O Livro do Amanhã

O Livro do Amanhã Cecelia Ahern




Resenhas - O Livro do Amanhã


166 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mari 12/02/2017

Uma leitura leve que nos faz compreender o tamanho da importância dos nossos amanhãs.
Artur é um personagem maravilhoso, queria um spin off dos seus pensamentos. Um homem que fala tão pouco, tem sempre muito a dizer.
comentários(0)comente



Nan 28/01/2017

Não julgue a autora por este livro
Este é um livro meio antigo que já estava há algum tempo na minha estante. Eu ganhei há uns cinco anos e a sinopse dele até que me chamou atenção, então eu sinceramente não sei dizer o porquê de eu ter demorado tanto para iniciar a leitura dele.

O Livro do Amanhã foi escrito por Cecelia Ahern, a autora dos best-sellers P.S. Eu te Amo e Simplesmente Acontece. Do primeiro nem vou dizer nada, porque só vi o filme e faz tanto tempo que mal me lembro. Mas sobre o Simplesmente, eu preciso dizer que achei o livro e a adaptação lindíssimos!! É lógico que muita coisa teve que ser alterada, se não a gente ia ficar alguns dias no cinema, não horas, mas isso não diminuiu em nada o filme, que conseguiu encantar tanto quanto seu original.

Para quem não conhece, Ahern é uma escritora irlandesa e em O Livro do Amanhã, ela nos conta a história de Tamara Goodwill, uma jovem mimada de 16 anos que acaba de perder o pai, e mudar para uma cidade bem pequena. Lá ela encontra um livro antigo, uma espécie de diário, mas quando vai começar a escrever nele, ela percebe algo estranho: as páginas se preenchem sozinhas, e elas contam a história do dia seguinte.

A premissa da história até que é interessante, mas confesso que de cara a personagem principal me desanimou. Tamara é tão mimada e egoísta que chega a ser caricata. Não sei qual foi o intuito da autora, mas as primeiras páginas chegam a ser irritantes, pois aparentemente ela quer se aprofundar na personagem e em suas motivações, mas aí está o problema, a personagem é rasa, não temos no que mergulhar. Isso fez com que a leitura do começo do livro fosse arrastada e desanimadora para mim.

As coisas só foram melhorar um pouquinho quando a menina e sua mãe finalmente chegam à casa dos tios. Porque de cara, Tamara percebe que há algo de errado com aquela casa, com seus tios e até mesmo com o velho castelo abandonado que fica nas redondezas. Esse ar de mistério acaba criando um clima de suspense e é ele que acaba sustentando a leitura. Por vezes, pensei em desistir, mas ficar sem entender o que estava acontecendo me deixaria contrariada.

Outros personagens aparecem com seus próprios mistérios. Destaca-se Jennifer, a mãe da garota, que não consegue superar a morte do marido e acaba mergulhando em uma espécie de depressão. A irmã Ignatius, que obviamente guarda segredos da garota. Marcus, o garoto que cuidava da livraria itinerante onde Tamara encontrou o diário. E por fim, Weseley que acaba virando amigo e confidente da garota e acaba ajudando quando ela finalmente se prontifica a investigar alguma coisa (e demorou, hein??)

Ah, você deve estar se perguntando sobre o livro/diário, certo? Então, eu também fiquei!! Terminei o livro com um ponto de interrogação na cabeça!! Quando eu li a sinopse achei que ele seria o elemento principal do livro, só que esse diário acabou tendo sua importância reduzida a um personagem de apoio daqueles bem ruinzinhos. Ficou meio perdido na história, sem explicação, sem brilho. Uma pena, foi uma boa ideia, porém muito mal aproveitada.

Enfim, achei O Livro do Amanhã uma obra bem mediana, só não digo que foi de todo ruim, porque a escritora soube criar um clima de mistério capaz de segurar os leitores (isso se eles conseguirem chegar até a parte do livro em que ele começa, porque foi difícil, viu??). Confesso que o final foi surpreendente, não sei dizer se de um jeito bom ou ruim, ainda estou tentando decidir. O que eu não gostei foi da quantidade de pontas soltas que foram deixadas, principalmente em se tratando do diário. Pode ser que a intenção da autora tenha sido essa, pelo discurso que ela fez no início da história, mas não achei que funcionou.

Conclusão, só indico esse livro para pessoas que tenham muito tempo livre para investir em uma obra que provavelmente vai te deixar frustrado e sem muitas respostas no final. Caso contrário, eu sugiro que você leia Simplesmente Acontece, nem parece que foi escrito pela mesma pessoa!!

site: https://pordentrodashistorias.wordpress.com/2017/01/28/resenha-o-livro-do-aman/
Lays.Ordani 18/03/2017minha estante
Estou lendo agora, com a mesma impressão...




'branca 22/10/2016

"O que foi que aconteceu aqui ?"
Antes de escrever, cheguei a ler algumas resenhas um pouco, digamos, "negativas" com relação a esse livro. Com sinceridade, acho injusto avaliar aqui com menos de quatro estrelas um livro cujo final, te faz repensar toda história.

Narrando em 1° pessoa, a protagonista Tamara, prolonga alguns diálogos e divagações não tao interessantes e acaba por arrastar algumas partes da história. Porém ... Inevitavelmente em determinado momento a gente precisa saber o que vai acontecer a seguir, até mesmo fazendo analogia ao propósito do livro, surge na mente: "o que vêm depois ?", "Tudo isso termina no 'hoje'?" e "será que todas essas coisas estão respondidas ao final?".


Mesmo estando habituada a ler romances de fantasia, tive uma experiência diferente com esse. Ao ler as sinopses e comentários, imaginava algo chamativo quanto a história, mas ao terminar a leitura, percebi que as ações dos personagens, que aos poucos iam revelando sobre eles, prenderam mais da minha atenção. Alguns personagens são realmente bem desenvolvidos, como a freira Irmã Ignatius e a controladora tia Rosaleen. Outros surpreendem (assim como a história em si) chegando mais perto do final, como o tio Arthur e a própria mãe da protagonista.

Quando entitulei esse comentário (por ser mais uma opinião pessoal do que uma resenha propriamente dita) de "O que foi que aconteceu aqui?" foi para remeter você, que se interessou por esse livro, à sensação que tive, saindo de uma parte arrastada do enredo, e passando para uma que fez a leitura valer a pena. Trazendo, além da ideia de que o suspense está sendo resolvido, a sensação de que a história foi devidamente contada.

Caso você tenha realmente lido tudo isso que escrevi (Obrigada! Rsrs) ... você fará desse livro, uma leitura melhor ainda, tanto para você quanto para mim. ;)
comentários(0)comente



Cíntia Mara 07/10/2016

insignificativo.com.br
Li O Livro do Amanhã há pouco mais de um ano e foi meu quarto livro de Cecelia Ahern. A autora ficou conhecida pelo sucesso de PS: Eu Te Amo, mas sua marca registrada são as histórias com um toque de fantasia e protagonistas femininas que fogem do padrão "mocinhas".

Embora eu não seja uma grande fã de fantasia, esse foi o primeiro ponto que me chamou a atenção. Desde que assisti Being Erica (aquela série que eu dou um jeito de encaixar no maior número de posts que puder), venho desenvolvendo certa obsessão por histórias que envolvem tempo, decisões, consequências. Porém, achei o início do livro muito lento e o que me prendeu foi o outro ponto que citei, a protagonista.

Eu tenho sérios problemas para gostar de protagonistas, especialmente quando são mulheres, porque o padrão de mocinha/heroína é chato. Mas, como eu disse antes, conhecendo a autora, eu já imaginava que não teria esse problema. Tamara é uma pessoa horrível (e eu amo pessoas horríveis). Ou, pelo menos, ela acha que é, ela diz que é, ela sofre por ser. Eu me identifiquei muito com ela, especialmente quando ela diz que facilita as despedidas ao fazer com que as pessoas a detestem. Só isso já me fez querer pegá-la no colo e tirá-la de perto de qualquer pessoa quisesse fazer-lhe mal - como a tia Rosaleen, que, além de infernizar a vida de Tamara com a justificativa de estar cuidando dela e da mãe, também ajuda a trazer o suspense para o livro.

Ao longo dos capítulos, o suspense acaba se tornando tão importante quanto o aspecto mágico da história. Apesar de ter lido já há bastante tempo, lembro-me de ficar o tempo todo bolando teorias e tentando entender o que realmente estava acontecendo. As coisas chegam a ficar assustadoras em alguns momentos e Tamara teve que ser bastante corajosa para seguir em frente. Acaba que o livro que prevê o futuro nem é tão relevante assim (e convém dizer que nenhuma explicação é dada sobre ele) se comparado a todas as outras revelações.

O Livro do Amanhã é quase uma novela mexicana. Algumas das minhas teorias até se aproximaram do que realmente aconteceu, mas a verdade é que, embora as pontas sejam amarradas decentemente, eu achei tudo muito louco e dramático demais. Não me arrependo de ter lido, não é um livro ruim e, para mim, o quanto eu consigo me identificar com um personagem sempre será mais importante do que os rumos da história. Embora não tenha se tornado um favorito, ainda passa uma mensagem positiva e me deixou com várias citações ótimas.

Aprendi algo importante naquela noite. Não se deve tentar impedir tudo de acontecer. Às vezes, devemos esperar ficar sem jeito. Às vezes, também, devemos aceitar a possibilidade de ficar vulnerável diante de pessoas. Às vezes isso é necessário porque tudo faz parte de você chegar à parte seguinte de si mesma, no dia seguinte. O diário nem sempre tinha razão.

site: http://www.insignificativo.com.br/2016/02/o-livro-do-amanha-cecelia-ahern.html
comentários(0)comente



Aventura de aprender 16/09/2016

Eu vi esse livro direto na livraria. No dia não tinha dinheiro para comprar, mas sabia que precisava ler. Foi bem interessante porque no mesmo dia minha melhor amiga me contou um sonho que tinha tudo a ver. Nesse sonho ela tinha a visão de que uma jovem estava com um livro marrom de fechadura e que tinha que ir atrás pra pegar de volta porque era dela e não dessa menina. Achei interessante porque a Tamara descreve o diário exatamente assim.

Apesar de eu ter gostado da história foi meio chato de se ler porque só começa a prender a atenção do meio para o final e tudo acontece em um ritmo lento demais. O livro é vendido como um suspense sobre o tal diário que a Tamara encontra, mas na verdade é um drama familiar daqueles bem dramáticos.

Entretanto, eu gostei bastante do conceito do livro porque dá a entender que não se trata de um destino escrito sem possibilidades para escolhas, mas sim de um direcionamento que foi útil por um tempo. E direcionamento era o que a protagonista mais precisava mesmo porque era uma pessoa vazia de sentimentos e objetivos na vida, sem nenhuma referência. Só fiquei meio decepcionada porque o livro não esclarece em nenhum momento sobre a origem do diário. Por outro lado não pude deixar de gostar porque ficou parecendo algo bem milagre de Deus mesmo, onde não se importa o como, mas o porquê, e isso sim ficou extremamente claro.

Acredito que Deus me levou a esse livro por causa da citação do começo porque só ela valeu o livro todo. A história não tem nada a ver com a minha vida nem com o propósito de Deus como eu pensei que poderia ter. Além disso, não ensina nada de muito diferente. Dramas e transformações como as apresentadas, são digamos assim, clichês em muitos filmes e livros, e não possuem diferencial algum.

Citação

"Dizem que uma história perde algo cada vez que é contada. Se assim for, esta nada perdeu, pois a contarei pela primeira vez.
Trata-se de uma história que, para lê-la, algumas pessoas terão de afastar a descrença. Se isso não estivesse acontecendo comigo, eu me incluiria entre elas. Muitas não precisarão se esforçar para acreditar, pois já tiveram as mentes abertas, destrancadas por qualquer tipo de chave que as faz acreditar. Estas nasceram assim ou, ainda bebês, quando as mentes assemelham-se a pequenos botões, nutriram-nas até se abrirem, aos poucos, as pétalas e as prepararam para que a própria natureza da vida as alimentasse. Com o cair da chuva e o brilho do sol, elas se mantêm em contínuo desabrochar; com as mentes assim abertas, passam pelas circunstâncias da vida decididas e tolerantes, veem luz na escuridão, possibilidades em becos sem saída, experimentam vitória quando outras expressam fracasso, questionam quando outras aceitam. Apenas menos embotadas, menos cínicas. Com menos probabilidade de entregarem os pontos. Em outras pessoas, as mentes se abrem mais tarde na vida, pela tragédia ou pelo triunfo. Ambos funcionam como a chave que abre e ergue a tampa daquela caixa que sabe-tudo e aceitam o desconhecido, dizem adeus ao pragmatismo e às linhas retas. Por outro lado, existem aquelas cujas mentes não passam de um buquê de talos, dos quais brotam botões quando elas apreendem uma nova informação — um novo botão para cada novo fato —, mas nunca se abrem, jamais florescem. Trata-se das pessoas de letras maiúsculas e pontos finais, mas nunca de pontos de interrogação e elipses.
(...)
Mas hoje, por causa da morte de papai e por causa do que ainda tenho de partilhar com você, não me resta outra opção senão pensar no amanhã e em todas as pessoas que o influenciam. Agora, me alegro quando acordo e vejo que existe um amanhã. Perdi meu pai. Ele perdeu seus amanhãs e eu perdi todos os nossos amanhãs juntos. Agora, pode-se dizer que os aprecio quando chegam. Agora, quero torná-los o melhor que puderem ser.”


site: http://aventuradeaprender.webs.com/apps/blog/
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern – #Resenha
O primeiro livro que li dessa autora por incrível que possa parecer foi A Vez da Minha Vida. Sim pessoal não comecei como muitos por PS Eu Te Amo. Não o peguei primeiramente porque escutei pessoas falando bem e também pessoas falando mal. Então peguei um que era lançamento e ainda não havia muitas pessoas falando sobre e nossa fiquei apaixonada pela a escrita. Como era de se esperar quis ler outros livros da autora e parti logo para O Livro do Amanhã. Porém, a leitura não foi exatamente como estava esperando. Em diversos pontos achei a leitura bem cansativa e parecia que a história estava se estendendo demais. Essa autora se tornou uma das minhas queridinhas, no entanto, esse não foi um livro que me cativou completamente.

Quando saiu o booktrailer desse livro fiquei muito curiosa para saber um pouco mais, no entanto, não conseguiu atingir as minhas expectativas. De repente tomou um rumo bem inesperado e que de certa forma me agradou bastante. O livro conta a história de Tamara uma adolescente que nunca se preocupou com nada em sua vida. Seus pais sempre lhe deram tudo o que pedia menos o mais importante. Agora seu pai morreu e a deixou e sua mãe afundadas em dívidas. Então elas não têm outra escolha há não ser ir morar com seus tios. Nesse tempo ela encontra um livro na qual em suas páginas aparece a sua letra relatando algo que ainda irá acontecer, no dia seguinte ela percebe que tudo ocorreu da forma que estava escrita. Porém, a história vai muito além de saber o que seu futuro lhe reserva e sim o que pode ter perdido no passado. E como as escolhas podem te definir.

Dizem que uma história perde algo cada vez que é contada. Se for assim, esta nada perdeu, pois a contarei pela primeira vez.

Personagens adolescentes dificilmente me conquistam, porque não consigo me identificar com elas. Agia de uma forma muito diferente na minha fase. Estava com esperanças de que com Tamara a coisa fosse diferente. Mas, não foi. Ela me irritou ao extremo com alguns de seus comportamentos. Principalmente por não perceber o que estava bem diante de seus olhos. Implicava com todos na casa e me fazia questiona se realmente as pessoas estavam sendo ruins ou ela que as via dessa forma. Como a narrativa é feita em primeira pessoa não tem como entender melhor o comportamento dos outros personagens. Somente aquilo que ela quer mostrar. Tamara fica tão focada no livro do amanhã que para de viver realmente. Tenta arrumar o que fez de errado no dia anterior, porém isso complica ainda mais a sua vida. Não senti pena da menina em nenhum momento.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2015/07/o-livro-do-amanha-cecelia-ahern-resenha.html
comentários(0)comente



Nathy 26/08/2016

O Livro Da Amanhã
A história é muito envolvente, sem contar que a escrita da Cecelia super flui... Tamara é uma adolescente de 16 anos, vive no luxo e é muito mimada, até que um dia seu pai falece, e assim todos descobrem que ele deixou muitas dividas, e por isso elas (mãe e filha), tem que vender a casa e ir morar com o irmão da mãe de Tamara!
A casa fica no meio do nada, e além disso sua tia é super estranha. Até que uma biblioteca itinerante passa na casa e Tamara resolve ler um livro, o livro não apresenta titulo e nome de autor, e também ele é fechado por um cadeado! Mas quando ela o abre, descobre que é um diário, que ela mesma escreve, mas na data do dia seguinte , mas no entanto, ela descobre que é melhor não virar algumas páginas, que apesar de muito tentar, ela não pode mudar o destino♡
Enfim, amei o livro, indico para todos♡
comentários(0)comente



Carla Brandão 26/06/2016

Aos 16 anos, a rica e mimada Tamara vê sua vida virar de cabeça para baixo. Acostumada com luxo, festas, conforto e tudo mais que o dinheiro pode comprar, vê-se atolada em dívidas após a morte do pai. A menina e a mãe perdem a casa onde viviam e são então obrigadas a trocar Dublin por uma cidadezinha no interior da Irlanda, onde moram os tios de Tamara. Os primeiros momentos dessa nova vida não são nada fáceis. A mãe não sai do quarto, quase não come e sequer conversa. Tamara, por sua vez, sente-se entediada sem suas amigas e sua antiga rotina, além de não se dar muito bem com os tios.

Diferente do que promete a sinopse, a biblioteca itinerante não é a grande diversão de Tamara. Nem um pouco fã de leitura, o que leva a menina a entrar no ônibus cheio de livros é o rapaz que dirige o mesmo. Lá dentro ela encontra um livro sem título e sem autor, protegido por um cadeado. Quando finalmente consegue destrancá-lo, depara-se com um diário... Com anotações do dia seguinte... Feitas com a sua letra! Até aqui tudo nos leva a crer que o diário será o grande protagonista da trama. Não é.

A casa em que Tamara e sua mãe ficam hospedadas é, na verdade, a guarita de um antigo castelo, agora desabitado e em ruínas. Como principal forma de ocupar o tempo e movida por sua curiosidade, Tamara passa os dias andando ao redor da propriedade, que guarda muitos segredos. Quem foram seus moradores? O que aconteceu com eles? Por que o castelo encontra-se agora em tais condições?

Os mistérios que cercam a história do castelo tornam-se o ponto central da trama. Em busca de respostas, Tamara descobre coisas que certamente vão surpreender o leitor. À medida que a autora foi introduzindo e esclarecendo alguns segredos, a trama foi ficando mais interessante e tornando-se capaz de prender quem está lendo.

O início da narrativa deixou a desejar um pouco. Descrições muito longas de fatos pouco importantes deixaram a sensação de estar lendo há muito tempo sem que nada de relevante acontecesse. O desfecho foi interessante, mas nenhuma explicação foi dada a respeito da origem do livro ou sobre como as anotações sobre o futuro iam parar nele. É um bom livro, mas terminei a leitura com a sensação de que poderia ser melhor.

site: https://blog-entre-aspas.blogspot.com.br/2014/07/resenha-o-livro-do-amanha-cecelia-ahern.html
comentários(0)comente



Camila Márcia 30/03/2016

Apesar de ter gostado, não foi o que eu esperava...
The book of tomorrow, escrito por Cecelia Ahern foi um dos livros mais diferentes que já li desta autora. Apesar de ter amar o estilo e as histórias contadas por Cecelia, O Livro do Amanhã, deixou-me um pouco frustrada, não foi absolutamente nada do que eu esperava.
Neste livro temos como personagem principal Tamara, 16 anos, jovem demais para os padrões dos livros da Cecelia, e para completar ela é absurdamente fútil e materialista.
O livro começa ressaltando o difícil relacionamento que Tamara tem com os pais, a garotinha mimada tem uma briga horrível com seu pai e ele já falido e pobre comete suicídio. Tamara encontrou o corpo do pai. É tudo bastante traumático para um patricinha que se vê solitária, culpada e pobre, largada a própria sorte com uma mãe indiferente.
A partir daí ela e a mãe vão morar na casa de uns familiares no interior da Irlanda e uma sucessão de fatos misteriosos começam a acontecer, sobretudo quando Tamara encontra numa biblioteca ambulante um livro-diário que conta como serão seus amanhãs.
Do meio para o fim de O Livro do Amanhã ele se torna um thriller psicológico cheio de suspenses, mistérios e ação. Esse estilo num livro da Cecelia me deixou em choque jamais esperei algo assim!
O livro carece de cenas fofas e de um romance tão comuns nas obras de Ahern , tem mais a ver com relacionamento, aprendizado, arrependimentos e muito mistério. Sem dúvida, a mensagem passada por Cecelia nesta obra é gratificante.
Após meus comentário pode parecer que O Livro do Amanhã não foi uma boa leitura, mas foi. Gostei bastante do livro, no entanto não foi o que esperava então, este fato, me surpreendeu.

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Tracinhas 15/02/2016

por Thatiane Teixeira
O livro do amanhã nos traz a história de Tamara, uma menina rica, que vivia em Dublin e que sempre teve todos os seus desejos atendidos. Ela era muito minada e nunca obedecia aos pais, e apesar dos seus 16 anos, sempre achou um jeito de burlar as regras e leis da cidade em que morava. Assim como seu grupo de amigos, Tamara acreditava que a vida era apenas curtição.

A família de Tamara era pequena. Seu pai, um grande e milionário construtor de imóveis, fizera fortuna pelo mundo todo e sua mãe era uma fina mulher da sociedade irlandesa. Um dia após um briga feia com seus pais, Tamara encontra seu pai morto no escritório da casa em que moravam. Ele cometeu suicídio, pois estava cheio de dívidas e falido.

Tamara e sua mãe são obrigadas a irem morar no interior do país, com os tios da garota. Para ela esse é um período difícil, pois o único desejo dela é voltar a ter sua antiga vida. Isolada de tudo e de todos os seus amigos, a jovem conhece Marcus, um rapaz muito bonito e que dirige um ônibus com livros (uma biblioteca itinerante). Nessa biblioteca, ela encontra um livro lacrado e muito diferente dos outros.

Ainda tentando se adaptar a nova vida, Tamara conhece a Irmã Ignatius, uma freira e médica obstetra que a ajuda a descobrir que o livro na verdade é um diário muito especial, pois nele não se pode escrever o passado, mas apenas o futuro. Outra amizade que Tamara faz é com Weseley, o ajudante do seu tio no trabalho.

A história de O livro do amanhã traz muitos temas como segredos e mentiras, possessividade, vingança e a comprovação de que realmente as aparências enganam. Mas, acima de tudo, a mensagem principal é a descoberta de um novo caminho a seguir.

Adorei esse livro da Cecelia Ahern, bem mais do que P.S. Eu te amo.

No início eu confesso que achei a narrativa um pouco parada e sem graça, parecia que seria apenas a história de uma menina minada que perde tudo e precisa aprender a lidar com essa situação. Só que, para minha surpresa, o livro foi do oito ao oitenta em poucas páginas e superou todas as minhas expectativas.

A diagramação é simples, nada de muitos detalhes. A margem/fonte/espaçamento estão ótimos e dão fluidez a leitura. Sem contar a revisão da tradução do livro, que não trouxe nenhum erro. Recomendo demais esse livro, principalmente se você está em uma fase de aceitação das surpresas que a vida lhe oferece ou está prestes a passar por uma grande mudança.

site: http://jatracei.com/post/139327894882/resenha-130-o-livro-do-amanh%C3%A3
comentários(0)comente



Amy 20/01/2016

O Livro do Amanhã - Cecelia Ahern

Tamara Goodwin, 16 anos, sempre teve tudo o que quis, filha única de pais ricos, a menina está vivendo o sonho – embora seja um tanto revoltada e mal agradecida. Seu mundo vira de pernas para o ar quando ela perde o pai repentinamente.

O pai está morto, e ela e sua mãe perderam tudo, estavam afundando em dívidas e até a mansão onde vivem será vendida. Sem ter para onde ir, ela e a mãe são obrigadas a irem morar com o tio, em uma cidadezinha do interior. A mãe parece estar em estado catatônico desde a morte do marido, e Tamara se sente cada vez mais sozinha.

No meio do lugar nenhum onde se encontra, ela vê uma estrada desolada, a vista consiste na casinha onde vive, um castelo em ruínas e um barracão de frente que parece ter um morador misterioso. Tamara acaba fazendo amizade com o rapaz da Biblioteca Itinerante e com uma velha freira.

É na biblioteca que Tamara encontra um livro estranho, lacrado com uma fivela e um cadeado. Mas quando consegue abrir o livro, ela descobre algo bem incomum. No livro Tamara vê sua própria letra, como um diário que ela não escreveu, e pior, as anotações estão todas datadas do dia seguinte.

Será que ler o que acontecerá amanhã irá ser a solução dos problemas de Tamara? No meio de muitos segredos e mistérios, ela descobre nem tudo será tão fácil como imagina.


Além de colocar um pé na fantasia, seus livros normalmente tem um aprendizado, uma lição de vida. No caso deste livro, Tamara chega para mostrar que devemos dar valor ao que temos, antes que seja tarde demais. Ela luta contra o arrependimento, relembra a forma estúpida e grossa que tratava o pai, e agora sabe que o amava, mas é tarde demais para demonstrar.

Apesar de gostar do enredo, este foi o livro da autora que eu menos gostei. Primeiro porque o livro começa muito lento e até chato, só depois da página 130 as coisas começam a andar. O que é um prato cheio para quem tem costume de abandonar livros que não engatam rs - não é o meu caso, mas vejo muita gente que abandona sem dó se não começar bem. E em segundo, e não menos importante, Tamara é das protagonistas mais chatas e mimadas que eu já encontrei!

Ela tem um humor ácido, narra o livro como se tivesse contanto uma historia e é extremamente sincera. Sem papas na língua não tem medo de se revelar a menina imatura e chata que é rs. O problema é que isso não me cativou, em um primeiro momento ela conta como era, como tratava o pai e a mãe, como não dava valor a nada do que tinha, até ficar pobre e ir parar naquele fim de mundo. Mas ela não melhora, ela conhece uma freira – uma personagem idosa e fofa no livro – e trata a senhora de maneira rude e grossa do mesmo jeito.

Ao contrário dos outros livros da autora, este aqui não é focado no romance. O livro é todo focado na busca da menina pela verdade e em seu relacionamento com a família.

O capítulo que revela todos os segredos do livro foi bem pouco detalhado, os mistérios foram jogados em cima do leitor sem maiores explicações. A autora joga o tempo todo informações como se fossem pistas, mas ela repete tanto, que fica até meio engraçado.

Bom, se você ainda não leu nada da Cecelia, este não é o livro que eu indicaria para começar, os outros são bem melhores. Não que seja um livro horrível, mas eu esperava mais da autora.
comentários(0)comente



Regiane 10/01/2016

Esperava mais...
Esse é o 4º livro que leio da autora e, apesar da sinopse ter despertado meu interesse, foi o livro que menos gostei. Isso se deve principalmente à protagonista, Tamara.
Tamara Goodwin, de 16 anos, cresceu em meio ao luxo e nunca precisou se preocupar com o que o amanhã lhe reservava, até que a morte repentina de seu pai deixa sua família com várias dividas. Ela e sua mãe são obrigadas a saírem de casa e se mudarem para casa dos tios de Tamara, no interior. Sozinha e entediada, a distração de Tamara é uma biblioteca itinerante que aparece um dia na sua porta. Ali, ela encontra um livro misterioso que contém, em sua própria letra, os acontecimentos do dia seguinte.
Como escrevi no começo, o que mais me irritou foi a protagonista. Chata e mimada, Tamara me irritava sempre e talvez por esse motivo não tenha conseguido me conectar com a estória. Talvez essa tenha sido a intenção da autora, fazer uma protagonista irritante ,porém acredito que ela deveria ter mostrado mais a protagonista após os acontecimentos do livro, para desfazer essa imagem que ela passou durante todo o livro.
Confesso que o final me surpreendeu, e muito, porém não foi capaz de apagar a impressão de uma leitura arrastada e sem grandes momentos.

comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



FabSim 28/12/2015

Chato e monótono
Já estou na metade do livro e nada acontece. Irei abandonar esta leitura e procurar outro título. Resolvi ler O Livro Do Amanhã por causa de O Presente da mesma autora. O Presente é dinâmico e a história flui desde a primeira página.

O Livro Do Amanhã é o oposto, a história não anda, os personagens não são atraentes, no local onde a trama se passa não acontece nada, etc. Enfim, cansativo.
comentários(0)comente



Kamila 21/12/2015

O Livro do Amanhã conta a história da jovem irlandesa Tamara Goodwin, 16 anos. Ela tinha uma vida confortável e luxuosa em Dublin, até que seu pai se mata e ela vai parar no interior para viver junto com seus tios Arthur e Rosaleen.

Arthur é um homem bom e discreto, enquanto que Rosaleen é uma mulher com muitos segredos, acima de qualquer suspeita e que cuida dos afazeres domésticos com muito fervor. Até aí tudo bem, mas sua vida muda completamente quando ela conhece Marcus, dono de um ônibus-bilbioteca. Ela não se interessa por nenhum livro, até que sua atenção se desvia para um livro sem nome.

Logo, Tamara descobriria que o livro estava em branco. Em seguida, as páginas começaram a ser preenchidas. Com a letra de Tamara. Como se isso não fosse chocante, os textos sempre vinham datados com a data do dia seguinte. Isso mesmo, o livro era o diário de Tamara, escrito com tudo o que aconteceria no dia seguinte.

Eu gostei desse livro porque tem muitas cenas de ação, deixando assim, o leitor apreensivo quanto ao desfecho. Você se coloca no lugar de Tamara, imaginando o que aconteceria se você pudesse alterar o destino. E não só isso, o leitor também se transporta para a vida (fútil) da jovem. Eu mesma fiquei me imaginando como eu seria se tivesse tudo o que tinha antes da morte do pai: roupas e bolsas caras, viagens, festas... enfim, todo um mundo de luxo a meus pés.

Mas, como nem tudo são flores, também têm umas partes chatas. Uma delas se refere às enrolações que a história têm. Eu achei desnecessário, como por exemplo, (a parte em que Tamara volta à sua antiga casa em Dublin junto com Marcus, aí eles acabam transando, porém, por questões legais, a polícia chega e leva os dois pra delegacia) olha o spoiler aí, gente!!!

Agora, um destaque para Rosaleen. Ela é uma mulher cheia de segredos como já disse, justamente por isso, ela vive atrás de Tamara, como se a perseguisse. Em um dado momento da história passei a odiá-la, por sufocar a não só a jovem, mas também seu marido Arthur. Sem contar o recalque de outrora que ela ainda nutre, ou seja, ela vive de passado.

Apesar dos rodeios e da Rosaleen, eu recomendo a leitura por ser uma narrativa com muita ação e uma história muito envolvente - parece novela mexicana, rs - , que te prende do começo ao fim. Eu não conhecia a escrita da Cecelia mas gostei devido não só pelos motivos descritos acima, mas também porque ela traz um pouco da Irlanda para nós. Através de sua narrativa, posso imaginar como é bonita a Irlanda!


site: http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2014/09/resenha-o-livro-do-amanha.html
comentários(0)comente



166 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |