Simplesmente Ana

Simplesmente Ana Marina Carvalho




Resenhas - Simplesmente Ana


351 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernanda 22/07/2013

Resenha: Simplesmente Ana
Resenha: O arrependimento é de não ter lido “Simplesmente Ana” há mais tempo. Acredito que esta história desperta nos leitores muito mais do que uma linda e comovente história num ambiente cercado de fantasias e contos de fadas. Destaca pontos referentes aos objetivos e sonhos que podem se tornar realidade inesperadamente e o quanto é preciso aproveitar cada momento com intensidade e desejo. E é justamente neste cenário de grandes devaneios, que conhecemos Ana, uma personagem corajosa diante da situação em que se encontra. Durante toda a sua vida, ela acreditou na história contada por sua mãe, de que o pai morava em um pequeno país da Europa, chamado Krósvia. O relacionamento dos dois ia muito bem, até que ela descobre a gravidez e logo que contou a novidade, ele havia ido embora. Vinte anos haviam se passado e o que ela menos esperava era entrar em sua página no facebook e receber um recado de um homem dizendo ser seu pai. A aventura estava só começando e a sua vida antes monótona e normal estava tomando um rumo de aspirações inimagináveis.

“Não seja dramática. Você tem que ir porque é a outra metade da sua história. Ser mineira, de BH, estudante de direito e apaixonada pelo abestalhado do Arthur é fácil. Você tira de letra. Só que você não é só isso e precisa descobrir como é ser de outro jeito, mesmo que depois prefira a forma antiga.” Pg.17

Por fim, Ana descobre que a história contada pela mãe faltava muitos detalhes importantes, e o principal é que o pai realmente não sabia da gravidez e foi saber por uma coincidência quando foi ao Brasil. Claro que agora Andrej só queria aproveitar o tempo perdido com a filha e por isso, não perdeu tempo ao convidá-la a passar um período em Krósvia. A protagonista se sentiu no início, muito dividida, o que era de se esperar, mas depois de muito pensar, resolveu dar uma chance para as mudanças que estavam surgindo. Porque querendo ou não, agora ela é realmente uma princesa de verdade, com direito a príncipe e castelo. Quem nunca sonhou com algo assim?!

“Alex parecia um Deus grego. Como eu não notara isso da primeira vez? Talvez fosse a roupa. De calça jeans desbotada e rasgada na coxa, botas marrons e camisa de malha demarcando seus músculos peitorais – Jesus, que tórax era aquele? –, ele estava de parar o trânsito.” Pg. 49

O príncipe em questão se chama Alex (leia-se lindo e Irresistível), filho da esposa falecida de Andrej. E não, ele não foi com a cara dela no começo. Ou até foi, só que não quis dar o braço a torcer, pensando que ela poderia ser uma interesseira ou algo do tipo. Mas foi perceptível a atração dos dois desde o primeiro encontro, digamos até bem inusitado. O fato é que ele gostava mesmo é de provocá-la e não demorou muito para perceberem que havia crescido um sentimento real entre eles. No começo, Alex pode ter tido suas dúvidas, porém logo ficou notável a maneira como ele vinha se comportando perto de Ana, e vice-versa. E mais ainda, ele foi se mostrando alguém digno de confiança e carisma, mesmo que ela tenha demorado um pouco para perceber.

“Percebi que ser rei é muito mais do que representar um país com roupas de príncipes de contos de fada. Andrej trabalhava o tempo inteiro, no castelo ou em qualquer lugar do planeta. Nunca desligava seus três telefones particulares, jamais saía sem seus assessores e vivia rodeado de políticos, que tinham uma ligação verdadeira com a Krósvia. Estavam sempre planejando coisas e tomando decisões importantes. Parecia até que eu estava no meio de um filme americano, daqueles que mostram o presidente deles – sempre muito altruístas – e sua filha em busca de liberdade. A única discrepância era a ausência da esposa forte e compreensiva.” Pg.54

Eu sei e sempre soube que essa história seria bem clichê e pode até lembrar outras tramas, mas no decorrer da narrativa leve e ágil, fica perceptível as características bem desenvolvidas ao qual a autora incrementou de um modo dinâmico e envolvente. Impossível não se encantar com TODOS os personagens, pois cada um apresenta uma visão empolgante da história. Para vocês terem noção do quanto gostei dessa história assim que terminei de ler esse livro, não quis fazer a resenha logo em seguida, mas também não fiquei com vontade de ler outro livro. Fiquei com vontade de reler “Simplesmente Ana”. E foi o que eu fiz. Já se tornou mesmo um favorito.

site: http://www.segredosemlivros.com/2013/07/resenha-simplesmente-ana-maricarvalho01.html
Kory 18/12/2014minha estante
Eu gostei muito do livro , a leitura é gostosa e flui naturalmente, Ana é uma personagem muito forte e apesar de ser um romance bem clichê , tornou-se um dos meus preferidos, eu estava lendo livros com historias muito densas e fortes , e Simplesmente Ana , caiu como uma luva , me deixou suspirando , Recomendo para quem esta procurando um livro leve e com leitura fácil , estou me surpreendendo cada vez mais com os autores nacionais .




Lana 29/06/2013

Meu comentário pessoal:
Simplesmente péssimo. Escrita ruim e personagem muito chata. Não sei como querem que não tenhamos preconceitos com escritores brasileiros se eles escrevem assim. Dinheiro jogado no lixo? Com certeza.
comentários(0)comente



Nanáh Zoti 29/04/2013

Pelo menos a capa é linda!
-*ALGUNS SPOILER*-

Sim. Eu amei a capa, e ela foi a grande responsável por eu comprar o livro. O verniz do título, o castelo ao fundo, tudo deu um ar romântico e misterioso na capa.
Já o conteúdo.....
Ana é uma estudante de direito que certo dia abriu o facebook e encontrou uma mensagem suspeita " Acho que sou seu pai", até aí é relevante, afinal coisas estranhas acontecem nos livros, certo? Mas como se isso não bastasse ela decide encontrar o dono da mensagem no mesmo dia e depois, ainda no mesmo dia, ela decide passar a história limpo com a mãe, que chora e pede perdão por ter escondido a existência do pai de Ana.
O mínimo que se espera depois desse festival de "Resolve hoje o que dá pra resolver amanhã" é um pouco de gritos por parte da personagem protagonista, mas não é nada disso que acontece. Ela segura as mãos da mãe diz" Você não podia ter escondido isso". o.O
(Puta meu, gritar e extravasar a raiva não é uma atitude infantil e uma atitude humana!!!!)
Passa-se os fatos, ela conhece o mocinho da história. Alex, o garoto orfão que é gostoso, intratável no começo e com um sorriso sedutor. Alex é mal humorado na primeira vez que aparece no livro, mas depois de dois paragrafo se torna encantador por conta do seu meio sorriso. Situações acontecem, mas são contadas de uma forma indireta, senti pouca paixão e envolvimento entre os personagens. O grande climax da história se dá em um show do Bon Jovi - Cacete porque Bon Jovi toca na praia na Krosvia e não toca aqui no Brasil com frequência? :(- o casal se beija todos felizes e..........
Ok, vamos parar por aqui. Seria spoiler demais.
De qualquer forma o casal se junta em uma pagina, se separa na outra. Ficam um mês assim e depois se reconciliam e vivem felizes para sempre. Fim!
WTF?!?!?!!?
A história correu como um trem desgovernado, não consegui me envolver de qualquer forma pelo Alex, a Ana é uma chata sem limites e o Andrej é um pai ausente com bom caracter - e o leitor só sabe disso porque a Ana informou, você quase não vê o homem na história!.
E pra finalizar a presença da música do Luan Santana no livro não ajudou muito na hora de me "cativar".
Me decepcionei com o livro do começo ao fim, pra mim a escritora tinha bons personagens que não foram bem apresentados e aproveitados.Não vou desistir de conhecer mais obras dessa escritora no entanto, ela escreve bem, apesar de eu não ter curtido a história.
Helana O'hara 02/06/2013minha estante
Oi Nath, tudo bem?
Puxa que pena que tu não entendeu que a parada do Luan Santana foi mais uma brincadeira no livro, pois Ana estava bêbada hehehehe.


Nanáh Zoti 03/06/2013minha estante
Eu não gostei da presença do Luan Santana em geral, ainda bem que a Ana têm um gosto melhor- Bom Jovi, Meu Deus!!!!




Michele 29/04/2013

Simplesmente lindo *-*
Confesso que no comeco do livro pensei que a leitura nao fosse muito adiante... Ana aceitava muito facil coisas que eu me questionaria... por exemplo o fato da mae dela ter escondido a gravides do pai de ana.. eu ficaria no minimo chocada e magoada mas vanos lá ne... durante o inicio do livro a ana me passava uma imagem de garota infantil e sua personalidade era meio controversia... so que depois que ela foi para a Krosvia eu conheci outra ana a ana pela qual me apaixonei.. e conheci é claro Alex.. Alex foi o motivo pelo qual continuei lendo mesmo quando meus olhos estavam queimando de sono.. o principe perfeito.. ele e ana fazem um belo casal nao fosse ele ter uma namorada que se chama Laika, e Laika nao esta nem um pouco disposta a ver esses dois juntos... Simplesmente ana é lindo, para quem gosta de livros com finais felizes.. auto descoberta, paixoes que lhe deixam sem ar.. ana esta ai para lhe contar sua historia..
Kory 18/12/2014minha estante
Também senti isso no começo do livro , só que depois conheci uma Ana super forte, uma menina de bom coração e honesta , e assim como você , quando conheci Alex fiquei sem dormir , porque simplesmente não conseguia parar de ler , a leitura flui com uma naturalidade incrível,Amei.




spoiler visualizar
Belle 21/03/2014minha estante
Amei a historia e estou curiosa para ler, ah!!! esqueci... vou ler, pois ganhei o livro, srrsrsrrsrrs...Gostei muito, eu tinha ganhado o livro antes de ler mais resenhas....
Amei... :D


laysa dniz 23/03/2014minha estante
Gostei!


Gizeli Regina Meister 25/03/2014minha estante
Estou a cada dia abrindo mais meu coração aos livros nacionais, gostei muito de sua resenha, gosto de um conto de fadas de tempos em tempos ? uma leiturinha pra descansar a cabeça também é bom.


Dani 25/03/2014minha estante
Sempre leio muitas resenhas positivas sobre esta obra e parece ser mesmo um ótimo livro! O enredo é bem interessante e me deixou muito curiosa, além de ter uma capa linda! :)


Beth 04/04/2014minha estante
Amo esse livro. É lindo e tem uma estória encantadora.


Jess 06/04/2014minha estante
Desde que coloquei os olhos na capa deste livro na page da Novo Conceito ? quando eles estava anunciando seus novos lançamentos ? senti aquela atração imediata, eu precisava ler a todo custo nem que eu tivesse que pedir emprestado, sendo assim comecei a participar ? e induzi meu irmão a fazer o mesmo ? de promoções nos blogs e por pura sorte acabei ganhando-o no Every Little Book, um blog ao qual tenho muito carinho e sempre estou lá conferindo novidades e comentando nas resenhas maravilhosas das meninas. O livro demorou um pouco a chegar porque a Luiza o levou a bienal para que a Marina autografasse par mim, o que me deixou ainda mais ansiosa para recebê-lo, mas final de o recebi e o devorei em dois dias.
A leitura foi extremamente rápida, ela flui de uma maneira que eu nem senti as horas passarem, as folhas passarem, quando notei já está no final do livro. A Marina não é apenas mais uma modinha, ela realmente merece a fama que está criando, sua escrita é impecável, não achei se quer um erro seja gramatical ou de concordância. Além de que, ela conseguiu seguir bem com a personalidade dos personagens, não saiu do que fora proposto desde o começo, o que ? infelizmente ? acontece com alguns autores iniciantes.
Eu nem preciso dizer o quanto amei este livro, né? São poucas pessoas que eu soube que não gostaram o que realmente me impressiona porque o livro é simplesmente divino.

Blog: http://worldbehindmywall.fanzoom.net/
Twitter: https://twitter.com/Blog_WBMW


Gy 17/04/2014minha estante
O sonho de toda garota descobrir que é princesa de uma reino distante... pelo que li na resenha o livro parece ser muito bom, estou curiosa para ler.


Maristela 23/04/2014minha estante
Tenho muita vontade de ler esse livro, tanto que ele é um dos meus desejados. Amei sua resenha e ela só me deu mais vontade ainda de ler o livro.


Alli 24/04/2014minha estante
Já faz um tempo que eu tenho vontade ler esse livro. Sou dessas que se apaixona pela capa e essa capa é perfeita. Amei a resenha.


Ketlen Patricio 26/04/2014minha estante
Quero muito ler esse livro já faz um tempo, me apaixonei pela história da Ana e quero muito saber como tudo vai acabar, quero saber ela vai conseguir viver essa vida de realeza.
Beijos


Jess 28/04/2014minha estante
Faz um era que estou curiosa para ler esse livro, me surpreendi quando descobri que era de uma autora brasileira.




Meê 23/07/2013

Ana Carina Bernardes, ou apenas Ana, como prefere, é uma jovem comum, mineira, de 20 anos, que cursa direito. Bom, pelo menos, ela achava que era uma jovem comum, até o rei de Kósvia, Andrej Markov, manda uma mensagem para ela através do facebook, dizendo achar seu pai. A partir desse momento, obviamente, sua vida muda completamente. Verdades vêm a tona e ela descobre que, sua mãe, quando fez um intercâmbio para Londres quando tinha apenas 18 anos, obteve um relacionamento com Andrej, ficando grávida. Entretanto, para não comprometê-lo por ser príncipe na época, voltou para o Brasil sem falar sobre a filha.

Com isso, para conhecer Ana melhor, Andrej convida-a para ficar alguns meses com ele em seu país. Ela aceita e lá, começa a viver uma vida completamente diferente, tendo que enfrentar alguns problemas por agora ser princesa, como a falta de privacidade e a constante presença dos paparazzi. Também passa pela pressão de ser apresentada para o povo da Kósvia e sua família paterna, entre eles, Alexander, enteado de seu pai.

Ao longo da trama, Ana vai enfrentando todas as mudanças que começam a aparecer em sua vida e, devido à convivência e diversas qualidades de Alex, se apaixonando pelo quase irmão.

Devo dizer que costumo gostar de romances "água com açúcar" e que, por este motivo, quis ler o livro. Entretanto, me decepcionei. Não é nem pelo fato pelo o qual todos estão "julgando-o", que é por ele, a principio, possuir uma história um pouco parecida com "O diário de uma princesa", mas sim pela sua escrita em si.

Primeiramente, achei a narrativa um tanto cansativa. Toda vez que Alex aparecia (toda vez mesmo), Ana descrevia a sua beleza, ficava com falta de ar e coisas do tipo, algo que acho desnecessário de se falar o tempo todo. Há também uma forte presença de infantilidade na personagem principal, pois ela sempre chamava Laika, namorade de alex, de "Nome-de-cachorro", mesmo quando ela ainda nem tinha feito algo hostil para ela, mas apenas tinha sido apresentada como sua namorada. Sem contar que isso foi uma repetição que também achei dispensável.

A história também possui clichês de mais e também problemas que, na verdade, foram criados apenas na cabeça da personagem, pois eles realmente não existiam de fato. Inclusive, pulei quase todo o final do livro, pois a autora, depois que tudo estava ótimo e maravilhoso entre Alex e Ana, criou uma cena dramática completamente previsível e chata entre os dois, deixando-os separados logo após terem ficado, finalmente, juntos.

Bom, esse são os pontos que posso apontar sem colocar nenhum spoiler. Infelizmente "Simplesmente Ana" não atingiu minhas expectativas, tendo me esforçado muito para terminá-lo.
comentários(0)comente



Lu 04/10/2013

Todo mundo sempre comenta que escrever resenhas negativas é mais fácil, eu também pensava assim até eu ter esse livro em mãos e simplesmente não ter certeza sobre o que eu iria escrever sobre ele. Eu o odiei, mas quanto mais eu analisava e pensava sobre ele, eu percebi que esse provavelmente é um problema meu com o livro e que a maioria dos leitores não o terá, afinal, o público dele não sou eu.

Eu estava esperando amá-lo, afinal, ele tinha uma pitada de “O diário da Princesa” - mais parecido com o filme do que os livros - em sua sinopse e eu pensei: Eu amei “O diário da Princesa”, eu vou amar esse livro também. E acho que eu estava esperando que eu fosse sentir a mesma coisa que senti ao ler a série, e talvez eu tivesse sentido se eu fosse uns cinco anos mais nova e ignorasse por completo todas as futilidades da história (o que eu de fato fazia há algum tempo atrás), e me focasse apenas na beleza de ser uma princesa.

O que não me agradou já de início nesse livro foi a narrativa. Como ela é em primeira pessoa, foi muito informal e com várias gírias, o que eu não gostei nem um pouco. Para mim, formalidade na escrita sempre é importante, ainda mais que no caso foram usadas várias gírias da região de Minas que eu nem conhecia! Acho legal a questão do regionalismo, mas nesse caso eu saí perdendo.

A protagonista dessa história foi o meu grande problema, ela diz não ser fútil, mas fica divagando sobre as maravilhas que será morar em um castelo, etc, etc, claro que ela tem os seus momentos de princesa boa, mas infelizmente não me convenceram. Outra coisa que eu não suportei nela foi a mudança constante de opinião, uma hora ela gosta do cara, duas linhas depois ela o odeia, eu ficava totalmente perdida e me perguntava: o que eu perdi?

Nem o galã dessa história conseguiu me cativar! E olha que eu tenho um fraco enorme por homens bonitos, simplesmente por serem bonitos. Eu fiquei tão decepcionada com isso, porque eu realmente tentei gostar, mas não funcionou para mim.

Mas não vou deixar de recomendar o livro, porque sinto que eu passei da fase de ler um livro desses e por isso ele me irritou tanto, mas acredito que o livro vá agradar muitas pessoas. Não é porque não funcionou para mim não vai funcionar para você. Mas se você sente que já passou dessa fase e deseja ler esse livro eu apenas sugiro que leia sem expectativas e com a mente mais aberta, e talvez você goste mais do que eu.

site: http://www.lendoaoluar.com/2013/10/resenha-simplesmente-ana.html
Katy Fiama 10/12/2013minha estante
Estou lendo esse, mas antes de começar dei uma rapida lida em umas resenhas pra já saber o que esperar, portanto não criei expectativas como vc disse e afinal fazia tempo que nao lia um livro assim "meio bobinho" por isso estou desfrutando tanquilamente e com a mente bem aberta e afinal estou até me divertindo.




Janaina Vieira Writer 28/04/2013

Sim, um conto de fadas.
A história de Ana, uma brasileira comum, jovem universitária que mora em Minas Gerais, de repente se transforma em um autêntico conto de fadas: ela descobre que na verdade é filha de um rei! Logo, é também uma princesa de verdade. Este enredo mora nos sonhos da maioria das mulheres. Negar isso é negar o óbvio!

A ideia da realeza, da dita nobreza de sangue, embora tenha perdido muito de sua força nas últimas décadas e seja rechaçada por muitos, ainda exerce um grande fascínio sobre o imaginário feminino. E embora Ana revele-se uma princesa moderna - até porque o mundo mudou de fato e a realeza idem -, ainda assim ela se descobre parte de um mundo e de um grupo que está à parte dos comuns mortais. Seja devido aos cuidados com segurança,seja porque os nobres não podem sair às ruas em paz ou porque têm dinheiro livre para ser gasto sem preocupação com o pagamento de contas no final do mês, fato é que esse grupo tem outro tipo de preocupações, seu cotidiano é muito diferente daquele que as pessoas comuns conhecem. Mas, como ana não nasceu nesse meio, ela passa por situações muito engraçadas.

O livro conta uma história leve, divertida e descompromissada com graves conflitos, pois os problemas que Ana enfrenta são simples e facilmente resolvidos. É uma leitura bastante agradável, que diverte e alegra. Ideal para jovens leitoras e para quem curte histórias de princesas.
comentários(0)comente



Ana Katarina 03/07/2013

Simplesmente Ana
Engraçado, fofo, romântico.. Conheçam Simplesmente Ana, da autora Marina Carvalho.

Ana Carina é uma mineira comum. Ao 20 anos, cursa faculdade e vive com a mãe. Seu pai a abandonou quando soube da gravidez, e ele não tem participação alguma em sua vida. Até que uma mensagem em inglês aparece em seu facebook, com um homem que diz ser ele. Sim, pelo face. Moderno, não? Ela percebe pelo nome que as chances de o tal Andrej ser realmente seu pai são grandes, e tudo é confirmado. Mas essa está longe de ser a maior surpresa. Ele é nada mais nada menos que o rei de Krósvia. Pera, então Ana é uma princesa? Isso mesmo!

Ela então vai ao país de seu pai para passar a temporada, conhecê-lo melhor e aos costumes do pequeno país europeu. A criadagem do palácio é super simpática, e ela logo se sente acolhida. Mas nem tudo são flores. Ela também conhece Alex, o arrogante enteado de seu pai. Mas com a convivência, ela percebe que ele não é tão ruim assim...

"Melhor passar a vida imaginando uma situação sonhada do que experimentá-la uma vez e não poder tê-la nunca mais."


Se ao ler a sinopse sua mente foi voando para os livros/filmes do Diário da Princesa, está certíssimo. O livro segue a mesma premissa, e até algumas situações são bem similares ás do livro de Meg Cabot. Pequeno país europeu, melhor amiga meio maluquinha e um cara mega gato pra mexer com nossa protagonista. Mas se engana quem pensa que o livro é uma mera cópia. Embora as semelhanças sejam notáveis, Mariana conseguiu construir sua própria história, sem ficar à sombra da Princesa Mia. Aliás, o livro faz uma referência a ela. Vejam:

"Quando ele me contou tudo isso, comecei a rir. Fiquei me lembrando de um livro que li sobre uma princesa americana recém-descoberta. Eu estava vivendo algo bem parecido, com a exceção dos cabelos indomáveis. Isso eu não tenho, graças a Deus."


Legal né? Não sei vocês, mas eu quase dou pulinhos de alegria quando vejo uma referência a outras obras nos livros em que leio. E Simplesmente Ana tem a sua cota, já que nossa protagonista adora uma boa leitura. Eu quase morri de invejinha quando ela descreve a biblioteca do palácio! Dava vontade de entrar nas páginas só pra ler na tal poltrona com a vista maravilhosa! Vocês também vão ficar babando!

E vão rir. Tipo, demais! Ana é super engraçada, e se mete em cada uma! Coitada, muito atrapalhada ela! Tem uma cena na qual ela vai à manicure na Krósvia e a mulher não sabia como tirar cutícula! Sim, aparentemente, as mulheres tem cutículas gigantes lá. O que Ana faz? Ensina, claro! Dá uma de professora no meio do salão!

Essa personalidade decidida e ao mesmo tempo insegura dela a transformou na minha personagem favorita da história.
Os outros personagens também tem uma construção boa, como a cozinheira do castelo e a "assistente" da princesa. Ambas muito fofas. Mas ninguém supera Andrej no quesito fofura.

"E essa foi a primeira vez que chamei Andrej de pai. Deliberadamente. O rosto dele adquiriu uma expressão de realização, como se aquela simples palavra fosse a mais bonita e importante do mundo. Naquele momento, ela era, sim. Pelo menos para nós."


E o que falar de Alex? O "mocinho" dessa história... Ele vai lembrá-lo muito do pretendente da Mia no segundo filme. Até em algumas situações que foram tipo, quase idênticas. Mas Alex tem muito mais carisma. E o romance acontece de forma natural, com aquela implicância toda de início.

Leiam sem medo! É divertido e uma leitura rápida. Você não vai conseguir parar de ler!
comentários(0)comente



Ju 18/07/2013

Simplesmente Ana
Me identifiquei com a Ana desde o início. Como eu, ela é mineira de BH, e só uma mineira pode entender o fascínio que o mar exerce sobre nós... rs... Além disso, tem trauma do castelo do terror do Shopping Del Rey! hehe... E, como se não bastasse isso, descobre que o pai que nunca conheceu é o rei da Krósvia, um pequenino país próximo à Itália (essa parte nos diferencia, eu sempre soube quem era o meu pai e estou muito satisfeita com ele! rs). Sabem qual foi a primeira coisa que a encantou quando ela foi visitar o país? A natureza!! Gente, eu nunca pensei que fosse acontecer isso comigo, mas a primeira coisa que me fascinou em Florença foram as árvores lindas e gigantes! *-*

Amei a história de Simplesmente Ana! O jeito que a Ana descobriu quem era seu pai foi bem moderno, rs, não vou contar porque é legal descobrir lendo. Ela ficou insegura de ir com ele conhecer a Krósvia, mas recebeu apoio de todos os lados e decidiu ir. Chegando lá, encontrou um país lindo, com paisagens paradisíacas e com gente que deixa o carro na garagem com a chave dentro. Conseguem imaginar?

Fora que a garota, de universitária com uma vida confortável, passa a princesa com direito ao castelo dos sonhos e a um cartão de crédito sem limite de gastos! rs... E não surta completamente, o que demonstra que não perde sua essência. Ponto pra ela.

A narrativa da Marina é muito boa, passei a me sentir meio como a Ana. Fiquei impressionada ao notar que quando ela ficava nervosa, eu ficava também; quando ria, eu me pegava rindo ou, pelo menos, sorrindo. Até chorei junto com ela!! Acho que foi a personagem com quem eu mais me envolvi, em um bom tempo.

Só teve uma coisa que eu não gostei no livro: uma conversa que a Ana tem bem no início pelo msn. Me incomodou como essa conversa foi escrita, com "naum", "nd", coisas do tipo... Mas é uma coisa bem pessoal, nunca escrevi assim e me irrito com gente que escreve.

Eu acho essa capa mais que linda!! Ela não é completamente fiel à história... Só que dessa vez terei que deixar passar. Sou tão fascinada por ela que nem consigo falar do que está errado!

A Ana se revela uma pessoa ótima, mas me apaixonei mesmo foi pelo Alex. Ele é enteado do pai dela, e um antipático à primeira vista. Mas depois que passam a preocupação e a desconfiança que ele sente, vira outro. Um ser tão fofo, gentil e lindo que dá vontade de roubar de dentro do livro!! hahaha...

Estou muito feliz com a notícia de que a continuação será lançada em breve (não sei exatamente quando). Já estou morrendo de saudade de todas as personagens. Vou deixar umas palavrinhas da Ana para vocês. Ainda bem que a minha saudade é boa! =)

"- Sempre ouvi dizer que saudade é uma palavra exclusiva da língua portuguesa. Quando dizemos que estamos com saudade, significa que sentimos uma falta tão imensa de alguém que a dor queima no peito. É como se a alma ficasse meio perdida sem a proximidade das pessoas de quem temos saudade. (...) Ela só é boa quando sabemos que podemos matá-la, ou seja, quando reencontramos quem não está por perto."

site: http://entrepalcoselivros.blogspot.com.br/2013/07/resenha-simplesmente-ana.html
Juh 18/07/2013minha estante
Ju para tudooooooooooooo! EU estou morrendo, louca, pirada p/ ler esse livro, disseram já em outras resenhas que ele tem o estilo de diário de uma princesa, mas não interessa eu quero ler ele mesmo assim!!! HAHAHA! ENtão eu simplesmente amei essa capa e acredito que vou me indentificar muiito com a Ana, com a diferença tbm q eu tenho um Pai e estou muiiito satisfeita com ele!!


Leilane 18/07/2013minha estante
A Marina não é linda? Comentou no blog. =D
Ela já sabe o quanto surtei de felicidade com esse livro, quando vi a capa, a sinopse e que ela é fã da Meg Cabot (minha favorita!), não teve como não correr para ler esse livro. Ri muito com a Ana e o trecho que você destacou sobre saudade foi um dos mais tocantes que já, foi quase como se um mecanismo tivesse sido acionado em mim e senti saudade de muitas coisas que amo na hora, olha o poder dessa quote!
E, bom, não posso deixar de comentar sobre o Alex, não é? Ahhh o Alex, seu lindo teimoso gostoso! Tropeço para escolher adjetivos que o descrevam, todos parecem insuficientes, por isso vou simplesmente descrevê-lo como: Alex. Ou melhor, no melhor sotaque brasileiro, Alexander. Amei a maneira pela qual a Marina trabalhou conceitos culturais, simbologias e relações afetivas. Ela nos leva a pensar na importância de muitas coisas sem perder o tom de leveza, ou seja, um chick lit da melhor qualidade!
Parte do que escrevi aqui está no texto-surto que escrevi assim que terminei o livro, mas tomei cuidado para não mencionar spoilers.
Mal posso esperar pelo próximo livro e espero que todos os seguidores daqui do blog leiam o quanto antes, pois é SIMPLESMENTE perfeito!
Muito sucesso, Marina!
Amei a resenha, Ju, sua experiência foi ainda mais especial por causa das referências mineiras, fiquei com um invejinha - kkkkk.
Beijos!


Marina 19/07/2013minha estante
Ju, Leilane e Juh, vocês fizeram a minha manhã mais linda - e hoje o dia promete! Fiquem de olho que tem novidade no pedaço.
Um beijo enorme, meninas!
S2


Manuella 20/07/2013minha estante
É tão bom ler uma resenha empolgada assim!
Adoro essa sensação de me envolver completamente, como aconteceu com você nessa leitura. A identificação e/ou aprovação de uma ou mais personagens é fundamental pra gente se aproximar da história, não é? Eu detesto quando a personagem é sem empatia, quando não me desperta nenhum sentimento.
Quero tanto ler esse livro! E descobrir essa alegria que você refere.


Lore 20/07/2013minha estante
Oi Ju! Então, vou começar falando que achei lindíssima a capa do livro desde a primeira vez que o ví em uma estante no skoob, mas nunca tinha tido real interesse pelo livro por desconhecer sua história, e sua sinopse não me fascinou a primeira vista. É a primeira resenha que leio sobre Simplesmente Ana, e Ju, você conseguiu despertar minha curiosidade com relação à ele! Sério! Você descreve a obra de forma tão envolvente e apaixonada que me deu vontade de ir até uma livraria agora e comprá-lo (quem dera isso fosse possível para mim kjslkdjslkjd). Talvez eu esteja equivocada em minha comparação mas, a história me fez lembrar do filme O Diário da Princesa estrelado pela Anne Hathaway (a propósito, adoro a Anne (: hehe ) pelo fato de uma menina normal descobrir que é uma princesa e tudo mais. Com relação ao que você citou na escrita do msn que tem em Simplesmente Ana, confesso que não gosto de ver isso em livros, sei lá, me incomoda um pouco. Admito também que já escrevi assim em um período, mas foi só uma fase graças à deus já passou alkjskdjskjd adorei a resenha Ju (:


Thaís 20/07/2013minha estante
Que livro lindo Ju!
Não sabia que a Ana era mineira haha a unica diferença é que eu não sou de BH (chora :'|) Adorei a história era bem o que eu imaginava, eu amo essa capa, e acho que a conversa no msn não ia me incomodar rs sou danada para abreviar as coisas de vez em quando, mas essa minha mania eu venho melhorando haha (eu era bem pior)


Cris 30/07/2013minha estante
Quero ler este livro desde que foi lançado. Acho a história linda, fora a capa, que é muito fofa. Adoro conto de fadas modernos e não sabia que teria continuação também... Parabéns pela resenha.


Michelli Prado 02/08/2013minha estante
Estou muito curiosa com esse livro, desde que vi a capa. Parece ser um história leve, porém boa, assim como você disse. Estou bem ansiosa pra ler, principalmente por se tratar de um livro nacional


Bia 07/08/2013minha estante
Adorei a resenha! Louca pra ler esse livro, principalmente por causa do título rsrs




Nii. 17/06/2013

Que livro bom!

‘Simplesmente Ana’ me surpreendeu em todos os aspectos. A história foi bastante diferente do que eu imaginava, mesmo lendo a sinopse, e a narrativa fluida da Marina Carvalho somou a isso tornando a história viciante. Não consegui larga o livro até saber o final!

Ana tem vinte e poucos anos e é estudante de direito (!), cresceu acreditando que o pai largou ela e a mãe e por isso nunca quis conhecer suas origens completamente. Então ‘um belo dia’ ela recebe uma mensagem de um homem que alega ser o seu pai e com isso Ana vai acabar descobrindo que a história da sua vida é muito maior do que tudo o que ela e a família têm em Minas Gerais. E um reino em Krósvia faz parte dessa descoberta. Descobrir-se Princesa de uma hora para a outra não será fácil.
A história de ‘Simplesmente Ana’ não é original, longe disso, já foi vista em vários estilos de mídia. Mas a narrativa da autora é tão envolvente e a Ana é tão cativante que o clichê se transformou em um ponto positivo na história. Inclusive a Ana verbaliza esse clichê todo, o que é divertido.

A Brasilidade da Ana também é outro motivo para ler o livro. Você consegue se identificar a todo o momento. Acho difícil – independente de qualquer coisa – você não conseguir gostar dela. Eu ria com as expressões e todo o jeitinho nosso personificado na Ana. A Marina Carvalho construiu essa imagem muito bem.

E o Alex? Como não se apaixonar por ele? Quem começa marrento mais aos poucos vai mostrando que é um cara incrível, mas não perfeitinho. Bastante realista.

Um livro que faz jus a todos os elogios e que vale muito a pena ler se você curte o estilo da temática e o gênero. E, claro, com o plus da autora ser uma Brasileira bastante talentosa.
comentários(0)comente



Cris 06/07/2014

Conto de fadas dos dias atuais
A história é narrada por Ana Carina Bernardes, ou simplesmente Ana. Ela é uma mineirinha de 20 anos que leva uma vida sossegada morando com sua mãe, e estudando Direito na PUC. Ela não se preocupa com a moda e suas tendências, é muito madura, inteligente e viciada em livros e internet.
A trama começa a ganhar vida, quando ela recebe uma mensagem pelo Facebook de um homem desconhecido com a seguinte frase:

”Desculpe, mas acho que sou seu pai” (Oi?)

O mundo de Ana obviamente desaba, pois a única versão que ela conhecia era de um “pai misterioso” que sumiu do mapa assim que descobriu que sua mãe estava grávida dela. Mas, será essa a verdade? Bem, a verdade é: Ana Carina era filha de Andrej Markov, “rei da Krósvia” um pequeno país na Europa, entre a Itália e a Eslovênia. - Para tudo, ela é uma Princesa…

Após várias apresentações, mentiras desfeitas e muito chororô, Ana impulsionada pela família e por sua melhor amiga Estela, decide passar uma temporada com a família real. Mesmo com a atitude tomada, Ana se vê muito insegura sobre seu futuro afinal, tudo seria deixado para trás, estudos, seu estágio, pessoas importantes, enfim… tudo com um único propósito, conhecer suas origens! - E lá vamos à Krósvia rs!

E é entre uma apresentação e outra, que ela conhece Alexander Jankowski, era nítido o clima de tensão vivenciado pelos dois - isso mesmo, assim que os dois se olharam, uma rincha surgiu no ar,- isso porque Alexander era filho postiço de Andrej, e ele por sua vez suspeitava que Ana fosse uma golpista e blá-blá-blá.

-Ah! preciso explicar algo só para atiçar a mente de vocês rs: Esse tal Alexander só podia ser a própria personificação de algum deus da beleza, era cada descrição que pelo amor de Deus rs “- OMG, que cara é esse ?” segundo nossa narradora, ele deixava Robert Pattinson, Jared Padalecki e Josh Hartnett no chinelo. – Vão para o Google e morram!!!

-Voltando à história… Com o passar do tempo, o até então bipolar Alexander se tornava um amigo inseparável de Ana… e o que aconteceu? Ahhhh! vocês já sabem… - cheguei a mencionar que esse suposto príncipe encantado tem uma namorada? É, ele tem, e ela é um nojo em pessoa.
O que irá acontecer com esses dois, aliás… esses três? Estão curiosos né? Leiam, e descubram, vocês irão amar cada capítulo, eu pelo menos amei… um verdadeiro conto de fadas dos dias atuais!
E para sair um pouco do clichê “conto de fadas e tudo perfeito” tivemos uma pequena dose de aventura e muitos cliques de paparazzi, afinal, uma fotinha da princesa da Krósvia era bem-vinda não é mesmo?

“Com a cabeça no travesseiro, fiz um balanço da minha vida pós-garota comum. Em poucos meses, deixara minha pacata existência de universitária para morar num castelo, ser apresentada para o mundo inteiro como a única princesa de Krósvia, ser perseguida por paparazzi e ter fotos comprometedoras divulgadas na imprensa. Ah! Também fora entrevistada pelo Fantástico.” (Página 259)

A narrativa da escritora Marina Carvalho flui bastante, e me conquistou de início, a leitura é um romance chick-lit*, bem gostosinho, daqueles que você devora em dois ou três dias.
Discordando de algumas pessoas, não achei o livro fraco, na minha opinião a construção dos diálogos foram até maduros e coerentes, claro, algumas coisas foram “fantasiosas”, mas estamos falando de um livro, tudo pode acontecer. Concordo que alguns pontos ficaram soltos, mas creio que isso será resolvido no segundo livro… e diga-se de passagem, estou LOUCA de ansiedade por sua continuação!!

Leitura mais que recomendada. Ressalto que nossa literatura brasileira não deixa nada a desejar para a internacional, e por este importante motivo, devemos apoiar nossos escritores!!!

Última informação: Aos amantes de romances “água com açúcar”, este livro foi feito para você.

*Legenda: Chick-Lit é a literatura voltada para o sexo feminino, vulgarmente chamada de “Literatura de Mulherzinha”. A despeito de todas as criticas, Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa. É um gênero que faz parte da literatura voltada para o entretenimento, cujo objetivo principal é divertir.

Beijos e até mais.
Jorgeana Jorge 15/05/2015minha estante
Adorei o apoio aos escritores nacionais, bj




Aione 23/07/2013

Sabe aquele livro que você começa a ler despretensiosamente e, então, não quer mais largar? Foi essa a minha experiência com Simplesmente Ana.
Sendo sincera, nos primeiros capítulos, achei a história bastante semelhante a O Diário da Princesa, então acabei ficando curiosa para ver como se daria seu desenrolar. O que achei interessante é que a própria autora inseriu essa semelhança indiretamente na história ao colocar Ana, a protagonista, comparando tal momento de sua vida com o da personagem de um livro americano adolescente lido por ela. Passado esse início, ficou nítido o rumo próprio que a história tomou.
Não apenas com uma narrativa extremamente fluida e gostosa de acompanhar, típica dos chick-lits, Marina Carvalho também criou cenários e personagens encantadoras. Como não sentir vontade de conhecer a Krósvia e suas paisagens belíssimas? E como não se apegar ao rei Andrej, à Karenina e Irina e, principalmente, ao Alex? Todos esses fatores aliados à sensação de “conto de fada” que rodeia o enredo contribuíram para tornar o livro cativante, capaz de transportar o leitor para outro mundo do qual ele não desejará sair tão cedo.
Embora o que mais tenha me agradado no livro tenham sido o divertimento e o prazer por ele proporcionados durante a leitura, Marina também inseriu, no enredo, a temática da autodescoberta e, consequentemente, do autoconhecimento, uma vez que Ana, ao entrar em contato pela primeira vez com um lado seu jamais imaginado, acaba por iniciar uma jornada para entender quem ela é por completo. Ainda assim, o livro não se torna profundo por isso – inclusive por não ser essa sua proposta - e sua leveza continua sendo uma de suas características mais marcantes.
Também, as diversas referências presentes ao longo da narrativa foram um adicional muito bem vindo. Me deliciei ao ver Sophie Kinsella e Meg Cabot serem citadas dentre os tantos autores, bem como Pedro Bandeira e a queridinha série Os Karas que tanto me alegrou em minha pré-adolescência, além das citações musicais. Foi impossível não sentir vontade de ouvir Bom Jovi no momento em que finalizei a leitura, e, para falar a verdade, durante a leitura, já que não tardei a colocar In These Arms como trilha sonora para ler uma importante cena da história.
Foram poucos os pontos que, para mim, poderiam ser ressalvados. Talvez, por estar desnecessariamente condicionada a O Diário da Princesa no início, custei a aceitar que Ana já havia passado da adolescência e ficava imaginando que ela fosse mais nova do que realmente é, o que foi um deslize meu e não do livro. Outra questão foi referente à aceitação de Ana sobre a omissão de sua mãe a respeito de sua paternidade. Para algo que havia sido tão importante em sua infância, achei que sua aceitação foi rápida demais, ainda que tenha sido explicado o porquê disso. Contudo, entendo também que provavelmente não era a intenção e o foco da autora se estender demais nessa temática, de forma que seria desnecessário se aprofundar nela.
De um modo geral, Simplesmente Ana é o típico livro capaz de proporcionar uma leitura gostosa, agradável e rápida, ainda que você possa querer diminuir o ritmo da leitura para aproveitá-la por mais tempo, e que dificilmente não arrancará suspiros quando for finalizada. Um conto de fadas moderno, daqueles que te faz sonhar acordado durante e após a leitura.

site: http://www.minhavidaliteraria.com.br/2013/07/resenha-simplesmente-ana-marina-carvalho.html
comentários(0)comente



sarah 10/04/2013

Simplesmente lindo
REsenha postada originalmente: http://umceudeletras.blogspot.com.br/2013/04/resenhando-simplesmente-ana.html#.UWXReqI3vqE

Simplesmente lindo. É assim que defino esse livro. Desde que li a sinopse me encantei a história, afinal quem não quem nunca sonhou em ser uma princesa? rsrsr E assim que tive a oportunidade não hesitei em comprá-lo.

Ana é uma mineira, universitária de bem com vida, quase apaixonada, vivendo linda e feliz aqui no Brasil com sua mãe quando de repente descobre que tem um pai e que ele é rei de uma pequena nação européia chamada Krósvia. Andrej, rei e pai de Ana, convence a filha, um pouco relutante por ter que deixar faculdade, amigos e seu quase namorado Artur, a passar um semestre com ele e conhecer o outro lado da sua família e recuperar o tempo perdido com a filha.

Ana é muito bem recebida na Krósvia tanto pelos familiares quanto pelos empregados. Claro como todo bom conto de fadas tem que ter um príncipe e esse papel ficou com o mauricinho-gostosão-com tatuagem- sexy Alexander, Alex para os intimos. Alex é enteado do rei e vai ficar encarregado de ajudar Ana com os novos costumes.

"Então ele se aproximou devagar e estendeu o braço em minha direção. Ele vai me tocar! Pensei, excitada demais para o meu gosto"

Entre os personagens o que eu mais gostei foi Alex, como resistir a um cara lindo, educado, inteligente e com um quezinho de bad boy? Gostei da Ana também, mas às vezes ela me parecia meio infantil. Achei que faltou um pouco mais de desenvolvimento da história de pai e filha mas percebi que o foco era no romance por isso relevei. O enredo do livro é simples e empolgante daqueles que te prende e é narrado pela protagonista.

" - O que tem debaixo dessa manta? - Quis saber, com os olhos carregados de segundas intenções - Simplesmente Ana."

Marina Carvalho foi muito muito feliz ao escrever esse livro com citações atuais de músicas e bandas e usando até algumas gírias. Algumas coisas me lembraram O Diário da Princesa da Meg Cabot, talvez por o plot ser parecido, o que pode levar a comparações, mas na minha opinião Ana é muito mais legal que a Mia (Sorry Meg). A Editora também está de parabéns a capa é linda, a diagramação está perfeita e não encontrei nenhum erro. Super Recomendo!
Marina 10/04/2013minha estante
Obrigada, Sarah!
S2




Nati 18/01/2014

Simplesmente Ana foi uma história que superou minhas expectativas, porque mesmo sem jamais ter lido os livros da série diário de uma princesa eu realmente comparei a história da nossa mineirinha Ana com a americana Mia (a do filme já que não li os livros).
Mas as semelhanças param só na premissa de princesa perdida, porque de resto não tem nada igual. Ana é uma estudante de direito que vive uma vida normal com sua mãe, avós e amigos até que uma mensagem no facebook muda sua vida de uma vez por todas.
De uma hora para outra nossa protagonista descobre não só que te um pai, como também que é uma princesa de um país europeu. E ela se decidi passar uma temporada com seu pai e sua família no país natal deste. Ana só não contava com a presença constante de Alex, seu "quase-irmão mauricinho gostosão".
Me apaixonei por esse livro. Como sou uma romântica de carteirinha ele me fez suspirar com Alex e querer esganar Ana todas as vezes que ela não queria enxergar o quê estava na cara. Torci de mais pelo dois e quis esfolar nome de cachorro, agrrr. Ainda me apaixonei por Andrej e pelo pessoal do castelo.
Esse livro é romântico, mas não chega a ser água com açúcar, mas também é leve e divertido. E o melhor de tudo é que foi escrito na nossa tão amada língua,porque é cheio de expressões próprias da nossa língua e que muitas vezes perdemos com as traduções.E vê-las nas páginas só fez me aproximar mais da história. Sem falar na escrita maravilhosa da Marina Carvalho que é muito fluída.
No entretanto a cereja do bolo é a trilha sonora que são as músicas que as personagens ouvem no decorrer do livro e que eu colocava para ouvi enquanto lia. Bon Jovi S2.
Final lindo, mas ficou gostinho de quero mais. Espero que tenha continuação, porque já estou com saudade.
Renata CCS 17/03/2014minha estante
Que bela resenha! Muito fofa!


Nati 23/03/2014minha estante
Obrigada. :)




351 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |