Um Motim No Tempo

Um Motim No Tempo James Dashner




Resenhas - Um Motim No Tempo


45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Natan 08/02/2019

Ótimo livro pra se divertir e passar o tempo, assim como um episódio de série de comédia. Leveza na escrita, expectativas do que vai acontecer do começo ao fim do livro e vários plot twists no fim.
Incômodo pela idade dos personagens que exercem alguns diálogos infantis.
A parte que envolve a viagem do tempo me lembrou sobre ''O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares''.

Mal posso esperar pra ler o segundo volume.
comentários(0)comente



Joanna 24/01/2019

Gostinho de infância
Faz tempo que eu não lia uma série de aventura sem compromisso, pra crianças. Sempre mergulhada nos High Fantasy resolvi dar uma chance à série do Infinity Ring, até porque o preço na época que comprei estava bacana. Eu adorei, senti-me como uma criança de novo. Tem uns absurdos, tem, mas procurei relevar, é pra criança poxa, e daí que o menino e uma menina de 11 anos sabe mais de história e física quântica que os adultos? A criança que estiver lendo também vai passar a saber um pouco mais. Mesmo com os meus 27 anos nos couros, ainda aprendi uma coisa ou duas com eles. Fiquei triste que fui procurar pelo jogo e não encontrei (se alguém souber de uma maneira para jogar por favor me contem), queria ter descoberto esse livro à anos atrás para ter uma experiência total. Vou ler os outros livros, até mesmo procurar o ultimo em inglês, pra ver como se encerra essas aventuras.
comentários(0)comente



Dani Tiemi 08/04/2018

O que aconteceria se os principais eventos da história da humanidade não tivessem ocorrido exatamente como deveriam? E se alguma os tivessem impedidos e assim mudado drasticamente o futuro?

Dak e Sera são mais que verdadeiros nerds, são duas crianças geniais. Dak é um sabichão que ama história e Sera, uma menina que entende tudo de física quântica. E, eles vivem nesse mundo diferente por que diversos fatos importantes da história foram alterado. Claro que ninguém sabe disso além dos Guardiões da História que acabam recrutando Dak e Sera para salvar o mundo. Neste primeiro volume, a dupla volta para 1492 para salvar Cristóvão Colombo de motim e assim garantir que ele chegue à América.

"Infinity Ring: Um motim no tempo" trata-se de um série cujo livros são escritos por diversos autores, assim como a série "The 39 clues". Este primeiro volume foi escrito por James Dashner e já o segundo livro em diante são intercalados entre outros escritores. A série consiste em oito volumes total até o momento, e trata-se de uma historia de aventura infanto-juvenil.

Eu, particularmente, não gostei do primeiro volume desta série. A trama não me conquistou o suficiente para ter interesse em dar continuidade, ou seja, este é o primeiro e provavelmente o último livro que lerei. A trama é interessante e se tivesse sido melhor explorada poderia ter se tornado um daqueles livros infanto-juvenis que agrada a todas as idades. Eu acredito que uma criança de nove a doze anos curtirá bastante a leitura, mas para mim, foi enfadonha.

Os personagens também não me conquistaram, e achei que o autor tentou introduzir um humor forçado na relação entre eles, quando na verdade as provocações me pareceram tão infantis que não achei graça nenhuma.
Definitivamente faltou ao autor se aprofundar tanto no desenvolvimento dos protagonistas quanto na própria trama que me pareceu rasa. Achei que o livro seria uma forma divertida e instrutiva de introduzir conhecimentos de História a uma criança e até mesmo um adulto, mas achei que foi pouco explorado.

Eu diria que este livro tem um público-alvo específico e, para o minha idade e tanto de leituras já feitas, não é mais um livro que me agrade. Contudo, eu sempre recomendo que leiam e tirem suas próprias conclusões. Afinal, gostos variam e o mais importante é que o leitor se divirta com a leitura - o que infelizmente, não aconteceu comigo dessa vez.
comentários(0)comente



Dhiego Morais | @liemderry_ 11/07/2016

UM MOTIM NO TEMPO
Infinity Ring é uma série de livros juvenis (sete ao todo, com cinco lançados no Brasil pelo selo Seguinte, da Companhia das Letras) que aborda de forma descontraída e divertida o aspecto da “viagem no tempo” para a solução de conflitos e erros do passado que afetaram drasticamente o futuro do planeta.



Vi esse livro a primeira vez no ano passado. Lembro-me de ter-me sentido tentado em comprá-lo, mas acabei enrolando, até que esse mês eu achei uma promoção bacana (ah, promoções!) e finalmente efetuei a compra.

“Viagem no tempo. Dak não sabia dizer o que era mais bacana: a ideia de que isso era possível ou o fato de seus pais terem sido os responsáveis por essa descoberta.”

Um Motim no Tempo é um dos volumes mais longos até o momento, e ainda sim consegue ser um livro pequeno (pouco mais de 240 páginas). Voltado para o público acima dos doze anos (mas nem por isso não se recomenda aos mais jovens), James Dashner, autor de Maze Runner, traz um livro extremamente light, simples e fácil de ler, onde as personagens carregam sempre um tom descontraído e salpicado de humor juvenil à la Rick Riordan.

Temos um mundo com características distópicas, onde ele é controlado por uma organização misteriosa denominada SK, cujos membros, os Guardiões do Tempo, existem para moldar e converter os fatos históricos a seu bel prazer, caso isso signifique intensificar o seu poder.

Logo no início somos apresentados a Dak Smyth, um rapazinho superinteligente, versátil em história em quase todos os aspectos. Às vezes afobado e impassível, ansioso por tudo o que tem relação aos fatos históricos, Dak possui uma sede incontrolável em despejar os seus conhecimentos quando a situação clama por correções. Além dele, conhecemos Sera, uma garota viciada em física quântica e que mora com o tio. Melhor amiga de Dak, juntos, os dois podem ser sinônimo de encrenca ou até de salvação (será?).

LEIA NA ÍNTEGRA EM:

site: http://www.intocados.com/index.php/literatura/resenhas/462-resenha-um-motim-no-tempo-infinity-ring-1-james-dashner
comentários(0)comente



Nat 26/01/2016

Dark Smith e Sera Froste são amigos inseparáveis. Dark é apaixonado por história e adora comer queijo. Sera, apaixonada por ciência, é tão nerd quanto Dark. Enquanto ele tem uns episódios onde começa a palestrar emocionadamente sobre algum evento histórico interessante, Sera sofre com um tipo de fenômeno chamado Reminiscência, quando ela tem uma sensação muito forte de que algo vai acontecer com toda a certeza do mundo, sensação essa que sempre vem acompanhada de dor. Em uma das vezes que os pais de Dark viajam, ele e a amiga entram no laboratório proibido dos pais e descobrem no que eles trabalhavam: um dispositivo chamado Anel do Infinito que possibilita viajar no tempo. Quando os pais dele voltam e usam o dispositivo, Dark na ultima hora resolve acompanhá-los, mas algo dá errado na viagem de volta e Dark e Sera são capturados pelos Guardiões da História, uma organização que luta contra a SQ, um grupo que controla o planeta, mas que não faz nada para impedir os problemas que acontecem no mundo. Quando a SQ invade a organização, os dois mais um jovem prodígio no que diz respeito a idiomas chamado Riq são levados a Espanha de 1492 para impedir a primeira Fratura temporal: um motim que faria com que Cristovão Colombo jamais chegasse a América.

Esse livro é muito legal. Pequeno, leitura rápida que durou uma tarde, não consegui largar. Adoro histórias com esse tema de viagem no tempo e as complexidades inerentes. Os protagonistas são muitos divertidos, principalmente Dark e sua compulsão por declamar fatos históricos na frente de qualquer um e em qualquer lugar. Outra coisa legal sobre essa série é que os livros são escritos por vários autores. Além desses vários pontos favoráveis, a editora Seguinte (que está se tornando uma das minhas editoras favoritas), criou um jogo de pistas para quem quiser se aventurar pela história também. Vale muito a pena. O primeiro episódio do jogo se chama O rei dos diamantes e segue exatamente de onde parou esse livro.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2016/01/um-motim-no-tempo-james-dashner-dl-2016.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Marcos Pinto 26/01/2015

Uma boa aventura
Hoje a resenha será um pouquinho diferente, já que não farei aquele breve resumo inicial para a ambientação na obra. Afinal, a sinopse está enorme e mais do que completa. Tudo que eu possa falar já consta descrito acima. Então, me bastarei a analisar a obra.

O primeiro ponto que me chamou a atenção do livro é: viagem no tempo. Existe algo mais legal do que isso? Claro que não! Acho que todo leitor de livros fantásticos, em algum momento, já desejou que isso existisse. E é isso que encontramos nesse livro: Dak e Sera viajam no tempo para tentar arrumar o passado, fazendo com o presente seja melhor.

Porém, apesar de ser um livro que fale de viagem no tempo, não há nada muito complexo, pois ele é infanto-juvenil. Ou seja: os personagens são bem jovens e a narração é bem fácil, rápida e fluida. Quem é jovem vai adorar; quem é mais adulto, como eu, ficará desejando que esse livro tivesse sido lançado durante a sua infância.

“Dak Smyth era um nerd.
Ela já havia sido chamado de coisa pior, é claro. Bobalhão, esquisito, panaca, CDF – tudo o que se podia imaginar. Mas a palavra que as pessoas mais utilizavam para descrevê-lo era nerd. E ele se importava? Não” (p. 14).


O segundo ponto que mais me chamou a atenção foi a construção dos personagens. Apesar de ser um livro fino e para crianças e adolescentes, o autor soube trabalhar muito bem os protagonistas. Eles são excêntricos, engraçados e meio loucos; o que garante boas risadas e algumas horas de distração.

Entre Dak e Sera, os protagonistas da obra, preferi o primeiro. Um motivo simples: tirando a parte do queijo, consegui me enxergar perfeitamente no personagem. Ele tem praticamente os mesmos gostos que eu tive durante a adolescência, então posso dizer que eu incorporei o personagem e embarquei na aventura sem medo de ser feliz.

Não obstante, a parte visual do livro ajuda bastante para que a leitura seja rápida e proveitosa. A capa é muito bonita; a diagramação é ótima, com folhas amareladas e letras grandes e a revisão está perfeita. A editora está de parabéns para a construção do livro.

– Eu tenho um poeminha para você – interrompeu Dak. – Lá no pé daquele morro, passa boi, passa boiada. Me diz o que é que eu faço para você ficar de boca calada” (p. 115).

Sem dúvidas Um Motim no Tempo é uma excelente aposta para quem deseja uma leitura rápida e gostosa. Não será o melhor livro que você já leu; mas, como se trata de um livro juvenil, ele cumpre muito bem seu propósito. Certamente vale a leitura.

site: http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br/2014/12/resenha-um-motim-no-tempo.html
comentários(0)comente



Leitor Sagaz 14/09/2014

Tinha tudo para dar certo, mas...
Nesta história vamos conhecer os amigos Dak Smyth e Sera Froste, Dak é um garoto que pode ser considerado um nerd, gosta muito de estudar história, sabe a origem histórica de quase tudo! Já sua amiga Sera é uma aficionada por ciências e tecnologia. Os dois são super dotados com QI muito acima da média do restante de seus amigos de escola.


Os pais de Dak são cientistas renomados e possuem um laboratório secreto em casa. A sociedade é, de certa forma, controlada por uma organização denominada SQ (lembrem dessa sigla).

O mundo está passando por mudanças climáticas terríveis e muitos já têm o cataclismo como certo. O ponto crucial é saber que essas alterações no planeta são causadas por fraturas no tempo, ou seja, o tempo saiu dos eixos!

Certo vocês agora entenderam a situação e o que está causando isso, mas vocês se perguntam o que os jovens têm a ver com isso? Tudo!

Certo dia Dak e Sera conseguem entrar no laboratório que seus pais mantinham em casa, fuçando nas invenções Sera encontra o projeto inacabado do Anel do Infinito, que segundo as especificações nele contidas possibilitara a viagem no tempo.

Sera fica obcecada pela invenção e decide que irá termina-la, imaginem o desespero de Dak em pensar que ela poderia quebrar a invenção e ainda seus pais poderiam chegar a qualquer momento e pega-los no flagra! Nada ali no laboratório chamava a atenção de Dak, ele preferia passar horas com um livro antigo e empoeirado.

Após um longo tempo, Sera consegue terminar e diz que o Anel do Infinito está pronto para funcionar! E é neste ponto que a história deslancha, os pais de Dak ficam sabendo de tudo e resolvem contar o porquê deles possuírem um laboratório secreto e qual o verdadeiro propósito do Anel.
Claro que eles iriam fazer um teste drive com o Anel e para variar tudo funciona quase perfeitamente, veja bem quase, eles vão parar em meios a uma batalha e na correria para conseguirem retornar os pais de Dak se perdem no tempo!

Agora vamos conhecer OS Guardiões da História, que são os mocinhos dessa aventura, eles vigiam o tempo e analisam tudo aquilo que possa representar uma fratura no tempo. Também temos os Guardiões do Tempo, esses são os vilões, um grupo que se aproveita das fraturas e mudanças nos acontecimentos para se beneficiar.

Orientados pelos Guardiões da História, Dak e Sera e agora também com mais um jovem chamado Riq, eles terão que impedir os acontecimentos que causaram estas fraturas e o primeiro deles é relacionado ao descobrimento da América.

Claro que acontecem várias coisas até que eles sejam finalmente enviados nesta missão, mas não vou revelar o que vai acontecer. Isso que narrei até agora é apenas o começo da história.
O enredo em si é bem interessante, mas foi mal aproveitado, poderiam ter explicado mais as coisas e não ter sido tão superficiais nas cenas de ação. Tipo caso onde uma ideia muito boa não soube ser aproveitada.

Li o livro bem rápido mas não consegui me identificar com a história, tinham a receita para algo excelente mas que no fim não passou de mediano. Vou ler os outros livros da série e espero que os próximos volumes sejam melhores.

Abraço,
Diego de França

site: http://www.leitorsagaz.com.br/2014/09/resenha-um-motim-no-tempo-infinity-ring.html
comentários(0)comente



Gabii 09/09/2014

Primeiro livro da franquia colaborativa – presumo que seja este o termo – Infinity Ring, Um Motim no Tempo nos apresenta Dak, Sera e Riq, que de uma hora para outra – menos Riq – são postos em uma corrida pelo tempo – eu acho que essa frase é adequada – para concertar desvios na história da humanidade ocasionados por uma organização muito suspeita, e assim salvar o mundo do colapso – na estória essas mudanças na história ou fraturas estão causado fenômenos naturais atípicos.

Dak e Sera são amigos desde sempre (?) e que juntos enfrentam o dia-a-dia da escola – que não é nada fácil, tendo em vista que os dois são gênios, Sera é a garota de exatas e Dak entende TUDO de história – e a rotina de uma vida nada comum: reticências para Sera – é um processo meio confuso, é como se ela quase tivesse lembranças de coisas que não aconteceram na “realidade” em que ela vive –, os pais cientistas de Dak, que são uns fofos e bem diferentes, e um mundo em que a SQ, a tal organização suspeita, parece manter seus “tentáculos” por toda a parte, cada dia mais onipresente e poderosa.

Essa rotina já quase nada normal, é drasticamente abalada quando Dak e Sera resolvem dar uma volta pelo laboratório dos pais de Dak – que diga-se de passagem é trancado a um milhão de chaves – e topam com um invento incrível: o Anel do Infinito, dispositivo que após uma “mãozinha” de Sera torna possível a viagem no tempo; a partir disso a travessura de Dak toma proporções gigantescas com o sumiço de seus pais, e a entrada dos Guardiões da História – sociedade secreta, supostamente fundada por Aristóteles – na estória esclarecendo algumas coisas sobre o trabalhos dos pais de Dak, sobre a SQ, e também sobre os desastres naturais mais recentes. Após a entrada dos Guardiões da História no livro, o ritmo fica bem mais intenso, com Sera e Dak partindo junto a Riq – o gênio das linguagens – através do tempo, concertando “Fraturas” e tentando encontrar os pais de Dak, nesse primeiro livro você ainda confere qual é, e como foi concertada a primeira “Fratura” – dica: essa fratura tem tudo a ver com o Novo Mundo, e indiretamente (ou diretamente), com nós.

Eu não sei muito bem o que esperar do segundo volume, intitulado Dividir e Conquistar e escrito por Carrie Ryan – não conheço esta escritora – presumo que seja sobre Roma, porém sobre Um Motim no Tempo, posso dizer que simpatizei bastante com a série, e com o escritor, vou tentar sim continuar a leitura.

site: http://embuscadelivrosperdidos.blogspot.com.br/2014/08/um-motim-no-tempo-james-dashner.html
comentários(0)comente



Sol Brasil 30/07/2014

{Resenha} Um Motim No Tempo - Infinity Ring (James Dashner)
Já faz um tempinho que li esse livro, mas só agora tive tempo de poder resenha-lo. Antes de qualquer coisa, quando vi o lançamento desse livro, fiquei bem interessada na narrativa do livro. Por ter como fundo, personagens que fizeram parte de nossos estudos. Bem, ao comprar e começar a ler, não achei que fosse gostar tanto da narrativa desse livro. Deixa-me contar um pouco, sobre o que nos espera.

Conhecemos logo de inicio Dak Smyth e Sera Froste, melhores amigos, alunos da quinta série da Escola Ginasial Benedict Arnold. Ambos com onze anos de idade são muito inteligentes, mas cada um com sua especialização. Dak por exemplo é fanático por história, ele é do tipo que gosta de explicar algum evento histórico nos momentos mais impróprios, além disso, tem uma séria compulsão por queijo e seus pais são cientistas e possuem um laboratório em casa. Do outro lado temos Sera, que adora física quântica, e consegue resolver as equações mais difíceis, também adora tecnologia.

"Com os olhos arregalados, ele parecia perdido nos próprios pensamentos... O que só podia significar que estava prestes a dizer alguma coisa muito idiota."

Os dois são muito diferentes, mas isso não impede que um entenda o outro. O mundo onde eles vivem está passando por diversas alterações climáticas críticas, onde ninguém da organização SQ se atreve a dar explicações, só o que dizem para a população é para eles ficarem despreocupados. Mas na verdade a SQ há séculos vem mudando o curso natural dos fatos para o seu favorecimento, e poder controlar o mundo.

"A SQ é uma organização misteriosa, e a principal vilã dos livros. Entretanto, a organização mudou muito com o tempo. Atualmente, a SQ é um grupo conhecido por todos, que tem controle quase total dos principais governos do mundo. Tendo interferido em quase todos os eventos importantes da História, a SQ tem poder absoluto."

Porém os Guardiões da História estão tentando proteger para que isso não aconteça, eles impedem que as Grandes Fraturas aumentem cada vez mais. Para isso eles têm que retornar ao passado para corrigir todas essas falhas. É exatamente ai, que os dois amigos entram. Após Sera conseguir desvendar um artefato tecnológico único, onde dá a chance de resolver essas questões. Eles são alertados que terão que cumprir algumas missões. Usaram suas habilidades e conhecimentos que são essenciais para que essa tarefa der certo. Na sua primeira missão iram utilizar o Anel do Infinito (dispositivo de viagem no tempo) até Palos de la Frontera, no dia 03 de agosto de 1492 e concertar o descobrimento da América, ou seja, impedir um motim sofrido por Cristóvão Colombo. Se for falar muito, vou acabar soltando spoilers.

"Dak sentiu a presença de algo em sua mão. Ele reconheceu o objeto pela toque: era o Anel do Infinito. Não havia tempo para pensar, e ele simplesmente o agarrou. As luzes brilharam com mais intensidade, e o barulho se tornou insuportável. Dak gritou, mas o som de seu berro se perdeu no meio daquela balbúrdia.
Então tudo terminou. Dak e Sera estavam de volta ao laboratório.
Mas não havia sinal dos seus pais em lugar nenhum."

Digo a vocês, que não parei de ler um só minuto, fiquei entusiasmada nos acontecimentos a cada página virada. Gostei da escrita do autor, os detalhes colocados em cada cena. Estou empolgada para ler a continuação e espero que continue assim, o desenrolar da história, pois cada livro é escrito por autores diferentes. Também devo ressaltar que para quem gosta de uma boa história vai conseguir se deliciar com esse livro, para quem não curti muito, não se preocupe, pois a autor foi bem cuidadoso em colocar as informações de uma forma que não fique chata. Recomendo.

"Todos eles exibiam sorrisos esperançosos no rosto, e pela primeira vez Dak sentiu a pressão da tarefa que tinha em mãos. “Salvar o mundo. Não é nada de mais, certo?"

site: http://www.loveebookss.com.br/2014/07/resenha-um-motim-no-tempo-infinity-ring.html
comentários(0)comente



Carolina DC 14/07/2014

A série Infinity Ring é o tipo de leitura que engana o leitor.... Da melhor maneira possível!!!
Narrado em terceira pessoa, o livro tem como protagonistas Dak Smyth e Sera Froste, dois alunos da quinta série da Escola Ginasial Benedict Arnold. Os dois tem onze anos de idade, são muito inteligentes e possuem dificuldades de se relacionar com os demais alunos, mas são melhores amigos e entendem perfeitamente as peculiaridades que possuem.
Dak é fanático por história, do tipo que sempre quer explicar algum evento histórico nos momentos mais inapropriados (como em um velório!) e tem uma séria compulsão por queijo. Seu pais são cientistas que possuem um laboratório em casa. Tem algo mais incrível do que isso?
Sera é fã de física quântica, consegue resolver as mais complexas equações e atura Dak.
Conforme a sinopse explica, o mundo onde esses dois vivem está passando por diversas alterações climáticas críticas, que aparentemente não tem explicação. A organização SQ é quem está no poder e afirma que a população pode ficar despreocupada.
Mas e se os dois descobrissem que a SQ, representada pela maligna Tilda, a Dama de Vermelho, está alterando eventos históricos importantes e mexendo com a linha tempo/espaço?
Sera e Dak vão conhecer os Guardiões da História, uma sociedade que existe desde o tempo de Aristóteles e que vem percebendo algumas Fraturas no tempo. Essas Fraturas estão causando Reminiscências, que são sensações de que "algo" está faltando em sua memória, mas por mais que a pessoa se esforce, ela não consegue descobrir o que é.
Um dos Guardiões mais novos é Riq, um adolescente de 16 anos poliglota que acaba sendo enviado pelo Tempo junto com Dak e Sera.
A dinâmica entre os três, principalmente as implicâncias de Dak e Riq são hilárias e trazem uma certa leveza à história.
A primeira missão deles é utilizar o Anel do Infinito (dispositivo de viagem no tempo) até Palos de la Frontera, no dia 03 de agosto de 1492 e "arrumar" o descobrimento da América.
A série é voltada para o público jovem e tem todos os elementos necessários para ser um sucesso: personagens cativantes e divertidos, diversas aventuras e em cada livro o leitor conhece novos personagens, locais diferentes e situações inusitadas.
Com a ajuda da açogueira Gloria, Olho Grande, Ricardo, Francisco e Daniel, os três protagonistas precisam descobrir qual é a Fratura no descobrimento da América que precisa ser corrigido.
O livro contêm enigmas, imagens e outros detalhes que não apenas enriquecem o livro, como permitem o leitor ter uma participação mais ativa da missão desse trio.

site: http://www.viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



Leno 10/05/2014

Ótimo livro!
Dak Smith é um prodígio da história completamente apaixonado por queijo. Sera Froster é uma nerd na área de física quântica e tudo que envolva tecnologia. Eles são amigos inseparáveis, mesmo com gostos completamente diferentes.
Uma organização denominada SQ tomou o poder de todo o mundo e está deixando-o de lado com altos índices de criminalidade, altos impostos, desastres naturais que estava levando o mundo de encontro a uma catástrofe global. Isso deixa os garotos com vontade de mudar o mundo.
Certo dia, os pais de Dak viajam e deixam a chave do laboratório misterioso onde eles realizam experiências que não são reveladas. Diante dessa chance única, os garotos entram e descobrem um dispositivo que nunca foi criado antes e que mexerá com futuro do mundo. Trata-se do Anel do Infinito, que permite viagem ao passado. Só que o dispositivo não estava completamente pronto, e com a ajuda de Sera, foi terminado nos próximos dois dias. Porém se alguém da SQ descobrir, os pais de Dak estão mortos.
Sendo um visionário, Aristóteles previu tudo o está acontecendo atualmente e junta um grupo de pessoas dispostas a salvar o mundo desses desastres, os Guardiões da História. Ele já sabia que um dia seria possível viajar no tempo e que alguém voltaria para corrigir as Grandes Fraturas. Em meio a situações de emergência, medo e perdas Sera e Dak partirão em uma aventura em nome dos Guardiões da História para corrigir as Reminiscências que afligem a humanidade.


site: http://likelivros.blogspot.com.br/2014/03/resenha-infinity-ring-um-motim-no-tempo.html
comentários(0)comente



Naty 15/04/2014

Infinity Ring
Infinity Ring criada por James Dashner ( o mesmo autor de Maze Runner). Os livros contam a trajetória de Dak e sua melhor amiga Sera para evitar o cataclismo no futuro eles tem que voltar no tempo para corrigir as fraturas na história.
comentários(0)comente



Danielle 13/04/2014

Um bom livro
Resenha – Infinity Ring – Livro 1 – Um motim no tempo
Dak e Sera são melhores amigos, nerds e fissurados em história e ciência, quando eles descobrem que os pais de Dak estão preparando um dispositivo capaz de voltar no tempo a jovem Sera não descansa até finalizar o projeto.
O mundo está passando por momentos de muitos desastres naturais e a SQ, a organização que governa o mundo não faz nada para resolver o problema e os guardiões da história,uma organização secreta fundada por Aristóteles descobre que SQ está modificando grandes fatos históricos o que está provocando fraturas na terra e até as pessoas percebem que algo de errado está acontecendo, no caso de Sera ela é órfã mas ela tem remissões,ou seja, sensação de que seus pais deveriam estar com ela e não mortos.
Como o anel do infinito foi programado apenas para funcionar com o DNA da família de Dak , sendo que eles podem levar outras pessoas, os guardiões da história dará as instruções para que Dak, Sera e mais uma pessoa que trabalha para eles façam a viagem no tempo para 1492, essa é a primeira fratura no tempo que eles terão que consertar, um motim na caravana de Cristóvão Colombo para descobrir a América, onde Cristóvão foi morto e jogado ao mar. Será que as crianças conseguirão cumprir sua tarefa? Os pais de Dak ficaram perdidos no tempo na guerra da independência dos EUA, quando eles fizeram o primeiro teste sem as instruções dos guardiões e Mak precisa salvá-los.
Eu particularmente adoro assuntos que retratam viagem no tempo, acho fantástico o fato de se poder modificar o futuro e o choque de culturas que muitas vezes acaba sendo cômico em espaços de tempo muito grandes. A leitura flui bem, a trama é boa mas podiam ter explorado mais o assunto, mas gostei bastante , recomendo e pretendo continuar lendo ospróximos volumes. Importante ressaltar que cada volume foi escrito por autores diferentes.


site: www.facebook.com/minhasresenhasdp
comentários(0)comente



Felipe Miranda 03/02/2014

Um Motim No Tempo - James Dashner por Oh My Dog estol com Bigods
Dak Smith tem uma obsessão por fatos históricos e uma paixão esquisita por queijo. Já Sera Froster é um prodígio da física quântica, fórmulas químicas e tudo que envolva tecnologia. Eles são gênios, cada um a sua forma, e amigos inseparáveis com mais coisas em comum do que a falta de habilidade em socializar. Até o desfecho dessa estória eles perceberão que o destino preparou algo muito importante para suas vidas.

Índices gritantes de criminalidade, desastres naturais, altos impostos e o poder centralizado nessa organização intitulada SQ que pouco parece fazer para amenizar os danos. Essa é a situação do mundo de Dak e Sera, e o cataclismo parece cada vez mais possível e próximo. Os pais de Dak vivem viajando para tratar de assuntos profissionais secretos, um verdadeiro mistério que persiste no laboratório de casa, onde realizam experiências e pesquisas malucas não reveladas. Então, numa dessas viagens, as chaves são esquecidas e obviamente Dak e Sera não perderão a chance de visitar o aposento dono dos boatos mais bizarros das redondezas... E o dispositivo que eles descobrem vão abalar as estruturas de suas humildes vidas nerds para sempre.

O objeto em questão é um Anel do Infinito que permite a viagem no tempo. O que foi concebido ao mundo pelos pais de Dak, fora aperfeiçoado por sua melhor amiga com a peça faltante capaz de fazê-lo funcionar. Porém nada é tão simples e aceitável assim, sem querer, os dois jovens podem ter assinado a sentença de morte dos pais de Dak...

Aristóteles sendo um visionário, previu todas as desgraças que estão ocorrendo atualmente e, anos antes de Cristo, mobilizou um grupo de seguidores dispostos a salvar o mundo de desastres. Ele sabia que um dia viajar no tempo e espaço seria possível, sabia também que só assim seria possível corrigir os erros, as Grandes Fraturas, os fatos que nunca deveriam ter acontecido. Situações de urgência, requerem medidas drásticas e em meio a perdas e medo, a única chance de salvar o mundo encontra-se nas mãos de Dak e Sera que partirão em missão a mando dos Guardiões da História para corrigir as Reminiscências que atormentam a humanidade.

Me respondam, é possível não simpatizar com protagonistas nerds? Eu particularmente não consigo e quando estou falando de nerds que viajam no tempo é que fica complicado não amar. Dak e Sera são opostos mas completam-se, a química entre os dois é uma delícia de acompanhar. A trama é uma verdadeira aventura do início ao fim, o clima leve de perigo e suspense é capaz de prender leitores de qualquer faixa etária. Afinal, eles estão alterando a História do Mundo, qual serão as consequências, afinal? Suas lembranças permanecerão? Os personagens secundários são de suma importância e guardam surpresas reveladas no decorrer das páginas. Riq, o garoto que os acompanha nessa missão garante farpas trocadas com Dak, deixando a viagem divertida e afiada. A narrativa em terceira pessoa é ágil, rápida, viciante. Devorei o livro e fiquei querendo mais. Os próximos volumes devem aprofundar mais a estória e dar explicações que faltaram no livro 1. Sem falar que o grande erro que eles devem consertar envolve a descoberta da América, Cristovão Colombo e os Irmãos Amâncio... O que é no mínimo revoltante.

Eles devem seguir as pistas, desvendar pictogramas, fugir da morte e ter a certeza de estar interferindo na Fratura certa... Curioso? Prepare-se para viajar no tempo! Leitura mais que recomendada.

site: http://www.ohmydogestolcombigods.com/2014/02/resenha-um-motim-no-tempo-james-dashner.html
comentários(0)comente



45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3