Insônia

Insônia Mari Scotti




Resenhas - Insônia


55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Carolina Durães 05/06/2013

Conforme explica a sinopse, a trama gira em torno de Suzanna, ou Suzie, uma jovem que perdeu os pais quando criança e foi morar com os avôs. Infelizmente, Suzanna estava no carro quando o acidente aconteceu e apesar de ter testemunhado tudo, acabou bloqueando alguns detalhes, entre eles, a possibilidade de ter sido retirada do carro. Seus avôs são financeiramente estáveis, amáveis (seu avô, chamado Alfredo, é um fofo, e sua avó, chamada Catarina, apesar de parecer ser um pouco mais ríspida, se preocupa muito com a neta). Um fato faz parte do cotidiano da protagonista: ela sofre de insônia, e durante a madrugada, vive vagando no jardim dos vizinhos (a família Santos), sentada apoiada em um tronco de uma enorme árvore. Em uma dessas noites, ela encontra com o sobrinho da família Santos, Pietro, um jovem italiano encantador, com 20 e poucos anos e muito charmoso. Frequentando a escola com sua melhor amiga, a Bruna (uma maluquinha por sinal), elas conhecem o novo aluno: Arthur. Arthur, é bonito, inteligente e arrogante, e está constantemente cercando Suzie. O que Suzie não imagina, é que ela é uma garota muito especial, e que tanto o bem quanto o mal está de olho nela. Em alguns momentos, a trama gira em torno de flashbacks referentes ao acidente que matou os pais de Suzie, e há também um espaço dedicado a história de Veronique.
Os personagens são cativantes: desde os personagens secundários, como a professora, o motorista, até os protagonistas. Pietro é sedutor, consegue ganhar a confiança de todos através de boa lábia. Arthur é rude, arrogante, mas possuí seu sex apeal. Suzie, é ingênua, benevolente e amiga. O único problema que eu tive durante a leitura, foi o amor "miojo" (termo usado pela Karini), pois a protagonista se apaixona rapidamente. A trama é coerente, bem desenvolvida e o final me deixou muito curiosa para ler a continuação.
Em relação a revisão, diagramação e layout, a editora está de parabéns. Encontrei alguns errinhos de digitação e pontuação, mas nada que interferisse na leitura. A capa é intrigante, desperta a atenção do leitor e deixa claro o tema central da história.


site: http://www.mixliterario.com/
Mari Scotti 17/06/2013minha estante
Menina, não tinha visto essa resenha ainda!! Obrigada pela sinceridade e o capricho! Sobre ela se apaixonar rápido, tudo se explica no livro 2 - Sonhos - que será publicado em Dezembro pela Aped também. Espero que goste da continuação *-* Beijão! Mari


Carolina Durães 18/06/2013minha estante
Oi Mari, tudo bem?
Estou super curiosa com a continuação ;)
Beijos




Fernanda Reis 21/02/2013

Nos dá insônia enquanto não terminamos! *---*
Insônia é o primeiro livro que li a respeito de anjos e seu universo. Confesso que nunca fui muito interessada por essa parte sobrenatural, mas se tratando de um livro escrito (na época nem livro era) pela Mari, eu precisava conferir.
Vocês podem imaginar a surpresa quando me peguei totalmente envolta por esse novo universo, enchendo a pobre da Mari de perguntas para tentar entender melhor esse mundo que eu nunca tinha tido contato antes.
Suzanna é uma garota normal – a não ser por uma insônia crônica – que mora com os avós (vovô é um amor, já não podemos dizer o mesmo da vovó), já que seus pais morreram em um acidente de carro quando ela era mais nova, e tem uma melhor amiga daquelas afobadas e adoráveis, a Bruna.
Está tudo indo bem na vida da Suzie (desculpem, me sinto íntima), até que um dia, em uma das suas caminhadas noturnas provocada pela insônia, ela conhece o misterioso – logo, irresistível – Pietro.
Pietro é dono de uma beleza arrebatadora, olhos cinzas penetrantes, é elegante, charmoso, educado e, como já dito, misterioso. Me lembrou desde o início o “porte” dos homens britânicos.
Acho que agora vocês podem entender quando eu disse que ele era irresistível... Rsrs.
Suzie se sente envolvida pelo bonitão (e quem não se sentiria?), mas eu confesso que sempre tive um pé atrás com ele.
Ficava o tempo todo perguntando para a Mari se ele era bom ou ruim, porque eu mesma não conseguia me decidir. A aura de mistério ao redor dele aguçava alguma coisa dentro de mim.
A Mari me deixou na agonia, dizendo que eu teria que descobrir as coisas sozinhas, e aí fui apresentada ao Arthur.
Arthur é o tipo de cara que tira qualquer uma do sério... É o meu tipo de cara! Rsrs.
Claro que eu adoro homens cavalheiros (ainda mais quando me lembram os britânicos), mas o Arthur... Ah o Arthur!
Ele é o típico bad boy com a língua afiada e uma jaqueta de couro a tiracolo, mas é intenso, preocupado, carinhoso. Meio perturbador com a sua intensidade, mas essencial. E, claro, também dono de uma beleza arrebatadora.
Me apaixonei de cara por Arthur, e desde esse momento não quis mais saber de Pietro. A cada cena que ele aparecia e cada atitude que tomava eu pensava “não Suzie! Não caia nessa”, e assim foi minha torcida durante o livro.
Mas não pensem que o livro se limita ao triângulo inusitado desses três. Nem perto disso!
O aparecimento desses dois acarreta em uma série de acontecimentos, e vamos descobrindo um pouco mais da história de Suzie e dos rapazes.
Sua vida que estava bem se torna uma grande confusão de imensas descobertas, e ela é apresentada a um universo de anjos, caídos, demônios, nefilins... Todos são reais, possíveis e estão mais perto da sua realidade do que ela poderia um dia sonhar.
Tudo na vida dela começa a desmoronar na sua frente, e sua história de vida parece uma mentira bem elaborada.
De repente sua única lembrança do acidente dos pais começa a fazer sentido... De repente tudo que a tirou de sua realidade e mostrou um novo mundo começa a fazer sentido, mesmo que de uma forma perturbadora.
A narrativa é detalhada, mas flui rápido, não sendo em momento algum cansativa. Pelo contrário, é muito envolvente. Não é à toa que li todo o livro em dois dias!
A autora soube muito bem mesclar as cenas de ação, de suspense, de mistério e de romance. Não falta nada em Insônia.
Somos arrebatados por essa deliciosa e viciante história e, antes de nos darmos conta, já devoramos esse primeiro livro da série e estamos roendo as unhas pelos próximos.
Isso mesmo, esse é só o primeiro livro de uma trilogia.
Independente da Mari ser uma amiga queridíssima, eu assumi um compromisso quando me propus a resenhar para o blog: ser sempre imparcial.
Por isso posso dizer com a alma lavada, Insônia foi direto para a minha lista de favoritos.
Uma história envolvente, intrigante, viciante e absolutamente apaixonante.
Leiam, vocês não vão se arrepender! Eu garanto!
E só para dar um gostinho de toda essa história incrível, um pedacinho da minha cena preferida entre a Suzie e o Arthur: “(...) Não acreditei no que estava vendo, as casas ficavam cada vez menores abaixo de nós, não havia vozes ou cheiros, nenhum som além do vento sendo cortado por duas asas enormes que batiam no ar, elas saiam das costas nuas de Arthur. Meu peito travou, não conseguia respirar. Estávamos voando. (...) Os olhos esverdeados possuíam um tom mais profundo e escuro beirando ao cinza, a pele morena estava dourada iluminada pelos raios do sol que transpassavam as nuvens, as sobrancelhas grossas e sempre franzidas pareciam mais serenas e o olhar menos tenso. Os lábios fartos mantinham um ar sombrio e ao mesmo tempo satisfeito, como se tivesse conseguido algo a que queria muito. Aos poucos senti meus olhos pesarem e tudo ficou mais lento e escureceu (...)”
O que dizer? Insônia é meu xodó, simplesmente isso! Rsrs.
Nota: ★★★★★
Beijos e até a próxima,
Fernanda Reis.

Resenha originalmente publicada em: sonhosecontosdamaribell.wordpress.com
comentários(0)comente



chris 13/09/2017

Bem, vamos lá. Li algumas opiniões e vi opiniões muito positivas a respeito do livro, como procurava uma coisa diferente (tinha lido um livro muito bom e estava com dificuldade de pegar outro livro do mesmo gênero, que era romance) resolvi apostar na leitura.

No início gostei, achei a escrita bem legal, a narração dos lugares, do ambiente. Mas acho que depois do primeiro capítulo, quando a Suzanna conheceu o Pietroe começaram os diálogos, a minha opinião foi mudando.

Sinceramente, não consegui gostar da Suzanna. Achei ela bem infantil, infantil mesmo, muito mais que a idade dela. Os diálogos boninhos, principalmente com o Pietro. Quando envolvia o Arthur, eu já curtia mais e as descrições ficavam mais intrigantes. Se tem um personagem que gostei desse livro, foi o Arthur.

Também não curto mesmo essa mania de muitos autores de insistirem ainda na ideia de um amor rápido. Te conheço hoje e já te amo. Sério, gente, são clichês que eu não aguento mais. Acho legal quando o livro vai abordando aos poucos os sentimentos, vai fazendo o leitor se envolver juntamente com o personagem. E vou falar, tá difícil encontrar livros assim. Não sei se por eu ler muito romance e as vezes fantasia, ficção, mas que tenham romance, eu me torne uma pessoa bem crítica em relação a isso. Mas isso é algo que me incomoda bastante nos livros em geral.

Apesar disso, eu queria saber o que iria acontecer, fiquei curiosa. Ponto para a Mari que conseguia aguçar a minha curiosidade, mesmo eu não curtindo muito a maioria dos personagens.

Não sei se vou ler os outros livros, talvez dê uma chance pq realmente achei a história em si muito bacana, mas a maneira que foi ocorrendo não me prendeu tanto. Uma pena.
comentários(0)comente



Alline 19/02/2016

Me deixou com insônia
Recebi o e-book de Insônia por meio da parceria com a autora Mari Scotti. Nunca tinha lido nada escrito por ela. Desde que conheci e me interessei por seus livros, quis lê-los e finalmente consegui ler um deles. Posso garantir que valeu a espera! Quer saber o porquê? Continue lendo!

Suzanna tinha apenas 8 anos quando perdeu seus pais em um trágico acidente de carro. Eles estavam a caminho da casa de seus avós paternos quando algo chamou a atenção de Suzie na estrada e fez com que seu pai olhasse também. Uma pequena distração levou a morte de seus progenitores. Ela foi salva por alguém. Não sabe dizer exatamente quem a tirou do carro antes que ele explodisse, mas afirma ter sido um homem com olhos acinzentados. Entretanto, ninguém acredita nela, todos dizem que foi arremessada para fora do veículo.

Desde o desastre, Suzanna passou a viver com os avós em uma casa luxuosa com direito a muitos empregados e algumas regalias. Seu avô é mais receptivo e sua avó é mais mandona, sempre fizeram tudo o que podiam pela jovem, cuidando dela como se fosse uma filha.

Agora com 17 anos, Suzie sofre com um sério problema de insônia e pesadelos. Ela sempre perde o sono por volta das três horas da manhã e não consegue voltar a dormir. Logo, começou a ter o hábito de pegar um livro e ler próximo a uma árvore exuberante que fica no quintal dos vizinhos.

Em uma dessas fugidinhas, aparece um rapaz que ela nunca tinha visto antes pedindo para que voltasse para sua casa. No dia seguinte, Suzanna descobre que o nome dele é Pietro, sobrinho dos donos da casa que ela vive invadindo. P. (apelido dado por Suzanna e tem como pronúncia o P em inglês) é absurdamente atraente, educado e misterioso. Ele a convida para um passeio no Museu do Ipiranga, lugar que a jovem sempre quis conhecer. Nesse momento, rola um clima entre os dois. Mesmo sendo um cara intrigante, Suzanna começa a se apaixonar por ele, porém, surge Arthur.

Arthur é o aluno novo do colégio de Suzie, parece saber tudo sobre ela, coisas que ninguém sabe, nem sua melhor amiga, nem seus avós. Ele é um rapaz cheio de atitude e meio convencido, pensa que todas as garotas babam por ele, mas, na verdade, só quer Suzanna, tanto que marca um encontro com ela. Eles vão a um restaurante super chique, conversam e quem aparece? Sim, ele mesmo, Pietro! Ele e Arthur se estranham e fica visível que se conhecem.

Suzanna começa a sentir algo pelos dois, fica dividida, mas desconfiada por eles saberem demais sobre si. Então, passa a questionar tanto Arthur quanto Pietro, e acaba descobrindo coisas sobre sua verdadeira origem e que está correndo um grande perigo. Um pede para ela não confiar no outro. Ambos dizem querer ajudá-la a entender sua nova realidade. Suzanna sabe que um dois dois está mentindo, mas quem?

"Tantas coisas começavam a rodear meus pensamentos que não conseguia organizá-los, a impressão que tinha era que ambos sabiam demais e estavam escondendo algo. Será que eles estavam trabalhando juntos? Será que se conheciam?"

Admito que não simpatizei com Suzanna. Eu a achei inocente, chorona, irritante e "a (...) mais burra da face da Terra", como ela mesma diz no final do livro. Na verdade, em alguns momentos, eu quis dar uns tapas na cara dela pra ver se ela acordava pra vida e tomava alguma atitude. Outra coisa que me incomodou foi a rapidez com que ela se apaixonou por Pietro e depois por Arthur. Só que depois aparece uma explicação para isso, então acabei entendendo.

Eu fiquei pensando no motivo da autora ter escolhido a fase da adolescência de Suzanna para contar sua história. Imagino que ela preferiu voltar-se para as escolhas e conseqüências que acompanharão a vida de Suzanna, porque é justamente nesse período onde mais temos escolhas a fazer e muitas vezes ficamos confusos e acabamos decidindo sem pensar. Eu mesma estou vivendo isso e não é fácil. Pode parecer papo furado, mas na adolescência passamos por mudanças físicas e psicológicas, formamos o nosso caráter e tomamos caminhos que podem ser certos ou errados. É uma fase crucial do ser humano e diz quem você se tornará no futuro.

Sobre o triângulo amoroso, eu gostei em parte, porque acho que já é algo batido, um clichê. Por isso, é necessário ter algum atrativo, um diferencial e, foi o que a Mari fez. A autora soube muito bem enganar o leitor. Uma hora você pensa que o Pietro é o bonzinho e o Arthur é o malvado, depois vem aquele plot twist danado, os papéis invertem e não dá para saber mais quem é do bem ou quem é do mal. Isso acaba influenciando no relacionamento que cada um tem com Suzanna, claro. Fora que o lado sobrenatural da história - anjos e dêmonios - "salva"o assunto em questão. A ação, as brigas, as traições acabam elevando essa relação deles a outro patamar.

O livro é quase todo narrado pelo ponto de vista de Suzanna, mas em alguns capítulos podemos ver o lado de Arthur. A trama demorou um pouco para pegar o ritmo, mas a partir da metade do livro tudo foi ficando mais claro e a leitura mais dinâmica. Encontrei alguns erros de pontuação, porém podem ser corrigidos, não são muito graves. Este é o tipo de livro que deixa você se perguntando: "O quê? Acabou? Tá faltando página, não é possível!". Ele termina sem que perguntas sejam respondidas, mas, certamente, serão em Sonhos, o segundo volume. Em breve lerei a continuação e virei contar para vocês o que achei.


site: http://blogdreamon.blogspot.com/2016/02/resenha-insonia-mari-scotti_19.html
comentários(0)comente



Samara 25/05/2013

Apaixonante!
Olá, pessoas.
Tudo bem com vocês?
Vou postar a resenha que fiz para o meu blog aqui, espero que gostem!

Ah, estou apaixonada pela Mari Scotti, todo mundo sabe como sou curiosa, então imaginem a minha ansiedade para ler o segundo livro quando terminei esse... E adivinhem? Eu realmente o estou lendo! *-* Ela me chamou para ser leitora beta! o/ Em breve, resenha para vocês também, pode ser que faça uma entrevista com a autora, ainda estou curiosa sobre mais um monte de coisas... rs Tem algumas falhas na revisão, mas isso não desvaloriza a história, que é linda! =D Parabéns para a Aped, o livro é muito confortável para segurar, não mancha, nem nada, perfeito! *-*
Bom, a história começa com a Suzanna, que mora com os avós por parte de pai, pois os seus pais morreram em um acidente muito suspeito de carro, a menina se sente muito culpada por tudo o que aconteceu e ficou um bom tempo sofrendo as consequências dessa infelicidade, porém agora um pouco mais recuperada, não consegue dormir a noite.
Suzanna tem muita insônia e por isso vai para o quintal do vizinho, escondida, todas as noites, para ler e se aventurar nos livros. Essa sempre foi sua rotina até que em um dia alguém a pegou em flagrante, enquanto chovia, e a mandou para casa para que não ficasse doente, apesar de ser um estranho, ela o obedeceu, mas depois ficou com muito medo de ser um assassino em série ou coisa parecida, embora não tenha parado de dar essa fugidinhas a noite, agora fica mais atenta em todos os movimentos ao seu redor para que não seja pega de surpresa novamente.
É nesse momento a história ganha uma ação inimaginável porque Suzanna volta a ir para a escola, bem no dia em que chega o garoto novo, que é absurdamente chato, mas que toma conta de seus pensamentos, mesmo que de uma forma negativa e ela fica doida para saber se ele é realmente assim, ou se só faz isso para chateá-la, embora não goste dele, Pietro, o cara do quintal vizinho, percebe que ela conheceu outra pessoa e por isso começa a fazer questionamentos, o que ela acha um pouco estranho, mas deixa para lá, pois só quer aproveitar o tempo que tem com ele.
Arthur por outro lado, o cara chato da escola, descobre o endereço da garota e vai até a sua casa, conquistando a simpatia de seu avô por conseguir vencê-lo no xadrez, nesse dia Suzanna decide sair com ele, porém Pietro vê, e ai a briga está feita, os três acabam se encontrando no restaurante, mas Pietro percebe que está atrapalhando algo e se retira muito rapidamente, fazendo com que Suzanna fique em dúvida sobre seus sentimentos em relação a ela. Arthur percebe o clima desagradável que se instalou e leva a menina embora, mas coisas estranhas acontecem e ela começa a ter os mesmos ataques de antes, de quando seus pais morreram.
Conversa vai, conversa vem e Pietro se vê obrigado a contar a Suzanna o que ela é e o que ele e Arthur são, criando uma confusão maior ainda, fazendo com que ela não saiba em quem confiar e por isso, tome muitas atitudes erradas, mas que servirão de alguma coisa no futuro. Ela é muuuuuuuuito manipulada por eles, principalmente por Pietro, porque ele não consegue ter bom senso suficiente para ver quão feio é forçar uma pessoa a ficar com você contra a vontade dela, porém sem ela saber... Confuso não?
Já Arthur é um pouco mais light nesse sentido, embora seja mil vezes mais rude que Pietro, que pode apenas estar se fingindo de bom moço. Não sei o que faria no lugar dela, essa é a verdade, dos dois lados, meninos lindos e maravilhosos que estão disputando seu coração, apesar de parecer romântico, quando colocado dessa forma, acreditem, não é, é mais uma briga para saber se um vai conseguir salvá-la da morte iminente nas mãos do outro, mas em quem confiar quando os dois se parecem tanto? Ou melhor, quando ambos demonstram ser cuidadosos e atenciosos, dispostos a ajudar e a contar a verdade? Porém, quantas verdades podem existir?
Eu confesso que chorei horrores com esse livro, fiquei brigando com a autora uma semana, eu acho rs. Mas vale muito a pena, a história é repleta de emoção, tornando impossível deixar o livro guardado dentro da bolsa, sério, eu estava em época de provas na faculdade, pegando o trem cheio todos os dias, e ainda assim, li o livro todinho em três dias.... (contei que ficava lendo em pé mesmo? kkk sim, eu não sou normal haha) *-* Xonas rs
Agora vocês devem estar se perguntando qual dos dois eu prefiro, e minha resposta é: Não sei, como disse logo no começo, estou com uma dúvida cruel com relação a quem eu mais gosto, sei quem é do mal e do bem, acho que já sabia desde o começo, mas ainda assim, é difícil dizer rs. Selecionei uma cena para vocês, que eu particularmente, achei espetacular:

[...] Sussurrei sentindo nojo de mim mesma, não podia gostar apenas de um cara, tinha que gostar de dois e ainda desgraçar um deles.
Página 239

O que acharam? Achei interessante porque mostra bem o que acontece...
Deu para perceber que é impossível escolher apenas um, não é? rs

Beijos,
http://www.darealidadeaosonhos.com/2013/05/resenha-insonia.html#.UaAvVaKUS_g
Mari Scotti 25/05/2013minha estante
Perfeita!!! Obrigada Samara




Gabi Gomes 21/01/2016

A verdade pode estar por trás dos sonhos
Leia a resenha completa em:http://equacaoliteraria.blogspot.com.br/

Insônia foi recebido por meio da parceria com a autora Mari Scotti. Até então, tinha lido apenas seus livros da série Neblina e Escuridão, entretanto, ao começar a leitura de Insônia, entrei em um mundo completamente novo e apaixonante.
O livro nos apresenta a personagem Suzana, a qual mora com os avós paternos após a morte dos pais, em um acidente de carro, em que a menina foi o única sobrevivente. Desde então, Suzana sofre com problemas de insônia e pesadelos, tentando entender o verdadeiro motivo por trás da morte dos pais. O mistério da história já começa ai, e as milhares de memórias revividas no livro em forma de flashbacks faz o leitor criar milhares de hipóteses sobre Insônia. Confesso que no início pensei que seria um livro de vampiros, mas Mari Scotti me surpreendeu como sempre.
O surgimento do curioso Pietro faz com que Suzana comece a descobrir a verdade sobre seu passado e presente, além criar um maravilhoso romance de tirar o fôlego. Muitos podem imaginar na história de romance dos dois, algo um tanto clichê e rápido, entretanto, a reviravolta no enredo com o surgimento de Arthur, o garoto que consegue abalar os sentimentos de Suzie leva Insônia para um outro patamar.
O enredo sobrenatural foi muito bem estruturado, criando lugares e mitos sem nenhuma falha ou ponta solta. Tudo é realmente bem trabalhado e nos faz querer entrar dentro do mundo de Suzie, e viver as aventuras junto com a personagem principal.
O livro mostra que existe muita coisa além da ideia de "Bem e Mal", afinal, a constante incerteza da personagem sobre Pietro e Arthur mostra isso com clareza!
Falando das personagens, não podemos deixar de citar os dois exitantes homens que mexem com a vida de Suzana. Como um bom triângulo amoroso, cenas românticas e quentes vão deixar os leitores em dúvida entre os dois garotos (confesso que nem eu consegui escolher entre os dois), e a narrativa feita pelo ponto de vista apenas deixa os sentimentos e sensações da personagem mais palpáveis aos leitores.
Confesso que dos muitos livros que li sobre anjos, Insônia é um dos que mais me cativou, com toda a magia e mistério, lembrando-me muito da série Fallen, com uma pitada de emoção e romance a mais.
Para quem busca um livro que possui, romance, magia e aventura, Isônia é o livro completo, pois Mari consegue descrever cenas de batalha com perfeição, e criar poderes inigualáveis para as personagens. Em muitos momentos do livro quis gritar, debater e poder entrar dentro da história, o que mostra o poder que Insônia teve de prender um leitor.
Acredito que poucos pontos ainda precisam ser concertados. Espero que no próximo livro possamos ver uma Suzana mais madura e forte, mostrando todo o poder que ela realmente tem, diferente da menina frágil do primeiro livro.
A série Neflins tem tudo para ser sensacional, e já tem a continuação, chamada Sonhos.

site: http://equacaoliteraria.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jess 15/02/2013

Mari Scotti - Série Nefilins
Blog: http://worldbehindmywall.fanzoom.net
Blog: http://twilightbrasilfanfics.com/blog/

Eu não tenho palavras para dizer o quanto este livro é incrível, depois de ter tido uma má experiência com Beijada por um Anjo – o último livro que li a respeito de anjos – me vi quase desistindo de procurar alguma história nova sobre esses seres, porém a Mari me ofereceu sua obra prima me surpreendendo e trazendo novamente essa enorme vontade de ler sobre anjos.
A história pode se parecer simples, porém não é envolve muito mistério, coisas completamente inimagináveis, precisa ter uma criatividade muito grande para se criar este universo envolvendo criaturas cruéis e tenebrosas.
Logo no começo pensei que seria apenas mais um romance entre um anjo e uma humana, mas com o decorrer vi que havia muito mais que isso, existia originalidade. Me vi surpresa a cada parágrafo lindo e me envolvi completamente com cada sentimento passado por Suzanna.
Bem, vamos ao enredo?
Suzanna é uma adolescente de 17 anos normal – ou pelo menos é o que pensa – sofre de insônia desde o trágico acidente que matou seus pais e isto a faz ter noite de vastas horas de leitura em baixo da árvore do vizinho, o que ela não esperava era, em um desses dias, ser surpreendida por um belo rapaz ali, a observando. E apartir desde dia a vida dela não é mais a mesma, mistérios começam a rondar seus pensamentos, assim como segredos ocultos por sua família são descobertos.
Eu recomendo muito este livro. Nele livro há um triângulo amoroso ao qual me senti totalmente extasiada lendo. Você pode pensar: Ah, mais um triângulo amoroso! Não, tire isto de sua cabeça porque este é “O” triângulo amoroso você nunca se cansa de ler sobre esse amor envolvendo os três personagens, você acaba realmente surpresa com o rumo que tudo isto segue.
Bem, não vou falar mais ou acabarei revelando o que não devo, não quero tirar a mistério de como isto tudo acaba de vocês. Então, corram e comprem, vocês vão amar.
Mari Scotti 16/02/2013minha estante
Que lindoooooooo, obrigada >


Jess 09/03/2013minha estante
De nada *-*




Ann 16/10/2014

Apaixonou-se por ele não foi, Suzanna?

Título: Insônia
Autora: Mari Scotti
Gênero: Romance Brasileiro
Editora: Aped
Edição: 2º Edição
Skoob: w.Skoob/Insônia
Série: 1º Livro da Série Nefilins
PS: Se tu não gostares de triângulos amoroso, não leia o livro.
PS2: Eu não curto, porém estou in love com o livro.
Suzanna perde os pais com oito anos de idade é salva por alguém que ninguém acredita existir. Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer. Dois rapazes surgem em sua vida, são misteriosos e parecem saber muito mais sobre ela do que deveriam. Ela precisa escolher entre um ou outro, mas não sabe que essa escolha mudará sua vida para sempre.

Segundo a wikipedia, Nefilins é:
Nefilim, do hebraico ?????? ????? nefilím, que significa desertores, caídos, derrubados, mas tal termo é uma variação do termo ?????. Deriva da forma causativa do verbo nafál ou nefal (cair,queda,derrubar,cortar). Traz uma ideia de dividido, falho, queda, perdido, mentiroso, desertor.

Se estás seguro que queres continuar...


O livro conta a história de Suzanna, chamada carinhosamente de Suzie. Seus pais morreram quando ela era pequena, ela estava junto com eles. Todos juram que ela voou no acidente, porém, ela tem certeza que alguém a tirou.

- Olhe para mim, somente para mim!

Temos uma Suzanna já crescida, com insônia, e que nunca beijou. Ela é uma garota bem estranha, que gosta de ir no "quintal" dos vizinhos. Lá ela conhece Pietro (P.), e se apaixona por ele. Ele é tudo o que uma menina quer charmoso, sensual, e pecaminosamente delicioso. Ele a seduz completamente, porém não a beija. Apesar de tudo Suzanna ainda é uma menina com a alma pura.
De uma hora para outra, aparece na escola um menino Arthur, ele me lembrou meio Taylor Lautner, ele a irrita pela forma que a conhece e a persegue.
Mesmo apaixonada por P. ela fica perto de Arthur, entre dois lindos homens, ela descobre que é um Nefilins, e sem entender exatamente o que é ser um Nefilins, eles duelam por sua alma.
Resta a ela decidir qual lado do coração ela seguirá.
Arthur, que se mostra ser outra pessoa, o professor a quem ela fora apaixonada, ou P. a quem despertou a paixão?
Ela não deve confiar em suas lembranças, um deles não jogará limpo para ter-la.


Sentei onde estava no piso frio. Eu era apenas o demônio para ele, um ser das profundezas, repugnante.
O inimigo.
Alguém que ele queria matar.


#TeamArthur.



Apaixonou-se por ele não foi, Suzanna?

site: http://modaeeu.blogspot.com/2014/10/resenha-insonia-serie-nefilins-mari.html
comentários(0)comente



Lud 24/07/2013

Mas não se engane, você vai se surpreender com esse livro.
Anjos, Demonios, Nefilins e um triangulo amoroso. Parece clichê não?

Mas não se engane, você vai se surpreender com esse livro.

Primeiro preciso dizer a minha relutância em ler livros de anjos, porque todas as minhas experiências anteriores foram ruins com exceção do Autor de Fallen, Thomas. Mas bem, decidi prestigiar a Mari, que é uma fofa.

O livro começa com uma viagem de carro, onde Suzanna, nossa protagonista está viajando com os pais, na verdade de mudança para a casa dos avós. Nessa viagem Suzie sofre um acidente, onde apenas ela sobrevive. No acidente, ela descreve que um homem a retirou do carro, mas não havia ninguém, e como era pequena, disseram q era apenas o trauma do acidente.

“Quando o peso sumiu do meu corpo, consegui abrir os olhos, e encarei o homem, os olhos acinzentados me fitaram com medo e exaustão, inquietos. Um barulho ensurdecedor me fez encolher em seu colo e gritar. O cheiro de queimado e o calor me atingiram e tudo ficou nublado.”

Então assim começa nossa historia, de uma órfã que é criada pelos avós.

Suzie, tem 17 anos, o que já me deixa com o pé atrás, ela é uma menina calma, doce, com uma inocência nata, desde pequena tem insônia, e então toda noite ela segue uma rotina de pegar sua mochila sair de fininho e ir ler no quintal do vizinho, sobre uma enorme árvore.

Em um desses episódios, Suzie conhece Pietro. No primeiro momento, ela se assustou com o estranho, mas se sentiu atraída, e estranhamente confortável em sua presença apesar de não conhecê-lo. Encontravam-se todas as madrugadas no jardim, até que Suzie se apaixona por ele.

Continue lendo

site: http://www.everylittlebook.com.br/2013/07/resenha-insonia-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Maah 06/01/2014

Anjos e demônios nunca foram tão reais antes, como se tornaram agora.

Suzanna leva uma vida normal, mora com os avós em São Paulo após a morte de seus pais, freqüenta a escola, tem uma melhor amiga chamada Bruna, é a melhor aluna na aula de produção de texto e sonha escrever um livro.Nada muito fora de lugar na vida de uma garota de 17 anos.

Tudo estaria bem se, de repente, anjos começassem a sair de histórias bíblicas e começassem a invadir sua vida.

Alem de ter a vida invadida por dois rapazes misteriosos, que passam a ter uma posição quase central na vida da garota, as coisas complicam-se ainda mais quando descobre que não é uma simples humana, que o acidente de seus pais não fora um simples acidente. Tudo começa a mudar de lugar, nada mais é o que parece ser. No meio disso tudo ela ainda terá que escolher entre Arthur - um garoto estilo bad boy, com um sorriso cativante e olhos mistérios que parece querer contar a Suzanna o que precisa.

“Chamei por Arthur tantas vezes em meus pensamentos nas últimas semanas que ouvi-lo agora, no momento que mais precisava, desarmou-me totalmente.”

Ou Pietro um rapaz misterioso e sexy, cheios de histórias, mas que não parece querer dar resposta alguma às suas perguntas.

“Os olhos dele estavam vivos, como duas chamas bruxelantes, os lábios rosados e com um sorriso terno, sem malícia.”

Os dias que antecedem o aniversário de 18 anos da garota tornam-se um verdadeiro caos. Alem de estar envolvida de forma diferente entre Arthur e Pietro, ela ainda tem que escolher entre dois lados.

Em Insônia, Mari Scotti tira os seres que somos acostumados a escutar o padre/pastor falar e os traz para a realidade de Suzanna.

Uma escrita apaixonante, com personagens misteriosos e envolventes. Não há como simplesmente não amar Arthur ou não se apaixonar pelo misterioso Pietro.

Embora a princípio Suzanna possa parecer uma pessoa comum sem muito a oferecer além de uma vida comum e pacata, tudo isso muda em um giro de 360 graus. Tenho que admitir que no meio da história me irritei um pouco com a personagem principal, ela começa a parecer uma garotinha mimada e totalmente sem noção com a nova realidade, mas no decorrer dos fatos quando o momento se faz necessário mostrasse forte e corajosa a enfrentar anjos e demônios.

A autora conseguiu realmente dar o toque de juventude, com os dilemas juvenis em relação ao primeiro amos, a diferença entre certo e errado, querer e poder e misturá-los ao sobrenatural.
Insônia é simplesmente arrebatadoramente viciante e apaixonante.

site: http://palavrasfrasesepensamentos.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Silvana 13/01/2016

Suzana, era uma criança quando perdeu os pais em um acidente de carro. Eles estavam indo visitar seus avôs quando de repente ela estava sendo jogada para frente e tendo o ar indo embora de seus pulmões. Ela acordou e seus olhos ardiam muito, por isso manteve eles fechados. Mas ela tem certeza de que alguém a tirou de dentro do carro antes que ele explodisse. Mas ninguém acredita nela, eles dizem que ela foi jogada para fora do carro na hora do acidente. Desde então, ela mora com seus avôs. Seu avô, é mais receptivo e sua avó é mais mandona, mas eles sempre fizeram por ela tudo o que eles podiam, cuidando dela como se fosse uma filha, mas Suzana sente que está sozinha. Ela sempre acorda no mesmo horário a noite, as três da madrugada e não consegue mais dormir, então ela pega um livro e vai para a casa do vizinho, que tem uma arvore enorme onde ela passa as noites encostada lendo.

Apesar de fazer isso todas as noites, ela sempre tem medo de ser pega e hoje aconteceu. Um homem vem falar com ela. E ao mesmo tempo que está com medo, ela sente uma certa atração por ele. E no dia seguinte ela descobre que o nome dele é Pietro, sobrinho dos donos da casa que ela vive invadindo e que vai passar um tempo ali. Na noite seguinte, ela acorda no mesmo horário e mesmo não querendo ir até a casa do vizinho para não correr o risco de encontrar com Pietro, ela acaba indo parar lá e Pietro já está lhe esperando. Ele convida Suzana para um passeio e leva ela a um lugar que ela sempre quis conhecer, o Museu do Ipiranga e seus lindos jardins. E ela não sabe como, mas eles conseguem entrar lá de madrugada. O mais curioso, é que quando eles voltam já está amanhecendo e ela ouve os empregados cochichando sobre o novo vizinho, eles dizem que ele tem "poderes".

E não é só Pietro que entra na sua vida, no dia seguinte na escola, ela conhece o aluno novo Arthur que parece saber tudo sobre ela, coisas que ninguém sabe, nem sua melhor amiga, nem seus avós. E quando ela percebe, ele já marcou um encontro com ela. E quem aparece no encontro? Pietro, e a hostilidade entre eles é visível como se eles já se conhecessem. E quando ela questiona Arthur sobre ele saber tantas coisas sobre ela, ele diz que ela está em perigo e não fala mais nada. Então ela se lembra que quando seus pais morreram no acidente, eles estavam fugindo de algum tipo de ameça. Ela fica com muito medo, porque além desses dois garotos que parecem que leem seus pensamentos, ela começa a ouvir vozes na sua cabeça. E os dois dizem a mesma coisa, que ela não pode confiar no que o outro diz. Quem será que está falando a verdade, em qual deles ela acredita?

Esse é o segundo livro que leio da autora, o primeiro foi Montanha da Lua, que amei e estava com uma certa expectativa sobre esse, mesmo sendo de gêneros diferente, já que Montanha da Lua é um romance de época. E ainda bem que minhas expectativas foram atendidas. Eu que já estava um pouco saturada de livros com seres sobrenaturais, fui fisgada pela história criada pela autora e me vi devorando o livro. Até boa parte da história não sabemos o que eles são, apesar de já dar para ter uma idéia e depois fica aquele jogo sobre quem está falando a verdade. A narrativa é em primeira pessoa, que não é a minha preferida quando quem está narrando é alguém chato, mas não foi o caso aqui. Suzana conseguiu me ganhar, ainda que no começo achei ela um pouco irritante, mas depois ela mudou.

Ela tem um amadurecimento muito grande durante a história, principalmente depois que ela descobre quem ela é de verdade. Descobre é modo de dizer, porque a Mari foi muito má e deixou os detalhes mais interessantes de fora. Ficaram muitas questões em aberto e no final eu fiquei como assim acabou? Preciso ler Sonhos urgente. Quanto aos meninos, eu me apaixonei por um deles e impliquei com o outro. Não vou dizer qual foi, para não soltar spoiler, mas é a primeira vez que me acontece de me apaixonar pelo vilão. Todos os livros que tem algum tipo de triângulo eu sempre me apaixono pelo "bonzinho" e nesse caso eu escolhi o errado. E mesmo vendo que ele era o vilão, continuei torcendo por ele. Enfim só me resta indicar o livro para quem gosta do gênero e começar a ler Sonhos, que felizmente já está lançado.


site: http://blogprefacio.blogspot.com.br/2016/01/resenha-insonia-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Fabi 03/05/2014

Anjos que fazem perder o Sono
Suzanna tem 17 anos e leva uma vida normal, ela mora com seus avós desde que seus pais morreram em um acidente de carro. Como única sobrevivente ela tem algumas recordações do acidente e de certa forma se sente culpada pelo acontecido.
”Acordei no hospital horas mais tarde, a pele das pernas chamuscada, o corpo dolorido e dormente em várias partes. Perguntei aos meus avós sobre o homem que me ajudou, mas a resposta que tive foi que a explosão me jogou fora do carro e que me encontraram abraçada a mim mesma” (trecho página 10)
Invariavelmente, todas as noites, Suzie acorda às três horas da manhã e não consegue mais dormir. Então, cumpre o seu ritual, vai até o jardim da casa vizinha e lê um livro debaixo da árvore. Em um desses passeios noturnos, ela acaba conhecendo Pietro, o charmoso sobrinho italiano de sua vizinha, que veio morar no Brasil.
“Ele não era de falar muito, fazia gestos para que eu andasse ou segurava minha cintura quando me queria parada, era estranho e ele era um estranho para mim, mas me sentia envolvida e em paz perto dele, como se nada pudesse me ferir ou magoar.” (trecho página 29)
Pietro aos pouco vai lhe conquistando, embora perceba que existe algo errado no comportamento do rapaz. A situação fica mais misteriosa quando entra em sua escola o novo aluno, Arthur. Os dois rapazes parecem se conhecer e escondem segredos relacionados à vida de Suzanna.

“Olhei para ela ouvindo as batidas do meu coração retumbando em meus ouvidos, não sabia como definir a última hora (...). Suspirei sem achar a voz para responder, Pietro e Arthur estavam igualmente mexendo com a minha capacidade de ignorar rapazes.” (trecho página 68)
A vida dela muda completamente quando descobre que existe um mundo sobrenatural paralelo ao nosso mundo real. Suas escolhas se tornam cada vez mais difíceis e fica impossível descobrir de qual lado ela deve ficar.
“Abri meus olhos e vi dois vultos. (...) Fiquei encolhida na cama ajeitando a roupa e os cabelos, tentando entender o que estava vendo. A porta da sacada estava escancarada e balançava como se tivesse sido aberta com brutalidade, os vultos passavam como redemoinhos, de um lado para o outro, quebrando móveis, agitando as cortinas e fazendo um som alto de briga.” (trecho página 153)


Minhas Impressões

O livro é narrado em primeira pessoa por Suzanna, que narra suas emoções e conflitos em relação aos dois rapazes que surgem em sua vida. Em alguns capítulos a autora mostra a visão de outro personagem, o que achei bem interessante e inovador.
Muitas histórias em relação à origem e natureza de Suzanna vão sendo reveladas por Pietro e Arthur. Embora todos tentem protegê-la o tempo todo. Nesse caso os personagens masculinos levam vantagem e acabam direcionando a protagonista, pois ela é muito jovem e está muito surpresa com o novo mundo que conhece.
Anjos, nefilins, demônios e outras variações povoam esse novo mundo que ela descobre e terá que desvendar esses segredos, para saber de qual lado ficar. A história é envolvente e cativante, na qual fiquei apreensiva pelo futuro de Suzanna. A série sobrenatural terá sua continuação, que estou aguardando, e será lançada esse ano na Bienal.


site: http://www.escrevendoaospouquinhos.com.br/2014/05/anjos-que-fazem-perder-o-sono.html
comentários(0)comente



estantedasuh 03/10/2014

Insônia - Blog Era Uma Vez o Livro
Suzanna é uma menina de dezessete anos que tem hábitos muito incomuns. Ela não consegue dormir à noite. Sempre no mesmo horário ela acorda e acaba indo para a o quintal do vizinho onde há uma árvore enorme e é lá que senta para ler. Isso acontece todas as madrugadas. Suzie tem seus medos pois seus pais faleceram num acidente de carro onde ela milagrosamente sobreviveu. Só que a vida dela vai mudar, pois Suzie irá conhecer um rapaz que vai mudar toda a sua vida.

Em uma de suas noites de insônia Suzie conhece Pietro, uma cara misterioso que vai mexer com os seus sentimentos. Ela nunca tinha o visto, e isso a deixa desconfiada. Será que ela deve confiar nele? Pietro é sobrinho dos seus vizinhos, lindo, inteligente, mas mostra que esconde alguma coisa. Um cara com dupla personalidade. Uma hora ele é carinho com Suzanna e em outras é rude.

Para completar Suzanna conhece outro rapaz na sua escola. Um aluno novo chamado Arthur, que vai mexer com sua cabeça. Ele é rude e a princípio demonstra desinteresse. E é isso que vai chamar a atenção dela. Só que não é bem assim, Arthur quer se aproximar de Suzanna, mas ele também esconde os seus segredos e isso vai aborrecer e muito a garota.

Eu comecei a ler o livro sem nenhuma expectativa, não sabia nem que se tratava a história. Depois que terminei de ler o livro, eu olhei pra lombada e vi qual era o nome da série, se tivesse reparo nisso antes teria entendido algumas coisas mais rápido. Olha como a pessoa é atenta nas coisas. Kkkkkkkkk. Mas voltando a história, eu fiquei muito confusa no começo. As vezes fiquei com raiva por que ia passando as páginas e eu ficava mais confusa ainda. Mas isso não é culpa da escritora e sim da leitora que tem raciocínio lento.

Após descobrir que os dois rapazes misteriosos eram eu comecei a entender vários dos acontecimentos. Só que o meu problema foi que passei boa parte do livro querendo saber qual dos dois era o bom e qual era o mau. Quando eu descobri quem era fiquei bem chateada, porque me apaixonei por ele, e mesmo sabendo disso ele ainda é o meu favorito. Com aquele jeito de bad boy ele me conquistou do começo ao fim. Mas pra saber quem é eu, você vai ter que ler o livro.

Já Arthur apesar de ser fofo, teve partes que eu o achei chato. Ele não demonstrava o quanto amava a Suzie, e era muito certinho. O que mais gostei nele é que ele a queria proteger a todo custo, acho que essa era forma dele demonstrar o seu amor. Só que mesmo assim ele não me convenceu.

O livro é baseado no mistério que ronda a vida de Suzanna. A escritora durante a trama foi deixando várias pontas soltas, mas que tenho certeza que vão ser sanados no próximo livro, intitulado Sonhos, que graças a Deus já está em minhas mãos. A Mari sobe escrever muito bem as partes sobrenaturais eu amei.

O final é arrepiante, a Mari terminou de uma forma que nos obriga a ler a continuação. Eu tive vontade de enforca-la por isso. Como ela pode ter terminado daquele jeito. Fico pensando em quem leu antes de ter lançado a continuação, deve ter ficado desesperado. Eu simplesmente adorei o livro e recomendo a todos que gostam de histórias de mistério.

site: http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/2014/09/resenha-insonia-de-mari-scotti.html
comentários(0)comente



Alessandra 20/08/2013

Insônia – Mari Scott
Quando eu descobri esse livro, fiquei tipo “OMG eu preciso ler!” ai conheci a fofa da Mari Scotti e consegui participar do Book Tour e fiquei louca. Logo que o livro chegou não consegui parar de ler até chegar no final.

***********

A vida de uma adolescente aos 17 anos não deveria ser tão complicada. Ir á escola, ficar em casa, ir à festa com os amigos, e as únicas preocupações são em conseguir um namorada, ter seu primeiro beijo, perder a virgindade e chegar ao peso ideal, certo?! Bom não para Suzanna.

Suzanna perdera os pais quando pequena, em um trágico acidente que ela mal se lembra como aconteceu. Agora ela mora com seus avós, em uma enorme mansão com todo conforto e amor, mas isso não faz com que seus pesadelos sumam. Pesadelos esses, que não lhe deixam dormir causando-lhe insônia todas as noites. E o que melhor do que uma leitura para ajudar a relaxar?! Todas as noites Suzanna vai ao seu lugar preferido, o jardim de seus vizinhos os Santos, embaixo da enorme árvore arruma sua manta, senta, abre seu livro e delicia-se com a noite.

“Nesta noite o céu está parcialmente nublado, o vento fino e frio balançando os meus cabelos me trazendo o perfume incrível de grama recém-aparada.”

Essa era a vida de Suzanna. Uma vida nem tão movimentada, mas também nem tão normal. E isso piora quando dois homens misteriosos entram em sua vida.

continue lendo

site: http://publicidadeliteraria.wordpress.com/2013/07/03/insonia-mari-scotti/
comentários(0)comente



Blog De Bem Com a Leitura 20/01/2016

O acidente que tirou a vida dos pais de Suzanna, marcou a vida dela para sempre. Desde então, ela sofre com insônia e se sente culpada pela morte deles. Ela via as árvores do lado de fora e algo lhe chamou atenção, ela chamou o pai para ver também fazendo-o tirar os olhos da estrada, em seguida o acidente acontece e ela só consegue se lembrar de imagens embaçadas, mas lembra-se claramente de ter visto um homem a tirar do carro, porém segundo relatos, ela foi arremessada para fora com o impacto.

Com a morte dos pais, Suzanna foi morar com os avós paternos, o avô é mais maleável e a avó mais decidida, mas os dois cuidam dela como se fosse uma filha. Com a insônia, ela tem o costume de ler na madrugada, sempre acorda às três da manhã e vai para o quintal do vizinho, pois lá tem uma árvore que ela se sente calma e gosta de ficar lá, claro que ninguém sabe e ela precisa pular o muro.

Nessas escapulidas noturnas, ela conhece Pietro, o dono da casa e absurdamente lindo, sensual e educado. Começa um romance entre eles mas Pietro sabe respeitar o tempo e os limites de Suzanna, ambos tem os mesmos gostos e Suzie logo percebe que P. sabe muito mais sobre ela do que mostra, quando o questiona, ele sempre dá um jeitinho de fugir do assunto.

Quase ao mesmo tempo, um aluno novo chega no colégio, Arthur, tão lindo quanto Pietro e já no primeiro dia ele se encanta com Suzanna. Arthur é cheio de atitudes e logo marca um encontro com ela que fica sem conseguir recusar. Suzei descobre que Arthur também sabe mais sobre ela, mas ele não foge do assunto e diz que não pode dizer e que ainda não é o tempo.

Tanto Pietro quanto Arthur, escondem uma verdade que mudará o destino de Suzanna. Ela não entende como os dois surgiram em sua vida do nada e não entende porque eles sabem tanto sobre sua vida, eles a conhecem profundamente e sabem de coisas que ninguém jamais soube. O aparecimento deles traz revelações importantes sobre o seu passado e ao buscar por respostas, ela se vê em um dilema. Um pede para que ela não confie no outro pois está correndo um grande perigo.

Com o passar das páginas, Suzanna vai se sentindo mais segura ao lado de uma porém seu coração chama pelo outro. Mas o que está em jogo não é apenas um relacionamento amoroso, é a vida de Suzanna, a escolha errada poderá trazer sérias consequências. Ao passar dos dias, a decisão fica cada vez mais difícil e a verdade vai se revelando terrível e cruel.

Eu gostei muito dos personagens, Suzanna é inexperiente e às vezes um pouquinho chorona, mas totalmente aceitável pois no lugar dela, duvido, que eu agiria de maneira diferente. Ela é inteligente, criativa, gosta de escrever (até está escrevendo um livro) mas não tem uma vida normal. Pietro e Arthur são lindos, maravilhosos, atraentes e com personalidades muito diferentes. Enquanto Pietro mais passivo, Arthur tem mais atitudes. Pietro é um galanteador nato e sabe usar sua sensualidade, Arthur não fica para trás, mas o modo de agir dos dois é totalmente oposto. Os três, são personagens cativantes, mesmo tendo ficado com uma raiva enorme de um deles, já no final, ainda assim gosto dele. São personagens marcantes e bem construídos.

Resenha completa no blog > http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/2016/01/resenha-insonia.html

site: www.vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4