A Canção de Aquiles

A Canção de Aquiles Madeline Miller




Resenhas - A Canção de Aquiles


211 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Fernanda 07/05/2013

Resenha: A Canção de Aquiles
Link da resenha no blog Segredos em Livros:

http://www.segredosemlivros.com/2013/05/resenha-cancao-de-aquiles-madeline.html

Resenha: Começo essa resenha com uma indagação: Você já ouviu falar da obra A Ilíada de Homero? Bom, nunca cheguei a ler o livro inteiro, mas pelo que sei, se trata de um poema épico grego, onde são narrados os acontecimentos e vários conflitos que ocorreram na época da Guerra de Troia. Aquiles estava envolvido então.. realmente não sabia muita coisa sobre esse personagem. Na verdade, se eu o conhecia mais ou menos era pelo fato de eu sempre ter gostado de histórias mitologias, e claro, ele se encontra nesse quesito. O fato é que fiquei super empolgada com a ideia de ler algo a seu respeito, já que o que sabia sobre ele era muito superficial. Então, assim que recebi o exemplar de A Canção de Aquiles pela Editora Jangada, comecei a lê-lo imediatamente, pulando uma extensiva parte de minha lista de leitura. Posso garantir que valeu a pena cada segundo de leitura e com certeza este livro se tornou um grande exemplo de conhecimento, além de apresentar uma leitura super valorizada.

Sentei-me no último lugar vazio, de ombros tensos como se me preparasse para uma luta. Em volta, os meninos se pavoneavam, tagarelando sobre uma lança e um pássaro morto na praia, sobre as corridas da primavera...Eu não os ouvia. A presença de Aquiles era como uma pedra em minha sandália, impossível de ignorar. Sua pele tinha o matiz do azeite que acaba de ser espremido, era lisa como madeira polida, sem as manchas e os arranhões que enfeavam a nossa. Pg. 34-35

Mas vamos ao enredo: Logo de inicio, conhecemos o narrador da história Pátroclo um personagem que me despertou certo interesse. Acho que ele se tornou na verdade uma incógnita. Nunca ouvi falar sobre ele e resolvi pesquisar mais a seu respeito. Soube então que se trata de um personagem diversificado. Pesquisei bastante e pode-se resumir que ele foi de grande importância na Guerra de Tróia e seria portanto, um dos personagens centrais da Ilíada. Contam, inclusive que além de amigo, Pátroclo pôde até ter sido amante de Aquiles. Focando nesta parte, achei muito interessante o modo como a autora incluiu toda a trajetória de vida deste personagem. O conhecemos durante a sua infância e como ele veio a fazer parte da própria vida de Aquiles. Do nada, surge uma grande amizade entre os dois e eles acabam ficando inseparáveis, compartilhando aventuras e segredos. Outros personagens também aparecem na trama, como Páris, Agamêmnon, Helena e outros, mas acredito que o enfoque maior foi realmente de Aquiles.

Logo depois disso, nossa amizade transbordou como fontes que irrompem das montanhas. Antes, todos os garotos e eu pensávamos que os dias de Aquiles eram cheios de instrução principesca, aprendizado político e exercícios militares. Mas eu já sabia da verdade havia muito tempo: além das aulas de música e do treinamento com armas, ele não aprendia nada. Um dia íamos nadar; no outro, subir em árvores. Inventávamos jogos, corridas e acrobacias. Deitávamo-nos na areia tépida e desafiávamos: - Adivinhe no que estou pensando agora. Pg. 57

É importante destacar que o foco principal desta história deu um ar glorificado aos personagens, além de transmitir uma descrição minuciosa e muito bem elaborada. Madeline Miller soube repassar aos leitores, uma digna trama de cinema, cercada de características fortes e transmitindo emoção do principio ao fim. A Canção de Aquiles se tornou uma leitura envolvente, por descrever uma história significativa e com tantas cenas contadas de modo acolhedor. É o tipo de história que incendeia no leitor a vontade de querer saber mais sobre os acontecimentos. É como se nos tornássemos parte de algo ou simplesmente quiséssemos desafiar as fronteiras da imaginação e descobrir o real de tudo isso. Com certeza, vale a pena conferir esta obra e tirar suas próprias conclusões a respeito de A Canção de Aquiles.

Calculei, de súbito, o peso das palavras do centauro: o mundo iria dizer que a guerra era o destino para o qual nascera Aquiles. Que suas mãos e seus pés velozes tinham sido feitos para isto apenas: a ruína das poderosas muralhas de Troia. Aquiles seria lançado no meio de milhares de lanças troianas e todos aplaudiriam triunfantes suas mãos manchadas de sangue. Pg. 121

Link da resenha no blog Segredos em Livros:

http://www.segredosemlivros.com/2013/05/resenha-cancao-de-aquiles-madeline.html
Barbara 02/04/2014minha estante
Eu li a Ilíada, pelo menos o que sobrou dela, e só acrescento que ficou explicado a intensidade dessa amizade. Muito boa resenha.


Gabi 16/01/2021minha estante
Aaaaaaa eu vou pirar, quero muito ler esse livro mas não acho para comprar em nenhum lugar




marimolusco 10/09/2020

a história é tão linda e tão triste que eu não sei o que dizer sobre esse livro, só sentir.
comentários(0)comente



Vinícius 21/06/2020

A gente sabia. E isso não impediu o sofrimento.
Não vou dizer muito, mas pra quem foi criado vendo filme sobre essa história com o Brad Pitt como Aquiles, foi incrível. Incrível ver o lado humano de um cara que foi um herói e ver tudo isso pela ótica do Patroclo foi incrível.

É intenso, detalhado, nos faz imergir. A gente sabe como vai ser o final, mas é como ver um trem que vem na nossa direção. Saber que ele vai nos atropelar não diminui o impacto.

O Patroclo é um amor e eu pegaria ele no colo e abraçaria se pudesse. Falaria pra ele que "Tudo vai ficar bem, não precisa ter medo". O Aquiles é um amor. Eu também pegaria no colo e diria "Não se cobre tanto, tudo bem errar". A Tetis você vai odiar mas no final ela te ganha um pouquinho.

A guerra nunca é a solução.

Incrível.
Ah, o final é triste, mas ele vale a pena.
Leitura e . 21/06/2020minha estante
Oii... Boa noitee...Tudo bem?... Desculpa por interromper sua leitura, mas gostaria de te convidar a me seguir no Instagram para acompanhar minhas leituras... te espero lá...?
Obrigado.
@leituraeponto


Rebeca Silva de Souza 21/06/2020minha estante
Já teve em minhas mãos e deixei passar aaaaaah :'( kkk


Monzi 22/06/2020minha estante
é minha leitura atual e realmente, sei o que vai acontecer mas não deixo de me apegar e amar essa história, mais triste a cada página.
estou me preparando psicologicamente para o final kkkkkkkk


Vinícius 22/06/2020minha estante
Não deixem de ler, sério. Eu sabia o final, ele é triste mas termina com um calorzinho no coração, vocês vão entender quando acabar a leitura!


alanamendesm 22/06/2020minha estante
pior que quando eles tão com 27 anos eu não consegui não imaginar o aquiles como o brad pitt kk


Vinícius 22/06/2020minha estante
kkkk Eu achei muito forçado o Brad como Aquiles depois de ler o livro, o Brad não faz jus à pele alva do Aquiles, corpo com a pele lisa, e nada a ver o Brad também com aquele cabelão




Marcos de Mello 16/11/2020

Livro lindo.
Que história emocionante.
A junção da mitologia grega (que amo demais) junto de um amor puro, genuíno e arrebatador.
O amor construído por Aquiles e Pátroclo é algo lindo.
É uma devoção gigante de sentimentos, mas, que ao mesmo tempo nem tudo é aceito.
Personagem muito bem construídos.
Amei demais.
comentários(0)comente



Ket 09/02/2021

Poético e lírico, muito bem escrito.
Há uma sensibilidade ímpar na escrita da Madeline ao contar a guerra pelo olhar de alguém que não vê nela nada além de dor e perda. Pátroclo, o narrador, também confere uma ótica humana a um conflito instigado por deuses coléricos e ciumentos, que não se importam em instigar os homens a mostrar o pior de si apenas para lhes dar alguma distração.
E no fim, mesmo que Pátroclo venere Aquiles acima de tudo, sabe que a natureza sobrenatural do heroi sempre vai tomar frente. Mas ele o ama de qualquer forma. E o segue até a morte.
Nada tão grego quanto um amor que finda em tragédia.
comentários(0)comente



May 28/01/2021

Poético do início ao fim
Ok, isso talvez fique um pouco grande.
Comecei a ler esse livro por indicação de uma amiga. Ela não me disse sobre o que era, apenas comentou que tinha terminado uma leitura e estava devastada. Como gosto de sofrer, perguntei qual era o nome do livro e logo comecei a ler.
Acredito que muitas pessoas tinham conhecimento do desenrolar dos fatos antes de ler A canção de Aquiles, por se tratar de uma história extremamente antiga e famosa. Mas eu, nos meus recém completos 19 anos, nunca consumi nenhum conteúdo sobre a guerra de troia profundamente, então tudo foi uma grande surpresa - felizmente. Mas mesmo que você já saiba o desfecho, acredito que vale muito a pena a leitura porque a escrita da autora é uma das mais bonitas e poéticas que já tive o prazer de ler. As descrições dela, principalmente de Pátroclo sobre Aquiles, te fazem se transportar de corpo e alma pra história.
Essa é com certeza uma das histórias mais lindas que já li, e vai ficar pra sempre no meu coração e memória.
clars 28/01/2021minha estante
tem outro livro dessa autora que se chama Circe e é muito bom, não sei se tão bom quanto A Canção de Aquiles (não li ele ainda) mas Circe é realmente muito bom recomendo muito


joana 28/01/2021minha estante
Amo a canção de aquiles. Recomendo também Circe, já que gostou da escrita da autora.


May 28/01/2021minha estante
Obrigada, vou ler Circe assim que me recuperar desse




spoiler visualizar
comentários(0)comente



laura 06/12/2020

Aquiles o aquileano
Sem palavras...
No início achei que parecia muito fanfic aquileana da qual existe 300 iguais no Wattpad. Mas aí a história foi evoluindo, a parte da guerra chega e lá só tem velho hétero e manipulador, que estragam tudo kkkkkk.
Nó início fiquei totalmente perdida já que não me lembrava de nada sobre a guerra de Tróia... aí fui no Google e levei spoiler, não recomendo.
Admito que em alguns momentos achei a escrita entediante, as descrições as vezes parecem que não vão acabar nunca, mas não chega a estragar a leitura.
Aquiles também causa muita raiva no início ele é um anjinho, mas aí por más influências ele vira um menino chato e orgulhoso, que irrita muito... mas no fim ele faz o que é certo.
Tétis é outra que só serve pra irritar, ela só se preocupa consigo mesma e não com o filho... no fim ela toma a decisão correta.
Pior erro do livro não matar Agamêmnon no caso obrigada Homero por isso, ele é mais chato até do que os próprios troianos.
Uma crítica minha pro livro é o segundo hot
achei desnecessário pra história, e uma total perca de tempo...
E melhores personagens Pátroclo (anjinho perfeito que narra o livro) e briseida. O resto se der pra militante no twitter é tudo cancelado.
.
.
.
outra se alguém está pensando em ler tenha em mente que o livro é cheio de gatilhos.
comentários(0)comente



Micaela | @ninfadomar 15/08/2020

Heitor por acaso me fez algum mal?
▪ Ficção Fantástica
▪ LGBTQI+
▪ Baseado na Ilíada

❝ Os olhos de Aquiles faiscavam à luz das chamas, a face nitidamente desenhada contra as sombras oscilantes. Eu a reconheceria disfarçada ou em plena escuridão, pensei; eu a reconheceria mesmo se estivesse louco ❞

Com uma escrita doce e poética, Madeline Miller mescla sua incrível habilidade de adaptar narrativas historicamente famosas com uma escrita ricamente fluida e deliciosa de se ler.

É quase impossível largar a canção de Aquiles, mesmo pra quem já conhece o desfecho da história assim como eu. A épica narrativa da grande guerra de Troia parece ficar ainda mais excitante ao entrelaçar a história de amor de Pátroclo e Aquiles.

❝ ele é metade da minha alma, é o que os poetas dizem. ❞

Mitologia, romance, história e lágrimas te aguardam nessa narrativa poética e emocionante.

site: https://www.instagram.com/p/CDjY69tBi_h/
comentários(0)comente



Theo 13/09/2020

Um conto épico (literalmente)
A Canção de Aquiles é o tipo de livro que você se apaixona já no começo da história. O desenvolvimento do casal e a escrita é apaixonante.

A forma que a autora trouxe a cultura grega e a Ilíada no livro, não tenho nem adjetivos pra dizer o quão maravilhosa é essa história.
comentários(0)comente



nati 05/10/2020

Não sei o que dizer desse livro, só que ele destruiu meu psicológico. Recomendo
comentários(0)comente



kelly.brekker 29/01/2021

"Aquiles é metade de minha alma, como dizem os poetas."
"? Cite um herói que tenha sido feliz.
?Não conseguiria.
?Sei disso. Os deuses não permitem que sejamos famosos e felizes.
?Vou lhe contar um segredo.
?Conte-me.
?Eu serei o primeiro. ?Segurou minha mão e pousou-a na sua.
?Jure.
?Por que eu devo jurar?
?Porque você é a razão. Jure.
?Eu juro.
?Juro ?ecoou ele."



esse final me destruiu toda ?
comentários(0)comente



ouroboros 25/05/2020

lento, mas bonito
Primeiro eu li Circe da mesma escritora, e como gostei, procurei mais material dela.

Sinceramente, não gostei tanto de Canção de Aquiles.

Mas ainda sim, é um bom livro, para quem está procurando mais uma história de amor e companheirismo.

O romance logo de início foi uma surpresa para mim. Sem ter lido resenhas, não esperava essa leitura do mito, e, que fez todo sentido. Foi o primeiro romance homosexual que eu li, e gostei bastante desta nova visão (bom, acho que isso não é spoiler né?).

Mas achei um pouco... piegas?

Bom, Aquiles é um semi-deus, então Pátroclo, em nome da escritora, deve o endeusar... mas é muito adjetivo e descrições como "ó, o suor dele", "ó, a voz dele", "ó, os cabelos loiros dele", "ó, o tórax sarado dele", "ó, o cheio de amêndoas dele"... Se nessa resenha já fica um pouco cansativo, imagina um livro de 300 páginas assim.

Desse modo, metade do livro é bem lento. Na entrada da guerra, há mais enredo, mais coisas acontecendo além do amor.

Aliás, se você amar alguém como Pátroclo ama Aquiles, devo te dizer: você está em um relacionamento abusivo. Pátroclo basicamente é só um corpo e um objeto para Aquiles, enquanto Aquiles para Pátroclo é tudo, acima inclusive de suas próprias vontades.

Este tipo de amor, que não me agrada, talvez tenha pesado negativamente o livro para mim.
Jessi 30/09/2020minha estante
Sim a parte de endeusar Aquiles por qualquer coisa é de um tédio...




Wash 21/11/2020

A canção de Patróclo
Comecei a ler esse livro com receio por ser sobre a guerra de Tróia. Já assisti o filme algumas vezes e fiquei pensando que poderia ser mais do mesmo, mas me enganei. É uma releitura e uma narrativa que eu ainda não tinha visto em lugar nenhum.

A história é contada inteiramente pelo Patróclo e tem detalhes sobre a vida do Aquiles antes de ser convocado por Odisseu. O livro tem uma linguagem bem particular e vai cativando na medida que as páginas vão passando.

É o segundo livro de ficção especulativa que li esse ano e estou gostando bastante do gênero. Recomendo A canção de Aquiles pra quem gosta de histórias sobre guerra e mitologia Grega, mas também acho que é um tipo de livro que qualquer pessoa vai gostar.

Acho que o único ponto negativo nesse tipo de leitura é saber o que acontece no final, antes de começar a ler. Mas isso é muito mais por ser uma história famosa do que propriamente algo que fica implícito dentro do livro.
gi 27/11/2020minha estante
Moça vc achou que é um livro que todos podem ler??? Porque eu tava muito a fim e ler mas vi um garoto falando no booktok que não indicava pessoas menores de 17 lerem o livro e eu acabei ficando na dúvida pq tenho 15 só


laura 05/12/2020minha estante
acho que dá p ler sim amg
não é tão pesado assim
tem dois hots mas não são lá tão pesados
tenho a sua idade acho q da p ler sim
mas só tenha em mente q o livro tem bastante gatilho e é pesado na parte da guerra e como trata de forma normal com as mortes, clássico da época em que se passa




Vinicius Takaki 12/07/2013

A Ilíada para uma nova geração de leitores
A Canção de Aquiles é um livro lançado no Brasil em 2013 pela editora Jangada, tem 392 páginas e se encaixa no gênero Ficção Histórica, onde uma história nos é contada a partir de um fato, época ou pessoa que existiu de verdade. Essa história pode tanto seguir à risca os fatos documentados, ou como no caso desse livro, onde a história se passa num passado distante, tomar certas liberdades para preencher os espaços vazios. Foi lançado originalmente em 2011 nos Estados Unidos, e em 2012 ganhou o Orange Prize for Fiction, que premia a autora de qualquer romance em inglês e que tenha sido publicado no Reino Unido no ano anterior, e é exclusivo para mulheres. A autora, Medeline Miller, é professora de latim e grego, e conhece a Ilíada desde que foi lida por sua mãe durante sua infância, e passou 10 anos escrevendo este livro. A Ilíada é a principal fonte de inspiração para A Canção de Aquiles.
Neste livro acompanhamos a história de Patroclo, um príncipe de um reino pequeno, que é exilado e vai parar em Fítia, onde cresce na companhia de Aquiles, com quem acaba desenvolvendo uma grande amizade. Através dos olhos de Patroclo nós conhecemos os costumes da época, um pouco das relações políticas entre os reinos, mas principalmente como é a vida de um exilado: de príncipe ele passou a ser uma simples criança, praticamente um ninguém, até cair nas graças de Aquiles. A história passa por diversos reinos e regiões da Grécia, até culminar, claro, na guerra de Tróia. Mas não se enganem, este não é um livro sobre a guerra, e sim Aquiles: quem ele era, como foi sua infância, quais eram seus sentimentos, relacionamentos e por que fez cada uma de suas escolhas. Aqui o famoso cavalo é praticamente uma nota de rodapé.
Achei a prosa de Miller muito agradável, extremamente fluida e fácil de ler, mas longe de ser algo simples. Ela escreve bem, e as quase 400 páginas do livro são lidas sem esforço nenhum. Ela descreve com clareza os ambientes onde se passama história, como as salas dos castelos, as florestas, praias, acampamentos, sempre com clareza suficiente para dar cor à cada lugar, mas sem o exagero de nos fazer sentir cansados ou entediados. O que mais me chamou a atenção foi o recurso utilizado pela autora para descrever sentimentos como o amor, a saudade, a paixão, o medo: eles ganharam cor, textura e sabor, permitindo a nós, os leitores, um novo tipo de imersão na história, e uma nova maneira de nos relacionarmos com os personagens. A história segue em termos gerais a Ilíada de Homero (ainda não li, mas pretendo ler), e toca de leve na mitologia grega (a começar por Aquiles, que é filho de um humano com uma deusa), mas em termos gerais é como se passasse num mundo muito real e crível. Existe romance, vislumbres da política da época, relacionamentos diversos entre os personagens, inclusive homossexualismo (coisa que não chega a ser controverso, mas me surpreendeu, e é até aceito como normal para a época), e é claro, combate sangrento (este último em muito menor quantidade que um livro do Bernard Cornwell, por exemplo).
Este livro, para mim, realmente não tem nenhum ponto fraco. A história é gostosa de ler, os personagens são carismáticos ou odiáveis na medida, a autora usa um interessante recurso para descrever os sentimentos e ao longo do livro realmente me senti transportado para outra época. Miller não perdeu a mão em suas cenas de romance, diferente de algumas outras autoras, que parecem exagerar ou escrever livros exclusivos para mulheres (por exemplo Collen Houck, da série Maldição do Tigre, que exagera na dose do romance, se bem que este é um romance para jovens adultos, não sei se a comparação cabe). Sempre gostei de mitologia, mas ainda não li a Ilíada, principalmente por não ter muita facilidade com poemas, mas este romance me fez ter mais vontade de ler esses clássicos. A história de Patroclo e Aquiles é cheia de emoções, se passa num passado mágico e ao mesmo tempo verossímil e é muito bem escrita, recomendo a todos que queiram conhecer um pouco mais da mitologia grega, mas não tiveram ainda coragem de atacar um texto clássico. Trouxe a Ilíada para uma nova geração de leitores.

* * * * * (5 de 5) Perfeito! Pare tudo e vá ler agora! Se gostou (ou mesmo se não gostou) da resenha, deixe um comentário, até a próxima!
comentários(0)comente



211 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |