A linhagem

A linhagem Camila Dornas




Resenhas - A linhagem


69 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Flavia 17/02/2013

O livro "A Linhagem" se passa na antiga Inglaterra do século XVIII (?) e conta a história de Evangeline Bennet, uma moça que perdeu a mãe quando ainda era criança e foi criada por seu pai, Julian, um homem super tirano, violento, antiquado e cruel. Ela tem uma irmã que vive a atormentando, Margareth, com quem não tem a menor afinidade. Somente Morgana, sua dama de companhia, é quem foi a única pessoa mais próxima de uma mãe que Evangeline poderia ter, e por isso, as duas tem uma relação de cumplicidade e amor incondicional que ultrapassa todas as barreiras.
Evangeline não é uma moça comum... Além de linda, o que atrái olhares de vários homens, ainda possui poderes sobrenaturais: ela controla os quatro elementos da natureza, fogo, água, terra e ar. Sempre que quer levantar o astral ou recuperar suas forças, ela corre para a floresta para sentir e absorver a boa energia do lugar. Mas por receio de ser condenada como bruxa e ser queimada numa fogueira, a moça esconde que possui esse talento de todos. Só seu pai e seus amigos, Genevieve e Albert, sabiam desse segredo.
Como era costume na época, os casamentos eram arranjados pelos pais dos futuros noivos, e para horror de Evangeline, Julian acaba por arranjar um casamento para a filha com Hector, o primo do rei. Julian só queria se ver livre da filha e aproveitou a oportunidade. Mas o que se esperava, era que Evangeline concordasse com tudo de cabeça baixa, e vivesse submissa ao marido, mas não é o que acontece... Evangeline tem o espírito livre, tem a personalidade forte, enfrenta quem quer que seja sem se preocupar com as consequências, vive discutindo com o pai para defender seus interesses e é decidida em suas escolhas. Eis que surge Henry, o cocheiro, e inconformada pelo casamento arranjado, ela acaba encontrando conforto e segurança nele, e daí surge um romance intenso, porém proibido.
Então, a fim de tentar acabar com o casamento e ficar livre para viver com Henry, Evangeline tenta descobrir algo de errado que Hector poderia ter feito, porém, ela descobre que os segredos que ele possui são terríveis...
Ela descobre que não é a única a possuir o dom da magia e aprende muito mais sobre isso, descobre sobre sua verdadeira linhagem, e ainda passa a correr contra o tempo pois há uma enorme conspiração no ar...

Quando vi a capa de "A Linhagem" pela primeira vez, achei muito bonita pois a impressão que dá é a de leveza e liberdade, e é isso que Evangeline quer. Mas ao olhar a capa de perto, pude notar alguns defeitos de montagem que ficaram meio grosseiros, como o recorte e o sombreado exagerado.
A narrativa é muito boa e flui muito bem, os cenários foram muito detalhados, as páginas são amareladas e o tamanho da fonte é ótimo, mas além de ter encontrado alguns erros de ortografia que passaram despercebidos na revisão, de ter percebido que muitas características e pensamentos de personagens se repetiram por muitas vezes, ter encontrado duas mesóclises que não entendi o que estavam fazendo alí (pois acho que os personagens devem manter um padrão de fala, e se falam de forma simples o tempo todo e no mesmo parágrafo aparecerem do nada com um "dar-te-ei", por exemplo, foi triste) e ter notado várias frases de efeito que não se encaixaram no lugar onde estão, fiquei encucada com alguns pontos, pois a história se passa no século XVIII (?) mas em momento algum eu fui convencida de que realmente se passava nessa época. Por mais que eles vivam a luz de velas, usem anáguas e espartilhos, andem por aí a cavalo ou em carruagens, as personagens vão ao banheiro, ao toalete, tomam banho de banheira, enfeitam a casa com persianas e etc... Oi? Essas coisas não existiram nessa época! Só vieram no século seguinte. Até o termo "nanossegundo" foi usado, e duas vezes, então, todo esse anacronismo fez eu me desconcentrar da história. Acho que faltou pesquisa para que se tornasse crível.

Enfim, a história é bacana, até tem umas cenas mui calientes (talvez para ilustrar a química perfeita entre Evangeline e Henry), e vale a pena ser lida. Pra quem gosta de romances de época, com toque de mistério e magia, vai curtir, mas não sei se o leitor vai aproveitar a leitura se se atentar a esses detalhes que apontei como falhos.
comentários(0)comente



Zilda Peixoto 05/02/2013

A Linhagem
Certos livros nos conquistam num simples piscar de olhos, seja por uma sinopse instigante ou até mesmo pela beleza da capa. No caso de A Linhagem foi amor à primeira vista. A autora Camila Dornas reuniu vários elementos que tornam a sua narrativa “quase” verossímil. Porém, A Linhagem é um romance sobrenatural! Seria isso possível?

Sim. Isso é absolutamente possível. A Linhagem narra a história de Evangeline Bennett, uma linda jovem que guarda muitos segredos. Evangeline não se conforma com o casamento arranjado por seu pai Julian. Seu noivo Hector Callum é um cara muito esquisito, dono de olhos negros e de um comportamento muito sombrio.

Aos olhos da sociedade medieval todas as mulheres deveriam se casar e serem submissas aos seus maridos. Evangeline não se enquadra nesse perfil e por isso, trava inúmeras discussões com seu pai. A continuidade e os interesses da linhagem sempre se sobrepunham aos pessoais, sendo esse o objetivo mais importante do matrimônio. Hector Callum era primo do rei e o pai de Evangeline além de ser secretário do rei, provia de muitas posses.

Julian é um verdadeiro carrasco. Para impor sua autoridade obriga Evangeline a se casar mesmo contra sua vontade. Mas o que realmente amedronta Julian é que a sociedade descubra que sua filha é uma bruxa. Pois é assim que a igreja denominava as mulheres que possuem algum tipo de dom.

Nem mesmo Evangeline consegue definir muito bem o que se passa com ela. Desde sua infância, a única pessoa que a protege das perversidades de seu pai é a criada Morgana. Sua mãe falecera ainda quando pequena e desde então Morgana assumira o seu lugar. Evangeline vive com seu pai Julian e sua madrasta Eleanor. Sua irmã Margaret, já casada, tem como um dos seus passatempos favoritos atormentar a sua vida.

Para extravasar toda a sua raiva Evangeline sempre recorria à floresta para se reenergizar. Ela herdara de sua mãe o dom de mover os elementos da natureza. Além de correr pela floresta e sentir o poder da natureza, Evangeline adorava montar. O estábulo era um dos seus lugares favoritos. É exatamente nesse lugar que Evangeline conhece o cocheiro Henry Atlee.

A partir daí as coisas começam a esquentar literalmente. Evangeline terá a árdua tarefa de descobrir como lidar com seus poderes e terá que escolher um caminho: casar-se com o sombrio Hector Callum ou entregar-se ao verdadeiro amor e ser responsável por muitas vidas, inclusive a dela.

Camila Dornas constrói uma narrativa incrível. Sabemos que durante esse período as mocinhas deveriam se manter castas e obedientes aos mandamentos dos pais e da igreja. Felizmente, Evangeline é o retrato oposto. Nada de mocinhas pudicas e cheias de frescuras. Em A Linhagem a personagem principal toma a rédea de seu destino com força e determinação. Os valores da época são descritos com detalhes revelando o caráter mesquinho e autoritário daqueles que compunham a sociedade medieval.

O enredo é muito bem construído. Os personagens primários e secundários se destacam igualmente. Evangeline representa a força da mulher subjulgada aos valores de uma época sombria onde mulheres que possuem algum tipo de dom eram queimadas em praças públicas. A intolerância era comum, já que apenas a igreja e o monarca tinham autoridade sobre a vida das pessoas.

Henry é o típico mocinho que arranca suspiros de qualquer leitora. Forte, viril e dono de belos olhos azuis. Obviamente, nem só de beleza se faz um bom homem. Seu caráter inabalável o torna ainda mais atraente( salvo seus cabelos vermelhos.)
Dorian é outro personagem encantador. Apesar de enigmático, ele é uma peça muito importante dentro da narrativa. Cheguei a me decepcionar momentaneamente com ele, mas Camila Dornas não poderia ser mais perfeita em sua descrição.

Albert é amigo de infância de Evangeline. Tem como filosofia de vida seduzir mocinhas indefesas e levá-las ao caminho da perdição. Genevieve também é uma grande amiga de Evangeline. Utiliza-se de sua beleza para conquistar bons partidos. Tem que lidar com o preconceito da sociedade por ganhar a vida pintando obras de arte, já que nessa época cabia à mulher somente procriar e ser submissa às vontades do marido.
O inescrupuloso Hector representa a imagem daqueles que cobiçam o poder. É capaz de tudo para conseguir o que quer. Surpreendentemente, Hector esconde muitos segredos que nem mesmo Evangeline pudesse imaginar.

O livro é narrado em 1ª pessoa tornando a leitura mais envolvente. A narrativa flui naturamente e o leitor nem percebe que o livro chegara ao final. São tantas reviravoltas e desdobramentos inesperados que o leitor perde o fôlego diante da velocidade dos acontecimentos. A escrita de Camila Dornas é impecável. Não encontrei nenhum erro durante a narrativa.

É perceptível o cuidado da autora na construção da narrativa. Os elementos utilizados na narrativa nos remetem a uma época sombria da idade média. A descrição detalhada de como as mulheres consideradas “bruxas” era tratada pela sociedade é indiscutivelmente bem explorada. A ousadia da autora em escrever uma história sobrenatural fora muito bem sucedida.

A Linhagem é um livro recomendado a todos os leitores. Porém, algumas passagens “calientes” devem ser levadas em consideração e, talvez, o livro seja classificado como livro adulto. Gostaria de expressar todo a minha admiração a Camila Dornas pelo seu talento. E ainda tem gente por aí que fala que não lê livro nacional. Só digo uma coisa: “Vocês não sabem o que estão perdendo.”
Camila Dornas 21/08/2013minha estante
Obrigada pela resenha maravilhosa, suas palavras fizeram meu dia mais feliz, com toda certeza!




Ju 23/03/2013

A Linhagem
Em A Linhagem, a trama gira em torno de Evangeline Bennett, uma garota linda, rica e com dons especiais. Ela pode controlar os elementos: água, fogo, terra e ar. O livro se passa no século XVIII, então esses dons precisam ser escondidos, pois o único destino para alguém assim era a fogueira.

"Imagine o que poderia fazer por nosso país com seu incrível dom? Poderia curar milhares de pessoas, ajudar incontáveis homens e mulheres; mesmo assim, ele tinha que se esconder, pelo medo que pessoas ignorantes tinham do desconhecido."

Evangeline perdeu a mãe ainda muito nova e, desde então, foi criada por Morgana, a criada em quem confia completamente. Mor sabe do que ela é capaz, e faz o possível para protegê-la e para colocar algum juízo na sua cabeça.

A garota vive com o pai, Julian Bennett, o marquês de Winchelsea, que tem o costume abominável de espancá-la. Ela aguenta calada, mas sonha com o dia em que não terá mais que conviver com ele.

"Eu sabia como ninguém que lamentar-se nunca adiantara, então por que fazê-lo?"

Sua irmã, Margaret, é sarcástica e nada ligada a ela. Já é casada, apesar de ser a mais nova, o que faz com que o casamento de Evangeline se torne algo urgente a ser providenciado. O pai a promete a Hector Callum, o primo do rei.

"Com o meu aniversário de vinte anos tendo sido há semanas, era claro que eu estava a passos de me tornar uma solteirona e precisava me casar com urgência, como Eleanor, a mulher de meu pai, me lembrava, mas eu decidiria meu futuro."

Bom, o que acontece é que Hector não é a pessoa com quem Evangeline pretende estar. Ele emana uma energia super negativa, e é uma pessoa que, aparentemente, lhe proporcionará uma vida ainda pior.

No início do livro, Evangeline não tem noção exata de quem é. Mas acaba descobrindo que é um talento, e que existem várias pessoas como ela. A partir daí, ela faz várias descobertas relacionadas a esse novo mundo, e terá a ajuda de alguns amigos fiéis para fazer o que é preciso.

A Linhagem é bem gostoso de ler, apesar de alguns detalhes, como não ser completamente fiel ao período histórico em que é ambientado e ter vários erros no texto. Isso me incomodou um pouco, mas não se tornou insuportável.

A protagonista é uma garota extremamente corajosa, mas chega a ser um pouco suicida... rs... ela tem algumas atitudes bem absurdas. Na minha opinião, causadas pela prepotência da garota. Quanto mais ela descobria sobre os seus poderes e adquiria autoconfiança, mais se tornava antipática aos meus olhos. Apesar de ela ser do bem, chegou a me irritar. Sei lá, não consegui ir totalmente com a cara dela, principalmente depois que ela começou a sentir melhor o poder que tinha.

Em compensação, amei outras personagens, como Genevieve, a amiga artista de Evangeline; Albert, um amigo de infância e Henry. Ah, Henry! *-* Tão fofo, tão encantador! Ele aceita Evangeline como é, desde o princípio. E faz tudo o que pode para ajudá-la a controlar seus dons e a usá-los da melhor forma possível.

Esses três fizeram o livro se tornar muito mais interessante para mim.

No final, acontecem várias reviravoltas, algumas realmente surpreendentes, outras que me fizeram chamar a Evangeline de lerda... rs... Gente, teve uma coisa que ela não percebeu que foi inaceitável!! hehe... Foi um fato tão destacado no início, que não achei nada convincente ela não ter notado.

Achei a capa mais que linda mas, depois de ler, gostaria que tivesse uma pessoa diferente nela... É claro que a intenção era representar a Evangeline, mas a mulher escolhida para retratá-la não é nem um pouco parecida com o que imaginei. Ela é loira, e imaginei aquele loiro bem amarelo mesmo... Fora que pra mim a mulher da foto não parece ter 20 anos, e a roupa não se parece com as descritas no livro. A protagonista reclama várias vezes que seus trajes cheios de anáguas não são adequados para correr, acho bem difícil que ela arrumasse um vestido como o da foto, que ainda deixasse as pernas totalmente à mostra... rs... A parte legal é que a floresta, que tem um papel tão importante na história, não foi deixada de lado.

No geral, gostei da leitura. Foi estranho - me empolguei muito no início, no meio me desinteressei um pouco. Mas, quase no final, me envolvi com a história novamente e cheguei a chorar!! Não é comum minhas emoções seguirem por esse caminho.

Adorei o fato de algumas pessoas se redimirem no fim. Afinal, todo mundo merece uma segunda chance, não é? =)

Postada originalmente em: http://entrepalcoselivros.blogspot.com.br/2013/03/resenha-linhagem.html
Lua 23/03/2013minha estante
O tipo de livro que sempre me interessa adoro livros voltados para o sobrenatural, é sempre envolvente tenho quase certeza de que vou ama-lo haha Evangeline (que nome lindo *--*). Muito linda essa capa mesmo, fiquei instigada a ler primeiro por causa dela, pena que não segue exatamente as características do apresentado no livro.


Adriane Rod 29/03/2013minha estante
Só por se passar no século XVIII já me deixa com vontade de ler. Essa coisa condenar à fogueira por praticar magia ou qualquer coisa considerada anormal me fascina. E eu adoro livros que consegue mexer com as emoções.


Thaís 07/04/2013minha estante
Ja ouvi falar muito deste livro, alguns comentários bons outros ruins tanto que ate fiquei no caminho me perguntando se eu o comprava ou n, e me decidi deixar para depois :( Fazer oq? agora muitos outros livros ja passaram na frente dele (quem sabe daki algum tempo eu n o compro)


Baah 11/04/2013minha estante
um livro otimo, estou super ansiosa para ler esse livro , ele é perfeito


Dani 13/04/2013minha estante
Como você mesma descreveu a própria personagem principal não é o grande atrativo da história, mesmo assim eu leria, nem que fosse pelos ''figurantes'' :)




Jéssica 15/02/2013

A Linhagem foi uma leitura instigante e prazerosa. Camila nos levar a mundo de magia e amor, onde fiquei fascinada com o mundo que ela criou.

A Autora nos leva a 1720 , Inglaterra, onde conhecemos a jovem Evangeline Bennet. Ela é linda , sedutora e poderosa. Evangeline é uma bruxa, ou melhor , um Talento. Ela tem o poder de controlar todos os elementos , mas é banida de usá- lo , já que seu pai odeia qualquer tipo de magia.

Sua família é composta por seu pai, sua irmã mais nova, Margaret, e a madrasta Eleanor. Sua mãe, Beatriz Roth, morreu quando ela era ainda criança é foi da família Roth que Evangeline herdou seus dons. A única pessoa que ela se importa e ama é Morgana , sua dama de companhia e grande amiga.

Seu pai Julian Bennet , é um homem rude, horrendo, mal e carrasco. Ele usa muitas vezes de sua força física em Evangeline e acaba escolhendo um noivo bastante esquisito para ela. Evangeline não é o tipo de garota que aceita as ordens que a sociedade impõe e por isso não aceitará sobre hipótese nenhuma seu futuro noivo, Hector Callum.

Nessa época as mulheres eram subjugadas e não tinham nenhuma autoridade . Para a sociedade elas tinham que apenas se casar , cuidar do marido e dos filhos, e para Evangeline isso errado, já que queria ter a vida que ela escolhesse , é não a sociedade.

A Igreja Católica e poder Imperial tinha uma grande influência nessa época, onde a bruxaria era condenada e a perseguição era intensa e cruel. Por isso Evangeline precisa esconder seu dons daqueles que não hesitariam em matá-la.

Ela acaba conhecendo Dorian Markham , um jovem que também possui um talento. Ele mostrará para ela que não é a única que possui um talento e que muitas famílias da sociedade escondem esse segredo a sete chaves.

Diante de tudo isso, Evangeline acaba conhecendo Henry Atlee, o cocheiro que trabalha em sua propriedade. Ele é um jovem alegre, bonito, honesto e carinhoso, que irá fazer o coração de Evangeline bater mais forte.

Eva passa por muitas aventuras ao lado de Henry , Albert e Genevieve , os dois últimos são seus amigos de muito tempo , e todos correrão um grande risco em tentar salvar sua cidade de um poderoso inimigo.

Camila Dornas traz uma narrativa mágica, eloquente e animadora, onde ela soube explorar bem o terreno mágico, envolvendo mais o leitor na trama.


Quotes:
''Acredito que todos nós somos vulcões dormentes. Que , a cada problema, vamos acumulando pressão até atingir um ponto de colapso e entrar em erupção.''

''Éramos muitos e muito poderoso alguns séculos atrás, mas fomos caçados através dos tempos com animais.''

''Tão bela e tão poderosa. Seria absolutamente perfeita se não pensasse tanto. Mulheres não deveriam pensar por si próprias, é um completo desperdício de uma boa criação divina.''

Blog Leitora Sempre: http://leitorasempre.blogspot.com.br/2013/02/resenha-linhagem-camila-dornas.html

comentários(0)comente



MiCandeloro 13/02/2013

Mágico e viciante!!
O livro conta a história de Evangeline Bennet, uma jovem nascida numa família muito rica, de Londres. Sua mãe, Beatriz, morrera quando ela ainda era pequena. Foi criada apenas pelo pai Julian, o grande marquês de Winchelsea e um completo tirano, e tinha uma única irmã, Margaret, com quem nunca conseguiu construir uma boa relação ou laços de afeto. A única pessoa que sempre a amou incondicionalmente e que era a figura mais próxima que Lina teve de uma mãe foi a sua dama de companhia, Morgana.

Acontece que Evangeline não era uma menina comum. Não só possuía uma beleza de arrancar suspiros masculinos como era dotada de um talento sobrenatural. Lina podia controlar os quatro elementos da natureza: fogo, terra, ar e água.

Apenas seu pai, Morgana e seus dois amigos, Albert e Genevieve conheciam seu segredo. Lina precisava esconder seu dom da sociedade para preservar sua vida, já que em 1720 ainda imperava a caça as bruxas e aos demônios.

Julian, num ímpeto de querer se livrar da filha, arranjou seu casamento com o poderoso Hector Callum, primo do rei, a contragosto da menina. Naquela época, meninas da idade de Lina já deviam se casar para perpetuar sua decendência, serem submissas ao marido, ótimas esposas e donas de casa.

Mas Evangeline não se enquadrava em nenhum desses padrões. Ela era uma menina com uma personalidade forte e pensamentos próprios, totalmente incoerentes com o que se esperava de uma lady como ela, naquela época. Lina não se dobrava aos desmandos do seu pai e não aceitava ser fadada a um destino de submissão, sem amor e sem vida.

Depois de uma de suas brigas homéricas com Julian, ela corre para os estábulos para encontrar conforto em sua égua. É lá que conhece Henry e se apaixona por ele perdidamente.

Henry transmite a Lina uma paz e uma confiança imensa. Dotado de lindos olhos azuis hipnotizantes e um caráter impecável, vê em Lina a mulher de seus sonhos e luta por ela até o final.

Inconformada com seu iminente casamento, Lina resolve tentar descobrir algum "podre" do seu noivo, numa tentativa de impedir a consolidação de seu matrimônio, mas ela nunca poderia supor que o segredo que Hector escondia era tão sombrio e por vezes, mortal.

Paralelamente a esse drama, Lina, que pensava ser a única a possuir tais poderes sobrenaturais, conhece Dorian, um jovem muito misterioso que a introduz num mundo mágico que ela não imaginava que pudesse existir. Ela acaba descobrindo mais sobre sua linhagem, sobre sua mãe e desvenda mistérios que transformarão a sua vida.

Envolta numa rede de conspirações e traições, Lina se vê compelida a salvar pessoas inocentes e defender uma Londres que nem imagina o perigo que corre, mas, para isso, ela precisará da ajuda de seus fiéis amigos e de Henry.
Porém, tal aventura lhe custará um alto preço e a vida de todos estará em risco. Quem irá morrer? Quem conseguirá se salvar? Lina conseguirá escapar de um casamento sem amor?

Leiam e descubram.

***

Quando conheci o livro no site da Editora Novo Século, tive certeza de que queria muito lê-lo. Entrei em contato com a autora que, prontamente, me respondeu e fechou parceria com o Blog. A Camila me enviou o livro em ebook, portanto, não tenho ele aqui em mãos para mostrar para vocês, mas, queria muito.. hehe

Quando vi que se tratava de um romance de época, confesso que tive dúvidas se ia gostar, afinal, esse não é meu gênero favorito, mas, quando percebi que a autora inseriu na história um toque de sobrenatural, amei demais, me senti em casa.

A história me surpreendeu positivamente. Me entreguei por completo e dividi com Evangeline todos os seus sentimentos e dramas. Adorei a personagem forte e destemida que a Camila criou, mas que, ao mesmo tempo, era doce a abdegada, sempre se preocupando com as outras pessoas ao seu redor.

Fiquei extremamente em pânico nas cenas de ação e de perigo em que os personagens se meteram e me deleitei por completo nas cenas de amor e sexo vividas por Lina e Henry. Tais cenas, a meu ver, são tão lindas que chegam a ser poéticas. Não consideraria o livro como um romance erótico, mas também não recomendaria para menores de 12 anos.

A cada capítulo lido me apaixonava mais pela história e ficava ávida para descobrir os mistérios que envolviam a vida da protagonista. Fiquei a história toda tentando adivinhar quem era o mocinho e quem era o bandido (adoro brincar de adivinhações) e, só lá pelo final, que me caiu a ficha e que imaginei o que iria realmente acontecer.

O tempo todo temi pela vida e pelo futuro de Evangeline e fiquei muito satisfeita com o final escrito, acho que não poderia ter sido feito de outra forma. Eletrizante do início ao fim. Agora, estou ansiosa para ler outros livros da Camila, uma autora nacional em início de carreira, mas que, com certeza, trará grandes surpresas para nós.

Super recomendo!!

Resenha originalmente postada em http://www.recantodami.com/2013/02/resenha-linhagem-promocao.html
Mariane Sousa 22/08/2013minha estante
Tive o prazer de conhecer a autora, a leitura foi viciante! Amei a resenha


MiCandeloro 22/08/2013minha estante
Que legal Mariane, queria muito conhecer a Camila. Beijos




Daiane 24/07/2020

Livro contagiante, muito emocionante a vida de Evangeline e seus poderes
comentários(0)comente



Adria Raquel 29/12/2020

Interessante!
Primeiro contato com a escrita da Camila e posso dizer que me apaixonei.
Que livro fluido e muito bem escrito!
Para quem gosta de romance, de história, de fantasia, de ação e de tudo um pouco esse livro é perfeito - uma história bem interessante.
Super recomendo!!!
comentários(0)comente



Carissinha 25/09/2013

Em Londres, no século XVIII, Evangeline Bennet, uma jovem de família abastada, que perdeu a mãe muito nova e vive oprimida pelo seu tirano pai, que a maltrata de diversas maneiras. Ela tem o poder de controlar os quatro elementos e tem que manter suas habilidades escondidas, já que qualquer tipo de magia é considerado bruxaria. Noiva de um homem desprezível, apaixonada por um rapaz proibido para ela e vendo suas habilidades ameaçadas, Eva precisa dar um jeito em todos os seus problemas.
A sinopse é incapaz de contar realmente o que é o livro. A Linhagem é uma história bem interessante e que prende o leitor do início ao fim. Os personagens são críveis e bem construídos.
O romance é interessante, mas confesso que não foi o que mais me interessou, e sim, o desenvolvimentos dos poderes da protagonista, sua luta contra a opressão do seu pai, do seu noivo e de toda a sociedade. Gostei bastante do personagem Dorian, um homem misterioso, bastante atraído por Evangelina. Sinto que ele poderia ter sido melhor aproveitado na história. Fiquei querendo mais cenas com ele.
A Linhagem é um livro que dá para ler bem rápido. A narrativa da Camila é bastante fluida e faz com que o leitor não queria parar de ler. A protagonista é interessante, forte e não é chata como muitas mocinhas que vemos por aí. Se você gosta de literatura fantástica com uma dose de romance, vale a pena conferir.


site: www.carissavieira.com
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 26/06/2013

A Linhagem_Camila Dornas
O livro A Linhagem, de Camila Dornas, se passa na Londres do século XVIII e nos conta a história da jovem Evangeline Bennet. Filha de um poderoso e cruel marquês, Julian, Evangeline possui poderes sobrenaturais e tem o dom de manipular os quatro elementos, porém, precisa manter isso em absoluto sigilo.

O rei é vítima de um atentado provocado por praticantes de magia, e a cidade fica em alvoroço. Após o ocorrido, a Igreja dá ainda mais ênfase à Inquisição, que condena as pessoas acusadas de exercerem bruxaria à morte. Como Evangeline possui dons especiais, precisa mais do que nunca ocultá-los para se manter à salvo.

O seu pai, Julian, a promete em casamento para Hector, parente do rei, mesmo contra a sua vontade. Nessa época, como é do conhecimento de todos, as mulheres eram totalmente subjugadas e não tinham liberdade de escolha. Seus casamentos eram firmados pelos seus pais e desprovidos de qualquer sentimento pelos cônjuges, e as únicas tarefas que lhe eram impostas eram serem mães e donas de casa. Evangeline sempre foi uma mulher forte e decidida, à frente de seu tempo, e é claro que não quer esse destino para si. Por isso ela luta com unhas e dentes para que esse matrimônio não se concretize. Nesse ínterim, ela acaba por descobrir o amor verdadeiro ao lado de Henry, o cocheiro da sua família. Dono de um olhar azul penetrante e de um corpo muito bem esculpido, ele arrebata o coração de Eva fazendo com que ela vivencie uma intensa e ardente paixão.

Além de lutar pela sua liberdade de escolha, Evangeline se vê envolta em uma rede de mistérios e se empenhará em descobrir quem é o responsável por trás das artimanhas que ameaçam a vida do rei e, com isso, acabará se confrontando com o seu passado, que tanto a persegue.

"Acredito que todos nós somos como vulcões dormentes. Que, a cada novo problema, vamos acumulando pressão até atingir um ponto de colapso e entrar em erupção."

A Linhagem foi um livro que me agradou bastante e que cumpriu as minhas expectativas. Com um romance bem construído, personagens fortes e cativantes, e uma dose proporcional de magia, foi uma leitura muito prazerosa. A minha única ressalva, no entanto, foram acerca de alguns aspectos incrementados à história que não condizem com a época que a mesma se passa, século XVIII. Locais, objetos e algumas formas de expressão não foram coniventes com o período histórico da trama, e alguns leitores mais observadores perceberão isto. No entanto, tais fatores, pelo menos pra mim, não prejudicaram tanto o enredo, visto que a autora, Camila Dornas, o conduziu com maestria e intensidade. Narrado em primeira pessoa pela Evangeline, temos uma história de época sobrenatural, muito bem arquitetada, e com um romance de tirar o fôlego.

"Ter um dom não significa que eu seja uma aberração, meu pai, e sim faz de mim especial."

Evangeline, como disse anteriormente, é uma mulher à frente de seu tempo, forte, impetuosa e dona de uma personalidade firme e marcante. As suas características em uma época em que o sexo feminino era subjugado e obrigado pela sociedade a viver de forma pudica e submissa, foram o que mais me encantaram ao longo da leitura. Ela enfrenta tudo e todos em prol dos seus objetivos, incluindo o seu cruel pai, que muitas vezes utiliza de força bruta, tentando em vão, persuadi-la de seus propósitos. Ele considera o dom da filha uma verdadeira aberração, e ameaça até mesmo matá-la, caso alguém descubra a respeito. Em casa, ela só conta com o apoio de sua dama de companhia, Morgana, que é a única que a entende, e na medida do possível, a defende da fúria de Julian. Sua irmã mais nova, Margaret, e sua madrasta, Eleanor, além de serem insuportáveis e fúteis, são o retrato típico das mulheres do século XVIII, e repudiam o comportamento de Eva.

O romance foi muito bem construído ao longo da história, e as cenas sensuais protagonizadas por Eva e Henry são de tirar o fôlego. O relacionamento dos dois foi conduzido de forma natural, porém intensa e me agradou bastante em virtude desses aspectos. Outro casal que também ganhou o meu afeto foram Genevieve e Albert, amigos de Evangeline. Donos de personalidades cativantes, e por vezes, sarcásticas, se mostraram fiéis escudeiros dos protagonistas e se destacaram bastante na trama.

Em suma, A Linhagem é um ótimo livro, que soube abordar romance e magia de uma forma bem costurada e gostosa e, apesar dos pontos negativos no que concerne a alguns termos que destonam com a época em que se passa a história, conseguiu me agradar bastante. Achei a capa do livro linda, apesar de notar que na história, a Eva tem cabelos dourados, o que não condiz com a característica apresentada na ilustração. A diagramação está favorável, com poucos erros de digitação e fonte em bom tamanho. Recomendo.



site: http://www.newsnessa.com/2013/06/resenha-linhagem-camila-dornas.html
comentários(0)comente



Mari 08/09/2013

A Linhagem | Sem Querer me Intrometer
Evangeline Bennett pertencia a uma família extremamente rica e importante de Londres, porém nunca foi uma garota normal. Desde muito jovem, Eva manifestou poderes extremamente fortes de controle dos elementos da natureza (água, fogo, ar e terra), que forem rapidamente repreendidos e escondidos por seu perverso pai, Julian.

A protagonista perdeu a mãe ainda muito jovem e não se dava bem com o restante da família (seu pai e sua irmã, Margaret), o que fez com que crescesse sentindo-se sozinha, e contando apenas com a companhia e compreensão de Morgana, empregada da casa responsável por cuidar dela, Genevieve e Albert, seus melhores amigos desde a infância.

A estória se passa em Londres, no século XVIII, onde as mulheres eram submissas (algo que Evangeline, definitivamente, não aceitava) e tudo que fosse desconhecido diante da sociedade, como dons extraordinários, era considerado e condenado como bruxaria. Levando em conta esses dois aspectos, é fácil concluir que Eva nunca se sentiu a vontade em sua própria cultura, e apresentava uma mentalidade extremamente avançada em relação à época.

A maior preocupação de Evangeline era bolar um plano para poder se livrar do casamento que seu pai havia arranjado para ela com Hector Callum, primo do rei, até que um dia tudo começou a mudar.

Evangeline conheceu Henry, novo empregado da família, e envolveu-se com ele logo de cara. Ela jamais havia sentido algo tão forte por um homem em toda sua vida.
No mesmo período, a jovem conheceu, também, Dorian, um estranho rapaz que causava calafrios em Eva, porém, apresentou a ela uma parte de seu mundo que a própria não conhecia: Outras pessoas, em Londres, tinham dons similares aos de Evangeline.

Mas, como se a vida de Eva já não estivesse complicada o bastante, um crime estranho fez com que toda a população passasse a temer. O rei da Inglaterra havia sofrido uma tentativa de assassinato, no mínimo, estranha. Seu agressor apresentava características sobre-humanas, e em pouco tempo, Evangeline viu-se envolvida na resolução desse caso para salvar, não somente a própria vida, quanto a de todos no país.

A Linhagem é um livro cheio de ação, emoções e personagens espetaculares. A narrativa é extremamente simples e leve, e em vários momentos nos divertimos com as tiradas fantásticas dos personagens.

O que amei no livro, além do fato de ele ser surpreendente do começo ao fim, foram as diferenças gritantes entre os personagens. Cada uma das pessoas criadas por Camila tem suas próprias características marcantes, o que torna a leitura muito mais interessante e envolvente.

Para os leitores que, assim como eu, adoram universos fantásticos e inimagináveis, A Linhagem é um livro de, praticamente, leitura obrigatória. Tenho certeza que a estória irá conquistar vocês da mesma forma que fez comigo.

site: http://www.semquerermeintrometer.com
comentários(0)comente



Gabriel Sousa 25/07/2013

A Linhagem
O que posso falar sobre A Linhagem? Posso falar que estou extremamente apaixonado pela história criada pela autora estreante Camila Dornas.

Londres, século XVIII. Todas as mulheres deveriam ser submissas á seus maridos. Todos com poderes sobrenaturais são acusados de bruxaria e queimados em praça pública. Evangeline Bennett repudia esses dois dogmas.

Evangeline, ou somente Lina, ou Eva, é uma mulher forte e decidida, que foge de todos os padrões de mulheres da época. Primeiro por repudiar uma vida em que teria que se submeter á desejos e vontades de um homem que sequer ama, e segundo por ter um talento surpreendente, Lina consegue fazer com que os quatro elementos se dobrem á seus pés.

Eva é filha de Julian Bennett, que assim como sua madrasta e sua irmã, é extremamente arrogante e não é nem um pouco apegado á Eva. Então, em sua casa, Eva conta apenas com companhia de Morgana, criada da casa que cuidou de Eva dês de que a mesma era pequena.
Julian está forçando a sua filha á se casar com o repugnante e primo do rei, Hector Callun. Eva é claro, repudia isso.

Junto com sua amiga Genevieve, seu melhor amigo Albert, alguns bruxos que acaba de conhecer e o novo criado de sua casa e seu amante amigo Henry, Lina terá que dar o melhor de si para salvar á vida do rei, salvar o povo de sua cidade, salvar á si própria e se livrar de Hector.

A Linhagem é narrada em primeira pessoa pela personagem principal Evangeline. Geralmente tenho dificuldade em leituras do tipo, mas em a Linhagem não, já que á personagem é super determinada e não tem muito mimimi.

Não só Evangeline, mas todos os personagens criados pela Camila são fantásticos. A Camila literalmente conseguiu que meus sentimentos por eles fossem levados ao extremo. Todos os personagens têm sua importância e seu devido destaque na história.

A narrativa da autora é fascinante e surpreendente. As cenas de ação são incríveis, e as cenas picantes nem se fale (hihihi).

Além de tudo já citado, a história tem um fundo crítico, que aborda os conflitos entre pais e filhos, os casamentos que são feitos apenas por interesse e por aí vai.

Cinsigo facilmente descrever A Linhagem em algumas palavras; Magnífico, encantador e por fim PERFEITO. Recomendo MUITO o livro e não somente pra quem gosta de romance histórico ou sobrenatural, mas pra todos aqueles que estão a fim de embarcar em uma ótima história.


site: http://umcenarioimaginario.blogspot.com.br/2013/07/a-linhagem-camila-dornas.html
comentários(0)comente



Cyssah 09/10/2013

Romântica e moderna
Passada em Londres do século XVIII, "A Linhagem" conta em primeira pessoa a história da jovem Evangeline Bennett que possui poderes sobrenaturais (como fazer o vento derrubar coisas dentro de casa mesmo com as janelas fechadas) dos quais não sabe a origem e sob os quais não tem controle. Esses poderes lhe rendem um constante tratamento hostil e agressivo por parte de seu pai Julian, o arrogante e cruel, marquês de Winchelsea. A jovem é orfã de mãe, e tem eu sua governanta Morgana sua única protetora, o mais perto que pode ter de carinho e amor, uma vez que sua irmã mais nova, Margaret, e sua madrasta são fúteis, frias e raramente lhe dão atenção. De fato, quando falam sobre ela, é para fazer comentários ruins para seu pai.

Nessa história Evangeline descobrirá suas origens, o valor da amizade e o peso do preconceito. além disso, enfrentará assustadores inimigos sobrenaturais para se livrar de Hector Callum, a quem foi prometida em casamento contra sua vontade. O qual possui segredos bastante sombrios em relação a sua obsessão em se casar com a jovem.

E no meio de toda essa confusão ela também encontrará o verdadeiro amor nos braços de um jovem, belo e corajoso tratador de cavalos das terras de seu pai.

As primeiras páginas do romance são um pouco entediantes com as conversas de Evangeline e Morgana sobre sua arrumação para conhecer o noivo e depois os preparativos do casamento, etc.

Mas Albert e Genieve, amigos de Evangeline dão um toque divertido a história em meio ao tédio de conversas sussurrados nos bailes que ocorrem no decorrer da história.

Hector Callum e seus servos dão o tom assustador na perseguição pela mão de Evangeline.

Dorian dá o toque misterioso e sedutor aos desafios enfrentados por nossa heroína.

E finalmente, o belo Henry, o tratador de cavalos e cocheiro, finaliza com um toque ao mesmo tempo cavaleiro e selvagem na história de amor desenrolada no decorrer da trama.

Realmente é uma história que prende o leitor e o faz criar em sua própria mente soluções para os desafios que vão aparecendo em cada capítulo para a jovem.

Apenas ressalvo que achei o fim um pouco repentino. De repente, depois de muita comoção e uma série de segredos inimagináveis revelados estavam todos juntos e felizes para sempre. Contudo, isso não diminui pontos significativos na qualidade no enredo, pelo menos não na minha opinião.

comentários(0)comente



03/02/2013

Resenha A Linhagem - Camila Dornas
A linhagem me surpreendeu, quer dizer, a capa eu gostei bastante, mas quando comecei a ler o livro eu achei que não fosse gostar, mesmo ele sendo do estilo de época que adoro. A protagonista me pareceu um pouco chata no começo, não sei exatamente o motivo, mas na metade do livro fiquei perdidamente identificada com ela.
Evangeline perdeu a mãe quando era um bebê - mas herdou dela o dom de mover os quatro elementos naturais terrestres - então foi praticamente criada por Morgana, que é sua dama de companhia. Albert e Genevieve são seus melhores amigos. Possui uma irmã chamada Margaret, um pai, Julian, e uma madrasta, Eleanor. Dorian entra na história de forma bem legal, e nos apresenta uma família que possui “dons” assim como Eva, no entanto, diferentes. E é claro, não poderia faltar o romance da história, o lindo e extraordinário Henry, ai, ai.
A ação me deixou completamente tonta, eu lia sem parar e acabava tendo que voltar para recomeçar a ler a estrofe, mas é que eu ficava tão empolgada que queria saber o que ia acontecer. Achei apenas que em um cena a ação ficou um pouco parada, mas o resto do livro superou.
Os personagens são envolventes, mesmo os que não são mocinhos, e nos deixam com vontade de saber mais sobre eles. Evangeline é uma garota totalmente fora dos padrões da época, aparenta ser uma dama, porém, adora andar de cavalo, odeia os vestidos cheios de luxo e odeia mais ainda as mulheres submissas presentes na sociedade desse tempo.
Eu pude sentir um pouco de crítica por parte da autora através da Eva, em questão das mulheres, ou melhor, dos direitos das mulheres. Adorei isso, sinceramente.
O final poderia ser melhor construído - a não ser que o livro tenha continuação - pela autora, ficou uma incerteza.
A Camila Dornas soube fazer essa história, incrível. A narrativa muito fluída, gostosa de ler. Espero realmente que ela escreva outros livros. É melhor eu parar por aqui antes que eu me estenda muito. Recomendado para quem gosta de histórias mescladas de época, ação, sobrenatural e romance. Perfeita a mistura!

Para conferir mais resenhas, só acessar http://clicandolivros.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Pamela 14/03/2013

Um Romance Sobrenatural que nos deixa maravilhados!
Evangeline Bennett é uma jovem forte e determinada, capaz de passar por cima de tudo para alcançar seus objetivos. É uma mulher a frente de seu tempo, que não aceita pessoas mandando em suas decisões. Seu pai, Julian, arranja um casamento, tradição cumprida em séculos passados. Hector Callum foi o escolhido; um homem de respeito e que faz parte do sangue real inglesa.

- Se tudo der certo, no final da noite, eu não terei noivo nenhum. Não deixarei que nenhum homem decida meu futuro, Mor - eu disse, decidida.

Morgana é sua criada, uma acompanhante que cuida dela desde a infância. Sua mãe morreu quando Eva era pequena. Margaret é sua irmã e elas vivem em algo parecido como nos desenhos de Tom & Jerry; se amam e se odeiam, tudo num furacão de emoções e sentimentos.
Eva luta contra uma sociedade que pune todos aqueles que tem dons especiais, ou que os demonstram, sendo considerados como bruxaria. Nos percalços da vida, ela encontra Dorian, e descobre que ambos têm muito mais em comum. O medo que ela sentia ao mirar os olhos sombrios a consumia cada vez que se encontravam. Mas isso não duraria para sempre.
Em meio a um turbilhão de imagens, pensamentos e ações que visa desenvolver, Henry atravessa seu caminho, e ele está disposto a não sair dele sem o coração e o amor dela.

Ele entrelaçou seus dedos nos meus e pensei que não havia nada melhor no mundo do que apenas segurar sua mão.

É através de uma escrita magistral e da escrita em primeira pessoa que Camila Dornas desenrola com perfeição e riqueza de detalhes a vida e aventuras de Eva. Podemos ter contato com todos personagens, e podem ter certeza que não citei ao menos 1 terço de todos. A descrição do espaço que a cada momento estão também é essencial e pude viajar e conhecer um pouco mais da capital de um país tão mágico como é a Inglaterra.
A leitura de A Linhagem me fez ter fé de que nossa literatura nacional está a cada dia se superando, e creio no poder de voz que nós, blogueiros, temos ao resenhar livros tão belíssimos como este. Já indiquei para alguns alunos que gostam muito de ler romances, e que junto com o sobrenatural encantam a todos. Só parava a leitura quando ia para a sala de aula ou quando me chamavam aqui em casa, lendo o livro em tempo record (2 dias apenas). Sabe aquele livro, aquela narrativa que nos prende desde o início? Pois bem. Camila, sua má! Hahaha.

Encarei o horizonte, sentindo o balançar constante que o navio fazia devido às ondas revoltas. Não pensei em Julian novamente. Ele ficara enterrado em um lugar sombrio de meu passado. Sua confissão, apesar de tudo, pesava em meu coração.

Novo Século como sempre nos surpreendendo com seu trabalho gráfico, de revisão. Encontrei poucos erros, e bem no finalzinho do livro, nada que atrapalhasse a leitura da forma que muitas outras deixam passar.
Espero que através do primeiro livro, Camila Dornas tome o impulso e nos deleite com mais e mais obras com esse teor de romance/ sobrenatural/ história, pois sucesso, escrita e talento ela já tem desde berço. Só posso dizer uma coisa: LEIAM!
comentários(0)comente



Andrade 24/03/2013

Classificação: 3 Estrelas

Vamos rever as paisagens marcantes da época histórica de Londres, com direito a princesas, príncipes e carruagens. Esse cenário fantástico cheio de misticismo e "aquele charme" pra la de encantador, você localiza em A Linhagem. Que tal comparecer ao baile hoje? Dançar com as damas mais desejadas da cidade? Trajar aquelas roupas a rigor que só os ingleses marcantes sabiam como utilizar? Ah! Retornamos a uma era onde o fantástico e belo tinha muito a esconder... Por exemplo, inestimáveis segredos.

Evangeline, ou Lina como mais é chamada pelos amigos, é uma garota que poderia ser muito feliz, tendo a riqueza ao seu redor, um palácio belíssimo o amor do homem que quiser e roupas da mais belas grifes inglesas, mas isto não é o suficiente. Ele necessita do que mais lhe faltou... Amor. Apesar de todo esse luxo, sua família a despreza. Sua mãe, morreu a algum tempo, deixando-a com seu pai (que a verdadeiramente a odeia), sua madrasta (que muito menos gosta dela) e sua irmã (que a inveja). Mas isto não é tudo. Ela tem dons... Poderes mágicos, que a levaram a viver intermináveis aventuras e transformar sua vida infeliz em um mar de rosas.

Gostei pessoalmente do Albert, o amigo mais próximo de Lina. Ele decididamente é o cara! Lina por sua vez é muito fofa, e apesar de tentar passar uma face de dureza na frente de todos, é apenas uma garota frágil, amedrontada e intimidade pelas regras altamente opressoras de um pai que sempre lhe rejeitou, tratando-a como uma aberração, tudo por causa de seus dons. Ah! Seus dons! São as partes mais legais para mim no livro. Ela utilizar os dons é fantástico principalmente porque eles sempre estão misturado aos elementos, e isto transforma a cena naquele momento que você não vai conseguir esquecer.

Posso dizer que o assunto levantado no livro é muito forte. A época que Camila escolheu para retratar também. Ótima escolha. Todo aquele glamour escondia a atitudes sombrias que as pessoas tinham em vista do diferente. Além de falar sobre a fragilidade feminina (e lógico que o livro está dedicado a este público, e por isto dei três estrelas, porque não faz muito meu estilo, mas mesmo assim me agradou), fala da opressão que as mulheres sofriam, e um pouco sobre a caça as bruxas, evento histórico bem marcante.

Adorei os momentos que Lina tem com Morgana, sua espécie de babá altamente materna! Sério, eu preciso de uma pessoa assim, pra me escutar em momentos de fúria e tristeza. Mas o que mais gostei foram os cenários históricos, as descrições de Camila ficaram impecáveis Você não só imagina, você se vê la dentro, estando no mais alto e esplendido castelo, ou na mais linda clareira, com Lina e Henri... E como eles são safadenhos viu *-* Mas ficam lindo juntos.

Confira outras resenhas aqui: http://devidandrade.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



69 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5