Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido

Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido Deb Caletti




Resenhas - Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido


113 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Mônica 22/10/2020

Incompleto
Até agora não entendi qual tipo de feitiço o Tyler pode ter feito para deixar a Ruby tão encantada. Além de uma motocicleta ele não aparenta ter mais nada de interessante, já que a autora nem se deu ao trabalho de dizer.
Uma relação rasa e boba que não gera identificação nenhuma.

A história dos pais, que poderia ganhar explicações adicionais, também fica incompleta e sem grandes motivos da mãe ser tão apaixonada assim. Sei que paixão não se explica, mas passaram se anos sem a mesma reciprocidade e ela continuou lá de quatro por ele.

O irmão, que é super interessante, assim como o pastor, é deixado de lado e poderia ter muito mais destaque e conteúdo.
Assim como as amizades de Ruby.

Muito tempo descrevendo coisas bobas e pouco tempo investindo em conteúdo que o leitor pode se identificar. Parece que ela teve várias ideias ao mesmo tempo e não conseguiu completar todas.

Mas achei o final, com as rainhas das caçarolas, muito legal. Quase vale a pena a leitura. Quase.
comentários(0)comente



Eliziane.Andreia 06/07/2020

Meu amor,Meu bem,Meu querido!
Este livro tem como ter um amor de verão e os relacionamentos envolvidos nessa estação . A principal personagem se chama Ruby que tem 16 anos e é denominada como "a garota calada" é sempre muito discreta e tímida até que ela conhece Travis Becker : um garoto rebelde, mau e problemático.
comentários(0)comente



Iasmim.Almeida 20/05/2020

Ser ou não ser, eis a questão!?
Shakespeare em sua célebre frase expressada em Hamlet, descreve de forma graciosa os conflitos internos vivenciados por Ruby em um verão. Divida entre ser definida por ela mesma, ou pelo que os outros pensam sobre si, em especial, como Travis a define. Ruby McQueen, é uma menina doce, tímida, gentil, uma jovem agradável e boa. Tipicamente, uma adolescente comum, envolta em seu mundo, divagando sobre  pensamentos, conflitos e segredos. 


Ruby, buscava a sua própria identidade, e foi durante o verão que em sua espirituosidade, e ânsia de descobrir e explorar o desconhecido que ela se deslumbrou com um mundo recém descoberto, que se revelara diante de seus olhos, e como um passe de mágica foi por ele sequestrada, sob vislumbres do inexplorado, da expectativa e do desejo de viver um grande acontecimento. 


Decidida a encontrar-se, acabou perdendo-se durante este percurso. Este percurso, chama-se Travis Beker. Travis, é o tipo certo de garoto errado, apresenta-se inicialmente com um "bad boy" típico, bonito, rico e misterioso. A combinação perfeita para um verão repleto de aventuras, se estas "qualidades", não viessem acompanhadas de problemas. Travis é mimado, prepotente e despreocupado com as leis, regras e licitude. Seu jogo perigoso disfarçado de aventura com notas de coragem, e tons de liberdade atraíram a inocente Ruby para seu mundo de ilusões e perversões. 


Simultaneamente, sua mãe Ann, uma jovem bibliotecária, vive absorta sem sua própria ilusão de amor, e família. Estes conceitos, sendo construídos e reconstruído a cada aparecimento remoto de seu ex marido, e desabando após sua partida. Enquanto que seu irmão, Chip jr. torna-se o pilar de sua família, mantendo o equilíbrio familiar.


Ann, é apaixonada pelos livros e por suas histórias. Sua relação com os livros e seu amor por eles passam influenciar não só o seu futuro, como o de todos os personagens, quando ambas as histórias passam a se conectar com outras histórias, nas reuniões das Rainhas das Caçarolas (clube do livro) e assim, a ficção salta a realidade. As Rainhas das Caçarolas tem em suas páginas um mistério a ser revelado e problemas a serem solucionados. Ambos resolvidos quando o verdadeiro amor entra em cena e muda suas vidas e seus futuros completamente.  


Não encontro palavras para descrever o quão incrível e aprazível foi esta leitura. Devorei estas páginas em pouco mais de 1 dia. haha. Deb, tem uma escrita fácil, leve e descontraída. Os personagens são bem construído e bem desenvolvidos no decorrer do livro. A história é incrível e totalmente conectada, repleta de ensinamentos preciosos que nos fazem refletir sobre temas como família, amor, e nós mesmo. Faz-nos questionar sobre quem realmente nos somos, e até que ponto nos definimos, ou permitimos que sejamos definidos por outras pessoas e circunstâncias? É um livro completo, com afeto, com aventura, com mistério.  
comentários(0)comente



Rai - Livros da Ilha 22/10/2019

Ruby McQueen mais conhecida na escola como a "Garota Calada" mora na pequena Nine Mile Falls onde a maioria dos moradores de conhecem.

Com o começo das férias, Ruby conhece o rico, lindo e inconsequente Travis Backer, e apaixonasse pelo rapaz que gosta de aventurar-se em coisas um tanto erradas. Ruby percebendo isso tenta ao máximo se afastar do rapaz que pela paixão e se sentindo confusa faz coisas que não queria.

Percebendo que tem algo errado com a filha Aan começa a levar Ruby para o clube do livro que ela comanda as Rainhas Caçarolas com um grupo de senhoras e Harold o único homem que são unas figuras, fazendo com que ela se distraia e siga a sua vida em uma aventura com outro tipo de pessoas com que ela tem muito a aprender.
comentários(0)comente



Queren-Hapuque 30/09/2019

Não funcionou pra mim. Fui pulando várias partes. Não tinha um personagem que eu me importava. Se me perguntarem daqui a uma semana do que se trata a história, provavelmente já vou ter esquecido :/
comentários(0)comente



Juninho 04/12/2018

Romance
o livro mostra as aventuras pessoais e amorosas da protagonista do livro com o cara mau caráter da cidade onde vive...
comentários(0)comente



Nanda 10/09/2017

Resenha: meu amor, meu bem, meu querido
Livro jovem que fala de uma adolescente. Após ler este segundo livro da autora percebi a linha das histórias dela: jovens que erram mas que são maduras o suficiente para querer mudar e aprender com seus erros, em ambos os livros que li da Deb percebi essa característica.

Ruby, uma jovem "invisível" mas que tem muito o que compartilhar com seus colegas e amigos, não é tão feliz quanto gostaria, apesar de não parecer Ruby quer algo mais, quer tentar algo diferente, quer uma pitada de alguma coisa na sua vida. Esse algo mais começa quando conhece e se envolve com o jovem Travis, moço sem caráter nenhum e que curte a vida nem sempre da melhor maneira. No início Ruby quer apenas se sentir vista já que se acostumou em ser sempre invisível. Travis dá isso a ela, ele a vê, ele quer que ela vá para diversos lugares com ele e que se arrisque em situações nem tão saudáveis.

Ruby é uma garota que tem muita maturidade e por isso ela logo vê na encrenca que está se metendo, mas largar essa encrenca, ainda mais quando a encrenca se chama Travis e é lindo, nem sempre é fácil. Nesse momento sua mãe começa a ter papel fundamental em ajudá-la a passar por essa fase, aliás essa é outra característica dos livros da Deb: a presença carinhosa dos pais em ajudar os filhos a superar dificuldades.

Mas como a mãe de Ruby ajuda ela? A mãe dela participa de um clube de leitura que é composto por muitas pessoas, digamos...maduras (acho terrível a palavra velhas). Ruby pode até pensar que participar daquele clube pode não ajudá-la em nada a esquecer Travis, mas o que Ruby não sabia era que sua vida ia passar por grandes aventuras com eles, inclusive de um...sequestro! Leiam o livro e saibam que sequestro foi esse, hehehehe. E Ruby acaba descobrindo muitas coisas além de seu encantamento por Travis.

Confesso que não gostei do título do livro e que esperava (lendo o título) que Travis iria ter uma maior participação na história mas o foco sendo direcionado para o clube de leitura não fez em nada o livro ficar ruim, ao contrário, deu um toque especial a história, um amadurecimento especial na vida de uma adolescente.

Não digo que o livro me conquistou totalmente, mas achei a história legal, leve, boa de ler.

site: http://trilhas-culturais.blogspot.com.br/2016/05/resenha-meu-amor-meu-bem-meu-querido.html
comentários(0)comente



natalia.ingride 25/02/2017

Gostei
Primeiramente, antes de iniciar a resenha ainda estou na dúvida se gostei ou não do livro Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido, não que o livro seja ruim, longe disso, mas digamos que ele não foi nada daquilo que eu particularmente esperava quando li a sinopse e vi a capa. Porém, esse livro literalmente me prendeu tanto que não consegui me desgrudar dele enquanto não cheguei às últimas páginas (fazer o que? Sempre faço isso gostando ou não do livro hahaha).
Bem, nesse livro conhecemos Ruby, uma menina tímida, certinha e doce que vive com sua mãe e seu irmão Chip Jr. Ela tem praticamente uma vida normal. Mas tudo muda quando ela conhece o bad boy Travis, aquele típico garoto rico, popular, bonito e totalmente rebelde.
De inicio, a história se desenvolve na paixonite de Ruby por Travis, mas vejamos bem, o principal tema do livro é sobre relações familiares e a transformação para a adolescência, aquela fase que você quer se jogar e acha que nada é errado, ou se você enxerga o errado acha que não vai acontecer nada de mais, então em vários momentos vemos uma garota perfeita e calada para em outros aspectos aparecer uma garota por exemplo que se joga em uma adrenalina em cima de uma moto (haaa me esqueci de falar que o cara tem uma moto) .
Quando Ruby começa a sair com Travis ela começa a ter certas atitudes não tão certinhas, ela começa a mentir, principalmente para a sua melhor amiga e para sua mãe, algo que ela nunca tinha feito. Então, algumas coisas ruins acontecem e ela é descoberta e fica de castigo.
Para mim essa é a melhor parte do livro porque como castigo ela tem que participar de um grupo de leitura que sua mãe faz parte que se chama Rainhas Caçarolas, bom é um grupo de velhinhos muitos fofos que conversam sobre livros e dão suas opiniões sobre os mesmos. As conversas sobre eles são bem divertidas e dei bastantes risadas com eles que por sinal dão conselhos muitos bons tantos para Ruby como para sua mãe que também tem uma história conturbada com o ex marido que é o pai de Ruby.
Como falei anteriormente esse livro trata bastante sobre relações familiares: mãe e filha, irmão e irmão,filhos e pai. Nas cenas com a família achei bastante interessante a forma como a autora desenvolveu, Ruby com o irmão é muito fofo e com a sua mãe as duas parecem muito amigas. Porém a relação com o pai é bem mais complicada já que ele some por um bom tempo e só aparece quando precisa de algum favor. Fora que toda vez que ele aparece a mãe dela acaba ficando com o coração despedaçado quando ele vai embora.
Temos aqui um livro que fala principalmente de uma transformação de uma garota para a adolescência e em alguns momentos até mesmo para a fase adulta. Os personagens que aparecem na vida de Ruby são como pontes para ela poder atravessar por essa ou essas fases. Em vários momentos a vemos como uma menina quando ela brinca com o irmão, uma garota quando ela está com Travis e uma mulher quando ela está com as Rainhas Caçarolas e quando conversa com o pastor Joe Davis.
Porém vou ser bastante sincera, se você espera encontrar um livro romântico juvenil daqueles bem clichês onde o garoto popular se apaixona pela garota nerd calada da escola, você vai se decepcionar bastante, não que não tenha um romance, sim temos um romance, porém Travis mal aparece e quando aparece só faz idiotices e fora que os dois estudam na mesma escola, porém eles nunca se encontram lá... É sério a autora fugiu totalmente desses romances escolares.
É a primeira vez que leio um livro da Deb Calleti e simplesmente ela me surpreendeu na narrativa e no desenvolvimento da história, sem falar dos personagens que dão um ar melhor para a história, todos são tão importantes quanto Ruby.
Para finalizar, Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido é um livro que seria um bom presente para os adolescentes porque ele nos mostra reflexões e um ponto de vista interessante narrado por uma adolescente que ainda está aprendendo a se relacionar com a vida. Então acho que por fim acabei gostando.
comentários(0)comente



Nathy 13/09/2016

Meu amor, meu bem, meu querido – Deb Caletti – #Resenha
Quando li Um Lugar para Ficar tinha gostado demais da história, mas senti que estava faltando uma parte. Com esse também senti a autora deixou de se aprofundar uma temática já vista no outo livro dela. Os livros dela são sempre interessantes, principalmente para os adolescentes que vivenciam esses conflitos. Nesse a busca pela a própria identidade está bem evidenciada. Não tive tantos problemas assim na minha adolescência, mas algumas coisas eu cheguei a me identificar. Mesmo porque nessa idade por mais que queira parecer descolado ainda não sabe exatamente quem é você ou quem quer ser.

Os amigos e namorados são os que mais têm influência nesse tipo de decisão. Ao invés de pensar em não ir contra aquilo que acredita, passa a deixar seus valores de lado e se espelhar na outra pessoa. Faz de tudo para agradá-la e se sentir parte daquele bando. Gostei da forma que abordou isso na vida da principal. A forma como ela descobre o que realmente deseja para a sua vida é muito bem. Nada fica jogada quanto a isso. Mas, na parte sobre namorados um tanto quanto obsessivos a autora deixa de lado. E nesse livro ainda que não fosse o foco teve uma evidência de que o personagem era desse jeito.

A narrativa é em primeira pessoa e fica por conta de Ruby. Uma adolescente que tinha uma vida muito monótona até que conhece Travis - parece que esse nome é ligado diretamente com problemas. Depois disso parece que sua vida gira em função do rapaz e nada pode fazê-la mudar de ideia. Até que acontece aquele choque de realidade e a menina começa a se questionar sobre o que realmente sabe. Começa mesmo a viver a sua vida. Com tantas mudanças não ficou cansativa a história e fluiu muito rápido.

Foi um momento, um único momento que pode mudar as coisas se você decidir tentar ser uma pessoa diferente.

A Ruby é a típica adolescente dos livros. Quase sem amigos, nada popular na escola e nenhum menino lhe dava atenção. Sei que a maioria das adolescentes passa por esses momentos na escola, mas chega a me irritar um pouco que elas sempre são sem personalidade. Somente depois que teve o Travis em sua vida parecia ter algum sentido em tudo. Até o ponto em que percebe que nem tudo deve girar em torno de uma única pessoa. Apesar de no começo não ter gostado muito da personagem, ela vai amadurecendo ao longo do livro e fazendo escolhas mais sábias, ainda que lhe machuque demais.

Continue lendo a resenha no link abaixo:

site: http://www.oblogdamari.com/2016/02/meu-amor-meu-bem-meu-querido-deb-caletti-resenha.html
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 09/06/2016

Não Resenha: Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido / Dreams & Books
Eu amei esse livro, principalmente por não ser como os outros livros do gênero. Não é um livro sobre uma menina que se apaixona pelo cara que nem sabe que ela existe e depois, no fim, ele descobre que a ama e eles ficam juntos.

É um livro sobre amor, amor entre irmãos, entre amigos, entre pais e filhos, amor por si mesmo.

É um livro tocante. Também tem seus muitos momentos engraçados.

Eu super recomendo essa leitura, me surpreendeu e me encantou muito! :)


site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Kamila 21/12/2015

"Meu amor, Meu bem, Meu querido" conta a história de Ruby McQueen, uma jovem é conhecida como Garota Calada. Por ter passado por alguns constrangimentos na escola, ela decidiu que seria uma Garota Calada, que, em suma, é a garota que quer passar despercebida.

Ela mora em Nine Mile Falls, perto de Seattle. Cidade pequena, que tem como destaques a Rua Cummings, que à noite é muito perigosa; e a Moon Light, um local destinado aos fãs de paraglider. Era possível ver paragliders sobrevoando a qualquer hora do dia. Bonito de se ver, segundo Ruby.
Ela mora com sua mãe e seu irmão, Chip Jr e Poe, o Cachorro Burro. O pai os deixou há alguns anos, para seguir o sonho de ser um cantor famoso – que não se realizou, claro. Ele aparecia às vezes na casa da família. A jovem era muito tímida, mas uma escolha mudaria seu destino.

Certo dia, ela estava passando numa rua, onde viu uma casa suntuosa. Nessa casa havia uma moto, do tipo Harley-Davidson. A casa pertencia à família Becker. Travis era o dono da moto. Ela o conhecia da escola, mas nunca tinha falado com ele. E ela achava que ele não falaria com ela. Ela, num acesso de loucura, entrou na casa Becker – aproveitando que o portão estava aberto – e viu-se surpreendida pelo próprio Travis que a convidou para uma volta de moto. E ela aceitou (que doida).

Como nem tudo são flores, Travis era “chave de cadeia”. Mas Ruby queria algo diferente nesse verão. Ela tinha se cansado de ser a Garota Calada. Mas escolheu uma péssima forma de curtir as férias. Aí Ruby comete vários erros e a história fica enrolada, então vamos pular para a parte em que Ruby vai para um clube de leitura. Um clube que lê e conversa sobre as obras do autor Charles Whitney (que já aviso que não existe. O único que existe é ex-jogador de basquete).

As Rainhas Caçarolas – como são denominadas – são compostas por várias idosas que curtem a escrita do romancista. Entre uma leitura e outra, descobrem que Lillian, uma das participantes que menos falava – porque tinha sofrido um derrame – foi o grande amor de Whitney, foi a musa dele. E as Rainhas Caçarolas, mais Ruby, a mãe, o irmão, e Harold (o único membro masculino do clube) bolam um plano para unir os dois – porque Whitney está vivo, do outro lado de Nine Mile Falls.

Sabe aquele livro que você compra só por consumismo? Foi isso que aconteceu comigo. Eu vi esse livro nas Americanas por apenas R$8. Vi e achei legal, nem julguei pela capa – bonita, aliás. Mas o livro traz uma história que põe em xeque o que sabemos sobre amor e perdão. Mostra como um simples ato – o de invadir uma casa, como Ruby fez – pode transformar uma pessoa. Sim, Ruby se transforma, amadurece com seus erros, percebe que, até então tinha outra concepção da vida.

resenha completa em:

site: http://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2015/09/resenha-meu-amor-meu-bem-meu-querido.html
comentários(0)comente



Nay 06/08/2015

As Vezes é Fácil Confundir os Sentimentos
Ruby McQuen tem 16 anos, aparentemente é uma adolescente normal, cheias de sonhos, estudiosa, sensata, sempre se precavia tomando as melhores decisões e tinha um relacionamento impecável com sua família, isso até conhecer Travis Becker,rico, bonito, sedutor e inconsequente, Ruby sabia que havia algo errado em Travis, mas ela via uma necessidade de ter Travis em sua vida, conhecer um mundo diferente do que ela vivia.


"...às vezes a gente está tão convencido de que alguém está nos jogando um colete salva-vidas que não percebe que o que essa pessoas está fazendo é nos afogando."

Ruby sabia que estava em um caminho perigoso, chegaria uma hora que esse caminho não teria mais volta. Mas depois de ver que as coisas estavam passando dos limites, Ruby toma uma decisão fugir de Travis e acima de tudo fugir dela mesma. Sua mãe querendo mantê-la distraída e fora de confusão decide levá-la para o clube do livro e lá Ruby descobre uma verdadeira história de amor, duas almas gêmeas separadas pelo destino, ela com ajuda de sua mãe e dos integrantes do clube farão de tudo para unir de novo essas duas almas, Ruby acaba descobrindo um novo propósito para sua vida.


Meu Ponto de Vista: O livro é narrado em primeira pessoa, porém, sabe aquele livro que você quer terminar mais não consegue? Então esse é o caso do "Meu amor, Meu bem, Meu querido", não que seja ruim, mais é muito enjoado, nossa achei que nunca terminaria de ler kkkk Sinceramente me identifiquei mais com a mãe da protagonista do que com a própria rs Se alguém me perguntasse qual nota eu daria de 0 a 10, 5, deixou a desejar sim, é confuso sim, mais tem seu lado positivo também, quando se ama de verdade, vale a pena enfrentar todos os obstáculos que a vida poê.

site: http://culpa-dos-livros.blogspot.com.br/2015/08/meu-amor-meu-bem-meu-querido.html
comentários(0)comente



Ana Caroline 05/08/2015

Ruby é uma boa garota, ela sabe diferenciar muito bem o certo do errado, mas então ela começar a se envolver como Travis, um garoto que é completamente o oposto dela, um rebelde sem causa. E a partir do momento que Travis entra na sua vida Ruby se torna uma outra pessoa, uma pessoa que ela desconhece e que ela nem sabe se gosta ou não.

Ann, a mãe de Ruby, a arrasta para o clube de leitura que ela comanda achando que assim sua filha vai se manter ocupada.

Mais mesmo se esforçando muito Ruby não consegue se afastar de Travis.

Porém, em uma noite que estão juntos os dois acabam fazendo uma coisa que Ruby não suporta e chega o momento em que ela tem que se decidir entre ser ela mesma ou ser essa nova garota que Travis adora, mas ela não sabe se gosta, o que ela vai escolher?

Enquanto frequente o clube do livro com sua mãe, elas descobre que os personagens do livro existiram de verdade e que foram separados e agora vão fazer de tudo para unir esse casal.

Esse livro não exatamente sobre Ruby, mas sim sobre o amor e as mudanças.

Esse livro é uma lição, devemos deixar de sermos nós mesmas por alguém? Devemos procurar nossas identidades dentro de outra pessoa? Você não vai se encontrar dentro de ninguém! Isso foi o que eu aprendi neste livro.

Para encontrar o amor você tem que se achar primeiro, não adianta buscar uma vida na vida de outra pessoa.
E o amor verdadeiro? Quando você o encontrar ela vai durar pra sempre, afinal ele é verdadeiro, e ele supera tudo, independente de qualquer coisa!

O triste é que nem todo mundo encontrar esse tipo de amor.

Esse livro veio no momento certo, precisava ler e entender essas coisas. Espero que vocês gostem também. E eu não dei 5 estrelas porque achei que algumas partes foram escritas com muita pressa, não sei se foi intencional para não dar profundidade as coisas, mas por exemplo, achei que Ruby e Travis se conheceram e se conectaram rápido demais, mas como eu disse pode ter sido proposital.

site: http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Armele 27/07/2015

Lindo
É um daqueles livros que você não espera muito, mas pode te surpreender infinitamente!
comentários(0)comente



LT 09/06/2015

Será Que Um Verão Pode Mudar o Que Sabemos Sobre o Amor...
Quando eu vi esse livro pela primeira vez, foi na Livraria FNAC. Lembro que cheguei a leva-lo até o caixa mas desisti no meio do caminho porque a conta ia ficar meio salgadinha. Esse mês, voltei ao mesmo lugar e lá estava o livro, e só restavam mais 2. Decidi que aquele era o nosso dia e que eu ia compra-lo. Já posso ficar arrependida de não tê-lo comprado antes?

Lendo a sinopse e vendo a capa, pode ser que você não dê a devida atenção mas quando se propuser a dar uma chance, você será arrebatado pela história conduzida por Ruby McQueen. Uma menina de 16 anos, que é toda certinha, não dá trabalho algum à sua mãe e tem uma relação saudável e amorosa com seu irmão mais novo. Sendo esse exemplo de adolescente, ela mesma fica assustada quando começa a se envolver com o bad-boy Travis Becker. Nesse caso, o rapaz não lembra em nada os outros bad-boys que já nos conquistaram anteriormente. Para ajudar sua filha, Ann resolve inclui-la no seu clube de leitores, as Rainhas das Caçarolas, todos na terceira idade.

Não, não... não torça o nariz ainda, a história é muito mais do que isso. Juntos, eles descobrem que uma das participantes é a protagonista do romance que eles estão lendo, e ali começam toda uma aventura para reunir os eternos apaixonados.

Deb tem uma escrita leve e bem humorada mas ao mesmo tempo intensa.
Não me recordo de nenhum livro em que os personagens principais tenham mais de 60 anos e isso me impressionou bastante. Assim como Ruby, eu fui descobrindo mais desse novo "mundo". Meus conhecimentos se resumiram a minha convivência com meus avós (amo vocês!) e eu pude perceber quantas lições valiosas e heranças lindas eles podem passar para nós. Cada página é uma nova descoberta e, cada fala das Caçarolas uma pérola (seja ela séria ou não).

Você se sentirá sentado no banco traseiro do carro, junto com Ruby durante a aventura, ou sentada na sala durante uma das reuniões e notará que um livro não precisa ter corpos sarados, problemas com ex, beijos molhados e sexo ardente para se tornar um excelente romance.

"Meu bem, meu querido, meu amor" vai elevar sua exigência com belas histórias e te fará não querer perder tempo com mais contos parecidas. A lição que tiramos em cada uma das páginas, são aquelas que a gente para de ler para comentar com quem estiver por perto.

Garanto que assim como eu, você também vai querer começar um clube de leitura pra ontem. Alguém se candidata?
"O amor pode chegar quando você já é você mesma, quando está plena de si. Não acontece quando você procura em alguém uma forma de preencher as suas lacunas!"

Resenhista: Bianca Senna.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



113 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |