Esse é o ápice da trama: poder compreender todos os pensamentos e ações do cara que conquistou o coração de Abby Abernathy.

“– Um dia você vai se apaixonar, meu filho. Não se acomode com qualquer uma. Escolha a garota que que não vem fácil, aquela pela qual você vai ter que lutar, e então nunca deixe de lutar por ela. Nunca...” Pg.15

Trav, conhecido também como “Cachorro Louco”, é um verdadeiro cabeça dura, impulsivo, possessivo e totalmente descontrolado em todos os sentidos. Ele realmente tem aquela fama de machão – conquistador barato – e outras coisas, mas acima de tudo é um dos protagonistas mais carismáticos que já pude ler. Apresenta pontos tão fortes com referência a sua personalidade, que a cada página virada torna impossível não querer saber mais sobre ele. E a verdade? Por trás de tantos defeitos, Travis aparece como o homem ideal, sonhador, inseguro e muito, mas muito apaixonado. Ele só estava esperando a mulher certa aparecer... Um beija-flor.

“Decidi há um bom tempo que me alimentaria dos abutres até que um colibri aparecesse. Um beija-flor. O tipo de alma que não empatasse a vida de ninguém, que simplesmente caminhasse por aí se ocupando das próprias coisas, tentando levar a vida sem puxar ninguém para baixo com suas carências e seu egoísmo. Corajosa.” Pg.20

Não importa se o leitor ainda não leu “Belo Desastre” primeiro – o livro narrado por Abby – pois acredito que o importante é ler os dois, independente da sequência. Ambos são um complemento de ideias, objetivos e sentimentos revitalizados em palavras concretas e descritivas. As percepções estão baseadas em cada ação, desde o momento em que houve a despedida com a mãe e principalmente sobre os conselhos repassados por ela até a relação com seu pai e irmãos. O fator relevante é que Travis conseguiu seguir as recomendações de uma maneira um tanto diferente, já que ele se achava a exceção dos relacionamentos e sempre fora muito cuidadoso ao se envolver. O interessante é que ele conseguia fazer uma ótima definição de quem poderia ser a garota ideal. Porém, de qualquer maneira, controlar a raiva para Travis era sempre mais fácil do que qualquer outro tipo de emoção, o tornando consequentemente, menos vulnerável (Será?!).

“Se houvesse algo mais que eu pudesse fazer para evitar que ela pensasse assim, eu não sabia o que era. Abby era especial para mim desde o segundo em que pus os olhos nela, e tentei fazer com que ela soubesse disso a cada chance que tive. De que outra maneira eu poderia fazer com que ela entendesse isso? Como fazê-la perceber que eu a tratava de maneira diferente de todas as outras pessoas?” Pg.90

O destaque se encontra também na narração peculiar e casual. Com expressões consistentes, Travis faz com que o leitor fique mais a vontade diante de pensamentos, palavras e expressões inconsequentes, duvidosas e informais. Acompanhar seus devaneios perante a garota que ama, é outra maneira de trazer uma visão mais abrangente de envolvimento, bem como a exposição de seus sentimentos mais ocultos e a relevância de todo o seu amadurecimento durante o enredo.

“Naquela manhã, deitado ao lado da mulher que eu amava, uma promessa silenciosa se formou em minha mente. Eu me tornaria um homem melhor por ela, alguém que ela merecesse. Nada de perder as estribeiras. Nada de ataques de raiva ou surtos de violência.” Pg.234

Foi muito bom poder acompanhar novamente esta história tão deliciosa e comovente. Na verdade, é como se fosse uma releitura com vários acréscimos instigantes e descobertas valiosas. Mais perfeito ainda foi poder ler sobre como ficou a vida do casal depois de um bom tempo.

P.S: Recebi a prova do livro, então não vou abordar sobre a edição. Assim que receber o livro, colocarei as fotos para vocês conferirem.

Mais apaixonante e viciante!

site: http://segredosemlivros.blogspot.com.br/2013/08/resenha-desastre-iminente-jamiemcguire.html
comentários(0)comente



Luna 22/11/2014

Vergonha de livro!
Pois é, abandonei o livro. Mais ou menos na metade pulei logo pro final e pronto. Dei graças que acabou.
Já li a série Crossfire e 50 Tons...e até que me diverti. Mas com esse aqui, não rolou! Christian Grey e Gideon Cross tem seus defeitos (como todos nós), mas pelo menos não são canalhas machistas e egocêntricos feito esse Travis Maddox. Sr. Grey e Gideon teriam até mais razões para agir feito Travis: tiveram um passado traumático (bem pior que o de Travis), são Homens (e não moleques), lindos e inteligentes, além de milionários. Com certeza no mundo real seriam como imã para mulheres. Muito mais do que um Travis Maddox. Ambos usavam as mulheres pra sexo, mas eram honestos com todas, sem humilhação. Já Travis usa e abusa, e não hesita em humilhar na hora de se livrar das "abutres", como ele chama as mulheres em geral.

Li ontem e resolvi vir aqui mostrar minha indignação como MULHER com os personagens incrivelmente machistas. Inclusive as femininas!! Acho que a autora tem algum problema com mulheres bem resolvidas, que adoram sexo e diversão, como qualquer homem. Porque sinceramente, machismo é a marca desse livro.
E estou impressionada com a quantidade de mulheres se dizendo apaixonadas pelo protagonista. O cara é o pior tipo de canalha que existe: aquele que despreza mulheres, e por isso não tem remorso algum em trata-las feito lixo (isso depois de conseguir o que quer com elas, lógico). E ainda culpa as pobres meninas por caírem na dele. Pode?
Também achei engraçado quando ele afirma que se uma garota não está com ele é porque ela não merece. Hã? Sério que tem mulher apaixonada por esse imbecil?
Outro absurdo no livro: todas as mulheres se derretendo por ele. Em todo lugar. Quem ele é, Brad Pitt por acaso? Fala sério, que coisa mais absurda!

A autora precisa lembrar que está no século 21, mulheres tem todo direito de se divertir até sossegarem com seu "escolhido", e isso não deveria ser visto com maus olhos. Contanto que seja consensual e não caia na promiscuidade, qual o problema?
No caso do Travis, ele não acha que mulheres tenham esse direito. Ele pode ser o pior canalha do mundo (promíscuo é pouco), e ainda assim se acha no direito de julgar uma mulher que queira uma noite de diversão e sexo sem compromisso. Julgando-a como vadia. Patético! Homens assim são desprezíveis.
E mais: um cara que trata a namorada feito uma rainha jamais seria capaz de ser tão asqueroso com outras mulheres. Portanto Travis é um personagem enganoso, que no mundo real provavelmente seria esse verme de homem pelo resto da vida.
Não recomendo de jeito nenhum esse livro.
Nathy 20/09/2017minha estante
nossa, sim. eu te venero. travis é um escroto




let biachi 19/09/2020

esse n tem como defender
a leitura foi fluída tbm e achei um livro ok qd li ha 6 anos atrás, mas só por deus o travis é um maníaco, machista, tem problemas de agressão e emocionado num nível doentio de obcecado. e a autora nem tenta esconder. eu hein.
comentários(0)comente



Léo 15/10/2014

Caramba, o que dizer dessa PORCARIA? Não apenas um livro de péssima escrita, com personagens superficiais, clichês e entediantes, mas um PERIGO à sociedade e uma péssima influência aos adolescentes (público alvo desse livro). Travis Maddox é o perfeito clichê que toda menininha de 12 a 18 anos deseja encontrar: alto, forte, bonito, popular. O problema é ele ser um babaca dos grandes, um machista insuportável. É grotesca a forma como todos os personagens do livro são machistas; sempre chamando as mulheres de "abutres", "vadias", "putas", e separando as mulheres em "pra namorar" e "pra transar". O sexo sem camisinha, é aqui tratado como algo extremamente seguro caso a guria não esteja no período fértil. Um relacionamento obsessivo, onde o "carinha mau fica bom pra conquistar a menina meiga". O que mais me preocupa é ver que esse livro é aclamado pelas adolescentes e que muitas delas deseja um Travis em suas vidas. PARA TUDO '-'. Um dos piores livros que eu já li em toda a minha vida. De péssimo gosto.
lorena.st2 21/11/2014minha estante
Concordo em tudo contigo.E realmente fiquei pasma ao ver tantos elogios a esse livro. Por isso fiz questão de deixar minha resenha negativa.
A filha de uma amiga de 18 anos leu e (graças a Deus) pensa o mesmo. Detestou o protagonista, e se ligou no machismo e superficialidade dos personagens todos. Mas acho que ela é a exceção à regra, infelizmente.
Já notei que esse tipo de literatura adulto/erótico peca na falta de personagens femininos fortes, e sobram nuances de machismo e síndrome de donzela. Patético!


Nathy 03/10/2017minha estante
SIIIIIIIIIIIIM




bellaamarals 18/06/2020

Desastre Iminente - Jamie McGuire

Ainda bem que reli este livro, pois não me lembrava de quase nada, principalmente o epílogo.

Bom, devo admitir: eu passo um pano danado pra essa série, hein?! Realmente é um dos relacionamentos mais tóxicos que li, mas ainda assim, aquele apego emocional (já citado na minha resenha anterior de BD) me faz amar esse povo e nem me importar emq quão doida essa história é.

Travis perdeu sua mãe muito cedo ao ponto de não ter muitas recordações dela, apenas o que seus irmãos contavam e, uma breve lembrança do que ela lhe disse em seu leito de morte. Depois de crescido, o Maddox mais novo é um jovem rebelde e sem excrúpulos, faz o que quer, quando quer, arruma brigas, luta e transa com quantas mulheres quiser em apenas uma noite.

Nada mais faz sentido para ele até que ele a conhece. Abby Abernathy. Ou, como prefere chamá-la: beija-flor. Ele vê em Abby algo sutil, uma paz intrigante que não consegue sentir com mais ninguém. Tudo isso seria fácil de lidar se não fosse, claro, a repulsa que Flor demonstrava cada vez que ele se aproximava.

O tempo passou e, com muita insistência, Travis provou que queria apenas sua amizade - mesmo 100% certo de que queria muito mais. Abby carregava um passado obscuro e tinha medo de deixar revelar quem era realmente, mas isso não impediu o Maddox de se aproximar sempre mais.

Ambos faziam merdas que acabavam com a história que haviam criado e voltavam arrependidos não muito depois com promessas do pra sempre. Os altos e baixos são conteúdo do livro inteiro e deixam o leitor com um aperto no coração por não saber como seria o futuro deste casal tão conflituoso.

Um ponto que amei, diferente de Belo Desastre foi que pudemos ter um vislumbre de como estava a vida deles anos após os acontecimentos finais do livro na perspectiva de Abby. Ainda bem. Confesso que foi a minha parte favorita de todo o livro. Ver o Travis se acabando toda vez que terminavam me fez enxergar o que se passa na cabeça deste homem tão perturbado pelo que ocorreu durante sua vida toda. Foram cenas difíceis de ler, confesso.

Apesar de tudo, foi ótimo poder reler esta história de amor cheia de altos e baixos com uma cabeça diferente da que tinha quando li pela primeira vez, desse jeito pude ver o relacionamento deles de uma forma que não havia percebido antes e entender que esse relacionamento não é bem o que eu quero ter pra minha vida - com certeza.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Melissa 20/07/2016minha estante
Nossa, pensei que eu fosse a única a se incomodar com tanta repetição do primeiro livro. Vejo o povo tudo elogiando, pra mim foi um caça-níquel repetir exatamente a mesma coisa do primeiro.




lorena.st2 21/11/2014

Protagonista misógino e irritante
Não entendo como algumas autoras conseguem criar canalhas tão desprezíveis, e ainda faze-los cair no gosto do público após uma redenção irreal! Não dá pra simpatizar com um homem egocêntrico, falso moralista, machista e irritante. A meu ver é irreal que um cara como ele atraia tantas mulheres (onde ele vai tem "um bando de comíveis" a disposição). Um moleque de 19 anos? Que ainda por cima trata mulheres feito cão sarnento depois que transa com elas? Ta bom, conta outra dona Jamie Mcguire!
Honestidade sempre é bom, mas crueldade não. Mulheres merecem ser bem tratadas sempre, independente se for uma parceira sexual de uma noite só, uma amiga colorida, namorada ou esposa.
Em muitos momentos ele deixa claro o desprezo inexplicável pelo sexo oposto: chamando-as de abutres, comíveis, etc. É revoltante. Obtém delas o que quer (sexo), e depois descarta, reclamando da atenção excessiva. Fala sério, que ridículo.

Tenho 4 irmãos, todos tiveram sua fase galinha, mas nunca destrataram mulher alguma. Não tem essa mente machista de que mulher só serve se for "direita". O q é isso afinal? Virgem, submissa e chata p cacete?
Mulher também gosta de sexo sem compromisso.. de se divertir. E não devem ser desvalorizadas por isso. O que não acho legal é promiscuidade, em homens ou mulheres.
Enfim, se não fosse pelo falso moralismo dos personagens, poderia ser uma estória divertida.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Alline 10/04/2013minha estante
Por favor, me fala aonde vc encontrou ele para ler?


Angel Sakura 11/04/2013minha estante
ahuhauahuahuahuahuahauhuahuhauhauhauhau


GabGuillotine 28/04/2013minha estante
Nota mil mesmo! haha. Reservou grandes surpresas.




Yasmin 12/12/2013

Surpreende com um ponto de vista melhor, que transformou o romance e a história

Desde que conheci o primeiro livro no Goodreads fiquei na dúvida sobre ler, principalmente pelos comentários tão acalorados de ambos os lados, mas ao final estava dentre os que ficaram na média. Não amei, mas também fiquei longe de odiar e por isso mesmo recebi a notícia de que haveria uma versão narrada por Travis com curiosidade. Jamie McGuire consegue acertar no tom ao dar vida a versão de Travis, deixando a trama marcada pelos sentimentos.

A primeira vez que Travis viu Abby foi durante uma de suas lutas, e ele sabia que aquele belo rosto escondia mais, muito mais por debaixo de toda a seriedade, mas se aproximar de Abby não foi fácil. Ela era diferente e não queria saber de ter nada com ele. O cara tatuado, que lutava em lutas clandestinas e segundo sua reputação já tinha levado todas as garotas da faculdade para seu sofá. Travis não sabe o que está acontecendo, mas acaba feliz com o estranho acordo de amizade entre os dois. E pouco a pouco sua vida se torna Abby, desde estudar biologia com ela até a aposta na luta que ele faz questão de vencer para ter Abby em seu apartamento. Porém seu ciúme doentio e suas explosões podem afastar Abby e para piorar por causa de um segredo dela as coisas entre eles vão se desequilibrar de novo depois de tanta confusão. Travis sabe que Abby é diferente, e fará qualquer coisa para merecê-la em sua vida. Será Travis capaz de mudar a si mesmo e conquistar Abby entre idas e vindas, brigas, ciúmes e muito desentendimento?

A narrativa aqui assume um tom mais direto e McGuire faz um belo trabalho ao construir a personalidade de Travis além do que conhecemos através de Abby. O mais complicado da história é saber o final, mas por incrível que pareça a autora conseguiu moldar alguns detalhes em favor da história, instigando o leitor a seguir em frente. O ritmo é mais fluido, com sentimentos pulsantes e a voz narrativa de Travis é mais crível, que transparenta mais sentimento e acaba cativando mais o leitor. Algumas de suas atitudes e também algumas da Abby ficam mais plausíveis através de seu ponto de vista e o romance ficou melhor.

O grande ponto que as pessoas costumam estranhar e desgostar no livro é a personalidade dominadora de Travis, e seus rompantes de raiva e ciúmes, porém é injusto dizer que não existe romances assim, que amor não é assim, afinal o mundo é repleto de exemplos piores do que Travis. McGuire explora bem essas questões ao nos trazer um Travis que se arrepende e sabe que exagerou. Ao contrário de muitos leitores acredito que é válido livros que explorem todo o tipo de amor. Travis pode ser exagerado em alguns termos, mas gosta de Abby e sua personalidade aliada a dela funciona. De um modo único eles se completam, e ao dar vida ao ponto de vista dele McGuire conseguiu passar uma impressão melhor do leitor.

Leitura rápida, que instiga o leitor, de ritmo agradável e pontuado pelo tom narrativo forte de Travis. Sua personalidade dá outro tom a história e Jamie McGuire fez um trabalho cuidadoso ao nos apresentar a versão de Travis, mostrando inclusive certo amadurecimento no desenvolvimento da história. A edição da (...)

Termine o último parágrafo em:

site: http://www.cultivandoaleitura.com/2013/11/resenha-desastre-iminente.html

comentários(0)comente



Geeh 19/05/2020

Finalmente consegui terminar!!
Gosto desse livro... Porém em algum momento ele me deixou muito incomodada, fiquei com a impressão que as vezes o Travis era um pouco abusivo demais!! Acho que por isso prefiro a versão contada pela Abby (E tbm faz um tempinho que tinha lido) ... No demais... Sou apaixonada por essa história... Foi bom ver toda a transformação do Travis para conquistar a sua Beija-Flor...
Ps- Tem momentos que fiquei putz da vida com a Abby!
comentários(0)comente



Larissa Endil 09/04/2020

Bela decepção.
Quando li Belo Desastre, em 2014, me apaixonei por Travis Maddox. Hoje, anos após, ao ler a mesma história, percebi que não consigo ler mais esse tipo de história (cara complicado, perturbado, agressivo etc) e achar tudo isso normal. Ele é machista, agressivo, abusivo, viciado, desrespeitoso, além de ser super babaca 90% do tempo (os outros 10% ele ta bêbado/bebendo). A militante em mim não consegue achar isso legal, romântico ou bonito. Romantizar esse tipo de relacionamento só serve para criar, na cabeça de quem lê, uma ideia de que tudo isso é ok, é aceitável. Além do mais, eu nunca mais leio nada que essa mulher escreve, além de ser racista assumida em suas redes sociais, ela é antivacina, apoia os ProudBoys (organização neofascista de extrema direita) e ama o Trump, então nem adianta a galera dizer para separar o autor da obra, nesse caso é impossível, e eu é que não vou dar meu suado dinheirinho pra fascista!
Amanda Vieira 27/05/2020minha estante
Tive a mesma experiência!




Patty 04/07/2020

O primeiro livro Belo Desastre narrado pela protagonista, eu gostei, mas mesmo assim já dava pra ver a loucura do Travis, nesse fica claro o quanto ele é possessivo, machista, ciumento, manipulador.... tudo de pior que um macho escroto pode ser, da raiva de ler.
comentários(0)comente



Alê | @adagaliteraria 11/07/2020

Desastre Iminente
Sipnose: Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa ? e deseja ? evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.

Este livro conta a mesma história de belo desastre, porém na versão do Travis Maddox. Onde além de ler os seus pensamentos e sentimentos, podemos saber um pouco mais sobre a sua relação com sua família e principalmente sua mãe, e finalmente descobrimos com detalhes de onde surgiu o nome Beija-Flor. Eu particularmente sou fascinada por ler os dois lados da história, as vezes entendemos um acontecimento de uma maneira e descobrimos que não foi como imaginamos, vale a pena conferir.
comentários(0)comente



333 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |