A mulher independente

A mulher independente Simone de Beauvoir




Resenhas - A mulher independente


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Cris Lasaitis 28/12/2010

http://cristinalasaitis.wordpress.com/2009/02/01/leituras-janeiro2009/

A Mulher Independente é um excerto do livro O Segundo Sexo. De certo modo, foi a releitura de uma obra que havia me dado muito o que pensar. Partindo da pergunta: “o que é uma mulher?”, Simone de Beauvoir disserta sobre a condição feminina e sua longa história de submissão, pontuando suas possíveis razões e tecendo paralelos com outros conflitos de grupo, como o racismo e o antissemitismo. Ela discute a crucial conquista que a mulher, tradicionalmente tratada como objeto, tem empreendido ao passar a se posicionar como sujeito, abdicando de seu status passivo e adquirindo um papel ativo ao aceitar responsabilidades e tomar nas próprias mãos os rumos da sua vida.

Foi uma obra que “veio a calhar” com a fase final do meu mestrado, que é um estudo sobre a homofobia na população brasileira. Chama minha atenção o fato de que as culturas mais homofóbicas costumam ser igualmente muito sexistas, parece haver uma correlação direta entre os conflitos de gênero nas culturas tradicionalmente patriarcais, possivelmente em virtude do status social ser fortemente vinculado a um ideal de masculinadade. Enfim, não vou me alongar…
JAssica.Morgana 08/12/2018minha estante
gostaria de saber quais são os capítulos retirados de O segundo Sexo que são trazidos neste livro?




Potterish 19/06/2012

Fêmea, feminilidade, feminismo… mulher
Resenhado por Sheila Vieira

As mulheres hoje têm praticamente os mesmos direitos na lei que os homens. A grande questão que ainda explicita as diferenças entre elas e eles são os salários completamente desproporcionais. Atualmente, o termo feminismo não é muito bem visto por muitos, pois pressupõe um estereótipo de mulher ressentida e revoltada. Valorizadas são as ‘perfeitas’ mães, profissionais, atraentes, inteligentes, carinhosas, simpáticas, em forma, ou seja, praticamente máquinas. Se há uma autora que nos permite entender o caminho que o “segundo sexo” percorreu desde os tempos de extrema desigualdade até hoje, ela se chama Simone de Beauvoir.

“A mulher independente” é um livro que traz o capítulo mais marcante de “O segundo sexo”, além da introdução e da conclusão da obra principal da escritora, lançada em 1949. Nesse momento, todas as pessoas do gênero feminino tinham suas vidas traçadas desde que nasciam. É a supressão da individualidade. Beauvoir afirma que a primeira maneira de romper esse ciclo é a busca pela autonomia intelectual. Através do conhecimento, trabalhar e sustentar-se financeiramente.

Segundo a autora, as mulheres deviam reconhecer que a tal feminilidade, um estado de espírito diferenciado, só existe sociologicamente. Para Beauvoir, a diferença inicial para um homem era estritamente biológica, ou seja, o que difere um macho de uma fêmea. Qualquer outra característica é fruto de uma civilização que rotula, como fez com judeus e negros, por exemplo, tratando-os como naturalmente inferiores.


PARA LER A RESENHA COMPLETA ACESSE: WWW.POTTERISH.COM/RESENHAS
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR