Desejo à Meia-Noite

Desejo à Meia-Noite Lisa Kleypas




Resenhas - Desejo à Meia-Noite


313 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Micaela | @ninfadomar 21/06/2020

"Beijou-a [...] beijos para acender fogueiras, iluminar o céu e manter as estrelas em seu lugar"
Amelia Hathaway abdicou até mesmo de um marido para poder dar atenção a seus irmãos. Dedicada de maneira integral a família, Amelia é uma mulher extremamente forte e devotada aos irmãos.

Tentar cuidar da família se torna algo totalmente cansativo e estressante principalmente quando o irmão mais velho, e o provedor dos Hathaways, não se importa muito com nada além de tentar inibir a própria dor.

É em uma noite de procura por Leo, que está desaparecido há dias, que Amelia acaba conhecendo (suspiros e gritos inseridos aqui) Cam Rohan, homem sedutor de origem cigana e com uma personalidade e estilo de vida próprio. Rohan e Amelia acabam tendo um primeiro encontro em tanto (Bota em tanto nisso).

❝Beijou-a como se ela fosse o ar que ele respirava.
Beijos ferozes, duros, provocantemente planejados, suaves e sedutores, beijos para acender
fogueiras, iluminar o céu e manter as estrelas em seu lugar ❞

💬 Eu geralmente não costumo ler muito romance de época por achar sempre muito parado, mas claro, que com a Lisa foi uma experiência bem diferente. Esse livro tem um romance lindo e excitante (em todos os sentidos da palavra) e personagens cativantes e marcantes (eu quero muito ler o da Beatrix, amei essa garota 😆)

💬 Outro ponto muito bom de lembrar: o mocinho é um cara não-branco (apesar de vocês insistirem em colocar um cara branco como dreamcast) com origens ciganas! Sério, nunca li nenhum livro com personagens ciganos e conhecer um pouco dessa essência foi uma experiência incrível.

▪ Pra você que ama romance de época, personagens cativantes e uma leitura apaixonante, esse livro é pra você.

site: https://www.instagram.com/p/B9XkwNZBSzB/
comentários(0)comente



cris.leal.12 02/09/2020

Difícil é não querer um meio cigano igual ao Cam...
Este é o primeiro volume da série Os Hathaways e conta a história de Amelia Hathaway e Cam Rohan. Órfã e sem poder contar com lorde Ramsay, seu irmão mais velho, que depois de perder a noiva vive em constante estado de embriaguez, Amelia pegou para si a obrigação de cuidar da família. Aos 26 anos, cheia de responsabilidades, com uma decepção amorosa na bagagem e sem vontade de se submeter às ordens de um marido, ela se auto declara solteirona. Ao tentar resgatar o irmão de uma noite de bebedeira, seu caminho cruza com o de Cam Rohan, o gerente do mais renomado clube de jogos de Londres. Cam é um homem incomum, é um mestiço, nascido de mãe cigana e pai irlandês, com um talento extraordinário para acumular riqueza. Mesmo tendo ficado muito rico, ele jamais se adaptou plenamente à sociedade londrina e, por isso, planeja jogar tudo para o alto, voltar às suas origens e desfrutar da liberdade dos ciganos.

Embora Cam não tivesse interesse no modo de vida não-cigano, o fascínio que o dominou quando conheceu Amelia foi impossível de ignorar. Amelia por sua vez foi incapaz de resistir ao jeito intenso e sexy dele. No entanto, devido aos planos de vida que tinham em mente, tentaram resistir a atração, mas sem sucesso. O que aconteceu é que os sentimentos se aprofundaram, ajustando com perfeição a personalidade orgulhosa e independente de Amelia à natureza perspicaz, possessiva e protetora de Cam, resultando numa ardente história de amor.

Mais uma vez Lisa Kleypas trouxe para nós um herói digno de suspiros, o exótico Cam é determinado, sexy, espirituoso e muito terno. Gostei do casal e da trama, embora algumas pontas tenham ficado soltas no final. Acredito que seja uma estratégia para que busquemos respostas no livro seguinte, o que indica que é melhor ler os livros desta série na ordem em que foram escritos. Neste primeiro volume, além de podermos matar a saudade de alguns personagens da série As Quatro Estações do Amor, a autora apresentou e forneceu informações sobre os quatro irmãos de Amelia: Leo, Win, Poppy e Beatrix, abrindo caminho para que suas histórias sejam contadas a seguir. Vale a pena conferir!

site: https://www.newsdacris.com.br/2020/09/resenha-desejo-meia-noite-de-lisa.html
comentários(0)comente



@APassional 12/05/2013

Desejo à Meia-Noite * Resenha por: Elis Culceag * Arquivo Passional
Para dar início à leitura dos Romances de Época lançados pela Editora Arqueiro no mês de abril, escolhi "Desejo à meia-noite", ponto de partida da série "Os Hathaways", ambientada na Inglaterra Vitoriana e composta de 5 volumes, cada qual destacando como personagem principal um dos irmãos Hathaways: Leo, Amélia, Win, Poppy e Beatrix.

Neste primeiro volume, acompanhamos a mudança da família Hathaway de Londres para Hampshire, onde viverão na Ramsay House, propriedade em ruínas herdada por Leo, juntamente com o título de visconde. O problema é que o título parece carregar algum tipo de maldição, pois todos que assumem o papel de lorde Ramsay são vítimas de desgraças que os levam à morte prematura. Leo não está muito longe desse destino, já que após a morte da noiva, entregou-se à vícios que colocam sua vida e o bem estar da família em risco.

"Ramsay House era um lugar atraente, com excentricidades, cantos secretos e características singulares que só precisavam de atenção e cuidados. Não era muito diferente da família Hathaway."

Chegamos então a Amélia, nossa protagonista. Mediante o desequilíbrio do irmão mais velho Leo, Amélia assume para si a responsabilidade pelo bem estar da família, abrindo mão do que seria o caminho natural à todas as moças da época: o casamento. Seu braço direito na tarefa de cuidar dos irmãos e iniciar a recuperação da Ramsay House é o introspectivo Merripen, um Rom (cigano) que vive com os Hathaways desde criança, a quem Amélia considera como irmão. Mas esse não é o único Rom na vida de Amélia. Em Hampshire, ela reencontra Cam Rohan, aquele que lhe roubara um beijo pecaminoso e sua fita de seda vermelha, numa noite turbulenta em Londres...

Cam Rohan é a dualidade em pessoa. Mestiço, filho de mãe cigana com pai gadjo irlandês, não é considerado pelos ciganos como Rom, tampouco pelos ingleses como um cavalheiro. É desapegado em relação ao dinheiro como um Rom, mas possui a "boa sorte dos duendes irlandeses", sempre obtendo muito lucro, mesmo sem querer. Deseja viver a vida livremente nas estradas, mas ao mesmo tempo sente a necessidade de formar seu próprio clã. Como encontrar um equilíbrio nisso tudo, quando a atração pela irresistível Amélia lhe confunde ainda mais os pensamentos?

Amélia e Cam são um casal curioso, quando eu pensava que eles iriam agir de certa forma, faziam diferente, quando parecia que tudo estava caminhando para a direita, um deles se fazia de "cabeça-dura" e ia para a esquerda. Mas Cam possui todo um jogo de cintura cigano pra persuadir a controladora Amélia a "dançar em volta da fogueira"... Há cenas sensuais quentíssimas, totalmente inseridas no contexto. Não estão ali porque a autora resolveu escrever algumas cenas de sexo, mas porque a atração entre Amélia e Cam é tão inevitável que ateia fogo, as chamas crepitam e eles não conseguem deixar de fazer amor.

"Beijou-a como se ela fosse o ar que ele respirava. Beijos ferozes, duros, provocantemente planejados, suaves e sedutores, beijos para acender fogueiras, iluminar o céu e manter as estrelas em seu lugar."

Existem coisas paralelas acontecendo na trama que envolvem pequenas doses de mistério, como um detalhe que sugere uma ligação entre Merripen e Cam, pequenas manifestações fantasmagólicas que atormentam Leo, um cavalheiro conhecido, mas com atitude suspeita que ronda Ramsay House. Há também um amor "proibido" e um caso de cleptomania na família que serão explorados em outros volumes da série.

Essa leitura foi extremamente prazeirosa e surpreendente! É o primeiro livro da autora que leio e já me sinto conquistada com sua escrita humorada, sensual e viciante. A narrativa em 3ª pessoa nos revela os pontos de vista de Amélia e Cam, mas Lisa Kleypas cuida de todos os seus personagens com muito carinho, protagonistas ou não, eles tem perfis físicos e psicológicos bem delineados, conhecemos seus problemas, qualidades e defeitos, torcemos por eles e, no caso dos irmãos de Amélia, nos alegramos porque sabemos que cada irmão terá um livro todinho seu. Nos apegamos aos Hathaways e queremos mais!

"Acredito em magia e mistério, em sonhos que revelam o futuro. E acredito que algumas coisas estão escritas nas estrelas... ou mesmo na palma das mãos."

É. Muito. Romântico!
Recomendo, passionalmente!
Elis Culceag.

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 12/05/2013:

http://www.arquivopassional.com/2013/05/resenha-desejo-meia-noite-lisa-kleypas.html
Nesca 29/02/2016minha estante
Estou curiosa pra ler,sua resenha está ótima




Myreia | @_pequenabibliotecaria 11/06/2020

Eu adoro essa familia
Amélia se tornou responsável pela família Hathaway desde que seus pais faleceram e o irmão, perdeu a noiva após uma doença e nunca mais foi o mesmo. Sempre tomando as rédeas da família, ela não pensa em casar e abrir mão da sua liberdade, então se conformou em ser quem vai cuidar de todos. Em um dos problemas que Leo arruma, ela conhece Cam Rohan, um jovem meio cigano e meio irlandês que chama sua atenção por ser exótico.

Lisa Kleypas é uma das minhas autoras favoritas de romance de época e mesmo encontrando alguns pontos que eu mudaria na história, não consigo não amar esse livro.

Muitos reclamam da possessividade de Rohan, entendo que ele faz parte de uma cultura totalmente diferente da que conhecemos e que nela, o homem tem total controle e dedicação à sua esposa. Ele não é o meu mocinho favorito, mas adoro a forma como ele abre mão do que acha certo, para tomar partido, ao lado de Amélia, sobre essa família um tanto quanto desastrosa. Sobre Amélia, tenho que dizer que ela me irrita um pouco, mas entendo a visão que ela tem de si e da família, então relevo.

O maior motivo de gostar dessa história é como os dois se complementam: de um lado, temos Amélia que é totalmente devota a família e se esquece de si, do outro Rohan, que sonha com a liberdade dos ciganos, mas que encontra nos Hathaways uma família. Além disso, Beatrix, a irmã caçula é maravilhosa.

Uma coisa que acho importante dizer é que Os Hathaways contém spoilers da série Quatro Estações do Amor, então, se você não quiser saber o que aconteceu com os personagens, leia primeiro a outra.
comentários(0)comente



Jesse - @jessipitan 29/07/2020

Amor pelos Hathaways
Comecei o livro já sabendo como Lisa Kleypas desenvolvia suas histórias, e confesso que os Hathaways me surpreenderam desde o primeiro momento.
Os personagens são cativantes, me apeguei muito a eles. Cada um diferente do outro, mas encontram sempre uma maneira de viver em família, e se amando acima de tudo.
Cam Rohan é um cigano diferente de todos, ama a natureza e tem um desejo profundo de viver livremente, e ao mesmo tempo, possui uma mente única, pois foi criado junto aos londrinos.
Ele e Amelia, são os opostos, e a relação que eles desenvolvem durante o livro é incrível, uma conexão única.
Teve alguns momentos de reencontros entre personagens que não me agradaram, mas nada que interfira em minha opinião em relação à história.
A escrita é fluida e leve, recomendo muito esse romance, que tem uma historia divertida e encantadora, simplesmente me apaixonei pelos Hathaways e super indico para que se apaixonem também.
comentários(0)comente



Bete 02/05/2020

Comecei achando que não ia gostar, porque eu aparentemente acho que gosto mais dos escândalos aristocráticos, mas o Cam é cativante e me conquistou. Afinal que não sonha com um homem alto, moreno, inteligente, olhos cor de amêndoas, sedutor e podre de rico!!! Mas essas as qualidades visíveis de qualquer, mas Cam tem algo mais. Um espírito genuinamente bom. Além de ser engraçado e confiante. Amei essa história cheia de mistérios ?. Os Hathaways são pessoas extraordinariamente fácil de se afeiçoar e sentir empatia por seus anseios.
comentários(0)comente



LuKütter 14/08/2020

Lisa Kleypas continua uma constante
Após ler as outras séries dela, estava atrás da série Os Hathaways, graças a uma amiga aqui do Skoob, consegui a coleção completa.
Lisa é uma constante na escrita, e eu gosto muito disso! É sensível com as palavras, sempre tem diálogos com pitadas de humor, um leve tom dramático, muito romance, personagens secundários se destacando. Gosto das menções de outros personagens, ela deixa aquele gancho para os próximos livros. Adoooro que nas seqüências das séries os casais favoritos de outros livros participam.
Então, rumo ao segundo volume.
comentários(0)comente



Julia 17/04/2020

Loucamente apaixonante!
Vou ser repetitiva em toda a coleção. Mas cada vez mais, a cada livro que leio da Lisa Kleypas eu fica mais e mais apaixonada!
Historia e personagens cativantes!
Neste teve muito "vou te salvar, minha linda donzela" (não é citação do livro), levemente incomodo. Outros momentos de raiva e indignação com o protagonista, mas ele se supera em outras partes. Lindo livro! Do começo ao fim!
Aline.Leticia 17/04/2020minha estante
Essa série e maravilhosa ?


Julia 18/04/2020minha estante
Sim!!! Exatamente maravilhosa!




Sassenach 16/02/2020

Já comecei essa série da Lisa apaixonada pelo primeiro livro,mal posso esperar para ler os outros
comentários(0)comente



Cris Paiva 24/06/2013

Adoro livros que tem ciganos, e nesse, para o meu deleite, tem dois!!!

Cam, é um cigano que trabalha em um clube de jogos, e uma noite encontra a mocinha e seu amigo cigano, quando eles vão procurar o irmão inconsequente e potencialmente suicida da mocinha, no antro de perdição no qual ele trabalha. Só que mal dos pecados, o irmãozinho dela, ja decidiu dar um rolé por outros antros, e ele ajuda a mocinha a achar a peste. Tudo ia acabar como uma boa ação, quando um tempo depois, em uma viagem pelo campo, ele salva a mocinha de um bombardeiro e se descobre perdidamente apaixonado por ela!

O cigano gostosão está convencido de que Amelia é a mulher da sua vida, só que a outra é cabeçuda que só, e vive repetindo que ela é uma solteirona e que por isso não vai se casar, e sua sina é cuidar da família doida para todo o sempre!! Oh mulherzinha sonsa!!! O cigano vai ter trabalho com essa aí, acho que só umas encochadas bem dadas não vão dar jeito, vai ter de apelar...

O outro cigano da história é o Merripen, um rapaz que foi acolhido pela familia depois de ter sido achado meio morto pelo falecido pai de Amélia. Ao que parece ele é totalmente apaixonado pela outra irmã, a Winn, mas parece que o amor deles não tem futuro, pois ela tem uma doença incurável e dizem os médicos que jamais poderá se casar... Só que o proximo livro é o deles, então vem novidades por ai! Hehehehhe
Silvana Barbosa 25/06/2013minha estante
Dá vontade de ler esse, parece tão legal ! Mas ando meio traumatizada qdo vejo que o romance faz parte de série . Na minha seção "vou ler" é um tal de romance de irmão , amigo, primo ...êta , não consigo resistir! Pior é correr atrás disso tudo , baixar livro , visitar sebo, ai , ai !!




Sueli 27/07/2013

Amelia É Que Era Mulher de Verdade!
Primeiramente, tenho que felicitar a Editora Arqueiro pela publicação do livro Desejo À Meia-Noite. Uma edição caprichadíssima, com uma capa belíssima, revisão impecável, e mais importante que tudo, com o segundo volume da série Os Hathaways com intervalo de tempo muito civilizado!
Nosso livro começa com a clássica olhada eletrizante. Sabe aquele olhar que já lemos trocentas vezes, em que o rapaz olha para mocinha e parece que foi fulminado por um raio?
Pois é! Tá lá!
E, você gosta!!!! Acredita nisso?
E, é aí que eu pergunto: Por que? Por que?
Por causa do talento da autora, claro! Lisa Kleypas estava inédita para mim. O que só pode ser considerado uma tremenda inépcia de minha parte... Perdi um tempo enorme lendo coisas menos interessantes. Mas, como saber?
Seguindo:
Amelia Hathaway é a irmã mais velha, e responsável por uma família com sérios problemas emocionais e financeiros, apesar de seu irmão ter recebido uma herança meia-boca...
E, é enquanto está procurando Leo, seu irmão bêbado e irresponsável que ela conhece Cam Rohan, um cigano com garantia de satisfação ou seu dinheiro de volta! Sem contar que ainda vem com um bônus extra: uma sorte infinita, que o fazia recuperar, e ainda multiplicar, todo o dinheiro que ele insistentemente tentava gastar.
Portanto, como vocês podem notar, o conflito do livro está centrado na questão do preconceito da sociedade inglesa, em meados do século XIX, contra os ciganos. Mas, nada que seja realmente um drama sem limites, pois é claro que todos foram benevolentes e compreensivos. E, Amelia mais que todos naturalmente, pois desde que sua casa foi parcialmente consumida por um incêndio, e ela e sua família foram gentilmente acolhidas por vizinhos maravilhosos, ela não se fez de rogada e iniciou ali mesmo o seu romance com Rohan.
Um romance delicioso que deve ser lido sem grandes expectativas, mas com a certeza que você terá momentos de grande prazer.
Mas, não se esqueça de acender a luz, caso você tenha problemas com temas sobrenaturais! rsrsrsrsr
Silvana Barbosa 09/08/2013minha estante
Hum... Tô doida pra ler !!!




Ju @_bekiind 14/02/2020

Não funcionou para mim
Esse livro foi minha primeira experiência com romance de época. É um gênero que todo mundo ama, e eu achei que amaria tbm, estava empolgada, mas não foi bem o que eu pensei...
Encontrei muitas cenas de machismo e até mesmo duas cenas de estupro neste livro, na minha opinião. Afinal, quando uma mulher diz: ?não, não quero!?, nenhum homem deve continuar encostando nela. Sei que em histórias ?de época? tem muito machismo mesmo, pq antigamente isso era ?normal?... mas me incomoda mto uma autora contemporânea escrever cenas machistas e todo mundo romantizar essa relação! Antigamente era normal, mas hoje em dia não, então não vamos achar isso lindo!
Enfim, traumatizada com romances de época, medo de tentar outro :/
Maria 14/02/2020minha estante
Nunca li nada de Kleypas, mas as outras autoras geralmente apostam em personagens feministas. Achei bem estranho você comentar logo isso, vou evitar essa autora.


Pandora 14/02/2020minha estante
Oi, Juliana! Para uma melhor experiência com ?romances de época?, melhor ler os clássicos, escritos na época a qual se referem. ;)


Ju @_bekiind 14/02/2020minha estante
Pessoal, to aprendendo ainda a mexer no Skoob, então não sei responder separadamente, então vou responder as duas aqui tá? hehe
Duda, então, acho que teoricamente era pra essa protagonista ser feminista, pq ela é tipo a chefe da família e talz, mas acabou que ela abaixava a cabeça pra tudo do homem :/
E Pandora, siim, eu penso isso tbm, ainda não li Jane Austen, mas pretendo, e acho que não vou ficar tão incomodada sabendo o contexto da época em que ela escrevia tbm!


Maria 14/02/2020minha estante
Não tem essa opção no Skoob mesmo, tem que responder assim mesmo, rs.
Pelo visto a autora passou longe do que aparentava.
Os verdadeiros romances de época são histórias completamente diferentes, Kleypas/Quinn deveriam usar um novo gênero pra falar dos livros delas, como romance erótico de época, por exemplo (não sei dizer se existe uma quantidade considerável de obras escritas nos séculos passados nesse estilo pra fazer uma comparação, esse "gênero" realmente só é frequente nos livros atuais). Quando tu ler algum realmente de época você vai sentir a total diferença :)


Ju @_bekiind 14/02/2020minha estante
Aaah, que bom!! haha Mais esperançosa agora ? Tem vários que quero ler esse ano mesmo!
Tem esse ponto tbm, sobe os romances de época escritos


Ju @_bekiind 14/02/2020minha estante
...hoje em dia (enviou antes de escrever haha)... as várias cenas de sexo não são da época haha Então o machismo todo não deveriam manter, assim como o puritanismo, se quiserem.


Maria 14/02/2020minha estante
Sim! Os que eu li eram mais nesse seguimento, as protagonistas fogem do puritanismo, assim como revidam o machismo, as autoras apelam muito para a comédia também, coisa que não se vê muito nos originais de época. Eu parei de ler porque não vejo muita graça, mas nunca tinha me deparado com machismo forte assim nos protagonistas.


Pandora 14/02/2020minha estante
É como a Duda escreveu: os de época mesmo são bem diferentes. Mas valeu pela experiência, pelo menos.
Continue postando sobre as suas leituras! É sempre bom ler opiniões alheias. :)


Ju @_bekiind 14/02/2020minha estante
Obrigada Duda e Pandora! :))
Muito interessante a visão dos romances de época originais, que foram escritos há muitos anos mesmo... vou em busca desses!




Jeeh @jeehtc 22/05/2020

Esse é um romance de época um pouco diferente dos que já li, o mocinho é cigano e eu pude conhecer um pouco mais sobre essa cultura.
Achei interessante também o ar de mistério fantasmagórico que a autora incluiu na história, pois nunca tinha lido algo do tipo em outros romances de época.
Quanto ao casal eu gostei bastante, só fiquei com um pouco de raiva em alguns momentos, pois achei o Cam um tanto autoritário e a Amelia submissa às vezes.
comentários(0)comente



Karine 01/04/2017

Os Hathaways #1
Desejo à Meia-Noite e o primeiro livro da seriei ''Os Hathaways''. O livro conta a historia de Amélia que teve que assumir o lugar de matriarca depois da morte de seus pais. Amélia e uma protagonista forte, determinada, sempre tenta manter a família feliz e unida sua preocupação com seus irmãos e linda um pouco exagerada em minha opinião. Ela estar disposto a tudo ate desistir do casamento. Seu irmão mais velho Leo desde que perdeu seu grande amor virou um viciado em jogos, apostas e bebida. E é um dessas confusões que Leo se mete, que Amélia conhece Cam um cigano LINDO. Cam típico mocinho anti-herói, aquele que odeia ser taxado de bonzinho e faz de tudo para manter a aparência e a atitude destoante dos ambientes em que circula. Cam é extremamente sexy e sedutor, e dono de uma alta estima considerável. Ele também fez fortuna, coisa mal vista entre os ciganos, que não acreditam em bens materiais. Já o próprio, acredita sofrer da “maldição da boa sorte”, por mais que invista em negócios totalmente duvidosos, em empresas prestes a falir, ele sempre consegue de algum modo ganhar ainda mais dinheiro. Mas apesar de viver a vida como qualquer outro homem da alta sociedade, Cam anseia por sua vida como rom, vivendo nas matas, dormindo sobre a relva e observando as estrelas. E mesmo com toda a fortuna que possui, ele não é visto como um bom partido para as moças da cidade, já que é metade cigana. Então, casamento é algo que não esta nos planos, não só por este fato, mas também porque casar com alguém da alta sociedade resultaria em firmar residência, algo que ele não almeja. Mas quando encontra Amélia, Cam começa a questionar suas decisões. Então meu os Personagens são fantásticos, enérgicos e fora dos padrões. Desejo a meia noite e um romance de época intenso e arrebatador, em todos os sentidos, já que a autora conseguiu introduzir diversos elementos no livro, deixando extremamente envolvente e única. O clima de paixão e mistério se encontra do inicio ao fim. Resumindo, este é um livro fantástico como uma trama envolvente. É isso meu povo para quem gosta de um livro de época que quebra os padrões eu o recomendo
comentários(0)comente



Haz 26/04/2020

Esta saga é maravilhosa, eu super recomendo para quem gosta de romances de época.
comentários(0)comente



313 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |