The Perks of Being a Wallflower

The Perks of Being a Wallflower Stephen Chbosky




Resenhas - The Perks of Being a Wallflower


58 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Bea 17/09/2020

E eu realmente estava lá...
Gostei bastante do formato em carta, me fazia pensar que eu era a receptora delas. Além disso, o Charlie é um personagem o qual me encantou tanto por ver o mundo sem preconceitos. Por fim, achei muito boa a abordagem de questões sociais neste livro
comentários(0)comente



Vinijgc12 07/08/2020

I honestly love this book more than I love anything else
This book is literally the first book that got my attention. I wasn't used to reading. I've never felt so related to characters before. It mostly feels like I've lived what all characters have lived in a certain point of my life and this makes me so happy. I've read this so many times, in 3 languages so far
comentários(0)comente



Jubraga 17/07/2020

Perfeito
Instagram: @livrosdajuba / Um dos melhores livros que já li. Mesmo sendo de linguagem simples, do ponto de vista de um adolescente, as mensagens e aprendizados são imensos. Recomendo à qualquer pessoa de qualquer idade (acima de... 15 anos?)
comentários(0)comente



Kimo 27/06/2020

And in that moment, I swear we were infinite
Não sei muito bem como organizar meus pensamentos aqui, mas não é como se em algum momento eu tenha sucedido em fazer isso.
Legitimamente não esperei gostar tanto desse livro; Charlie, o protagonista, fez um ótimo através de sua narrativa em primeira pessoa - o fator imersão was on point! - e me fez sentir próxima, como uma confidente.
comentários(0)comente



André Milhorança 25/06/2020

Se eu tivesse lido esse livro na minha adolescência, talvez hoje eu seria um alguém que sentisse as coisas de maneira ainda mais intensa. Quando Charlie começa escrever suas cartas e, na medida que ganha intimidade, vai contando mais fatos de sua vida, eu sentia cada vez mais vontade de abraça-lo.
Depois de perder seu melhor amigo, Charlie ainda precisa encarar o tão temido high school. De suas amizades saem grandes aventuras. Eu fiquei encantado como Charlie consegue contar a sua história como uma grande obra, influenciada por grandes leituras e belas trilhas sonoras. Se você não conhece os livros que o protagonista lê, você passa a querer lê-los. O mesmo acontece com as músicas.
Já aconteceu muita coisa com o Charlie, sabe? Mas, na companhia da Sam e do Patrick, ele vai ganhando uma nova perspectiva, construindo um fio de esperança e encontrando uma maneira de encarar as coisas. Vivemos procurando por situações e momentos que façam nos sentir infinitos. Afinal, nós aceitamos o amor que pensamos merecer.
A cada carta de Charlie, eu me sentia com a mão mais atada a ele. Achei um livro pesado para o público adolescente, mas achei sutil a maneira de apresentar a superação de traumas. Muito sincero e escancarado! Vai fundo.
comentários(0)comente



Fab 28/05/2020

Vale a pena
Já havia visto o filme duas vezes, mas não lembrava direito. Um livro "inocente", que mostra o mundo à visão do protagonista, seus medos, desejos, ansiedade, e é tudo lindo. A revelação final dá agonia, ao mesmo tempo, faz tudo ter sentido.
comentários(0)comente



Joyce.Sarmento 19/05/2020

Fantástico
A leitura é tão gostosa que consegui ler inteiro (em inglês) sem consultar o dicionário. Charlie é o personagem mais sensível e que exprime pensamentos tão incomuns (de se ver nos livros) que parecia que eu estava lendo minha própria mente. Simplesmente o melhor livro que já li!
comentários(0)comente



bru 19/05/2020

É um livro que aborda tópicos sensíveis de forma delicada e real. Gostaria de saber quem era o destinatário das cartas, mas entendo que isso é o que torna a história mais intrigante.
comentários(0)comente



Ju 21/04/2020

Eu realmente não tenho palavras pra esse livro... A escrita é de uma delicadeza incrível, daquelas que falam à alma. O mesmo sentimento de quando eu li pela primeira vez, mas 10 anos depois, incrível.
comentários(0)comente



@renatavarelaescreve 20/04/2020

Demorei pra ler, mas...
Não imaginei que ia gostar tanto do livro. Devorei em poucas horas, com a ajuda do audiobook, que me fez ficar ainda mais imersa na história. Senti como se o Charlie fosse um amigo próximo e estivesse me mandando aquelas cartas pessoalmente.
Muito bom.
comentários(0)comente



Cleydson 27/03/2020

Dear friend,
Nota: Sempre tive bastante carinho por este livro e agora, relendo, oficialmente o elejo ao posto de “Um dos favoritos ever”, portanto, talvez todo este texto seja enviesado por isso...

***
As vantagens de ser invisível nos presenteia com Charlie, um garoto tímido saindo do fundamental para ter suas primeiras experiências no Ensino médio. O livro é todo escrito em formato de correspondência, onde Charlie escreve cartas por meio das quais nós, como destinatário, podemos conhecê-lo melhor. Enquanto nos relata sobre os acontecimentos atuais em sua vida, o garoto, tal qual escritor que um dia deseja se tornar, faz um excelente trabalho conectando tais acontecimentos a episódios passados, nos levando a conhecer outros momentos de sua vida para uma maior compreensão do personagem.

Através de uma narração feita de forma bastante pessoal e em tom de confidência, o escritor consegue criar uma ligação bastante empática entre o personagem e o leitor – Sério, gente! Eu até respondia as cartas na minha cabeça... “ Vai dar tudo certo, Charlie. Tamo junto! ”, “ Me chama pro rolê na próxima” – Além de passar também um grande sentimento de nostalgia a medida que vemos o Charlie desenvolver suas primeiras “Amizades verdadeiras”, seu primeiro amor, suas perdas...

As vantagens de ser invisível, ao decorrer de suas 263 páginas, aborda vários assuntos sérios que podem ser tidos como gatilhos e, apesar de a abordagem ser realizada com bastante sensibilidade e delicadeza, os tapas na cara não são mais leves e o baque que causa não é menor por causa disso. A escrita e a forma que a narrativa se conecta e se desenvolve é fenomenal e surpreendente, nos passando diversas reflexões sobre a vida de uma forma geral, sendo uma delas a de que:

Haverá momentos onde nos sentiremos no topo e momentos extremamente difíceis, portanto, estando cientes disso, devemos todos vivermos nossa verdade, nossos momentos. Agarrarmos cada segundo desses curtos sentimentos de infinidade e aproveitá-lo ao máximo... seja a companhia de uma pessoa, um momento consigo mesmo, um livro, filme ou série que te deixe com quentinho lá dentro do peito, ou te faça chorar, tal qual o livro que motivou esse texto.
Enfim, aceitar nossa efemeridade e valorizar o que nos torna infinito, pois, como é citado na obra, as coisas mudam, amigos se vão. E a vida não para para ninguém.

Love always,

Cley
comentários(0)comente



Sarah 29/02/2020

"And in that moment, I swear we were infinite."
o eterno sentimento de me sentir infinita depois desse livro. apenas perfeito.
comentários(0)comente



Rita 29/06/2019

The perks of being a wallflower (escrita em julho de 2017)
Na primeira vez que li As Vantagens de Ser Invisível, eu tinha 16 anos. Na época, se tornou um dos meus livros favoritos. Agora, 4 anos depois, no quarto período de Letras, li novamente, mas no seu idioma de origem e de uma forma mais crítica.

O livro é em formato de cartas, ou seja, cada dia é contado em uma carta/capítulo diferente e a história é ambientada nos anos 90. O protagonista se chama Charlie, tem 16 anos. Ao iniciar a leitura, percebe-se que ele é um menino que não se encaixa em nenhum dos grupos da sua escola. Também ficamos sabendo que ele está iniciando o High School (equivale ao Ensino Médio no Brasil) e (como evento drástico e condutor da trama) seu único amigo foi encontrado morto em casa. O drama inicia-se quando, em um fim de semana, ele decide ir a um jogo de futebol americano da sua escola e lá conhece Sam e Patrick, dois “irmãos emprestados” e do último ano que irão mudar a sua vida.

O livro fala abertamente sobre inúmeros assuntos “tabus”, como uso de drogas ilícitas, machismo e homofobia. Ao desenrolar a história, descobrimos que Charlie possui alguns problemas psicológicos e posteriormente, como ele os adquiriu — sendo este o clímax da história, cujos sentimentos prevalentes que senti foram angústia, tristeza e indignação, durante minhas duas leituras.

O meu personagem favorito do livro, sem dúvidas, é Bill, professor de Inglês Avançado de Charlie. Ele sempre o empresta livros e pede que ele faça uma resenha do mesmo. Gosto dele, mesmo que seja um personagem um pouco afastado do foco principal do enredo. Além disso, nota-se que ele faz muito bem ao Charlie. É da sua boca, também, que sai uma das frases mais famosas do livro, e, consequentemente, do filme baseado nele:

“We accept the love we think we deserve.”

The Perks Of Being A Wallflower foi escrito por Stephen Chbosky e é seu primeiro romance. Possui uma leitura fluida e de fácil entendimento tanto em inglês quanto em português. Os personagens são construídos de forma satisfatória e consistentes. A história foi muito bem ambientada: ao ler, é possível sentir a “aura anos 90”.

Seu gênero é Young Adults, que em português equivale ao infanto-juvenil. O fato do livro abordar assuntos sérios é um ponto positivo, pois é uma boa maneira de iniciar pré-adolescentes e adolescentes em tais tópicos. Além disso, o livro também faz menção a músicas e outros livros, que, para mim, é mais um ponto. Considero que assim, instigando a curiosidade a fim de que a história atual fique mais completa no imaginário do leitor, é uma ótima forma de fazer o jovem leitor adentrar ainda mais no mundo da literatura.
comentários(0)comente



Thiago Barbosa Santos 07/06/2018

Confissões de adolescente
Desde o ano passado me desafiei a ler livros em língua estrangeira, no caso espanhol e inglês, para aprimorar as habilidades com os dois idiomas. Tem sido uma experiência muito valiosa e me ajudou muito. Com isso, acabei descobrindo também livros interessantes. Um deles foi o "The perks of being a wallflower", do Stephen Chbosky. É um livro escrito em linguagem simples e direta. Ganhou adaptação para o cinema.

No Brasil, o livro teve o título de "As vantagens de ser invisível". A história é em formato de cartas, que a personagem principal, Charlie, envia para uma pessoa desconhecida, não revelada no livro. Nestas cartas Charlie, um adolescente que está no ginásio, vai narrando sua vida, seus dramas, as descobertas da juventude, os deslizes que ele e os amigos cometem, coisas da idade. Tem também relação com os amigos, família, amores, etc. Bate no leitor sempre aquela ansiedade em ler a próxima carta.
comentários(0)comente



Vanessa 02/11/2017

Reading Challenge 2017: a book from a genre/subgenre that you've never heard of - Bildungsroman
comentários(0)comente



58 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4