Noites Negras de Natal e outras histórias

Noites Negras de Natal e outras histórias Karen Alvares
Melissa de Sá




Resenhas - Noites Negras de Natal e outras histórias


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Paulo Sora 27/02/2017

Ruim
Infelizmente, não peguei o livro que gostaria de ter lido. De todos os 4 contos que compõem essa coleção (intitulada como uma obra de suspense e terror), só uma me fez realmente sentir apreensão.
O último conto sequer é uma obra de suspense ou terror.
Talvez as autoras já tenham evoluído bastante em suas técnicas literáriase e certamente eu daria outra chance a algum material delas, mas por enquanto, estou bem desapontado.
comentários(0)comente



Diae 20/12/2016

Resenha Exclusiva do Blog Da Imaginação à Escrita
Durante o mês de dezembro, eu escolhi alguns contos com referências ao natal para poder ler e nesta segunda-feira minha intenção era fazer uma leitura rápida para trazer a resenha aqui no blog e olhando os contos, decidi por algo mais macabro do que uma historia fofa e com isto tive certeza que Noites Negras de Natal e outras histórias seria minha próxima leitura. A obra é uma parceria entre as autoras Karen Alvares e Melissa de Sá, e possui 4 contos sendo que dois dois deles se passam na época do natal.

A leitura pode ser concluída em pouco tempo, cerca de uma hora ou menos e os 4 contos possuem um fundo sinistro, com mistério e suspense. Cada história fluí facilmente, a escrita das autoras é ótima, cada uma com sua característica. De um modo geral, eu gostei muito dos contos, mas apenas dois deles se sobressaíram mais na minha opinião, Lembranças Vermelha, que me impressionou e deixou aquela sensação de questionamento, que te faz refletir sobre tudo que se passou, agora já sei que tenho que ter cuido com renas, principalmente se elas tiverem uma aura macabra (risos) e que se um machado aparecer não pense duas vezes para pega-lo. Alem deste conto, gostei também do Setor B12, uma historia com aquele gostinho de lenda urbana e confesso que me arrepiou em vários momentos!

Noites Negras de Natal e outras histórias é uma leitura ótima para quem procura não só algo rápido para ler, mas que é envolvente, misterioso e com aquele gostinho de suspense que tanto adoramos, alem disso uma forma incrível de conhecer um pouco mais do talento de Karen Alvares e Melissa de Sá! Sem mais, Noites Negras de Natal e outras histórias mostra um lado mais assustador e cativante, além de macabro desta época tão boa que é o natal!

site: http://www.daimaginacaoaescrita.com/2016/12/mini-resenha-noites-negras-de-natal-e.html
comentários(0)comente



Laís Helena 12/12/2016

Resenha do blog Sonhos, Imaginação & Fantasia
Noites Negras de Natal e outras histórias é um livro com quatro contos de terror, dois de Karen Alvares e dois de Melissa de Sá. Abaixo, você pode conferir a minha opinião sobre cada um deles:

O Último Panetone de Natal (Karen Alvares)

O Natal se aproxima, e faltam poucos dias para completar um ano da morte dos pais de Rafaela, e por isso ela e Pablo, seu namorado, viajam para o mesmo local onde os pais da moça morreram — Rafaela sente que é necessário, que só assim conseguirá superar. No entanto, um dia de viagem não é suficiente, e decidem parar em uma pousada no meio do nada, onde são atendidos por uma velha.

Gostei da escrita, e gostei especialmente dos personagens. A narrativa é em terceira pessoa e sob o ponto de vista de Pablo, e foi bastante eficiente em construir o clima de tensão. Os personagens foram bem caracterizados, especialmente considerando a extensão do conto. A autora teve o cuidado de lhes dar características suficientes para que soassem críveis — duas pessoas comuns que têm seus medos e problemas para enfrentar. Gostei do clímax, apesar de ele não ter me assustado — foi uma surpresa e tanto.

Avaliação: 5 estrelas

Lembranças Vermelhas (Melissa de Sá)

É véspera de Natal, mas Julian não quer estar com o irmão, André, e sua esposa estrangeira, que tem dois filhos. Aquela tinha tudo para ser uma noite quente e tediosa de Natal, mas, assim que André e a esposa deixam a casa para socorrer a irmã dos dois, presa na rodovia devido à chuva, coisas estranhas começam a acontecer.

A narrativa, em terceira pessoa e sob o ponto de vista de Julian, foi bastante imersiva. Consegui sentir a noite quente e consegui ouvir o temporal de verão. O clima de mistério e tensão, especialmente, foi muito bem construído. É aquele tipo de narrativa que te dá vontade de entrar na história e dizer para o personagem sair logo dali. E isso só foi possível porque Julian é um personagem crível, com quem é possível ao menos simpatizar, então o medo dele se transmite para o leitor. Mas a melhor parte do conto é justamente que ele não foca em monstros ou outros elementos sobrenaturais, e sim no mistério e na sensação de que algo está acontecendo, de que tem alguém vindo. Foi uma leitura bem gostosa de fazer.

Avaliação: 5 estrelas

Setor B12 (Karen Alvares)

Beto está há nove meses desempregado e desesperado por um emprego. Por isso, não se importa com os boatos estranhos que rondam a obra em que pretende trabalhar — tudo o que importa é estar empregado outra vez. Beto resiste até mesmo quando um dos boatos se confirma e mortes estranhas começam a acontecer na obra.

Como no outro conto da Karen Alvares, a narrativa é bastante imersiva e os personagens, bastante críveis. Gostei de como foi desenvolvido o mistério ao redor da obra e das mortes. Quando a grande revelação foi feita, porém, acabei me decepcionando um pouco. Achei que o conto explicou demais — um pouquinho mais de mistério teria dado o toque assustador necessário. Além disso, o elemento sobrenatural escolhido não me agradou muito (mas isso é algo mais particular mesmo).

Avaliação: 4 estrelas

A Morte do Cisne (Melissa de Sá)

A Morte do Cisne é o conto com mais elementos sobrenaturais e fantásticos da antologia. Sua protagonista é Odette, uma mulher amaldiçoada a viver como um cisne, sendo que conta com apenas algumas horas de humanidade por dia.

O conto é narrado em primeira pessoa, no tempo presente, e é bem escrito. Apesar disso, acabou sendo o que menos me agradou nessa antologia. É um conto que levanta temas como a morte, o amor, traições e conspirações, mas seu enfoque é na fuga desesperada de Odette, e talvez esteja aí o problema que me fez não gostar muito. Pouco se fala sobre as motivações de Rothbart, o vilão, ou Siegfried, o príncipe, e embora o foco seja Odette e seu dilema com a perda da humanidade (o que não deixa de ser interessante), eu gostaria de ter podido saber um pouco mais sobre eles. O conto terminou me dando a sensação de que não atingiu todo o seu potencial.

Avaliação: 3 estrelas

site: http://contosdemisterioeterror.blogspot.com.br/2016/11/resenha116.html
comentários(0)comente



SAMUEL 01/07/2014

Medo e horror em natais pra lá de sombrios
“Noites Negras de Natal e outras histórias” é uma coletânea de quatro contos de horror, dois escritos por Karen Alvares, e outros dois escritos por Melissa de Sá. As autoras mostram grande sintonia e uma qualidade uniforme, de modo que os textos são todos ótimos, independente de quem seja a autora da vez. Cada conto trata do medo e do horror sob uma ótica diferente, o que garante uma leitura sem um segundo sequer de monotonia.
Vamos aos contos:

O Último Panetone de Natal (Karen Alvares)
Este conto traz uma história de horror típica, começa na estrada, depois em uma pensão em meio ao nada e... digamos que coisas estranhas acontecem.

Mas, a despeito desses elementos utilizados frequentemente, Karen destoa de outras histórias, apresentando uma personagem amargurada, com feridas do passado que ainda não cicatrizaram. Misturado a esse clima denso e tenso, elementos que fazem da autora, além de sombria, pop; como Ramones e The clash tocando no som do carro e um fusquinha chamado azeitona. A pura verdade é que realmente não dá pra ouvir I wanna be sedated sem balançar a cabeça, assim como parece impossível ouvir Should I Stay or Should I go sem bater o pezinho.

Na pensão, um típico clima sombrio. Uma velhinha e seu netinho e nenhum hospede além dos protagonistas. Quando o horror começa, tudo fica muito assustador, a sequencia de acontecimentos é asfixiante, culminando em um desfecho extremamente surpreendente.

Lembranças Vermelhas (Melissa de Sá)
“Lembranças Vermelhas” nos apresenta a um natal em família onde as coisas não acontecem bem do jeito que os personagens esperavam. Julian se vê obrigado a passar o natal com seu irmão André e família, mesmo que ele preferisse estar em qualquer outro lugar, menos ali.

Melissa nos insere na vida dos personagens de uma forma magistral, com um humor inteligente e um texto verossímil, com primor tanto na forma quanto no conteúdo. A companheira estrangeira do irmão, os filhos nada agradáveis e o pedantismo de André são descritos de uma forma muito interessante, e que faz com que possamos nos divertir com o mau humor de Julian.

Quando Julian fica sozinho com as crianças, então entra em cena o verdadeiro terror. A autora nos ambienta em uma casa de fazenda de forma hábil, sabendo quais detalhes são importantes para a imersão do leitor, e o que é desnecessário, deixando o texto conciso e dinâmico.

O final é ótimo, mantendo a qualidade da história da primeira à última linha. Depois de ler esse conto você nunca mais vai ver renas de plástico com os mesmos olhos e vai evitar ficar sozinho com quadros antigos que nos seguem com o olhar.

Setor B12 (Karen Alvares)
Um conto mais urbano, onde a autora consegue abordar temas como o desemprego, e ainda assim garantir uma divertida e terrível leitura de horror. Um desempregado consegue emprego em uma obra, para seu alívio. Mas logo mortes estranhas começam a ocorrer no local, o que leva alguns dos trabalhadores a procurarem respostas.

Então somos apresentados ao mal que assola a obra, e temos uma sequencia de tirar o fôlego, além de assustadora. Mais uma vez Karen mostra que nasceu para escrever, e entrega uma história que prende a atenção desde o seu início, eleva a tensão em determinado momento e mostra um desfecho que não decepciona.

Assustadoramente ótimo.

A Morte do Cisne (Melissa de Sá)
O último conto do livro destoa dos demais. Mas, atenção, não me refiro à qualidade, pois “A Morte do Cisne” conserva a alta qualidade das outras histórias, e fecha maravilhosamente bem o livro.

“A Morte do Cisne” é uma história de fantasia, que a primeira vista pode se parecer com diversas do gênero, mas na medida em que avançamos na leitura, adentramos um ambiente sombrio, com segredos sórdidos e assustadores.

O desfecho é de arrepiar e suficiente para que eu diga: Melissa, eu sou seu fã.


site: http://desarranjocerebral.blogspot.com.br/2014/07/resenha-noites-negras-de-natal-e-outras.html
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 29/05/2014

Resenha: Noites Negras de Natal e outras histórias - Por Essas Páginas
Noites Negras de Natal e outras histórias é um livro de contos da Karen Alvares (colunista aqui do Por essas Páginas) e da Melissa de Sá (do blog Livros de Fantasia). Terror não é a minha zona de conforto (sim eu sou medrosa!), mas eu gosto de mudar um pouco de estilo de leitura e de me aventurar em outros mundos. E devo dizer que esse é um universo que eu devo voltar mais vezes!

O último panetone de Natal é narrado por Pablo, que estava viajando com a sua namorada Rafaela para tentar esquecer todos os seus problemas. Até que eles resolvem parar para passar a noite em uma pequena pousada… Eu achei esse conto o mais assustador de todos e é logo o primeiro do livro. E tem o tal do panetone. Eu gosto de panetone, o que me fez ficar mais com medo ainda. E a cena final, que eu não posso contar claro, me deixou pensativa (leia-se: com medo) por uns bons minutos. Contem quantas vezes eu repeti a palavra medo nesse pequeno parágrafo e vocês vão entender a minha situação depois desse conto.

Lembranças Vermelhas relata a noite de Natal de Julian e a sua família: seu irmão André, sua cunhada Marion, e os dois filhos de Marion do seu primeiro casamento: Nicholas e Maureen. Mas tudo começa a dar errado quando Ana, a irmã de Julian, fica presa em um alagamento na BR-040… Eu não tenho muito hábito de ler livros nacionais (fato que eu pretendo mudar esse ano), mas é realmente muito interessante como nós conseguimos nos identificar muito mais facilmente com o ambiente e as situações relatadas na história. Alagamento nas rodovias no verão, no conto anterior teve uma palavra que é típica dos moradores de São Paulo… Não tem como você não se envolver na história. E Lembranças Vermelhas também é muito assustador!

Nós conhecemos várias histórias de casas mal-assombradas, mas e de obras? É esse o tema chave de Setor B12: uma obra que está atrasada e onde mortes estranhas acontecem… E ninguém sabe explicar o motivo. Com descrições bem detalhadas, esse conto vai aos poucos nos revelando o grande mistério e nos deixando cada vez com mais medo! O final foi espetacular!

A Morte do Cisne é o meu conto favorito porque primeiro, como o nome já diz, retrata a história de “O lago dos Cisnes”. Eu amo balé (e sei que a Melissa também ama) e eu realmente acho que faltam livros sobre esse tema. Em segundo lugar, é o conto mais romântico de todos (e mesmo lendo terror, é claro que eu não posso fugir do meu gênero favorito, né?). Esse é um conto que mexe muito com o nosso psicológico, principalmente porque ele é narrado pela Odette. O amor pode ser realmente cruel…

Quando eu acabei o livro, o meu primeiro pensamento foi “Mas já acabou? Eu quero mais!”. Então, se você é como eu, pegue um pouco da coragem dos Grifinórios e leia Noites Negras de Natal e outras histórias – tenho certeza que vocês não vão se arrepender! E se você gosta de terror… O que você está esperando?

site: http://poressaspaginas.com/resenha-noites-negras-de-natal-e-outras-historias
comentários(0)comente



Naty 15/05/2014

Noites Negras de Natal
Noites Negras de Natal é uma obra escrita por Karen Alvares e Melissa de Sá. O livro contém quatro contos, sendo dois de cada uma, de forma intercalada. O primeiro trabalho apresentado por Karen chama-se: O último Panetone de Natal.

Rafaela e Pablo são namorados. A garota perdeu os pais em um acidente de carro. Eles estavam na mesma estrada que ocorreu o acidente, pois ela queria passar pelo último local que seus pais estiveram. Dessa forma, tentaria superar o que aconteceu.

“Rafaela nunca foi uma namorada convencional. Por isso, Pablo queria dizer uma garota que gostasse de receber flores, que usasse saias ou que fosse delicada para comer – o padrão, segundo o que ele pensava. Nada disso. Ela sempre foi o oposto e, para falar a verdade, era isso que o encantava” (p.07).

O conto se passa na época do Natal, isso é evidente, pelo título. Seria o primeiro Natal que ela passaria sem os pais. Os pais de Pablo são separados. Sua mãe não comemora o Natal e seu pai celebra com as amantes, esses fatores fizeram com que ele não tivesse tanta afeto pela data.

Na viagem, os dois estavam praticamente perdidos, mas Pablo não queria admitir. Aliás, eles nem sequer sabiam onde queriam ir, além de passar pelo local do acidente. Ambos estão famintos e, então, notam uma pousada na estrada e eles param para fazer sua refeição. Esse é o ponto chamativo, angustiante e misterioso da obra. Tudo começa a acontecer e deixa o leitor preso ao desfecho. O que será que acontecerá? Leia o conto para descobrir!

“Levou a mão até a barriga e viu o sangue escorrendo de um jeito quase insano. Sua mão agora pingava sangue, havia carne dele mesmo debaixo das suas unhas, suas próprias tripas tão visíveis quanto o piso branco em que se apoiava” (p.14).

O segundo conto é escrito por Melissa, cujo o título é Lembranças Vermelhas. Ele também se passa em época de Natal. A história começa com Julian tendo que comer chili. O nome é bem feio, confesso, e a apresentação do prato não é nada convidativo. Leiam e saberão o porquê.

Julian é irmão de André. André é casado com uma escocesa chamada Marion. Ela tem dois filhos: Nicholas e Maureen. Porém, o pai das crianças não é André, mas seu ex marido, um norueguês. Abandonou-a assim que a primeira criança nasceu.

“Eu vou pegar a pickup – Julian odiava o modo como André insistia em dizer ‘pickup’ ao invés de simplesmente ‘carro’ como qualquer outro ser humano normal – para buscá-los. Vocês fiquem aqui e tomem conta do Natal.
Como se o Natal fosse fugir e deixá-los ali no sítio” (p.22).

Além de vários personagens descritos, um morto também é apresentado na história: Hermílio. André sempre dizia que ele havia morrido quando caiu de uma cerca, em sua casa, e quebrou o pescoço. Contudo, seu irmão tinha dúvidas disso. Julian sempre acreditava que Hermílio era um homem muito bom e morreu porque estava velho e acabou ficando doente, mas ele não tinha certeza e, sequer, tinha como descobrir.

Ana, irmã caçula de Julian e André, está indo passar o Natal com eles. Porém, o excesso de chuva deixa-a presa na estrada. André e Marion vão buscá-la, enquanto Julian toma conta das crianças. É esse o ponto chave para deixar o leitor curioso para saber o que acontecerá.

“Sua pele vermelha ressaltando seus olhos maus. Sua galhada descascada cheia de sangue. Sua boca aberta, os dentes afiados e malignos pingando saliva” (p.27).

O segundo conto de Karen e o terceiro escrito na obra chama-se Setor B12. Imaginei que todas as obras teriam o Natal como tema, mas estava enganada. Setor B12 é uma mistura de loucura, mistério e criatividade.

Beto está desempregado há nove meses. Ele mora de aluguel, porém, o dono o imóvel lhe ofereceu duas opções: ou ele paga o aluguel ou será despejado com sua mulher e sua filha. Beto sempre procurara emprego, contudo, ele era negro, o que tornava tudo muito complicado. Quando ele pedia uma vaga de trabalho em algum local, sempre era menosprezado de forma preconceituosa.

Um determinado dia, ele estava em uma fila para conseguir um emprego. Havia várias pessoas querendo uma vaga, um deles era O velho. Ele estava amedrontando todos dizendo que aquela obra era mal assombrada. Alguns acreditaram e saíram da fila, entretanto, Beto permaneceu e conseguiu o seu emprego, depois de tantos meses sem trabalhar. O que ninguém sabia era que aquelas palavras de O velho poderiam ser verdadeiras. E se fossem?

“E enquanto Beto o observava, ele foi mudando; a pele enrugada e branca como papel, cheia de verrugas e pintas de velho, foi derretendo, derretendo que nem ferro na fornalha. A cor da pele estava escurecendo, transformando-se em cinza, então o velho parecia um monte disforme de massa de cal e cimento, algo que poderia desmontar no chão ali mesmo. Aqueles olhos amarelos encaravam Beto como fendas” (p.39).

O último conto é de Melissa. A morte do Cisne, para mim, foi um conto que não me cativou muito. Achei a história maçante e fraca, esperava mais por um desfecho do livro. Todavia, sei que muitos irão gostar da história, pois ela é bem diferente e, quem assistiu Cisne Negro e gostou, certamente, irá se identificar com essa história.

Para mim, a história é composta de metáforas. Enquanto estamos lendo a obra, pensamos que, a todo o momento, estamos lendo sobre uma pessoa apaixonada por outra. Claro que o título do conto revela o mistério, porém, não deixamos de pensar isso.
“Toda vez que ele pegava um cisne, me levava junto. Ele queria que eu visse. Que eu visse o sangue, a morte, os apelos por piedade, a humilhação. Então ele jogava o corpo no lago. E nós cisnes chorávamos a morte” (p.45).


Achei a história bem triste e me deparei como algumas coisas que são tão absurdas e muitos não notam. Embora não tenha sido o meu conto preferido, a forma abordada pela autora ao descrever é bem emocionante.

“Eu tinha certeza, veja bem como é o amor, eu tinha certeza que você quebraria o feitiço. Que eu seria livre para voar. Como no seu sonho. Eu confiei em você e no seu amor. Mas agora o que tenho é sangue” (p.47).

A obra é um conjunto de diferentes contos. Fiquei indecisa em escolher o meu preferido. Já tinha visto a resenha do meu noivo sobre a obra da Karen e tinha gostado bastante de sua forma de escrever. A escrita da Melissa eu não conhecia e fiquei surpresa.

O livro é bem construído no suspense; é tudo muito misterioso e intrigante. Contudo, alguns finais, pensei que poderiam ter mais conteúdos e ser mais reveladores, a exemplo do primeiro. Embora ele tenha sido um dos que mais gostei, fiquei me perguntando o motivo que levou àquele desfecho. Acredito que poderia ter trabalhado isso e ter deixado o leitor mais satisfeito. Estou até agora imaginando vários porquês.

Notei alguns erros na obra, mas nada que desmerecesse ou dificultasse o entendimento do leitor. Aos apaixonados por histórias de suspense e, até mesmo, de terror, irão gostar bastante deste livro.
comentários(0)comente



"Ana Paula" 16/04/2014

Imaginem minha surpresa ao ler este livro! Felizmente, os contos são maravilhosos e com certeza, senti aquele medo gostoso, sabe? Pois é! rsrsrsrsr

Como a sinopse diz, são 4 contos, 3 narrados em terceira pessoa e o último, narrado em primeira pessoa. Não tenho preferência por narrativas, mas gosto de me jogar na história, e só uma boa narrativa consegue me proporcionar isso. Os contos são alternados entre as autoras e se não fosse pelos capítulos informando qual autora contaria a história a seguir, seria difícil distinguir!

Noites Sangrentas de Natal e Outras Histórias, é um livro curto, infelizmente, gostei tanto dos contos, que assim que terminei fui atrás das autoras para saber se tinham mais livros publicados. Este é um dos livros que baixei (e postei no Elite Digital) quando estavam gratuitos na Amazon. Apesar de muitos não serem o que eu esperava, confesso que outros tantos estão me deixando super animada! Parabéns às autoras! Por ser uma edição independente, o trabalho foi muito bem feito, inclusive a capa, que dá uma apreensão sabe? rrssrsrsrsr

Então, se você baixou este livro, o leia! tenho certeza que não vão se arrepender! Super recomendo!

site: www.livrosdeelite.blogspot.com
Karen Alvares 18/04/2014minha estante
Ana, já comentei lá no seu blog, mas também tenho que agradecer aqui pela resenha incrível e super empolgada! Fiquei muito feliz que gostou do livro! Obrigada, lindona! Espero que curta nossos outros trabalhos! ;)




Fabiana Madruga 21/01/2014

Natal inesquecível!
Dei a sorte de ler esse livro no dia de Natal, depois do almoço de família, naqueles momentos meio deprê, meio reflexivos, meio sensíveis que a data propicia.

Muito bem, no primeiro conto já estava completamente conquistada! O que a Karen e a Melissa fazem tendo a noite supostamente feliz de fundo é incrível!

Me deram de presente um trauma eterno de renas, panetone... e um excelente livro!
Karen Alvares 23/01/2014minha estante
Ai que linda sua resenha, Fabiana! Fiquei tão tão feliz que gostou e que traumatizamos seu Natal! Você leu num dia perfeito!!! Obrigada pelos elogios, lindona! ;)




Sandro 02/12/2013

Maravilhoso e Assustador
Minha segunda resenha e a minha segunda resenha sobre uma obra da Karen Alvares, mas desta vez ela vem junto com a igualmente talentosa Melissa de Sá.
Noites Negras de Natal é uma coletânea de 4 contos de terror, 2 da Karen e 2 da Melissa. Fico surpreso pela qualidade de ambas, a cada paragrafo ficava enfeitiçado e assustado, as histórias são tão dinâmicas, envolventes e ainda estou surpreso pelo talento de ambas de se expressar tão bem em tão poucas palavras.

Karen e Mel foi um prazer ler o trabalho de vocês.

Abraços
Sandro Moura

Karen Alvares 03/12/2013minha estante
Obrigada, Sandro! Que felicidade saber que você curtiu tanto o livro! Obrigada pelos elogios! ;)




Ednelson 29/03/2013

Este livro (e-book) chegou às minhas mãos (PC) pela Karen Alvares. Como alguns amigos mais próximos sabem, não gosto de ler livros no computador, pois me movimento muito durante a leitura, sou inquieto até para dormir, mas resolvi realizar essa investida por três motivos: 1 – Já li alguns contos da autora – no projeto “Um Ano de Medo” – e nenhum me decepcionou; 2 – É uma obra curta, dividida em quatro partes, logo seria uma leitura não cansativa; 3 – É uma ótima oportunidade para conhecer outra escritora (Melissa de Sá). Tendo em vista, estes pontos, comecei a leitura...o que achei? Acompanhem-me.

O Último Panetone de Natal - Karen Alvares

O conto acompanha a viagem de um casal (Pablo e Rafaela) até um local de grande importância na vida de um deles (sem detalhes para alimentar a curiosidade), visando superar o trauma pelo “confronto” com a morte. A viagem torna-se cansativa, por causa da distância que é percorrida e das frequentes brigas. Esse atrito entre ambos, que também deixa evidente uma desestruturação na relação, estabelece uma atmosfera de desunião que obviamente contribui para o terror psicológico. Como alguns talvez já imaginem, essa tentativa de superar o horror da morte, acaba os conduzindo para um contexto terrivelmente pior. Não há espaço para a esperança nessa história, os arrepios só são interrompidos por uma leve dose de humor negro e um erotismo breve. O desfecho faz você passar a pensar duas vezes antes de comer Panetone ou desejar uma visita do bom velhinho, só posso dizer isto!

Lembranças Vermelhas – Melissa de Sá

Essa é uma visão sobre a noite de Natal que segue a mesma linha do conto anterior, ou seja, uma trama em que o Peru provavelmente sequer será posto na mesa, visto que é enorme a possibilidade de algo lhe consumir antes. Isolamento por si só já é um terreno fértil para o terror, pois faz as emoções ficarem mais evidentes, uma vez que não temos a nosso dispor uma gama muito grande de locais para onde fugir ou coisas que nos distraiam.

Em meio a uma tempestade, Julian deve ficar na casa de fazenda que pertenceu ao seu falecido pai com os seus dois sobrinhos pequenos, Nicholas e Maureen. O fato das crianças serem estrangeiras, frutos de um casamento anterior da atual mulher do irmão de Julian, causa um pouco de estranhamento nele e essa sensação de que há algo sinistramente desajustado acontecendo na casa vai se intensificando quando pequenos eventos fazem com que Julian relembre de sua infância e com isso também o medo vai se tornando cada vez mais autêntico, palpável. Um sentimento que apenas uma criança consegue viver com tamanha pungência. O final é deliciosamente de humor negro!

Setor B12 – Karen Alvares

O personagem central, neste conto narrado em terceira pessoa, é Beto, um homem simples, casado e com uma filha pequena. Depois de ficar meses desempregado, começa a trabalhar arduamente na construção de um prédio que está com o prazo de entrega apertado. Pouco antes de ser admitido como pedreiro na obra, ainda na fila de espera para ser entrevistado, uma figura que passa a ser chamada de “O Velho” posteriormente comenta sobre coisas estranhas que rondam aquele terreno. Todo fã de terror é uma pessoa dotada de grande curiosidade, como posso afirmar isto? Ora bolas, o que mais faria uma pessoa continuar a ler mesmo quando sente um enorme medo? Pois esse é o tipo de emoção que muitas histórias do gênero nos causam. Tendo em vista esse traço de personalidade, como não ficar com uma pulga atrás da orelha com um início assim? Então, impossível.

Com o passar dos dias, como podemos deduzir, anormais eventos ocorrem, sempre cada vez mais aterrorizantes até uma conclusão apavorante. Quero deixar claro que o final é absolutamente diferente do que imaginava, todavia foi uma surpresa muito positiva. Será que você vai conseguir ver prédios em construção da mesma forma depois dessa aventura arrepiante? Leia e depois me diga.

A Morte do Cisne – Melissa de Sá

Algumas histórias, chamadas de contos de fadas, possuem origens no mínimo macabras, muito diferente das versões popularizadas, principalmente, pela Disney. Príncipes, amigos destemidos que ajudam a mocinha em suas jornadas e madrastas malvadas que colocam as donzelas para dormir, isoladas em torres etc; esqueça tudo isto! Há uma dose de romance nesse conto? Sim. Há um vilão inescrupuloso que deseja ardentemente devorar a inocência de uma bela dama? Sim. A protagonista idealiza uma vida? Sim. Contudo, a Melissa fecha o livro com chave de ouro ao nos presentear com uma narração profundamente lírica acerca da natureza do sonho, força que nos faz enxergar uma possibilidade maior para nós mesmos, e como os seres mortais encaram a sua condição de finitude. Poético. Quem disse que o terror não pode ser sensível como uma poesia de Vinícius de Moraes ou Carlos Drummond de Andrade, ainda não leu algo como isto. A sensação que me dominou foi como aquela que experimentamos ao saber que vamos chorar, pois algo nos sensibilizou demasiadamente.

O que posso dizer para concluir a minha análise? As autoras demonstraram um trabalho em conjunto de primeira qualidade, há alguns erros de revisão, mas em número mínimo, o que demonstra zelo pelo produto final. Dá vontade de ler mais alguns contos delas, mas quem sabe poderei matar essa vontade futuramente? Dou cinco selos cabulosos.

Escrevo no: http://leitorcabuloso.com.br/
Karen Alvares 29/03/2013minha estante
Ed, fiquei super feliz com a resenha e foi uma delícia fazer a entrevista! Adorei seus comentários, fiquei muito orgulhosa que gostou do livro. Um enorme obrigada!




Natália 27/03/2013

http://www.vireapagina.com
Quando vou fazer uma resenha, tento, ao máximo, julgar o livro em cima daquilo que ele propõe. Apesar de a sinopse não prometer isso diretamente, o título me fez pensar que eu leria histórias aterrorizantes que não me deixariam dormir a noite, ao maior estilo Stephen King. Porque sou dessas que fica com medo de livros, né. Abandonei Dumakey porque, caso contrário, acho que nunca mais dormiria sozinha. MAS ENTÃO, CONTINUANDO COM A RESENHA.

Como vocês devem ter percebido, não achei essa coletânea assustadora. Dos quatro contos, só um me deixou que nem golfinho (dormindo com um olho aberto): Lembranças Vermelhas, escrito pela Melissa de Sá, narra um Natal no interior de Minas, onde um cara precisa cuidar de dois sobrinhos estrangeiros pentelhos, no meio do mato e de uma tempestade. Sério mesmo, durante a leitura desse, fiquei olhando pros lados só pra verificar, com o coração acelerado e suando de verdade, mas isso foi por causa do calor do Rio de Janeiro e tal. A Melissa soube criar suspense e deu um final interessante - e tenso, diga-se de passagem - para essa história.

O outro conto dela, A Morte do Cisne, tem bastante sangue, mas não achei que foi de terror. Tá mais pra um conto de fadas ao contrário. Esse em particular me surpreendeu bastante porque gostei do universo criado pela autora nessas poucas páginas e gostaria de ver um livro trabalhado em cima dele, explicando melhor a vida dos personagens, como o ponto alto da trama, retratado no conto, se desenrolou, essas coisas. Acho que tem bastante material para um trabalho mais longo, daí fiquei com gostinho de quero mais.

Já os outros dois contos restantes da Karen Alvares foram ambos de terror mesmo, porém não me deixaram com medo. O primeiro, O Último Panetone de Natal, é ok, e o segundo Setor B12, foi muito bem trabalhado, mas a autora pecou no final que, ao meu ver, foi meio sem noção. Mesmo assim, vale ressaltar que ambas as autoras escrevem super bem, de modo que a narrativa flui sem problemas e deu pra ver que fizeram esse livro com carinho.

Enfim, o saldo foi positivo. Comprei na Kobo Books por um preço amigo e assim, não amei de paixão, mas também não odiei. E ainda me deu vontade de correr atrás dos outros materiais das autoras.
Karen Alvares 29/03/2013minha estante
Olá Nats! :)
Muito obrigada pela resenha! É muito bom acompanhar as dicas e impressões de leitores e blogueiros, ajuda muito no nosso trabalho, principalmente para nós, escritores iniciantes!
O livro foi mesmo feito com muito carinho. Agradeço muito pelas observações e pelo elogio. E fiquei muito feliz que ficou curiosa por outros materiais nossos. Tanto eu, quanto a Mel, temos outros trabalhos, inclusive já publicados por editoras, como a Draco e a Andross.
Os meus trabalhos estão no blog http://papelepalavras.wordpress.com/ e os da Mel em http://mundomel.com.br/.
Beijos, moça! :)




Lany 24/01/2013

(Resenha publicada em: http://poressaspaginas.com)

Noite Negras de Natal e outras histórias é um livro de contos da Karen Alvares (colunista aqui do Por essas Páginas) e da Melissa de Sá (do blog Livros de Fantasia). Terror não é a minha zona de conforto (sim eu sou medrosa!), mas eu gosto de mudar um pouco de estilo de leitura e de me aventurar em outros mundos. E devo dizer que esse é um universo que eu devo voltar mais vezes!

Sinopse: Um casal numa jornada sombria, um jovem isolado com os sobrinhos em um sítio macabro no interior de Minas, operários numa obra suspeita e uma mulher amaldiçoada. São esses os personagens que você vai encontrar em Noites Negras de Natal e outras histórias.

Nessa coleção de 4 contos, as escritoras Karen Alvares e Melissa de Sá se lançam em histórias sobre o que tem no escuro da noite e atrás da porta. 4 contos de terror, dos quais 2 são especiais natalinos. Do que você tem medo no Natal?


O último panetone de Natal é narrado por Pablo, que estava viajando com a sua namorada Rafaela para tentar esquecer todos os seus problemas. Até que eles resolvem parar para passar a noite em uma pequena pousada… Eu achei esse conto o mais assustador de todos e é logo o primeiro do livro. E tem o tal do panetone. Eu gosto de panetone, o que me fez ficar mais com medo ainda. E a cena final, que eu não posso contar claro, me deixou pensativa (leia-se: com medo) por uns bons minutos. Contem quantas vezes eu repeti a palavra medo nesse pequeno parágrafo e vocês vão entender a minha situação depois desse conto.

Lembranças Vermelhas relata a noite de Natal de Julian e a sua família: seu irmão André, sua cunhada Marion, e os dois filhos de Marion do seu primeiro casamento: Nicholas e Maureen. Mas tudo começa a dar errado quando Ana, a irmã de Julian, fica presa em um alagamento na BR-040… Eu não tenho muito hábito de ler livros nacionais (fato que eu pretendo mudar esse ano), mas é realmente muito interessante como nós conseguimos nos identificar muito mais facilmente com o ambiente e as situações relatadas na história. Alagamento nas rodovias no verão, no conto anterior teve uma palavra que é típica dos moradores de São Paulo… Não tem como você não se envolver na história. E Lembranças Vermelhas também é muito assustador!

Nós conhecemos várias histórias de casas mal-assombradas, mas e de obras? É esse o tema chave de Setor B12: uma obra que está atrasada e onde mortes estranhas acontecem… E ninguém sabe explicar o motivo. Com descrições bem detalhadas, esse conto vai aos poucos nos revelando o grande mistério e nos deixando cada vez com mais medo! O final foi espetacular!

A Morte do Cisne é o meu conto favorito porque primeiro, como o nome já diz, retrata a história de “O lago dos Cisnes”. Eu amo balé (e sei que a Melissa também ama) e eu realmente acho que faltam livros sobre esse tema. Em segundo lugar, é o conto mais romântico de todos (e mesmo lendo terror, é claro que eu não posso fugir do meu gênero favorito, né?). Esse é um conto que mexe muito com o nosso psicológico, principalmente porque ele é narrado pela Odette. O amor pode ser realmente cruel…

Quando eu acabei o livro, o meu primeiro pensamento foi “Mas já acabou? Eu quero mais!”. Então, se você é como eu, pegue um pouco da coragem dos Grifinórios e leia Noites Negras de Natal e outras histórias – tenho certeza que vocês não vão se arrepender! E se você gosta de terror… O que você está esperando?

Karen Alvares 29/03/2013minha estante
Lany, adorei a resenha! Fiquei contente que se assustou bastante com meu conto do panetone!
Eu gosto de ler nacionais porque rola essa identificação com costumes, palavras, coisas nossas, que a gente vive diariamente. A identificação é muito maior. Quando escrevo, tento passar tudo isso, porque sei o quanto é gostoso dar de cara com uma expressão ou algo corriqueiro que a gente tenha o costume de dizer ou fazer.
O conto da Mel é a tua cara mesmo, sabia que ia gostar dele.
Super feliz com a resenha! ^^




12 encontrados | exibindo 1 a 12