Trilogia da Paixão

Trilogia da Paixão Goethe




Resenhas - Trilogia da Paixão


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Paulinha 13/11/2013

E amar dói!
"Quão ligeiro a bater de asas do dia,
Parecendo os minutos a empurrar!
Fiel selar da noite, um beijo iria
No sol vindouro assim querer ficar.
As horas transcorriam tão normais
E meigas como irmãs, mas nunca iguais"
(Página 15, in Elegia)

A trilogia é composta por "A Werther" (escrita sob encomenda para celebrar o cinquentenário de Os sofrimentos do jovem Werther), "Elegia" (escrita em setembro de 1823 para Ulrike de 17 anos, tendo o poeta 74) e por "Reconciliação (escrita em agosto de 1823 para a pianista polonesa Maria Szymanovska).

Das 3, "Elegia" é a mais conhecida e perfeita: tem 23 estrofes de 6 versos com estrutura coesa e é, segundo Leonardo Fróes, "um dos espasmos mais trágicos da poesia confessional de Goethe" (página 35). A poesia foi escrita após a jovem Ulrike recusar seu pedido de casamento : nela, Goethe exalta a beleza da amada, compara seus sentimentos com a grandeza da natureza, relembra a doçura dos beijos (reais?) trocados:

"Como por mim à porta ela aguardava
E felizardo aos poucos me fazia,
Após o último beijo me alcançava
E ainda mais um nos lábios imprimia,
Assim, movente e clara, e efígie amada
No coração a fogo está gravada" (página 19)

E chora:

"Só me resta um remédio, o choro infindo." (Página 23)

Trata-se de uma edição bilíngue, com comentários de Leonardo Fróes.

Recomendo a leitura!

site: http://cantinhodaleitura-paulinha.blogspot.com.br/2013/09/trilogia-da-paixao.html
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1