Insônia

Insônia Mari Scotti




Resenhas - Insônia


55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Dani 14/11/2017

Insônia - Nefilins # 01
Suzanna mora com os avos desde o acidente que tirou a vida de seus pais. Ela convive com insonias e o sentimento de que vive fora da curva. Quando ela conhece Pietro, um garoto mais velho e muito charmoso, Suzanna entra de cabeça em sua primeira paixão, um forte triangulo amoroso com a chegada de Arthur e mais que isso: a descoberta de suas origens, que envolvem anjos.
Sei o que você pensa quando vê a capa desse livro. Fallen. Fallen. Fallen. De fato, é um enredo comum, proposta comum, mas o começo do livro me prendeu pela narrativa.

"Olhos em um tom escuro, pareciam de um exímio predador e poderiam muito bem ler a minha alma."

Gostei de ir acompanhando o romance de Suzanna e Pietro, que me surpreendeu por ser tão quente para o estilo do livro. As poucos vai sendo introduzidas revelações sobre a personagem, com anjos e nefilins, o que deixa certa curiosidade.
O romance é bem desenvolvido e se destacou para mim por carregar o mesmo sentimento do dorama Before & After; dois garotos diferentes disputando uma garota com as mesmas probabilidades. Fico confusa sobre com qual deles ela realmente ficará, apesar de ser óbvio que um deles está favorecido, me perguntando se essa estória seguirá a tradição. É que não consigo aceitar que o começo, tão bem desenvolvido, será simplesmente descartado para toda a reviravolta... Foi interessante também como a autora conseguiu acrescentar bastante em um enredo mesmo tão batido, com um pouco de marcas nacionais e fatos bem construídos.
Porém, apesar disso tudo, eu quase não gostei desse romance. Os personagens não são carismáticos como deveriam, e essa regrinha de não poder contar nada nunca para a protagonista especial já basta. Aumenta o mistério sim, mas é irritante! Não sei se me irritava mais com o fato de ninguém contar nada para a personagem ou me irritava com a personagem irritada o tempo todo porque ninguém contava nada para ela!
Não entendo isso já que, no fim, todo mundo conta alguma coisa mesmo. Mas detalhe super irritante: porém, quando Suzanna enfim recebe alguma informação, ela não entende nada mesmo que a pessoa tenha dito tudo com todas as letras. !!!!
Eu tinha caído do balanço na escola e não queria mais brincar, então ele me explicou que eu tinha de tentar, que quanto mais forte fosse, mais alto conseguiria ir.
Com o fim do livro se aproximando isso tudo foi desgastando, principalmente com o destaque que Arthur vai ganhando (não gosto dele e achei estranho/bizarro demais seu relacionamento com Suzanna no passado). E o final do livro me deixou ainda mais desgostosa com ele!
Esse fim, aliás, foi difícil de querer continuar e não me instigou. Fico muito desanimada com series como essa, que apresentam mistério pós mistério sem resolver pelo menos um pouco, elementos demais, ou então tanto suspense sobre algo (no caso, contar algo para a personagem) para depois apenas a revelação não ser grande coisa. Nefilins é uma trilogia, mas pretendo parar a leitura aqui.

site: http://cookiescreamandmint.blogspot.com/2017/11/insonia-nefilins-01.html
comentários(0)comente



chris 13/09/2017

Bem, vamos lá. Li algumas opiniões e vi opiniões muito positivas a respeito do livro, como procurava uma coisa diferente (tinha lido um livro muito bom e estava com dificuldade de pegar outro livro do mesmo gênero, que era romance) resolvi apostar na leitura.

No início gostei, achei a escrita bem legal, a narração dos lugares, do ambiente. Mas acho que depois do primeiro capítulo, quando a Suzanna conheceu o Pietroe começaram os diálogos, a minha opinião foi mudando.

Sinceramente, não consegui gostar da Suzanna. Achei ela bem infantil, infantil mesmo, muito mais que a idade dela. Os diálogos boninhos, principalmente com o Pietro. Quando envolvia o Arthur, eu já curtia mais e as descrições ficavam mais intrigantes. Se tem um personagem que gostei desse livro, foi o Arthur.

Também não curto mesmo essa mania de muitos autores de insistirem ainda na ideia de um amor rápido. Te conheço hoje e já te amo. Sério, gente, são clichês que eu não aguento mais. Acho legal quando o livro vai abordando aos poucos os sentimentos, vai fazendo o leitor se envolver juntamente com o personagem. E vou falar, tá difícil encontrar livros assim. Não sei se por eu ler muito romance e as vezes fantasia, ficção, mas que tenham romance, eu me torne uma pessoa bem crítica em relação a isso. Mas isso é algo que me incomoda bastante nos livros em geral.

Apesar disso, eu queria saber o que iria acontecer, fiquei curiosa. Ponto para a Mari que conseguia aguçar a minha curiosidade, mesmo eu não curtindo muito a maioria dos personagens.

Não sei se vou ler os outros livros, talvez dê uma chance pq realmente achei a história em si muito bacana, mas a maneira que foi ocorrendo não me prendeu tanto. Uma pena.
comentários(0)comente



Faby 25/08/2017

Entre anjos e demonios
A palavra chave para definir esse livro é mistério.
Com um enredo leve, uma escrita fluida e personagens cativantes, a Mari nos conquista e nos envolve na história de uma forma tão genial que fica impossível largar o livro até que ele termine, ou melhor dizendo, nem depois que ele termina.

Em Insônia somos apresentados a Suzana, uma jovem de 17 anos que foi criada pelos avós ainda pequena, pois os seus pais faleceram em um acidente de carro quando ela tinha 8 anos, no qual também se encontrava, mas graças a um misterioso alguém, sobreviveu a ele ilesa. Desde então, Suzana sente que algo misterioso acontece em sua mente, além da sensação de estar sendo observada em alguns momentos ela também ouve vozes, tem pesadelos estranhos e todas as noites por volta das 3 da madrugada acorda e não consegue mais dormir. Essas sensações estão cada vez mais intensas com a proximidade dos seus 18 anos.

"A noite é mais atrativa, pois o silêncio nos deixa pensar, sonhar, mesmo que — no meu caso — acordada."

É através desses momentos de insônia que conhecemos Pietro, um homem lindo e misterioso que mudou recentemente para a casa ao lado, justamente a que possui o belo jardim e a árvore na qual todas as noites, após perder o sono Suzana vai para ler.

Movida pela beleza do rapaz, sua aura misteriosa e por seus hormônios adolescentes Suzanna sente-se, logo, atraída por ele. Por outro lado, Arthur também surge em sua vida, tão belo e misterioso quanto Pietro e bem menos sutil que ele; revela estar completamente apaixonado por ela. Mas como pode alguém que ela acabou de conhecer já amá-la tao intensamente? Aos poucos ela vai descobrindo que eles já se conhecem e que ambos guardam segredos sobre sua vida que ela mesma desconhece. Ela também descobre que eles na verdade são anjos e que ambos estão apaixonados por ela.



"Sabia que precisava ficar sozinha para entender a enxurrada de informações. Porque nada parecia encaixar, nada fazia sentido. Se meu avô sabia, porque deixou um estranho contar minhas origens? Porque Arthur e Pietro estavam brigando? Seriam eles naquela foto? Claro que não, afinal anjos não têm infância, ou tem? E por que deveria tomar cuidado com Arthur?"
Os mistérios da vida Suzana se desenrolam ao longo da história. E, a Mari consegue nos prender cada vez mais a nossa atenção. Quando achamos que estamos finalmente desvendando os mistérios a Mari dá uma reviravolta, e nós vamos ficando tão confusos e curiosos quanto a própria Suzana.

Insônia foi um livro que me prendeu. Suzana é uma típica adolescente, o ambiente escolar, a melhor amiga, os hormônios da idade, a indecisão, são características que tornam a personagem bem real o que nos aproxima cada vez mais dela. Pietro e Arthur são bem opostos, mas não tem como não se encantar com ambos. À sua maneira, eles tentam mostrar a ela que a amam e que além de protegê-la- inclusive deles mesmos. Seriam capazes de renunciar a tudo por ela. Só que apenas um é um anjo do bem, com um pertencente ao céu e outro ao inferno, além de tentar descobrir os mistérios que envolvem a sua vida, Suzana tem que decidir por qual dos dois está realmente apaixonada, e escolher entre o céu e o inferno pode não ser tão fácil quanto parece.

Como eu disse antes, me prendi muito nessa leitura que é fluida, leve e cheia de segredos. Se você gosta de fantasia repleta de tudo isso, e com uma boa pitada de romance, esse livro é para você. Eu li e amei. Aguardo ansiosa a oportunidade para ler o restante da série. Se eu recomendo essa leitura? Sem sombra de dúvida!
Hallef 26/08/2017minha estante
Show sua resenha... Se não fosse o romance eu pegaria para ler sem sombra de dúvida kkk, mas vou colocar na lista de que quero ler, com certeza!


Faby 26/08/2017minha estante
Owm obrigada Hallef. Leia sim. É muito bom!




Michele 15/05/2017

Nos deixa com insônia (risos)
Não canso de dizer que sou apaixonada por fantasia, ainda mais quando é sobrenatural. Falou em anjos caídos então... Quase me desespero tentando ler o quanto antes. Já li a série Fallen, a Hush Hush, a trilogia Halo e todas apresentam anjos caídos, nefilins e seres celestiais. Ainda não tinha lido nada do tipo nacional e estava extremamente ansiosa, com as expectativas bem altas e, graças aos deuses e à escrita maravilhosa da Mari, não me decepcionei.

Vou começar falando dos personagens! Gostei muito tanto de Pietro quanto de Arthur. O mistério em torno deles sobre quem é o mocinho e quem é o vilão me deixou muito curiosa e a Mari consegui trabalhar muito bem isso. Cada um apresenta características muito bem desenvolvidas e distintas, mas ambos tem um jeitinho meio sarcástico que me fascinou. Já a Suzanna me deixou um pouco dividida quanto aos meus sentimentos por ela, afinal algumas vezes apresentava-se forte e inteligente mas outras era uma completa porta e não via (ou não queria ver) coisas que estavam bem à sua frente. Amei que a autora quebrou um pouco da tradição ao criar uma personagem que não segue os padrões, com um cabelo que ela chama de fuá e que está sempre demonstrando ter vontade própria.

A descrição dos cenários é uma conversa à parte. Foi muito bem desenvolvida toda a ambientação e consegui me visualizar em cada local pelo qual a trama se passa, descrito na medida certa para não se tornar uma leitura maçante mas sim envolver o leitor e transportá-lo até lá. Li a versão no formato digital e tenho que dizer que a revisão está impecável, a diagramação é simples e bonita. A capa, meu bem, acho maravilhosa e tem tudo a ver com o enredo, já que contém penas brancas e negras simbolizando a divisão entre o bem e o mal, sendo que nossa protagonista encontra-se em meio a tudo isso.

Desde as primeiras palavras, me conectei rapidamente ao enredo e estava ávida pelas páginas. Fiz a leitura em menos de um dia e não conseguia parar de ler enquanto não terminei ele, sendo que já engrenei no segundo e terceiro volumes em seguida. A escrita da Mari é cativante, de fácil entendimento, bem leve e envolvente. A narrativa é feita em primeira pessoa e alternada entre alguns dos personagens que compõem o enredo, como Pietro e Arthur além da de Suzanna. Gosto bastante desse tipo de narrativa, pois me conecta ainda mais aos personagens por me mostrar quais os seus sentimentos e como estão enxergando os acontecimentos.

Se você, assim como eu, é apaixonada(o) por tramas que envolvam anjos, anjos caídos e nefilins e ainda apresenta várias reviravoltas está aqui uma boa dica de obra nacional que apresenta tudo isso e que com certeza você, não poderá deixar passar despercebida!

site: http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/2017/05/resenha-insonia-nefilins-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Jéssica 09/05/2017

Insônia - Mari Scotti
Quando Suzanna tinha apenas oito anos sofreu um acidente de carro onde seus pais morreram deixando-a para ser criada por seus avós em São Paulo. Ela cresceu se tornando uma menina doce e de personalidade forte, mas que depois do acidente vem sendo atormentada por estranhos pesadelos com alguém de intensos olhos cinzas além de ter insônia não conseguindo dormir a noite.

"A noite é mais atrativa, pois o silêncio nos deixa pensar, sonhar, mesmo que — no meu caso — acordada."

Em uma das suas noites sem dormir ela decide fazer algo bem comum para ela, pegar um livro na biblioteca de seus avós e ir no jardim da casa vizinha se sentar em baixo de uma arvore para ler, ela só não esperava que um estranho a encontrasse lá pedido para ela voltar para casa por ser perigoso. No dia seguinte ela descobre que esse estranho é na verdade seu novo vizinho, Pietro, uma rapaz um pouco mais velho que além de ser bonito tem um ar misterioso. Suas idas ao jardim vizinho se tornam encontros com Pietro e aos poucos ela começa a se ver apaixonada por ele e seu ar misterioso.

"Estava tão acostumada a não conseguir dormir a noite inteira que, sem me abalar, acendi o abajur, peguei um livro de poemas e o folheei, tencionando ler."

Ao mesmo tempo que Pietro surge um novo aluno aparece na sua sala, Arthur, e Suzanna acaba tendo que fazer uma redação com ele que parece ler cada um de seus pensamentos ajudando a escrever o encontro ideal. Arthur é um garoto com traços indígenas que tem uma confiança alta o que o torna um tanto irritante para Suzanna, mas ele também é um garoto um tanto divertido e misterioso.

Junto com esse dois garotos que dizem não se conhecerem, mas parece ter uma estranha rixa, Suzanna vai aos poucos descobrindo um pouco mais sobre as raízes de sua família e que talvez ela não seja uma humana normal.

"Era estranho e ele era, também, um estranho para mim, mas me sentia envolvida e em paz perto dele, como se nada pudesse me fazer mal."

Fazia muito, mas muito mesmo, tempo que eu não lia um livro com triangulo amoroso e lendo eu me lembrei porque odeio tanto eles, a forma como a protagonista sempre fica em duvida entre os dois e como cada um parece ser o oposto do outro e se sentem atraídos pela protagonista sempre me incomoda. Mas mesmo com esse triangulo amoroso eu consegui gostar do nossos dois oponentes, que tem personalidades fortes e seus mistérios que aos pouco vão se revelando. Diferente da protagonista que me fez oscilar se gostava ou não dela, ela em momentos com sua personalidade forte me fazia gostar dela e em outros com sua ingenuidade onde coisas um tanto obvias aconteciam em sua frente mais ela não percebia me deixa com raiva.

"Nasci 17 anos atrás, quase 18. Meus pais faleceram quando completei oito anos e agora, perto dos dezoito, novas situações estranhas estavam bagunçando a minha vida. Não compreendia nada, nem mesmo minha linha de pensamento."

Além dos personagens a autora também descreveu muito bem os cenários sem fazer a leitura ficar maçante. Eu demorei um pouco para engrenar na leitura, só conseguir pegar firme depois do terceiro capitulo, mas depois disso li o livro inteiro em uma noite pois a autora tem uma narrativa leve e envolvente que não de deixava larga-lo.

Então se você busca uma leitura fluida rica nas descrições tanto de personagens como de cenários com uma trama de anjos e demônios, sim temos todo essa "luta" do bem e o mal, Insônia é sem duvida uma ótima dica de um nacional para você ler.

site: http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/2017/01/resenha-insonia-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Thaís 25/04/2017

Anjos e demônios
Na resenha de nacional de hoje vamos falar de Insônia, primeiro livro da série Nefilins, de Mari Scotti. Já adianto que é uma leitura bem intrigante. Confere!

Com apenas 8 anos, Suzanna sofreu um acidente de carro onde também estavam seus pais. Ela foi a única sobrevivente e acredita que foi salva por um estranho, porém ninguém acha isso possível. Com o passar do tempo, Suzanna ou Suzie, já não vê esse fato como real e tenta não pensar mais no assunto. Desde o acidente vive com seus avós e agora, com quase 18 anos, tem insônia. Todas as madrugadas sai pelo jardim da casa para escrever. Gosta de ir a um espaço que pertence a um casal vizinho. Numa dessas noites, Suzie conhece o sobrinho desse casal: Pietro. Lindo e bastante gentil, não demora para que os dois fiquem bem envolvidos. Ao mesmo tempo, na escola, aparece um novo amigo de turma para Suzanna: Arthur. Esse já mais arrogante, porém decidido. E é a partir daí que a vida de Suzie começa a ficar um pouco mais movimentada. Conforme a menina vai conhecendo Pietro, percebe que ele é muito misterioso inclusive com coisas relacionadas a ela. Com Arthur também não é diferente. Suzanna começa a desconfiar que os dois rapazes escondem informações importantes dela mas, ao serem questionados, não deixam escapar praticamente nada. É buscando conhecer os mistérios que envolve sua vida que Suzanna se vê cada dia mais ligada a Pietro e Arthur. Porém, ao que parece, os rapazes estão em lados opostos e Suzie se vê dividida numa escolha que pode ser perigosa caso se decida pela opção "errada".

Esse não foi o primeiro livro da Mari Scotti que eu li. E, assim como as outras histórias, eu gostei bastante. A Mari sabe desenvolver o enredo muito bem e nos deixa inseridos nos ambientes que permeiam a história. Não é difícil se sentir envolvida e a angústia de saber mais e mais não me deixou nem mesmo na última página do livro. Sim! A Mari termina a história num momento bem importante, dando um bom final para o livro e um ótimo gancho para a sequência. Deixa no ar várias suposições que ficaram na minha cabeça por um bom tempo e só me fizeram desejar muito ler o livro 2, Sonhos. Não vejo a hora!

Acredito, às vezes, que este vazio dolorido que me inunda nas madrugadas é porque sobrevivi e eles não. O estranho é que, da mesma forma que esse pensamento me sobressalta, outro o sobrepõe e parece não ser meu: Você não pode morrer, você sobreviveu para um propósito.

Um fato que gostei bastante foi o mistério que envolve os dois personagens masculinos, Pietro e Arthur. Assim como a Suzanna, fiquei bem confusa com relação aos rapazes e sem saber o que pretendem. Quando eles estão falando a verdade e quem realmente quer ajudar Suzie. Vivi uma relação de amor e ódio com esses rapazes. Ora acreditando em um, ora já me despertava pelo outro. Parece meio louco, mas isso deu um bom movimento à trama.
Já com a protagonista, Suzie, não consegui me simpatizar. Incomodou um pouco o fato dela ser um tanto quanto imatura. Posso até dizer que ela foi mesmo chata as vezes. Foi uma personagem que não me convenceu. Aí, você pode alegar que ela nem tem 18 anos ainda e tal... mas sim, achei sim, mesmo com a pouca idade, que Suzie tem uns comportamentos bem inadequados. Porém, tenho a esperança que essa maturidade esteja mais perceptível no próximo livro. Até porque, imagino que o que espera por ela não seja nada fácil e ela vai ter que crescer, por bem ou por mal.


Independente do comportamento da Suzanna, a história é bem construída e deixa o leitor muito agarrado ao enredo. A escrita da Mari é fluida e consegue cativar o leitor de página em página. É uma leitura recomendada principalmente para os amantes de uma boa obra que envolve anjos, demônios, descobertas do sobrenatural, decisões entre o bem e o mal.



site: www.citacaonumclick.com.br
comentários(0)comente



LT 24/04/2017

Uma história de anjos e demônios, é o que encontramos em Insônia – onde ninguém é o que parece ser.

Anjos, o que são? Para que servem? O que fazem? São confiáveis? De onde vieram? Para onde vão? E os demônios? Qual a origem deles? O que realmente querem?

O que pode tornar um os melhores anjos, dos mais talentosos, em um anjo caído, um demônio? Os pecados, ah... mas eles são dos humanos, não? Mistérios, muitos mistérios.

A história se passa no Brasil, e de início conhecemos a nossa mocinha, Suzanna. Ela, ainda menininha, perde seus Pais e é acolhida pelos avós paternos, onde recebe tudo: um lar, amor, cuidados, mimos, alimento, acolhida, educação, tudo de que uma pessoa precisa na vida. Mas, Suzanna sente coisas diferentes. Atualmente, com 17 – perto de completar 18 – anos, Suzanna vai descobrir que não sabe quase nada sobre sua vida, origem, seus pais. Ela se vê, da noite para o dia, em meio a uma confusão muito grande onde torna-se um joguete nas mãos dos jogadores de uma partida entre o bem e o mal, da qual, sequer perguntaram se ela desejava participar. Normalmente, as pessoas que se descobrem ser como ela, recebem informações e fazem suas escolhas sabendo com o que estão lidando, nem sempre todas, nem sempre de forma justa, mas sabendo o que são, conhecendo sua realidade.

Todavia, as coisas para Suzanna, que até pouco tempo, sequer imaginava ser uma nefilin, não tem muitas escolhas, as coisas acontecem, na pressão, na loucura. Nas sobras do mundo, um universo cheio de magia e vida, do qual se acredita ser apenas histórias, anjos, demônios e todo o tipo de seres oculta-se e fazem muitas coisas acontecerem.

Suzanna, como já deixei evidente, descobre a sua origem. Ela conhece um moço lindo, mais velho, encantador, pelo qual se apaixona. Educado, simpático e com uma aura perigosa, Pietro conquistou a Suzanna e a minha pessoa – risos – lembrando que tenho uma tendência a gostar de personagens problemáticos e os quais a gente costuma ter vontade de entrar no livro e matar... O príncipe encantado não é tão príncipe assim. E, logo após o seu surgimento, um outro personagem resolve marcar presença, Arthur/Pierre – que é um babaca, entretanto, parece ser o mocinho – ainda não consegui definir o que penso sobre ele. Ainda assim, vocês podem notar que me tornei #TeamPietro – haha.

Gente, é sério. O livro é rápido, a autora faz umas voltas e dá um nó nas nossas cabeças. Independente de quem é anjo bom ou mal, caído ou não, a gente não consegue saber quem é o verdadeiro mocinho. Depois de ser revelado que os avós da menina sabiam de tudo, e que dela tudo escondiam, não sei em quem confiar. A história começa a lentos passos, e vai evoluindo, ganhando força, nos ganhando. Senti como se esse primeiro volume fosse – e é, quem leu sabe – apenas uma introdução, onde o universo, a luta entre bem e mal, onde tudo é apresentado.

Suzanna é meio que um joguete, nesse primeiro volume, o que costuma me incomodar – geralmente – mas confesso que nesse livro não me incomodou. Suzanna aceita as coisas um pouco depressa demais, e foi isso que me irritou um pouco, ainda assim, não tira o brilho da história. A verdade é que ela é uma menininha, apesar dos seus 17 anos, e quando se vê sem ninguém para confiar é imprudente e vai encarando tudo do jeito que dá.

Preciso dizer que estou com o pé atrás com o Vovô dela, aliás, o pé, não, os dois pés, as mãos, o corpo todo – risos. Ser bom só porque ama a vovó? Sei não... Como já mencionei, ainda não dá pra confiar em ninguém. O livro começa e termina nos deixando curiosos, indo de um lado para o outro, assim como a personagem. Eu desenvolvi teorias, algumas caíram por terra, criei novas, e agora preciso ansiosamente das continuações, porque eu preciso saber em quem confiar e qual será o desfecho de Suzanna que termina completamente aberto.

Os personagens são cheios de mistérios, bem apresentados e perigosos. Suzanna tem tudo para evoluir e muito, e acredito que vá. A escrita da autora está um pouco diferente dos demais livros dela que li, acredito que por serem um pouco mais antigos, ainda assim, muito gostosa, e tem sido bacana ver o quanto ela evoluí na escrita. Nos demais livros da autora, ela está com uma narrativa mais madura, todavia, vale a pena conferir Insônia, e estou preparada para que os volumes seguintes possam me surpreender.

Recomendo para quem curte uma fantasia urbana cheia de reviravoltas e que nos prende. Li muito rapidamente, e já me encaminho para as continuações, das quais, em breve, pretendo vir falar sobre, com vocês. Leiam, leiam e tirem as suas próprias conclusões. Sei que não contei muito do enredo, é que não quero estragar os mistérios, as surpresas.

Quanto a edição, não posso falar muito. Recebi o e-book, como cortesia da autora, nossa parceira, Mari Scotti, através da Amazon. Notei alguns errinhos de revisão, mas nada que atrapalhe a leitura, de modo algum, são leves e dependendo do leitor vão passar sem serem notados. A capa é bonita, o título me chamou a atenção e combina com o enredo.

Leiam, leiam e me contem a opinião de vocês sobre a história!

Até breve!

Resenhista: Ana Luz.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jeniffer Ferreira 20/02/2017

Sexy e misterioso, realmente!
Como primeiro livro (de três) eu achei muito bom. Sério! Não fiquei com aquele sentimento chato de que falta algo mesmo sabendo que é uma introdução para os outros livros. Achei Insônia um livro bem especial. Desde o começo me senti envolta de toda a narrativa e me vi sorrindo diversas vezes enquanto lia (haha). Mas K entre nós, achei a Suzanna bem... Complicada. – Oh Céus! – Mas se não fosse ela creio que esse livro não teria mexido tanto assim comigo internamente.

A trama é extremamente envolvente, e quando digo envolvente quero dizer em todos os aspectos. Insônia é um livro que te cativa de tal forma, que o faz entrar de cabeça na história e sentir os mais diversos sentimentos: Alegria, tristeza, raiva, serenidade... A narrativa da Mari é romântica, sexy, e podemos encontrar bastante mistério nesta jornada.



******
Você pode visualizar a resenha completa em meu blog... :)

site: http://leiaeescrevablog.blogspot.com.br/2017/02/eu-li-insonia.html
comentários(0)comente



Rose 16/02/2017

Quando estava se mudando para a casa dos avós em São Paulo, o carro em que Suzanna estava acabou sofrendo um grave acidente, causando a morte de seus pais. Ela mesma só sobreviveu por um milagre, que ela atribui a um desconhecido que a retirou de dentro do carro. Coisa aliás, que ninguém acredita.
Hoje, prestes a completar 18 anos, a jovem continua sofrendo com suas insônias, adquiridas após o acidente. Por conta disso, ela tem o costume de sair de madrugada para o quintal vizinho para ler sob uma árvore que ela adora.
Foi em uma destas saídas que ela acaba conhecendo Pietro, o belo sobrinho de seus vizinhos. Atraída pelo charme e carinho do rapaz, Suzanna começa a sonhar com seu primeiro beijo.
Foi nesta mesma época que Arthur começa a estudar na escola dela. .Logo de cara ele deixa claro seu interesse por ela, apesar de não se mostrar tão gentil quanto Pietro. Enquanto Arthur faz a linha badboy, Pietro é aquele bom moço... Mas não se enganem!!!!
Quando estes dois entram na vida de Suzanna, o mundo dela vira de cabeça para baixo. Ela descobre que é uma nefilin, assim como seus avós paternos e seu pai. Aliás, por ser um nefilin muito poderoso que seu pai foi morto.
Suzanna fica sem chão e completamente perdida a cerca de seu passado, presente e futuro.
Completamente envolvida por Pietro, ela não sabe se pode confiar totalmente nele. Nem mesmo em seus avós querem esclarecer suas dúvidas. Arthur, que ela descobre ser Pierre, seu antigo guardião, é outro que ela não confia plenamente, apesar de ser o único que parece querer lhe contar alguma coisa de concreto.
Dividida entre Pietro e Arthut/Pierre, Suzanna precisa descobrir toda a verdade sobre sua condição de nefilin e os motivos do Céu e do Inferno estarem atrás dela.
Mas como resolver isso se ela nem ao menos sabe dizer quem é o mocinho e quem é o bandido desta história?
Adoro enredos com anjos, por isso meu interesse por esta série. Uma pena que Suzanna seja uma burra! Eita guria idiota!!!! Ficava irada quando ela via e ouvia as sacanagens que planejavam fazer com ela e mesmo assim ela ainda era toda sorriso com o dito cujo. Tudo bem que a condição dele influenciava seus sentidos, mas caramba, não dava para lutar nenhum pouquinho? Ou pelo menos prestar atenção nos alertas para se proteger melhor?
Sem falar do fato que ela nunca sabia de nada, ou entendia bulhufas do que estava acontecendo. Coisa aliás, que ela nem fazia esforço para entender...
O engraçado é que justamente por conta disso que o enredo ganha a dimensão que ganhou, com um ponto enorme de interrogação do que virá pela frente. A autora deixou um ótimo gancho para a sequência da história, sem falar que o leitor acaba ficando preso no enredo, tentando descobrir o que aconteceu, o porquê de tudo isso, e quem é quem de fato.
Só quero ver como a Suzanna vai se sair no julgamento. A coisa não está nada bem para ela...

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Rita De Cássia 15/02/2017

Divertido e surpreendente, mas não algo inédito
Suzanna perdeu os pais em um acidente de carro aos 8 anos e desde então vive com seus avós paternos. Ela não se lembra muito do acidente, apenas de um par de olhos acinzentados.

Ela sofre de insônia e nas noites que não consegue dormir aventura-se no jardim da casa vizinha com um livro. Sabem quando dizem que a grama do vizinho é sempre mais verde? Acho que a Suzie pensa da mesma forma, pois prefere pular o muro para ler que ficar no seu próprio quintal.

Em uma dessas noites ela conhece Pietro um garoto misterioso de olhos cinzentos. A atração que ela sente por ele é quase instantânea. Ele mostra-se um bom rapaz e logo começam a tornar-se próximos.

Bruna é a melhor amiga de Su. Elas estudam juntas desde que ela foi morar na casa dos avós, após o acidente de seus pais. Um novo aluno torna-se colega de classe delas, e é aqui que encontramos o segundo gato do livro: Arthur. Vou usar aqui as palavras da Bruna para defini-lo: Hot! Ele parece obstinado irritar Suzanna e isso foi o que mais me fez gostar dele.

Tenho uma relação de amor e ódio com a Suzaninha. Em alguns momentos ela é bem racional, mas em outros deixa-se levar totalmente pelos hormônios e acredita em tudo o que Pietro lhe diz, mesmo sabendo que pode ser mentira. Ela me irritou um pouco, mas não é nada gritante.

Anjos. Demônios. Nefilins. Poderes. A obra pode ser um triângulo amoroso sobrenatural meio clichê, mas tem seus pontos positivos. É intrigante e consegue surpreender o leitor, pois a cada capítulo parece surgir uma nova revelação que nos prende e impede de parar a leitura.

A obra é narrada em primeira pessoa pela Suzanna, mas em alguns momentos temos o ponto de vista do Arthur. O que me faz perguntar se nos livros futuros teremos também o ponto de vista do Pietro e descobrir um pouco mais sobre seus sentimentos.

É a segunda vez que leio este livro e não me lembrava muito bem do desenrolar dos fatos, mas para quem conhece outras obras da autora podemos encontrara aqui uma escrita menos madura e por vezes descritiva em excesso. Não é nada que atrapalhe a leitura, mas que para mim se fez notar agora que absorvi o livro com novos olhos.

Para quem gosta de um bom romance sobrenatural, com dois gatos pra escolher e ambientada no Brasil, super recomendo essa série. Despeço-me aqui, pois agora vou correndo ler o segundo livro!


site: http://cmaeleitora.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Suzane 31/01/2017

Suzanna perdeu seus pais quando era criança em um acidente de carro, eles estavam indo visitar seus avós quando tudo ficou escuro. Ela jura que alguém a tirou de dentro do carro, porém ninguém acredita nela dizendo que foi arremessada para fora com o impacto.

Depois disso Suzanna foi morar com seus avós, sua vida era boa, sempre teve tudo que precisava para se sentir confortável e feliz, era tratada por seus avós como se fosse uma filha, porém ela se sentia sozinha e culpada. Todas as madrugadas, as 3 horas, ela acordava de pesadelos perturbadores e não conseguia mais voltar a dormir. Para aplacar a agonia da insônia, Suzanna pegava seu livro e ia ler recostada na árvore da casa vizinha, mas certa noite ela foi pega.
"Acredito, às vezes, que esse vazio dolorido que me inunda nas madrugadas é porque sobrevivi e eles não. O estranho é que, da mesma forma que esse pensamento me sobressalta, outro o sobrepõe e parece não ser meu: Você não pode morrer, você sobreviveu para um propósito."

Conhecemos então Pietro, sobrinho dos donos da casa vizinha. Apesar do medo de ser flagrada, Suzie se sente atraída por aquele homem sexy e misterioso... e no dia seguinte ele estava lá a esperando em mais uma noite de insônia. Suzie acaba indo dá um passeio com Pietro onde tudo ocorre de maneira muito misteriosa e surreal, deixando-a cada vez mais curiosa e atraída!

No dia seguinte, na escola, Suzanna conhece Arthur, um aluno novo arrogante e mal educado que parece conhece-la mais do que sua melhor amiga, o que a deixa muito intrigada e chama sua atenção. Porém o que ela não sabe é que ele deseja se aproximar nela e guarda inúmeros segredos.

Suzanna se torna próxima de Arthur e passa a questionar como ele sabe tanto sobre ela, e ele responde que ela está em perigo, e que quando seus pais morreram estavam fugindo de algo, e além disso tudo, Pietro e Arthur são conhecidos e se odeiam, ambos afirmando que o outro é perigoso e que ela precisa confiar nele! Ou seja, Suzanna fica como nós, extremamente confusa e perdida!
"[...] ele encarava Arthur com os olhos escuros como quando nos vimos pela primeira esta tarde, Arthur não estava indiferente, encarava-o também com aquele tom esverdeado que vi agora a pouco. De repente, pensei que eles podiam se conhecer, a hostilidade entre eles era palpável."
O livro se trata de um romance sobrenatural onde existem anjos, demônios e céu, e eu confesso que não sou muito fã desse gênero, mas o mistério do livro me ganhou, há algo a ser descoberto e eu amo isso! Ficamos o livro inteiro tentando descobrir quem é que está falando a verdade, em quem devemos confiar, Pietro ou Arthur? Será que os avós de Suzanna escondem algum segredo? Será que ela precisará se proteger de algum vilão super cruel? O que estava ameaçando os pais de Suzanna? São muitos questionamentos que precisam de respostas e é isso que nos faz seguir em frente com a história! O pior é que Suzanna se sente atraída por dois caras gatos sem saber quem é do bem e quem é do mal, como agir?

O amadurecimento de Suzanna muito bacana durante a história, e ela se descobre, entende os motivos de ser diferente, de se sentir só e de suas insônias, e isso é extremamente importante para suas tomadas de decisões. Insônia é um livro muito gostoso de se ler, e tem continuação (ebaaaaa), e é claaaaaro que o final seria de deixar nossos cabelos em pé. Recomendo muito a leitura, Mari Scotti sempre faz um lindo trabalho

site: http://www.memoriasdeumaleitora.com.br/2017/01/resenha-insonia-1-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Lígia Colares 29/01/2017

Resenha de Insônia
Suzanne é órfã, mora com os avós, e apesar de ser uma família rica, não são muito de ostentar. Ela sofre de insônia (tadam!), e seu principal hábito é fugir no meio da noite para ler em uma árvore no quintal da família vizinha, ficando lá até o início do dia. Sua avó não gosta do hábito, seu avô é compreensivo, e sua amiga Bruna está mais preocupada com os garotos Hot da escola! Hahaha! Mas em uma certa noite, Pietro aparece para ajudá-la a recolher suas coisas no início de uma garoa, e tudo vira de pernas para o ar, pois ela volta a ouvir vozes, conhece outro rapaz tão lindo quanto Pietro e também muito enigmático, e percebe que sabe muito menos sobre sua vida do que imaginava inicialmente – e que os dois rapazes sabem mais do que ela!

Olha, Suzanna é uma chata. Adolescente, 17 anos, inocente, conhece e descobre dois garotos maravilhosos totalmente apaixonados por ela. Claro, quem não ficaria boba e confusa né? Haha! Mas quando ela descobre que seus pais não eram totalmente humanos, e que os dois garotos podem estar tentando manipulá-la, na minha opinião, ela deveria dar um passo pra trás e tentar ver as coisas de novo! Mas ela fica tao encantada com sorrisos, fica com ciúmes, e fica nessa bobeira toda, que não pensa!! Aaai Suzanna, sua anta! Ai as pessoas a tratam como criança e ela fica brava! E as pessoas dão dicas, e ela não tenta ligar os pontos! Mari, você me mata desse jeito!!! Hahaha!

Mas a história é muito interessante! O romance, que de início eu achei chato (gente, lembrem, não gosto de romances!), acabou tendo uma profundidade maior que fez muito mais sentido que apenas mocinho-mocinha-mocinho, não está ali só pra ser bonito. Os personagens – tirando Suzanna ahhaha! – são intrigantes: Pietro e Pierre são lindos, mas completamente opostos, um é enigmatico, sedutor, manipulador, o outro é cálido, honesto, só um pouco irritadiço; os avós dela não apareceram muito, mas espero que seja falado mais deles; e os pais de Suzanna, que não sabemos sobre eles mas sabemos que tudo começou por escolha deles!

Além disso, Mari também aproveita uma lenda interessante de Nefilins, filhos de anjos com humanos… Eles aparecem na Bíblia, em vários jogos e filmes, e Mari cria sua própria interpretação, juntando anjos e demônios em uma criatividade que praticamente ‘suga’ o leitor para a história! Eu gosto muito da escrita da Mari, que flui facilmente e nos faz ler um livro inteiro em questão de poucos dias (feriado é muito amor!), e também tenho uma relação de amor e ódio com a forma como ela dá informações, mas não permite que a gente ligue os pontos! Graças a Deus vou ler a continuação logo em seguida! =D

Quem vai gostar, com certeza absoluta?? Românticas de plantão, a Mari tem um prato cheio aqui! Pietro e Pierre confundem e conquistam, já vi no facebook fãs nos dois times, e acreditem em mim, a confusão de Suzanne é compreensivel, se ela não fosse tão tonta! Haha

PS: esse negócio de personagem com insônia me enlouqueceu, eu achava que era dia, era noite, eu achava que estava raiando, e estava se pondo, me senti maluca hahahaha!
comentários(0)comente



dayukie 21/01/2017

"Primeiramente, acho válido ressaltar que a Suzanna soube me deixar com raiva. Apesar dela perder os pais cedo e não se comportar como uma garota mimada por ser rica, as atitudes e inseguranças, apesar de ter quase 18 anos me fez vê-la como uma garota com menos idade mental. Confusa com os seus sentimentos, principalmente depois do aparecimento do Pietro e do Arthur, as atitudes que ela tomou ao longo do livro, acabou uma certa raiva pelo personagem. No entanto, também fui vendo que aos poucos ela foi amadurecendo, saindo da bolha em que ela se encontrava.
Pietro parece ser o príncipe encantado, mas safado. Um garoto gentil e protetor, acabou sendo o primeiro amor da Suzanna. E temos o Arthur, um garoto totalmente badboy, lindo e com um enorme instinto protetor com a Suzanna, mas muito ogro e as vezes rude."

Confira a resenha completa no blog.

site: https://goo.gl/1kTYKo
comentários(0)comente



Marriete 11/12/2016

Insônia (Série Nefiluns Livro 1) - Resenha Autora: Mari Scotti
Suzana perdeu seus pais em um acidente de carro, aos oito anos, e, então foi criada por seus avós, com quem continua morando até a atualidade, aos 17 anos.
Após o acidente, ela adquiriu uma incômoda labirintite e pesadelos assustadores. Constantemente em seus pesadelos, vê um par de olhos cinzas e escuta a voz de um homem, que em seu íntimo, ela sabe que foi quem a salvou da tragédia. E, então, aparentemente, ela reencontra esses mesmos olhos no seu vizinho estranho: Pietro.
Aos poucos, Suzana se envolve com Pietro, um rapaz mais velho e muito sedutor, por quem acredita estar apaixonada, mesmo não querendo ter esse sentimento. Ao mesmo tempo, aparece Arthur, o colega de classe, arrogante e quente, que também pretende abalar suas estruturas.
A vida dessa garota não é fácil, rapidamente alguns mistérios começam a surgir quando os dois rapazes se encontram. Eles parecem saber mais sobre ela do que seria conscientemente possível. Segredos começam a ser desvendados, inclusive o seu. Suzana descobre ser uma Nefilim (filha de um anjo com uma humana), e, como se isso não fosse o bastante, tem que lidar com o fato de que o céu e o inferno disputam sua alma.
É difícil saber em quem confiar, Suzana está cada vez mais confusa e amedrontada. A quem deve confiar sua vida, seu futuro? Pietro ou Arthur? Suzana deverá ser decisiva em suas escolhas, qualquer pequeno deslize pode levá-la sem escalas diretamente ao inferno.
Gente! Que livro é esse? Simplesmente inacreditável! A cada diálogo, cada cena, consegui visualizar tudo como se eu estivesse dentro da estória. A construção dos personagens é sólida e forte, as sensações deles são palpáveis ao leitor! Me envolvi tanto com a leitura, que, só larguei o livro quando o finalizei. Parabéns, Mari! Sua escrita é contagiante! Estou indo ali para saber a continuação. Rumo ao livro 2!
#Insonia#SerieNefilins#Resenha#MariScotti#Amazon#MarryAquinnah#AutoraNacional#LiteraturaNacional#LiteraturaFantastica#Literaturabrasileira#Anjos#Demonios#Ceu#Inferno#Amoler#Instabooks
comentários(0)comente



Carol 09/11/2016

Encantador e impossível de parar de ler
O livro vai contar a história de Suzana, que está prestes a completar 18 anos quando vê sua vida mudar completamente. Em uma das suas noites de insônias conhece Pietro, o novo vizinho, um garoto lindo, encantador e misterioso que parece gostar muito de Suzana. Dias depois, um novo aluno chega na escola, Arthur, com um jeito arrogante e mal educado. Para Suzana, que nunca havia nem beijado um garoto, agora se vê dividida entre dois.

Mas parece que eles sabem mais dela do que ela mesmo. Entre muitas reviravoltas, ela vai se ver envolvida num mundo onde anjos, nefilins, demônios, Céu e Inferno existem, e terá que fazer escolhas que podem afetar não só sua vida, como sua alma.

Pessoalmente, eu fiquei indecisa entre Pietro e Arthur até um pouco depois da metade do livro, mas ainda sim, com o coração apertado. Me vi completamente presa dentro da história, só parei de ler mesmo quando acabei o livro.

A Mari soube muito bem como evoluir a história dos personagens. A Suzana começa o livro como qualquer garota de 17 anos rica e extremamente mimada pelos avós (sim, as vezes ela vai te dar nervoso, mas faz parte de quem a personagem é). E como qualquer garota assim, vai tomar suas decisões imaturas e com certeza sofrer as consequências por isso. Achei muito legal ver o amadurecimento da personagem durante o livro, conforme ela vai passando por alguns maus bocados.

Não vou falar muito dos mocinhos já que os dois vão te dar raiva, suspiros, alegrias e tristezas, além do que, falar deles acaba sendo meio que um spoiler sobre ser seria o “bom moço” da história.

Para quem se interessa por histórias sobrenaturais, anjos e demônios, Insônia é uma ótima pedida. E vamos aproveitar que para quem tem Samsung consegue ele DE GRAÇA!!! Quer coisa melhor do que isso? Livro bom e de graça?! Corre gente que é só até o final do mês!

Insônia é o primeiro volume da Trilogia Nefilins. Os seguintes volumes são: Sonhos e Despertar.

site: http://livroseversos.com/resenha-insonia-mari-scotti/
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4