O Silmarillion

O Silmarillion J. R. R. Tolkien




Resenhas - O Silmarillion


342 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gabriel 16/03/2019

Brincando de construir mundos.
Quando criança, você provavelmente deve ter brincado alguma vez de construir casas ou prédios com aquelas pecinhas de montar. Era uma brincadeira divertida que gastava boas horas e estimulava a criatividade. No entanto, o nosso amigo J.R.R. Tolkien era um pouco mais hardcore quando o objetivo era criar algo. Ao invés de fazer simples lugares com o aparato que tinha em mãos, o famoso escritor de O Senhor dos Anéis deixou em manuscritos, que posteriormente foram analisados, editados e compilados por seu filho, Christopher Tolkien, e pelo autor Guy Gavriel Kay, um universo inteiramente rico, de um enredamento inimaginável.

Começado a ser escrito bem antes de O Hobbit ou A Saga do Anel ter sido imaginada, e contando uma história que se passa bem antes desses dois conhecidos trabalhos do autor, O Silmarillion é um livro se extendeu por toda a vida de Tolkien, e que considero a sua obra-prima. Se o leitor já leu essas duas obras mais conhecidas do escritor que foram adaptadas para o cinema e acha que já viu muita coisa dese universo, saiba que só viu a ponta do iceberg (e talvez eu, que já li O Silmarillion, ainda esteja, visto que ainda não tive a oportunidade de ler The History of the Middle-Earth, de 12 volumes).

Abordando a criação de Arda, o mundo onde a legendária Terra-Média está, os povos que a pertencem, seus conflitos e divisões, e os inimigos que a assolaram durante as três Eras, e também como o Um Anel foi forjado, entre tantos outros aspectos ainda mais importantes, O Silmarillion consiste num compilado de histórias que impressionam o leitor. Diferente da jornada de Frodo Bolseiro, esse livro apresenta um caráter mais lendário ou folclórico, por assim dizer. O detalhamento dos contos não é tão grande como o apresentado na longa marcha da Sociedade do Anel, e não se tem aquele mesmo realismo que eu vi o Tolkien colocando em livros anteriores que eu li dele.

Trata-se, na verdade, de narrativas mais curtas que vão se interligando por diferentes fatores, culminando numa grande história que consegue ser, a meu ver, tão épica quanto O Senhor dos Anéis, ainda que o que tenhamos em mãos não seja o “Director’s Cut” do Tolkien, mas apenas a junção de fragmentos de diversas versões dessa história que o autor escreveu ao longo da vida, tendo cada uma um estilo de narrativa bem diferente, o que certamente gera discussões se poderia haver alguma última mudança.

Todavia, não pense que O Silmarillion, por não conter o descritivismo exacerbado apresentado nas outras obras de Tolkien, não é um trabalho complexo. É um livro denso a sua maneira, seja pela quantidade de informações presentes, ou por conta do entrelaçamento de histórias paralelas, o que pode gerar dúvidas sobre a cronologia dos fatos, como também pelos inúmeros nomes de personagens e lugares, que certamente confundirão o leitor devido as fortes semelhanças entre eles.

Isso consiste, na realidade, um preço a se pagar por um universo fictício ser tão grande: a necessidade de uma leitura mais lenta, que se atenha aos poucos detalhes expostos nas narrativas, além do esforço individual em continuar a obra mesmo nos momentos mais maçantes, o que certamente pode desagradar aqueles menos pacientes e os não tão aficionados pelo gênero literário ou pelo autor.

Mas mesmo não expondo tantos detalhes nos contos, Tolkien apresenta ainda assim em O Silmarillion personagens tão interessantes, na minha opinião, quanto outros mais conhecidos como Gandalf, Gollum ou Sam. Se o leitor já ficou impressionado com Smaug, o que se diz de Glaurung e toda sua malevolência? E quem é o conhecido Sauron perto de Morgoth, a quem ele serviu? Que se dirá então de Legolas se comparado a Fëanor, Fingolfin e tantos outros elfos? E se a história de Sméagol já tem seu ar tenebroso, o quão mais trágica é a vida de Túrin-Turambar? E o que é o sacrifício de Aragorn por Frodo em O Retorno do Rei se comparado ao ato heroico de Eärendil em busca da reconciliação pelo erro de todo um povo com os Valar? Mesmo que alguns personagens clássicos apareçam ou sejam citados nesse livro, eles são apagados diante de outras figuras ainda mais lendárias, que são, na minha opinião, melhores que os heróis mais conhecidos desse universo.

Mesmo que eu me estendesse por mais parágrafos, acho que não seria o suficiente para comentar todos os aspectos que compõem O Silmarillion, que é, na minha concepção, o ápice de todo um projeto extremamente criativo de um autor que tinha uma mente afiada para criar mundos e histórias magníficas. Trata-se de um feito sublime! não diria inigualável, pois mesmo como grande apreciador de Tolkien, acredito que outros podem produzir histórias tão boas ou melhores que as feitas por ele.

Não recomendo esse livro, no entanto, como porta de entrada para o universo do escritor, nem para os que não gostem tanto de Fantasia, mas aconselho ler essa obra após O Senhor dos Anéis, devido a semelhança de trechos dos seus apêndices com a escrita de O Silmarillion, o que já pode ir preparando o terreno para esse denso trabalho, que é, por enquanto, a melhor obra de Fantasia que já li. Que bela marca, professor Tolkien, o senhor deixou na literatura fantástica com esse livro, hein…

site: https://leitoresvigaristas.wordpress.com/2018/05/25/resenha-o-silmarillion-j-r-r-tolkien/
comentários(0)comente



Thiago.Struzani 20/02/2019

Ahhhh Tolkien, Tolkien...
Pensa num cara FODA, pensou? Então certamente você penso em J.R.R. Tolkien. Vamos lá, ele é o avô das fantasias medievais, ou seja, tudo quanto é RPG e história sobre elfos, anões, dragões e orcs foi este cara que criou. Não só isso. Isso é muito pouco perto da obra deste cidadão. Ele simplesmente CRIOU de sua cabeça um MUNDO contando detalhadamente neste livro (O Silmarilion) a criação deste mundo com Deuses, Mapas, língua própria, arvore genealógica das principais famílias, histórias e aventuras épicas.
Se você ainda não leu este livro, PARE TUDO o que você está fazendo e vá ler. Só tome um cuidado: a obra de tolkien vicia!
Lamento profundamente que ele não chegou a finalizar sua obra, mas também...dá pra entender; acho que seria necessário viver até os 300 anos para acabar o que ele criou.
Nota? Tem como dar mil?
comentários(0)comente



Isa Do @leportraitdeisa 14/01/2019

Resenha - O Silmarillion.
Quando decidi começar a ler o Silmarillion como minha primeira leitura do Tolkien, fui alertada por minha amiga Anne e Amanda de que era uma leitura extremamente complexa e difícil, que talvez seria uma boa pedida começar com o Hobbit, porém teimosa como sou, decidi ler O Silmarillion mesmo!

O livro realmente é muito complexo, pois afinal ele se trata nada mais nada menos do que a história da criação da Terra Média.

Somos apresentados ao poderoso criador de Arda (a terra) o todo poderoso Ilúvatar que através de seus pensamentos criou os Ainur, seres extremamente poderosos e sagrados que ajudaram Ilúvatar na criação da terra.

Os Ainur’s são os seguintes:

Ulmo – que seria responsável por toda água e profundidade dos oceanos e rios.
Manwe – o mais sábio, representado pelo elemento ar.
Aüle – representado pelo elemento terra, tem sua alegria no ato e no resultado de fazer, por isso ele sempre dá e não acumula e sempre se interessa por uma nova obra, pelo novo.
Melkor – o último e tão poderoso quando Aüle (que só era menos poderoso que o próprio Ilúvatar.) ao contrário de seu irmão, Melkor era rebelde, questionava tudo o que Ilúvatar pensava e sempre queria pensar mais, ter mais, ser mais.

Além desses citados, temos também Oromë, Mandos, Lorien e Tulkas.
Eu podia passar anos e escrever outro livro sobre como é entender a criação da Terra Média e como é descobrir o mundo de Tolkien de uma maneira que nunca imaginei descobrir, temos uma tempestade tão grande de informações que fica difícil assimilar tudo em apenas algumas horas de leitura.

Com o livro compreendi a grandiosidade de Tolkien, aprendi como os Orcs foram criados e que os Balrogs são espíritos valaraukas que também podem ser chamados de Flagelos de Fogo e como existia um exército deles (sendo que no filme, um só já causa grande estrago.) imaginem um exército!

Descobri que a aranha que vemos no filme O Senhor dos Anéis é cria de uma aranha muito maior, muito mais assombrosa e de uma importância enorme na história toda.

Aprendi que as Silmarils foram feitas pelos noldors os elfos mais habilidosos que já existiram e como elas foram perdidas por orgulho e medo.

Descobri que o final do ultimo filme de O Senhor dos Anéis tem um significado tão grande para a história da Terra Média e de Tolkien, que não só fiquei minutos parada olhando o nada, perdida em pensamentos, como também chorei com o que havia acabado de descobrir.

Aprendi que os anões também podem ser chamados de Naugrim e são a raça mais antiga da Terra Média, permita-me o spoiler, mais antigos até que os próprios Elfos.

Além de todos esses ensinamentos, Tolkien nos da histórias e baladas, maravilhosas ao decorrer do livro, sendo na minha mais humilde opinião uma das mais memoráveis a Balada de Lúthien (que inclusive foi lançado livro recentemente.) , aonde conta-se a bela história de amor entre Beren o homem e Luthien a elfa, que era simplesmente filha de uma Maiar (seres que de tão poderosos serviam aos próprios Valar, como amigos.) sendo Luthien o mais belo ser que já existiu na Terra Média.

Vou colocar aqui um dos momentos (que na minha opinião) é um dos mais belos do livro o encontro de Elwë (Thingol) e Melian a Maiar.

‘Ela não proferiu nenhuma palavra, mas cheio de amor, Elwë aproximou-se e pegou-lhe na mão, e, acto contínuo, caiu sobre ele um encantamento, de modo que ficaram assim enquanto longos anos eram medidos pelas irrequietas estrelas que os cobriam; as árvores de Nam Elmoth tornaram-se altas e escuras antes de eles proferirem qualquer palavra.’

Também descobrimos a linhagem de Aragorn e como seu povo, os númenorianos, foram importantes e sábios, porém fracos quando se dobraram a vontade do mal, acabando assim com sua própria raça, deixando apenas poucos herdeiros.

E que na minha mais humilde opinião, a queda de Numenor foi mais do que merecida, afinal é uma burrice sem tamanho, homens e mulheres tão belos e sábios, quererem se voltar contra os próprios valar, mostrando assim que a raça humana é burra e imatura até na terra média.

Pude descobrir que Isildur é mais do que uma cena em um filme e que Galadriel é de uma época tão antiga que nunca nem se passou pela minha cabeça o quanto poderosa ela é.

Entendemos o porquê de Elrond ficar tão chateado por sua filha Arwen querer ficar com Aragorn na Terra Média , mas ao mesmo tempo que entendemos sua chateação entendemos a grandiosidade e como Elrond é mais velho e sábio que sua aparência.

Descobrimos a armadilha que os anéis dos poderes eram.

E eu podia falar mais e mais e mais, porém só lendo para entender a grandiosidade desse livro.

Mas quero terminar com chave de ouro, Gandalf, Radagast e Saruman, são com certeza muito, mas muito mais sábios e poderosos do que eles aparentam ser e o propósito de todos é maior do que qualquer coisa que o diretor tentou passar nos filmes.

Por isso meus amigos, por todos esses fatos, por todas essas descobertas, por todas essas maravilhas que aprendi e vim aqui compartilhar com vocês de um jeito tímido, pois não posso dar spoilers, peço a todos que já leram venham conversar comigo hoje sobre esse mundo maravilhoso!

E os que ainda não leram, vocês com certeza não sabem o que estão perdendo!

Termino essa resenha com uma das minhas citações favoritas do livro:

‘É que dá bem-aventurança e da alegria na vida há pouco a ser dito enquanto duram; assim como as obras belas e maravilhosas, enquanto perduram para que os olhos as contemplem, são registros de si mesmas; e somente quando correm perigo ou são destruídas é que se transformam em poesia.’

site: http://www.leportraitdeisa.com/resenha-o-silmarillion/
Ramon 20/03/2019minha estante
O silmarillion talvez seja o meu livro preferido e ler a sua resenha me deu saudades de quando o li pela primeira vez




Halfleggr 24/12/2018

As guerras das jóias
Silmarillion, sem dúvida, é o melhor livro do Tolkien na minha opinião. Toda a carga que ele trás é bem diferente do que vemos em O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Em ambos a maldade existe, coisas ruins acontecem, pessoas boas morrem, mas no Silmarillion isso é exposto de uma forma bem mais cruel. Famílias destruídas, sequestros, suicídios, incesto, estupro. Tudo isso faz parte da obra de Tolkien mesmo quando achamos que não. Em Beleriand a alegria é passageira como uma nuvem de chuva no verão. A agonia é eterna.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Caio 16/12/2018

Sensacional - Meu Favorito
Eu comecei a ler este livro depois dos Senhor dos Anéis, contos inacabados e achei magnífico. O livro conta detalhes do começo de tudo: Reino de Arda, Primeira Música, Valinor, O Deus maior de Todos Ilúvatar, e seus aainur (semi deuses filhos de Iluvatar) como Varda, Manwe, Morgoth, entre outros. O nível de detalhes descritos na obra é sensacional, conta o início e desenvolvimento do passado do Senhor dos Anéis, por isso recomendo primeir ler Senhor dos Anéis e Hobbit para depois ver o passado para emergir melhor no mundo de Tolkien. São tantos personagens, tudo tao rico, tanta história e desastres, Melkor corrompendo os homens e dominando territórios em Angband e no norte da terra Média chegando em Valfenda e em outras regiões como Nargothrond. Os dragões de Melkor são descritos primogenitos de Smaug. Conta história de Turin Turambar, Nienor e essa tragédia da família de Hurin dominado pelo senhor escuro. E além de várias histórias de Luthien e Beren (se nao me engano) do casal de elfos e meio-humanos. Enfim são ótimas histórias para conhecer a terra média do seu início e os anos seguintes. Vale extremamente a pena. Leitura é ótima, fluída o problema é memorizar todos os nomes de lugares e personagens mas a história em si é sensacional. Fala do Andarion também de Númenor. sensacional. 5/5.
comentários(0)comente



Jqesantos 06/12/2018

Mitologia Tolkien-o silmarillion
Quando Tolkien pensou em seu famosíssimo Senhor dos Anéis, ele pensou antes no Silmarillion e apesar de não ter conseguido publicar todo o conteúdo junto e ter optado por contar apenas o final da história nos três volumes do Senhor dos Anéis, toda sua mitologia se mostra de grande valor. É na primeira era da Terra Média e portanto no Silmarillion, que vemos como os grandes povos surgiram, os grandes vilões e os grandes reinos que servem de base para tudo aquilo que amamos nas histórias que conhecemos na guerra do Um anel.
Se você é como eu, um fã curioso e ávido por novas informações, vai amar o Silmarillion da primeira à última página.
comentários(0)comente



Tiago 15/11/2018

Opinião
Minha real opinião sobre esse livro: não é pra qualquer leitor! Ele se destina aos que já imergiram no universo Tolkien e gostam... Quem leu Tolkien pra saber ou pq queria assistir os filmes, esqueça, essa história é massante e monótona... mas pra quem leu e gostou muito, esse livro vai ser demais!

No começo ele parece uma bíblia da Terra Média e depois vai desenrolando e revelando detalhes importantes da narrativa e do universo criado pelo autor.

Muito legal!
comentários(0)comente



Lip 06/11/2018

Obra prima
Perfeito, mostra a criação do mundo no universo Tolkien e a passagem dos elfos pela Terra Média, leitura obrigatória para amantes de fantasia....
comentários(0)comente



Carminda 14/09/2018

A MELHOR CRIAÇÃO DO MUNDO QUE VOCÊ LERÁ!
Estou emocionada com esse livro.

Melhor livro da vida ever! É fantástico descobrir como foi criado o mundo (Arda) através da canção dos Ainur, a pedido de Ilúvatar (o Único), a criação da Terra (Eä) e da Terra-média, Númenor, os anéis de poder, enfim, de toda a criação do universo de Tolkien.

Não vou mentir, é um livro extremamente difícil de ler e para se ler com paciência, muitas vezes precisei ler o mesmo parágrafo umas 2 a 3 vezes pra não perder nenhum detalhe, mas desde a primeira linha é tão magnífico e mágico que não dá vontade de largar nunca mais.

Todos as histórias são maravilhosamente trágicas, a maldição de Feanör, Beren e Lúthien, Os filhos de Húrin, são aquelas de cortar o coração. A criação do Sol e da Lua é lindíssima, assim como a criação dos elfos, anões e dos homens, contada de forma tão sensível e detalhada.

É simplesmente fantástico! Não consigo pensar em outra palavra para descrever na magnitude desse livro.

Recomendo forte para os fãs de Tolkien que ainda não leram, pra quem já leu "O Senhor dos Anéis" e "O Hobbit" é uma ótima pedida, pois clareia muitos questionamentos feitos durantes esses livros, sem falar que te leva ao início de tudo, é como se estivesse na mente de Tolkien e visse ele imaginar todo esse universo magnifico e único que ele criou!

Uffaaaaa... estou em êxtase!

site: https://www.youtube.com/watch?v=h3wt2LuSwDA
comentários(0)comente



Tali @letrasmaislivros 23/07/2018

A Terra-Média e Além
O Silmarillion é uma obra épica incrível. Expande o mundo da Terra Média que conhecemos em O Hobbit e O Senhor dos Anéis, pois estas duas obras são apenas uma pequena história na grande mitologia criada pelo autor!

O livro começa com a grande canção de Eru Iluvitar, que em minha visão, representa Deus. Os "anjos"/Anuir se juntam a ele na canção. Os principais se chamavam: Manwë, Varda, Ulmo, Aulë, Tulkas, Yvanna, Nienna, Mandos e Oromë. A canção cria o mundo e os seres.

Mas então um deles, chamado Melkor, "um demônio", provocou uma dissonância, almejando fazer uma música própria, e sua música fez com que alguns começaram a desviar-se do propósito inicial de Eru.

Alguns dos Ainur que se enamoraram de Arda, a Terra, puderam descer para lá. Desses espíritos que desceram à Terra, os mais poderosos foram chamados de Valar, e os menos poderosos, de Maiar. Iniciou-se assim o Governo dos Valar na Terra. Melkor desceu junto, e secretamente cobiçava a Terra; e tudo que os outros Valar faziam, ele desfazia, e os outros se exauriam em reparar os danos.

Esse foi o início da Terra e da História dos Valar como seus governantes. Depois o livro fala dos seres criados, em especial os elfos. E é a partir deles que a trama do livro toma forma. Duas histórias me chamaram a atenção: Os filhos de Húrin e Beren e Luthien.

Húrin foi capturado após a Batalha das Lágrimas Incontáveis, e amaldiçoado por Morgoth (Melkor), e a maldição também seria para sua família. Seus filhos, Túrin e Niniel, foram os que mais sofreram.

É uma das tragédias mais tristes escritas por Tolkien! Turin nunca pareceu realmente feliz, sempre se sentiu inconformado, inquieto e fora do lugar. Tudo por culpa de uma maldição.

Quanto a Beren e Luthien, é uma das maiores histórias de amor escritas na mitologia de Tolkien. Um dos fatos mais bonitos desse conto, além da coragem de Beren para cumprir a missão e do fato e a elfa ter aberto mão de sua mortalidade, reside no fato que Tolkien se considerava Beren, e sua esposa Edith, Lúthien!

O Silmarillion é um livro maravilhoso, cheio de histórias emocionantes, mitos e lendas. O considero essencial para os leitores que amam O Senhor dos Anéis e fantasia. Mas recomendo ter sempre um caderno ao seu lado para fazer anotações: são muitos nomes, lugares, espécies, e árvores genealógicas!

site: http://letrasmaislivros.blogspot.com/2018/07/resenha-o-silmarillion-j-r-r-tolkien.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



kvp 26/05/2018

Pra mim o melhor livro do universo O Senhor dos Anéis.
É a história mais épica, em que tudo é grandioso, o que está em jogo não é apenas o destino de um personagem mas sim de raças inteiras, a história se estende por eras e os acontecimentos se tornam lendas.
Mesmo assim há espaço para desenvolver personagens e fazer o leitor se importar com eles.
comentários(0)comente



Fabiano.Poeta 20/05/2018

Nunca Spoiler
Sem dúvida foi o livro mais denso que li em toda minha vida, mas por outro lado foi também o mais rico. Com histórias belíssimas e trágicas também. Sem dúvidas uma jóia para os amantes da fantasia em alto nível.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



342 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |