Dois irmãos

Dois irmãos Milton Hatoum




Resenhas - Dois Irmãos


202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mariana 16/10/2019

meus filhos já fizeram as pazes?
"Nenhuma caçada é anônima. E caçada de mãe é tempestade, revira o mundo, faz vendaval."

Dois Irmãos narra a história de uma família de descendentes libaneses que constroem vida em Manaus. A história é bastante direta, sem muitas metáforas, e centrada na relação da mãe, Zana, com seus dois filhos gêmeos: Omar e Yaqub. Desde novinhos, de personalidades quase opostas, os dois se estranham. Yaqub, ensimesmado e calado, não se atreve a subir até o topo da árvore na qual Omar se pendura. Passa dias no quarto lendo livros e não se dá o luxo de muitas palavras. Omar, por outro lado, é o gêmeo caçula venerado pela mãe. Dono da casa e do mundo, cresce com uma personalidade cheia de si, confiante e mimada.

Do conflito dos dois durante a vida surge a história de Dois Irmãos, narrado pelo filho de Domingas, empregada que trabalhou a vida inteira para a família.

No fim das contas, é um livro bonito, sobre conflitos, família e psicologia. Gostei mas acabei a leitura com a sensação de que ficou faltando algo. Talvez seja esse o propósito do fim. Senti que é uma história bem escrita, gostosa, mas sem muita coisa que me marcou pessoalmente.
comentários(0)comente



Toni 04/09/2019

Este é o segundo livro que leio do autor. Já tinha me apaixonado por Cinzas do Norte e, agora, posso concluir que Milton Hatoum é um dos melhores escritores brasileiros da atualidade. Apesar da obra ter virado série na Globo, a única coisa que sabia deste livro é que se tratava de uma história sobre irmãos gêmeos que se odeiam. Mas Dois Irmãos vai muito além de um Caim e Abel pós-moderno.

Mais uma vez a narrativa de Hatoum faz com que as páginas sejam lidas de forma rápida e muito prazerosa. A trama te envolve de uma maneira que acaba sendo impossível abandonar a leitura. Outro ponto que já tinha adorado em Cinzas do Norte: os detalhes e descrições sobre Manaus. O escritor te coloca dentro da região como se estivéssemos assistindo a um filme. Excelente!

A trama tem todas as características de uma boa e envolvente história. Mistério, vingança, amor, sensualidade e drama. Posso dizer que todos os personagens são incríveis. Cada um à sua maneira, eles nos cativam e fazem com que torçamos ou não pela sua história pessoal.

A reflexão também é outro ingrediente deste Dois Irmãos. Não há como não parar para pensar sobre as relações familiares. Temos o ponto de vista do pai, da mãe, da irmã, da empregada da casa e, claro, dos gêmeos - protagonistas da história. É como se a gente pudesse dissecar uma família e olhar cada parte através de um microscópio.

Confesso que ainda gosto mais de Cinzas do Norte, mas Dois Irmãos faz jus à fama e aos prêmios conquistados na época de sua publicação. A verdade é que Hatoum se mostra um escritor maravilhoso e que sabe como poucos contar uma história.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Babi.Dias 23/08/2019

FODA!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



pribt 24/07/2019

Me surpreendeu...
Até eu não conhecia nada sobre as obras de Milton Hatoum, esse foi o primeiro livro que li do autor e confesso que gostei muito.
Ambientado em Manaus, a obra conta a história dos irmãos gêmeos Omar e Yaqub, descendentes de libaneses, e a rivalidade que há entre os dois.
Uma trama que embora empregue poucas personagens é rico em enredo... Vale a pena conferir

comentários(0)comente



Natália | @tracandolivros 01/06/2019

Dois irmãos
❝Me dá raiva comentar certos episódios. E, para um velho como eu, o melhor é recordar outras coisas, tudo o que me deu prazer. É melhor assim: lembrar o que me faz viver mais um pouco.’❞
.
Yaqub e Omar são irmãos gêmeos, apenas na aparência, porque os gênios são outros; e no fundo mesmo, eles se odeiam. Toda a cordialidade existente entre eles teve fim com o episódio em que os dois gostavam da mesma moça, mas ela escolheu Yaqub. Com raiva, Omar bate no irmão, deixa ele com uma cicatriz no rosto, e assim até a aparência deles tem uma quebra.

Depois desse acontecimento, os pais resolvem que é melhor afastar os meninos e enviam Yaqub para morar no Líbano, após 13 anos ele volta para Manaus, e assim tem início a nossa estória.
.
❝Louca para ser livre.’ Palavras mortas. Ninguém se liberta só com palavras. Ela ficou aqui na casa, sonhando com uma liberdade sempre adiada. Um dia, eu lhe disse: Ao diabo com os sonhos: ou a gente age, ou a morte de repente nos cutuca, e não há sonho na morte. Todos os sonhos estão aqui, eu dizia, e ela me olhava, cheia de palavras guardadas, ansiosa por falar.❞
.
Quando foi lançada a minissérie sobre esse livro houve uma febre, todo mundo resolveu ler ele, e vi muitas opiniões como “melhor livro do ano”, e até mesmo no livro diz que ele é “eleito o melhor romance brasileiro dos últimos quinze anos por críticos literários”. Para deixar claro, não sou uma crítica literária, sou apenas uma leitora, e como leitora eu não enxerguei o que os críticos viram.

Dois Irmãos é um livro com uma premissa interessante, com uma família extremamente problemática, todavia eu não consegui me conectar a ela, e me pareceu que o autor apenas jogou os problemas e não trabalhou eles. Me parece que ele pegou um quadro e apenas jogou umas cores de tinta, mas não se importou em misturar elas e combiná-las. Eu sinto que todos os problemas abordados poderiam ter sido mais aprofundados.

De forma alguma eu digo que este é um livro ruim, a escrita do autor é sensacional e flui super bem, mas não é uma estória que me cativou como aos outros leitores e aos críticos.

site: https://www.instagram.com/p/BiXHiWpHoZr/
comentários(0)comente



Kakau 01/06/2019

Personagens:
Irmãos Gêmeos - Yaqub e Omar
comentários(0)comente



Laura Regina - @IndicaLaura 04/05/2019

Um livro sobre coragem e vingança: “Dois Irmãos” de Milton Hatoum (Companhia das letras ).
A história de dois irmãos gêmeos - Yaqub e Omar - e suas relações com a mãe Zana, o pai Halim, a irmã Rânia e Domingas, a empregada da família.
..
A saga dos jovens numa Manaus em ebulição, efervescente com a transformação econômica e o contraste com o tradicionalismo dos povos indígenas que lá ainda habitavam. A história se passa entre as décadas de 1920 e de 1970, retratando a cidade, suas lendas, os diferentes imigrantes que atraía, suas peculiaridades, seus encantos.
..
Os personagens principais da história são Yaqub e Omar, e ela é narrada em primeira pessoa por um alguém nada confiável (e não falo quem é porque faz parte da beleza da escrita o leitor descobrir de quem é a narração). Sabemos sobre suas infâncias, adolescências, vidas adultas. Também sabemos sobre a família dos gêmeos, como Halim e Zana se conheceram, como Domingas chegou na vida deles, como os três filhos eram tratados pelo casal. E todas as intrigas e mal-entendidos naquela casa.
..
Mas, para mim, o mais impressionante e apaixonante é a ambientação: onde as histórias se passam, as descrições de vários cantinhos da cidade de Manaus, tão bem escritos por Hatoum, com palavras tão poéticas e mágicas que me sintia lá, em plena selva amazonense de décadas atrás.
..
Mais indicações no Instagram @indicalaura

site: https://www.instagram.com/indicalaura
comentários(0)comente



Jefferson Vianna 01/03/2019

Um livro que ecoará por um bom tempo na minha memória...
Extasiado, é assim que eu me sinto após finalizar a leitura de “Dois irmãos”, um romance incrível e envolvente escrito por Milton Hatoum. Trata-se de um livro narrado em primeira pessoa, cujo narrador principal convida-nos a adentrar na história de uma família originária libanesa, residentes em Manaus no início do século XX. Uma família desestruturada devido os conflitos de dois irmãos gêmeos, Yaqub e Omar, incapazes de um ato de perdão que poria fim a um emaranhado de problemas familiares e extrafamiliares. O modo como Hatoum constrói cada personagem, permite-nos a apreciação de sentimentos diferenciados, que oscilam entre o amor e o ódio, visto que os detalhes, seja na ambientação e/ou na descrição dos personagens envolvem o leitor, que busca por respostas e anseia pelo desfecho da narrativa. O livro é fluído, muito bem escrito e emociona a todo instante, a escrita de Hatoum apesar de densa tende a ser poética e cheia de personalidade, capaz de seduzir e emudecer. O desfecho é simplesmente tocante e apesar do silêncio a última cena deste livro ecoará por um bom tempo na minha memória. Fascinante! Trechos/frases selecionadas: “A vida vai andando em linha reta, de repente dá uma cambalhota, a linha dá um nó sem ponta.” e “Mas as palavras parecem esperar a morte e o esquecimento; permanecem soterradas, petrificadas, em estado latente, para depois, em lenta combustão, acenderem em nós o desejo de contar passagens que o tempo dissipou. E o tempo, que nos faz esquecer, também é cúmplice delas. Só o tempo transforma nossos sentimentos em palavras mais verdadeiras.” Leitura recomendada!
comentários(0)comente



Vida Literária 09/02/2019

Dois Irmãos: A Queda de Uma Família
O romance exala um aroma que inibe o leitor, principalmente aquele que já passou por leituras semelhantes outrora. A literatura já nos presentou com narrativas notáveis quando o assunto é drama familiar. Machado de Assis, por exemplo, escreveu a história de Pedro e Paulo, Eça de Queiroz apresenta a nobreza da família Maia, Gabo inspira o leitor com a família Buendía em Cem Anos de Solidão. Outros escritos, como a Bíblia, relatam a história de Caim e Abel e Esaú e Jacó. No entanto, não há vocábulo que melhor exprima o romance em comparação do que “semelhante”, pois, sem medo, Milton Hatoum vai até a última potência para descrever o esmorecimento de uma prole, a sensação de tensão é ininterrupta, os conflitos são diversos, tudo isso, narrada de uma forma fluida e elegante.

Resenha completa no blog!

site: http://vidaliteraria.net/irmaos/
comentários(0)comente



Acervo do Leitor 18/01/2019

Dois Irmãos de Milton Hatoum | Resenha | Acervo do Leitor
RESENHA – DOIS IRMÃOS

Yaqub e Omar. Dia e noite. Trabalho e noitada. Introspecção e simpatia. Gêmeos, filhos de libaneses, vivendo em uma Manaus pós Segunda Guerra. Uma família destroçada por quem não soube amar, não soube demonstrar e não soube dosar. Uma história inesquecível de perdas, danos e o peso das palavras.

“Alguns dos nossos desejos só se cumprem no outro, os pesadelos pertencem a nós mesmos.”

O simples Halim ama a encantadora Zana, aquela em que sua dor pela perda do pai exigiu três filhos. Do seu desejo nasceram os gêmeos Yaqub e Omar e a jovem Rânia. Como Cain e Abel, Esaú e Jacó os irmãos eram irreconciliáveis. Cresceram disputando as atenções dos pais, da empregada Domingas e da bela Lívia, que brincou com o sentimento dos dois. Uma disputa amorosa que deixou uma marca na face de Yaqub e uma ferida incurável no coração de Omar. A distância entre os dois foi a única solução, e Yaqub foi mandado para o Líbano. Em meio a pedras, ovelhas e solidão um homem foi formado. Omar ficou, sendo criado mimado pela mãe, o filho amado. Em meio a fartura, carinho e falta de limites um homem foi formado.
“Só o tempo transforma nossos sentimentos em palavras mais verdadeiras.”

Yaqub está de volta. Em uma Manaus em ebulição ele precisa encontrar seu lugar na família. Na admiração dos professores, no orgulho do pai, no medo da mãe, nos braços de Domingas, na bajulação da irmã, e no ódio do irmão aquele que retornou descobriu que não tinha mais um lar. Omar nunca se foi para retornar, mas nunca esteve presente. No desprezo dos professores, arrependimento do pai, no amor desmedido da mãe, no pavor de Domingas, no desejo da irmã e no ódio do irmão aquele que sempre esteve presente descobriu que não tinha um lar. Yaqub parte para fazer carreira em São Paulo. Omar fica fazendo “carreira” nas boates de Manaus. Sob os cuidados de uma aflita mãe apaixonada duas vidas continuarão a se chocar até quebrarem. A cólera de uma família provará que o ódio é sempre mais fiel que o amor.

“A audácia do Caçula crescia diante do pai. Não se vexava, parecia um filho sem culpa, livre da cruz. Mas não da espada.”

SENTENÇA

Essa obra do brasileiro Milton Hatoum vencedora do “Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance” é uma história violenta e angustiante sobre criação, escolhas e o poder do rancor. Tendo como pano de fundo a evolução da capital do Estado do Amazonas conta um tenebroso drama familiar envolvendo dois irmãos gêmeos que não souberam perdoar e um mãe que não soube amar. Há uma maestria no uso das palavras em sua sufocante narrativa. Pesado e poderoso.

site: http://acervodoleitor.com.br/dois-irmaos-resenha/
comentários(0)comente



Sarah 08/01/2019

Excelente!
Li este livro pra uma disciplina da faculdade e me surpreendeu bastante. Toda a narrativa é bem articulada, poética, crua e realista. A história é contada por Nael, filho da empregada da casa de uma família que mora em Manaus, composta por Halim, Zana, seus três filhos (Yaqub e Omar, gêmeos, e Rânia) e Domingas, a mãe de Nael (que é filho de um dos gêmeos e não se sabe de qual). Os dois irmãos têm uma péssima relação, com problemas que datam desde a infância, e alteram toda a relação das pessoas da casa. Zana, a mãe, é cega de amores por Omar e a diferença de tratamento deixa marcas profundas em Yaqub, assim como o distanciamento e o desprezo de Halim (o pai) por Omar também lhe deixam fortes mágoas. Os conflitos que se desenvolvem ao longo da história são muito bem construídos e dá pra perceber como o acúmulo de pequenos incidentes podem crescer para grandes incidentes e acabar com as relações entre familiares ao longo de décadas. Hatoum descreve uma família possivelmente real, sem censura e com uma maestria louvável! O formato de relato de memórias casa perfeitamente com a proposta do narrador, de registrar a memória daquela família em uma posição ao mesmo tempo de proximidade e distanciamento (pois ao mesmo tempo que era neto, também era filho da empregada). Maravilhoso! Recomendo aos que não têm medo de refletir sobre a vida e sobre a estrutura familiar.
comentários(0)comente



Paula 07/01/2019

Dois irmãos
Essa é a história de uma família de descendentes de libaneses que vivem em Manaus em meados dos anos 40. Halim e Zana se casam e são muito apaixonados. Embora Halim nunca tenha desejado ter filhos, quando o pai de Zana morre, ela, dominadora como é ao longo de toda a narrativa, determina que eles teriam três filhos. São eles os gêmeos Omar e Yaqub e a irmã Rania. Eles também adotam uma índia, Domingas, que trabalha na casa.
Como o título diz, a trama se concentra na rivalidade entre os dois irmãos. Chamado também de ?o caçula? por ter nascido alguns minutos depois, Omar tivera um problema de saúde era extremamente mimado por Zana. Apesar de o comportamento inadequado de Omar ser muito mais evidenciado pelo autor, essa não é uma história de irmãos opostos, em o bom e sempre bom e vice-versa. Milton Hatoum foi estratégico ao construir a personalidade de Yaqub: o ambicioso aspirante à profissão de engenheiro, o ?calculista?.

Uma história com trama e personagens muito bem construídos. Ótima leitura!
comentários(0)comente



LG 05/01/2019

Delicado para falar de uma família, numa região pouco explorada no imaginário do Brasil. A historia traz o conflito dos dois irmaos, Omar e Yaqub, que afeta toda a familia.

Ressalto aqui estranhesa que e ler sobre a região amazônica e em especial Manaus e seu crescimento.
comentários(0)comente



202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |