O Teorema Katherine

O Teorema Katherine John Green




Resenhas - O Teorema Katherine


850 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Suh 15/10/2019

Aquele livro 70% chato mas que os 30% restantes o salvam
O final é perfeito, valeu a pena
comentários(0)comente



Paulo 14/10/2019

Um dos melhores livros que li, até agora.
O livro Teorema Katherine teve sua primeira edição publicada em Junho de 2014 e,com 220 páginas,publicado pelo autor John Green, um dos autores mais adorados pelo publico jovem, autor, também, de A Culpa É Das Estrelas. Nele a narração é feita por um "ser onipresente". Esse livro traz como personagem principal Colin Singleton, um prodigío que já namorou 19 Katherines, K-A-T-H-E-R-I-N-E-S, não foi , Catherine, Katies e etc, junto com seu amigo Hassan, um Muçulmano gordinho, eles saem em uma viajem para curar Colin e ajuda-lo a encontrar o pedaço que falta nele.
Colin Singleton após levar seu décimo nono fora de uma décima nona Katherine, fica triste e desmotivado e Hassan,seu amigo, induz a ideia de uma viajem para ajuda-lo a esquecer Katherine XIX. Na viajem acabam conhecendo novos lugares e pessoas, além disso, envolvem-se em algumas aventuras anormais para o seu cotidiano. Colin após levar o fora da K-XIX começa a desenvolver o seu Theorema, motivo do nome "Theorema Katherine". O livro em si não utiliza muita matemática, mas,pelo o personagem principal ser um prodígio, possui bastante piadas nerd's, principalmente entre Colin e Hassan, e aliás nunca dei tanta risada lendo um livro igual dei com essa leitura.
Como já disse, nunca ri tanto com uma história. A leitura é bem fácil e divertida, li em uma semana algo que para mim é incomum. A história me prendeu muito, estava até caminhando lendo o livro,pois queria muito saber o final, mas um dos principais motivos que prendeu minha atenção foi o fato de John Green misturar matemática( sou apaixonado por matemática) com a história de um prodígio que almeja ser um gênio(sou aficionado com esse assunto). Outro ponto que gostei muito foi a amizade de Hassan e Colin,o fato de como os dois estão sincronizados a história toda, novamente, deixa o enredo mais divertido, e isso auxilia de mais a nossa imaginação.
comentários(0)comente



Pipoca Nerd 03/10/2019

Resenha – O Teorema Katherine, de John Green
Quem vê um livro de John Green já pensa logo “ai meu Deus, vou sofrer horrores, chorar como se não houvesse amanhã” e daí para pior, ainda mais se tiver como primeira experiência o livro A Culpa é das Estrelas. E foi exatamente isso que eu pensei quando ganhei o livro O Teorema Katherine. Mas, para minha completa surpresa, o livro me fez foi dar umas boas e descontroladas risadas.

O Teorema Katherine traz a história de Colin, um garoto prodígio (e de antemão já lhes aviso que não é a mesma coisa de gênio) que tem um tipo de garota bastante específico: a menina tem que se chamar Katherine. E por incrível que pareça, ele conheceu, se relacionou e foi dispensado por 19 Katherines entre sua infância e o ensino médio.

Colin é um garoto incompreendido devido a suas peculiaridades de “garoto prodígio”, que não tem amigos e sofre uma grande pressão, tanto de seu pai, como de si mesmo, por querer de qualquer forma ser reconhecido por ter feito algo de grande importância para humanidade. Após ser dispensado pela 19° Katherine, Colin está naquela fase depressiva do fim de uma relação, e em uma tentativa de animá-lo, seu único e melhor amigo, Hassan, dá a ideia deles fazerem uma viagem de carro sem destino e sem prazos, apenas seguir para onde a estrada levar.

Após conseguir a aprovação de seus pais, os meninos pegam a estrada e seguem em busca de aventuras e histórias para contar até que chegam a uma pequena cidade rural chamada Gutshot a fim de visitar o túmulo do arquiduque Francisco Ferdinando, e são acompanhados por Lindsay, guia do passeio pelo túmulo e paramédica em formação, como é apresentada.

Colin e Hassan são convidados por Hollis, mãe de Lindsay, a trabalhar para ela, que é dona da única fábrica da cidade, que emprega a maioria dos moradores e sustenta alguns outros aposentados em uma casa de repouso. A fábrica está passando por algumas dificuldades, porém, o fato é na maior parte do tempo desconhecido por todos, uma vez que Hollis se esforça para manter as coisas funcionando e não preocupar ninguém.

O trabalho dos garotos consistiria em coletar depoimentos dos trabalhadores e ex empregados da fábrica onde eles falam sobre sua vida, como é ou era trabalhar na fábrica e onde eles gostariam de morar caso pudessem viver em outro lugar que não fosse Gutshot. Ao aceitar o emprego, Colin tem como intenção ter um tempo para trabalhar em seu Teorema, ideia que surgiu após levar uma pancada enquanto visitavam o túmulo.

A ideia do Teorema era basicamente criar uma fórmula matemática onde seria possível prever quem iria terminar um relacionamento e quanto tempo o mesmo duraria tendo como base seus 19 relacionamentos até então. E é por aí que começa a diversão… Colin, Hassan e Lindsay se tornam amigos e passam por diversas aventuras e momentos engraçados durante a coleta dos depoimentos, e ao se encontrarem com alguns amigos e com o namorado (o outro Colin) de Lindsay.

É possível perceber Colin nutrindo algo por Lindsay no decorrer da leitura, porém isso é apresentado de uma maneira tão sutil, a ponto do próprio personagem sequer perceber, uma vez que ainda está focado em seu sofrimento pela Katherine 19. Ao mesmo tempo que vemos o interesse de Lindsay em entender Colin e fazê-lo perceber que ele é importante e interessante à sua maneira.

O tom mais cômico do livro está no momento em que Colin e Hassan aceitam ir caçar javali junto com Lindsay e seus amigos. Os meninos se perdem na floresta e dão de cara com um javali, que é descrito no livro como um animal imenso e perigoso, o que os deixa em pânico, porém, sem querer mata-lo, eles atiram num vespeiro, e acabam sendo perseguidos e picados por um monte de vespas, e acreditem, vocês vão morrer de rir com toda a situação e os diálogos entre eles.

Após descobrir a traição de seu namorado, Lindsay e Colin se aproximam cada vez mais, até que se beijam e começam o relacionamento. O que leva Colin a terminar seu teorema, chegando a conclusão de que só é possível prever um relacionamento que já passou, mas não um relacionamento futuro, uma vez que o futuro é imprevisível.

O que mais me agradou e me prendeu na história foi a mensagem passada de que não é preciso muito para ser importante. O que nos torna importantes é o que fazemos para as pessoas ao nosso redor, como cuidamos e como tratamos essas pessoas, sejam aqueles que amamos ou pessoas desconhecidas.

Se você viu o livro e não quis ler porque pensou que ia entrar em um estado depressivo pós leitura John Green, ou se você começou a leitura, ou leu a sinopse, e achou que era uma história boba de fim de relacionamento, pegue o livro de volta ou comece sua leitura sem medo! Garanto que vocês não vão se arrepender e, assim como eu, vão dar ótimas risadas com as loucuras de Colin e seus amigos.

site: http://pipocanerd.com/livros/resenha-o-teorema-katherine-de-john-green/
comentários(0)comente



Vanny 01/10/2019

SUBESTIMADO
O livro é muito leve e divertido. O nosso protagonista apesar de ser o típico protagonista dos livros do John Green, nerd e apaixonado por meninas suuuuper idealizadas, ainda consegue ser diferente.

Colin é um garoto prodígio que só namora meninas que se chamem Katherine, e por mais que isso seja esquisito e quase que o ponto principal do livro, e eu digo quase, porquê o foco mesmo é o projeto de Colin: Tentar prever o fim de relacionamentos usando MATEMÁTICA.

Eu sei, pode parecer chato, mas toda essa jornada dele é super divertida e interessante. E acreditem ou não, esse livro do John Green tem final feliz!
comentários(0)comente



Oswaldo 25/09/2019

Para ler em lugares barulhentos
Não sou preconceituoso em relação a livros. Alguns chamam minha atenção pelo autor, em especial aqueles dos quais já li outras obras e gostei. Confesso que evitei ler John Green por vários motivos, entre eles o fato de ser muito vendido, ter poucas críticas favoráveis ao conteúdo etc. Assisti, meio que acidentalmente, o filme A culpa é das estrelas. Sabia que era uma história triste e, manteiga derretida que sou, iria fatalmente chorar no cinema. Acabei vendo em DVD. Em seguida, uma promoção via internet (não sei se das Americanas, Submarino ou alguma empresa parecida) vendia três livros do John Green por R$ 29,90 (em 2015). Comprei e li os três. São livros voltados para um público juvenil. Leitura simples, mas contada de uma maneira que prende o leitor. Mesmo sendo histórias bobinhas, o autor consegue prender nosso interesse. Queremos saber o que acontece com os personagens.
Uma história quase inverossímil que se nutre das tradicionais situações entre adolescentes presentes nos produtos culturais que nascem nos Estados Unidos. Leitura para aquelas situações em que há muito barulho, que não exigem concentração, que o fato de perder um parágrafo ou outro não importa tanto. Na praia (infelizmente não os li na praia) deve ser legal.
comentários(0)comente



Lovsoliver 17/09/2019

Perfeito
O jeito que a história se desenvolve, o romance diferente que surge no meio da história, simplesmente surpriendente.
comentários(0)comente



Pri 06/09/2019

O livro é interessante mas...
Pra mim se tratava de outro enredo, porém as fórmulas matemáticas e o tipo de conversação ajudaram a deixar o livro legal.
comentários(0)comente



hulda.oliveira. 31/08/2019

Achei os personagens interessantes e a premissa do livro também.
Gostei do amigo árabe gordinho engraçado, embora o humor não tenha funcionado pra mim o tempo inteiro.
Mas, lá pela metade do livro eu já estava cansada dos fug e fugging. No geral eu chego o livro meio chato.
comentários(0)comente



Luskinhs 25/08/2019

Livro bom pra quem tá passando por um término
o livro não tem muito do clichê de romance, é muito mais sobre o collin superando sua ex. É bem divertido e cativante pra quem se indentifica com a situação atual do personagem,mas pode ser cansativo pra quem nunca passou por um término.
comentários(0)comente



twix 21/08/2019

Bem divertido
é muito engraçado e muito gostosinho pra ler, os personagens são muito fofos e se desenvolvem bem (o jeito de Hassan ver as coisas que passou no fim do livro pelo lado bom me surpreenderam e me fizeram rir) mas o problema, na minha opinião, foi Lindsey e Colin, nas últimas págs, seria mais legal se o teorema tivesse sido melhor trabalhado
comentários(0)comente



Raquel 19/08/2019

O Teorema Katherine é escrito por John Green, o mesmo autor de A Culpa das Estrelas e Cidades de Papel, e foi publicado aqui no Brasil pela Editora Intrínseca. Ele conta a história de Colin, um menino prodígio que aos 17 anos namorou 19 Katherines. Sim, ele só se apaixona por meninas que se chamam Katherine. Não serve Catherine, Katerine ou qualquer outra grafia do nome. E, em todos os 19 relacionamentos, elas terminaram com ele.

Depois do último relacionamento, com a K-19, ele sofre de uma forma inexplicável, chegando a duvidar se conseguiria fazer algo da vida sem ela. Depois de certo tempo sofrendo, resolve criar um teorema que é capaz de prever quando um relacionamento irá acabar.

Colin é um garoto muito inteligente, capaz de fazer anagramas com qualquer palavra, mas tem a necessidade de provar pra si mesmo que não é apenas um prodígio e sim que pode se tornar um gênio e fazer algo importante. Ele quer se tornar importante e não basta ter uma vaga numa das melhores faculdades e ter participado de programas de TV quando criança, ele quer um Nobel e coisas assim. O maior medo de Colin, além de terminar mais um relacionamento com uma Katherine, é descobrir que com o passar do tempo ele não é mais tão prodígio quanto as pessoas comuns.

Por um bom tempo da leitura, eu só pensei “meu Deus, como o Colin é insuportável, eu terminaria com ele em 2 minutos”. O que salva a chatice de Colin é o seu amigo Hassan, muçulmano e bem religioso, mas também muito engraçado e é quem tira Colin da zona de conforto. Ele propõe que os dois façam uma viagem de carro, sem destino. Os pais de Colin autorizam por não quererem ver o filho choramingando pela casa por causa da K-19 e os de Hassan autorizam na esperança de Colin convencê-lo a fazer faculdade.

O livro possui uns trechos do passado, contando um pouco das outras Katherines pelas quais o Colin se apaixonou. Achei interessante o fim e como algumas coisas se encaixam, mas eu, que sou bem lerda para previsões, já tinha entendido o que aconteceu nos relacionamentos anteriores antes mesmo de ler o final.

Nessa viagem de carro, eles acabam indo parar numa cidadezinha minúscula, que define bem a palavra “roça” e que tem como monumento o túmulo do Arquiduque Franciscoo Ferdinando, cuja morte foi responsável por desencadear a Primeira Guerra Mundial. Lá eles conhecem a Lindsey e sua mãe, Hollis, que é dona da empresa que praticamente sustenta a cidade. A relação das duas é mais entre amigas que moram juntas do que de mãe e filha. Lindsey namora um Colin, do qual Hollis desgosta, ela acredita que ele prende a garota na cidade e impede que ela saia da zona de conforto dela.

De forma geral, o livro é bem previsível. Sem spoilers aqui, mas pela descrição vocês podem imaginar o que acontece. Foi uma leitura bem arrastada, poderia ter sido contada em bem menos páginas, pensei em desistir várias vezes, apesar de me reconhecer bastante na história. As notas de rodapé dão uma boa salvada, são todas curiosidades e nerdices que o Colin sabe por ser um leitor ávido de absolutamente qualquer coisa. Achei interessante e por gostar muito de matemática, o epílogo também foi uma luz no fim do túnel dessa história.

Para quem não é muito fã de matemática, curiosidades aleatórias e nerdices, O Teorema Katherine pode não ser um livro muito interessante. Um ponto positivo é que com o passar da história, Colin tem um crescimento absurdo. Sair da zona de conforto fez muito bem para ele.

Detalhe, a crítica que se segue é de uma drama queen, pessimista maior e romântica incontrolável. Acho exagero todo o drama de Colin pela K-19, de verdade, foi muito até para mim. Se não tivesse o Hassan e logo no começo eles terem ido viajar de carro, eu com certeza teria desistido do livro.


site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/04/resenha-o-teorema-katherine.html
comentários(0)comente



Literassa 11/08/2019

Resenha
Gente, fiz uma resenha desse livro no meu instagram, sigam lá ? @euliterassa
comentários(0)comente



Laiza 08/08/2019

O Teorema Katherine
O começo da leitura foi meio entediante, os personagens não me comoviam apesar de, estar passando pela mesma situação do protagonista. Comecei a ler e larguei por outro livro, terminei o outro e voltei pra ele. Aí então, como que por mágica, fui enfeitiçada pela história, pelos personagens e ansiava pelo desfecho. Fiz várias marcações de pensamentos e sacadas do Colin, Hassan e Lindsey. Muito inteligente, sem ser incompreensível. Romântico e com todos os adoráveis clichês. No final, assim como todos os outros livros do John Green, ele foi parar na minha lista de queridinhos.
comentários(0)comente



Meri Dias 21/07/2019

simplesmente não sei
enquanto eu lia esse livro, dei quatro estrelas, eu amo histórias de pessoas fissuradas, que realmente amam alguma coisa, se entregam mesmo, sei lá, e vi isso no Colin, em quando ele lê, estuda, é quem ele é, completamente, e amei isso.
muitas coisas nessa história me irritaram, e muitos personagens, inclusive o principal, em algumas partes, é claro.
e, sério, não sei que nota dar agora, não sei se gostei ou odiei esse livro, acho que vou esperar minha cabeça decidir isso sozinha.
não indico pra quem quer começar a ler John Green agora, vai ler a culpa é das estrelas, cidades de papel, enfim, mas não é um tempo desperdiçado, com certeza não
comentários(0)comente



Duda.Nascimento 16/07/2019

É uma leitura leve , divertida e inteligente , não que eu goste muito de matemática , mas desse livro com ctz ...gostei muito
comentários(0)comente



850 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |