Trocada

Trocada Amanda Hocking




Resenhas - Trocada


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


ka macedo 25/06/2017

Trocada
A trilogia Trylle veio parar em meu radar literário quando descobri que foi a primeira série a ser publicada gratuitamente online que, de tão famosa, uma editora decidiu publicá-la oficialmente. Sendo, assim, fiquei curiosíssima para ver o que havia de tão incrível nessa história viral.
E, honestamente, quando finalmente a peguei para ler, me decepcionei com seu conteúdo mal trabalhado.
Em Trocada, conhecemos Wendy, uma garota um tanto excêntrica que percebe estar sendo observada. Um garoto misterioso a ajuda a lidar com isso e lhe conta um segredo sobre sua vida: ela não é humana e deve voltar para seu local de origem porque está correndo perigo. Ela, então, é levada para a ‘cidade’ dos trolls e lá descobre que é parte da realeza e que sua vida inteira já foi planejada para ela.
Entendo que foi um dos primeiros livros da autora e, portanto, que Amanda Hocking não tinha muita intimidade com a escrita ainda, mas não posso negar a falta de profundidade dos eventos, diálogos e personagens.
Não há como explicar senão chamando esses deslizes de falta de experiência. Não vemos aquelas ligações naturais e fluídas de uma cena a outra, ou de uma fala para a outra – como se algo estivesse faltando, como um DVD riscado picotando cenas.
Mas temos uma boa continuidade de acontecimentos: Wendy, nossa protagonista, descobrindo que não é exatamente o que imaginava, a fuga dela com Finn para Förening e tudo o que ela descobre lá sobre sua verdadeira identidade.
Mas preciso dizer o mesmo sobre os personagens, que carecem de lapidação e aprofundamento. Vemos apenas a superfície de Wendy, Finn, Matt, Rhys, Elora e todos os outros. Alguns realmente não foram feitos para serem compreendidos tão cedo, mas não posso aceitar como ainda não conhecemos a narradora quando chegamos ao final do livro.
A única coisa que vi nela foi uma menininha mimada, egoísta, engraçadinha, com um potencial para ser corajosa e inteligente, mas que vai contra qualquer coisa só para ser do contra. Confesso que até soltei umas risadinhas com certas provocações dela.
Finn, principal alvo de tais provocações, foi ainda mais apático do que ela; sendo nosso mocinho em potencial, me senti enganada por vê-lo ser tão distante e inalcançável – e Wendy também. Apesar de ter sim seus momentos de sensualidade e charme, senti falta de um protagonista masculino mais forte.
Dos outros, os poucos que conhecemos melhor são Rhys e Willa. Rhys sendo incrivelmente fofo, divertido e ingênuo e Willa uma nobre arrogante, mas uma boa amiga para Wendy.
Mesmo com os problemas na escrita, é um livro que flui facilmente e que, por seu tamanho diminuto, é fácil de ser consumido em questão de horas. Todas as dúvidas que permeiam sua mente sobre a sociedade Trylle, o romance impossível e as poucas cenas de ação não deixam que o livro dique monótono em momento algum.
Ainda que existam grandes lacunas nas explicações deste mundo originalíssimo de Amanda, admiro a criatividade da autora. Mesmo já tendo esbarrado em certos termos e conceitos, a abordagem toda fez a diferença e conseguiu me intrigar o suficiente para querer saber mais sobre este universo e o que, exatamente, seria o grande dilema e a grande batalha dessa série cheia de potencial.
comentários(0)comente



Kellbet 13/02/2017

Quem duvida que coisas estranhas existem, deve parar o que está fazendo e repensar...
A pequena e ‘odiada’ Wendy traz na bagagem muitas lembranças dolorosas vindas de sua mãe, a pessoa que na verdade deveria amá-la e protegê-la com unhas e dentes. Mas não é o que acontece.
Então, rejeitada pela mãe, ela acaba se distanciando de todos. Menos ‘um pouco’ de seu irmão Matt.
Ela não é realmente uma humana e isso traz muitas confusões.
É realmente muito bom.
;)

site: https://kellbet.blogspot.com.br/2017/02/amanda-hocking-trocada.html?spref=fb
comentários(0)comente



Jade Ricieri 09/12/2016

Diferente, porém tudo muito previsível!
O livro começa no passado quando Wendy tem apenas 6 anos de idade e sua mãe tenta matá-la porque acredita que ela é um monstro e não é sua filha. Logo após esse acontecimento saltamos para alguns anos depois, no presente com Wendy se mudando para uma nova cidade e se adaptando na nova escola. Devido ter se mudado a poucos dias e não ser uma pessoa muito sociável, Wendy tem dificuldades para fazer amizades, sendo assim começa a se relacionar apenas com Finn, um garoto estranho que está na escola apenas a uma semana e mostra um grande interesse por ela.

Wendy foi criada por uma tia e seu irmão mais velho Matt, mesmo com toda a ajuda e a afeição dos dois a garota sempre se sentiu sozinha, portanto acaba se apegando muito rápido as pessoas.
Depois de poucos dias que conheceu Finn, percebe que está perdidamente apaixonada por ele, porém logo Wendy descobre que esse sentimento é em vão e que qualquer chance de ficarem juntos é praticamente impossível. Muito abalada com todas as revelações e descobertas de que sua vida até agora não passou de uma grande mentira, Wendy se vê forçada a ir atrás de respostas se aventurando em um mundo repleto de magia e coisas que ela jamais imaginou que poderiam existir.

É uma trama interessante, a ideia da sociedade dos trolls, que na verdade são conhecidos como "trylles" me encantou e espero que a autora nos mostre muito mais nos próximos livros. Uma das coisas que não gostei foi o fato de toda a história ter se desenvolvido muito rápido, fiquei com a sensação de não conhecer completamente os dois personagens principais, e suspeito que esse seja um dos fatos para a história não ter prendido minha atenção, já que fui entrar no ritmo da leitura apenas da metade para o fim do livro.

Gostei mais dos personagens secundários que se mostraram sempre presentes na história e com personalidades fortes, já que Wendy na maioria das vezes se mostrou uma garota incapaz de lutar pelo que quer e aceitava qualquer coisa sem discutir. Isso dificultou bastante a minha leitura, pois não conseguia me conectar com a protagonista.

A escrita da Amanda é simples, leve e fácil, os cenários são muito bem escritos, a única coisa que não me agradou foi que ela parece ter escrito o livro às pressas. Foi um bom livro com uma história divertida, mais espero sinceramente que a trilogia melhore no próximo livro.
WilsonSacramento 10/12/2016minha estante
Ótima resenha!


Jade Ricieri 10/12/2016minha estante
Obrigada Wilson! *-*




Mayara 05/09/2016

É só mais um...
A capa é bastante atraente. A proposta também, no entanto ela é mal aproveitada. Quem são os trolls? De onde vieram? Espere um pouco... trolls que possuem poderes?

O livro não é profundo e livros assim não me prendem. Tem muita enrolação e o clichê juvenil também está presente. Não consegui simpatizar com nenhum dos personagens. Achei que o livro traria uma trama repleta de mistérios e cenários típicos de uma boa fantasia, mas não é bem assim.

Ele não chega a ser um livro ruim, mas é só mais entre muitos outros.
Yngrid.Rodrigues 07/07/2017minha estante
undefined




Shei 04/05/2016

Trilogia Trylle - Trocada
Fato, eu não sabia o que esperar em relação a esse livro. A idéia de uma história sobre Trolls me chamou a atenção por eu nunca ter lido nenhum livro sobre esse tema e também por ele não ser comum. Resolvi dar uma chance, e a satisfação de não ter me decepcionado foi grande.
Não posso dizer que sempre gostei do livro, principalmente no começo, a protagonista me deixou um pouco duvidosa em relação a continuar o livro, pois quando mostra a história de Wendy aos seus seis anos, ela se mostrou uma criança chata e daí eu já fiquei com um pé atrás, mas quando a história chegou ao presente da Wendy, ela aos poucos foi me convencendo a gostar dela e eu fui entendo o seu lado na história... Continue lendo no meu blog

site: http://why-angell.blogspot.com.br/2016/05/resenha-livros-trilogia-trylle-trocada.html
comentários(0)comente



Lanny 12/03/2016

Lido com spoiler
Depois de algumas decepções com algumas séries/trilogias, eu adquiri o hábito de ler resenhas antes de ler os livros e ainda bem, porque o romance de Wendy e Finn eu do tipo que eu não entendo como não dá certo depois, e se por acaso não for pra ser no fim da série, eu prefiro ficar sabendo de antemão para não criar expectativas e me frustrar depois.

Fora isso, a história é diferente, mas tem uma coisa que eu não gosto. Todo mundo sabe das coisas menos a protagonista, e como ela é a pessoa que conta a história a gente fica sem saber também. No mais tudo legal.
comentários(0)comente



Mônica 05/02/2016

Trocada
No inicio do livro achei que seria mais um livro lixo, mas superou minhas expectativas. É um daqueles raros livros que vc não consegue parar de ler e quando os compromissos pessoais obrigam a isso, a sua cabeça fica ainda lá no livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bia 26/10/2015

Ótimo.
Um dos melhores livros que li, to adorando a trilogia, comprei pela capa que me conquistou pq isso conta muito. Ai comecei a ler não parei mais, terminei em menos de 2 dias. Muito bom msm recomendo.
comentários(0)comente



LPHanna182 28/06/2015

E se tudo na sua vida fosse uma mentira?
Comprei o livro porque gostei da capa haha, não esperava muito dele não, mas confesso que a história é boa, é uma leitura gostosa de acompanhar. Gostei da Wendy (princesa trylle) ela não é aquelas garotas melodramáticas que quase todos os livros apresentam, amei Rhys, ele é uma figura (vocês vão conhecer ele, não vou falar muito se não vira spoiler), Finn é um fofo, um dos melhores personagens. Pensei que Willa fosse um saco, mas me enganei, ela é ótima também e super, hiper, mega, gostei do Tove, ele é meio perturbado e tal, mas eu super achei ele incrível. É as mães desse livro são tensas hein, o que falar de Elora e Kim, deus me livre das duas rsrsrs. Até os personagens (Wendy e Rhys) do livro gostam de Senhor dos Anéis, fizeram até maratona da trilogia, ponto pra eles. Pensei que os bebês humanos eram mortos após as trocas (creepy), ainda bem que não aconteceu isso. Finn e suas frases de biscoitos da sorte foram um tanto hilário. Matt e Maggie também são ótimos personagens, pena que tiveram pouca participação, assim como Rhiannon. Os Vittra (bad guys) parecem assustadores, no final do livro tem uma pequena parte focada neles, parece que vão dar muito trabalho, e tem um tal de Loki, fiquei curiosa em relação e ele já que o mesmo não tinha aparecido no inicio da historia, já quero ler a continuação para ver a partipação do garoto que parece ser bastante badass Enfim, foi uma boa história na minha opinião.
comentários(0)comente



Sheylla 31/05/2015

Muita coisa parecida com alguns livros que já lemos por ai. Antes de começar a leitura de Trocada eu não sabia que estaria lendo de novo algumas dos livros juvenis que já tinha lido antes.
Wendy tem 16 anos a quando tinha seis anos sua mãe tentou matá-la no seu aniversário. Ela a acusava de não ser sua filha de verdade e Wendy teve que viver apos isso com seu irmão mais velho e sua tia, enquanto sua mãe passava os restos dos anos internada num hospital psiquiátrico.

"Que tipo de criança você é, Wendy?- Ela caminhava vagarosamente pela cozinha, vindo em minha direção. A faca em sua mão parecia bem mais ameaçadora do que alguns segundos antes.
– Você certamente não é minha filha. O que você é Wendy?"

Wendy era diferente dos outros em todos os sentidos, era vegetaria, não gostava de usar sapatos e tinha um poder de persuasão muito estranho, o que fazia com que as pessoas fizessem o que ela queria com muita facilidade. Na sua nova escola ela conhece um rapaz misterioso (suuuuuper cliché) e ele está sempre encarando Wendy, como se tivesse analisando quem ela realmente era.

Numa noite em questão, Wendy sai para dar uma volta pela rua e acaba por ser atacada por uma jovem e outro homem que queria levá-la para onde ela não sabia, mas por incrível que pareça Finn chega para salvá-la e decide contar toda a verdade sobre a sua origem sobre a vida de Wendy. Na realidade ela não é mesma filha de sua mãe, ela foi trocada para ser criada pela família de humanos para que depois voltasse para a comunidade dos Trylle com a fortuna que herdaria de seus pais hospedeiros. Na realidade ela é a princesa dos Trylle e vai herdar o trono e comandar a comunidade após a sua coroação.

Finn, que além de ser o responsável pela volta de Wendy para os Trylle também é o seu tutor, responsável pela adaptação dela na sua nova vida e treinamento para ser uma princesa completa. Essa proximidade dos dois acaba por ser tornar algo mais, que é uma coisa impossível de ir para frente já que a realeza não pode se envolver com as classes mais baixas, caso isso aconteça os dois seriam banidos do reino. Mas esse não é o maior problema de Wendy, a ameaça dos Vittra de invadir o reino também é constante. Apesar de todos esse problemas, será que Wendy vai ser capaz de se tornar uma princesa digna para herdar o trono dos Trylle?

site: http://www.loucura-literaria.com/2015/05/resenha-trocada-amanda-hocking.html
comentários(0)comente



Sah (Blog Pérolas Literárias) 28/05/2015

Resenha – Trocada.
Sinceramente, esse livro me decepcionou em muitos sentidos. Esperava mais e não consegui me identificar com nenhum personagem, o que é uma pena.

A protagonista Wendy sempre se achou diferente, até que descobriu o que de diferente ela tinha. Um dia, em sua festa de 6 anos, sua mãe tenta assassiná-la afirmando ser ela um monstro. O irmão de Wendy, Matt, a salva de ser morta pela própria mãe. Isso muda a vida dos dois irmãos.

"Que tipo de criança você é, Wendy?- Ela caminhava vagarosamente pela cozinha, vindo em minha direção. A faca em sua mão parecia bem mais ameaçadora do que alguns segundos antes.
– Você certamente não é minha filha. O que você é Wendy?"

Wendy, após ter sido expulsa de vários colégios, decide que irá se adaptar a essa nova escola para dar algum sossego a sua tia e a seu irmão. E é nessa escola que a moça passa a conviver com Finn Holmes.

Wendy percebe que o rapaz não tira os olhos de cima dela e isso a irrita demais. Decide confrontá-lo para saber qual é o problema dele com ela.

E é depois desse confronto que Wendy descobre que viveu 17 anos de uma vida que não era sua. A pergunta é: Quem é Wendy? E qual é sua verdadeira origem?

Acho, em minha opinião, que o livro levantou muitas perguntas e não houve respostas para a maioria. Mesmo sendo uma série achei o primeiro livro muito fraco.

Wendy se mostrou uma moça sem opinião forte. Ela sabe o que precisa dizer, mas prefere adiar o confronto e o resultado é que nunca fala nada.

Amanda Hocking nos apresenta no início do livro a uma protagonista de personalidade forte e que do nada, puft, some. Cadê a garota impetuosa e voluntariosa? Virou abobora antes do badalar da meia noite. Sobrou uma caricatura, isso sim. Ri de raiva em muitos momentos durante a leitura. Melhor rir que chorar.

Também achei o romance fraco e nem sei se posso dizer que houve realmente um grande romance. Esse dito cujo só resolveu aparecer quase no fim do livro. Não que ele precisasse ser o foco do livro, mas ficou uma promessa de que ia acontecer e não aconteceu, como muitas coisas na verdade.

Não pensem que só existem Wendy e Finn nesse livro, mas é que os personagens não foram carismáticos para mim e não ficaram gravados em minha cabeça. Salvo Rhys que é um fofo adorei ele, mas como o moço não é o “mocinho” ele não teve um foco tão grande assim.

Quando Wendy é atacada pelos Vittra, a situação fica complicada. Agora, eu até entendo porque eles a querem. Mas não ficou claro o motivo dos ataques. Isso poderia ter sido melhor trabalhado ou aproveitado não sei, mas para mim esse livro deixou a desejar.

Enfim não amei, mas recomendo sim o livro porque a série tem potencial e espero que as muitas questões levantadas sejam esclarecidas.

O livro é para todas as idades não vou especificar uma idade, pois qualquer pessoa pode ler e gostar, ou não, vale a tentativa.

site: http://nosleitoras.com/resenha-trocada/
comentários(0)comente



Cicy 13/12/2014

Quando vi a capa desse livro, juro que na mesma hora pensei ‘’preciso ler’’ e não me arrependi de ter comprado. O livro conta a história da Wendy, uma menina que passou sua vida inteira se perguntando por que era tão diferente de todos a sua volta, ela se sentia diferente, ela sentia que tinha habilidades diferentes. Agora com 17 anos, um cara estranho em sua escola começa a persegui-la, observá-la e ela não poderia imaginar a que mundo aquele garoto poderia leva-la.

Quando ela descobre que é uma changeling ela não tem escolha e tem que largar o que chamo de ‘’família temporária’’ para ir morar com sua verdadeira mãe. Só que além do trauma de descobrir que é uma changeling ela descobre que sua mãe é nada mais, nada menos que a rainha de Forening, capital dos Trylle. O livro é uma espécie de diário da princesa com folclore e magia no meio.

Ela se pega no meio de uma grande confusão, há problemas internos ocorrendo, mas ela não faz ideia do que está acontecendo ali. Fiquei MEGA irritada porque NINGUÉM conta NADA para ela, ela pergunta, ela quer saber e ninguém fala do que realmente está acontecendo e ainda por cima todos a tratam como se ela fosse obrigada a saber todos os costumes e como uma princesa deve se portar dentro daquela sociedade, sendo que ela acabou de chegar ali e antes ela era só uma adolescente excluída na escola.

A história parece clichê a princípio, mas é bem empolgante, amei o universo criado pela autora. A escrita da autora é bem cativante, você consegue ler rápido e ao mesmo tempo não quer que o livro acabe. Ela consegue te envolver e tem uma maldição do final do capitulo, ele sempre acaba de um jeito que você necessita ler o outro em seguida.

Sobre os personagens, confesso que não curti muito Wendy, a maneira como ela agiu a tudo o que estava acontecendo me irritou um pouco, mas acho que isso é característica chave de mocinha de livro Y.A, ser irritante. O Finn é incrível, eu simplesmente o amei, mas ao mesmo tempo às vezes tenho vontade de mata-lo pela maneira que ele trata Wendy, mas sei que no fundo ele sofre. Elora, mãe verdadeira de Wendy, eu senti muita raiva dela por muito tempo, mas aos poucos a gente entende os motivos dela e porque ela é tão fria. Enquanto aos personagens secundários, eu gostei mais deles do que dos principais.

A autora teve o cuidado ao nomear cada tipo de changeling e fez alterações em relação aos trolls, mas eu particularmente gostei. Adorei a classificação de quem vive na sociedade changeling, o sistema funciona como uma espécie de monarquia inglesa misturada com o sistema de castas da Índia. Uma sociedade a parte no EUA.

Apesar de alguns altos e baixos na estória em si, eu adorei o modo como a Amanda escreveu e apresentou o livro para a gente, e fiquei bem empolgada para ler o próximo, confesso que continuo não curtindo a Wendy, mas vale a pena aturá-la pela história em si.

site: http://www.apenasumahistoria.com
comentários(0)comente



Mandy 22/08/2014

Resenha do livro Troca de Amanda Hocking
Trocada não é mais um livro de ficção por ai. O que me impressionou foi o fato de trazer um tema diferente de vampiros ou bruxos. Algo inovador para o ramo.
O livro conta á história de Wendy uma garota de 17 anos que não consegue se encaixar. Sua família formada apenas por seu irmão mais velho Matt e sua tia Maggie, já que o pai de Wendy morreu quando ela era pequena e sua mãe está internada,está sempre se mudando na tentativa de char um lugar onde a menina se encaixe.
No meio de suas preocupações em tentar terminar o último ano no colégio, Wendy conhece Finn, um rapaz bonito e misterioso que parece sempre encará-la. É ao lado de Finn que Wendy descobre a verdade sobre si mesma e embarca em uma grande aventura, deixando tudo o que conhece e ama para tráz e mergulhando no desconhecido.
Se está a procura de distração e cansada de ler sobre vampiros, a triologia Trylle é uma boa opção.
comentários(0)comente



Liachristo 08/07/2014

Trocada - Trilogia Trylle - Amanda Hocking - Editora Rocco
Wendy Everly não é uma menina comum. Ela quase não toca comida, e metade do que ela faz ou come, ela despreza. Quando ela tinha seis anos de idade, sua mãe tentou matá-la, porque estava convencida que Wendy não era a sua filha, era uma monstra e que fora trocada no nascimento.

Por mais estranho que pareça, sua mãe resolveu trancar-se em um asilo onde ela fique em segurança e não possa mais tentar prejudicar Wendy, mas continua acreditando que Wendy não é sua filha verdadeira.

À medida que ela cresce, Wendy fica cada vez mais convencida de que sua mãe poderia ter dito a verdade. Ela tem uma estranha capacidade de influenciar as decisões de outras pessoas, e embora isso aconteça acidentalmente, ainda é perigoso e muito estranho.

Quando Finn um lindo jovem aparece em sua janela uma noite, dizendo-lhe que ela é de fato um troll, o pior pesadelo de Wendy se torna realidade. Sua mãe estava certa o tempo todo: ela não é humana. Pior do que isso: ela é um troll.
Na lista gigante de criaturas sobrenaturais que você conheçe, trolls não são os seres mais comuns e nem com padrão de aceitação dos mais elevados.

Depois de escapar de um ataque do mal, Finn leva Wendy para um mundo secreto, a terra dos trolls, para seu total desgosto. Lá Wendy encontra sua verdadeira mãe, que passa a ser a Rainha dos Trolls. Não só sua mãe não demostra nenhuma emoção por ela, como parece que ninguém por lá está propenso a muitas emoções.

Wendy se esforça para se adaptar ao seu novo estilo de vida como uma princesa, a ser vigiada dia e noite e ser presa no meio de uma guerra acontecendo entre duas tribos de Troll que são rivais. E no meio de tudo isso, ela também consegue se apaixonar ...

Quando vi o livro Trocada pela primeira vez, confesso que o que me atraiu logo de cara foi a sua linda capa. É sou dessas que compram livros pela capa. kkk
Em seguida ao ler a sinopse, fiquei imediatamente intrigada, já que nunca tinha lido nada envolvendo Trolls. Depois de pesquisar um pouco sobre a autora, descobri que Amanda Hocking , é considerada a rainha da auto-publicação, uma autora que conseguiu vender mais de um milhão de cópias de seus livros ... por conta própria. Claro que eu tinha de lê-lo e ver o porque de tanto sucesso.

Este livro não me decepcionou, mas achei que a história poderia ter rendido muito mais. Com trolls como as principais espécies de interesse sobrenaturais, fui imediatamente atraída pelo inédito e diferente. Definitivamente o universo YA não está inundado de livros que envolvam personagens trolls. Wendy é uma personagem principal simpática, especialmente porque ela tem um monte de manias divertidas que revelam sua verdadeira herança, mas acho que poderia ter sido melhor desenvolvida. O livro é contado em primeira pessoa, pela personagem.

Eu também gostei de Finn. Ele tem vida própria dentro da história. Ele é misterioso, perigoso, escuro e sedutor. Ele também faz fronteira com ser um perseguidor, pois ele guarda Wendy praticamente dia e noite, de uma forma até obsessiva, mas pelo menos ele tem um motivo para isso.

Neste livro não temos muita ação. Acumula-se a tensão para o que está por vir, e nos introduz ao mundo de trolls, os personagens e suas dinâmicas. O que compensa essa falta de ação, porém, é o estilo de escrita envolvente de Amanda Hocking e seu senso de humor. Eu ri em voz alta várias vezes durante este livro, o que é uma ótima coisa. Eu amei alguns dos comentários de Wendy, e Finn joga seu sarcasmo muito bem. O humor realmente é um ponto adicional para este romance.

O romance que rola entre os personagens principais está incrível. O vínculo entre Wendy e Finn é claro desde o início e, apesar de várias vezes eles parecerem se desentender, é óbvio que eles compartilham uma conexão real. Quando eles se beijam, a paixão praticamente sai das páginas.

A Editora Rocco fez um belo trabaho de revisão. A diagramação, a cor das páginas, as fontes escolhidas proporcionam uma boa leitura. Amei a capa. Achei linda.

Trocada é definitivamente um livro diferente e um começo interessante para a série. Se você é um fã de YA, gosta de fantasia e gostaria de conhecer o inexplorado mundo dos trolls, então esta é uma excelente escolha.
Bjus


site: http;//www.docesletras.com.br
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3