Cores de Outono

Cores de Outono Keila Gon




Resenhas - Cores de Outono


91 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Bruna 16/11/2014

Cores de Outono, de Keila Gon, é o primeiro de uma série juvenil sobrenatural, que tive o prazer de ler por meio de um Book Tour, organizado pela Ana Paula, do blog Livros de Elite.

Bom, vamos lá?

Melissa Wels é uma jovem de 21 anos que acabou de perder a mãe e o padrasto em um acidente de carro. Ainda desnorteada e perdida, ela decide se mudar com para a casa do avó, George, na cidade de Campo Alto, com sua irmãzinha, de 5 anos, Alice. George vive aos pés da misteriosa montanha da cidade, um local cercado de misticismo, e boatos envolvendo a família Von Berg, residente do topo da montanha, é o que não faltam.

Logo que chega na cidade, ela reencontra seu amigo/inimigo de infância, Arthur Casella, que vive na casa ao lado com seus pais. A família Casella é muito próximo de George, o que acaba por aproxima-los de Melissa, e não demora muito para Arthur demonstrar interesse por ela.

Porém o fascínio de Melissa acaba destinado a Vincent, por mais surpreendente que isso possa ser, uma vez que Vincent é simplesmente o cara mais grosseiro e intimidador da cidade. Ele vive com os Von Berg, e é conhecido na cidade por ser um tremendo mal-humorado. Assim como sua família, é envolto em boatos e mistério, que fazem com que sejam temidos e mantidos a certa distância, pelos moradores da cidade.

Mal imagina Melissa que o mistério envolvendo Vincent é mais perigoso e fascinante do que ela poderia esperar. E sua aproximação a homem a leva a fazer algumas descobertas desconcertantes e impressionantes sobre ele, sua família, e o mais assustador de tudo: sobre a pequena Alice.

A partir do momento em que Melissa e Vincent começam a se aproximar, vamos conhecendo o personagem de verdade, e vendo que por trás da fachada de arrogância e superioridade, existe um homem sofrido, em conflito, mas gentil e generoso.

Vincent realmente conquistou meu coração, mesmo quando era um grosseirão. E é óbvia a inspiração da autora no meu amado e idolatrado Ian Somerhalder, na hora de compor o personagem. Não tem outra definição: Ian é a descrição física exata e perfeita de Vincent! Aiii, como não amar?

Melissa é muito dedicada a irmã, quer garantir que Alice tenha uma infância saudável e sem traumas, e se mostrou uma mocinha forte, quando a situação envolvia a segurança de sua irmã. Mas algumas atitudes dela, não relacionadas a irmã, me não me agradaram um pouco. E não há o que falar da pequena Alice, a não ser que é absolutamente encantadora!

E há a perspectiva de um triângulo. Porém, apesar de Arthur ser apresentado como um personagem legal, e inclusive existir um vasto Team Arthur, eu não gostei dele. E para falar a verdade, me irritou bastante em vários momentos, por se intrometer demais onde não devia.

Cores de outono é um livro mágico e encantador, uma fantasia cheia de seres mágicos como magos, elfos e mundos paralelos de magia. Adoro fantasias, e autora soube prender minha atenção. Porém senti uma forte semelhança com Crepúsculo em alguns momentos, e creio que foi justamente por essa associação que não gostei do Arthur, e acabei já desconfiando do que decorreria de alguns acontecimentos.

A diagramação é simples, mas muito bem feita. As páginas são amareladas e a fonte de tamanho confortável para leitura, e a capa é linda. E tenho que fazer um sério desabafo: Keila, se eu engordar, a culpa é sua! Comi chocolate pra caramba esses dias, por causa do livro :). Além do livro mencionar bastante esse ser que representa meu maior vício alimentício, ainda tem uma receita de brigadeiro de colher no final do livro!

Recomendo muito a leitura para os fãs de fantasia e romance.

site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2014/11/resenha-cores-de-outono-keila-gon.html
Keila Gon 23/02/2018minha estante
kkkk adorei! Beijo e muito chocolate! Obrigada e ótimas leituras*.*




Jerusa 27/10/2014

Tive o prazer de conhecer a Keila na Bienal esse ano. Uma feliz coincidência, já que eu nem imaginava que isso aconteceria. É claro que eu estava com o nome de seu livro em minha lista e quando questionei a atendente pelo preço do exemplar, ela me avisou que a autora estava no estabelecimento, só que havia saído um minuto, mas voltaria em breve no caso de eu querer um autógrafo. Eu esperei é lógico, e foi muito gratificante conhecer e conversar com um pouco com ela.

Eu já havia lido algumas páginas na internet, no blog do Livro mesmo e me encantei com o modo que ela escreve. Isso me fez comprar o livro, apesar de achar que seria um conto voltado para o público adolescente, uma vez que se trata de romance mesclado com fantasia, e não costumo ler esse gênero literário. Confesso que conhecer a autora me fez criar uma expectativa ainda maior em relação a história e em certo momento fiquei com medo de me decepcionar, e... me surpreendi mais ainda! Se um simples ato de descrever uma viagem de volta para casa se torna poética, imagine escrever emoções de uma mulher apaixonada, ou um mundo totalmente mágico. A Keila tem essa habilidade, o que faz com que a leitura seja prazerosa mesmo quando temos que ler sobre alguma coisa que não vai alterar em nada no enredo, como uma arrumação de quarto por exemplo, tornando as 440 páginas fáceis de acabar.

Outro fator interessante é que O mundo é mágico, mas a história se passa em Campo Alto, se entendi bem, uma pequena cidade (fictícia) do interior de São Paulo e a fantasia vai se mesclando com a realidade em doses homeopáticas. Acho importante autores brasileiros valorizando os cenários da nossa terra, nesse caso de forma sutil, e pesquisando um pouco mais a fundo, existe um bairro rural com esse nome no município de Pirassununga que é popular entre trilheiros e fica a aproximadamente a 220 km de São Paulo, tudo isso não passam de suposições, somente a Keila mesmo para nos contar - em todo caso, ponto pra ela, uma vez que a história se passa no Brasil.

Nas primeiras páginas já somos premiados com um pequeno trecho do livro Cinco Minutos. Para quem não sabe esse foi o primeiro livro do escritor José de Alencar e se tornou um clássico da literatura brasileira. Esse detalhe não está aí por acaso e no decorrer da história podemos observar que é o livro favorito de nossa heroína.

A história começa com Melissa, uma jovem de 21 anos que acaba de perder a mãe e o padrasto em um acidente, indo morar com seu avó materno em uma cidade pacata do interior de São Paulo. Ela assume a responsabilidade de cuidar de sua meia irmã Alice de apenas 5 anos, deixando assim a faculdade e seus sonhos de lado.
Mas o que parecia ser a escolha de uma vida simples e longe de perigos, aos poucos se revela com muitos mistérios. Se envolvendo com Vincent, um homem misterioso, com o humor instável, que é temido por toda cidade, do qual Melissa não consegue se afastar, ela será apresentada a um Mundo Mágico e terá que decidir entre viver racionalmente uma vida simples e comum, ou mergulhar num oceano de confusões em um mundo de fantasias.

" Sentia-me adormecida, como uma árvore no outono, quando o destino mostrou novas cores, novas possibilidades."


Hahaha... Não tenho o costume de contar todo o enredo em minhas resenhas, procurando me limitar na maioria das vezes ao resumo que o autor disponibiliza, porque acho um pouco chato revelar a história para o leitor, ainda mais quando temos vários mistérios envolvidos, como é o caso dessa saga, por isso só quero acrescentar que a história me envolveu completamente, e várias vezes eu quis ter o poder de entrar no livro para ajudar os personagens..., sofri com suas desventuras, torci por suas alegrias e mal posso esperar para ler a continuação da saga Sombras da Primavera, pois fiquei com gostinho de quero mais e milhões de perguntas pipocando em minha mente fértil.

Fugindo um pouco ao protocolo, o livro termina com os agradecimentos da autora, algumas explanações sobre sua inspiração, uma playlist internacional para acompanhar o ritmo da história, uma deliciosa receita de brigadeiro de colher e um trechinho da continuação da saga. Detalhes joviais e delicados, que combinam perfeitamente com a autora e sua obra. Adorei!

site: http://www.caprichoseleituras.blogspot.com.br
Keila Gon 29/10/2014minha estante
UAU Jerusa... estou sem palavras... sua resenha foi um presente! A magia de Cores de outono é encantar o coração dos leitores com o simples, com a ideia do impossível... e quando o livro alcança seu objetivo, fico muito MUITO feliz!!!
Obrigada pela resenha, pelo carinho e espero de coração que "Sombras da primavera" traga todas as emoções desta aventura!
BEIJO




Rafa 07/09/2014

O livro é um romance com elementos de fantasia, mas predomina o aspecto amoroso da história. A parte fantasiosa é introduzida bem aos poucos, o que dá um ar até de normalidade frente a esse mundo de elfos, magos, outros mundos, etc.

Melissa é uma protagonista interessante, ela me irritou por chorar demais, porém, ela mesma sabe que chora sem parar e se autocritíca, o que traz até um humor para a situação. Fora isso, ela não é adolescente, é uma mulher adulta já, com seus 21 anos e com vivências que a fizeram amadurecer, então ela é bem real.

Vincent é o cara para você se apaixonar. Não tem como não se apaixonar. Ele é sério, taciturno e vários boatos o cercam. Ele é misterioso e surpreendente e eu quero ele pra mim, ponto final.

Eu gostei também dos personagens secundários, como o Opa George, a família vizinha deles e seu restaurante que me deu fome. A família da montanha também é interessante, ainda mais por nem todos seres humanos. O cachorro Heros é um fofo também.

As paisagens são descritas de uma maneira muito bonita e achei o desenvolvimento do livro bastante legal. Não é um livro com um ritmo acelerado, inclusive pouco tempo se passa nessas 440 páginas. Outra coisa, é que encontrei alguns errinhos de revisão, mas dá para relevar.

site: http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com.br
Keila Gon 07/09/2014minha estante
Obrigada Rafa!!
Adorei ver o seu olhar de Cores!!!
BEIJOS agradecidos pelo carinho!
Keila Gon




Francine 18/08/2014

Romance sobrenatural do melhor calibre!
Li este maravilhoso livro no Book Tour organizado pelo blog Livros de Elite, ao qual agradeço pela oportunidade! Já tinha lido comentários e resenhas maravilhosas a respeito de Cores de Outono, que me fizeram incluí-lo entre os livros nacionais mais cobiçados da minha lista (rs).

O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista Melissa Wels, uma jovem de 21 anos que viveu trágicas experiências recentemente. Sua mãe e seu padrasto morreram num acidente de carro, deixando-a sozinha com a grande responsabilidade de cuidar de Alice, sua irmã (por parte de mãe) de apenas 5 anos. Afundada na solidão do luto, ela decide sair de São Paulo e seguir para Campo Alto, uma pequena e pacata cidade que fica entre montanhas, onde voltaria a morar com George, seu avô e único parente vivo.

Foi agradável vê-la se esforçar em criar um novo sentido para a sua vida na rotina que estabelecera com seu avô e Alice. No luto, precisamos reaprender a viver com a ausência da pessoa amada que partiu. E no caso da Melissa, havia o fato de que tudo sofrera uma grande mudança. Neste difícil processo, Melissa pôde contar também com a participação e ajuda da família Casella, que eram os vizinhos com os quais convivera em sua infância e que amigos íntimos do seu avô. Entre estes vizinhos, havia o Arthur, que ganhou meu coração a cada cena que aparecia no livro (rs). Arthur era um garoto levado na infância, que vivia infernizando a vida da Melissa e até roubou dela o seu primeiro beijo. Ao revê-lo, no entanto, aquele garotinho desaparecera sob a aparência de um adulto decidido e muito apaixonado por ela. Claro que Arthur continuava tirando a Melissa do sério, mas sob sua honestidade – que algumas vezes soava irritante – havia apenas uma calorosa preocupação por ela. Isso me conquistou completamente.

Mas não é o Arthur o protagonista desta história de amor! Em Campo Alto, sob muitas fofocas, havia a família Von Berg, que morava na montanha e não matinha relações próximas com ninguém da cidade. Habitando junto desta família misteriosa, havia Vincent Dippel. Esse enorme, musculoso e tenebroso homem, de vários jeitos inusitados, tem sua vida entrelaçada à de Melissa. Situações engraçadas e perigosas os colocavam constantemente no caminho um do outro, e se torna irresistível (para a Melissa e para o leitor) ignorar o quão forte é a atração que cresce entre eles.

O melhor de Cores de Outono é ser um romance sobrenatural do melhor calibre! Sou apaixonada por esse gênero e, confesso, não sabia o que Vincent era! Passei quase 300 páginas sem conseguir sequer uma pista! Gente, o homem é um mistério digno do Sherlock Holmes e ninguém, MESMO, conseguiria premeditar o que a autora guardou para o leitor nas revelações. Vincent pode ter uma aparência maravilhosa, mas sua personalidade instável (ora grosseira, ora gentil) me deixou com vontade de surrá-lo a cada vez que machucava um pouco mais o coração da Melissa com suas violentas crises de mau-humor. E fiquei "no vácuo" com a falta de lógica nas suas atitudes.

"Como sempre, Vincent era o exemplo irritante dos opostos e parecia ter a dualidade como base de sua essência. Isso estava me enlouquecendo! Ele era o cavalheiro carrancudo, o gato manso e o tigre feroz; com seu olhar penetrante era capaz de seduzir, mas também aterrorizar... e tudo isso dentro de um único homem. A personificação da confusão!" (p. 234)

Mas, quando as peças se encaixaram, foi maravilhoso! Se por quase 300 páginas desejei encher Vincent de tapas, as próximas páginas me fizeram desejar abraçá-lo e perguntar: como posso ajudar você? Esse é o talento da Keila Gon. Sua narrativa me envolveu completamente com descrições poéticas, realistas e às vezes até mesmo cruéis das circunstâncias. Senti-me impotente diante de tantos obstáculos que a Melissa precisou enfrentar, exatamente da mesma maneira que a personagem se sentia.

Como fragilidade, destaco o que serve também como qualidade na obra: o ritmo da narrativa. Keila Gon é encantadora justamente porque sua narrativa flui calmamente, à medida que as situações acontecem. Isso quer dizer que o tempo da narrativa segue a cronologia do enredo – o que é raro e serve como incentivo para nos fazer sentir maior proximidade com os personagens, como se estivéssemos testemunhando a cena em "tempo real". Mas confesso que, em alguns momentos, gostaria que a narrativa tivesse aumentado o ritmo para dar maior dinamicidade à leitura. Eis porque considero uma fragilidade-qualidade da obra, o que não diminui em nada o seu valor.

O ponto alto do livro, em minha opinião, é o universo mágico que a autora criou. Foge às regras da fantasia, demonstrando toda a sua criatividade. Talvez por isso não descobri antes o que Vincent era e esse mistério bagunçou meus sentidos, assim como ocorreu com a Melissa (rs). Por isso, Cores de Outono é recomendadíssimo aos que apreciam romances sobrenaturais e não vejo a hora de colocar minhas mãos sobre a sequência. Vale muito a pena ler. O título é maravilhoso, completamente coerente com a história, e a diagramação está ótima.

Leia meus quotes favoritos e saiba sobre o lançamento do livro 2 no blog My Queen Side:

site: http://myqueenside.blogspot.com.br/2014/08/resenha-40-cores-de-outono.html
Keila Gon 19/08/2014minha estante
Estou apaixonada por essa resenha! Sorriso enormeeee kkkkk Obrigada pelo carinho Francine!!!
BEIJOS MUITO agradecidos!!!
Keila Gon




Sandra 09/07/2014

UAU!
Cores de Outono é uma linda história, com mistérios impossíveis de esquecer. A autora teve a felicidade de trazer para seus leitores, romance, suspense e um mistério de dar água na boca. Estou louca para o próximo livro, Sombras. Quem começa a ler não quer parar. Tenho a impressão de ver Alice sorrindo, do cheiro da montanha, do olhar de Vincent, opa! Esse olhar!!! Mel é a protagonista dos meus sonhos. Me apaixonei e tenho certeza, irei apaixonar-me cada vez mais. Releio sempre, pois não me canso e, cada vez que o faço, encontro elementos novos que me faz apaixonar um "cadinho" mais. Amoqueamo.
Keila Gon 09/07/2014minha estante
kkkkk Estou rindo atoa aqui Sandra!
Obrigada pelo carinho e por dividir comigo a paixão por estes personagens : ) De coração.
E que venha Sombras!!! A ansiedade está a mil aqui, ohhhh BEIJOOOOO muito emocionado!
Keila Gon


Keila Gon 20/07/2014minha estante
UAU!!! digo eu! kkkk Sorrisos enormes aqui! Beijos agradecidos!!!
Keila Gon


Sandra 02/08/2014minha estante
Keila Gon, todos os UAUS a você, linda. Parabéns pelo sucesso de Cores e por Sombras que já está chegando. Creio que todos os amantes de livros nacionais deveriam ler tua Saga. Você conseguiu prender seus leitores de forma tão profunda que será impossível esquecer esses personagens lindos.
Parabéns.




Aline Coelho Cury 06/07/2014

Cores de Outono
Sabe aquele livro onde a história é construida aos poucos, sem atropelos nem precipitações??? Cores de Outono tem essa calma e leveza ao apresentar ao leitor os personagens e suas histórias familiares, seus medos, sonhos e desejos. Depois de estruturar bem o cenário e as características dos personagens, os mistérios vão sendo inseridos e muitas suspeitas e anseios nascem nesse momento sobre o que estar por vir (também começamos a perceber as inspirações da autora em outras obras, mas tudo com sutileza).
Por ser o livro introdutório da série cores não encontramos muitas questões a serem resolvidas, mas no final um vilão começa a dar sinais de retorno nos deixando mega curiosos para tudo que pode vir a acontecer nos livros seguintes.
As problemáticas nesse primeiro livro ficam mais no campo pessoal dos protagonista em superar seus problemas e aceitar quem são e ter força para conviver com seus destinos, além de confiar no amor que cresce a cada dia que passa.

As Irmãs Wels, Melissa de 21 anos e Alice de 5 anos acabaram de perder os pais em um acidente por isso estão se mudando para morar com George, avô materno e único parente vivo. Ele mora na cidade pequena de Campo Alto. E nessa cidade a maioria das pessoas moram no centro, porque evitam ficar no campo já que acreditam que a montanha onde a família Von Berg vive é assombrada. Mas George e outros poucos vizinhos não ligam para as lendas e até se relacionam com os Von Berg quando necessário.
Quando Melissa chega a cidade e fica sabendo sobre os boatos acaba ficando curiosa sobre o assunto, principalmente após conhecer o misterioso, assustador, fascinante e lindo Vincent Dippel (ele vive com os Von Berg). Além disso ela é apresentada a um mundo mágico que nunca pensou existir e para acaba percebendo que esse mundo sempre esteve mais próximo dela do que pensava.
Keila Gon 06/07/2014minha estante
OBRIGADA pela resenha Lindaaa e obrigada pelo carinho! BEIJOS muito agradecidos!!!!
keila Gon




Mirian 21/06/2014

Alguma vez na sua vida você já leu um livro que te enfeitiçasse ao ponto de terminar sua última frase e sentir aquela estrema necessidade de cheirá-lo, abraça-lo e ficar rindo feito boba com ele nas mãos?
Foram essas as sensações que Cores de Outono arrancou de mim, e entre suspiros e risos me apaixonei pela saga ...


Melissa Wels, 21 anos, acabara de ver sua vida virar de cabeça para baixo, com a morte da mãe e do padastro, obrigou-se a trancar a faculdade e mudar-se da cinzenta São Paulo para criar a pequena irmã Alice na pacata cidade de Campo Alto, onde seu avô, a única família que sobrou-lhe, morava.
Se não bastasse seu drama pessoal, de sofrer com a morte da mãe e ter a responsabilidade de cuidar de sua irmã, Melissa vai ter que aprender uma nova rotina que incluía ser o principal alvo das fofocas da pequena cidade, ou melhor, o segundo alvo, pois o primeiro era a misteriosa família que morava nas montanhas e seu novo integrante o Sr. Dippel, cuja fama era cercada de medos e incertezas.
Aos poucos Melissa começa a fazer novas amizades, seu vizinho, e arqui-inimigo de infância, Arthur, que se divertia em importuná-la e a doce Rose, secretária da prefeitura.
Em uma de suas visitas a Rose, a garota finalmente conhece o famoso sr. Dippel, um homem arrogante e ao mesmo tempo encantador.

"Congelei para contemplar sua perfeição e quando encontrei seus olhos turquesa, me perdi. Não consegui desviar. Era como estar hipnotizada, dominada por uma força maior. Com movimentos elegantes ele parou a um metro de distância, ainda encarando. Não sei dizer quanto tempo ficamos assim, conectados, presos em um bolha particular".

Apesar de estar completamente fascinada pelo homem, Melissa não entendia o porquê de seu extremo mal humor e sua brigas tornaram-se inevitáveis. A cada encontro, ocasionados pela grande falta de azar da mocinha que sempre estava em apuros, os dois se envolviam em discussões, partes pela ingratidão dela em sempre querer culpá-lo pela sua falta de sorte, mesmo ele querendo ajudá-la.

" (...)Mesmo que eu tente desviar, você sempre aparece ... como uma pedra. Esperando que eu tropece em meio a situações cada vez mais absurdas(...)"

"Nunca sabia qual seria sua reação(....)embora sua elegância e beleza genuína amolecessem meus ossos.(...)E para piorar essa loucura, não podia mais negar o fato que estava, incompreensivelmente, apaixonada por ele(...)"

Tudo começa a mudar após o baile da cidade, Melissa acabara de dispensar Arthur, deixando claro que só queria sua amizade, e ao tentar fugir da situação foi agarrada pelo inconveniente Daniel, e mais uma vez é salva por Vincent Dippel, a garota tenta novamente culpá-lo por uma situação embaraçosa, mas eles começam a se entender, e ele diz que quer ser seu amigo convidando-a para um passeio com sua irmã.



Um romance logo se inicia, mas nem tudo é o que parece, Melissa vai ter que aprender que o certo nem sempre é fácil, e que para ficar com seu amor terá que viver em um mundo mágico cheio de perigos e mistérios e seu romance está longe de ser um conto de fadas.

Tão perfeito! até o título é perfeito, se encaixa perfeitamente ao casal, o outono é triste, porém trás cores fascinantes, assim como Vincent e Melissa. Eu tinha visto diversas resenhas do livro antes de lê-lo, todas positivas, e agora entendi o porquê da fascinação dos leitores.
Se eu tivesse que definir o livro, falaria que ele foi a fusão do clássico a "Bela e a Fera " com os versos de Stephenie Meyer, a mesma essência. Vicente tenta domar seu demônio interior, está no seu sangue, todos podem ver o monstro que no fundo ele é, porém Melissa enxerga sua bondade, ele a fascina. Para ela, seu galã de filme antigo é um cavalheiro carrancudo, realmente é o termo certo para Vincent
Sem contar Alice, ela é uma fofa! Enxerga o mundo da maneira inocente de uma criança e ao mesmo tempo é madura como um adulto.
Eu me irritei um pouco com Melissa, apesar de ser uma adulta, toma atitudes de uma adolescente, fala coisas sem pensar, magoa quem está por perto e logo em seguida quer voltar atrás, é teimosa e às vezes até um pouco burra! Mesmo assim eu aprendi a gostar dela.
No começo um triângulo amoroso é formado, e como eu disse em outras resenhas isso me deixa frustrada porque sempre escolho o garoto que vai se dar mal no fim(hahaha), e para variar no começo do livro estava torcendo por Arthur, mas de uma forma delicada a autora começou a moldar o romance e no coração de Melissa( e no meu também) só teve espaço para Vicent.

Quando leio um livro que gosto quero convencer o mundo inteiro a lê-lo (hahaha) maaaas, como não tenho todo esse poder :'( recomendo para todos vocês : LEIAM, LEIAM, LEIAM .... Cores de Outono.

" O outono pode parecer triste, mas se você souber onde procurar ele pode surpreender com cores magníficas(...)"



site: http://blogmaisumlivronaestante.blogspot.com.br/
Keila Gon 22/06/2014minha estante
UAU... Você me deixou sem palavras Mirian kkkk MUITO, mas MUITO obrigada pelo carinho. Fiquei mito feliz por "Cores" ter alcançado seu coração.
BEIJO
Keila Gon




SahRosa 05/05/2014

Resenha exclusiva do blog Da Imaginação à Escrita. Plágio é crime!
Após a morte de sua mãe e de seu padrasto, Melissa decide ir morar com o avô em um vilarejo do interior. Acompanhada de sua pequenina irmã, Alice, Melissa tem que enfrentar as responsabilidades pela menina. Ela prometeu que protegeria Alice e não irá medir esforços para isto. Com a vida segundo seu rumo, Melissa passa a conhecer os mistérios que cercam seus vizinhos da montanha, há vários boatos sobre a família Von Berg, mas com certeza, o mais peculiar é sobre Vicent Dippel, um homem atraente e com humor instável.

Dippel parece fazer gosto em atormentar Melissa, e ela não compreende o que fez para ter a antipatia desse fascinante homem, que acompanha seus pensamentos. Quando uma grande revelação é feita pelo próprio Vicent, em relação à Alice e os demais moradores da montanha, Melissa se apavora, afinal, como compreender os estranhos acontecimentos que cercam todos esses eventos? E o mais assustador, ela também faz parte dessa revelação, seu destino sempre esteve ligada ao homem de olhos turquesa e muito antes do que ela imaginava.

Cores de Outono é uma deliciosa aventura mágica, cercada de romance e segredos obscuros. Apesar de no começo, a protagonista não ter conseguido minha simpatia, principalmente por conta do seu gênio forte e implicante, após a revelação, o enredo e os personagens passam praticamente por uma transformação e a narrativa passa ficar mais dinâmica e empolgante. O modo como à autora inseriu o mundo mágico foi cuidadoso e aos poucos, para que Melissa e o próprio leitor compreendessem a magia que cerca todo o enredo.

Além disso, Cores de Outono possui bons ganchos entre os capítulos e Keila vai preenchendo cada lacuna com uma nova novidade, onde a história fica ainda mais curiosa. Sendo narrado em primeira pessoa por Melissa, vemos como a autora conseguiu reproduzir bem sua personalidade; Mesmo eu não tendo simpatizado com ela de início, vejo Melissa como uma das mocinhas mais corajosas que conheci, ela não se deixa levar pelas provações e apesar do perigo, o enfrenta de frente. Vicent é outro destaque no livro, com seu jeito carrancudo e gentil de ser, descobrimos que existem dois lados em sua personalidade, que lutam para domina-lo, um mocinho de filme antigo, com características peculiares.

Recheado de ótimas descrições, escrita ágil, Keila Gon transporta seu leitor por uma história romântica e cheia de fantasia, conflitos e mistérios. Nem preciso dizer o quanto recomendo, não é? As apaixonadas por um bom romance vão amar o livro, principalmente Vicent. Uma leitura carregada de boas emoções.


site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/
Keila Gon 06/05/2014minha estante
Ui... corei... menina as vezes fico envergonhada de ler as resenhas,kkkkk estou muito feliz por Cores ter encantado seu coração! BEIJOS M-U-I-T-O agradecidos!!
Keila Gon




Maria... 28/04/2014

Cores de Outono
Após a morte de sua mãe e seu padrasto, Melissa decide voltar a sua cidade natal para morar com seu avô, junto com sua irmã Alice de 5 anos, com o tempo é envolvida em um Mundo de Fantasia, cheio de magia, ao mesmo tempo que conhece o misterioso Vincent .
Melissa não é uma mocinha ingênua dos contos de fadas, apesar de seus medos, ela enfrenta tudo que vem pela frente com determinação e coragem . Vincent tem todo um charme e mistério que nos envolve sendo tão protetor quanto perigoso. Há outros personagens interessantes como Alice a irmã caçula e Artur o “amigo” no mundo real, além dos seres mágicos da montanha. A mitologia aos poucos nos vai sendo apresentada, e cada vez ficamos mais familiarizados e envolvidos com elfos, magos e conhecendo mundos diferentes como da luz e da sombra. É uma aventura muito gostosa descobrir com Melissa esse mundo mágico e misterioso que se esconde atrás dos segredos da montanha.
Keila Gon 30/04/2014minha estante
Obrigada Maria! Muito Feliz que Cores encantou seu coração! BEIJOS
Keila Gon




Karina 04/04/2014

Magia
Este livro eu comprei pela capa. Achei linda a imagem das folhas caindo e outono é a estação do ano que mais amo! Ao ler a contracapa fiquei intrigada e ao iniciar a leitura fui fisgada. A cada página me identifiquei com a heroína, afinal de contas, ela não é perfeita e não tem uma vida perfeita. É um personagem real, como tantas meninas que encontramos na rua. O enredo vai se estruturando com astúcia e a sedução inicia nas primeira cinco páginas. O heróis?! Pois é, herói mostra-se misterioso, com coisas misteriosas acontecendo por onde ele passa...estou no aguardo de uma possível continuidade! Recomendadíssimo!
Keila Gon 07/04/2014minha estante
Obrigada Karina!!! Fico feliz que a magia de Cores encantou seu coração!!! A sequência" Sombras da primavera" logo logo estará nas livrarias, espero que goste também!
BEIJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS agradecidos!!!!
Keila Gon




Sah 02/04/2014

Keila Gon encanta com a magia dos seus personagens inesquecíveis.
"E não subestime o amor, ele é poderoso. Só o amor é capaz de transformar o coração de um homem..."

Essa foi a frase de inicio pois achei que quase todo livro se resumia nela, ou se baseava nela. Uma frase de impacto. Quem ler vai entender.

Melissa Wels chegou à misteriosa cidade de Campo Alto carregando na bagagem a responsabilidade de cuidar de sua irmã menor, enquanto tentava esquecer a própria dor da perda de sua mãe e o pai de Alice. Mas para sua surpresa sua irmãzinha parece ter superado melhor que ela própria a recente tragédia da família, e isso a deixa mais preocupada. Agora, em sua antiga casa e na companhia paterna de seu avô George, Mel tenta habituar-se a nova vida, proporcionando a sua irmã a segurança que ela precisa no lugar que um dia chamou de lar. Nem que pra isso tenha que negligenciar a si própria. Mas de certa forma as responsabilidades tornam a adaptação ainda mais difícil. E Melissa encontra em seu velho amigo encrenqueiro, uma companhia agradável e ao mesmo tempo perturbadora, para dividir essas angústias. E enquanto ela decide quais são as verdadeiras intenções de seu amigo Arthur e qual atitude irá tomar, conhece o misterioso Sr Dippel, um rapaz frio e indelicado que desperta nela os mais estranhos sentimentos. E como se não bastasse sua aparência intimidadora, ele reside nas montanhas, um lugar repleto de lendas assombrosas e temido por toda cidade, o que só contribui para incrementar o perfil assustador de Vincent Dippel. A única coisa que contrasta com todo esse elemento sinistro, é a beleza extrema do rapaz, que não passa despercebida por ninguém, muito menos por Mel. Com uma forte tendência à se envolver em situações desastrosas, Melissa vivencia muitas delas em encontros premeditados pelo destino com Vincent. Destino, esse é principal sujeito da história... Logo Mel se vê traída pelo coração, apaixonando-se pelo cavalheiro carrancudo de quem tentou em vão manter distância. No entanto.... o que ela não desconfia é que o rapaz de temperamento instável carrega mais segredos do que aparenta, e que de uma forma inexplicável pode estar ligado à ela por uma força incontrolável do destino.

Nota pessoal : Confesso que nunca fui muito de ler livros de fantasia, mas depois desse, tudo mudou em meu conceito. Fantasia pode ser bom.... muito bom mesmo. Keila conta tão detalhadamente, sentimentos, dúvidas, medos entre outros que é impossível não ficar absorto naquele ambiente fantástico. Os personagens são na minha opinião o que deixa a história tão especial. No início, como muitas me apaixonei por Arthur, e tive pena dele, mas quando conheci o verdadeiro Vincent, cheio de defeitos, não existia nenhuma possibilidade de torcer para Arthur. Aquele jeitão de Vincent provavelmente é sua máscara, a que o ajuda a encobrir seus sentimentos para que não corra o risco de sofrer. Ah, sou do team Vincent! Um dos personagens mais fascinantes que tive o prazer de encontrar na leitura. Não posso contar muito se não estraga a história, mas posso garantir que você se apaixonar, se emocionar e não vai querer que termine...

QUOTES.
Alguns Quotes dos muitos que adorei nesse livro.

"Eu não podia dizer não para esses olhos"

"E se alguém tinha o poder de ouvir sem escutar, esse com certeza era eu..."

"- Você é responsável pelos problemas que cria... mas isso é completamente desnecessário... (...) Eu o fitei... parte indignada, parte confusa, parte fascinada"

"Havia desenvolvido uma teoria; Se a mundo é feito de opostos, havia uma arquirrival às forças benevolentes do universo e esse lado sombrio parecia ser um conspirador impiedoso e eu a sua vítima preferida"

"Esse homem tinha sérios problemas de socialização, de humor, e ainda havia espaço para um emaranhado de esquisitices emocionais impossíveis de descrever"

"(...) perco a razão quando alguém do meu constrangimento. (...) - Acho que raiva que você tem por mim foi justificada"

" O calor de seus lábios se movendo nos meus, seu sabor em minha boca, seu perfume tomando meus sentidos, suas mãos me trazendo para mais perto. Eu não existia mais, não éramos dois, mas apenas um"



site: http://meuclubedaleitura.blogspot.com.br
Keila Gon 03/04/2014minha estante
AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH Grito.
Kkkkkkk menina, como posso te agradecer? vc fez a representação mais fiel de Vincnet e conseguiu escolher meus quotes favoritos!!! AHHHHHHHH Serio, amei... MUITO! BEIJOS BEIJOS BEIJOS


Sah 15/04/2014minha estante
Ah Keila, não tem preço ouvir isso, eu que agradeço pela leitura que você proporcionou a cada uma das fãs de Cores. E que ainda vai proporcionar muito mais. Beijos.




Mari Scotti 17/01/2014

Cores de Outono - O Cavalheiro Carrancudo
=== Resenha ===

Eu gosto sempre de contar como tive o primeiro contato com a obra e o autor. Conheci a Keila pela internet e confesso que não me recordo bem como foi a nossa aproximação, mas logo trocamos nossos livros, pois é uma prática comum entre os novos autores. Na época – ano passado –, recebi muitos livros e acabei demorando a começar a leitura.
Em dezembro tivemos um evento na livraria Martins Fontes pelo grupo Trilhando Páginas ao qual eu e a Keila pertencemos e enquanto ela contava a história para os presentes, me vi rapidamente fascinada pelo Vincent, um dos personagens principais. Sempre vi o livro dela como um romance e foi um dos motivos que demorei tanto a começar a ler, pois gosto de romances, mas precisa ter uma pitada de sobrenatural para me prender.
Neste evento é que fiquei sabendo que havia magia na história dela e fui fisgada! Eu não sou fã de ler sinopse, vou literalmente pela capa do livro e gênero, por isso eu não sabia que era fantasia.
Comecei a leitura em 15/01 e terminei em 16/01. Vinha de uma maré ruim na leitura, quem leu a resenha de Perdida sabe que estava de ressaca e essa ressaca era uma constante chata, me impedindo de ler. Perdida me resgatou e Cores de Outono coroou o meu retorno! Estou muito feliz de voltar a ler e com obras tão magnificas!
Não imaginei que em dois dias eu teria mais um livro preferido na minha lista! Agora são três: Os Mistérios de Warthia, Perdida e Cores de Outono. E o que mais me alegra é que todos são nacionais!
Mas vamos à resenha.

Não costumo colocar spoilers significativos, leia sem medo de ser feliz.

Cores de Outono nos apresenta, inicialmente, uma tragédia. Melissa e sua irmã Alice perderam os pais e retornaram para a casa de seu avô George, o Opa (avô em alemão), no interior de São Paulo, pois apesar de seus vinte e um anos de idade, ela precisa de ajuda para criar a irmã de cinco anos e sabe que sua única família agora são os dois.
A cidade pacata logo se mostra fofoqueira – quem morou em cidade pequena como eu, sabe que os boatos giram soltos, principalmente com novos moradores. Ela descobre que antes de chegar à cidade, as fofocas giravam em torno de outra família, uma que vive nas montanhas atrás de sua casa. Um lugar lindo e sombrio, repleto de lendas.
Lembra-se de ter estado naquele lugar quando era criança e morava ali com sua mãe, mas as lembranças são embaçadas e não claras.

“Nos últimos meses busquei por uma coragem inexistente e tentei espantar o medo, mas ele era como o vento que procurava frestas para entrar... sorrateiro, imperceptível”. Página 14

Mas apesar do pesar no olhar da maioria das pessoas, Melissa consegue retomar sua vida devagar, trabalhando com o avô e cuidando de Alice como se fosse sua filha. O problema é que Melissa é um imã gigantesco para desastres. Ela consegue sempre estar no lugar errado, em qualquer momento, ou melhor, acho que o errado a encontra em qualquer lugar e hora e é nesse cenário que ela acaba esbarrando no sinistro Sr. Dippel. Um homem jovem, taciturno, arrogante e imprevisível.
E que todos na cidade parecem temer.
Apesar de ele aparentar vinte e quatro anos, todos o chamam de senhor. Estranho não?!
Vicent Dippel – o cavalheiro carrancudo – entra na história de uma forma avassaladora, causando certa ansiedade em quem lê, porque igual a Melissa, ficamos ávidos por desvendá-lo. Apesar de sua arrogância, empáfia e seu jeito superior de agir, ele demonstra, no fundo de sua áurea sombria, que suas atitudes são a forma que consegue cuidar de Melissa e mesmo notando que ele a salva desses desastres que a encontram inúmeras vezes, Dippel consegue despertar nela o seu pior.
As discussões deles de início dão um “a mais” para a trama, pois sabemos que brigas podem significar negação e eu me vi torcendo para ele ficar bravo ao ponto de calar ela com um beijo ou vice-versa. Mas mais para o final do livro, essas discussões começaram a me irritar. Oh vontade de jogar um caminhão em cima desses dois, mandar se beijarem e aceitar que se amam e pronto!


leia a resenha completa em: http://mariscotti.blogspot.com.br/2014/01/resenha-cores-de-outono.html

site: http://mariscotti.blogspot.com.br/2014/01/resenha-cores-de-outono.html
comentários(0)comente

Keila Gon 20/01/2014minha estante
OHHHHHH BEIJOS MARIIIIIIII...
Muito obrigada pelo carinho com Cores, é uma honra encantar seu coração.
Keila Gon




Amanda Viana 18/12/2013

Resenha postada no blog Geek & Pop
~link ao final

A leitura de Cores de Outono começa com Melissa (ou Mel) nos apresentando, numa narrativa em primeira pessoa, a sua atual condição. Juntamente com sua meia irmãzinha de cinco anos, Alice, acabam de ficar órfãs. Sua mãe e padrasto sofreram um acidente de carro que inesperadamente levaram suas vidas e deixaram muita tristeza e preocupações para Melissa, agora responsável por uma criança em tempo integral. E com seus 21 anos de idade se vê no dever de criar Alice em meio a todo o trauma e sofrimento que está passando.

Decide, então, aceitar o convite de seu avô materno para ir morar junto com ele em sua cidade natal. O senhor George Wells, obviamente, também está passando por muita dor por causa da perda da filha. Mas é agravada ainda mais porque recentemente também perdera a esposa. Sendo assim, avô e neta, implicitamente acreditam que ficando juntos encontrarão forças para continuar vivendo em meio à tanta tristeza.

É um lugar que deixou há muitos anos atrás com sua mãe ainda solteira, fugindo do falatório de uma cidade pequena do interior. Mesmo assim, se sente bem agora que está novamente em casa, com todas as lembranças que a infância lhe traz. Assim como os seus vizinhos, que na verdade pode-se dizer que é uma extensão da família. Os Casella, Lucilia, Antônio e Arthur. Fazem muito bem o papel de boas vindas às irmãs e logo vão se entrosando como velhos amigos. Mas, em particular, Arthur traz lembranças um pouco irritantes para Melissa que sofria em suas mãos quando criança. Irmão de sua melhor amiga, Arthur lhe importunava ao máximo e isso eles não conseguiram esquecer. Mesmo depois de tanto tempo provocações são sempre presentes em qualquer diálogo que haja entre os dois. Só que Melissa cresceu e Arthur percebeu, claro! Logo nasceu uma atração por Melissa que se não fosse por um terceiro elemento na história, esse romance teria desengatado com a ajuda e torcida da família.
"Pareço louca ao admitir que tudo isso seja real, mas o calor que aquece meu peito só cresce, mostrando que estou mais louca ou mais apaixonada do que jamais imaginei um dia." (p. 11)
Pois bem. Vincent aconteceu e Mel não conseguiu mais ver outra pessoa na sua frente. Um homem envolto por muitos mistérios e agregado da família Von Berg, que não ajuda muito porque são frenquentemente alvo de boatos sobre os moradores do alto da montanha. Lugar sempre evitado pela população por causa de histórias que há muitas gerações assustam as crianças.
"Era insano ficar fascinada por alguém que me assustava e mesmo que ele fosse o homem ideal, mais educado, gentil e simpático do mundo, quais eram as chances dele reparar em mim com outros olhos? E por que eu pensava nisso? Já que ele era a figura mais lindamente assustadora e naturalmente antipática que conheci." (p. 103)
Melissa acredita que o azar a acompanha como se uma força do universo estivesse a testando ou simplesmente zombando dela. Sempre está se metendo em confusões e metendo os pés pela cabeça... por isso, com a nova vida, promete para seu avô que tentará ficar longe de encrencas e não chamar atenção para si. Claro que não dá certo! E Vincent sempre está lá de alguma forma inexplicável só para irritá-la com seu jeito arrogante e desestabilizá-la com seus olhos azul turquesa. Resultado: todas as miras da cidade apontadas para Melissa e Vincent.
"Ele era o cavalheiro carrancudo, o gato manso e o tigre feroz; com seu olhar penetrante era capaz de seduzir, mas também aterrorizar... e tudo isso dentro de um único homem. A personificação da confusão." (p. 234)
Mas Melissa tenta a todo custo viver uma vida normal, na rotina de cuidar de Alice e levá-la para a escola, os afazeres de casa e o trabalho na madeireira do avô. Só que coisas estranhas veem acontecendo... eventos e sinais incompreensíveis que ela não consegue enxergar e que só faz querer desvendar a história por trás do mistério envolvendo Vincent e sua família.

E acaba desvendando um mundo novo de magia que achava não existir, dimensões que são maravilhosas e outras que trazem perigo, com magos e elfos que também podem ser bem traiçoeiros. A história de Vincent acaba revelando que seus destinos sempre estiveram conectados e que até sua irmã pode estar correndo perigo, pois, inacreditavelmente para Melissa, Alice possui dons poderosos que ela ainda não sabe controlar e acaba sendo disputada por um grande mago do mal. Aí começa uma relação complicada onde Vincent não quer machucar Melissa numa possível batalha entre o bem e o mal, mas não pode sair de sua vida porque tem que ajudar e salvar Alice. Uma complicação só!
"Sempre imaginei que teria de viver o amor para experimentar suas dores, mas apenas o sonho desse amor impossível já estava me dilacerando." (p. 176)
"E como uma explosão, um calor avassalador tomou meu peito, me fazendo arfar. Mas não era o habitual deslumbramento, era mais intenso. Esse calor aqueceu meu coração gelado e se espalhou por meu corpo em ondas de serenidade, preenchendo cada fissura, aplacando cada tristeza. E entendi que estava amando." (p. 282)
Cores de Outono me agradou, mas infelizmente, só comecei a gostar mesmo a partir de seus capítulos finais. O enredo possui muitos rodeios até culminar ao seu objetivo de revelar os segredos de magia que envolve a história. Eu lia, lia e lia... e quando chegou a grande revelação já não estava mais tão empolgada. Acredito que o livro merecia mais páginas de magia e ação. Espero e creio que isso não mais será um problema em sua continuação que Keila Gon está escrevendo, Sombras da Primavera. Fora isso, todos os personagens têm suas personalidades bem definidas e foram bem explorados, com suas histórias pregressas que ajudaram em muito a entender um todo.

Outra coisa que eu gostei foi a ideia da autora de colocar a playlist que a inspirou para escrever o romance. Possui muitas músicas legais e que adoro também. Até fica aí uma dica para aqueles que gostam e não têm problemas em ler ao som de uma trilha sonora. Adoro!
AAAh.. também tem até uma receita de Brigadeiro de Panela, guloseima preferida da Melissa e Alice. HUUUUUUUUM! Nham, Nham...

site: http://geek-pop.blogspot.com.br/2013/12/resenha-premiada-cores-de-outono-keila.html
Keila Gon 21/12/2013minha estante
Ahhhh Adorei sua resenha Amanda! Parabéns pelo talento! Ficou perfeita e reuniu os principais pontos do livro.
E pode ficar tranquila, "Cores" é a introdução, a apresentação dos personagens, "Sombras" está MUITO mais agitado kkkkkk
BEIJOS e obrigada pelo carinho!
Keila Gon


Gabriele 17/01/2014minha estante
Ameii sua resenha! me deu mais vontade de ler o livro!




Camilla 30/11/2013

Resenha: Cores de Outono
Melissa Wels é uma jovem de 21 anos que perdeu a mãe e o padrasto recentemente, ela se muda para a pequena cidade da montanha, com a responsabilidade de cuidar de sua "tata", sua querida irmã caçula Alice, esperando uma vida normal. Mas ela não esperava encontrar naquele lugar tranquilo segredos que mudariam completamente sua vida.

Melissa conhece um homem misterioso, arrogante e dono de lindos olhos azuis. Vincent Dippel e Melissa Wels brigam toda vez que se encontram, e foi emocionante ver esse ódio mútuo tornando-se amor. O livro é narrado em primeira pessoa, pela personagem principal, o que me agradou bastante, pois dessa forma, conseguimos compreender melhor as angustias, sonhos, medos, desejos e dúvidas da Mel.

Apesar do livro ter um romance encantador, o foco principal é a magia. E foi incrível a forma que Keila Gon nos apresentou esse mundo tão diferente da nossa realidade. Mel é uma pessoa super família, e ela precisava cuidar de sua irmã e seu avô e ao mesmo tempo enfrentar batalhas com elfos, magos e sombras.

No decorrer do livro seu coração será testado, e ela precisará fazer a escolha certa. Dividida entre seus amores: o cavalheiro carrancudo e sua família. E dividida entre dois mundos fascinantes e inusitados: O Mundo Real e o Mundo Mágico. Ela terá que escolher qual caminho seguir, e não poderá falhar, pois isso irá refletir no futuro.

Em suma, Cores de Outono é um livro imprevisível, onde a todo momento é revelado segredos inimagináveis. Tem tudo o que precisa em uma boa história. Keila Gon soube colocar suspense, valores, humor, reflexão, romance, cor, magia, sonhos e emoções na dose certa. Por isso, posso afirmar que esta é uma obra sensacional e inovadora.


Resenha por: Camilla Victória.
Keila Gon 02/12/2013minha estante
Ohhh Camilla, obrigada pelo carinho e por deixar seu coração se encantar!!!
Beijos Beijos Beijos
Keila Gon




Vinícius 27/11/2013

Um pouco de CORES para o seu coração.
Cores de Outono é narrado com maestria em primeira pessoa. Keila Gon não poupa palavras e adjetivos para descrever o necessário. Os sentimentos de Melissa são descritos de tal maneira que você entra realmente na pela da personagem, o mesmo acontece com os locais, nenhum detalhe é deixado de fora, o que me surpreendeu se tratando de uma autora iniciante na literatura brasileira, Keila começou com o pé certo.

O romance Melicent (Melissa e Vincent) é outra parte da narrativa que merece aplausos. Dizem que um beijo vale mais que mil palavras, isso eu não sei dizer, mas sei que Keila descreve uma cena romântica como nem Nicholas Sparks conseguiria. Sim, Keila em minha simplória opinião de resenhista conseguiu sambar nos romances de Nicholas Sparks, eu já li um romance dele e creio que entre a narrativa dele e a de Keila a nossa brasileira dá de 10. Melissa e Vincent vivem um amor entre tapas e beijos, ora eles brigam, ora eles se amam voluptuosamente, ora eles se desentendem por besteiras e assim vai. Ainda mais com o fato dele e ela serem de mundos um tanto... diferentes. Leia o livro que você vai conseguir ter uma visão melhor a respeito disso.

Cores de Outono não é só um livro que trata sobre romance, temos aqui vários assuntos corriqueiros que às vezes deixamos passar despercebidos. Entre eles temos a perda. Melissa se vê inteiramente responsável por Alice, já que ela é a mais velha e a que mais se espera responsabilidade. Identifiquei-me com ela em vários momentos, são descrições que fazem com que o leitor – que já sofreu com perdas – se sinta no lugar dela. Keila consegue ser concisa nesses momentos. Também nós vemos cercados pelo assunto decisões. Depois da morte da mãe e das revelações de Vincent, Melissa fica perdida no meio de tantas informações, durante muitas vezes ela precisa decidir entre o amor de Vincent, a forte paixão que sente por ele e os cuidados com Alice. Cheguei até cogitar a possibilidade de ela ficar LOUCA, sério, o leitor vai conseguir sentir o quanto ela fica coagida por essas decisões. Keila bate bastante nessa tecla de escolhas, desde o principio do livro.

Fantasia é o quesito que se desenvolve quase meio do livro. Vincent assume sua personalidade revelando que é um mago das sombras do Mundo Mágico – um lugar paralelo a nossa realidade, uma espécie de Nárnia. É neste momento do livro que tudo começa a fazer sentido, você consegue conectar a personalidade forte de Vincent com a obscuridade da Terra das Sombras – local obscuro do Mundo Mágico de onde descendem os mais variados tipos de magos malignos. O romance entre eles é algo que pode ser assimilado a Bela e a Fera, o que eu achei bastante legal. Do mesmo modo Keila surpreende descrevendo uma cena de luta mágica onde personagem principal, frágil e humana, fica entre o fogo cruzado.

A garotinha Alice é a coisa mais fofa desse mundo, sério mesmo, dá vontade de entrar no livro e apertar ela até dizer chega. Os outros personagens também dão vontade de apertar, como a Viviana, uma elfa de beleza rara. No geral, todos os personagens são cativantes, de Lucila amiga dos Wels a Heros o cachorro dos Von Berg – a família da montanha – que mais tarde se revela ser um ... ops, leia o livro para saber!

Cores de Outono é um livro encantador, possui mensagens de devem ser lidas, interpretadas e praticadas, possui personagens encantadores e uma narrativa mais que deliciosa. O único defeito que encontrei que necessariamente pode não ser um defeito para outras pessoas, mas pesou na minha nota foi essa oscilação de Melissa e Vincent viverem brigando, entendo que eles pertencem a mundos diferentes e todo aquele assunto sobre escolhas. Mas precisava de toda essa briga? Até as últimas folhas acontece isso e francamente me deixou meio incomodado. Fora isso a narrativa é perfeita, possuí alguns erros como palavras repetidas e erros de digitação, mas são deslizes que dá para ignorar. A edição está perfeita, algumas pessoas podem reclamar das letras pequenas, mas eu gosto. As folhas são macias e cheirosas e o acabamento não deixa a desejar. A Novo Século sempre sai ganhando no quesito qualidade de seus livros.

Ele com certeza foi um melhores livros desse ano, e acredito eu que se fosse de origem estrangeira já teria um filme sendo produzido. É com glória que dou 4 ESTRELAS e um sorriso de leitor encantado.


site: http://momentoliterario1.blogspot.com.br/2013/10/resenha-61-cores-de-outono-keila-gon.html
Keila Gon 27/11/2013minha estante
OHHHH BEIJOS Lindo Vinícius!!!
Seu olhar de leitor foi impecável!
Obrigada pelo carinho e apoio!!!
BEIJOS MUITO agradecidos: )
Keila Gon




91 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7