Ruínas de Gorlan

Ruínas de Gorlan John Flanagan




Resenhas - Ruínas De Gorlan


181 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Elion 10/05/2018

Incrível.
História fantástica e viciante, do começo ao fim você não quer largar o livro.
comentários(0)comente



Gabriel.Alves 07/03/2018

Ótimo!
É um livro incrível. Quando você começa a ler, não quer mais parar. Acabei lendo em dois dias. Realmente muito bom!
comentários(0)comente



Bruce 19/02/2018

Um livro empolgante de leitura fácil, foi através dele que criei gosto pela leitura. Recomendo a todos que ainda não despertaram esse desejo por livros, e para aqueles que são fãs de uma história de fantasia leve mas bem construída.
comentários(0)comente



Levi 06/01/2018

As Ruínas de Gorlan - Resenha
Livro: Rangers – A Ordem dos Arqueiros – Ruínas de Gorlan
Autor: John Flanagan
Editora: Fundamento
Ano de lançamento: 01 de Novembro de 2004
Gênero: Literatura fantástica, ficção de aventura.

Sinopse:

Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí sua vida tomou um rumo inesperado - ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria.

Resenha:

Primeira leitura do ano concluída e não poderia ser mais grato por isso, que livro fenomenal.
Sabe aquele momento que você termina algo bom e fica satisfeito com isso e se pergunta, por que não fiz isso antes? Ou nesse caso, por que não li este livro antes?

Porque tudo há o tempo correto para acontecer e hoje foi ele e meu bom senhor, estou extasiado com tanta gratidão e emoção.

Para quem não conhece, Rangers faz parte de uma coleção de 12 livros lançados pela editora Fundamento, John Flanagan criou os livros com a intuito de incentivar a leitura do seu filho de 12 anos e mostrar para ele que heróis podem ser pequenos e diferentes daqueles que conhecemos nos livros e contos infantis, onde são retratados como altivos e fortes, ombros largos e músculos.

E é assim que começo falando sobre minha impressão sobre a obra, lembrando que evito ao máximo expor pontos do livro e foco sempre na minha impressão da obra, para evitar spoilers para quem ainda não leu e deseja ler.

Você começar uma coleção com 12 volumes é de assustar qualquer pessoa, ainda mais que cada volume vai aumentando de tamanho pela quantidade de páginas que vais sendo acrescida. Mas eu sempre olhei para Rangers com olhos curiosos e foi assim que adquiri o primeiro volume, as Ruinas de Gorlan, mas a princípio, falei que só leria o livro quando tivesse os 12, uma desculpa para não começar algo grande na época.

Pois bem, o tempo passou, o livro ficou ali, e comecei a ganhar os outros volumes, dos 12, possuo 9 deles, comprei apenas o primeiro e o sétimo, os demais foram todos presentes, estratégia para você completar coleções grandes, peça de natal, amigo secreto, aniversário e tenha paciência para esperar.

Este livro deve estar ali pela estante faz uns dois ou três anos, não lembro ao certo, mas neste ano de 2018, coloquei como meta os 12 livros, seria um a cada mês, então já é um grande incentivo e não poderia ter desculpas quanto a isso.

E foi desta maneira que em 1° de janeiro de 2018, dei inicio a esta saga, e o que falar, hoje no dia 6 de janeiro, quando concluo com lágrimas nos olhos, essas 238 páginas.

Fui pego de surpresa, desprevenido, com tamanha qualidade literária, com a facilidade que a leitura segue, como é bem desenvolvido e escrito, os detalhes em cada página, a atenção do autor em mostrar um pouco de cada personagem e a emoção e laços que você vai criando em tão pouco tempo com personagens bem construídos e desenvolvidos.

Rangers ganhou meu coração fácil, um universo medieval, que retrata fortes laços de amizade e companheirismo, mostra como um herói como Will, pequeno e humilde pode vir a se tornar alguém grande e capaz, com sua própria força de vontade e esforço continuo.

John Flanagan acabou de entrar para o Hall de autores preferidos e isso com apenas uma obra lida, expectativa tremenda por todos os 11 seguintes.

O texto é simples, sem muitos jargões, a leitura é gostosa, faz um bom aproveitamento de todo o enredo e personagens, consegue nos dar clareza do porque as coisas estão acontecendo e como estão acontecendo, e isso em um livro que você poderia terminar em um dia se assim desejar.

Os personagens têm carisma, Will o jovem aprendiz de arqueiro, Halt o mestre Arqueiro, Horace o aprendiz de guerreiro, Alyss, Janne e George, amigos de Will, todos, com suas qualidades e características únicas.

Abracei cada um deles, pois todos, são importantes para o enredo, já tenho novos amores e o coração já aperta pensando que em 12 volumes, muita coisa pode acontecer e posso perder alguns deles, mas aguenta coração e vamos firme com a leitura.

É cativante, emocionante, lindo e bem elaborado.

Tive momentos com olhos marejados de lágrimas, não sei dizer, tenho facilidade em me emocionar com representações de amizades e fidelidade quando um personagem demonstra isso ou fala algo, não contenho nada, choro mesmo, pois é lindo e fiquei grato por sentir tanta emoção lendo.

A reta final me fez até gritar, sabe aquela torcida que você faz para que tudo saia de forma correta, então, gritei mesmo, chorei logo em seguida, e terminei com aquela vontade de cadê o próximo?

Esta seria a minha resenha, sem muito estardalhaço, sem muito esclarecimento, mas sim cheio de gratidão e recomendação.

Pegue Rangers e se delicie com cada palavra e frase ali exposto, venha junto se tornar um aprendiz de Arqueiro e viver grandes aventuras ao lado de Will e Halt.

Até a próxima.



site: https://levigarian.blogspot.com.br/2018/01/rangers-ordem-dos-arqueiros-as-ruinas.html
comentários(0)comente



Matheus.Bragante 21/12/2017

Uma série de livros atemporal, nunca envelhece e é sempre bom de se ler.
Sinopse:
Durante a vida inteira, o pequeno e frágil Will sonhou em ser um forte e bravo guerreiro, como o pai, que ele nunca conheceu. Por isso, ficou arrasado quando não conseguiu entrar para a Escola de Guerra. A partir daí, sua vida tomou um rumo inesperado: ele se tornou o aprendiz de Halt, o misterioso arqueiro, que muitos acreditam ter habilidades que só podem ser resultado de alguma feitiçaria. Relutante, Will aprendeu a usar as armas secretas dos arqueiros: o arco, a flecha, uma capa manchada e... um pequeno pônei muito teimoso. Podem não ser a espada e o cavalo que ele desejava, mas foi com eles que Will e Halt partiram em uma perigosa missão: impedir o assassinato do rei. Essa será uma viagem de descobertas e aventuras fantásticas, na qual Will aprenderá que as armas dos arqueiros são muito mais valiosas do que ele imaginava.

Análise:
Pela sinopse você consegue perceber que o livro pode ser meio água com açúcar ou que pode ser muito previsível, pois aborda um assunto em que todos já vimos em filmes ou séries, e realmente é verdade, o protagonista geralmente tem um grande foco e apesar das dificuldades ele consegue salvar a todos por um período de tempo, mas esse livro tem uma característica que chama a atenção, que é a forma de como o universo dessa série de livros é bem estruturada e não existem muitas falhas nas histórias em si. Pelo menos nessa primeira parte irá dar uma atenção especial as características dos personagens e começar a moldar as personalidades para a progressão da série de livros bem divertida, fora me recomendado pela minha antiga professora que disse na época que o livro era uma forma de mostrar que mesmo as pessoas que não tem um porte físico como de príncipes que são retratados por grandes empresas como a Disney, conseguem estar em aventuras que parecem impossíveis de se vencer, além disso, conseguem prender o leitor do início ao fim, apesar de o leitor se sentir frustrado por ter uma idéia de como o livro irá se situar até o fim, sentimento que também compartilho com os leitores.
Essa história começa com o livro dando uma atenção especial ao órfão Will, que não se sabe muito de seu passado, apenas deixado na porta de um castelo do reino de Araluen que é onde a história ocorre. Apesar de não haver muitas informações de imediato sobre quem são seus pais ou algo assim, apenas se sabe que sua mãe morrera após o parto e seu pai morrera na guerra, dito isso o autor do livro consegue fazer o leitor se identificar com o protagonista, que é mostrado como uma pessoa bem curiosa. Apesar disso, no final do livro, ele recebe certas informações de como seu pai morreu, com honra e dignidade, isto dito pelo personagem Halt.
Halt é o segundo protagonista desse livro, também existe a atenção especial de se mostrar sua personalidade e suas habilidades como arqueiro, habilidade essa que é passada a Will que virou seu aprendiz após ser recusado na Escola de Guerra, algo dito na própria sinopse. Halt é uma pessoa fria de início e como é um arqueiro, os residentes do feudo, criam histórias sobre como arqueiros são seres místicos e que suas habilidades não são humana. Após certa convivência com Will, ele mostra uma compaixão pelo aprendiz e um dos desejos do protagonista é que Halt sorria pelo menos uma vez.

O livro também é repleto de curiosidades e o autor cria uma história sobre aquele feudo e dá grandes detalhes sobre antigas guerras além de dar uma atenção especial a outras escolas de ensino, como a dita Escola de Guerra.
O livro se concentra no treinamento de Will sendo um aprendiz e como ele vai ficando mais encorpado e maduro durante o livro, com as grandes aulas de Halt e seus conselhos. Não são tudo maravilhas também, o livro mostra uma guerra que se aproxima e isso só é revelado pelos 7 últimos capítulos do livro, quando Will e Halt seguem para uma convenção de arqueiros, onde tudo dá errado. Sem estragar sua experiência de leitura pode-se dizer que essa guerra dá gancho aos outros livros da série e o jeito que o autor deixa o leitor com gosto de quero mais, mostra a forma de como a série de livros pode muito bem ser adaptada para as telas de cinema ou mesmo uma série do Netflix.

Não recomendo apenas o livro, mas a série toda, simplesmente pelo fato de o leitor poder se identificar com algum personagem citado no livro além de o autor garantir que a leitura não seja chata ou enjoativa e dar um grande foco nos personagens secundários e primários, mostrando o cuidado que o autor teve na obra em si.
comentários(0)comente



Alisson 23/10/2017

Esse livro mostra que o simples pode surpreender. A escrita não tem muitos floreios, não é escrito em primeira pessoa e nem mesmo descreve com afinco o universo apresentado. Ainda assim é um livro gostoso de se ler. Nós torcemos e sofremos pelos personagens. Mestres e aprendizes apresentam boas lições sobre a vida e suas injustiças. Mostra que o pequeno também pode ser grande e que o grande está a um passo de se tornar pequeno.

"Quando você superar um homem, nunca se vanglorie. Seja generoso e encontre alguma coisa nas ações dele para elogiar. Ele não vai gostar de ser vencido, mas vai enfrentar o fato com coragem. Mostre que você gostou do que ele fez. Elogios podem lhe conseguir um amigo. Divertir-se com a desgraça dos outros só cria inimigos."

Um detalhe importante: o autor escreveu esse primeiro livro para o filho de 12 anos. Não se deve comparar com grandes sagas como as dos autores Patrick Rothfuss, George R.R. Martin e Bernard Cornwell. É um livro para iniciantes (como eu) nesse gênero de fantasia épica. Recomendo.
comentários(0)comente



Biahhy 09/07/2017

Incrível e inesperado!
Adoro me surpreender com leituras e ainda mais quando eu não sei nada do livro, que foi o que aconteceu comigo e este livro eu já tinha ouvido algumas pessoas comentando a respeito da serie e lendo mas eu mesmo não tinha tido tanto interesse para ler e tal,apesar de o assunto de arqueiros me interessar muito na literatura, ate que esse livro foi sorteado na minha TBR, e finalmente comecei a ler e uma serie que já tem mais de 11 volumes, na verdade já tem 12 volumes publicados aqui no Brasil pela Fundamento, e já comprei todos os outros livros e só quero devorar todos eles.
Mistério, muita aventura, e aprendizado sobre os arqueiros o Ruinas de Gorlan traz para a gente, personagens incríveis, estou encantada pelo Will o personagem principal da historia.

site: https://biahhysilva.wordpress.com/2017/07/09/rangers-ruinas-de-gorlan-1-john-flanagan/
comentários(0)comente



Sil 27/06/2017

Adorei!!
Olá pessoal,
Um pouco cansada de livros tristes e pesados, resolvi voltar para minha antiga paixão: os livros de aventura e fantasia. E posso afirmar, que com certeza foi uma excelente volta.
Will é órfão e devido á isso foi criado no castelo como um dos protegidos do barão, que resolveu acolher a criar aquelas crianças cujos pais morreram na grande batalha onde o mal foi vencido.
Ao atingir certa idade, essas crianças precisam escolher um ofício, elas têm esse privilégio, pois as demais crianças do povoado só podem fazer isso caso tenham destaque na escola, ou por influência de familiares, caso contrário vão todas trabalhar nas plantações.
Will sempre quis ir para a Escola de Guerra, pois acredita que seu pai foi um grande guerreiro morto na batalha. Porém quando chega o grande dia, Will é recusado por ser um garoto muito pequeno. É então, misteriosamente aceito na Ordem dos Arqueiros e o seu treinamento se inicia. Seu professor é Halt, um arqueiro muito misterioso e que quase não sorri.
Durante a estadia do castelo, Will teve um rival: o grande Horace. Um rapaz robusto e alto, que sempre fazia de Will seu saco de pancadas. Horace foi aceito na Escola de Guerra conforme sua vontade, e lá ele está provando do seu próprio veneno: virou o alvo de três valentões que pegam pesado em suas punições.
Devido á um acontecimento, Will e Horace ficam cara a cara e com isso a chance de paz surge. Horace percebe que durante toda a sua vida, Will era aliado e não um inimigo.

Com o tempo e o treinamento adequado, Will se torna um excelente aprendiz de arqueiro, mas o treinamento é interrompido por uma ameaça de guerra. O mal está novamente reunindo forças para um ataque, e uma antiga ameaça mortal ressurge: os Kalkaras. Bestas difíceis de matar, que te paralisam com o olhar, mas que tem um ponto fraco: o fogo.

Fui sem grandes expectativas e confesso que me diverti muito com a leitura desse livro. Pretendo pegar o segundo volume em breve. Uma aventura jovem, muito bem escrita e sem enrolações.
Abraços.


site: www.revelandosentimentos.com.br
alyferreira.c1 30/06/2017minha estante
Me indica uns livros, Sil?! Ultimamente estou buscando leituras mais calmas, com histórias tocantes, que nos façam refletir de alguma maneira.


Sil 30/06/2017minha estante
Oie, tudo bem?
Te indico passarinha da Katryn Erskine, que apesar da temática pesada é escrito de uma forma muito leve e bonita. Também tem o um menino em um milhao da monica wood, lançado em maio pela arqueiro, fofo e delicado. As cordas mágicas do Mitch Albom é um livro que me surpreendi muito, mesmo. Não imaginava que fosse gostar tanto (a historia de um cantor que morre, e dai nos ficamos sabendo da vida dele, lindooo)
Te indico tambem o livro de memórias da Lara Avery, fofo apesar da temática triste (doença sem cura).


Sil 30/06/2017minha estante
Tem o Pax da Sara Penypacker, que é sobre amizade e lealdade.
Tem tambem o claros sinais de loucura da Karen Harrington, tema pesado, escrita leve, fofa e delicada.
Cotoco, o diario bem divertido de um garoto


Sil 30/06/2017minha estante
Todos esses tem temas tristes e mais pesados. Mas foram escritos de uma forma leve e bonita. Não foram os melhores da minha vida, pois eu gosto de livro destruidor kkkkk mas todos eles receberam 4 estrelas (o passarinha recebeu 5). Leia algumas resenhas pra ver qual combina mais com você. E por favor, me conte qual escolheu, to curiosa :) beijos e boas leituras (desculpe e demora em responder).


Sil 30/06/2017minha estante
Esqueci de falar do o sol também e uma estrela da nicola yoon, adorei o jeito que essa mulher escreve. Livro rapido, bonito e com uma baita licao. Diagramacao do livro: excelente.


alyferreira.c1 01/07/2017minha estante
Vou escolher o que você deu cinco estrelas e O Sol Também É Uma Estrela. ?


Sil 03/07/2017minha estante
Depois me conta o que você achou :) boa leitura




Luana.Lecorny 24/06/2017

A-DO-REI
Sabe aquele livro que a gente começa a ler e quando percebe está virando a ultima pagina? Este é um deles!
Uma leitura gostosa, bem escrita, com toques de humor e mensagens fortes e impotates.
Will é um garoto órfão, sem família e sem nome e tudo o que sabe de sua origem é que sua mãe morreu no parto e seu pai foi um grande herói. Diante disso ele deseja entrar para escola de guerra e ser um grande guerreiro assim como seu pai, porém com seu por te físico baixo e magro, Will é recusado a ser um aprendiz na escola de guerra.
Desolado pela sua realidade, Will se surpreende ao ser aceito para aprendiz de Halt, um misterioso arqueiro, ele inicia seu aprendizado pensando ser essa sua única opção, o que ele não sabe é que possui uma habilidade e talento nato e que como aprendiz de aqueiro este terá lições valiosas, que farão com que ele conheça a si mesmo e descubra que é mais parecido com o pai do que poderia desejar.
comentários(0)comente



J. 05/06/2017

“Às vezes... a reputação de estar certo o tempo todo pode ser uma carga muito pesada.”
Antes de tudo, Ruinas de Gorlan é um livro juvenil, pode-se dizer que mais voltado para o público infantil do que para o jovem. Prova disso é que o livro foi escrito para incentivar o filho do autor na leitura e na crença de que o tamanho de uma pessoa não diz respeito a seu potencial. Também a história em si, em alguns pontos e logo no início remete muito a impressão de contos de fadas.

A história compõe uma série de 12 livros (futuramente pretendo ler todos) intitulada Rangers: A Ordem dos Arqueiros. Mesmo sendo uma história para o público mais novo, com uma narração leve e de fácil compreensão, Ruínas de Gorlan também pode ser aceita tranquilamente por um público jovem-adulto, inclusive por ter poucas páginas e não tomar muito tempo de leitura.

Dentre os pontos positivos, um aspecto da nobreza do protagonista dá uma tonalidade muito humilde a obra;

Will é um garoto de pouca estatura, que compõe um grupo de jovens denominados como "protegidos do castelo". Sendo esses, todos órfãos cujos cuidados ficaram ao encargo do castelo de Redmont até que completassem 15 anos de idade e então tivessem que no aclamado dia de escolha serem aceitos em um oficio.

Will por imaginar que seu falecido pai fora um digno e bravo soldado, sempre quis entrar para a escola de guerra, no entanto, dado o seu corpo pequeno e a pouca segurança que transmitia, foi rejeitado pelo mestre da escola e acabou, não tão por acaso, sendo escolhido como aprendiz de arqueiro. Rapidamente um afeto nasce dentro de si por seu mestre sempre quieto e assustador, e Will começa a nutrir um curioso desejo; ver o seu professor, Halt, sorrir.

Os personagens são cativantes, desde os humanos até os cavalos.
A leitura flui sem dificuldades e muito agradável, prendendo nos momentos mais cruciais e com momentos que fazem o leitor rir muito naturalmente, sem deixar transparecer se tal cena foi feita com esse intuito ou não.

Por outro lado, alguns pontos são muito sumarizados, principalmente sobre o que se refere ao antagonista da trama. E no caráter informativo, o livro deixa bastante a desejar, mostrando mais uma vez qual é o seu público alvo.

Em suma, por ser uma história curta e mais voltada pro infantil, não há como se exigir tantas informações técnicas sobre as armas, os treinamentos e batalhas, mas sente-se a falta de saber por que o vilão foi deixado com vida após a guerra passada e por que os arqueiros não pensaram em derrotar os Kalkaras usando do mesmo recurso que seu mandante usou.
Considerando tudo, a evidente promessa da grandiosa transformação dos personagens ao decorrer da saga, iniciada e transcorrida já no primeiro livro, com certeza me fará ler a continuação.

site: literoverso.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jenis 15/05/2017

Eu gostei muito do livro, o autor escreve de uma maneira que te faz se apegar aos personagens, até mesmo os cavalos kkkk. Achei um livro bem legal mas teve alguns pontos que eu não gostei, por eu estar mais acostumada a ler livros mais adultos e realistas fiquei um pouco incomodada com algumas coisas, como por exemplo, o pequeno Will estar praticando com o arco por 7 meses e já estar sabendo usa-lo, sendo que na realidade um bom arqueiro na era medieval demorava 10 anos pra aprender a usar um arco. E o fato de o barão ser muito bonzinho kkkkk. Mas mesmo com alguns pontos me incomodando eu gostei do livro, ele não tem lá grandes acontecimentos, eu acho que esse primeiro volume foi mais uma "apresentação" ao universo e aos personagens, mas creio eu que os proxímos terão mais acontecimentos e serão maravilhosos, recomendo a leitura (:
comentários(0)comente



Daiki 14/03/2017

Altura e Força, não significam nada perto da bravura!
A história se passa em torno do personagem Will que era fraco, magro e baixo (comparando com os outros personagens) que nem chegou a conhecer o seu pai, mas ouvia histórias de que ele foi um grande guerreiro. Por isso quando atingiu a adolescência ele tentou ingressar na Escola de Guerra, sua felicidade durou pouco quando o Mestre da Guerra Rodney disse ao garoto que sua estrutura física não era adequada para se ingressar na Escola de Guerra.
Foi quando Will conheceu Halt, um homem baixo e sério, que faz parte da Ordem dos Arqueiros (que apesar de existir quase nunca era vista). Halt escolheu Will porque ele tinha as habilidades bascas de um arqueiro que levava se depender anos para serem aprendidas: a facilidade de se camuflar (que é muito importante para eles), observador a ponto de conseguir passar pelas defesas e guardas depois de estudadas e por último a agilidade que ele possuía.
Os Aprendizes tinham um prazo para se adaptarem com as Escolas, e quem não atingia as metas era obrigado a se retirar da escola que estava e servir como um agricultor em um feudo. Daí inicia-se a aventura de Will com seu mestre Halt, que pouco a pouco vai ensinando tudo sobre os arqueiros: suas armas e como manipulá-las, como sobreviver a situações difíceis, como se deve agir perante aos perigos, como usar um pônei (sim por incrível que pareça a “grande” montaria dos arqueiros eram os pôneis!).
Em Rangers Ordem dos Arqueiros o autor John Flanagan escreve esta serie para seu filho, que não gostava muito de ler. O interessante é que o autor cria o personagem principal Will usando seu filho como modelo (poxa quem usa o filho como modelo para criar um personagem? Genial!).
Percebe-se também a mudança nos personagens principalmente em Will que se torna um homem mais corajoso a ponto de conseguir mostrar suas habilidades para aqueles que duvidavam de seu potencial a se tornar alguém.
O livro é muito interessante, pois você fica ansioso pela próxima pagina querendo saber o que irá acontecer ou como isso vai terminar, posso dizer que este livro prende o leitor a ponto dele perder totalmente a noção do tempo de tão vidrado que fica na leitura (pelo menos comigo foi assim rsrs).
Excelente obra 5 estrelas, recomendo este livro para todas as idades!
Evelyn Ruani 15/03/2017minha estante
Muito boa resenha Daiki ;)




JR 02/03/2017

John escreveu o primeiro livro da série para estimular seu filho de 12 anos a apreciar a leitura.
Quem nesse universo está em busca de uma nova aventura eu recomendaria esse fragmento. Uma de minhas séries prediletas, onde você começa a ler e não consegue mais parar. Também é uma leitura muito leve e gostosa, não te cansa e quando acorda o livro já acabou e você se vê ansioso para o volume seguinte.

Rangers - Ordem dos Arqueiros vai agradar grandes e pequenos. O enredo se desenvolve ao redor do pequeno Will (pequeno mesmo!) que descobre que seus dons podem ser bastante úteis e valiosos para quem souber observar. Enfrentando a rejeição, Will aprende a valorizar os seus dons e vai ganhando confiança em si mesmo no decorrer da história. É interessante comentar que o autor ainda explora o Bullyng através do aspirante à guerreiro: Horace.

Neste volume, nós conhecemos Will, um jovem magro e franzino, órfão, que é criado no castelo de Barão Arald, entre os protegidos do Reino. Eles eram criados como serviçais e, ao entrarem na adolescência, se tornavam aprendizes em determinadas áreas do feudo. O sonho de Will era fazer parte da Escola de Guerra, pois achava que seu pai, que nunca havia conhecido, teria sido um grande guerreiro.

Mas, para sua surpresa, ele acaba por ser tornar o aprendiz de Halt, o misterioso membro da Ordem dos Arqueiros. Um homem baixo, franzino e de poucos sorrisos, mas com uma mira certeira e coragem sem igual. Em seu treinamento, o jovem se transformará em homem e se verá em meio a uma guerra secreta e misteriosa, conta um mal que parece infindável e invencível.

Testado a cada segundo, o jovem Will passará por aventuras e perigos que nunca imaginou...

O bom dessa série é a simplicidade que ela nos envolve. Sentimos-nos como se voltássemos a ser crianças, deitados na cama, ouvindo aquela boa de história de aventura que não deve terminar nunca. Valores como amizade, lealdade, diversidade e amor próprio, são pregados em cada página, nos trazendo sensações boas demais. Impossível não se apaixonar pelos personagens, tanto por Will quanto seus amigos, que são criados juntos com ele. Mesmo tão diferentes entre si, com seus defeitos e qualidades, nos dão no decorrer da trama um exemplo de companheirismo e civilidade.

Exemplos como esse livro estão faltando no mercado. Uma verdadeira aventura, sem cenas massacrantes ou mortes horrendas. Nada de paixões mirabolantes. São simples jovens aprendendo com a vida que lhes é imposta, com aquele ritmo gostoso daqueles filmes de capa e espada de quando éramos pequenos.

Também temos o nosso vilão, é claro. Morgarath, o senhor das Montanhas da Chuva e da Noite quase não aparece, mas já demonstra que vai dar muito trabalho aos nossos heróis. Tenho certeza de que vou ver suas ações colocarem o nosso jovem arqueiro em provar várias vezes no decorrer da série.

Halt, em si, é um caso a parte. O pequeno homem nos mostra em cada aparição que, o que nos transforma em heróis não é tamanho ou músculos, mas sim coragem e bravura.

Entre as sagas que já li, essa está entre
minhas favoritas sem sombra de dúvida.

Minha Classificação: ► ♥♥♥♥♥ ◄

site: http://coliseunerd.blogspot.com/2017/03/rangers-ordem-dos-arqueiros-livro-1.html
Marcelo.Antonio 20/09/2017minha estante
Ótima resenha


JR 20/09/2017minha estante
obrigado ^^


Marcelo.Antonio 20/09/2017minha estante
De nada ? Irei ler esse livro logo logo rs




Zero Luiz 27/02/2017

Não desista no primeiro
Essa série é minha favorita. O estilo de escrita do Flanagan é sensacional. Mas como o primeiro livro ele escreveu pro filho dele, tem um tom um pouco mais infantil (mas não deixa de ser excelente, é claro).
O restante da série adquiri um tom mais sério. Então vá em frente e leia toda a série que você não vai se arrepender.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



181 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |