Will & Will

Will & Will David Levithan
John Green




Resenhas - Will & Will


618 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Ari 18/04/2022

"Um nome, um destino..."
"Quando as coisas se quebram, não é o ato de quebrar em si que impede que elas se refaçam. É porque um pedacinho se perde - as duas bordas que restam não se encaixam, mesmo que queiram. A forma inteira mudou."

Confesso que foi totalmente diferente do que eu esperava.
Não é um livro ruim, por mais que seja um pouco difícil ter empatia pelos personagens.
Comecei não gostando do Tiny e acabei querendo dar o mundo para ele. (Tiny Cooper, eu te aprecio)
O que eu mais gostei no livro foram as frases marcantes.

"Se você não diz a coisa mais sincera, às vezes, essa coisa nunca se torna realidade, sabe..."
icbelly 18/04/2022minha estante
seu icon do zoro aaaaaa ??


Ari 18/04/2022minha estante
aaaaaaa ???


Wil 19/04/2022minha estante
Nossa amei a resenha já vou adicionar a minha lista ?




Lygia 04/06/2013

Objetivo primário dos autores?
Parceria entre John Green e David Levithan? Só poderia resultar em algo extraordinário, certo? Bem, não exatamente e já explicarei o motivo de não achar isso!

Do David nunca tinha lido nada, mas só via resenhas superpositivas dos seus livros individuais, inclusive a Galera Record vai lançar 'Everyday' no 2º semestre. John é muito amor, adoro a escrita e os livros dele, como vocês já viram nas resenhas aqui do blog. Acho que é o típico livro que promete muito, mas não cumpre todo o seu papel.

Will & Will, trata-se basicamente sobre os Will's Grayson. Cada capítulo é narrado por um Will e de cara dá para sacar qual Will cada um dos autores estão narrando. Não sei até onde um autor influenciou na escrita do outro, mas o ponto principal é: os dois Will´s são decididamente mal-humorados, meio depressivos (ok, um é realmente diagnosticado com depressão) e relutantes em manter contato com as pessoas. E o livro é basicamente sobre a vida adolescente deles, que em determinada situação, se cruzam (obra do destino? Acaso? Coincidência?).

Se os dois narradores chamam Will, como diferenciar qual capítulo é narrado por qual sem confundir o leitor na inserção do livro no início da narrativa? Simplesmente colocaram um dos Will (o depressivo) narrando com letra minúscula. Tudo. Tipo o quote ali em cima, que foi escrito exatamente como está no livro. Gente, pode parecer bobagem da minha parte, mas isso me incomodou muito. Não sei se existe algum motivo além da minha compreensão para terem usado esse artifício, se alguém souber me fale.

Sobre a história...O primeiro Will que é apresentado possui poucos amigos, mas não que isso o incomode de alguma forma. Seu mais novo lema de vida é 'Quanto mais calado, melhor', desde que protegeu publicamente seu melhor amigo gay, Tiny Cooper. Ele se entende por gay desde o terceiro ano, parece um armário gigante e acredita piamente que o mundo gira em torno de seu fabuloso eu. Tiny é egocêntrico, mas é engraçado e divertido. E está bem com sua opção sexual, apaixonando-se pelo menos 1 vez por semana, por garotos diferentes. Tiny é do tipo de amigo leal mas que só mete Will em enrascada. É uma bela amizade, no final das contas! =) A última peripécia de Tiny é montar uma peça de teatro, e o assunto da peça, naturalmente será Tiny Cooper. O segundo Will (o depressivo) mora só com a mãe, toma remédios e seu único contato com outras pessoas é por Maura que tenta manter uma amizade unilateral com ele e Isaac, que conheceu na internet. Will está apaixonado por Isaac e acredita que o sentimento é recíproco. Marcam de se encontrar.

Por causa do destino, acaso ou coincidência, chamem do que for, ambos os Will´s esbarram-se em um sex shop. O segundo Will encontraria com Isaac. Não vou dar mais detalhes sobre isso, porque, de certa forma, é divertido descobrir como isso aconteceu. Mas aí é que está...o livro realmente só começa a andar depois do capitulo 9, e aí sim temos ritmo. Will apresenta Tiny ao outro Will e bem, não é difícil imaginar o que acontece. Mas o porquê acontece e como acontece são os diferenciais e acompanhamos a vida desses personagens então.

Eu senti um pouco de dificuldade em entender em qual ponto os autores queriam tocar realmente. Sobre aceitação de si mesmo, sobre o relacionamento gay pura e simplesmente (diferencial o tema para YA's), ou sobre relacionamentos e laços, sejam quais forem, de amizade ou de amor romântico. Ou sobre Tiny Cooper, porque sinceramente, o livro deveria se chamar Will & Will & Tiny. Sério!
Essa resenha ficou maior do que costume, porque eu gostaria de falar tudo o que senti com a leitura. E explicar de ter esperado mais dele. Senti tão pouco, que tenho certeza que ele não foi escrito para emocionar. Não existe nada na narrativa muito complexo para se refletir, tampouco. Mas não é um livro ruim de forma alguma. Complicado, não? Acho que vou ficar com essa dúvida por um tempinho e um dia descobrirei exatamente à que 'Will & Will' veio.
Leonardo Drozino 25/06/2013minha estante
Nossa, eu concordo com você! Eu costumo dizer que "achei" que o livro era ruim, pois opiniões variam, né? Mas eu afirmo que é ruim. A qualidade do texto é horrível, parece um rascunho mal acabado.

Exceto isso, a história é irreal. Eu, como gay, afirmo isso.


Vinícius Dias 13/07/2013minha estante
Eles começaram o livro centrados nos dois Wills e, à medida que a estória avançava, Tiny se tornava o protagonista. Acredito que eles se perderam um pouco!


oisoueuohenrie 13/07/2013minha estante
Adorei o livro, e gostaria de esclarecer que na versão inglesa intitulada "Will Grayson,Will Grayson" o Tiny é a virgula entre os dois Will Grayson.


Cássia 27/08/2013minha estante
tem um motivo pra letras minúscula. Um dos motivos é que isso é uma reprodução do netspeak, linguagem da internet (o will passa muito tempo na internet). O uso de minúsculas é comum entre adolescentes não só quando estão conversando na internet, mas também quando eles escrevem contos, poemas, etc. O Levithan já usou esse recurso em um outro livro dele (The Realm os Possibilities, se não em engano), mas em menor escala.
Tem também a teoria de alguns leitores, de que ele usa letra minúscula pq ele se sente inferior, menor, por causa da depressão dele (lembrando que em inglês eu é I, em maiúscula, e que ele escreve tudo mesmo em minúscula, incluindo o eu).


Sofia 28/08/2013minha estante
Pessoalmente, acho que esses três temas que você ressaltou têm tudo que ver uns com os outros, pelo que faz sentido que os autores os tenham desenvolvido em conjunto. Sinceramente, acho que a intenção não foi deixar a homossexualidade em primeiro plano - o que torna tudo ainda melhor, já que dá um tom mais natural ao assunto.


Nino 27/12/2013minha estante
Você já leu Sarah Kane?


Lipe 19/02/2014minha estante
Concordo sobre o título do livro se chamar Will & Will & Tiny.
A forma como eles desenvolvem toda a história é muito fantástica. Como no próprio livro fala: é um X. Duas histórias diferentes se encontram em um ponto e a partir dali toma-se outro rumo.
É uma história leve sem pretensão nenhuma de ser um instrumento de ativismo gay. Mostra o que um adolescente comum vive, seus medos, sonhos, desejos... E posso falar? Me identifiquei bastante com um pouco de cada personagem.


Andrei 03/03/2014minha estante
O livro é meio cansativo embora é legal, achei confuso isso de misturar os dois will's sem explicar qual era qual, só fui entender isso na metade do livro.


Less 18/04/2014minha estante
Eu simplesmente amei o livro. Não achei confuso, consegui separar os personagens. A narrativa é super fácil e muito engraçada. Nota 10.


Nanda Lima 24/04/2014minha estante
Lygia, sua resenha ficou muito boa, completa como gosto de dizer. E concordo com tudo o que disse.


Josi 24/08/2014minha estante
Ao terminar de ler Will&Will senti o mesmo que você descreve aqui. Foi uma leitura prazerosa mas não te deixa entender a que veio realmente...


Cami 26/11/2014minha estante
Concordo! Como só havia lido títulos do John Green, posso afirmar que não se parece com nada do que ele escreveu.
Achei a linguagem chula meio deslocada também, forçada para ser engraçado. Para mim, a história ficou sem objetivo e o final ficou "sério? Só isso?". Enfim, mas ainda sim não me arrependo da leitura, porém não a indicaria.


Alice 11/12/2014minha estante
nosso amei sua resenha. parabens


Tom Pavão 27/02/2015minha estante
Estou no cap 10 e já estou confuso!!!!!


Victoria 28/08/2020minha estante
O livro Extraordinário usa esse mesmo artifício de diferenciar os personagens pela escrita (um persoagem X escreve de acordo com a norma culta e o Y não usa parágrafos). Entretanto, no início de cada capítulo é informado quem está falando.


Letras.Libras 11/11/2020minha estante
Se não fosse o seu comentário eu não saberia q estava sendo narrado pelos dois, li só os 2 primeiros capítulos e achei q era a mesma pessoa


Tami 26/05/2021minha estante
Leitura simples e divertida, perfeito para te tirar do tédio sem perder o gostinho de quero mais. Me identifiquei em diversos aspectos com os personagens, eles me fizeram refletir bastante. Mostra que a vida é muito mais que tentativa-erro-tentiva até chegar na "coisa certa", coloca em destaque que todo humano é falho, só basta não deixar ser corroido pelos erros. Ai, meu Deus! E esse final? Assim como no começo senti tantas emoções juntas que deixam o meu coração quentinho??


Alexandre.Petiz 11/02/2022minha estante
Concordo com você. O livro me decepcionou. Esperava mais. Achei a história boba e o livro é sobre o chato do Tiny. Tive vontade de largar o livro várias vezes! Ma fui até o final na esperança de que ficasse bom. Não ficou! E ainda acabou de uma forma muito boba!




Evellyn.Silva 17/07/2020

NÃO ESTAVA PREPARADA!!
O final me pegou completamente de surpresa, o livro na verdade... Eu tinha uma ideia bem diferente sobre ele, achei que seria sobre um casal gay e não era. Esse livro foi muito mais que isso, tratou de aceitação, relacionamentos (não necessariamente amorosos) e perdão. Eu amei demaissss e finalmente terminei o box do David Levithan, agora posso AFIRMAR que é um dos meus autores favoritos.
@mihlwna 17/07/2020minha estante
Aaaa eu tenho essa box do David, e ele também é um dos meus autores favoritos. O jeito que ele escreve é tão simples e precioso de ler, af. Will & Will também foi uma história muito diferente da que eu esperava encontrar, e acho que isso só faz a gente gostar ainda MAIS


Eu, Nick 17/07/2020minha estante
Esse livro teve um plot gigantesco. Até hoje tenho dúvidas se ela enganou ele porque amava ele secretamente ou porque foi mesmo só uma "brincadeira". Na minha opinião, acho mesmo que ela gostava dele. E quando eu li que eles nao ficaram juntos, nao sei porque, mas me abalou bastante. Mas, enfim, ? um romance juvenil excelente.




Leonardo Drozino 25/06/2013

Terminei de ler Will & Will, e admito que fiquei um pouco decepcionado. Eu, como um gay florzinha foi esperando ler algo GAY, um romance bonitinho com que eu me identificasse, e no fim, cheguei a um livro com qualidade de texto ruim. Will e Will parece um rascunho mal acabado, mal trabalhado.

A história é meio inconsistente.

Como eu estava lendo a versão em epub no iPad, eu achei que fosse algum erro de programação, e por isso alguns capítulos estavam todos em letra minúscula. Só que eu, resolvi ler algumas resenhas e descobri que cada capítulo é narrado por um Will Grayson diferente. Sim, é isso mesmo.

Fora que, até o encontro deles (na metade do livro), eu não fazia a mínima ideia que o livro estava sendo narrado por dois Wills e eu tive que ler tudo novamente até esse ponto para entender a história. Por que, de fato, é muuuito confuso de entender se você não souber disso (eu não sabia).

Ok, passado os desafios de compreensão do livro (depois de 200 páginas, tempo perdido e já irritado com os recursos utilizados no texto), temos uma história morna, com narrativa inferior aos livros que o John Green já fez, e com uma sinopse um pouco enganosa.


O final do livro é bom, mas só isso. Na verdade, eu diria que esse é um livro ruim, muito ruim. Uma decepção para quem já leu romances anteriores do John Green.

Se você estava esperando alguma coisa emocionante a lá A Culpa das Estrelas, pode tirar o cavalinho da chuva, pois você não terá nada nada disso.


A capa, a primeira vista, é bem feia, mas pessoalmente (na verdade, vi fotos) ela é prateada e é bem bonitinha, para ser sincero.


Se recomendo o livro? Talvez. Acho que vale a pena ler e ver como o livro funciona para você, quem sabe você tenha mais sucesso em aproveitar a história.


Se esse livro fosse escrito por outros autores se não por nomes tão poderosos como David Levithan e John Green, com certeza ele passaria despercebido e não receberia tantas resenhas /cegas 5 estrelas.

Sinto muito aos fãs de John Green (eu, sendo um deles), mas Will e Will não é um trabalho com a qualidade de seus antecessores.
Aline Ramos 19/06/2013minha estante
Eu tb nao percebi q eram narrativas de dois wills.. achei confuso.


Nat 20/06/2013minha estante
eu também não fazia ideia dos dois Wills, mas fiquei com preguiça de voltar tudo e reler...


Shibahime 23/06/2013minha estante
Mas vocês chegaram ao menos a ler a sinopse? Porque é bem claro que narra a vida de dois garotos com o mesmo nome e sobrenome que acabam se conhecendo o_o


Carlo Alexandre 23/06/2013minha estante
Realmente Shibahime, parece que ninguém se preocupou em ler a sinopse. Qualquer um que lesse saberia que são dois Wills.


Robson 25/06/2013minha estante
Leia a sinopse, de vez em quando faz bem :D


Leonardo Drozino 25/06/2013minha estante
Eu li sim, a sinopse, mas em nenhum momento disse que os dois narrariam o livro. Fora, que, os estilos dos autores são semelhantes e você acredita mesmo que o livro é narrado por um Will só. Desnecessário da parte dos autores colocar pontos de vistas dos dois Wills, sendo que apenas o de um bastaria, afinal, o livro é sobre o Tiny Cooper.


Gaby 19/07/2013minha estante
O nome do livro é will & will.
Eles tem personalidades diferentes, e você ainda não percebeu que eram 2? Burrice sua, apenas.


Cássia 27/08/2013minha estante
Se você quer uma história de romance, o Levithan tem Boy meets boy, e alguns outros. (Mas não leia os livros dele com a Rachel Cohn. Eu gosto muito, mas não é o tipo de história que você parece estar procurando)


Sofia 28/08/2013minha estante
Não diga "romances anteriores", visto que A Culpa É das Estrelas foi escrito depois de Will & Will. E compará-los é absolutamente despropositado, são livros muito diferentes com propósitos muito diferentes.
Por mim, adorei o livro, e já é o 5º que leio da autoria do John ;)


Inês 20/09/2013minha estante
Eu não li a sinopse e mesmo assim no segundo capitulo pra mim ficou óbvio que era a narração do outro Will, se você além do livro leu também a sinopse e não conseguiu compreender isso alguma coisa está errada com vc! rs


Cézar 31/10/2013minha estante
Na minha singela opinião se você só foi perceber que eram dois Will's na página 200, tem alguma coisa muito errada na sua leitura. Confesso que também achei que tivesse algum erro prq também li no ipad e fiquei tipo, hã? As minúsculas incomodam um pouco mas acostuma-se logo.

No segundo capítulo já dá pra sacar que é outro Will, são personalidades completamente distintas, é um livro sobre 2 pessoas, por favor, não critique os autores só prq vc não consegue interpretar um texto.


Ivy 27/12/2013minha estante
Tudo bem você não ter gostado do livro, cada pessoa tem a sua opinião. Mas dizer que as 5 estrelas que muitos leitores deram a ele são infundadas é pura infantilidade. Quanto à narração, se você não conseguiu perceber que cada capítulo era narrado por um Will diferente, é porque faltou atenção e interpretação, já que são dados vários indícios, por exemplo:
1- O título é Will & Will, dando a entender que são dois, logo...
2- ...quando você lê o segundo capítulo e se depara com um Will COMPLETAMENTE diferente, principalmente na personalidade, é porque não soube interpretar;
3- A formatação sem maiúsculas dos capítulos escritos pelo Levithan, apesar de estranha em um primeiro momento, serve justamente para ajudar a diferenciar um do outro.


Art 10/04/2014minha estante
Eu também achei decepcionante o livro, eu esperava sentir mais emoção, fora que o livro só tomou um ritmo melhor quase no meio da narração, quando os Wills se conhecem, fato que pra mim tardou muito em acontecer... Eu não vi dificuldade em identificar que os capítulos alternavam na narração de cada Will Grayson, pra mim isso de início foi muito óbvio, mas não sei porque eu me incomodei com a escrita minúscula na narração do Grayson gay, não sei se o objetivo disso era diferenciar eles, só não me senti a vontade com isso. Por fim, o livro é ruim, deveria se chamar Will, Will e Tiny Cooper... Não recomendadaria a ninguém, pra mim dinheiro jogado fora...


Jana 16/07/2014minha estante
Gente, eu acho que sou uma das poucas exceções. Eu entendi desde o começo que era um capítulo narrado por cada Will, e achei as letras minúsculas fantásticas, pois mostrou desde o início ser um livro diferente.
Simplesmente amei ele. Nunca li algo tão bom e diferente. Simplesmente me deu vontade de estar na vida deles.
Sobre qual seria o tema principal simplesmente também não sei. Mas acho que talvez esse era o objetivo, narrar o cotidiano de uma forma mais real possível. As festas no final de semana, os amores, as dúvidas, as decepções, as pessoas com uma personalidade irritante porém que não vivemos sem, tudo isso acontece no nosso dia a dia e foi por isso que adorei a história. Ela é crua e não cheia de purpurina e nhenhenhe. Mas é CLARO que nem tudo ai é de todo real. Certas coisas são meio difícil de acontecerem. E ainda levando em conta o fato de realismo nada em nossas vidas se desenvolve rapidamente e a todo momento, temos nossos dias de tédio, mas mesmo assim não achei o livro chato.
Me identifiquei muito com um dos Will (o não gay) tanto pela música quanto ao jeito de ser, e achei fantástico a maneira que os autores conseguiram passar isso sem ficar forçado. E que mesmo com ideais que nós acreditamos, as vezes acabamos por fugir deles.
Enfim, em um todo achei o livro maravilhoso e que valeu a leitura.




Maria 11/08/2021

Meu deus o que foi isso???
Ok, fazem 10 minutos que eu terminei esse livro e eu tava pensando o que DIABOS eu deveria escrever na resenha...Eu só...Não sei. Acho que minhas expectativas estavam TÃO baixas, que eu acabei ficando um pouco chocada com o quanto eu achei o final bonitinho...Embora eu tenha odiado todos os personagens por 90% do livro, eu não sei como me sentir em relação a nenhum deles agora.

(Inclusive, eu fiquei assim ???? com os casais principais porque eu meio que tava esperando algo...diferente?)

P.S.: essa foi a resenha mais confusa da minha vida eu ainda tô meio sem palavras kkkkkkkkk
comentários(0)comente



twigmez 19/08/2020

will e... Will?
eu tenho costume de comprar o livro pela capa, sim, que eu sei, não é muito indicado pq eu posso não gostar do conteúdo, entretanto, Will & Will é surpreendente e uma delícia de ler. Drama adolescente que me arrancou umas boas risadas
comentários(0)comente



mwlissajjk 08/08/2020

will grayson
o final desse livro me fez chorar igual um bebezinho, toda a história foi completamente diferente do que eu achava que seria, mas gostei muito.
tiny e jane são os melhores personagens e quem negar está errado.
comentários(0)comente



Manu 13/04/2021

Que delícia de livro
Duas pessoas com o mesmo nome, mas são totalmente opostos. Duas histórias que em um mundo normal, qual a possibilidade de se cruzarem ? Certas coisas acontecem nas nossas vidas e no final nem imaginamos o quanto pode ser positivo, para aprendizados, destino ? Sim, acredito muito nisso. Que livro leve, gostoso, me apaixonei por todos os personagens, cada um com seus problemas, suas incertezas, seus medos, mas no final tentam lutar por isso para serem felizes. Amei demais..
comentários(0)comente



Fernanda 26/06/2013

Resenha: Will & Will
Link da resenha no blog Segredos em Livros:

http://www.segredosemlivros.com/2013/06/resenha-will-will-um-nome-um-destino.html

Resenha: Esse livro passou disparado na frente das minhas leituras, primeiro porque estava ansiosa para conhecer a história que vem apresentando uma grande repercussão de acordo com a divulgação da Galera Record e segundo porque gosto muito do trabalho de John Green, e David Levithan vêm se revelando a cada dia que passa.

O que mais me motivou na leitura foi exatamente a abordagem para com os personagens, e a maneira sutil ao qual os autores acrescentaram temas comoventes e centrados. Vou confessar que não leio a sinopse antes de começar a ler um livro novo, mas ainda bem que em “Will&Will” eu li primeiro. Digo isso, porque os capítulos são alternados entre cada Will e imagino que seja preciso entender um pouco do enredo, para que os fatos não acabem ficando confusos.

“tenho a sensação de que minha vida está muito dispersa neste momento, como se fosse um monte de pedacinhos de papel e alguém ligasse o ventilador, mas falar com você me faz sentir como se o ventilador tivesse sido desligado por um tempo, como se as coisas pudessem de fato fazer algum sentido, você junta todos os meus pedacinhos e, sou muito grato por isso.” Pg;49

Como já citei anteriormente, nos capítulos conhecemos um pouco sobre cada Will Grayson. Dois garotos como nomes semelhantes que por obra do acaso – ou não – irão se encontrar. Mas não pense que vai ser logo no começo da leitura que eles vão se esbarrar (foi isso que eu pensei), pois antes há certo desenvolvimento sobre a vida, a personalidade e os costumes de cada um.

“então aqui estamos nós de volta a outro beco sem saída, e, desta vez, é a coisa de ser gay.” Pg.77

O primeiro Will é meio fechado, tímido e prefere não se envolver muito com nada. Ao contrário de seu melhor amigo gay – e fabuloso – Tinny Cooper, que vive metendo Will em confusões. É difícil não se encantar por Tinny, que aos poucos vai revelar ter um coração enorme. Será que só eu achei que o título desse livro deveria também apresentar o nome de Tinny? Porque com certeza ele se mostra um personagem muito importante. O destaque é que esse primeiro personagem foi desenvolvido por John Green e o segundo will grayson – tudo minúsculo mesmo – foi idealizado por David Levithan. O segundo will é mais complicado e no caso, diagnosticado como depressivo. Achei ele muito sozinho e perdido e para piorar, não consegue achar uma maneira de dizer à sua família que é homossexual. O modo como os dois se encontram dá um ar mais dinâmico a trama, fazendo com que o leitor se divirta com as cenas e os diálogos apresentados.

O legal nesta história é acompanhar o rumo dos acontecimentos e perceber claramente o envolvimento de ambos na vida um do outro, incluindo suas amizades. Acredito que o sentido maior de “Will & Will” é demonstrar todo o amadurecimento dos personagens, incluindo suas confianças e aptidões. Não foi um livro que me surpreendeu, porém revelou ser uma leitura ágil e carismática, sendo que os autores mantiveram uma sintonia mais calma e despretensiosa até o desfecho, que se mostrou um pouco previsível em vários aspectos.

Link da resenha no blog Segredos em Livros:

http://www.segredosemlivros.com/2013/06/resenha-will-will-um-nome-um-destino.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Sara 10/05/2022

Gostei desta proposta de John green, muito interessante, gostei da história e dos personagens. É engraçadinha mas tem seus momentos sérios como sempre. Vale a pena ler.
comentários(0)comente



Nath 29/01/2022

?????
Eu não entendi qual o objetivo dessa história, os personagens não são interessantes ou profundos (pq vamos combinar, ser gay ou ter depressão não é uma construção de personagem), o enredo é extremamente chato e vazio e ainda é super problemático (eu entendo que em 2010 algumas discussões não eram tão discutidas como são hoje, mas ficar repetindo o tempo todo o quanto um personagem é gordo, grande, "parece uma geladeira" além de gordofobico, torna o livro bem fraco).
comentários(0)comente



Carol 10/06/2021

Não foi bom, mas também não foi ruim.
O livro trás um enredo bem interessante que inicialmente parecer ser sobre relacionamentos amorosos, mas que depois você vê que acaba sendo um livro sobre amizade.

De inicio, achei ambos os personagens bem chatos. Sabe aquela galerinha do "não me misturo, sou melhor que todo mundo e etc"? Ambos os Will's eram bem esnobes e só sabiam reclamar de tudo. Tanto que chegou um ponto da história que estava acompanhando mais pelo Tiny. Os dois tratavam todo mundo super mal e se eu fosse amiga de um deles já tinha pegado minhas coisas e caído fora. O Will só reclama o tempo todo de como o Tiny é a gay escandalosa e o will acha que é suave tratar a Maura igual a um lixo (mesmo com as coisas que aconteceram depois, nada justifica você tratar alguém mal).

Lá pela metade do livro, incrivelmente, quando existe o encontro entre os dois mundos, começou a ficar um pouco mais legal e li em uma tacada só.

John e David trazem alguns problemas da adolescência que não são muito discutidos em livros: a gordofobia, a depressão e a amizades tóxicas que são necessários em livros adolescentes para que os jovens se reconheçam nesses personagens não-perfeitos. Ninguém ali é louro, alto, dos olhos azuis que é a pessoa mais legal e popular do mundo, ou é a menina desprezada da escola que só vai tirar o óculos e vai ser a nova popular. São personagens bastante reais com seus medos e inseguranças.

Mas os conflitos entre os amigos e os Will's são resolvidos tão rápido que parece que eles tiveram ali uma luz divina que fizeram eles ficarem super gente boa da noite pro dia, sendo que você reconhecer a amizade tóxica, reconhecer seus próprios erros e conversar com o outro é um processo demorado na maioria das vezes.

É uma boa leitura para passar o tempo, mas não é bom o bastante pra recomendar para alguém.
comentários(0)comente



kai 23/02/2022

Will e Will
no começo achei uma história incrível, e fui simpatizando com os personagens, amo o autor e já esperava uma obra cativante como todas as suas outras obras... mas não foi dessa vez. achei o desenvolvimento raso, não há muito como se apegar a estes personagens, por mais que eles tenham personalidade, elas não são muito exploradas. achei uma história com certeza divertida de se ler, mas com um desfecho raso e nada empolgante. com certeza passa longe de ser a melhor obra de j. green, mas é ótimo pra quem deseja somente passar o tempo com uma história leve e pouco densa.
comentários(0)comente



rmneedy 18/05/2021

Questionável
Por ser uma obra de John Green eu fiquei muito animada para ler. Já havia lido A Culpa é das Estrelas e gostei muito.

A história é de leitura rápida e fácil, foi o livro que li mais rápido, mas esse não foi único motivo pra tal feito. No decorrer da trama temos os Will Graysons, mesmo nome, mas realidades totalmente diferentes. Temos também o ladrão de cenas Tiny Cooper. Fiquei muito apranimada com desenrolar do livro e ansiosa pro final.

Infelizmente me senti um pouco decepcionada. Consegui entender a proposta e o ensinamento que o livro tinha a passar, mas só depois de ler os dois últimos capítulos três vezes. Acho que os autores acabaram se perdendo nessa moral e não souberam expressar tudo o que queriam. Em alguns momentos do livro percebi também que o protagonismo de ambos Wills acabou se desviando pro Tiny e fez a história ser focada nele.

Enfim, apesar de não ter sido minha leitura favorita, gostei de ler e acompanhar os personagens, principalmente por me identificar com um dos Wills.
comentários(0)comente



618 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR