Híbrida

Híbrida Mari Scotti




Resenhas - Híbrida


81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Queria Estar Lendo 04/08/2013

Só mais um - Híbrida
Resenha: Híbrida
Link oficial da resenha: http://migre.me/fFwoo

Já faz um tempinho que eu li, mas finalmente tomei vergonha na cara para vir resenhar o livro da querida Mari Scotti. Minha demora para finalizar a leitura se deveu unicamente a minha preguiça temporária de leitora, porque Híbrida é bastante instigante e muito bem desenvolvido; uma leitura excelente para os fãs de vampiros. VAMPIROS de verdade, nada de fadas cintilantes que chupam sangue de cervos (aqui eu fujo da Mari, porque sei que ela gosta de Crepúsculo).

Em Híbrida, temos uma trama sobrenatural muito profunda e bem trabalhada no suspense. Primeiramente, o que é mais legal, se passa no Brasil! No decorrer da história, acompanhamos dois personagens principais ligados por anos de mistério. Ellene, uma jovem ruiva que não se encaixa na vila onde vive vila esta formada por homens e mulheres que se transformam em lobo durante a lua cheia e Milosh, um vampiro centenário que vive numa melancolia infinita, visto que o amor de sua vida, a rainha dos vampiros, está desaparecida há muitos anos. Enquanto vemos Ellene tentando entender seus dramas pessoais, como o motivo de se sentir tão deslocada e também os estranhos sonhos envolvendo um homem misterioso em meio a uma densa neblina, Milosh corre contra o tempo para impedir que o cargo real dos vampiros vá parar nas mãos de um candidato nada confiável para isso, ele usará de mentiras e disfarces, correndo contra o tempo para encontrar a sua rainha.

"Uma sociedade destruída, sem direcionamento. Sua única esperança está no lado oposto, vivendo nos sonhos, na mais densa escuridão."

Acho que fiz um bom resumo. Eu sou péssima em resumos! Sempre tenho vontade de sair contando o livro todo. Mas muito bem, vamos à resenha.

Mari tem uma narrativa muito bem equilibrada. Suas descrições são bem detalhadas e em certos momentos podemos nos ver passeando pela Avenida Paulista, assim como andando pela Europa alguns séculos atrás. Achei o mistério bem colocado nos momentos certos, assim como as explicações quando necessárias. Os personagens que mais me encantaram foram os protagonistas, ainda que Ellene me dê raivinha vez ou outra por causa de umas frodices que ela faz. Coisa normal em personagem principal, faz parte hehehe.

"Você está ai? Pensou.
A voz veio imediata, rouca e masculina como ela se lembrava.
Elizabeth?"

E sobre Milosh, ah, pobre e sofredor Milosh, deixa eu te amar e te fazer feliz, neném. Mari foi tão má com ele, coitadinho. Espero que no segundo livro a coisa melhore, porque tem dor demais na vida centenária desse vampiro bonitão!

"Estava cada vez mais feliz com o plano. Milosh, no entanto, ficava mais introspectivo e preocupado com o desenrolar das coisas. Seria mesmo o certo a fazer? Esperava saber antes que fosse tarde demais."

A construção dos personagens foi ótima, aliás! Consegui sentir a melancolia do Milosh em cada cena que ele aparecia, e a ansiedade e confusão da Ellene de maneira exemplar. Mari está de parabéns. A maneira como ela lidou com as raças sobrenaturais também foi bem legal. Gostei de como ela construiu toda a monarquia vampírica e a sociedade onde vivem os lobisomens, muito bacana mesmo.

O final merece um destaque porque MARI SCOTTI, COMO PODE? EU QUERO MAIS, SUA MALDITA! NÃO SE FAZ AQUILO COM SEUS LEITORES, QUE ABSURDO! Enfim, parei. Foi um final excelente, do tipo que te instiga a procurar ansiosamente por mais páginas e ficar decepcionado por não encontra-las.

No geral, um livro ótimo! Para fãs de suspense, de criaturas sobrenaturais e de descobertas surpreendentes, vale a pena.

____________________________________

Gostou da resenha, quer mais? Então acesse o blog 'Só mais um' e venha viver este vício conosco! :)

Esta resenha foi feita por Denise Flaibam, membro do blog 'Só mais um', e a reprodução integral ou parcial da mesma é proibida. Plágio é crime.

Só mais um
http://migre.me/akZTi
comentários(0)comente



Vic 15/09/2013

Sem fôlego!
Híbrida foi o primeiro livro nacional que li, não gostava, pois achava que todos eram formais e chatos como os clássicos. Descobri este livro procurando promoções na Saraiva, comprei a R$ 9,90 e já terminei de ler.
A história é tão envolvente que quando largava para comer, ou tomar banho, ou dormir, ficava pensando nos personagens, no que poderia acontecer, nos mistérios que a autora deixa nos ar e não conseguia me concentrar em nada, então pegava o livro de novo, retomando a leitura. Li em dois dias por causa disso.
Só fiquei chateada quando li a última linha, me deu um desespero total, já que aconteceu o que eu menos esperava! Procurei saber se tinha continuação ou quando seria lançado o próximo livro e foi assim que descobri que era nacional e fiquei surpresa, pois pela escrita dela eu jamais imaginaria. Parabens a autora!

Se alguém souber quando o próximo livro sai, me conte, não consegui descobrir.

Vic
Mari Scotti 15/09/2013minha estante
Vic, amei sua resenha, obrigada pelo carinho!
O próximo livro será publicado em 2014! Beijo
Mari scotti




Bruna 14/07/2013

Híbrida: tantas vidas, um mistério
Sabem aquele tipo de livro que realmente mexe com você, te faz torcer, vibrar, tentar guiar e até mesmo xingar os personagens, como se eles pudessem te ouvir? Bom, Híbrida é bem assim. Abordando o sobrenatural, com criaturas poderosas, cheio de mistérios, ação, romance, mas com cenas cômicas bem dosadas e bem encaixadas, Híbrida prende sua atenção do início ao fim.

O livro é um sobrenatural que se passa no Brasil (\o/), mas com alguns flashbacks na Europa, e foca em duas raças de antigos inimigos: os vampiros e os lobisomens. A trama gira em torno de dois personagens que, apesar de profundamente interligados, mal chegam a se cruzar durante trama: Milosh e Ellene. E a capa reflete bem essa divisão do livro entre Milosh e Ellene, já que temos uma imagem com dois focos: acima do título temos uma jovem ruiva, representando Ellene, e abaixo temos uma floresta recoberta de névoa, representando tanto Milosh, quanto fazendo uma alusão ao título da série.

Milosh é um poderoso (e gatoso) vampiro. Era o marido e guardião da Rainha dos vampiros, Elizabeth, que está desaparecida a quase 100 anos. Segundo as leis dos vampiros, após completos 100 anos da vacância do posto de líder da raça, este deve ser ocupado, e o principal candidato não é nada promissor. Assim, Milosh, que permaneceu todo esse tempo fiel e apaixonado por sua rainha e esposa, precisa tomar algumas medidas drásticas para tentar ganhar tempo e encontra-la antes que seja substituída.

Milosh é considerado o vampiro mais poderoso da corte vampira, atrás apenas da desaparecida Elizabeth. Porém, logo no início somos apresentados a Heidy, uma vampira super poderosa, que além de tudo é meio humana e descendente de bruxos. Ela é uma inimiga do reinado, e deseja ser a rainha. Para evitar a escolha de um novo soberano, Milosh se une a Heidy em um jogo potencialmente perigoso, cujas consequências nós ainda teremos que descobrir nos próximo livros. E adorei ver os flashback sobre o passado desse trio (Elizabeth/Milosh/Heidy), já que as duas mulheres eram superamigas, antes de se apaixonarem pelo mesmo homem, é claro!

Do outro lado, temos Ellene, nossa irreverente heroína! Ela é uma adolescente que cresceu numa vila de lobisomem, adotada por uma importante família do clã, sendo que seu irmão mais velho é o líder da matilha. Mas, mesmo amando seu lar, ela se sente diferente, como se algo estivesse errado ou faltando. Ela está preocupada por ainda não ter se transformado em lobo, o que geralmente ocorre por volta dos 15 anos. Entretanto, ela tem alguns poderes especiais, que os lobos da vila não possuem, como a habilidade de se camuflar no ambiente e super velocidade. O que Ellene não sabe, nem sequer imagina, é que ela não é um lobo como acredita, e em sua busca pela verdade a respeito de seu passado e suas origens, muitos problemas surgiram e ela se verá frente a frente com a raça que cresceu aprendendo a odiar, e descobrirá que tem muito mais a ver com estes supostos inimigos, do que com aqueles a quem vê como família.

Por meio de Ellene, vamos conhecendo a sociedade dos lobos. Eles são justos e procuram defender os humanos dos vampiros. Dentre os lobos, o principal na história é Tomás, o melhor amigo (e praticamente namorado) de Ellene. Ela o adora, confia nesse amigo incondicionalmente, mas se sente confusa em relação a seus sentimentos (amorosos) por ele. Vou admitir que adorei o Tom no início, mas, mais para o final aconteceram certas coisas que me fizeram rever um pouco meus conceitos, então vou ter que esperar o próximo livro para ver o que realmente sinto por ele!

Ellene é uma mocinha super legal e simpática. Ela é do tipo que sabe o que quer e correr atrás, enfrentando de frente as consequências por seus atos, e houveram algumas!!! já que, apesar de corajosa, ela também era muito ingênua e crédula da bondade alheia. Adorei acompanha-la nessa descoberta sobre si mesma e o seu passado.

Ela tem uma ligação com Milosh, a qual nenhum dos dois compreende. E estou louca para saber como se desenrolará essa relação, e que tipo de sentimentos surgirá entre esses dois.

Eu fiquei encantada com o Milosh, foi amor a primeira leitura, :-). Mas devo admitir que uma das minhas personagens favoritas do livro foi Heidy. Ela é divertida e audaciosa, embora tenha um caráter duvidoso e seja uma potencial super vilã. Eu ainda não sei quais são exatamente suas intenções e de qual "lado da força" ela realmente está! ;-) Então estou super curiosa para saber o vai ser dessa personagem.

Esse primeiro livro teve muita ação, algumas revelações bombásticas e conseguiu prender minha atenção do início ao fim. E por falar em fim, nossa que fim foi aquele??!!! Quando acabou fiquei assim: “Como assim acabou? Mas eu quero saber o que acontece agora!” Muita coisa ainda ficou sem ser dita. Muitas peças ainda precisam ser encaixadas para fechar o quebra cabeças que envolve Ellene, Elizabeth e Milosh, e os próximos livros prometem!!!

Gostei muito do livro e recomendo para todos. A Mari escreve super bem, e deu para sentir o carinho e cuidado que ela teve na elaboração dessa história. E tenho que elogiar também a revisão, que foi ótima, e a quebra de capítulos foi super bem feita, intercalando situações envolvendo ora Milosh, ora Ellene, mas de forma a sempre fechar um capítulo em um ponto importante que te deixa louco para chegar logo no desenrolar daquela cena. E os momentos em que eles se cruzam de alguma forma são eletrizantes!

Espero poder vir falar da continuação de Híbrida em breve, mas sei que vou ter que esperar um pouquinho, já que ele ainda está sendo escrito, e tem previsão (ainda não oficial) para ser lançado no primeiro semestre de 2014.

Espero que tenham gostado e não deixem de comentar!!!
Beijos

site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2013/07/resenha-hibrida-de-mari-scotti.html
Mari Scotti 15/07/2013minha estante
Amei essa resenha! Vou falar isso todo dia




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Camilla 17/09/2013

Resenha postada no blog Segredos e Sussurros entre Livros
O primeiro livro da série Neblina e Escuridão, escrita pela Mari Scotti, além de uma capa linda, possui um enredo bastante intrigante, apesar de falar sobre criaturas sobrenaturais bem conhecidas. Com uma clara inspiração em Stephenie Meyer e um suspense bem pensado, a trama, que poderia ser apenas mais uma, é na verdade, uma boa história de vampiros e lobos. Publicado pelo Selo Novos Talentos, da Novo Século, é mais uma surpreendente amostra nacional.

Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.

A narrativa é em terceira pessoa, dando margem para que o leitor conheça vários pontos de vista, embora o foco esteja em Ellene e Milosh. Ao contrário dos familiares e amigos lobos, Ellene não é nada como eles. Seu crescimento, além de retardado, também não trouxe os mesmos “dons” comuns ao outros de sua espécie. Logo, sabendo ser adotada, começa a desconfiar de suas origens, ou melhor, passa a questionar qualquer fato relacionado a seu passado, desde as raras memórias até os pequenos artefatos que herdara.
Um detalhe muito legal no livro é que, apesar da menção do amor, não há grande foco em cenas românticas. Na verdade, existe uma boa dose de romance sugerida, mas nunca o suficiente para fazer o leitor se ater a isto e esquecer do grande mistério que ronda a vida de Ellene. Confesso que, como de costume, não gostei muito da protagonista. Achei-a uma pouco chata e inconsequente, apesar da situação complicada em que se envolveu. Seu amigo lobo, Tom, também não me convenceu com seu histórico de amizade colorida e atitudes insossas. O troféu de melhor personagem de Híbrida vai para Milosh, o vampiro devotado e parte de um mistério envolvendo também Ellene.
A trama inteira gira em torno do mistério que é a origem de Ellene e que, aparentemente, parece envolver Milosh, o desconhecido que ronda os sonhos da garota desde que se lembra. O que quer que seja a ligação entre os dois, parece ser parte de algo ainda maior, influenciando todos os seres sobrenaturais e suas regras. Dadas tantas pistas e enigmas, em certo ponto do livro, é impossível que o leitor não formule suas próprias teorias. Eu mesma, tenho uma bem absurda e que ainda não descartei.
A escrita da Mari é muito clara, mesmo quando a descrição se torna obscura por tratar de lembranças, sonhos ou visões. O regionalismo também é um fator que costuma me encantar bastante em um livro, especialmente se for nacional. O fato de a história se passar em São Paulo não tira nenhum pouco a visão provinciana da vida dos vampiros, e nem mesmo da vida campestre dos lobos.
Infelizmente, o livro termina sem um final plausível, mesmo para uma série. A impressão que tive é que a história foi cortada no meio, para que houvesse uma continuação. Nada contra, mas foi um pouco frustrante terminar o livro apenas com minhas próprias teorias, sem qualquer resolução palpável. Ainda mais triste é saber que o próximo não será publicado tão cedo...

- Eu sei que o meu metabolismo é lento, e sei que demorei um século para aparentar ter um ano de idade, mas eu me lembro bem de você estudando quando eu era pequena.

- Eca, não bebo sangue! - Fez uma careta e, em seguida, se desculpou – Não que eu condene quem o faz... ou melhor, condeno... enfim... não bebo sangue.

- Eles são maus, eles fingem, enganam, traem. É da natureza deles!

site: http://ssentrelivros.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Jess 16/05/2014

Eu já tinha lido um livro da Mari (Insônia da série Nefilins) e fiquei completamente apaixonada não apenas pelos personagens cativantes, mas também pela sua forma divina de escrever. A Mari consegue desenvolver o enredo de uma forma a qual o leitor simplesmente não sente que está lendo um livro de uma autora nacional, o que eu sempre acho magnífico. Eu fico pensando se ler fanfics causa isso nos escritores, porque todos os livros que li até agora onde os autores escreviam e liam fanfics tem essa forma maravilhosa de desenvolver seus enredos, sem que eles demonstrem sua nacionalidade.

Enfim, voltando ao assunto... Eu tinha minha expectativa em alta quando comecei Híbrida, ela só aumentou depois que vi tantas resenhas positivas sobre o livro, sem falar que sua média é 4,3 no skoob.

No decorrer que eu li fui me apaixonando pelos personagens e definindo meus favoritos, sem falar que tive meus surtos no facebook com a dona Mari, nem sei como ela me agüentou rs.

- # -

Os capítulos são alternados entre a visão de Milosh e de Ellene, conta o que está acontecendo na vida de cada um naquele momento e assim aos poucos vamos vendo como seus mundos se entrelaçam.

Milosh há quase 100 anos está em busca de sua amada Elizabeth, a raiva dos vampiros, ela foi seqüestrada e desde então seu guardião e marido tem conversas telepáticas com ela, o que é completamente normal, mas mesmo que eles possam se comunicar ainda sim ela não pode dizer onde está, fazendo com que Milosh tenha que encontrar suas próprias pistas, o que não é uma tarefa nada fácil.

Uma certa noite ele se sente forçado a fazer uma aliança com Heidy, uma inimiga da rainha, para que assim o trono da sua amada não seja passado para um novo rei. Milosh espera que enquanto pudesse enganar os vampiros, em meio a isto, acabasse tendo alguma pista de Elizabeth e finalmente a encontrasse, porém seu plano pode também acabar matando a rainha, mas seria um arrisco que teria que correr para finalmente ter seu amor de volta.

Ellene tem 18 anos e sente-se cada dia mais diferente dos outros de sua vila. Enquanto todos os jovens ao seu redor finalmente tem sua primeira transformação de lobo, ela no entendo está muito atrasada quanto a isto, a única informação que lhe passam para lhe acalmar é que algumas pessoas simplesmente não se transformam, como é o fato de sua mãe adotiva, porém com o decorrer do livro, aos poucos vamos vendo que os poderes adquiridos pela garota são na verdade de uma outra espécie. Por mais que seja óbvio que Ellene não pertence aos lobos, ela não enxerga isto, mas quando finalmente adentra em uma investigação sobre seu passado, para descobrir quem é sua mão, ela enfim, vai saber qual é a sua verdadeira origem e a que “grupo” sobrenatural pertence.

O que Ellene e Milosh não sabiam era que seus destinos estavam mais entrelaçados do que poderiam imaginar.

- # -

Estou ainda tentando entender porque demorei tanto tempo para ler Híbrida, quando eu sabia que amaria o enredo, mas sinceramente, ainda bem que o guardei por algum tempo porque acabei o lendo em um momento em que a ressaca literária estava para me pegar. Híbrida, me salvou de ficar algum tempo afastada da leitura!

Agora estou ansiosa pela continuação... A Mari sabe bem disto! Bem, é impossível ela não saber depois dos meus gritos no chat do facebook rs. Enfim, não vejo a hora de que o lançamento de Guardião chegue e espero que alguns pontos que ficaram abertos sejam finalmente revelados.

site: http://worldbehindmywall.fanzoom.net/?p=5043
comentários(0)comente



Milena 11/09/2015

Híbrida
Este é o primeiro livro da série Neblina e Escuridão, no qual conhecemos Ellene, uma jovem adotada que vive em uma vila com lobisomens. Ela sempre se achou diferente dos demais e ao invés de se transformar e adquirir as características de um, cada vez se afastava mais desta natureza.

Ellene, resolve desvendar os mistérios que envolvem suas origens e para isso parte em busca do desconhecido e se depara com um rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a odiar desde pequena.

Para piorar, o homem que via em seus sonhos volta a persegui-la. Milosh, marido da rainha dos vampiros Elizabeth, sequestrada há cem anos, fará de tudo para descobrir onde a amada se encontra. Mas tudo o que consegue é manter contato com ela em pensamento, que parece estar perdida, com medo e não saber quem é ele e por que a persegue.

O tempo é decisivo, e o Conselho pretende eleger um outro vampiro omisso e cruel no lugar de Elizabeth. Para impedir o caos e a morte de muita gente, Milosh fará de tudo. Inclusive aliar-se à maior inimiga da rainha, Heidy. Qualquer erro poderá pôr fim a uma geração.

Os caminhos que levam Ellene e Milosh a conseguir as respostas que tanto procuram, colocarão os dois frente a frente em uma trama que envolve mistério, amor, ódio, poder e muita mentira.

"O que você faria se o sangue que corre em suas veias fosse o mesmo do seu maior inimigo?"

Confesso que histórias que envolvem vampiros e lobisomens não me cativam tanto e acho que seja fantasia demais. Prefiro histórias mais realistas. Mas resolvi dar uma chance a este gênero literário quando foi feita a proposta de parceria. Afinal, não custa variar de vez em quando, né?

Bem, a princípio comecei a ler o livro já com um "pé atrás", mas à medida que a narrativa foi se desenvolvendo, fui ficando mais curiosa e empolgada. Quando chegou na metade do livro, eu já estava querendo entrar na história e ajudar a Ellene e o Milosh! Me surpreendi com a narrativa, gostei muito. Não me arrependi de tê-lo lido.

Como o livro é uma série, não teve "o final", e me deu um desespero de não saber o que aconteceria depois... O jeito é esperar pelo segundo volume.

site: http://albumdeleitura.blogspot.com.br/2015/03/eu-li-e-voce-21.html
comentários(0)comente



Lari 27/06/2013

Resenha do blog Criar & Imaginar
Humanos sempre foram comuns de mais para Ellene que foi acostumada a viver entre os lobisomens. Enquanto todos desenvolviam habilidades como virarem lobos e terem uma força além do normal ela conseguia fazer coisas peculiares levando-a crer que ela era uma espécie diferente de lobisomem.

Milosh nunca se acostumaria a sentir a ausência de sua rainha desaparecida há mais de cem anos, por isso continuava procurando sua preciosa Elizabeth.

Já faz algum tempo que Ellene ouve uma voz em sua cabeça que não parece ser dela mesma e sim de um homem, ao mesmo tempo que sente uma estranha aversão à Thom seu melhor amigo e pretendente. Milosh ouve uma voz também que julga ser de sua rainha desaparecida e é aquilo que mais lhe dá esperanças.

Ambos não sabem que seus destinos estão prestes a se alterarem totalmente até que Ellene descobre que na realidade é uma híbrida, ou seja, ela terá que conviver com o fato de ser uma vampira, a criatura que ela sempre aprendeu a odiar.

Na maioria dos livros atuais nos deparamos com triângulos amorosos, porém nesse me deparei com mais de um triângulo e com ângulos diferentes, o que é algo complicado, mas não confuso. Não vou contar os triângulos, apenas posso dizer que Ellene e Milosh estão em todos!

Esse se tornou um dos livros complicados para eu falar, afinal eu me apaixonei perdidamente por ele! Por uma incrível obra do destino logo no comecinho eu estava bem no local onde Ellene estava passando no livro, e foi ai que eu me apaixonei, porque percebi que eu poderia acabar “esbarrando” com ela a qualquer esquina.

A trama é envolvente e cheia de romance e mistérios torna impossível largar o livro e fazendo com que você sempre fique “só mais um capítulo” até ter terminado o livro todo.

Fiquei pensando muito depois de terminar o livro nos pontos positivos e nos negativos até que cheguei a conclusão que o livro me conquistou de tal forma que eu não consigo ver pontos negativos. Desde a narração, em terceira pessoa, até o enredo ele é viciante.

Ellene não é uma mocinha frágil e muito menos indecisa. Ela sabe o que quer e por qual motivo quer. Mesmo quando seu mundo todo é abalado ela tenta permanecer forte e descobrir os próximos passos. Já Milosh é um vampiro muito misterioso e sedutor ao mesmo tempo em que tem lembranças com sua rainha mostrando o quanto ele é amoroso. Enquanto Thom é um lobo maravilhoso e preocupado com Ellene, apaixonado por ela desde sempre. É extremamente meigo ver ele tentado conquista-la.

Espero ansiosamente pelo segundo e peço para quem ler por favor vir correndo conversar comigo porque adoro ficar conversando sobre esse livro que super indico.

Beijos!


site: http://creationimagine.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Verena Belfort 07/04/2014

Às vezes, quando se pega um livro novo para ler, sem ter ido atrás de outras resenhas ou opiniões, você acaba concebendo uma ideia de como este livro será baseado apenas em sua sinopse. Esse foi o meu caso com Híbrida, o qual imaginei como talvez um outro livro em que o provável romance entre os dois personagens mencionados na sinopse ofuscaria toda a dimensão que cerca a história ali escrita. E eu fico muito feliz em dizer que estava enganada.

Nesta breve introdução da série Neblina e Escuridão, somos apresentados aos dois personagens principais: a primeira, é Ellene, uma garota cuja criação faz com que ela acredite piamente que é uma loba, ainda que mesmo depois de tanto tempo ter se passado, não tenha tido a sua primeira transformação. Após os pais contarem a parte que sabem sobre suas origens e lhe entregarem um relicário que pertenceu a sua mãe biológica, ela começa a investigar junto com seu amigo-quase-mais-que-isso, Tomás, sobre a identidade dela e o porquê de ainda não ter virado uma loba como os outros jovens de sua vila. Apesar de crer ser uma espécie diferente de lobo, ao longo das páginas fica bem claro que não é nada disso; o segundo é Milosh, um vampiro, guardião e companheiro da desaparecida rainha dos vampiros, Elizabeth, que ainda procura por ela, quase 100 anos após o seu sequestro e que – em algo que só pode ser considerado loucura – decide que é uma boa ideia usar sua antiga amante, Heidi, para personificar a rainha (já que ela tem uma habilidade de criar a ilusão quanto a sua aparência).

Bem, você se pergunta, o que esses dois personagens tem em comum? Primeiro, eles parecem estar ligados um ao outro, uma vez que ambos tem misteriosos encontros quando sonham. Mas vai além de apenas isso: o relicário deixado por sua mãe foi feito por ele!

Híbrida é um livro bem tranquilo de ler: a história tem um ritmo bem constante e, quando chega no fim, acelera até que você simplesmente acabou. A narrativa em terceira pessoa segue ambos os personagens – Ellene, nos capítulos pares, Milosh, nos ímpares – o que é uma forma inteligente da autora para ter sempre algum tipo de movimentação na trama.

Apesar de pegar um tema já conhecido (vampiros e lobisomens), a autora soube encontrar seu equilíbrio para a história. Os vampiros são regidos por uma monarquia, tem suas próprias leis, convicções e poderes; os filhos destes com humanos tem suas características próprias, que podem ajudar a reconhecê-los, uma vez que eles supostamente não deveriam existir (tanto Ellene, quanto Heidi são híbridas: a “ruivice” é a característica física mais marcante; e elas também podem andar na luz do dia e tem poderes vampíricos, apesar de serem mais fracas). Já os lobisomens vivem à parte, em comunidades, onde um líder toma conta de toda a matilha, e durante a adolescência, eles passam por suas transformações, que é quando viram pela primeira vez, lobos.

“Ele tocou‑lhe o rosto com as costas da mão e virou a palma quente roçando os dedos longos em seu pescoço até se enroscarem nos cabelos ruivos de Ellene. Ela mordeu o lábio inferior com força, pois aquilo deixava seu estômago gelado, mas não de um jeito bom.” Página 32.

Talvez, a única coisa que tenha me incomodado mais na trama foi um certo tipo de “inocência” em ambos os principais: de um lado, Milosh foi um tanto permissivo em tomar uma decisão perigosa e em se permitir seduzir pelos encantos de alguém que obviamente não era sua esposa e sim sua antiga amante. Em alguns momentos, parecia que ele não queria mais reencontrar Elizabeth; mais do que marido, ele era seu guardião e aquilo deveria ser sua missão, certo? Então, do outro lado, Ellene, que ainda que possa arrancar a verdade nos pensamentos de seus pais, prefere acreditar em algo que absolutamente é uma mentira. Mesmo com tantas pessoas achando que ela é uma vampira, a insistência de que não é parece grande o bastante para fazer com que eu quisesse dar uns tapas nela e falar “fia, para de se iludir!”. Em compensação, ao descobrir o que é, ela parece levar muito “na boa”, sendo que basicamente os polos do mundo dela se inverteram. Do outros personagens, além de Tomás, que conseguiu despertar um sentimento de pena em mim graças ao seu relacionamento unilateral com Ellene, não há muito que se dizer, não houve muita chance de conhecê-los, uma vez que o foco foram os dois principais, mas talvez, nos próximos volumes…

Um outro detalhe é que alguns mistérios ainda não foram resolvidos, o que me deixaria irritada se não fosse o primeiro de vários, mas que ajuda a curiosidade pelo próximo volume. Híbrida é realmente uma introdução, é o prólogo da série que se encontra mais em uma forma de situar a trama e os personagens para o que ainda vem por aí.

A edição é da Novo Século, pelo selo Novos Talentos e (como ressaltou a minha irmã) tem uma capa muito linda. Apesar de suas quase 400 páginas, a diagramação é bem espaçada, o que no fim das contas, faz parecer que se está lendo super rápido.

Enfim, eu indico para quem goste do gênero e quem ainda não conhece. Garanto: é uma ótima surpresa.

site: http://www.marcelecambeses.com.br/2014/01/resenha-hibrida/
Mari Scotti 07/04/2014minha estante
Obrigada nenem *-------*




Rita De Cássia 30/11/2013

Sexy, divertido e arrebatador.
Vampiros. Lobisomens. Filhos de vampiros e humanos. Soa familiar? Bom, esqueçam todos os livros de sobrenaturais que lhe vieram a cabeça. Esse livro consegue ser surpreendente e nos apresentar um universo místico ao qual não estamos acostumados.

Em Híbrida conhecemos a história de Ellene, uma garota ruiva que cresceu em uma tribo de lobos. Ela sempre foi diferente de todos, e a medida que os anos passam e a sua transformação não acontece, o desejo por descobrir suas origens aflora.

Ao mesmo tempo, somos apresentados ao universo dos vampiros seguindo Milosh, um vampirão de quase mil anos que está em busca da rainha dos vampiros que está desaparecida há quase um século.

Quando a mãe adotiva de Ellene lhe entrega um antigo relicário que pertencia a sua mãe biológica, Ela começa sua busca pelo passado. O que não esperava, era que sua busca a levasse em direção ao clã inimigo: Os vampiros.

Mas que relação eles podem ter com a Ellene? Bom, para descobrir só lendo!

Gente, estou extasiada pela leitura desse livro. É o melhor sobrenatural que li no ano. Eu esperava encontrar semelhanças com a saga Crepúsculo, mas a narrativa da autora lembrou-me mais os livros da J.R. Ward: Uma mistura do sobrenatural e do erótico.

Além disso, é um livro nacional e vemos muito do nosso país na narrativa e eu simplesmente amei isso. Finalmente uma história fantástica que se passa no nosso país! Mesmo sem conhecer São Paulo, fui transportada para a realidade do estado de uma forma arrebatadora.

A narrativa da Mari é tão gostosa que eu devorei o livro em três dias! Coisa que eu não fazia desde que li Garotas de vidro no começo do ano.

Enfim, recomendo a leitura a todos aqueles que querem ler um sobrenatural divertido.

site: http://ritelle.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Bia 21/03/2015

O livro começa nos apresentado o mundo de vampiros criado pela Mari, em que se tem várias regras a serão seguidas, os que não seguem são punidos. A rainha desse mundo, Elizabeth, foi sequestrada e se o desaparecimento dela chegar a cem anos, outra pessoas assumi o trono, uma coisa que se marido, Milosh, luta para não acontecer, e por décadas vem procurando pistas sobre o paradeiro dela, apesar de as vezes conseguir se comunicar com ela telepaticamente, nunca chega a lugar nenhum, ele também tem sonhos com uma pessoa mas nunca consegue ver quem é. Com o prazo acabando ele acaba aceitando a proposta arriscada de Heidy, ela se fingira de rainha para conseguir mais tempo, mas Heidy é uma antiga amante de Milosh, e faz questão de mostrar que ainda não o esqueceu, além disso ela sempre quis o trono só para ela, por isso se aliar a ela seria como se aliar ao inimigo, mas Milosh não consegue achar mais nenhuma saída, acaba não tem como rejeitar.

"Onde estaria ela? O silêncio o incomodava. Será que aquele sonho era real? Será que a garota realmente existia? Precisava retornar o foco, procurar pela garota, descobrir mais sobre ela"

Ellene cresceu em uma vila de lobisomens, mas nunca se identificou com essa raça, consegue ler pensamentos dos outros, e parece nunca se encaixar ali, um dia seus pais contam para ela que é adotada, foi deixada por uma mulher, e mostram os pertences que foram deixados com ela. Ellene então resolve descobrir tudo sobre o seu passado, para assim conseguir descobrir o que realmente é, e para isso ela vai ter a ajuda de seu melhor amigo lobisomem, mas que quer ser mais que apenas um amigo, Tomás.

"Ela estava apavorada, mas algo a impulsionava a continuar, algo nele a fazia se sentir diferente, seu corpo estava todo trêmulo"

Quando eu comecei a ler o livro, já achei bem legal toda essa atmosfera criada para os vampiros, com todas as suas regras, também foi muito bom ler um pouco sobre os bons e velhos vampiros de sempre, com algumas modificações, mas nada de tão novo assim. Os lobisomens também são como os antigos, transformações em lua cheia, e rivalidade com os vampiros, só queria comentar isso aqui porque faz tempo que eu não leio isso em um livro.

Os personagens do livro tem seus altos e baixos. Quando o Milosh lutava para encontrar sua amada, eu admirava isso nele, apesar de todos os anos do sumiço ele não desistiu, mas quando ele começou a se aproximar da Heidy eu ficava com um pé atrás, na minha opinião ele sedia demais a ela, talvez eu esteja enganada, mas em momento algum do livro eu confiei na Heidy, parecia que ela sempre conseguia manipular o Milosh, só não gostei disso nele porque o resto eu amei. A Ellene foi uma personagem que eu gostei bastante, desde o momento que ela descobre que tem um mistério em relação ao seu passado, ela vai atrás de todas as respostas, mesmo que isso possa trazer muitos perigos. E temos o Tomás, ou Tom, meu lobo favorito, sempre ajudando a Ellene, mesmo ela não querendo, com medo dele se machucar, Tom vai assim mesmo, tudo estava lindo até uma tal de Carol aparecer, não gostei dela.

"Ela abriu os olhos e beijou dos lábios do vampiro, pensativa. Não o veria morrer. No entanto, era mais fácil encarar a morte a ver quem você ama ir para os braços de outra."

A história do livro me prendeu totalmente, é uma leitura fácil, sem complicação nenhuma, apesar de não ter tanto romance, ele tem ação, e adorei como a autora escreveu essas cenas, porque eu conseguia imaginar como eram, sem problema, eu geralmente imagino todo mundo lutando e pronto.

Cada personagem tem o seu mistério, que são muito, e eu ficava na expectativa que essas questões serem respondidas, mas não foi isso que aconteceu, a Mari deixou tudo para o próximo livro, e nesse momento que eu vejo o quanto a autora é malvada. Eu achei que no final algumas coisas iam ser respondidas, e acabam não sendo, e quando teve "O" encontro, eu não pude apreciar muito porque o livro estava acabando, e quando ele acabou, eu demorei um pouco para perceber que não tinha continuação ainda e eu ia ter que dormir com aquela última frase na cabeça. Gente eu preciso do segundo, para ontem, não dá para terminar um livro assim sem querer a continuação, quero saber o que vai acontece com Milosh e Ellene.

site: http://follow-and-breath.blogspot.com.br/2015/03/resenha-hibrida.html
comentários(0)comente



Adriana 30/08/2015

Híbrida - Neblina e Escuridão - Livro 1 de Mari Scotti
Ellene vive com os pais e os irmãos, e é rodeada de amor e carinho, mas ainda assim ela se sente diferente dos demais habitantes do lugar. Ellene é uma loba, ela tem dezessete anos, porem ainda não passou pela transição mas mesmo assim ela tem certos poderes, o que é muito estranha para a situação dela. Já que os lobisomens só adquirem habilidades depois da transformação.

A vida e o passado de Ellene são um grande mistério, pois ela tem certeza de que todos escondem algo dela. Porem seu melhor amigo Tomás acaba lhe contando coisas sobre sua infância. Coisas que ela não se lembra, e que são muito estranhas, até mesmo pra ela. Sua lembrança é de dezessete anos, mas segundo Tomás a verdade não é bem assim.

Quando confronta os pais, eles confirmam e acrescentam mais informações a sua misteriosa historia, e isso provoca uma busca sem fim e uma intensa investigação sobre o seu passado, mas sem qualquer certeza sobre um futuro. Ela descobre um joalheiro que fez uma jóia especifica e importante trazendo perigos inimagináveis.

Eis que então, surge Nicolae prometendo ajuda para desvendar o seu passado, mas como não é tão ingênua, e é muito desconfiada, mente sobre seu nome, sua origem e outras coisas. Pois seu maior objetivo é descobrir o que tanto tentam lhe esconder .

Também existe um guerreiro, Milosh Maundreal , ele é um vampiro e guardião, que busca respostas sobra sua amada esposa Elizabeth. Ela é a rainha de sua raça. Ele encontra inúmeros obstáculos, porem ele ainda mantém um contato mental com a rainha. Mas perante as dificuldades para encontrá-la ou resgatá-la. Milosh se une a uma grande inimiga da rainha que deseja tomar o trono para se tornar a atual rainha dos vampiros.
"- Eca, não bebo sangue! - Fez uma careta e, em seguida, se desculpou – Não que eu condene quem o faz... ou melhor, condeno... enfim... não bebo sangue."
A historia é dividida entre os personagens Ellene e Milosh e seus caminhos e são mais entrelaçados do que eles imaginam, e os perigos são ainda maiores do que eles esperam encontrar.
A historia é muito bem escrita e construída. São muitos personagens importantes que se começar a falar demais posso acabar soltando um spoiler, então é melhor para por aqui.
O livro tem um final maravilhoso que me faz desejar intensamente a continuação.

site: meupassatempoblablabla.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Leitora Voraz 02/10/2013

Resenha do Livro Híbrida- Neblina e Escuridão
Eu estou simplesmente impressionada!!!
“Mari Scotti”- gravem bem esse nome, ainda iremos ouvir falar muito sobre ela!!!
Vocês devem estar pensando que eu estou exagerando, afinal de contas, é um livro sobre vampiros e lobisomens.
Mas eu não estou. Ouso comparar seu estilo e talento ao do mestre Sidney Sheldon, no tocante à arte de desenvolver tramas e de manter o leitor preso a elas do início ao fim.

Quando procuro por mim...
É o estranho que sempre aparece. Não sei mais se por sonhos, ou lembranças, ou se já está aqui, conseguiu me alcançar.
Seu rosto me assombra, não só de noite, mas de dia. Preciso lhe encontrar para poder me achar.

Quando procuro por mim...
Olho para você e não me encaixo. Você quer ouvir o que eu não posso dizer. Somos diferentes: quero ficar junto de você, mas quando nossas peles se tocam, elas se repelem. Qual será a resposta?

Quando procuro por mim...
O estranho volta e invade meus pensamentos. Sua voz chega a mim e a minha a ele. Preciso saber mais dele, para descobrir quem sou eu. Abro caminho e quando me aproximo, a escuridão se revela.

Quando procuro por mim...
De um relicário o desejo é despertado, o cheio doce que seu sangue exala me descontrola, permitindo que o amor aconteça sem a repulsa. Mas será justo com você?

Quando procuro por mim...
A verdade aparece e me transformo no que eu mais temia. Sinto a presença do estranho cada vez mais forte, e ao mesmo tempo sou afastada dele. Uma caçada é iniciada e somos colocados frente a frente.

Quando procuro por mim...
Por mais que tentem esconder, não há mais como você negar: somos inimigos naturais. Agora tenho medo de me encontrar e de nunca mais te achar.


Um plano muito bem arquitetado: Elizabeth, a rainha dos vampiros, sumiu. Temos um traidor no meio deles. O trono está desprotegido, os rebeldes se aproveitam e quebram as leis: a monarquia dá lugar à sede incontrolável por sangue humano, tornando o mundo deles vulnerável.

Milosh, seu marido, precisa ser rápido: a sucessora deve ser encontrada antes que se complete um século do desaparecimento de Elizabeth. Caso contrário, o mais forte dentre eles, tomará o poder.
O único problema: Milosh não sabe quem é a sucessora. Ele nem sabia da sua existência até começar a ouvir, em seus pensamentos, a voz de sua rainha. Atormentado pela culpa de não ter conseguido salvá-la, ele começa a duvidar: Quem é essa que lhe fala? Será mesmo Elizabeth? Sua rainha está realmente viva?
Ellene ainda não se transformou em lobo. Todos os que estão a sua volta, que atingiram sua idade, já o fizeram. Ela não consegue entender o que há de errado com ela.

Tom, seu mentor, é apaixonado por ela. Ela consegue ouvir seus pensamentos e ele tem consciência disso. Ela está confusa, quer corresponder ao amor dele e fica destruída por não conseguir. Simplesmente quando ele a toca, ela sente uma repulsa física, como se suas peles fossem incompatíveis. Ela precisa entender quem é ela.

Enquanto procuram as respostas, Milosh e Ellene têm seus caminhos cruzados: seus sonhos são invadidos com imagens um do outro. Não demora muito, para transporem os sonhos e se comunicarem por telepatia.

Eis que surge Heidy, mestiça, metade vampira e metade humana. Determinada a ganhar a coroa, se submete a um esquema que pode custar à própria vida. Aceita ajudar Milosh, a quem sempre amou. Mas deixa clara sua rivalidade em relação à Elizabeth.

Do outro lado, surge Carolina, antiga namorada de Tom, que sofre sua primeira transformação. É inegável o carinho que um tem pelo outro, e como suas peles se combinam. Ela está disposta a recuperá-lo mostrando que Ellene é a escolha errada.

Milosh não tem muito tempo, coisas estranhas começam a acontecer. Será Heidy? Ela é confiável? Ou é alguém de dentro? Mas quem?

Ellene está sozinha, correndo em busca de explicações sobre si mesma. Só tem uma certeza: Milosh é a chave para a sua origem.


Por 359 páginas você dirá: E agora? E agora? É emoção do início ao fim. Um livro completo: muito suspense, traição, muito romance e fantasia.

Ela começa a escrever sobre Ellene, lhe envolve em uma trama muito bem delineada, e quando você já está roendo as unhas de tanta ansiedade, ela interrompe a história e começa a narrar a vida de Milosh!!!
Só que ela o faz com tanta maestria que quando você percebe já esqueceu o personagem anterior e seu coração só falta pular para fora com os novos acontecimentos e, de repente, sem aviso nenhum você grita: De novo não!!!!!
Mas sim, ela para a história e volta para Ellene!!! E foi assim o livro todo, uma hora Ellene, outra hora Milosh.
Só que o pior é que a história deles está relacionada, por muitas vezes um quase se aproxima do outro, mas sempre acontece algo que adia esse encontro, deixando o leitor nervoso.

E o que falar sobre o final? É uma saga, então, a história é interrompida instigando o leitor a implorar pela continuação. Mas podem ficar tranquilos, pois Mari não deixou nenhum fio solto.


site: http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/
Mari Scotti 02/10/2013minha estante
Obrigada! Ameiiiiiiiiiiiiiiii a sua resenha




Adriana 16/04/2014

Olá, queridos,

mais uma delicioso livro de vampiros para provar que autor nacional também sabe escrever sobre essa galera fantástica!!!

Híbrida conta a história de Ellene, uma garota adotada por uma família de lobisomens que não vê a hora de ser totalmente transformada e adquirir todas as características de sua raça. Tom é o seu melhor amigo, lobisomem adolescente lindo que, na verdade, é apaixonado por ela. Teria tudo para dar esse romance, não fosse a repulsa que Ellene sente toda vez que rola uma maior aproximação ou alguma investida do lobinho. Aparentemente tudo bem, mas Ellene tem uns sonhos bastante estranhos com um estranho homem desconhecido que a intriga bastante.

Em contrapartida, conhecemos Milosh, marido da Rainha Elizabeth, vampira, que está desaparecida há quase 100 cem anos. Apesar da sua incessante busca, ele não tem nenhuma pista e o seu tempo está esgotando. Ao completar 100 anos do desaparecimento da Rainha, um novo rei será coroado. Assim como Ellene, Milosh também é atormentado por sonhos repetidos com uma garota ruiva.

E é assim que entramos no mundo fantástico de Híbrida, criado pela autora nacional Mari Scotti. Ganhei o livro e senti um misto de ansiedade e receio de lê-lo. Acreditava que, na época em que o li (a mais de 1 ano), estávamos vivendo uma febre vampírica e seria difícil alguém escrever algo realmente interessante e novo sobre vampiros. Mas a Mari me surpreendeu!!! Ela conseguiu unir lobisomens e vampiros de uma forma original em um enredo gostoso de ler sem se desviar utopicamente das características essenciais de cada mito. Parabéns, Mari!!!

Ao longo do livro vamos acompanhar Ellene em sua busca pessoal pelas suas origens e Milosh, também em sua busca pessoal pela sua amada. Nenhum dos dois imagina que os seus destinos vão se cruzar e por fim às buscas individuais de cada um.

Continua...

site: http://minhavelhaestante1.blogspot.com.br/2014/02/resenha-da-drica-hibrida-serie-neblina.html
Mari Scotti 17/04/2014minha estante
Reli a resenha hoje! Tão linda *_*




81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6