No Escuro

No Escuro Elizabeth Haynes




Resenhas - No Escuro


305 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Jessica Becker 20/11/2021

No Escuro
Originalmente publicado em 2011, "No Escuro" é um livro pesado que demonstra as etapas de um relacionamento abusivo e seu impacto na vida dos envolvidos.

Na obra, Cathy é uma mulher reservada que sofre de TOC e perde horas de seu dia fazendo verificações nas portas e janelas de casa. Mas nem sempre foi assim. Poucos anos antes, era uma jovem alegre que gostava de curtir a vida de solteira e sair com os amigos para dançar, beber e flertar. O que desencadeou a drástica mudança?

Intercalando entre passado e presente, "No Escuro" não tem por objetivo saber "o que" aconteceu e sim "como" aconteceu, uma vez que fica bem claro no início da trama qual assunto ela aborda. Com cenas bastante gráficas, a autora demonstra etapa por etapa do desenvolvimento de um relacionamento abusivo e como é difícil para a vítima romper com o ciclo de violência. Isso tudo sem tentar relativizar as atitudes do agressor, nem justificá-las (coisa que já vi em outro livro da mesma temática).

Quanto aos transtornos sofridos pela protagonista no tempo presente, foram muito bem trabalhados pela autora. Desde os sintomas até o modo como eles afetavam a rotina de Cathy são condizentes com a realidade dela.

Minha única ressalva em relação ao livro é que alguns trechos me pareceram repetitivos. Fora isso, é uma obra excelente que merecia ser mais conhecida.
comentários(0)comente



Morgs 13/11/2021

Um livro bem descritivo e cheio de gatilhos, mas extremamente essencial para nos ajudar a enxergar o quanto relacionamento abusivo vai muito além da violência física.
comentários(0)comente



maju 11/11/2021

um pouco longo demais e não curti muito o final, sendo sincera.
no geral, é uma leitura boa. só não chega a ser ótima.
comentários(0)comente



Fonseca 18/10/2021

pesado
o livro é bom, a leitura é fluida pelos capítulos alternados entre passado e presente mas confesso que só me prendeu no final, já parecia meio óbvio o que tinha acontecido desde o início do livro. No geral o livro é bom, mas não recomendo muito, ele é extremamente pesado então acho válido dar uma olhada nos possíveis gatilhos antes de ler
comentários(0)comente



Lais Souza 27/09/2021

Essa leitura foi um tanto sofrida, não tem nada de novo, é uma narrativa sobre uma mulher que foi quase assassinada em um relacionamento abusivo, a história é contada por capítulos alternando o presente e o passado, no presente a gente descobre que ela tem TOC e transtorno pós traumático e como ela está levando a vida depois do trauma, no passado a gente vê como eles se conheceram e como o relacionamento progrediu, é basicamente isso, nada mais acontece, não tem grandes reviravoltas nem acontecimentos grandiosos. Uma coisa que gostei nesse livro foi o realismo nas descrições do começo de um relacionamento abusivo, as pequenas coisas que ele fazia dando indícios de ser uma pessoa violenta e controladora e ela sem perceber ou deixando pra lá por estar apaixonada, chegando ao ponto de ele paralisar ela totalmente isolando-a de todo mundo inclusive colocando as próprias amigas contra ela. Acho que o final poderia ter sido melhor, a autora passou tanto tempo descrevendo situações repetidas e no final deixou tudo muito rápido, os capítulos que narram o desfecho poderiam ser um pouco maiores. No geral eu gostei da leitura não tanto como entretenimento mas mais como um alerta mesmo. Existem nesse livro gatilhos de violência extrema.
comentários(0)comente



Natália 25/09/2021

É um bom thriller, os capítulos alternados entre alguns anos foi bem interessante e por serem curtos deixou a leitura super fluída. gostei do mistério, da vibe "não confie em ninguém"
comentários(0)comente



Adriana 20/09/2021

Sufocante
Um thriller muito bom!
Escrito em primeira pessoa, se passa em dois tempos, 2003/04 e 2007/08, e ficamos sabendo aos poucos o que aconteceu e suas consequências.
Livro tenso, tive que dar umas paradas para respirar!
Como ficamos sabendo de tudo pela perspectiva da protagonista, vamos ficando curiosos para descobrir o que realmente aconteceu.
Gatilho de abuso, violência e TOC.
Personagens: Cathy, Lee, Stuart, Sylvia
Local: Londres - 2003/04 - 2007/08
@driperini
comentários(0)comente



Vini 09/09/2021

Gostei mesmo não sendo meu tipo de leitura
Sim, gostei mesmo não sendo meu tipo de leitura pois a autora conseguiu trazer um tom de suspense e agonia para muitos capítulos.

A escrita dela é muito boa e as informações dadas de pouquinho em pouquinho nos prende na história.
comentários(0)comente



Nanda 06/09/2021

Traumas
Cathy era uma mulher forte e independente que vivia uma relação perfeita com Lee. Porém Lee começou a apresentar comportamentos possessivos, o que deixou Cathy com medo e após um evento traumatizante onde nem suas amigas acreditaram nela, Cathy se vê sozinha.

Agora, Cathy é uma mulher cheia de marcas e traumas. Mesmo após a prisão de Lee e estar vivendo uma nova vida, Cathy não consegue esquecer o passado e seguir em frente.

Eu gostei bastante da leitura e tenho que dizer que Stuart foi um dos melhores personagens. Durante todo o livro, tive um misto de raiva, alegria e revolta pelas situações vividas por Cathy.
Porém só não dei cinco estrelas porque achei o final bem corrido e teve algumas cenas do passado que poderiam ter sido explorados.
comentários(0)comente



Bree 02/09/2021

Necessário
Esse livro traz a tona como um relacionamento abusivo funciona, como a personagem se ve presa a um homem violento e nao ve saída. É pesado mas retrata a realidade que muitas mulheres passam e mostra como é difícil sair de um relacionamento assim e se recuperar com cicatrizes. Livro ótimo que nos faz refletir.
comentários(0)comente



Micheli Ribeiro 21/08/2021

Alerta gatilho
um livro que aborda relacionamento abusivo, violência doméstica, muitos traumas e transtornos. é pesado, cru, denso, e tem que ter muito estômago para chegar até o final. é uma história mais lenta, pode não agradar a todos
comentários(0)comente



Aline 21/08/2021

Que livro fantástico!! Muito bem escrito! Mas não recomendo a leitura pra quem já sofreu um relacionamento abusivo! Da muito medo e ansiedade!
comentários(0)comente



Bruna Cândido 05/08/2021

Leia tomando muito chá de camomila pra te acalmar...
Brincadeiras a parte, No Escuro é um thriller psicológico amedrontamente realista.
Esteja preparado pra longas descrições dos "rituais" de uma pessoa com TOC, narrações explícitas de violência e muita angústia.
Achei a construção do vilão/agressor muito verossímil, algo que nem sempre acontece nesse estilo de enredo e contribui muito para causar o impacto necessário.
Fiquei realmente ansiosa lendo esse livro. No final confesso que me emocionei. Recomendo, escrita fluida e história envolvente.
comentários(0)comente



Thainara.Dias 06/07/2021

Perfeito!
O livro se passa em dois momentos, um no presente onde Catherine tem que lidar com o medo de Lee acabar voltando e fazer mal a ela, e o outro momento onde ela relata como conheceu Lee e um pouco da sua vida no passado.
Catherine encontra o homem que todas as mulheres desejam: o homem perfeito aparentemente. Porém com o passar do tempo ela percebe que Lee o homem perfeito, não tem nada de perfeito, e que ele é extremamente controlador, perseguidor e que adora jogos mentais.
Catherine e suas amigas vêm de uma vida de farras, bebedeiras e aventuras como, por exemplo, acordar na cama de um desconhecido na manhã seguinte, entre outras coisas.
Catherine ao perceber esse lado de Lee ela tenta contar para suas amigas, e pensando que elas poderiam ajudar lá a se ver livre desse relacionamento, mas todas dão as costas para Catherine e pior sua melhor amiga Silvia tem um caso com Lee.
Lee é tão louco que simulou que Catherine estava conversando com um amigo do passado e que esse amigo estaria oferecendo um trabalho para Catherine em outra cidade. Mas isso apenas era mais um jogo de Lee.
Depois que Lee armou para Catherine sofre o emprego falso ele espancou e estrupou ela. Com isso Lee acaba preso.
Com toda essa perseguição, Catherine acaba desenvolvendo alguns traumas e transtornos como o TOC. Ela tem horários para tomar chá, dias que pode sair de casa para ir ao supermercado por exemplo, tem uma rotina de verificações assim que chega em casa, sabe a posição de todos os talheres...
Lee já havia matado sua ex namorada Naomi e no final do livro ele mostra para Catherine onde o corpo de Naomi esta enterrado.
Lee era policial para dificultar ainda mais a vida de Catherine.
Catherine no livro fala uma frase bem marcante, e que eu acho que retrata a situação de mulheres que passam por relacionamentos assim: - Sempre achei que mulheres que continuavam levando adiante um relacionamento violento e abusivo só podiam ser umas idiotas... claro que é simples assim, apenas vá embora, afaste-se dele.
Aaah já estava esquecendo de falar sobre a tara de Lee pela cor vermelha.
Em meio a isso tudo Catherine acaba conhecendo o Simon um psicólogo que de inicio só queria ajudar Catherine parar com as verificações das portas e com o medo de achar que está sendo perseguida. Mas mais do que isso acontece, eles acabam se apaixonando, e Simon sempre tenta ajudar Catherine, de todas as formas.
comentários(0)comente



Dai @veraaode92 04/07/2021

Provavelmente, No Escuro foi o livro mais difícil que já li. Cada capítulo era um soco no estômago, que por um lado me deixou muito assustada. Mas que por outro, foi extremamente essencial para meu conhecimento como pessoa, mas principalmente como mulher. Quando você entende e para de julgar uma vítima em um relacionamento abusivo, este livro vai te deixar incrivelmente perturbado. Num bom sentido.

Catherine sai para se divertir, tem um ótimo trabalho, e leva uma vida muito feliz. As coisas ficam ainda melhores quando ela conhece Lee, um homem charmoso e agradável que está entrando na sua vida para transformá-la completamente. Cathy não é feliz. Ela tem transtorno obsessivo compulsivo, enquanto não tem certeza de que está mesmo segura, ela não fica em paz. Seu principal obstáculo é ter certeza absoluta que a porta está realmente trancada, mesmo que para isso ela precise conferir mais algumas vezes após ter acabado de trancar. Catherine e Cathy são as mesma pessoa. Antes e depois de Lee.

"Eu queria ver TV. Mas o pânico persistia, apesar de eu tentar ser racional, apesar de dizer a mim mesma que fizera tudo, verificara tudo, que não havia nada com que me preocupar, o apartamento estava protegido, eu estava segura, mais um dia em segurança dentro de casa."

"São momentos assim que identifico como perigosos. O medo que permeia minha vida de repente atinge um patamar mais elevado e minha exitsência se torna um esforço inútil, um desafio árduo demais."

"Sempre achei que mulheres que continuavam levando adiante um relacionamento violento e abusivo só podiam ser umas idiotas. [...] Que motivo elas teriam para continuar? E eu já vira mulheres na televisão ou em revistas dizendo coisas como "Não é tão Simples assim", e eu sempre pensava, claro que é, é simples, sim — apenas vá embora, afaste-se dele.
Somando-se a esse momento de percepção, um momento pelo qual eu já passara, notei que se afastar não era uma alternativa simples, afinal de contas."

Eu tinha o mesmo pensamento de Cathy, é tão simples. Foi o que eu sempre disse. Não vivi isso na pele, Graças a Deus, mas Elizabeth Haynes abriu meus olhos da forma mais bruta possível, e por isso este livro se tornou tão importante para mim. Jamais esqueci o que eu li nele, e por isso sempre gosto de indicá-lo para todo mundo que pensa como eu pensava, ou que tem interesse no assunto. Mas, mesmo se você não se enquadra nesses dois casos, te indico mesmo assim.
comentários(0)comente



305 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |