A Insustentável Leveza do Ser

A Insustentável Leveza do Ser Milan Kundera




Resenhas - A Insustentável Leveza do Ser


530 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Janaina Almeida 24/01/2021

As reflexões sobre os relacionamentos, política, futuro me surpreenderam... É um livro sim, complicado de ler. Não é complicado pela questão sexual que todos gostam de citar nesse livro (para mim, isso é um assunto secundário), mas sim por suas reflexões pesadas e extensas desses assuntos. Tinha momentos que entrava na leitura e não saia, porém, quando saia, era para voltar a ler três ou quatro dias depois...

É um livro excelente e espero ler mais do autor.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



DTG 23/01/2021

O que é leve e o que é pesado?
Kundera nos apresenta dilemas e disseca vidas, mostrando quão paradoxal é a vida humana. Nossos conflitos, escolhas, histórias e caminhos nos levam a quem somos.

É uma leitura profunda (pesada), porém libertadora (leve). Definitivamente, ?A insustentável leveza do ser? vai figurar entre minhas leituras favoritas.

Se houver dúvidas, pode escolher este livro. Vais ficar com várias perguntas passando em sua mente.
comentários(0)comente



Jesca 22/01/2021

Profundo.
A insustentável leveza do ser mostra que é impossível viver em um estado constante de felicidade e contentamento, uma vez que precisamos do peso (dúvidas, dilemas, aflições, conflitos etc) para nos manter no chão, pois se fôssemos sempre leves iríamos voar, evaporar, e a vida não importaria (não sei se deu para entender, mas isso faz muito sentido para mim). Ou seja, precisamos dos conflitos existenciais pois viver [email protected] num mundo de felicidade é simplesmente insustentável, em algum momento teremos de questionar, de nos incomodar com algo, e isso é inerente à existência humana que possui o privilégio da racionalidade. A fim de provar isso e de mostrar, de forma muito realista, como a vida e as escolhas pesam, o autor apresenta a história de quatro personagens (Tomas, Tereza, Franz e Sabina) que se conectam ao longo do romance. Desses quatro, Sabina foi a personagem que mais me chamou atenção: seu senso de liberdade, a sensualidade deliberada, o prazer que mantia pela traição, tudo isso faz dela uma mulher que, embora seja livre das amarras impostas a tal gênero, não deixa de ser profunda e ter suas próprias crises existenciais. Tereza, em contrapartida, é uma mulher presa às amarras de seu passado, aos traumas de sua infância, que recaem em seus comportamentos com muita frequência. Vale mencionar também Tomas e Franz, que são homens totalmente distintos. Enquanto Tomas é mais pragmático e corresponde às conceções do amor apenas depois de um longo período de tempo, pois valoriza muito os prazeres carnais, Franz, apesar de seu tamanho intimidador, é muito sentimental. Cada personagem aqui é ímpar, mas todos eles passam por conflitos e dilemas que são comuns a muitas pessoas. Enfim, é um ótimo livro, muito profundo, trágico e repleto de sentidos, adorei a leitura!
comentários(0)comente



Cla 21/01/2021

Uma boa reflexão sobre a vida
Me impressiona a forma como o autor usa quatro personagens para falar sobre o peso e a leveza da vida. Podemos acompanhar cada um com sua histórias, suas dores e suas alegrias e é possível se identificar com todas suas reflexões sobre a existência humana.

?O tempo humano não gira em círculos, mas avança em linha reta. É por isso que o homem não pode ser feliz, pois a felicidade é o desejo de repetição.?
comentários(0)comente



Alessandro 20/01/2021

Um livro difícil de definir em poucas palavras
"A insustentável leveza do ser" é o tipo de livro difícil de ser definido, que desafia o leitor.
É uma obra multifacetada, na qual você encontra uma mistura de diversos gêneros. Assim, ao mesmo tempo, ele consegue ser filosófico, histórico e bastante erótico em algumas passagens. Também vale lembrar que sua narrativa não é linear e em muitos trechos do livro, destaca-se a presença de um narrador "intruso", que interrompe e "quebra" a narração. Ainda sobre a narrativa diferenciada e muito original, mas que pode causar à primeira vista estranhamento e até mesmo um pouco de rejeição no leitor, Kundera apoia-se em dois conceitos filosóficos para desenvolve-la. Um deles do grego Parmînedis sobre o que vem a ser "leve" e o "pesado". Outro do mito do eterno retorno de Friedrich Nietzsche fundamento na ideia da repetição e o acaso. Ambos no romance associam-se aos aspectos positivos e negativos ao longo da existência humana. Mais, especificamente, Kundera faz uso dessas ideias filosóficas para demonstrar as escolhas e às mudanças na vida de quatro personagens: Thomas, Tereza, Sabina e Franz, que formam uma espécie de "quadrilátero amoroso"- outro aspecto diferenciado da obra.
O autor narra os eventos que envolvem esses personagens que se sobressaem mais por suas falhas do que qualidades, mas de maneira fragmentada, sempre de forma não linear, às vezes repetidos, em diferentes períodos de tempo. Por isso, cabe ao leitor a tarefa de reuni-los para compreende-los.
Vale lembrar que "A insustentável..." tem como pano de fundo histórico a chamada "Primavera de Praga", importante movimento artístico intelectual, o qual teve participação do próprio Kundera, que visava uma abertura política em seu país, mas que provocou uma violenta reação por parte da Rússia, que endureceu mais o regime comunista na Tchecoslováquia. Com resultado disso, muitos artistas e intelectuais foram presos e condenados a duras penas de prisão, ou eles tiveram que buscar exílio em outros países para fugir à violenta perseguição política.
Reflexivo, denso, erótico, satírico, e às vezes com rompantes de uma linguagem poética, "A insustentável leveza do ser", denso e profundamente verossímil em sua humanidade, é um clássico moderno.
Uma obra-prima no que se refere a sua forma de narração, na qual transparece em algumas passagens a "voz" de um narrador que nos faz refletir sobre o que é a vida em seu aspecto filosófico e mais profundo. Além disso, tem um dos finais mais bonitos e comoventes da literatura mundial, no qual Kundera demonstra sua maestria como escritor.
Um livro que o leitor pode até não gostar, mas que é impossível ficar indiferente a ele, seja pela forma de narração inusitada, pela caracterização de personagens complexos e bem construídos ou por contar uma história de amor intensa, capaz de revelar que a tristeza e a felicidade são emoções complementares durante o período da existência humana. Trata-se de uma obra densa, complexa, cheia de simbolismos e metáforas que a tornam fascinante e não esgota-se em uma única leitura.
A edição em capa dura da Companhia de Letras é de ótima qualidade. Capa dura e folhas amareladas.
comentários(0)comente



Livia 18/01/2021

Para ler com calma
Eu o achei muito gostoso de ler. Minha primeira leitura de 2021 trouxe diversas reflexões sobre a vida, comportamentos, relações humanas, etc. A história do livro em si é simples. O seu encanto está nas descrições e na forma como o autor dialoga conosco. Além disso, achei interessante o fato de não manter a linearidade de uma história comum. Em diversos momentos, me peguei refletindo, enquanto olhava para o nada. No entanto, não considero um livro que me cativou intensamente. Seja por minhas altas expectativas, seja por minha inexperiência em relacionamentos. De qualquer forma, quero relê-lo em breve com mais calma.
comentários(0)comente



Larissa.Mendes 15/01/2021

Com a primavera de praga e a invasão da União Soviética na antiga Checoslováquia como plano de fundo histórico, esse livro retrata várias inquietudes e reflexões comuns da existência humana, a partir de uma narrativa não linear e de personagens extremamente ricos, mas diferentes entre si. Me identifiquei em vários momentos.
Com certeza, um dos melhores livros que já li.
comentários(0)comente



André Hausmann 14/01/2021

Livro com uma história não linear que nos faz pensar muito sobre a alma humana através de acontecimentos triviais do cotidiano.
comentários(0)comente



Alana.Carolina 14/01/2021

A leveza e o peso
Ainda não ficou tão claro entender a distinção sobre leveza e peso, é mais sobre sentir.
Livro incrível, sensível e detalhista. É bom do começo ao fim, entrou pra lista dos meus livros favoritos e um dos quais me emocionei durante a leitura.
comentários(0)comente



Marthyna 13/01/2021

O livro mais bonito que eu já li
O autor conseguiu trazer em palavras os pensamentos que todo ser humano já teve mas nunca soube expressar. Cada página traz um aspecto diferente e mais pesado do estar vivo, e as últimas 10 páginas eu li chorando o tempo inteiro de tão carregadas de emoção (tristeza e beleza) que são.
comentários(0)comente



Ginah 13/01/2021

Leveza e o peso de ser
Comecei esse livro com uma idéia sobre o enredo e acabei me surpreendendo com uma aula de história política e filosofia.
O autor nos apresenta personagens desnudos, sinceros, em seus medos e anseios. Questões profundas sobre o coração humano como ser social, político e sua insustentável leveza.
Recomendo!
comentários(0)comente



Amanda 12/01/2021

Complexo
Certamente eu preciso de uma releitura para poder opinar melhor sobre o livro. Mas, já recomendo para os que gostam de filosofia, é um ótimo romance filosófico; e as partes políticas - que acabam muitas vezes refletindo nas decisões dos personagens- são bem ricas. Já adianto que é um livro que requer muita atenção na leitura (algumas vezes fiquei confusa/perdida).
comentários(0)comente



Suelen.Philomeno 10/01/2021

Leia!!!!
Só há uma coisa a se dizer sobre esse livro, sem que seja para dar spoilers, fazer conjecturas, ou meras associações. Associações simplórias que diminuiriam o vigor desse romance.
Na verdade não é uma coisa, somente uma palavra.
LEIA!
comentários(0)comente



suellen 07/01/2021

Um bom livro clássico que aborda a vida de dois casais. De certa forma eu esperava um pouco mais, mas acho que minha cabeça hiperativa não me deixou prestar tanta atenção nos pormenores, apesar de que a narrativa é ótima, cheia de detalhes.
comentários(0)comente



530 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |