A Insustentável Leveza do Ser

A Insustentável Leveza do Ser Milan Kundera




Resenhas - A Insustentável Leveza do Ser


551 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Adriana.Machado 28/02/2021

Que livro incrível
Adorei tanto, mas tanto este livro. Um livro filosófico extremamente fluido, não me custou ou chateou em nenhum momento.
comentários(0)comente



Fabí 28/02/2021

Um livro filosófico
Demorei bastante para concluir a leitura desse livro porque a cada capítulo que lia era meia hora de reflexão.
Existem muitas camadas que o autor tece de forma brilhante: a forma como os personagens constroem caráter e estabelecem suas próprias definições de leveza e peso, o jeito como essas definições são contrabalanceadas quando os personagens se relacionam com pessoas diferentes... Tudo isso embalado num plano de fundo político tenso.
As partes explícitas foram as mais cruéis. Senti muita pena de Teresa a história toda, admito não compreender tanto as motivações de Thomas, Franz tem sua história de vida associada a um 'kitsch' (o que é bem apropriado), e Sabina talvez seja a personagem mais saudável e 'fácil de digerir' da história (meus capítulos favoritos foram aqueles que são narrados o quão ela é Franz são diferentes por associarem coisas tão distintas à lugares e situações) e Karenin me arrancou todas as lágrimas possíveis.
Enfim, a Insustentável Leveza do Ser é um livro que me fez pensar muito no quão nossas motivações são profundas e filosóficas, mas tão pouco compreensíveis e exploradas, me fez refletir em como as tensões externas nos subjugam, como traçamos nosso limite entre leveza e peso e o quão elástica essa definição pode ser.
comentários(0)comente



Diogo.Melo 27/02/2021

" deitar-se com uma mulher e dormir com ela, eis duas paixões não apenas diferentes mas quase contraditórias. O amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor, mas pelo desejo do sono compartilhado."
comentários(0)comente



Rey 26/02/2021

Denso
A forma como Milan Kundera trata das vivências dos personagens foge aos clichês romanescos que nós conhecemos. Aliado à história de quatro personagens principais (Tereza, Tomas, Sabina e Fraz), Kundera reflete sobre o amor e o destino imprevisível da nossa vida.

Para mim, é uma obra que precisa ser relida, pois esconde diversos significados que não são revelados na primeira leitura.
comentários(0)comente



Karina Reis 25/02/2021

É preciso estar com a mente bem aberta para ler e compreender o que Kundera quis nos dizer com a Insustentável Leveza do Ser.
Na maioria das vezes leveza demais acaba por se tornar um fardo.
comentários(0)comente



Rebeca.lousz 24/02/2021

É sobre as divagações do autor, muito mais que o enredo
Milan Kundera nos traz muito mais que uma simples história com uma simples sucessão de acontecimentos, a insustentável leveza do ser nos questiona como seres humanos, é sobre o preço da felicidade e o que nos faz tomar as decisões que tomamos.

Qual é o peso daquilo que escolhemos? ?Quanto mais pesado é o fardo, mais próximo da terra está nossa vida, e mais real e verdadeira ela é. Em compensação, a ausência total de fardo leva o ser humano a se tornar mais leve do que o ar, leva-o a voar, a se distanciar da terra, do ser terrestre, a se tornar semirreal, e leva seus movimentos a ser tão livres como insignificantes.?

O livro é sobre essas divagações do autor, muito mais do que o enredo. Com exceção da trajetória da Sabina, a história em si é chatinha e os personagens não são legais... algo que não me fazia ter muita vontade se continuar a leitura.

É uma leitura fácil, ainda que reflexiva.. entender um pouco do contexto histórico da época mostra-se importante. Em suma, é um excelente livro.. se é bom ou não, acho que depende do leitor.
comentários(0)comente



Amanda.Fernandes 23/02/2021

Sempre esqueço que quando vamos ler um livro, não podemos esperar grandes coisas, devemos só nós deixar levar... Eu esperava muito desse livro, e me decepcionei um pouco. O livro é bom? É sim, você acaba querendo conhecer Praga, porém não sente tanto apego pelos personagens, parece que eles se esforçam ao máximo para não encontrarem a felicidade. A parte histórica do livro é bem interessante. Eu recomendo o livro pelo simples fato dele fazer com que a gente perceba o tipo de vida que não querermos ter!
comentários(0)comente



ftsolivetti 20/02/2021

Personagens
Amei como os 4 personagens principais se relacionam. São personagens profundos que amam, ?traem?, e refletem sobre o ser, sobre o peso e a leveza do ser. Tudo isso num fundo histórico rico e conturbado.

Gostei bastante da leitura, fui esperando muito porque todo mundo me falou que era magnífico. Gostei, mas não sei se ameeeeei tanto assim. Mas com certeza lerei mais do autor :)
comentários(0)comente



Thati 20/02/2021

Intenso & Denso
É um livro intenso e denso.
A narrativa apresenta relações de peso e leveza nas relações humanas, em especial na vida, pensamentos, atitudes e reflexões dos personagens.
Muitas reflexões filosóficas.
comentários(0)comente



Alice.Pimenta 19/02/2021

A insustentável leveza do ser
Gostei bastante da leitura!
Tenho a destacar dois pontos positivos sobre ela:
1) É um livro filosófico mas a leitura flui muito bem. O autor faz uso de exemplos da vida cotidiana de seus personagens para nos apresentar temas muito reflexivos e importantes.
2) O cenário, pano de fundo do livro é a Boêmia invadida por tropas russas/comunista, momentos antes desse acontecimento e os desdobramentos dele. Eu nunca havia lido um livro com esse contexto, achei bem interessante.
comentários(0)comente



Emerson 15/02/2021

Um livro denso
Ganhei o livro de presente de uma amiga, e confesso que no início pensei "hmm não sei se é meu tipo de livro", achando que seria mais um clichê de triângulo amoroso... Como eu estava enganado!

O romance, a sexualidade, as bizarrices, são apenas o pano de fundo de algo muito maior proposto pelo autor, de reflexões filosóficas realmente profundas quanto aos nossos dilemas, escolhas e sofrimentos.
comentários(0)comente



Nay 13/02/2021

Kundera inicia a narrativa com Nietzsche, pensei em me inspirar e começar meu comentário com ele também. O que dizer desse romance? Humano, demasiado humano. Enquanto os personagens transitam entre o peso e a leveza da existência, o autor os constrói em toda a complexidade humana. O leitor consegue transitar por uma gama enorme de sentimentos enquanto vivencia as vidas traçadas pelos quatro personagens principais. Entre kitsch e vertigens, percebemos que enquanto tentamos fugir dos pesos da existência, em busca de uma leveza, muitas vezes utópica, nos defrontamos do outro lado do espectro, com uma leveza tão grande que esta se tornou insustentável. Acredito que poucos autores tenham a clareza e a sensibilidade para construir uma narrativa e personagens tão perfeitamente humanos imperfeitos.
comentários(0)comente



Arthur.Afonso 11/02/2021

Presente de uma amiga
Um dia melhores presentes de aniversário que tive nos últimos anos. Obrigado, Xu, pelo livro. De fato, uma escrita incrível e que me fez ter vários momentos de euforia.
comentários(0)comente



Indria 10/02/2021

Tomas e Tereza (e Karenin)
Uma escrita única, esse livro me encantou em diversos momentos. Tomas era um desgraçado, mas gostei da história mesmo assim. Chorei no capítulo final, da Karenin.
comentários(0)comente



Otávio - @vendavaldelivros 08/02/2021

“Já disse que as metáforas são perigosas. O amor começa por uma metáfora. Ou melhor: o amor começa no instante em que uma mulher se inscreve com uma palavra em nossa memória poética.”

A vida é uma eterna impossibilidade de voltar a ser. Nada que fizemos uma vez poderá ser feito novamente da mesma forma, no mesmo onde e quando. Viver é uma experimentação eterna e uma busca constante por resultados favoráveis que nos levem à felicidade. Um caminho em linhas, que mesmo tortuosas, sempre seguem na direção inexorável do fim. Não se sai da leitura de “A Insustentável leveza do ser” da mesma forma que se entra e isso é uma prova de que a vida segue seu fluxo ininterruptamente.

Escrito pelo tcheco Milan Kundera e lançado em 1982, “A insustentável leveza do ser” passa pela história de quatro personagens principais: Tomas, Teresa, Sabina e Franz. É através de suas percepções sobre a política, o sexo e principalmente a vida, que mergulhamos na história que não segue uma linearidade de enredo e muito menos uma linha do tempo contínua. Talvez tenha sido esse o objetivo de Kundera: Ofuscar e abdicar de uma linearidade em prol de uma intensidade de experiências pelas quais suas personagens passariam.

O amor aqui é mostrado como de fato pode ser: Plural, particular e único. Cada personagem enxerga o amor pelo seu prisma e faz dele a sua verdade. A Primavera de Praga revela uma história que acaba sendo soterrada nos estudos sobre a Guerra Fria. A forma de repressão da União Soviética, a dominação dos tchecos e a expulsão de intelectuais do país, retratados pelos olhos principalmente de Sabina e Tomas, é latente na obra.

O erotismo, tão julgado por alguns como exagerado, a mim pareceu muito bem dosado. Afinal, tal qual o amor, nossa sexualidade é vivida de forma particular. O sexo é parte fundamental da vida humana e a forma como lidamos com ele diz muito sobre nossa forma de viver a vida. Por fim, o desenrolar da história de Karenin, que me levou às lágrimas por lembrar de uma experiência tão parecida e dolorosa.

Filosófico do início ao fim, a insustentável leveza do ser estimula diversos tipos de questionamentos sobre a nossa própria vida e como encaramos a humanidade. Desperta perguntas, mas deixa claro que nós, na busca do equilíbrio entre o pesado e o leve, é que precisamos encontrar as respostas.


site: https://www.instagram.com/p/CLC7IdOjP-S/
Uil Melo 08/02/2021minha estante
Que resenha maravilhosa!


Flah 10/02/2021minha estante
Que resenha perfeita ??


Otávio - @vendavaldelivros 10/02/2021minha estante
Obrigado, meninas! :)




551 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |