Mayombe

Mayombe Pepetela




Resenhas - Mayombe


48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


eduardaobeid 21/11/2019

eu não tenho PALAVRAS
comentários(0)comente



fecan 04/09/2019

Muito bom!
Gostei de ter contato com literatura Angolana. Vale a leitura. Conta um pouco da história do povo na luta pela libertação de Angola, que até então, era colônizada por Portugal.
comentários(0)comente



Evellyn.Souza 01/09/2019

Diferente de tudo que já li, tem muitos ensinamentos e mesmo sendo um pouco confuso na questão do narrador, acabei me aproximando muito de alguns personagens, inclusive do Sem Medo ..
comentários(0)comente



Matheus Oliveira 25/06/2019

Confesso que não me apaixonei por esse livro. De início, achei que era pela dificuldade de tempo que me impediu de lê-lo rapidamente, mas mesmo depois, com maior disponibilidade, achei a leitura arrastada, talvez pela falta de costume com o estilo do brilhante Pepetela.

Para quem se arrastou por esse clássico como eu, deixo um alívio: o final vale pelo livro completo!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rita 02/05/2019

Esperava mais...
A narrativa é fria e os personagens não demonstram a emoção de estarem vivendo a revolução - emoção não no sentido bélico, mas na esperança de gerar um país melhor. Faltou dar voz às personagens femininas. É possível aprender alguma coisa de teoria política nos diálogos, mas sem nenhum aprofundamento.
Alguns trechos:
"Há dez anos que combate o inimigo. Tem pouca formação política? Certamente. Mas a culpa não é dele. Quem a tem? Ele vê os exemplos que vêm de cima. A culpa também não é tua. (...) Não podes fazer mais do que fazes para convencer o Ingratidão que o povo de Cabinda é como o do resto de Angola. Ingratidão também não pode ser convencido só por palavras. Só a prática o levará a essa constatação." (p. 61-2)
"(...) Quem não quer estudar é um burro, e por isso, o Comissário tem razão. Queres continuar a ser um tapado, enganado por todos... As pessoas devem estudar, pois é a única maneira de poderem pensar sobre tudo com a sua cabeça e não com a cabeça dos outros. O homem tem de saber muito, sempre mais e mais, para poder conquistar a sua liberdade, para saber julgar. Se não percebes as palavras que eu pronuncio, como podes saber se estou a falar bem ou não? Terás de perguntar a outro. Dependes sempre de outro, não és livre. Por isso toda a gente deve estudar, o objetivo principal duma verdadeira Revolução é fazer toda a gente estudar. Mas aqui o camarada Mundo Novo é um ingénuo, pois que acredita que há quem estuda só para o bem do povo. É essa cegueira, esse idealismo, que faz cometer os maiores erros. Nada é desinteressado." (p. 75)
comentários(0)comente



Lari 23/04/2019

Não dava nada para esse livro no início, mas confesso que o final surpreendeu. Retrata, de alguma forma, nossas vidas e nosso amadurecimento. O romance e o enredo nos enlaçam de forma imperceptível, mas que ainda existem.
comentários(0)comente



Rafaela 24/03/2019

Só não dei cinco estrelas porque não gostei de algumas frases e atitudes machistas sobre as mulheres, mas a leitura vale muito a pena tirando esses pontos e de uma tamanha reflexão política e filosófica. Um bom livro para se pensar e que te prende.
Lari 10/04/2019minha estante
oii! Leve em consideração que o livro foi escrito no contexto revolucionário angolano, entre 1970 e 1971. Em contextos de guerrilha, dificilmente pautas humanitárias como feminismo são discutidas! Só tentando te explicar um pouco pra que tire seu entrave contra o livro! :) Ele é uma obra muito bem escrita!




Alih 19/03/2019

Incrível
Um dos clássicos, que eu amei , começa um pouco confuso, mas, depois de uma certa frequência ???? você descobre o quão maravilhoso!
Poe tocando guitarra 20/03/2019minha estante
Tenho muito interesse nesse livro. Vou tentar ler em breve.




Helena Maudonnet 12/03/2019

Incrível, uma lição de vida
Além de ser um livro muito bem escrito, a personagem Sem Medo nos ensina muito quando fala, principalmente, com o Comissário. Tem vários momentos em que Pepetela nos ensina a amar e nos importar com os outros, independente de onde vieram. Simplesmente perfeito.
comentários(0)comente



ROBERTA 05/03/2019

Arrastado
O livro, de modo geral, é arrastado, ou seja, a leitura não flui naturalmente. Tive que me obrigar a continuar... Somente no último quarto das páginas é que a leitura fica mais interessante. Claro que há que se ponderar toda a diferença cultural e vocabular entre Brasil e Angola, bem como é necessário enfatizar a importância político-histórica dessa obra.
comentários(0)comente



Desirrê 20/01/2019

Podemos ler esse livro inteirinho ao som de Run Boy Run, do Woodkid. Combina muito.
comentários(0)comente



Artur Rocha 28/12/2018

Mayombe
Pepetela é mesmo surpreendente. Esse livro que retrata a guerra civil em Angola, é vista pelos olhos de guerrilheiros muito mais humanos, lúcidos e sensíveis que o que sabemos das guerrilhas no continente africano, cruéis e insensíveis conforme mostrado pela mídia ocidental. Prefiro o livro "Se o passado não tivesse asas" do mesmo escritor, mas não posso deixar de me impressionar com as análises do comandante Sem Medo. Lembrei do livro vermelho e o negro de Stendhal, principalmente ao tratar de Ondina! Sensacional!
comentários(0)comente



Rafa 24/10/2018

Por dentro da cabeça de um soldado
Personagens muito bem desenvolvidos, talvez porque o livro seja bem baseado na experiência de vida real do autor na guerra de libertação da Angola. As descrições de comportamentos humanos são a melhor parte da leitura.
comentários(0)comente



Jazz 07/10/2018

Lutar é necessário
Foi uma ótima leitura pra dar ânimon para lutar nesses tempos difíceis.
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4