No Escuro

No Escuro Elizabeth Haynes




Resenhas - No Escuro


307 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Juu 28/03/2021

Intenso
?Como dizia meu professor de inglês, se não souber a coisa certa a dizer, então não diga nada?


Mds que livro
duda 28/03/2021minha estante
esse livro mexeu muito comigo, posso dizer o quão infernal foi só de acompanhar ela lutando contra o lee, entrei tanto na neura que quando ela esquecia de conferir um fechadura eu ficava "catherine pelo amor de jeová, VÁ OLHAR ESSA FECHADURA MULHER"


Juu 28/03/2021minha estante
Simmm, falou tudo


Ana Lucia F. Silva 24/07/2021minha estante
Fiquei meio neura depois desse livro. O TOC da personagem entra na mente da gente e a gente começa a viver o medo que ela vive.




Naty 18/03/2013

www.meninadabahia.com.br


Novamente, ouvi meu mantra surgir indesejavelmente na minha cabeça:
Isso não é normal. Não é assim que as pessoas normais pensam.
Mas que se dane afinal, o que é ser normal?
Pág. 26


Imagine que você é solteira, tem 24 anos, adora namorar e ir à baladas com as amigas. Numa dessas baladas você vê o homem mais lindo da sua vida e ele está lhe encarando. Imagine que dias depois você esbarra nele e... ele está lhe convidando para sair. Depois você percebe na sua sorte grande: o cara lindo e atencioso está caidinho por você. Você começa a leva-lo para onde mora, lhe dá copias da chave do apartamento, entre outras coisas. E se esse conto de fadas não existir?

Catherine conhece Lee e ele é tudo que ela sonhou num cara, mas aos poucos ele vai reduzindo sua liberdade. Ela não pode sair com as amigas, não pode sair sem avisá-lo, não pode sair sem ele. Todo seu dia é controlado por ele. Ele não lhe devolve as chaves do seu apartamento. Começa a mexer em suas coisas sem autorização e quando ela tenta tomar a rédea de sua vida, ele começa os espancamentos e os estupros.

Desesperada, Cathy conta para suas amigas o que está vivendo. Ela só não esperava que Lee fosse esperto e já tivesse 'avisado' às suas amigas que ela estava com problemas psicológicos. Todas suas amigas achavam que ela estava louca e ninguém acreditou nela.

Ela estava sozinha e precisava fugir desse louco. Na única vez que planejou e ousou sair do país, sem ele saber, ele foi atrás dela no aeroporto e a arrastou de volta para o apartamento, a algemou, espancou, estuprou e mijou na cara dela. Ela tinha certeza que iria morrer. Certeza. Mas então uma vizinha a socorreu e ela fugiu.

A narrativa é dividida em duas partes capítulos alternados -, passado (onde ela explica como conheceu Lee e o que ele lhe fez) e o presente. Na narrativa presente, Cathy sofre TOC (transtorno obsessivo compulsivo) e TEPT (transtorno de estresse pós-traumático). Ela todo dia confere portas, janelas e os mínimos detalhes do apartamento (antigamente Lee mexia em suas coisas e colocava fora do lugar, discretamente, para fazê-la parecer louca, daí a origem do TOC). Ela usa sapatos baixos e seu apartamento tem duas rotas de fuga. Ela vive com medo do dia em que ele a achará.

De que adiantaria correr, afinal de contas? Não tinha funcionado da última vez, e tampouco funcionaria agora. Eu teria que ficar. Teria que ficar e me preparar para lutar.
Pág. 253

Cathy tem um vizinho, o psicólogo Stuart. Stuart é a única pessoa em que ela confia e não sente medo, e ele a está ajudando a lhe dar com o TOC, embora ele tenha certeza que Lee jamais retorne. Porque ninguém acredita nela quando ela diz que tem certeza que ele a está procurando?

Então, os objetos do apartamento começam a mudar de lugar. Coisas pequenas, como um garfo no lugar da colher, um botão o bolso da calça. Será que Lee retornou? Ela tem duas opções, deixar o medo dominar ou erguer a cabeça e enfrentá-lo.

No escuro, de Elizabeth Haynes (Intrínseca, 336 páginas, R$24,90), mostra o retrato da mulher que foi ao fundo do poço por causa de um homem. Que vivia na escuridão e estava lutando bravamente para encontrar a luz no fim do túnel. O crescimento dessa personagem é digno de admiração. Cathy é mais forte do que pensamos e é uma delícia acompanhar sua história e sua tentativa de se reerguer.

Quando saber que é amor e não obsessão? O que fazer quando o bicho papão mora com você?

Que livro fantástico! Devorei a leitura, fiquei viciada nele. O suspense era tanto que quase me deu falta de ar, eu ficava nervosa e com medo pela personagem principal e pensava: Ai meu Deus, será agora! Adoro leituras que mexem com a gente, que causam certo desconforto, que nos tiram da mesmice. Denso, sombrio, instigante. No escuro tem tudo na medida certa, ação, suspense e romance. Elizabeth Haynes arrasou em seu livro de estreia. Super recomendo!

Rê Lima 24/03/2013minha estante
Você deu 5 estrelas, você gostou do final?


Naty 24/03/2013minha estante
Sim!



Rê Lima 24/03/2013minha estante
Eu perguntei por aquele motivo que te falei. Quando eu dei quatro estrelas, a minha amiga que leu antes de mim disse que tinha odiado o final e outra pessoa também, mas conforme vc me alertou, que leu em pdf perdeu 50 páginas. Agora que falei isso pra ela, ela tá com mais raiva ainda e saiu pra comprar o livro! kkkkkkk
Eu comprei o e-book em inglês dias depois do lançamento na Amazon e só li agora! :D Mas achei ÓTIMO!


Mari 13/06/2013minha estante
O final é o melhor


Andarilha 13/06/2013minha estante
OLA..QUE TAL LER AGORA "NO ESCURO"?
VAMOS LA..NÃO SE ACANHE..BAIXE O LIVRO NO NOSSO BLOG..E SIGA-NOS..ESTAMOS SEMPRE POSTANDO NOVOS LIVROS..
http://booksandsensations.blogspot.com.br/


Laís 28/07/2015minha estante
Ai, estou com uma dúvida.. Estou com o livro em pdf aqui, na versão normal vocês podem por favor me dizer até que data vai? Espero que não esteja faltando 50 páginas pra mim também rs.


Fernanda 04/04/2017minha estante
Nossa moça, você deu spolier de metade do livro. Metade da sua resenha são fatos que aos poucos vamos descobrindo ao longo do livro. E que serve para criar o suspense que é a melhor parte do livro. Pois o leitor se pega pensado que sabe onde vai dá, e o que quase aconteceu, mas continua lendo para poder chegar lá de fato. Então os acontecimentos que você narrou, server para criar essa atmosfera. Você bem que podia ter marcado como spoiler, pois quem vier ler depois meio que já vai saber tudo que aconteceu nas partes da narrativa passada. Fica a dica!


Carol 25/09/2017minha estante
ALERTA DE SPOILER, POR FAVOR!


Luiza.Matos 25/03/2019minha estante
Eu li em livro físico e adorei o final. não poderia ser diferente. :)




Cissa 02/05/2013

Perturbador

O excepcional livro "No Escuro, de Elizabeth Haynes" pela Editora Intrínseca, me custou quatro madrugadas de sono e dias de envolvimento. Em seu primeiro romance, Elizabeth conseguiu ser perfeita, instigante e relatar fatos que estamos acostumados a ler nos jornais e ver nos noticiários todos os dias. Mas, o fez de maneira vigorosa, perfeita e assustadora.

Confesso que sofri muito com Cathy, e que muitas vezes tive vontade de dar-lhe uns tapas para ver se acordava e enxergava o tamanho da encrenca em que estava se metendo. Outras vezes queria colocá-la no colo e falar palavras encorajadoras, e muitas, mas muitas vezes quis lutar por ela.

Cathy conhece Lee, um homem bonito e sedutor. Ela, uma jovem carente de afeto, e muito nova (cerca de 22 anos) e que todas as noites possíveis sai com amigos para se divertir, dançar e se embebedar na esperança de encontrar assim a felicidade. Mas o que ela encontra é sofrimento, medo, insegurança e momentos de puro terror. Desenvolve TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e TEPT (Transtorno de Estresse Pós Traumático). Isso tornará sua vida um Inferno na Terra.

Para mim, leitora, era fácil julgar se ela estava certa ou errada, mas quando me colocava na pele de Cathy, sentia que é muito difícil raciocinar quando estamos acuados, vulneráveis e apaixonados.

Durante a leitura, me vi tramando como eu faria em seu lugar. Quiz ter um taco de beisebol, depois uma arma potente e por fim quisera ter uma bazuca igual ao do Rambo. Me vi usando adrenalina durante a segunda metade da história e por conta dela me privei de sono. Queria ver como acabaria a história que era impossível deixar de ler. Valeu cada minuto deixado para dormir em outro dia.

A escritora foi muito inteligente contando a história em flash backs o que tornou impossível parar de ler e me tornando refém da trama.

Como o mal não é soberano, Cathy consegue ajuda e principalmente, procura se ajudar a reencontrar a vida alegre, saudável e tranquila que tinha antes de conhecer seu obsessor. Se ela vai conseguir ou não, você terá que ler, se envolver, chorar, e vibrar com cada página desse livro que é um primor.

Parabéns, Elizabeth Haynes! E que seu segundo romance venha logo e seja tão excepcional e verdadeiro como foi o seu romance de estréia: "No Escuro".
Elaini 02/05/2013minha estante
Ah, Cissa!! Só vc mesmo para colocar em palavras, tudo o que é ler esse livro!!! Parabéns pela resenha!!!! E, que bom que gostou desse livro tanto quanto eu.....


Cissa 02/05/2013minha estante
Elaini, querida, vc é uma amiga e tanto! Agradeço a sua recomendação para ler o livro, pois embora estivesse em minha estante ele não era prioridade. Fico feliz que tenha gostado da minha resenha e como não é aconselhável colocar spoiler, ficou muito mais a escrever, mas é preferível deixar que os leitores descubram como nós descobrimos essa leitura que é pura adrenalina.
Beijos, querida amiga!


karlasampaio 04/05/2013minha estante
Cissa, já quero ler por causa da sua resenha!!!

Beijo


esterbx 19/08/2013minha estante
Acabei de ler o livro, estou angustiada até agora.
Por quê? porque isso existe e é realidade pra muita gente.
Mas como leitura, realmente foi excepcional.
5 estrelas merecidas, pois vivi o drama da personagem principal em todos os momentos, e é isto o que um livro deve fazer, nos fazer vestir a pele do personagem.
Resumindo gostei muito, li em uma tarde,querendo saber o final, fosse para o bem ou para o mal.
Recomendadíssimo.


Manuella 21/10/2013minha estante
Amei o livro, Cissa! E se tornou um daqueles "não dou, não troco, não vendo, não empresto". Amei sua resenha!


San... 24/11/2013minha estante
Cissa querida, sou obrigada a confessar: odeio ler suas resenhas rs rs rs Cada vez que resolvo "passear" em sua página de resenhas eu quero mais e mais livros e haja bolso pra tanto encanto né? Este e "uns outros" estão indo para minha página de desejados... Embora esse meu "ódio", devo agradecer e muito. Por conta de suas resenhas acabo sempre com excelentes leituras e deixando de lado livros que só me tomariam tempo, obrigada minha querida. Beijos


Cissa 25/11/2013minha estante
San, minha amiga querida, você sempre generosa comigo. Seu carinho e sua amizade, mesmo no meu silêncio causado por motivos alheios à minha vontade, sempre me dão muita alegria.
Quando quiser ler um dos meus livros é só dar um oi que se acaso ele ainda estiver comigo, terei imenso prazer em emprestar prá que você leia.
Grande beijo!


Maria Izabel 23/03/2014minha estante
Cissa esse é o próximo livro que vou comprar , adorei sua resenha, obrigada por comentar pois ele é de grande ajuda na hora das compras , confesso que sempre quando compro um livros recorro a vocês do skoob.


Cissa 24/03/2014minha estante
Olá Maria Izabel! Fico muito feliz e agradecida com seu comentário sobre minha resenha. Realmente procuro sempre passar os sentimentos que as histórias me causam e fico muito feliz em poder dividir com quem ama ler como eu.
Beijos.


Edna 10/11/2014minha estante
está na minha listinha para ler.


Márcia 28/05/2015minha estante
Cissa, sempre procuro o livro depois que leio suas resenhas.Parabéns!




Sandrics - @culturinhas 23/04/2020

Está tudo sob controle. Segurança. Está tudo sob controle? Catherine é uma mulher perturbada pelo TOC, confere todas as portas e janelas seis vezes para ter certeza de que está segura e acalmar sua mente. Faz rotas diferentes cada vez que vai trabalhar, cada vez um itinerário.

Ela nem sempre foi assim. Antes era uma mulher livre, gostava de sair e se divertir sem preocupações. Mas isso foi antes de conhecê-lo. Antes de tudo aquilo acontecer. Agora ela se sente observada e encurralada o tempo todo.

Elizabeth Haynes constrói uma trama que intercala passado e presente, nos mostra uma Catherine diferente em cada momento e aos poucos vai nos revelando o aconteceu no passado, o que causou esse medo constante e essa ansiedade sem fim.

Achei que a autora conseguiu transmitir todas as sensações de Catherine através da escrita e também se preocupou em mostrar que existe um tratamento para o que ela sentia. Que Catherine não precisa ser refém do transtorno para o resto de sua vida.

Esse foi um livro intenso, me deixou muito apreensiva e eu adoro thrillers assim. Com certeza superou minhas expectativas.

site: https://www.instagram.com/culturinhas/?hl=pt
comentários(0)comente



Victoria (Vic) 28/03/2020

Desesperador! Ótimo suspense
comentários(0)comente



Dai @veraaode92 04/07/2021

Provavelmente, No Escuro foi o livro mais difícil que já li. Cada capítulo era um soco no estômago, que por um lado me deixou muito assustada. Mas que por outro, foi extremamente essencial para meu conhecimento como pessoa, mas principalmente como mulher. Quando você entende e para de julgar uma vítima em um relacionamento abusivo, este livro vai te deixar incrivelmente perturbado. Num bom sentido.

Catherine sai para se divertir, tem um ótimo trabalho, e leva uma vida muito feliz. As coisas ficam ainda melhores quando ela conhece Lee, um homem charmoso e agradável que está entrando na sua vida para transformá-la completamente. Cathy não é feliz. Ela tem transtorno obsessivo compulsivo, enquanto não tem certeza de que está mesmo segura, ela não fica em paz. Seu principal obstáculo é ter certeza absoluta que a porta está realmente trancada, mesmo que para isso ela precise conferir mais algumas vezes após ter acabado de trancar. Catherine e Cathy são as mesma pessoa. Antes e depois de Lee.

"Eu queria ver TV. Mas o pânico persistia, apesar de eu tentar ser racional, apesar de dizer a mim mesma que fizera tudo, verificara tudo, que não havia nada com que me preocupar, o apartamento estava protegido, eu estava segura, mais um dia em segurança dentro de casa."

"São momentos assim que identifico como perigosos. O medo que permeia minha vida de repente atinge um patamar mais elevado e minha exitsência se torna um esforço inútil, um desafio árduo demais."

"Sempre achei que mulheres que continuavam levando adiante um relacionamento violento e abusivo só podiam ser umas idiotas. [...] Que motivo elas teriam para continuar? E eu já vira mulheres na televisão ou em revistas dizendo coisas como "Não é tão Simples assim", e eu sempre pensava, claro que é, é simples, sim — apenas vá embora, afaste-se dele.
Somando-se a esse momento de percepção, um momento pelo qual eu já passara, notei que se afastar não era uma alternativa simples, afinal de contas."

Eu tinha o mesmo pensamento de Cathy, é tão simples. Foi o que eu sempre disse. Não vivi isso na pele, Graças a Deus, mas Elizabeth Haynes abriu meus olhos da forma mais bruta possível, e por isso este livro se tornou tão importante para mim. Jamais esqueci o que eu li nele, e por isso sempre gosto de indicá-lo para todo mundo que pensa como eu pensava, ou que tem interesse no assunto. Mas, mesmo se você não se enquadra nesses dois casos, te indico mesmo assim.
comentários(0)comente



Dan 04/03/2021

"Não foi ficar sentada naquele quarto esperando que ele voltasse para me matar. Não foi ter sido agredida, não foi a dor, nem mesmo o estupro; o pior foi que depois, ninguém, nem sequer minha melhor amiga, acreditava em mim."
Quando comecei este livro, eu já sabia o que leria, mas acho que nunca estamos preparados para ler algo assim, né? Eu vejo sempre casos semelhantes na tv e fico abismada, porém, ler um livro com tantas descrições gráficas são tão terríveis quanto.

O livro vai relatando a história de Cathy uma mulher que teve sua vida totalmente arruinada após conhecer Lee Brighman, aparentemente o sonho de consumo de qualquer um. No entanto, conforme vai conhecendo - o mais, percebe que ele nada mais é do que um sádico. E quando tenta contar as amigas, ela é questionada, chamada de ingrata e desacreditada pelas mesmas, pelo fato do Lee ter manipulado-as.

 Essa parte me deixou tão puta, sério, é de se imaginar que estranhos fossem fazer isso, não acreditar na vítima e tal, ainda mais porque o cara é policial. Sei que ele tinha lábia e soube fazer a cabeça delas, porém elas deveriam ter acreditado nela independente de qualquer coisa, sabe, elas eram amigas de Cathy há tanto tempo, como não sabiam que ela não se machucaria? Como preferiram acreditar em alguém que tinha chegado há tão pouco tempo, e não o questionaram?

Como se isso não bastasse, uma do grupo de Judas, só acreditou quando pegou o próprio, porque ele fez justamente o que já havia feito anteriormente. Essa eu até dou uma relevada, pois ninguém merece passar pelo inferno, todavia acho que a Cathy não deveria ter continuado a amizade com ela após se resolverem.

Depois disso, o que mais deixou chocada, além das cenas de estupro, foi quando ele corta ela toda parecendo ser autoinfligidas para torná-la instável mentalmente, e uma outra quando ele diz "você está um horror, não consigo te comer assim". Isso para mim, foi umas das piores coisas, pior até que a presepada das Judas.

Felizmente, ela saiu de tudo aquilo, e encontrou Stuart, alguém bom que a ajudou com o toc dela e fez o que as amigas de taubaté não fizeram.

A única parte de que não gostei é que não é um livro tão fluído, eu demorei para caramba para terminar esse livro, até cogitei em desistir. Dito isso, devo falar que gostei. Não da violência, obviamente, mas a forma como ela conseguiu construir um enredo tão fiel ao que muitas de nós passamos diariamente. 

Ps: Quem for sensível a temas a de estupro ou qualquer outro tipo de violência, melhor passar longe, as cenas são extremamente gráficas
comentários(0)comente



JANA 26/08/2020

Recomendo
Eu gostei bastante. Mexeu comigo, me deixou com vontade de vingança não só por Lee, mas por sua melhor amiga também e posso dizer que nessa parte fui um pouco correspondida com um reencontro, porém esperei uma surpresa maior que não chegou.
comentários(0)comente



Marcianeysa 15/12/2020

Tenso
A história trata de violência doméstica, alternando em dois momentos da vida da personagem. Ela desenvolve um TOC por conta do medo que sente. As vezes a leitura é sufocante.
comentários(0)comente



iammoremylrds 10/09/2020

um livro pesado porém extremamente necessário, me destruiu de um jeito, é um livro que aborda o relacionamento abusivo e que possui diversos gatilhos.
comentários(0)comente



Duda 01/05/2021

Perfeito
Eu simplesmente AMEI esse livro. Ele fala sobre como as aparências enganam, a pouca eficiência da lei para tratar sobre casos de estupro, violência doméstica e abuso psicológico (bem adequado a nossa triste realidade), como a mulher fica destruída após um relacionamento abusivo, e a sua luta para se sentir bem mais uma vez. E esse livro é realmente para chocar, para mostrar o cotidiano de muitas mulheres ao nosso redor, traz cenas muito violentas (muito mesmo), então se você é sensível a esse tipo de conteúdo, aconselho que não leia.
Por fim, acredito que seja um livro essencial, todos deveriam ler para entender pelo menos um pouquinho como essas mulheres sofrem e como elas necessitam de apoio, principalmente de outras mulheres, e como precisamos nos unir para lutar pela sua justiça.
comentários(0)comente



naniedias 21/03/2013

No Escuro, de Elizabeth Haynes
Intrínseca - 333 páginas
Perturbador. Intenso. Doentio.


Título: No Escuro
Título Original: Into The Darkest Corner
Autor: Elizabeth Haynes
Tradutor: Mauro Pinheiro
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-8057-294-0
Ano da Edição: 2013
Ano Original de Lançamento: 2011
Nº de Páginas: 333
Comprar Online: Saraiva / Submarino


Sinopse:
Catherine é uma jovem descolada, tem um emprego bacana, amigas que a adoram e com quem curte sair para festas sempre que possível.
E é em um dos clubes que visita numa noite que conhece Lee: um segurança bonitão e boa pinta. Os dois começam a namorar e apesar dele não contar muito sobre o que faz para viver, ela não vê problemas em seguir com o relacionamento.
Até que o namoro dos dois se transforma em algo doentio.
Algo muito grave acontece e Lee vai parar nos tribunais.

Quatro anos depois, Cathy mudou-se de Lancaster para Londres e ainda não consegue lidar bem com todas as feridas decorrentes do péssimo relacionamento que manteve com Lee.
Ela desenvolveu um sério transtorno obsessivo compulsivo e enxerga o ex-namorado por toda parte.
As coisas realmente pioram, entretanto, quando descobre que ele sairá da prisão. Mesmo tendo Stuart, o novo vizinho gato, para ajudá-la, não será fácil encarar essa nova realidade com Lee à solta.


O que eu achei do livro:
Bom.

Não é possível falar desse livro sem mencionar o quanto sua leitura é perturbadora e intensa. E não em um sentido muito bom. A história realmente me tirou dos eixos, me deu dor de cabeça (literal mesmo - toda vez que penso no livro ou falo dele sinto minha cabeça doer) - mexeu profundamente comigo.
Ainda assim afirmo que o livro é bom.

A escrita de Elizabeth Haynes é viciante. A autora não só escreve muito bem - tem uma leveza na narrativa que compensa a densidade da história que conta - como também soube escolher perfeitamente o enredo e contá-lo de forma magnífica.

A narrativa não é dividida em capítulos, mas em dias. E atenção às datas - porque ela vai intercalando passado (quando Catherine começou a namorar Lee) e presente (no qual Cathy sofre com o TOC).
Esses pseudocapítulos são bem curtos e prendem de forma inescapável o leitor - mesmo que a leitura seja extremamente pesada. Não pela escrita em si, que é bem fluida e suave, mas pelo conteúdo da história.

Os personagens são um presente. Todos extremamente bem delineados - não só em suas aparições no passado, mas também no presente. A escritora não apenas os caracterizou muito bem - com personalidades contundentes e complexas - como ainda fez com que o passado deles tivesse peso significativo em suas atitudes - o que os tornou ainda mais verdadeiros.
Achei fantástica a forma como a autora modifica a forma como sua protagonista é chamada no passado e no presente - uma maneira de mostrar como as duas mulheres são diferentes (embora, não entenda mal, sejam a mesma pessoa) e também uma forma de fazer com que o leitor não se perca durante a leitura.

Na mesma medida que os personagens são um presente, entretanto, o enredo é um chute no peito.
Isso mesmo - a metáfora está certa, por mais estranha que possa parecer e vou explicá-la.
A trama do livro vai fazer seu coração se apertar, doer, vai te dar dor de cabeça e fazer com que queira largar o livro. Mas você não vai fazer isso, porque Elizabeth Haynes foi habilidosa o suficiente para prender seu leitor com mistérios que vão se revelando aos pouquinhos e se mostrando muito intrigantes.

A parte que conta o passado é terrível - fala de um relacionamento doentio, possessivo e também da incapacidade de Catherine se desvencilhar daquilo tudo, por mais que esteja se sentindo mal com a situação. Uma das partes que mais gostei é quando ela comenta que sempre estranhou que as mulheres que não largavam os maridos violentos não fizessem nada para mudar essa situação, mas agora ela se via em um relacionamento que já não fazia bem a ele e entendia perfeitamente o problema de tais pessoas, pois também estava de mãos atadas.

O presente não é menos perturbador. Porque é terrível acompanhar a rotina de Cathy. O TOC é simplesmente insuportável.
Acho que eu nunca havia lido nenhuma história que relatasse de forma tão profunda e tão próxima o problema. Eu me senti na pele da protagonista - sofri com ela tendo que verificar cada canto da casa um determinado número de vezes e em uma sequência pré-definida e ter que refazer tudo de novo caso alguma dúvida inexplicável (e miníma) ficasse para trás. Todo dia. Cada vez que saía ou chegava em casa, mesmo que isso significasse se atrasar para o trabalho ou não ter tempo para mais nada.
Simplesmente porque não é possível não fazer.
E se já foi terrível ler sobre um personagem que tem a doença, fiquei imaginando como deve ser limitador sofrer com tal distúrbio.

Honestamente é angustiante. Ambas histórias são terríveis - e ao mesmo tempo muito gostosas - de se ler.

Eu não sei como Elizabeth Haynes fez isso, mas ela fez. Porque eu odeio esse livro (ele realmente me deixou com dor de cabeça por conta de ser tão pesado) e o adoro ao mesmo tempo.
Recomendo muito para quem gosta de policiais ou está curioso quanto a esse história tão singular..


Nota: 7


Leia mais resenhas no Nanie's World: www.naniesworld.com
Fernanda 04/04/2017minha estante
Nossa você definiu perfeitamente o que sinto em relação ao livro. Eu amo e odeio ao mesmo tempo. Pelos mesmos motivos. O livro é muito pesado, e ao mesmo tempo, é perfeito do jeito que é. Pois é muito necessário para contar a estória que temos que vê, ouvir e ler a respeito. E tem tantos fatores que tornam ele únicos, a violência abusiva, física e psicológica contra a Cathy. O TOC, o TEPT, e logico o suspense terrível que a autora criar. Além de falar de todos esses temas super atuais, que é a violencia contra a mulher, os relacionamentos abusivos, e a psicopatia.




Rafa 27/04/2021

Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo... Lee parece bom demais para ser verdade. Com o tempo, porém, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, ela tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Ela agora é uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começa a acreditar que ainda é possível levar uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo.

A autora foi muito criativa em como construiu a narrativa de No Escuro. Ela é dividida em dois momentos. O passado, em que Catherine conhece Lee, e o presente, em que acompanhamos o pós trauma da relação em Cathy. Essa alternância acaba dando um boa dinâmica ao livro!!

A parte do presente foi a que mais me atraiu. Era bem angustiante ver os surtos de TOC e de Síndrome do Pânico de Cathy. Torci muito para que ela conseguisse superar todos seus medos e conseguisse viver a vida normalmente, como era antes!! E sua relação com Stuart foi a cereja do bolo dessa parte.

A parte do passado não foi tão boa assim pra mim. Achei tudo muito enrolado no começo até ela realmente se envolver com Lee. A leitura ficou bem massante. Torcia pro capítulo terminar logo para chegar num capítulo do presente que estava bem mais interessante. As coisas só foram mudar quando realmente o relacionamento deles começou e vemos tudo o que Lee armava para Catherine.

O final de tudo não foi uma grande surpresa pra mim, esperava algo mais impactante. Mas mesmo assim, No Escuro não deixa de ser um bom thriller psicológico que merece sua atenção!!
comentários(0)comente



Não 10/08/2020

Esse livro me surpreendeu! No início acabei até deixando ele de lado por alguns dias, mas quando voltei com a leitura, fiquei impressionada, não tinha vontade nenhuma de parar de ler.
Recomendo muito :)
comentários(0)comente



Carla Sol 08/05/2020

Decepção define!
Acho que fui com muita expectativa, com muita sede ao pote em relação a esse livro e terminei por me decepcionar além da conta.

A história é cansativa, arrastada, repetitiva, gira em torno do relato de um relacionamento abusivo que não traz qualquer surpresa ao final. Do jeito que começa, se continuar a ler, vai terminar exatamente como se imagina.

A princípio, acreditava que seria um super thriller psicológico com reviravoltas instigantes e me deparei com um drama sobre violência doméstica arrastado e mega previsível. Não recomendo.
Fer 08/05/2020minha estante
Eu tenho esse livro, li um tanto mas não lembro se li tudo. Pra vc ver como a história é chata mesmo, hahahaah




307 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR