Jardim de Inverno

Jardim de Inverno Kristin Hannah




Resenhas - Jardim de Inverno


308 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Marci 05/05/2013

Eu sei que agora que eu li esse livro, nunca mais vou ver o inverno da mesma maneira.
E eu amo o inverno.
Kristin Hannah escreveu uma historia comovente, intimidante, extremamente triste e ao mesmo tempo cheia de amor. Eu nunca li nada igual. E não era nada do que eu estava esperando ou antecipando quando comprei o livro.
O inicio é meio lento, embora seja necessário para você entrar na pele das três protagonistas e conseguir entender e sentir como os personagens se sentiram.
A maneira como o conto de fadas se transforma em vida real é lenta, quando imperceptível, e então em um momento você percebe que aquilo é muito mais do que parece ser. Você se apaixona pelos personagens, principalmente pela força com que eles lidam com todos os problemas que se dão devido a segunda guerra. A escritora não diminui a situação em que as pessoas naquela época na Russia se encontravam, o que tornava o livro e as personagens mais reais ainda. E mesmo sabendo que eles eram fictícios, eu pensava o tempo todo "isso realmente pode e deve ter acontecido com alguém".
Embora a primeira impressão do livro esteja com alguns erros, a força com que tudo é contato não deixa você perde a linha da leitura, e essa flui de maneira maravilhosa. Este definitivamente foi um dos melhores livros que eu já li e eu super indico.
Cinai Machado 10/05/2013minha estante
Adorei o que vc disse a respeito desse livrinho!! Já estou com ele aqui, vou pegá-lo rápido, valeu!!
Abç ae


Bruna Brum 27/06/2013minha estante
Adorei sua resenha Marci
E foi exatamente isso que eu pensei o tempo todo: " Isso realmente pode e deve ter acontecido com alguém.".

Incrível!


Bea 09/08/2013minha estante
Terminei de lê-lo a poucos minutos e o que você escreveu é exatamente o que estou sentindo...
Realmente um dos melhores livros que li também!!!


ar7140@gmail.co 13/12/2013minha estante
Marci concordo com voce quando diz que o começo é meio lento, pensei que tinha sido a única a achar isto. Eu estava quase desistindo da leitura, pois estava achando a leitura cansativa sem novidades. Mas o fechamento do livro é maravilhoso, emocionante, marcante e meus invernos nunca mais serão os mesmo também. O tipo de livro que fica na memória para a via toda


Amandaa 21/02/2014minha estante
Fiquei com depressão pós-livro a história é tão boa, tão comovente que fiquei pensando nos personagens ... e olha que na hora de comprar estava na dúvida e uma pessoa me viu com ele na mão e falou olha esse é muito bom, arrisquei o palpite e não me arrependi


Marcia 26/04/2014minha estante
Eu amei este livro, comecei a ler sem muita pretensão, eu queria ler uma história nova de um livro que eu não conhecia e tinha ganhado da minha irmã de Natal, confesso que fiquei muito surpresa, personagens fortes e marcantes, um enredo maravilhoso que te prende, as lembranças de Vera na Guerra , suas dores, todas as suas lutas por várias vezes fiquei tentando me imaginar naquela situação, tão difícil ! e o final foi tão lindo!! Gostei muito mesmo , vale muito a pena ler este livro é lindo!


Julia 22/05/2014minha estante
Esse livro entrou para um dos meus preferidos!!
Como você disse nunca poderia ter antecipado uma história dessa!! Um livro que vale a pena!!!


Ana 11/08/2014minha estante
PER.FEI.TO!


Hellen 22/08/2014minha estante
LINDO


LU 01/11/2014minha estante
Essa autora consegue me arrebatar com suas histórias comoventes e sempre escritas de forma brilhante! Totalmente amei!


giosg 06/12/2014minha estante
achei esse livro lindissimo!


Carla Cristina 12/02/2015minha estante
Adorei sua resenha. Passou muito do que eu senti.
Eu comecei a ler achando que iria encontrar algo totalmente diferente do que eu li. Não achei o livro paradinho... achei que cada personagem teve sua trama muito bem desenvolvida. Amei este livro e já coloquei ele como um dos meus preferidos!


Aline 18/02/2015minha estante
Este livro simplesmente fez a diferença na minha vida!! ele me fascinou de um jeito, justamente por você acabar pensando, alguém ou muitos passaram por isso naquela época, pesquisei mais a fundo e as chances aumentaram o que só me fez gostar ainda mais desse livro o tão rico em detalhes reais da situação porém com personagens fictícios.
Um dos melhores que já li com certeza!!!


Leka Turunen 21/02/2015minha estante
Terminei de ler há pouco e estou completamente sem palavras. As lágrimas respondem por mim.


Olivia 25/09/2015minha estante
Muito boa a resenha! Livros sobre Leningrado me deixam desorientada tamanho o sofrimento que milhares de pessoas sentiram. E estou com uma Ressaca literária enorme e com o coração apertado. Mas valeu cada minuto e cada página!


Fabiana 28/03/2016minha estante
Concordo totalmente com você! Leitura maravilhosa, forte, fazia tempo que não lia um livro tão lindo!!


Fabiana 28/03/2016minha estante
Concordo totalmente com você! Leitura maravilhosa, forte, fazia tempo que não lia um livro tão lindo!!


Claudia 28/03/2016minha estante
Flor, gostaria de usar seu comentário em um texto que estou escrevendo.
Você conseguiu captar a essência e a transformar em palavras...
Posso fazer isso?


Roseana 29/05/2017minha estante
Esta agora na minha lista de livros preferidos e dos meus livros mais lindos que já li.


Naty 24/07/2017minha estante
Lindo, emocionante, livro perfeito, daqueles que não dá pra largar enquanto não chegamos ao fim.
Uns dos melhores livros que li, e o que eu mais chorei.


Rose_Asano 13/09/2017minha estante
Você consegui descrever exatamente o que eu senti lendo livro... O livro é surpreendente, envolvente.... maravilhoso.


Roberta.DAvila 22/05/2019minha estante
O livro mais lindo/triste que li até hoje.




Michele 12/05/2013

Encantadoramente lindo... como um jardim de inverno deve ser..
Quando somos mães, no´s... suportamos o que for preciso por nossas crianças. Você vai protege-las. Isso vai doer em você; isso vai doer nelas. Seu trabalho é esconder que seu coração esta se partindo e fazer o que elas precisam que você faca...
nossa fiquei estupefata depois que terminei de ler o livro... lagrimas a parte o livro é uma lição de vida surpreendente... me encantei com os personagens e Vera vai ficar para sempre na minha memoria..
o livro começa com uma parte da infância da Meredith e nina e com a mae nem um pouco afetuosa delas. Anya nao é uma mae convencional ela nao fica feliz com festas, nao abraca suas filhas e os invernos sao sempre muito difíceis para ela... Meredith cansou de tentar entender sua mae, e nina entao nem se fala de modo que cada uma tomou um rumo e a unica coisa que liga elas é o amor incondicional que ambas sentem pelo pai e marido Evan...
Agora a unica ligacao que elas tem esta indo embora junto com a vida de Evan... Evan ama Anya e por ela faz um ultimo pedido pede para sua filha Nina a mais teimosa conhecer a mae... como se fosse fácil... pede para ela que peca a mae para contar uma historia, a historia da camponesa e do principe... mas como uma historia um conto de fadas ira ajudar as filhas a conhecerem a mae?? isso so lendo o livro pra saber ..
Nós mulheres, fazemos escolhas pelos outros, nao por nos mesmas. E quando somos maes, nos suportamos o que for preciso por nossos filhos...
comentários(0)comente



Ju 21/06/2013

Jardim de Inverno
Minha história com Jardim de Inverno foi bem complicada. No início eu estava odiando. Mesmo. Acho que não é uma experiência comum, porque a nota dele no skoob está muito boa. Mas, se eu tivesse o hábito de abandonar livros, com certeza teria feito isso. E, bem, agora fico grata por não ter esse costume. Porque eu me apaixonei pela segunda metade do livro.

No início da história, conhecemos Evan e Anya Whitson, um casal que vive em Washington em uma espécie de "castelo russo". É que a casa deles lembra muito esse tipo de construção, já que Anya é russa e, aparentemente, convenceu o marido a lhe permitir ter um pedaço de casa sempre consigo. O casal tem duas filhas: Meredith, a mais velha e que seguiu os passos do pai até mesmo na constituição de sua família - é casada com Jeff e tem duas filhas, Jillian e Maddy -; e Nina, que tem uma vida bem diferente.

Ela é uma fotógrafa muito famosa, que já viajou por grande parte do mundo para captar momentos que mostrem a todos até onde a maldade humana pode chegar, seja em relação a outros seres humanos, seja em relação aos animais. Nina namora Danny há vários anos, mas eles só se encontram eventualmente, quando os dois conseguem um tempo disponível.

"Como ela, tinha olhos velhos. Era uma consequência da profissão. Tinham visto coisas terríveis demais. Mas fora isso que os aproximara. O que tinham em comum. O desejo de ver tudo, de conhecer tudo, não importava qual terrível fosse."

Quando o pai de Nina fica doente, ela precisa voltar para casa e fazer o que considera quase impossível: descobrir um modo de amar sua mãe e de sentir-se amada por ela. Mas uma promessa feita ao pai lhe dá forças, e seu faro investigativo faz o restante. Sabe que realmente precisa ouvir um "conto de fadas" que a mãe começou a contar quando ela e a irmã eram crianças. Precisa saber o fim da história, e prestar atenção de verdade no começo também.

"- Perder o amor é algo terrível - Mamãe disse suavemente -, mas virar as costas para ele é insuportável. Você vai passar o resto da vida repassando isso na sua cabeça? Imaginando se se afastou cedo demais ou com facilidade demais? Ou se vai algum dia amar alguém novamente com tanta profundidade?"

Foi exatamente essa história que chamou minha atenção e que me prendeu ao livro depois de muito tempo sofrendo com a leitura. Quando Anya toma a decisão de contar o "conto de fadas", a narrativa cresce muito. Vemos cada uma dessas mulheres se redescobrindo, crescendo, mudando. Vemos as três se tornando uma família. A história é mega emocionante e tocante, e não tem como não se entregar a ela.

"Como era possível que sua vida inteira fosse destilada nessa verdade tão simples? As palavras importam. Sua vida fora definida por coisas ditas e não ditas."

Não quero contar muito para vocês (na verdade a sinopse já conta demais), mas preciso comentar que a Segunda Guerra está presente em grande parte das páginas, e que muitas coisas que lemos são de partir o coração. É inacreditável o horror que a guerra pode proporcionar. Dói só de imaginar, não consigo ter noção de como é viver numa época dessas, em que tudo é tirado de você, inclusive grande parte de sua humanidade.

"- Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar."

Mas, no fim, o livro tem uma mensagem de esperança. Não tem como terminar a leitura sem ter repensado a própria vida. E, agora, é impressionante como acredito mais na minha força e capacidade. Tenho até tomado decisões importantes que foram adiadas por bastante tempo. Obrigada, Kristin.

"- Nós, mulheres, fazemos escolhas por outros, não por nós mesmas, e, quando somos mães, nós... suportamos o que for preciso por nossas crianças. Você vai protegê-las. Isso vai doer em você; isso vai doer nelas. Seu trabalho é esconder que seu coração está se partindo e fazer o que elas precisam que você faça."

Postada originalmente em: http://entrepalcoselivros.blogspot.com.br/2013/06/resenha-jardim-de-inverno.html
Adriane Rod 23/06/2013minha estante
Adorei saber que em algumas partes a Segunda Guerra Mundial aparece, adoro histórias que envolvam as guerras.

Eu já queria muito ler o livro, agora eu quero ainda mais.

;)

http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/


Duh 25/06/2013minha estante
Gostei da história em si, o fato de haver um segredo a ser revelado e este segredo unir mãe e filhas, parece realmente ser uma história emocionante. Só algo me incomodou um pouco, os quotes, nada contra, até gosto, mas quando estes aparecem muitas vezes no meio do texto, atrapalha um pouco o ritmo de leitura... Contudo, gostei da resenha, você passou o necessário sem revelar muita coisa. XD


Lua 26/06/2013minha estante
O titulo e a capa, remetem exatamente o tema do livro. Também achei que a sinopse revela demais (pois já tenho uma ideia do que se trata esse segredo), porém, se não estivesse assim, eu não ficaria me corroendo de vontade para lê-lo. Amo livros assim, cheios de emoção de superação de história.

Ótima resenha, Beijos!


Juh 26/06/2013minha estante
Nossa Ju amei a resenha. Desde que esse livro foi lançado que estou com vontade de ler ele. Nossa ela parece transmitir uma realidade muito dura e cruel e ao mesmo tempo nos levar a refletir e a acreditar mais em nós mesmo. Amo livros que me fazem repensar na vida. E o book trailler? Simplesmente amei!! Repassa realmente a emoção do livro. !!


Wal @fantasiandopaginas 28/06/2013minha estante
Sua resenha me convenceu a pular uns livros e o ler antes, achava que era so um romance e fico feliz em saber que tem muito mais no livro.


Thaís 01/07/2013minha estante
Oi Ju!!!
Realmente sua resenha me deixou espantada, pois nunca tinha olhado para o livro dessa forma, (até pq a capa não retrata muito esses sofrimentos) Adorei saber que o livro te prendeu, mesmo que não tenha sido desde o inicio, acho que isso é muito importante, pois conseguimos nos prender mais a história assim! Bjinho


Manuella 01/07/2013minha estante
Ju, minha linda! Amei sua resenha, sua visão das personagens e, graças, não abandonou o livro e veio nos contar.
Eu tb sou resistente a livros que não me conquistem logo. Não tenho peninha e abandono mesmo, haha! Mas quando leio resenhas e comentários que convençam a continuar q a surpresa é boa, ah... então eu vou em frente.
O q mais gostei nesse livro foi esse conflito familiar. As relações mais conturbadas me atraem, pq gosto de analisar as personagens e suas atitudes, sem julgá-las, mas procurando ver como elas se sentem.
A referência à grande guerra tb me seduz, gosto da época e dessas lembranças dolorosas, rsrs, acho que fazem as personagens crescerem.
Quero muito, muito esse livro!


Ana Lopes 04/07/2013minha estante
Eu li esse livro e simplesmente me apaixonei por ele, terminei a leitura despencando em lágrimas , e por isso vai ficar marcado na minha vida :)


Thay Ribeiro 06/07/2013minha estante
A capa é linda demais!!!Gostei muito da resenha! Principalmente dos quotes que você colocou, eles são lindos!Fiquei bem curiosa para ver essa família se reconstruindo!


Moon 08/03/2014minha estante
Eu também achei o inicio fraquinho, mas o meio e o desfecho da história me surpreenderam. Tocante e emocionante que, como você disse nos faz repensar a nossa vida.




Saleitura 14/10/2013

No Prólogo a autora uma passagem na infância de Meredith e Nina que nos apresenta os 5 principais personagens nos colocando dentro dessa linda história desde o primeiro capítulo.
Um pai muito amoroso e uma mãe totalmente indiferente, foi assim que Meredith e Nina cresceram e vivem até hoje. Da mãe, a única coisa boa que guardam são os contos de fada que ela contava, mas até isso tirou delas. Porém quando o pai está para morrer, pede que ela conte a história toda, e faz Nina prometer que fará a mãe fazer isso, pois só assim poderiam entendê-la. E você que estava envolvido com os personagens e a história, se envolverá ainda mais nessa história que não vai querer parar de ler e se emocionar muito.
Ah prepare-se para um final daqueles que vai lhe deixar pensando por algum tempo. A história nos dá uma enorme lição de vida e não podemos perder essa oportunidade.

"— Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar."


A capa é linda e tem tudo a ver com a história, o que vemos pouco hoje em dia. Personagens fortes, bem construídos, e uma forma de contar uma história do jeitinho que gosto, que me envolve desde o início, que me faz querer mais e mais. Daquelas histórias que você se envolve desde a primeira frase, nada de repetições ou enrolações e eu adoro histórias assim. E haja emoções!!

Pessoalmente tenho sentido dificuldade em resenhar livros onde a sinopse já diz tudo, até mesmo algumas surpresas. Tento escrever guardando algumas coisas para que o leitor as descubra e se surpreenda.
Espero que gostem, se emocionem e tirem lições tanto quanto eu.

Boa leitura!

Resenhado por Luci Cardinelli
http://www.skoob.com.br/usuario/377269-luci-cardinelli


site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2013/10/resenha-do-livro-jardim-de-inverno-de.html
Maristela 08/12/2013minha estante
Sempre quis ler esse livro e espero ter a oportunidade de fazê-lo. Acho a história interessante sem contar que a capa é linda demais.


Pandora 08/12/2013minha estante
Esse é um livro que a principio não me chamou atenção, mas depois de ler as resenhas nos blogs fiquei com muita vontade de ler... Quem sabe não ganho ele néh?!?!


Cinthia 08/12/2013minha estante
"? Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar." Muito profunda a declaração, e acredito que esse livro é assim, profundo e lindo, daqueles que mexem com aquele que o lê.


Rayme 09/12/2013minha estante
Tem sinopses que contam até mais do que deveria né? hahahaa
esse livro parece ser ótimo! a história parece ser incrível e bem marcante.
impossível não ler algo sobre ele e não querer ler!


Fernanda @condutaliteraria 09/12/2013minha estante
A capa é linda mesmo!
Adoro histórias envolventes e marcantes e esse livro parece ser assim.
Com certeza está na minha lista de desejados.


Cris 09/12/2013minha estante
É chato quando a sinopse revela mais do que deveria. Mas este livro parece ser bem emocionante. A capa é linda mesmo.


Thicy 13/12/2013minha estante
Na primeira vez que eu vi o livro, o que mais chamou minha atenção foi a capa. Porém as resenhas que li só aumentaram a minha vontade de lê-lo!!


Gladys 26/12/2013minha estante
Essa trama parece bem emocionante.
Pretendo lê-la em breve!


Tânia Regina 27/12/2013minha estante
Me parece uma história e tanto. Parece algo de época, meio romance antigo. Também adoro surpresas nos livros que eu leio. Valeu \0/


Roseli 02/01/2016minha estante
Adorei, foi um livro que mexeu muito comigo, acho que daria um ótimo filme.




Bia Rodrigues 27/05/2013

Jardim de inverno é um dos livros mais emocionante e marcante que eu li na vida. Nunca pensei que pudesse me emocionar ainda mais com uma historia sobre a segunda guerra mundial, já li muitas historias sobre o tema, seja ela fictícia ou não, e achava que não poderia encontrar uma que conseguisse quebrar ainda mais o meu coração.

Kristin Hannah tem aquele poder que poucos autores no mundo conseguem ter, consegue te fazer rir e chorar com a mesma historia. Consegue fazer com que aquela historia te marque tanto a ponto de fazer você ver a vida de uma forma diferente depois dela. Não tem como ler esse livro e não parar para refletir. Não tem como ler esse livro e continuar vendo o inverno da mesma maneira.

O inicio do livro é um pouco lento, mas isso é necessário para que possamos conhecer melhor a personalidade dessas duas irmãs tão diferentes. Mas que ao mesmo tempo sentem a falta da mesma coisa, do afeto e do amor da mãe. Com relação a Anya ela é uma incógnita desde as primeiras paginas, é uma personagem que me fascinou e me fez sentir ódio em iguais proporções, eu precisava ler o livro o mais rápido possível para entender porque ela agia dessa forma fria com as filhas.

Quando crianças Anya tinha o costume de contar uma historia de conto de fadas para as meninas e esse era o único momento em que as filhas se sentiam ligadas a mãe. Com a morte do pai e o pedido para que fizessem a mãe contar aquela historia até o fim tudo na vida delas começa a mudar, e somente o final de um conto de fadas pode faze-las entender tudo e finalmente poderem se descobrirem.

A forma como a autores escolheu para compartilhar a historia do passado de Anya foi essencial para tornar esse livro único. Se essa historia de amor que se passou na gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca não tivesse sido contada em capítulos dia a apos dia em formato de conto de fadas o livro com certeza teria perdido essa leveza que a autora conseguiu mesmo ralando uma historia que se passou em uma época tão ruim.

Comovente, unica, surpreendente e de cortar o coração. Jardim de inverno é o tipo de livro que você não pode passar a vida sem ler, e o tipo de leitura que você nunca vai esquecer.
Cynthya 10/11/2013minha estante
Bia, perfeita sua resenha. Exatamente o que senti... é um livro inesquecível. Impossível ler sem se emocionar.


Patricia.Siqueira 09/12/2016minha estante
Anya realmente nos faz sentir ódio dela no início, mas no decorrer da leitura do livro ela nos fascina mesmo. Muito boa a resenha.
No início tive dúvidas se continuava a ler o livro, mas insisti mais um pouco e não me arrependi, posso dizer que foi o melhor livro que li e que me emocionou de verdade. Quem é mãe, com certeza se emociona muito mais, faz a gente pensar que devemos aproveitar cada momento com nossos filhos, não imagino passar por tudo o que a personagem passou e ainda sobreviver.




spoiler visualizar
Douglas Oliveira 06/01/2017minha estante
Uau, Fernanda. Você conseguiu, em poucas linhas, resumir toda a minha opinião sobre o livro - algo que eu venho tentando fazer desde quando terminei de lê-lo.
Faço minhas cada uma de suas palavras.
Diante de tantas críticas extremamente positivas e vibrantes a respeito do livro, me senti um extraterrestre por não compartilhar da mesma opinião que os demais leitores (risos).




Mari Siqueira 08/06/2013

O melhor livro do ano, até agora *-*
Jardim de Inverno é uma das melhores leituras do ano. Entre outras que eu já postei aqui, inclusive recentemente, se assemelha bastante ao Violetas de Março da Sarah Jio. A história não fluiu rapidamente para mim, no começo tive um pouco de vontade de desistir, porque me confundi um pouco com as personagens Meredith e Nina, que foram detalhadamente descritas por quase metade do livro. Mas então, as irmãs descobrem que o pai está prestes a morrer, e aí a história de fato começa. Antes de morrer, Evan, pede às filhas que realizem seu último desejo, conheçam sua mãe, de verdade. A mãe das meninas, Anya é uma criatura fria, que não demonstra nenhum tipo de afeto pelas duas, e que vive as desapontando com sua indiferença perante as filhas. O único tipo de amor que ela parece conhecer é o de seu marido, e quando ele se vai, ela e as filhas ficam perdidas, pois o pai era o único elo entre as três. Anya costumava contar histórias para as filhas quando pequenas, e este era o único momento bom que ela tinha com as filhas, assim que a história acabava, ela voltava a ser a pessoa fria e quieta que sempre fora. Um desses contos de fadas é a história da camponesa e do príncipe, uma história que a mãe nunca terminou de contar. No leito de morte, o pai diz às meninas que elas devem pedir à mãe para contar o final do conto de fadas. As filhas, agora adultas, ambas com problemas em seus relacionamentos, por conta dos problemas que tiveram em casa, com a constante indiferença da mãe, são obrigadas a partir nessa jornada para conhecer a mãe e também à elas mesmas. Lindo demais! Emocionante, me fez chorar em muitos momentos. Daria mais de cinco estrelas, fácil. Merece
Michele 27/06/2013minha estante
este realmente é um livro incrivel... difícil nao chorar eu mesmo me debulhei em lagrimas principalmente na parte do trem..
Ps. Muito boa suas resenhas


Lívia Gomes 21/01/2015minha estante
esse tá na minha meta de leitura de 2015! sou fã incorrigível de dramas. já vou preparar os lencinhos, rs
ótima sua resenha!




Evee 26/08/2013

Jardim de Inverno ~~ (Jardim de Lições e Lágrimas.)
Envolvente, emocionante, intenso, bem escrito.
Kristin capturou a alma, capturou tudo de uma maneira única.
Assim como John Green nos faz repensar ao lermos A Culpa é das Estrelas, Kristin Hannah nos faz chorar, nos faz torcer, nos emociona e faz refletir com essa linda obra.
Jardim de Inverno.
Meredith e Nina são irmãs.
Evan Withson é o pai delas.
Anya sua mãe.
Será realmente Anya?
Anya é fria, não liga para as filhas, as odeia.
Ou não?
Qual o grande abismo que as separa?
Medo.
Qual o grande segredo?
Porque Anya é da forma que é?
Os sonhos e desejos de quem vem primeiro?
Quem são as pessoas mais fortes da face da terra?
As vezes um nome é tudo o que nos resta.
O ser humano pode fazer coisas inesperadas. Mas as mães... as mães... Desculpem.
Minha visão está embaçada demais pelas lágrimas para que eu consiga continuar.
Leia. Não importa sua justificativa. Leia. Leia com a alma. Insista na leitura, mesmo que no começo queira parar. O drama inicial é necessário. Leia.
O amor dura?
Até que ponto aguentamos as coisas por quem amamos?
O inverno nunca mais será o mesmo.
A Rússia, as maçãs, as borboletas e o Alasca.
As mães.
A minha mãe.
Eu.
Para mim essas coisas nunca mais serão as mesmas.
comentários(0)comente



Fernanda 27/10/2014

Um conselho para aqueles que pretendem ler esse livro: não o abandone! No início eu corria dele. Queria abandonar por sua introdução chata, melancólica, com personagens frustados e com problemas sociais e pessoais. Mas ainda bem que minha vontade de não abandonar o livro foi maior e eu consegui terminar a leitura. A surpresa vem na metade do livro. E posso dizer que ele é surpreendente e maravilhoso.

comentários(0)comente



Dirce 27/09/2013

Um Conto de Fadas Peculiar
Contos de Fadas começam com um final feliz, no meio do caminho surgem os obstáculos – os heróis e heroínas têm que enfrentar obstáculos,têm que enfrentar bruxas malvadas com suas poções mágicas e seus encantamentos, mas sempre terminam com um: FELIZES PARA SEMPRE, certo? Mais ou menos. Jardim de Inverno, romance de Kristin Hannah, também contém um Conto de Fada, Conto este que é narrado pela hermética Anya Whitson e que se constitui no frágil laço que a uni às suas duas filhas: Meredith e Nina que tinham somente uma boa lembrança da mãe: sua linda voz.
A heroína do Conto (e bota heroína nisso) – Vera(Veruska)– não era filha de um rei poderoso, muito pelo contrário,era filha de um humilde camponês, porém, morava em uma terra encantada:o Reino das Neves e, apesar de muito pobre, a jovem encontrou seu príncipe encantado(Sasha)e se não fosse o Cavaleiro Negro que jogou uma poção venenosa no Reino(aprisionou camponeses, levou-os à morte)e um veneno ainda mais mortal que assolou o Reino das Neves(a 2 ª Grande Guerra), os dois enamorados viveriam felizes para sempre.
Veruska não se deparou com uma casa de chocolate para combater sua fome ou com uma fada que a salvasse, deparou sim com a mais desumana das fomes, com as bombas, com a morte, com as mais inimagináveis atrocidades impostas pelas Guerras que levaram Veruska se "cobrir de uma mortalha” que a salvaguardasse de uma morte diária.
Gosto de romances que têm a Rússia como cenário. Gosto de Contos de Fadas. Sempre gostei – eles me encantam, entretanto, o Conto de Fadas do Reino das Neves me desapontou um pouco. Não, por ser um Conto de Fadas triste, um Conto de Fadas que aborda a dor e o modo que cada pessoa encontra de com ela conviver, pois me fascina procurar entender o comportamento das pessoas, mas achei o texto pobre. Tão pobre que me fez comparar o adeus ao amoroso Evan ,logo nas primeiras páginas do romance, a gélida Leninegrado. Não me comoveu. Confesso que foi com certa dificuldade que avancei nas páginas que se seguiram. Pouco a pouco, o romance foi crescendo e me envolvendo, e o final, embora um tanto quanto inverossímil, me comoveu e me agradou. Por ser um Conto de Fadas peculiar, seu Final também teria que ser peculiar: com um Felizes para Sempre (ou não) e com a Redenção das personagens.
Um romance que devido a escrita me deixou diante de um dilema:2 ou 3 estrelas? Serei condescendente:3 estrelas.
comentários(0)comente



Fernanda.Pimenta 15/11/2017

Custoso
Ainda estou lendo, mas o livro não me prende. Não consigo me envolver nem com as personagens, nem com a história... vou lendo pelo simples fato de ler, e parece que ele não acaba mais.
pode ser que eu ainda não tenha chegado na parte maravilhosa do livro; mas se me pedissem uma palavra seria custoso!




Depois de mais de 15 dias da última resenha consegui terminar de lê-lo! O custo em ler vale a pena nas últimas 30 páginas...
Thamy Bibliotecária 18/11/2017minha estante
Sei como é. O livro só me prendeu mesmo no final.




Olana - @aleituradehoje 04/10/2017

Um conto de Fadas... de Horrores.
Comecei este livro, despretensiosamente.
Achei que seria um drama simples (não li sinopse, resumo, resenha). Até metade dele, gostei do que li, mas continuava com e imagem do livro simples, bom para o coração, que desperta sorrisos e traz tranquilidade.
De repente, ele me apresenta linhas que me fazem pensar... pensar e pensar. Um livro simples, sem grandes promessas, de um momento em diante passa a me fazer pensar nos homens. Por que Deus? Por que homens que tem o poder, simplesmente esmagam as pessoas? Porque poucas pessoas podem destruir tantas vidas? Porque acontecimentos como os descritos no livro não são simplesmente literatura? Por que? Não entendo um ser humano que faz o mal, um ser humano que quer impor sua vontade a todo custo. Um homem que é capaz de chegar ao poder de um pais, não deveria (não poderia) ser indiferente a vidas. Eu realmente não entendo, não aceito e sofro terrivelmente por isso.
Bom, o livro. O livro descreve um momento histórico pesado e marcante, que muito gente não sabe, não quer saber, ou não se importa. Na vida de duas irmãs, uma mãe e um pai, um mundo se desenrola. Vidas não citadas, são contadas. Um conto de fadas, singelo vira um relato sofrido, longo e real.
Fiquei devastada. Chorei... muito. Como mãe, foi impossível não me colocar no lugar. Como apaixonada por história foi impossível não me transporta para Leningrado.. ah! Não falei... a história fala sobre Leningrado (não São Petersburgo...)
Ele começa COM um conto de fadas... Discorre PELA realidade... Termina COMO um conto de fadas.
Indico... de todo o meu coração.
Wagner 04/10/2017minha estante
Comovente...




Rose 29/11/2014

Nina hoje é uma famosa fotógrafa que corre o mundo atrás da foto perfeita. Sempre em áreas de guerra ou conflitos, ela tenta passar ao mundo através de suas fotos o que ninguém quer ver de perto ou tem noção da verdade que possa estar acontecendo.

Seu companheiro constante nestas aventuras é Daniel (Dany). Mas, mesmo contra a sua vontade, Daniel já é mais do que um simples parceiro de profissão.

Meredith é irmã de Nina, mas ao contrário desta, não viaja o mundo em aventuras de vida ou morte. Ela é mais centrada, gosta das coisas em ordem e se desdobra muito para deixar tudo do jeito certo e para que todos estejam vem. Agora é ela quem cuida da empresa da família. Está casada com Jeff há muitos anos. Aliás, Jeff e ela são amigos da vida inteira... Com duas filhas adolescentes que estão começando a traçar os próprios caminhos, o afastamento entre Jeff e Meredith está cada dia mais evidente para ela, que mesmo querendo, não sabe o que fazer em relação a isso.

Duas irmãs que tiveram a vida marcada pela falta de amor materno.

Anya é uma mulher altiva, bonita e que ama o marido, mas que consegue ser fria com suas próprias filhas. Ela sempre manteve as duas a distância, nunca foi uma mãe carinhosa, que conversasse ou simplesmente brincasse com as meninas.

Os parcos momentos que tinham como mãe e filhas, eram quando Anya, convencida pelo marido, contava contos de fadas para as meninas. Mas até este encantamento acabou quando Meredith e Nina resolveram montar uma peça de teatro baseada nos contos que a mãe contava. Tudo deu errado e mãe e filhas se afastaram ainda mais.

Agora já crescidas e donas de suas próprias vidas, ambas estão prestes a perder o único elo que mantém as três juntas: Evan.

Muito doente, o pai faz as meninas prometerem que escutaram a mãe e que cuidaram dela. Ele frisa que é muito importante que ambas escutem o conto de fadas que Anya contava até o fim e inteiro.

Ele também faz com que Anya, sua esposa, prometa que vai contar de uma vez por todas, o conto de fadas inteiro e sem medo.

A princípio elas resistem, mas Anya começa a ver a mãe com outros olhos, e insiste com Meredith para que elas façam a mãe falar.

Merediht está cheia de problemas, não está certa do que quer para a própria vida. Arrasada pela perda do pai, cansada com os cuidados com a mãe e com o casamento mergulhado em crise e a beira de um divórcio, ela não quer saber de nada.



Aos poucos as irmãs começam a perceber que o conto de fadas que Anya conta na verdade é uma triste história real que aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial. Encaixando peça por peça em um grande quebra cabeça, elas notam que a mãe que tentaram conquistar durante toda a infância, é na verdade Veronika Petrovna Marchenko, uma sobrevivente da guerra.

Veronica, ou Vera, como era chamada, era uma moça feliz e sonhadora, que estava casada com Aleksandr e tinha dois filhos quando a guerra estourou.

Os contos de fadas que Nina e Meredith escutavam quando crianças, era uma tentativa de Anya (Vera) de contar para suas filhas os motivos para ser como era.



Agora frente a frente com a verdade, Nina e Meredith vão escutar o verdadeiro relato, triste e doloroso da vida da mãe delas. Um relato emocionante que poderá unir ou separar de vez estas três mulheres.

Anya tem a chance de acabar de vez com seus fantasmas. Fantasmas que a assombram ao longo dos anos, e que ela acha ser merecedora de todo sofrimento. Nina e Meredith finalmente vão ter a chance de entender um pouco mais esta mulher fria que chamam de mãe, mas que nunca agiu como uma.

Elas vão ver que as cicatrizes que a mãe carrega na alma, acabou mudando a vida de todos. Resta agora elas saberem como seguirão em frente.



Não tem como eu passar para vocês toda a emoção que senti quando Anya senta frente às filhas e a dois pesquisadores para contar sua verdadeira história. No enredo ela é uma russa que vivia com a família em Leningrado. Durante a segunda guerra, a cidade sofreu um cerco, que ficou conhecido como "Cerco a Leningrado" que durou 900 dias (de 8 de setembro de 1941 até 27 de janeiro de 1944). Vocês podem imaginar o que foi para estas pessoas que ficaram presas na cidade ao longo destes dias? Não havia comida para todos, o frio era intenso e a morte morava ao lado. Em um pesquisa rápida no google para saber mais sobre este cerco que serviu de pano de fundo para a estória de Anya, comprovei todo o desespero que ouve por conta da falta de comida. As pessoas recebiam "rações" para sobreviverem, mas isso não era nem mesmo suficiente, e muitos morriam de fome ou frio. Isso quando não era dos dois. Tudo era racionalizado e matava-se por um pedaço de pão. Um desespero que me passou como um filme conforme ia lendo o livro.

Desculpem, eu sei que não é legal dar spoiller, mas quando eu li que ela cortou o dedo para dar ao filho para que este sugasse e pensasse que estava se alimentando, não teve como segurar as lágrimas...



Eu sei que isso foi uma história fictícia, mas a guerra foi real, o cerco realmente existiu. Milhares de pessoas morrerem por conta da guerra. Famílias inteiras foram perdidas. Então como não imaginar que relatos assim de fato ocorreram ou chegaram próximos disso?

Jardim de Inverno é uma história emocionante de luta e amor. De procura, encontro e perdão. É a prova de todo o amor que uma mãe carrega, e de tudo que ela pode fazer para seus filhos.

site: http://www.fabricadosconvites.blogspot.com.br/
Janaina 27/12/2014minha estante
que lindo,não conhecia o livro mas vou ler com certesa


Clarice.Castanhola 29/04/2015minha estante
Meu Deus, que livro incrível e rico. tenho que ter ele, srsrsrsrsrsrsrs *---* muito emocionante, só em ler a resenha, já estou doidinha p ler.. ^^




Angélica 18/08/2013

Lindo e envolvente!
*** GANHE UM KIT DO LIVRO aqui :D
http://pensamentotangencial.blogspot.com.br/2013/08/sorteio-jardim-de-inverno.html

História linda, forte e tocante! Acredito que essa frase define bem o que se esperar do livro Jardim de Inverno, de Kristin Hannah, publicado pela editora Novo Conceito.

A beleza da obra já começa pela capa, que é linda demais!

E, se você teme livros que contenham mais de 400 páginas, não precisa ter medo deste. Pois, a leitura é tão envolvente que você a termina rapidamente! Eu li o livro em apenas três noites... lendo somente antes de dormir.

Jardim de Inverno é o tipo de livro que mistura fatos reais (fatos históricos, como a batalha em Leningrado, na Rússia, durante a Segunda Guerra Mundial) com ficção. Além disso, contém romance, drama e até mesmo mistério. Pois, os personagens guardam diversos segredos que passam a ser revelados, aos poucos, no decorrer das páginas.

A história gira em torno de três mulheres, uma mãe com mais de 80 anos e suas duas filhas.

A mãe se chama Anya e as suas filhas não conseguem, por mais que tentem, ter uma relação de carinho e intimidade com ela. Pois, Anya manteve-se distante emocionalmente das filhas a vida inteira.
Apesar de terem morado por muitos anos sob o mesmo teto, a mãe sempre as tratou com frieza e indiferença.
Quem sempre conseguiu fazer com que a convivência entre elas não se tornasse algo completamente insuportável e extremamente doloroso, era o pai das meninas, que sempre foi um pai carinhoso e um marido dedicado.
No entanto, o pai adoece, e faz às filhas um último pedido: que elas tentem compreender a mãe e que se esforcem para conhecê-la melhor. Pede a elas para fazerem de tudo para manter a família unida, já que ele que sempre foi o "pilar" da casa, não estará mais junto delas.
O pai teme que, com a sua morte, a família se desintegre de vez, tornando Anya ainda mais solitária e fechada em seu próprio mundo, isolada das filhas.

Mas se aproximar de Anya não será uma tarefa nada fácil para as filhas. Elas terão que se esforçar muito para a mãe deixar o gelo de lado e abrir o seu coração.

Quando as filhas eram crianças, o pouco contato que elas tinham com a mãe, era no horário de ir dormir. Pois, era o momento em que Anya sentava-se no escuro no quarto das meninas e narrava fantásticos contos de fadas a elas.

E, mesmo depois de tantos anos, é através dos contos de fadas que as filhas voltam a ter um canal de comunicação com a mãe. Sendo que, conforme a idosa vai narrando as histórias, elas vão notando que fantasia e realidade estão se misturando e que, talvez, consigam utilizar dessa "ferramenta" para se aprofundar e conhecer o passado da mãe.

E é assim que passamos a mergulhar no universo de Anya...

Além dessa história entre a mãe e as filhas, há também a relação delas com seus maridos/namorados/filhos, tornando a trama interessante, real e bem desenvolvida.

Achei o livro muito bem escrito e a narrativa da autora gostosa demais!
O início é meio parado, mas necessário para podermos conhecer com maior profundidade as personagens.

A única coisa que não gostei foi do final. Achei muito forçado!
E alguns acontecimentos no decorrer da história também não me convenceram... Mas, como um todo, achei o livro muito bom e emocionante!

Apesar de não ter me feito derrubar nenhuma lágrima... as mais sensíveis que se preparem. Pois, vão precisar de vários lenços de papel! Hihihi

Enfim... Jardim de Inverno é um livro que indico sem restrições!
Bom demais! :D

site: http://pensamentotangencial.blogspot.com
Gisele 20/08/2013minha estante
Adorei a resenha, fiquei com muita vontade de ler, apesar do comentário sobre o final forçado... :)


angel31 21/08/2013minha estante
Espero ler logo!


ester 23/08/2013minha estante
nossa, esse livro parece ser muito interessante. Gosto de livros que misturam fatos reais com ficção. parabéns pela resenha.


Camila B. Monteiro 24/08/2013minha estante
Sabe que eu senti a mesma coisa quando peguei o livro A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS - Essa magia e delicadeza, daí acabei me decepcionando e larguei a leitura, mas agora estou voltando...

Gostei desse cenário que vc mostrou e a forma como mostrou. Bem sou fã das suas resenhas e meio que me apaixonei por esse livro!

Tô querendo agora! hehehe

Beijos!


Jada171 17/09/2013minha estante
Resenha bem escrita, abordando pontos importantes do livro, facilitando o entendimento dos leitores e despertando o interesse.




Adriana 07/08/2013

"Que livro!"
Jardim de Inverno foi a maior reviravolta de opiniões que eu já tive ao ler um livro, isso porque de começo eu estava odiando. A falta de capacidade das três personagens para expressar seus sentimentos e de fazer aquilo que tinham vontade me deixou muito frustrada, todos os diálogos eram cheios de coisas não ditas e eu tive medo de que fosse assim até o final.
Felizmente a medida que Anya vai contando sua história para as filhas a vida dessas três mulheres sofre mudanças, elas se encontram, começam a conhecer tanto a si mesmas como umas as outras e o desenvolvimento dessa relação de início tão complicada fez com que lá pela centésima página minha opinião sobre o livro já tivesse melhorado muito e ao terminar - com os olhos embaçados de tanto chorar, com uma pilha de lenços (De verdade mesmo) molhados no criado mudo eu só conseguia pensar: "Que livro!" Não tenho muito o que dizer, ou melhor tenho, mas não encontro palavras, é sem dúvida o livro mais triste e tocante que já li, e entrou pros meus favoritos sem dúvida.

site: http://hobbyecletico.blogspot.com.br/2013/08/jardim-de-inverno-kristin-hannah.html
comentários(0)comente



308 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |