Trem Noturno Para Lisboa

Trem Noturno Para Lisboa Pascal Mercier




Resenhas - Trem Noturno Para Lisboa


34 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3


Jumpin J. Flash 06/01/2010

Recomendável
Gostei do livro, embora admita que o achei um tanto arrastado em certos trechos. Trata-se de um BOM livro de 460 páginas, que seria ÓTIMO se tivesse apenas 350.

Destaco o interessante conteúdo filosófico dos escritos do personagem Amadeu Prado (não é de se estranhar, pois o autor é filósofo), e também a ótima escolha do lugar e do tempo (Portugal, na época de Salazar) onde os personagens principais desenvolveram suas relações.
comentários(0)comente



Só Sobre Livros 05/02/2014

O Ourives das Palavras
Confira resenha no blog

site: http://sosobrelivros.blogspot.com.br/2014/02/o-ourives-das-palavras-carla-cristina.html
comentários(0)comente



Bianca 23/02/2017

O livro em si é super interessante e envolvente. Te prende pela temática e pela fusão de histórias e auto conhecimento desenvolvido pelos personagens principais.
Dividido em partes, o livro mostra a jornada de um professor de línguas antigas que saiu repentinamente de sua cidade natal, Berna, ao se deparar com uma misteriosa moça portuguesa, prestes a se jogar num rio. Encantado pelo ocorrido e quase hipnotizado pela sonoridade do idioma português, Gregorius parte para Lisboa em busca de algo após encontrar um livro sobre um tal Amadeu de Prado.
As reflexões feitas a partir deste livro com apontamentos sobre cotidiano, sentimentos e conflitos internos de um jovem médico, permitiu não só a Gregorius, como a nós leitores também, repensar nosso próprio comportamento, medos, anseios.
A mudança brusca de cidade gera um desconforto no professor que é diariamente confrontado pelas diferenças e se vê obrigado a fazer coisas que estavam fora de todo seu esquema ortodoxo de vida. Ao fim do livro, Gregorius reflete sobre a mudança ocorrida em sua cidade natal, não fisicamente, mas seu modo de percebê-la foi alterado devido suas experiências.
A obra possui uma leitura fácil, porém um pouco cansativa. Mas é uma boa experiência, pois nos permite filosofar, mesmo após o término do livro.
comentários(0)comente



Priscila 10/12/2017

É uma leitura agradável, os eventos se passam em Lisboa na época de Salazar, há menções à Pessoa e tudo mais... mas, não consegui aceitar a existência do Amadeu. Até os seus defeitos são, no fundo, qualidades. Ele é como aqueles personagens tão sublimes que carecem de veracidade. Por conta disso, não consegui me engajar na história.
comentários(0)comente



09/03/2013

O acaso é um pequeno deus
Livros tão diferentes "O Sonho do Celta" e “Trem noturno para Lisboa”, ambos magistrais, com frases de abertura tão semelhantes. Li ambos na sequência, o acaso é mesmo um pequeno deus.

O sonho do Celta:

"Cada um de nós é, sucessivamente, não um, mas muitos. E essas personalidades sucessivas, que emergem uma das outras, costumam oferecer contrastes mais estranhos e assombrosos entre si." (José Enrique Rodó - Motivos de Proteu)

Trem noturno para Lisboa:

“Cada um de nós é vários, é muitos, é uma prolixidade de si mesmo. Por isso aquele que despreza o ambiente não é o mesmo que dele se alegra ou padece. Na vasta colônia do nosso ser há gente de muitas espécies, pensando e sentindo diferentemente. (Fernando Pessoa – Livro do Desassossego)

“Somos todos retalhos de uma mesma textura tão disforme e diversa que cada pedaço, a cada momento, faz o seu jogo. E existem tantas diferenças entre nós e nós próprios como entre nós e os outros. (Michel de Montaigne – Ensaios)
comentários(0)comente



Christiane 15/01/2013

Uma longa viagem para dentro de si mesmo
Há um momento na vida que nos questionamos: quem somos? somos felizes? o que fizemos de nossa vida? Quando nos confrontamos com a morte que se aproxima, e com tudo que realizamos e não realizamos. O livro é uma viagem através de um personagem por Lisboa feito por um professor de Berna que encontra o livro escrito por Prado após viver uma experiência que desperta estas perguntas.
Um belíssimo mergulho na alma humana, no lado mais escuro, mas também no que há de belo em cada um de nós. Como somos marcados pelos nossos pais em nossos desejos e em nossas escolhas nos retirando nossas próprias opções de vida.
Um confronto consigo mesmo.
comentários(0)comente



Silvio 29/12/2013

Sinopse
Após descobrir a autobiografia de um personagem português misterioso, professor de filologia de meia idade larga vida estável e parte para Lisboa para conhecer mais sobre o autor, Amadeu Prado.
Em meio a uma cidade para ele desconhecida, em que visita parentes e amigos do finado médico e descobre mais sobre seu passado de militante contra a ditadura de Salazar, Gregorius também tem a oportunidade de refletir sobre o seu passado e sua vida até então.
A viagem acaba sendo uma autodescoberta, uma "jornada do herói" por meio da literatura.

Impressões
Infelizmente, Trem Noturno para Lisboa segue a linha atual da literatura européia. Apesar de bem construído, tudo soa artificial demais. Por mais boa vontade que se tenha é difícil imaginar Gregorius, Amadeu Prado, Adriana, Mélodie, Eça e outros como seres humanos de carne e osso e não apenas personagens de papel, então o enredo todo acaba soando forçado. O autor Paul Mercier parece que não conheceu pessoas de verdade para compor personagens.


comentários(0)comente



Ana Paula 11/11/2015

Dois em um
Dois livros em um livro. O livro que o personagem principal lê durante o desenrolar da história é o que mais me interessou nessa leitura.
Um português que já morreu mas que dá impulso à vida de alguém que procura por um sentidos em sua vida.
comentários(0)comente



grazy. 14/09/2011

Me surpreendeu!
o livro começa de forma lenta, não conquista muito e os detalhes são prolixos e eufemísticos demais. Com o decorrer da leitura isso muda de forma drástica, trazendo pensamentos de um livro dentro deste que faz uma reviravolta na vida da personagem principal, juntamente com um acaso que de alguma forma leva ao encontro deste "livro dentro do livro". Comecei uma viagem de automudança junto de Gregorius, como se eu mesma tivesse embarcado também no trem noturno para Lisboa. SUPER RECOMENDO
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mi 28/02/2015

Para onde este trem vai me levar?
Este livro realmente me encantou por duas razões: a primeira, há um mistério em torno do protagonista e o resultado de sua busca (o que será que ele vai encontrar?), a segunda, pela busca em si (o que ele de verdade está procurando?). Portanto, se quiser para e fazer uma reflexão sobre seus objetivos, acredito que este livro possa te dar um empurrãozinho...
comentários(0)comente



adri cauduro 18/09/2011

Um ladrão de vida
Terminei de reler o Trem Noturno para Lisboa, e confirmei minha idéia de que era um dos melhores livros deste meu último ano de leituras.
Mas agora sei de uma forma mais clara o que me impressionou. Nesta releitura fui seletiva, e dei enfase aos textos do Dr. Prado, em detrimento da história do Prof. Mundus. E acho que aí residem as opiniões contrárias que ouvi de alguns leitores deste livro. A profunda diferença que o autor mostra entre estes dois personagens.
Fazendo uma comparação, o universo do médico, sua infância, a doença do pai, a escola, colegas, o amor por Maria João, os professores, a rebeldia, sua família, sua mulher, os amigos, sua profissão, sua paixão pela literatura, seu engajamento, a paixão e o sacrifício da mulher amada, a doença, enfim tudo neste personagem foi vivido de uma forma intensa, de entrega ao limite do humano, a relação com os pacientes, a política, tudo nele era admirável, um ser que desenvolveu todas as potencialidades com coragem e entrega profunda, por isso é o herói do livro.
No entanto levei algum tempo para realizar que o prof. sempre tão sedento de conhecimento, era na verdade um sanguessuga, um covarde que, mesmo ao buscar conhecer em profundidade o autor dos escritos que lhe despertaram tamanha emoção, não se deixou contagiar. manteve ao longo de toda experiência que a pesquisa lhe proporcionou, uma posição de observador, quase um ladrão que se apropria da história, sem nada dar em troca.
É difícil aceitar que depois de quase quinhentas páginas o personagem consiga passar por tantas personalidades tão marcantes, saber de decisões tão sacrificadas, e possa passar incolume por tudo isso. A frustração como leitora vem de reconhecer neste personagem algumas pessoas com as quais convivemos, que sugam a informação, desfrutam das experiências dos que com elas convivem e ainda assim, não se alteram. Ao contrário, como o prof em questão, passam pela vida a acumular informação, contabilizam tudo mas não se alteram, não demostram interesse outro que não seja o colecionar de vidas.
O livro apresenta as varias facetas de um mundo de possibilidades, e dois personagens. Um rico, que dá e recebe, sofre, se alegra, vive e morre. Outro miserável, que acumula, assiste, indaga, se apropria, rouba sons, imagens, palavras e lágrimas, sem nada dar, sem definir, sem delimitar. Passamos milhares de palavras esperando pela mudança, pela troca, pelo crescimento.. pelo abrir ou fechar de portas e nada acontece.
Ao final fica a certeza de que se pode tirar o homem da miséria, mas não se tira a miséria do homem.
No livro, como na vida.
Adriana Cauduro

comentários(0)comente



Gisele.Maravieski 19/07/2016

Muito bom.
Vi o filme e fiquei curiosa para ler o livro. O livro superou as expectativas. Uma narrativa mais lenta, mas recheada de filosofia e com enredo cativante. Recomendo.
comentários(0)comente



Marcelo F. Zaniolo 09/08/2013

"Trem Noturno para Lisboa, de Pascal Mercier (pseudônimo de Peter Bieri), é um livro que em muito me lembra uma de minhas obras favoritas: A Sombra do Vento. Se me recordo bem, inclusive, foi justamente por esse motivo que resolvi comprá-lo.

E não me arrependo.

Assim como o bestseller de Carlos Ruiz Zafón, este é um romance muito bem escrito, que passeia por uma cidade europeia repleta de histórias e que narra com perfeição a busca pelo autoconhecimento. Entretanto, a obra de Pascal apresenta um conteúdo bem mais denso, reflexivo e filosófico, que muito me agradou principalmente pelos temas propostos (...)"

Para continuar lendo, acesse: http://lokotopia.com.br/resenha-trem-noturno-para-lisboa/

site: http://lokotopia.com.br/resenha-trem-noturno-para-lisboa/
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3