O Massacre da Serra Elétrica

O Massacre da Serra Elétrica Stefan Jaworzyn




Resenhas - O Massacre da Serra Elétrica


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Vinny Britto 12/08/2017

Um Verdadeiro Passeio Pelos Bastidores
Confesso que não é um livro de leitura fácil, pois basicamente se trata de uma grande entrevista .
O legal de tudo é que fala rapidamente de todos os filmes lançados após o original.
Os fãs irão adorar este livro, repleto de imagens raras dos bastidores e várias curiosidades ocultas até então.
comentários(0)comente



Anna 30/08/2016

Um livro muito bom, principalmente para quem é fã do gênero terror
comentários(0)comente



Maísa Andreoli 18/01/2016

"O Massacre da Serra Elétrica" é o primeiro título da coleção "Dissecando", da Editora Darkside (conheça os outros títulos clicando AQUI). A obra demonstra como foram as etapas de produção de um filme de baixo orçamento que modificou as estruturas das produções cinematográficas, mormente em relação ao gênero horror.

Apesar de assinada por Stefan Jaworzyn, a obra é composta, na verdade, de diversos depoimentos dos grandes envolvidos na produção, edição e atuação do filme, dispostos em forma de pequenas introduções dentro dos capítulos, em sequência justaposta.

A edição brasileira inicia-se explicando a tradução errônea do título "The Texas Chain Massacre" no país, que modificou a motosserra por uma serra elétrica, aparelho que necessita de energia elétrica para funcionar. Por força da tradição nacional, os editores da obra optaram por utilizar a expressão serra elétrica no decorrer do livro. O prefácio foi escrito por Gunnar Hansen, primeiro ator a interpretar o temido e insano Leatherface.

O interessante da obra é sua riqueza em material constando informações sobre bastidores, comentários e críticas. O livro foi concluído, originalmente, em 2003, época em que um remake do filme estava em pré-produção. Antônio Timbau e Dalton Caldas, tradutores, produziram os capítulos posteriores sobre a refilmagem, uma prequela lançada em seguida e a nova versão 3D.

site: http://pequenomundodoslivros.blogspot.com.br/2016/01/dica-de-leitura-o-massacre-da-serra.html
comentários(0)comente



Walter 22/10/2015

Uma ótima leitura pra quem curtiu o filme.Aborda obviamente com maior ênfase o filme original,todavia faz um paralelo com as sequências e refilmagens,apontando detalhes interessantes envolvendo os atores e envolvidos.Você mergulha dentro do universo e descobre coisas deveras sinistras sobre as gravações e curiosidades relacionadas às distribuidoras.Muitos fatos que poderiam inclusive acarretar o fracasso do filme.Muito bom para aficcionados pela película e no mínimo bom,pra quem não o for tanto.
comentários(0)comente



Isabella 03/03/2015

O Massacre da Serra Elétrica [Arquivos Sangrentos] foi escrito pelo Stefan Jaworzyn e publicado no Brasil pela editora DarkSide Books em duas edições. Uma é a de luxo, com capa dura e com alguns materiais extras e a outra, a que eu tenho, é em paperback, mas não deixa a desejar de forma alguma. Como todos os outros que eu tenho da editora, o trabalho gráfico é incrível!

Quando comprei o livro, eu imaginava outra coisa. Comprei pensando que seria o enredo, a história do filme, assim como é Psicose, mas na verdade é um livro documentário e isso atrasou minha leitura um pouco. Eu queria ler o livro antes de ver o filme para me surpreender, mas tive que fazer o contrário.

Para quem não conhece o enredo, o filme conta sobre um grupo de jovens que para para pedir ajuda. É bem clichê, na verdade, mas o jeito que foi mostrado revolucionou o cinema. Então, eles encontram essa casa, onde uma família canibal e assassina mora. Assim como Psicose, a história também é baseada no Ed Gein, um dos serial killers mais famosos de todos os tempos.

Em Arquivos Sangrentos, nós ficamos por dentro de como foi todo o processo de criação do filme e de tudo que ele significou para a história do terror. Eu conheci várias curiosidades e achei incrível.

Por causa do baixo orçamento, eles não tinham como refrigerar o set e, no calor do Texas, toda aquela carne estava apodrecendo. A atriz Marilyn Burns foi uma das que mais sofreu, tendo até mesmo desmaiado no set após uma filmagem. Em uma das cenas finais, ela manca pois realmente havia se machucado.

As cenas do filme são tão realísticas pois os atores realmente sofriam com elas. As expressões de dor e nojo eram reais.

"Já que não lavaram nossas roupas por seis semanas, ficou cada vez mais fácil, nos apropriamos do ambiente da família e viramos a família... - Ed Neal"

No entanto, nem tudo que aconteceu com eles foi completamente horrível. Houveram histórias engraçadas também, como a vez que colocaram maconha nos brownies que o elenco, sem saber, comeu. Imagina uma pessoa chapada correndo com uma serra elétrica nas mãos.

Eu adorei conhecer mais sobre o filme, que também adorei depois de ter assistido e recomendo para os fãs de cinema e terror. O livro não fala só sobre o primeiro filme, mas sobre as continuações também. Classifico com quatro estrelas.

site: http://www.entreparagrafos.com.br/2015/02/o-massacre-da-serra-eletrica-stefan.html
comentários(0)comente



Janaína Calmet 31/07/2014

Genial!!!!
Descobri que existem mais filmes do que eu suspeitava.
Um prato cheio para quem quer descobrir o que se passou nos bastidores de todas as películas da "série"!
;)
comentários(0)comente



Jhenifer 25/06/2014

O livro foi lançado pela editora DarkSide e é o primeiro livro da Coleção Dissecando, no qual apresenta os bastidores das principais obras dos clássicos do terror.

O Massacre da Serra Elétrica é um filme de terror independente, de baixo orçamento, dirigido por Tobe Hooper em 1974.
Apresentado como se fosse baseado em uma história real, o filme chocou os censores na época, que proibiram a exibição em diversos lugares.


Escrito por Stefan Jaworzyn, que reúne curiosidades e fatos dos bastidores dos filmes que até então, muitos desconhecem.
O que mais me deixou fascinada com o livro, foi a história contada de Ed Gein, o assassino que inspirou a criação de Leatherface (vilão do filme).
Ed Gein criava coleções com diversas partes dos corpos das suas vítimas, e de corpos que ele roubava nos cemitérios. Coleções como: narizes humanos, máscaras feitos com rostos conservados, cabeças com as partes acima das sobrancelhas retiradas com serra, cadeiras revestidas e forradas com pele humana, uma lata de lixo feita de pele humana, uma caixa de sapatos feita com nove vulvas conservadas, uma cabeça humana, dois crânios montados na cabeceira da cama, dentre outras diversas estranhezas.
Ed Gein não só inspirou Leatherface, como também Norman Bates (Psicose), e Hannibal.


O livro reúne depoimentos de atores, diretores, fotógrafos, e todo tipo de profissionais que tiveram algum envolvimento com os filmes.

Livro bem detalhado e maravilhosamente ilustrado.
comentários(0)comente



Fabricio~Raito 01/10/2013

Destroçando a série, com estilo.
Inicialmente, deixo registrado que é a primeira vez que farei uma resenha de um livro-documentário, e a princípio, a idéia soa com certa dificuldade. O Massacre da Serra Elétrica - Arquivos Sangrentos é um compendium de entrevistas, informações, documentos e fotos sobre todos os filmes da série Serra Elétrica, um belo trabalho da editora DarkSide.
Stefan Jaworzyn reuniu em 320 páginas um emaranhado de curiosidades e fatos que muitos desconhecem, inseridos no universo criado lá em 1974 por Tobe Hooper, com o primeiro filme da série, filme este que é considerado clássico e pioneiro do gênero de slash-movies. Apesar do filme não trabalhar explicitamente com a serra (o próprio título insinua uma derradeira matança banhada a litros de sangue), The Texas Chainsaw Massacre passou por várias complicações no que se refere à censura e exibições no cinema. Tudo no filme é muito implícito, a atmosfera de tensão e suspense, somado à agonia que Leatherface (o psicótico assassino com problemas mentais e máscara de pele humana) exibe com a serra nas suas mãos. A frase nos créditos iniciais que levava o espectador crer que era uma história real, conciliado à forma que o filme foi filmado, no viés cinema-verité (que deixava tudo muito real, parecido com um documentário) fez dele um dos filmes mais aterrorizantes e controverso já criado. E o mais curioso: o filme quase não saiu do projeto, foi filmado com um orçamento vergonhoso e em condições tão precárias que os atores viviam passando mal durante as gravações. Provavelmente, tudo isto fomentou a impressão de que o filme realmente fosse verdade.
Ler os Arquivos Sangrentos te deixa a par de como um filme é realizado: bastidores, pré-produção, as gravações, termos, burocracias de contrato com produtoras e distribuidoras, formação do casting, fotografia, da edição e da venda dos direitos autorais. É um livro rico em informações técnicas, que situa o leitor no mundo cinematográfico, por trás daquilo que costumamos ter contato: o filme em si.
As fotos, pôsters, comentários dos atores enriquecem mais ainda a leitura, transportando o leitor para o set de filmagens. Eu, fã declarado da série, percebi os Arquivos Sangrentos como uma jóia rara, um trabalho árduo de Stefan Jaworzyn de reunir tantas informações importantes e interessantes, para os fãs mais viciados no gênero. A leitura te permite comparar o mercado cinematográfico ao longo do tempo, de 1974 até 2013, quando o último filme da série saiu nos cinemas. As críticas e documentos de conselhos de alguns estados proibindo a exibição do filme, muitas vezes injustas ou inúteis, ajudaram a tornar a lenda que O Massacre da Serra Elétrica é hoje, e o será enquanto houver gerações que buscam o verdadeiro terror.
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8