Jardim de Inverno

Jardim de Inverno Kristin Hannah




Resenhas - Jardim de Inverno


308 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Roberta.DAvila 22/05/2019

O livro mais lindo e emocionante que já li!
Nunca chorei tanto lendo! Que história gente! Linda e triste... Só lendo pra saber. O começo parece meio parado, que a história não vai desabrochar, mas é essencial pra conhecer os personagens! Só digo uma coisa: leiam!!
comentários(0)comente



Juliana.Dias 21/05/2019

Jardim de Inverno
Surpreendente e maravilhoso. A autora consegue transmitir a essência de cada personagem envolvido e isso faz toda diferença no enredo. A história vai se revelando complexa, envolvente e triste à medida que o livro avança. Bem diferente do início despretensioso. A tristeza vai se transformando em algo libertador e o final é simplesmente lindo! Recomendo a todos!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Andy.Vieira 22/03/2019

“VOCÊ FICARIA SURPRESA COM O QUE O CORAÇÃO HUMANO PODE SUPORTAR”

Anya é uma mãe fria e distante das filhas, Meredith e Nina, que cresceram acreditando que a mãe não as amava. O elo que une essas três mulheres é o pai, um homem alegre que fez o possível para que as filhas se sentissem amadas e que sempre quis que as filhas se aproximassem, tentassem conhecer a mãe e entendê-la.

Quando ele morre faz a filha mais nova prometer que fará com que a mãe lhes conte seu conto de fadas até o final. Nina era apaixonada pelos contos de fadas, quando pequenas a mãe apagava as luzes e contava para as filhas a história do Príncipe e da Camponesa, era o único momento em que elas tinham contato, mas após as filhas tentarem encenar a história em uma peça de Natal, a mãe ficou furiosa e a relação entre elas ficou ainda mais vazia.

As irmãs são muito diferentes. Meredith é a controlada, obcecada pelo trabalho a ponto de não perceber o quanto está se afastando do marido. Nina é aventureira, ela viaja pelo mundo tirando suas fotos e não consegue fincar raízes em lugar algum, mas ambas tem dificuldade de expressar o que sentem e demonstrar amor, assim como a mãe.

Agora que o pai se foi é difícil cumprir a promessa de cuidar de Anya, após a morte do marido que ela amava, ela fica ainda mais estranha e parece delirar, citando os contos de fadas e perdendo a força que sempre demonstrou. Nina faz o possível para convencer a mãe a lhe contar suas histórias e apesar da resistência de Anya, a teimosia de Nina acaba vencendo, mas existe muito mais nessa história do que elas podem imaginar e a verdade pode ser extremamente dolorosa.

Quando iniciei a leitura de O Jardim de Inverno não tinha nenhuma expectativa, no principio não me conectei com nenhuma das personagens e a narrativa foi um pouco mais lenta, já que somos apresentados aos personagens e ao ambiente em que estão inseridos, mas rapidamente a leitura começou a fluir e fui ficando muito curiosa em relação à Anya, no início é fácil não gostar dela e imaginar como uma mãe pode ser tão distante de suas filhas.

As personagens têm muitos defeitos, em muitos momentos tive vontade de sacudir Meredith e dizer pra ela não ser burra rs. O engraçado é que durante a leitura nos afeiçoando a essas mulheres e mesmo o livro sendo em terceira pessoa, consegui me conectar com elas e ao que estavam sentindo.

A melhor parte é a narrativa de Anya, é emocionante e é impossível não ficar extremamente curioso para saber onde ela irá chegar e quem realmente ela é. Foi um livro emocionante e que me surpreendeu muito, tendo um pano de fundo da segunda guerra.

Até onde as pessoas vão para proteger quem se ama? O que a guerra causa e quais marcas ela deixa? O quanto nossas atitudes do passado podem afetar o presente? Como conviver com a culpa e com a perda?

É um livro lindo que nos mostra o quanto uma pessoa pode surpreender e o quanto não devemos julgar, além disso, o final é incrível.

“Nós mulheres, fazemos escolhas pelos outros, não por nós mesmas. E quando somos mães, nós suportamos o que for preciso por nossos filhos.”


site: https://divagacoesdeleitora.blogspot.com/2018/05/resenha-o-jardim-de-inverno-kristin.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Letícia Novaes 27/02/2019

Favorito da vida!!
Sabe quando você termina uma leitura e não sabe o que sentir? Foi o que aconteceu comigo. Eu estava em choque, pois livros que tem como cenário as grandes guerras, mexem muito comigo. "Meredith e Nina nunca foram próximas de sua mãe, nem tiveram uma relação de afeto com ela. Mas o pai delas faz um pedido para que mãe e filhas se conheçam de verdade, para então conseguir perdoar todos as mágoas do passado." Esse livro me fez chorar nas primeiras páginas e quando terminei estava ao prantos!! Adoro livro que me faça ter alguma emoção durante a leitura, valeu muito a pena. Se tornou um dos meu favoritos!
comentários(0)comente



Juliana Baratti 20/02/2019

Perfeito
Maravilhoso!! Me peguei rindo e chorando em várias partes. Perfeitamente escrito, teletransporta vc para as cenas... não sei como vou escolher outro pra ler depois desse... precisarei de tempo para digerir, não queria que acabasse.
comentários(0)comente



Camila Robyn 14/01/2019

Muito bom
Logo nas primeiras 200 páginas eu achei muita enrolação, fiquei com muita vontade de abandonar a leitura. Mas a curiosidade em saber qual era o segredo da Mama de Meredith e Nina foi maior do que a vontade de abandonar o livro.

Realmente valeu a pena não desistir do livro, porque eu gostei muito da história e como ela se desenrolou depois.
comentários(0)comente



Lêdo 10/01/2019

Dê uma chance ao jardim
O livro no começo, pra mim, foi chato e quade desisti. NÃO DESISTA. Dê uma chance para Jardim de Inverno que conta a história de uma russa, fria, fechada e que não demonstra nenhum tipo de amor para com as filhas. Anya que revela-se através do seu grandioso conto e que é o ápice da história torna-se surpreendente. É o tipo de personagem que você odeia no começo e ama no fim. Prepare os lenços, essa história provavelmente vai te fazer chorar.

"Alegria e tristeza eram parte do pacote; o truque, talvez, fosse permitir-se sentir tudo, mas agarrar-se à alegria um poquinho mais, porque nunca se sabe quando um coração forte pode desistir."
comentários(0)comente



DANIELA 07/01/2019

História entre o amor de pais e filhos e sobre força e superação com leve toque de mistério. Um ótimo romance , um aprendizado sobre a história Russa
comentários(0)comente



Lovett (@bloglariteratura) 03/01/2019

Um Triste Conto de Fadas
Oi, leitores!

Acredito que se você já leu “O Rouxinol”, esse livro é uma leitura quase que complementar.
Eu já disse antes por aqui que gosto muito de livros que me ensinam mais sobre o período da 2ª Guerra Mundial. Mais uma vez, Kristin nos concede essa oportunidade e nos apresenta uma outra visão deste período tão devastador.

Como vocês podem perceber ao acompanhar as notícias atuais, estamos precisando mesmo relembrar e aprender sobre as consequências que uma ideologia extremista pode trazer.

Se você gosta de começar a ler meio que às cegas, não aconselho ler a partir daqui, tudo bem?

Neste livro, acompanhamos a história de duas irmãs que, ao perderem o pai, são forçadas a se aproximarem da mãe, com quem tinham uma relação bem distante. Juntamente com Meredith e Nina, vamos desvendando os acontecimentos que transformaram Anya nessa mãe aparentemente fria e sem apego pelas filhas. E, acreditem, vale a pena a espera.

Anya nasceu em Leningrado (hoje conhecida como São Petersburgo), na Rússia, e foi nessa cidade que sua história de sobrevivência começou. Passando pelo governo de um ditador (Stalin) e pela invasão de outro (Hitler), Anya perdeu tanto que não soube o que fazer quando passou a ganhar.

O enredo progride lentamente, mas perto da metade, já engatamos numa curiosidade e não queremos parar mais de ler. É incrível como Kristin consegue nos fazer sentir tantas emoções únicas em cada livro que escreve!

Pesquisem mais sobre o Cerco de Leningrado, antes ou depois de lerem este livro. Assim temos uma noção maior e mais real da dificuldade que a personagem passou durante estes anos sombrios.



site: http://instagram.com/bloglariteratura
comentários(0)comente



Carol Ribeiro @carolcombina 02/01/2019

Surpresa com o desenrolar da história
Começo massante e final maravilhoso...
A primeira metade do livro é uma repetição de acontecimentos em torno da mesma coisa, sem muito desenvolvimento.
Acho que a primeira parte poderia ser contada de forma mais breve e objetiva sem perder nada na qualidade do conteúdo.
Entretanto, do meio para frente é maravilhoso...
Me pareceu, inclusive, que a segunda metade nem foi escrita pela mesma pessoa da primeira.
Apesar do começo arrastado, não me arrependo da leitura e me emocionei com alguns trechos mais ao final...
As partes que contam a história da guerra, realmente conseguem nos transportar para aquele momento e nos fazer quase sentir como era difícil e como se perdia a noção da realidade!
Não vale as cinco estrelas, mas ainda assim Recomendo!!!!
comentários(0)comente



Sara.Marques300 11/12/2018

Nem sei o que dizer.
Eu só gostei do livro depois que já tinha lido mais da metade, indo pro final. Achei a escrita boa mais a escritora enrolou demais na história tornando-a cansativa.

A história em si é linda, me emocionei muito quando chegava nas partes que a Anya contava sua história, só essas partes já seriam suficientes para um enredo perfeito. Já todo o resto só foi enrolação, de início pensei em abandonar a leitura mais ainda bem que não o fiz, porque de qualquer forma foi uma leitura muito marcante.

Resumidamente, as filhas Mereredith e Nina sempre tiveram a sensação de que sua mãe Anya nunca as amou, um tanto fria e dura nunca foi de demonstrar qualquer sentimento pelas filhas. Só depois da morte de seu papa e que as meninas se viram na "obrigação" de cuidar da mãe e honrar o último pedido de seu pai. Em meio a um suposto conto de fadas, as duas irmãs descobrem a heroína e sobrevivente que sua mãe é.
Com contexto histórico da segunda guerra mundial ( que eu amo), a história dessa mulher se passa na Rússia no governo de Stalin, então prepare o coração.
Julis 20/12/2018minha estante
eu estou no meio do livro e estou com a mesma sensação que vc, tá muito enrolado, mas vou continuar pq agora tô curiosa pra saber a história da mãe


Carol Ribeiro @carolcombina 02/01/2019minha estante
Pensei exatamente o mesmo... Poderia eliminar boa parte da primeira metade do livro, não faria falta nenhuma. O livro é bom, mas tem muita coisa desnecessária...


Sara.Marques300 02/01/2019minha estante
Exatamente. Mais a parte da Anya era lindo, como eu disse de qualquer forma foi uma boa leitura.




Bibi 11/12/2018

Enrolado demais
Parece que faz anos que estou lendo esse livro. Essa autora fez muitos rodeios para revelar o que tinha acontecido.
Só gostei de 70% pra frente, o começo é só enrolação.
comentários(0)comente



308 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |