Lua de Mel

Lua de Mel James Patterson




Resenhas - Lua de Mel


52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Naty 27/01/2013

www.meninadabahia.com.br


Agarrei a arma com as duas mãos e fiquei esperando.
Onde está você, Nora, amor da minha vida?
Pág. 178


Nora Sinclair é linda, bem sucedida na profissão e viúva. Seu marido, um jovem médico, morreu de parada cardíaca, algo que ninguém esperava. Tempo depois, estava noiva de um empresário milionário, que também morreu de parada cardíaca. É quando o FBI é acionado e o agente John OHara entra em ação.

A trama tem três histórias paralelas. A de John tentando conseguir provas para prender Nora por assassinato. A de um homem misterioso, apelidado de Turista. E a de uma mulher misteriosa que segue Nora.

Os autores não fazem segredo e contam logo nos primeiros capítulos quem é o assassino e todo o restante da história se baseia na busca por provas ou uma confissão. John OHara, trabalha disfarçado e infiltra-se na vida de Nora Sinclair, como um simples corretor de seguros, que precisa averiguar todos os fatos antes de liberar o seguro de vida do falecido noivo dela. Mas não se enganem, John OHara não é Jack Reacher e suas ações são vergonhosas. Ele é o agente de FBI mais despreparado sobre o qual já li. Vergonha define.

Ainda não tinha lido nenhum livro do Patterson com coautoria de Howard Roughan e talvez por isso estranhei a trama. O modus operandi da escrita é diferente. Não consegui me encantar com John e nem com Nora (que deveria ser uma Gretchen Lowell, mas passa longe).

Achei o enredo de Lua de Mel, de James Patterson (Arqueiro, 224 páginas, R$ 24,90), mal trabalhado e com várias falhas. Não há muito mistério, visto que os poucos você descobre rapidamente. Há pouca emoção, salve a parte final. A história não é toda ruim, afinal é James Patterson, mas justamente por ser um livro dele, o nível deveria estar lá em cima, coisa que não acontece. E os personagens? Totalmente mal caracterizados e inconsistentes. Li em dois dias, simplesmente porque é uma leitura fácil, contudo queria ter apreciado mais.

Poxa, James... Cadê sua mão mágica?


Série FBI Agent John O'Hara:

1. Lua de Mel
2. Second Honeymoon
comentários(0)comente



Pamela V 21/03/2013

Para mim não chegou a ser bom mas é uma boa leitura
Comecei a ler este livro porque me interessei pela sinopse de investigação policial, uma viúva negra, assassinatos. Conforme lia ficou claro que Nora era a bandida assassina, sem coração.
Mas quando deu inicio a parte da investigação do FBI eu quase dei risada de tão mal feita,uns buracos grotescos e erros que chega a ser ridículo. Não gostei da demora e desfecho para chegar as conclusões, que desde o meio do livro você já descobre.
Uma falta de informação que parecia investigação da policia federal de SP e não do FBI.
No final o desfecho é bom a justiça é feita e é interessante.
Até agora ninguém superou para mim, a investigação policial da trilogia Millennium pelo Stieg Larsson.

Spoiler: Abaixo vou listar minhas indignações com a investigação do FBI enquanto lia.

A perseguição do agente é feito sem localizador/Gps e então certo dia ele a perde e não tem como achar! Celular dela tbm em momento algum foi rastreado e ligações escutadas. Uma morte poderia ter sido evitado, mas só pra causar drama.
Um agente não viu/sabia que estava sendo vigiado e seguido!
Pelo que eu entendi o noivo Connor não tinha morrido, mas morreu vivo no caixão e a 'perícia' não viu isso?
Ninguém sabia que ela tinha uma mãe internada e ex-prisioneira e que usou o nome dela para abrir uma c/c nas Ilhas Cayman? Sério?? FBI?
Não tinham uma lista de todas as casas dela, carros e do noivo que ela usava?
Uma procurada pelo FBI não tem sua foto divulgada nos aeroportos e rodoviárias?
Enfim erros para mim muito ridiculos.

comentários(0)comente



Naty 15/12/2014

“As coisas nem sempre são o que parece” e, se você duvida dessa frase, ao ler o livro Lua de Mel de James Patterson concordará com ele e Howard Roughan. A história é repleta de reviravoltas e deixa o leitor convicto de que percorre um caminho, porém, nos damos conta, posteriormente, que somos levados por outro lugar inesperado.

Para quem não sabe, sou uma super fã de Patterson. Li esse livro tem um bom tempo, mas resolvi resenhá-lo apenas hoje. Não porque não gostei dele, pelo contrário. A narrativa é bem envolvente e a história é curiosa, embora não tenha sido o melhor trabalho do autor.

Estamos diante de uma protagonista por nome de Nora Sinclair, ela tem 33 anos e é considerada uma das melhores designers de interiores de Nova York. Ela tem um relacionamento com Connor, ele tem 40 anos e é administrador de fundos de investimentos. Um homem muito rico e ambicioso, nada muito diferente de Nora, nesses quesitos.

“Estou morrendo, digo a mim mesmo. Mas, não: é pior que isso. Muito pior. Estou sendo esfolado vivo... de dentro para fora. E é apenas o começo. Como um fogo de artifício, a dor sobe e explode na minha garganta, bloqueia o ar e exige um esforço extra para respirar” (p.08).

Connor sofre uma parada cardíaca e morre dias depois de ficar noivo de sedutora mulher. Ele é o segundo homem que Nora se envolve que morre da mesma maneira. Isso torna a protagonista como alvo de investigações do agente John O’Hara. Ele começa a buscar indícios do que poderia ter acontecido e se realmente foi ela a assassina desse caso.

Contudo, O’Hara tem de lutar para abandonar a sua atração por ela. Nora não é apenas uma sedutora de homens, mas uma dominadora. O agente precisa colocar em destaque o seu profissionalismo e deixar esse desejo de lado. Porém, será que ele vai conseguir resistir a esse jeito cativante de Nora?

Confesso que achei a construção da história um pouco forçada, em alguns momentos, sem colocar alguns pontos em cheque. Os autores usam algumas justificativas que poderiam ser mais exploradas. Muito embora eu tenha gostado da obra pela ideia do enredo e pela narrativa fluida.

“Os melhores mentirosos não dão detalhes” (p.41).

A obra é um verdadeiro jogo, em que vários personagens mentem e tentam persuadir um ao outro. O leitor se perde no livro com a frase inicial dessa resenha justamente por esse fator. É impossível não ficar com uma pulga atrás da orelha sempre que algo acontece. Afinal, “as coisas nem sempre são o que parece”.

Desde o início somos apresentados ao assassino e a busca para colocar a pessoa na prisão é algo incessante. O fato de já sabermos o autor do crime não coloca a obra como inferior ou minimiza a ansiedade do leitor, pelo contrário, pois desejamos saber como colocar o criminoso atrás das grades. O mistério surge do início ao fim, isso é inegável.

Notei alguns erros de revisão, porém, foram poucos. A capa é linda, achei que o efeito das sombras ficou perfeito. Para quem gosta de capítulos curtos, James permanece como de costume e eu simplesmente adoro. Isso deixa a leitura veloz e deliciosa. É impossível não aplaudir o querido James por essa obra, mesmo não tendo sido uma das melhores e mesmo tendo muitas coisas que poderiam ser melhoradas. Com todo ponto negativo possível, ainda é uma obra que eu leria novamente e indico para quem gosta do gênero.

“- Não se mexa! – disse o entregador. [...] Agora ponha as duas mãos contra a parede.
- Quem é você?
- Eu sou o cara que vai fazer você desejar ter pedido comida chinesa, O’Hara” (p.114).
Cris Dornelas 03/10/2016minha estante
Esse livro. Quando li tinha visto muita coisa boa, gente que adorou e fui na fé. Mas a construção da história é forçada em muitas partes. Achei meio...sei lá, como se só jogasse aquilo ali e o leitor que engula? Mas ela até que prende, consegue te deixar com a pulga atrás da orelha mesmo, desconfiado de tudo na história e isso achei legal. Não me dou bem com muitos livros desse autor, mas esse acabou sendo uma boa surpresa. Tem umas coisas que me incomodaram, mas no geral é um livro bom. Ainda mais pra quem curte esse gênero mesmo.




TFreitas 25/02/2013

Como sempre, o melhor!
Com toda certeza "Lua de Mel" vai entrar entre os meus livros favoritos. Ainda mais por tratar-se de romance policial. O tipo de leitura que mais gosto.
Esse livro trata-se de uma mulher. Ela não tem escrúpulos e como toda sociopata não se importa em matar para ter o que quer. E ela quer dinheiro e livrar-se de seus maridos.
Nora se mostra bem concentrada em decorar casas e se tornar a esposa de seus clientes -geralmente ricos e bonitos.
Ela estava indo bem, sendo discreta, como em seu primeiro assassinato, até baixar a guarda, sem esperar o corpo do recente noivo esfriar na cova ela faz uma grande transferência para sua conta, diretamente do computador do falecido Connor Brown, alertando o FBI que em outro caso passa a desconfiar que a morte do Sr. Brown não fora apenas um ataque cardíaco. E sua principal suspeita, a bela Nora Sinclair, que além de bonita é uma ótima atriz.
Mas não para o agente John O'hara, que precisa fingir-se de corretor de seguros para se aproximar, alegando que ela tinha ganhado um seguro de vida de 1,9 milhão de dólares.
Entretanto, quanto mais se aproxima da verdade, mais se envolvia com a suposta assassina. Tentando reprimir uma paixão avassaladora e buscando justiça.
comentários(0)comente



Sueli 13/05/2013

Lua de Fel!
Foi o meu primeiro encontro com James Patterson & Cia., e não foi aquilo tudo que eu pensei que encontraria...
Infelizmente!
Sei lá, será que estou me tornando uma leitora azeda? Pois é...
Mas, acontece que fiquei surpresa ao ler um thriller onde o mocinho beira a canalhice, e onde a assassina parece ter sido ungida por todos os deuses do Olimpo, que de quebra, além de lhe conferirem o dom da beleza absoluta, deram-lhe uma enorme dose de sexy-appeal e inteligência. Praticamente um coquetel molotov ambulante!
Mesmo que um livro seja nos apresentado com uma boa dose de ação e emoção, um leitor não deve abstrair-se ao ponto de não enxergar os delírios criativos, que prejudicam uma boa trama. Como no caso de “Lua de Mel”.
Sim, leitor, é um livro interessante, mas é difícil aceitarmos que uma jovem mulher tenha conseguido estar no auge de sua carreira de designer de interiores, sem que seu rosto seja conhecido daqueles que serão seus futuros clientes. Principalmente, quando esses são homens riquíssimos e poderosos. Afinal, quem em sã consciência contrataria alguém, que tem seus ambientes fotografados nas melhores revistas do ramo, sem que sua foto ou nome sejam divulgados? Como então, eles saberiam da sua existência? Essa foi a primeira ponta solta....
A segunda, é como essa mesma mulher dava conta de tudo ao mesmo tempo, agora? E, mais não conto, pois essa é uma das maiores surpresas do livro.
Mas, posso dizer que, mesmo em uma cozinha high tech, e com uma ótima chef, a louça não se lava sozinha! E, uma leitora voraz sabe disso, pois eu adoro cozinhar, mas detesto lavar louças! E, mesmo uma simples omelete, parece criar uma montanha de utensílios a serem lavados. Experimente e verá....
Como sempre, não julgo apropriado falar mais nada, já que nesse tipo de livro, qualquer declaração poderá ser usada contra mim. Contudo, posso dizer que foi uma leitura muito rápida e prazerosa, algo para uma tarde tediosa de domingo. Porém, devo alertar para possíveis efeitos secundários, principalmente nas meninas que estejam com grande dificuldade em conseguir um namorado razoável. O que dizer então, de um macho alfa podre de rico, lindo e generoso bastante como aqueles que tropeçavam e caíam aos montes no caminho de Nora Sinclair.
Imediatamente, pensei que só poderia mesmo ser um livro escrito por homens, já que as escritoras parecem saber que o mar não anda para peixe, não.
Pesquisando, tomei conhecimento que este livro é o primeiro de uma série protagonizada pelo agente John O’Hara. O segundo volume da série, tem o título em inglês de Second Honeymoon. Vamos aguardar.
Uma leitura divertida, mas sem grandes emoções!
comentários(0)comente



Jéssica R. 06/02/2013

O livro Lua de Mel foi uma surpresa pra mim .Nunca tinha lido nada do James, e quando comecei a ler tive algumas dificuldades na leitura, apesar que a história estivesse tendo ação e mistério não conseguia me interagir , mas no decorrer dos capítulos foi me afeiçoando e gostando muito do livro.

Lua de Mel nos conta a história de Nora Sinclair , design de interiores, jovem , linda , feliz, sedutora , rica e que possui um noivo perfeito. Mas quando seu noivo, Connor Bronw , tem uma morte súbita , Nora se vê diante de algumas problemas. Isso tudo porque o detetive do FBI John O’Hara começa a investigar sua vida e percebe que ela possui alguns históricos de mortes em sua vida, incluindo seu ex-marido médico , e John tem certeza que ela é assassina de Connor.

James e o co-autor Howard Roughan nos levar a vida de Nora, de John e também de um turista. O turista é alguém desconhecido e não sabemos nada sobre ele, mas que no final terá uma grande ligação com toda a história. E também nos mostra a outra faceta de John O'Hara : para não levantar suspeita de Nora ele se passa pelo corretor de seguros de vida , Craig Reynolds.Mas logo John percebe porque todos os homens morrem de amores por ela e perceberá que as aparências enganam.

O livro alterna entre o ponto de vista de Nora , John , Turista e também em alguns momentos temos uma mulher loura que não sabemos também nada a seu respeito, o que descobrimos só no final.

Gostei como James interligou tudo e aos poucos foi resolvendo todas as pontas soltas do livro. Uma coisa que percebi também é que o autor mesmo revelando alguns fatos no começo da história deixou muito suspense e revelou algumas coisas que eu nunca pensei que seria , é isso me deixou feliz, já que fiquei muito surpresa como ele interligou todos os personagens a uma mesma coisa.

Nora é uma protagonista maluca , não no sentido bom, mas no sentido ruim .Ela é egoísta , má, psicótica e louca . Ela tem uma dupla personalidade e várias vidas .

O livro possui suspense , mistério, medo e reviravolta. O autor traz uma narrativa dinâmica , rápida e concisa.

Quotes:

"Durante todo o almoço, eu não me importei que Nora e eu estivéssemos nos sentindo cada vez mais à vontade um com o outro, flertando ou o que quer que estivéssemos fazendo. Na verdade, a ideia era essa. Mas agora, de repente, as coisas estavam ficando um pouco à vontade demais."

"Qual dos dois iria matar?"

''Agarrei a arma com as duas mãos e fiquei esperando.Onde está você, Nora, amor da minha vida?''

Blog Leitora Sempre http://leitorasempre.blogspot.com.br/2013/02/resenha-lua-de-mel-james-patterson.html#comment-form
comentários(0)comente



Carolina Durães 26/02/2013

Maravilhoso!
Mais um livro do James Patterson, dessa vez em parceria com o Howard Roughan e não sei porque ainda me surpreendo em terminar a leitura espantada com a criatividade do autor.
Vários personagens interessantes vão fazer parte da trama:

"Connor, 40 anos, 1.90m, um administrador de fundos de investimento muito rico e ambicioso, dono da própria empresa, com sede em Greenwich e outro escritório em Londres".(p.12)

"Jeffrey Sage Walker, 42 anos, um escritor de best-sellers de ficção histórica. Tinha milhões de fãs, a maioria mulheres. Elas gostavam de suas histórias e das personagens femininas fortes, mas sua beleza rude exibida nas sobrecapas com certeza não atrapalhava. Nunca cabelos descoloridos e raspados foram tão bonitos". (p. 18)
O que esses dois homens tem em comum? São extremamente ricos, bonitos, inteligentes e que acabaram sofrendo uma parada cardíaca. Ah, e estão em um relacionamento com Nora Sinclair. Nora é uma mulher de 33 anos, extremamente atraente, design de interiores. Será uma infeliz coincidência o envolvimento de Nora, ou ela tem algo obscuro a esconder?

“A vida real de uma pessoa é quase sempre a vida que essa pessoa não leva” (p.24). Será esse o mantra que Nora usa para guiar a sua vida?
Quem fica responsável por descobrir a verdade é John O’Hara, um agente disfarçado. Inicialmente, investiga o caso cinicamente, mas conforme começa a investigar Nora, seu envolvimento torna-se mais pessoal. Como ele poderia achar que uma mulher tão meiga seria culpada de alguma coisa?
Em paralelo com esse caso, nós temos o mercenário conhecido como o Turista, que durante uma de suas missões, adquire uma mala que contêm informações vitais para o caso de Nora. Mas também para uma trama capaz de incriminar pessoas muito poderosas.
Quem é o Turista e o que ele descobriu? São alguns dos mistérios revelados no livro.
O livro é recheado de suspense e ação. O assassino realiza os crimes de modo frio e metódico, chegando algumas vezes até mesmo observar de perto seus crimes. A moral do livro: nem sempre as pessoas são o que aparentam ser. Terminei o livro com uma sensação quase que espantada, pois mesmo sabendo quem cometeu os crimes desde o início do livro, fica difícil de acreditar. O autor mais uma vez surpreendeu com uma trama bem elaborada, um final intrigante e me deixou com um gostinho de quero mais.
Como sempre, os capítulos são curtos, dando certo dinamismo à trama. Encontrei alguns erros de digitação, mas nada que interferisse na qualidade da história. Continuo fã do autor e não vejo a hora de ler o seu próximo livro.


site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/
comentários(0)comente



Karen 11/10/2013

Torci pela vilã
Não dava pra vilã se converter e ficar com o mocinho?
comentários(0)comente



Rafa 19/03/2013

Resenha - Lua de Mel - James Patterson e Howard Roughan
Em se tratando de romance policial, "Lua de Mel" foi uma leitura maravilhosa. Não costumo ler esse tipo de livro, mas quando pego para ler algo do gênero sei que vou gostar, Patterson juntamente com Roughan não deixou a desejar.

Nora Sinclair é uma mulher linda, ela costuma matar os maridos milionários para ficar rica e cada vez mais linda do que já é. John O’Hara é contratado para investigar o caso. Nesse ínterim também temos O Turista, um personagem extra que fechará a história muito bem.

Eu adorei o livro, é claro que eu esperava mais, muito mais, ainda mais falando de James Patterson, considerado o fera dos livros policiais, o que eu queria mesmo era ser mais do que surpreendido, mesmo assim achei bom, com bons personagens, uma maravilhosa narrativa, você consegue visualizar bem o cenário, temos também muitos diálogos bem eloquentes. Quando digo eloquente é que quando um personagem fala, já sei de quem se trata, já que a história entrelaça três pontos de vista parelelos.

Lua de Mel não é pra ser lido de forma rápida, até porque percebi que os autores tem a façanha de jogar uma informação no meio de uma confusão de palavras e não deixar o leitor se lembrar, fazendo-o quebrar a cabeça. Achei formidável isso, mas tive que ficar voltando umas páginas para não me perder no final.

Em suma, o livro em si faz bem seu papel, ele é um romance policial e muito bem escrito, mas o que faltou mesmo é um toque a mais de Patterson. Agora, se você adora esse tipo de livro, já leu algo de Patterson e quer mais, não tem nada a perder, então se joga! Recomendo pra todos lerem para tirarem suas próprias conclusões. Eu li e não me arrependo.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Daycir 23/05/2013

Uma pitadinha de veneno no romance....rsrs
Começou com cara de um livreto romântico, mas se mostrou envolvente e dinâmico!
Adorei a dissimulação da protagonista, que "disfarçada" de uma belíssima mulher, conseguia manipular a atenção masculina e assim desenvolver seus planos mais ardilosos....
Nora envolve a gente e em muitos momentos fiquei tentada a torcer por ela, afinal, ora bolas, ela desempenhava tão bem seu papel!!! E além do mais dava e recebia prazer, era bem astuta, porque não se sair bem???
Vale a pena!
comentários(0)comente



Sara 23/03/2013

Com toda certeza "Lua de Mel" vai entrar para os meus livros favoritos. Foi o 1º livro do James Patterson que li e gostei muito. Pela história, pela narrativa, pelos personagens e pelo desfecho. O diferencial nesse Thriller é que logo no início descobrimos quem é o vilão e o que nos faz prosseguir é a curiosidade em saber se ele escarpará impune ou se pagará pelo que fez.

A história gira em torno de uma mulher. Ela não tem escrúpulos, e como toda sociopata não se importa em matar para ter o que quer. E ela quer dinheiro (mais dinheiro) e para isso precisa se livrar de seus maridos. A referida mulher trata-se de Nora Sinclair, que é linda, sensual, inteligente, envolvente e bem sucedida no trabalho.

Ela estava indo bem, sendo super discreta e cuidadosa quando assassinou seu 1º marido. Ninguém desconfiou.

Até que resolveu assassinar seu mais novo noivo, Connor Brown. Sem nem ao menos esperar o corpo dele esfriar na cova, ela faz uma grande transferência para sua conta, diretamente do computador do falecido Connor Brown, chamando assim a atenção do FBI, que passa a desconfiar que a morte do Sr. Brown não fora apenas um ataque cardíaco. E Nora passa a ser a principal suspeita. O FBI então envia o agente John O'hara, que precisa fingir-se de corretor de seguros para se aproximar de Nora, alegando que ela tinha ganhado um seguro de vida de 1,9 milhão de dólares do falecido noivo. Entretanto, quanto mais se aproxima da verdade, mais John O'hara se envolve com a suposta assassina. A atraente Notra Sinclair. Até que o agente do FBI se vê tentando reprimir uma atração avassaladora e buscando justiça.

O ápice para mim foi quando a Nora descobre que estava sendo enganada e que O'hara é um agente do FBI. Pense numa mulher enfurecida e com um ódio mortal... amei!!! =) Nora então resolve dar o troco em O'hara tocando naquilo que ele mais ama: sua família. Aí o bicho pega!!!

Super recomendo! É um livro curtinho, e as 224 páginas viram sozinhas, é sério.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Victor Lacerda 02/10/2013

http://leitorinsaciavel.blogspot.com.br/
Eu sou um grande amante do gênero policial e esse foi o meu primeiro contado com o James Patterson. E posso dizer que esse primeiro contato poderia ter sido melhor. O autor é conhecido não só no gênero policial, mas na ficção, romances e em livros infantis.

Lua de Mel tem um diferencial da maioria dos livros do mesmo gênero, o autor do crime central é descoberto no inicio do livro. Esse poderia ter sido usado para uma grande diferença no desfecho da história, o que não aconteceu. O livro nos surpreende muito mais com as revelações pessoais dos personagens do que com o próprio crime. A trama possui um segundo crime que acontece simultaneamente ao crime central. Esse segundo crime não foi tão elaborado como o primeiro. O livro tem capítulos curtos o que é um ponto positivo na leitura.
Todo o enredo se passa, basicamente, ao redor de 3 personagens: Nora, O’hara e Sinclair. A construção dos personagens é impecável. Os defeitos e qualidades de cada personagem faz com que nós tenhamos pena até mesmo do “vilão” e raiva do “mocinho”. Todos os personagens são fortes e tenho certeza que muitos podem ter ficado do lado do criminoso.
A repetição da frase: “Até que a morte nos separe” foi uma das coisas que me incomodaram durante o livro, além da capa, a frase está no texto do inicio ao fim.
O vilão é uma pessoa que faz de tudo por dinheiro, eu digo tudo. É um personagem forte e corajoso. E que tem seus motivos para fazer tudo aquilo, mesmo que esses motivos não sejam dos melhores. No final mostra o quanto psicologicamente alguns fatos que acontecem durante nossa vida podem influenciar em nossas atitudes futuras.
Apesar de tudo a trama consegue prender você. O suspense no inicio do livro te faz querer ler o livro por completo o mais rápido possível. Por mais que não seja um livro surpreendente e com um final diferente dos outros, o livro consegue ser uma boa leitura.
Foi uma leitura rápida e que eu não descartaria. O livro te prende e te leva pra um crime envolvente apesar de previsível. Lua de Mel é um bom livro para passar o tempo, mesmo não sendo um grande livro no gênero policial.

site: http://leitorinsaciavel.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Aline Coelho Cury 12/04/2013

Lua de Mel
Quando esse livro foi lançado confesso que não chamou muito minha atenção até ver uma lista de livros que minha mãe queria comprar e quando ela o fez peguei logo emprestado.
Confesso que sua leitura foi muito agradável e hoje posso dizer que virei fã do James Patterson, ele tem um jeito fascinante, objetivo e leve de contar suas histórias que me
conquistou de vez. Os livros da arqueiro tem diagramação simples mas com letras em bom tamanho e páginas amarelas que facilitam a leitiura. E outra caracteristica dos livros
do Patterson são os capitulos pequenos que eu adoro e agilizam e muito a narração.
Nesse livro acompanhamos a história de uma mulher chamada Nora Sinclair, linda, sexy e bem-sucedida que tem um poder de fascinação impressionante. Ela tem como objetivo de vida conquistar milionarios para assim arrancar suas fortunas. Só que ela não quer apenas suas fortunas, ela quer o dinheiro sem deixar rastros que foi ela que os pegou e para isso precisa encontrar um jeito de matar suas vítimas sem deixar vestígios e nesse ponto que um grupo de agentes do FBI entra na história para investigar as mortes dos milionários e transferências suspeitas deles.
Confesso que foi a primeira vez que fiquei meio que torcendo pela vilã da história, depois de saber sobre seu passado trágico envolvendo seus pais. Senti que o autor quis humanizar a personagem,
mostrar que ela era malvada, fria e ambiciosa por um motivo. Fiquei torcendo para ela mudar e quem sabe ter um final interessante, pensei em vários ao longo da leitura mas nenhum chegou perto do que
realmente foi.
Para quem gosta de uma história de suspense policial com um toque psicológico esse livro é uma ótima pedida, além disso a narrativa é fantástica com certeza será lido rapidamente, porque você não consegue
parar até o que acontecerá com ela.
comentários(0)comente



52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4