Par Perfeito

Par Perfeito Eleanor Prescott




Resenhas - Par Perfeito


29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Felipe Miranda 08/12/2014

Par Perfeito - Eleanor Prescott por Oh My Dog estol com Bigods
Sem exagero ou enrolação: Par Perfeito foi o livro mais divertido que li este ano. Gargalhei tanto que não percebi as páginas passarem. Há tempos não lia um chic lit tão original e bem escrito.

Quatro mulheres com personalidades distintas dividem as narrações do livro. São elas Kate, Lou, Alice e Audrey. Nos capítulos finais acompanhamos o desenrolar da trama pelo ponto de vista de outros personagens.

Aos 35 anos, Kate é uma solteirona desesperada. Apesar de bem sucedida profissionalmente, ela está à beira de garantir um lugar em um asilo por acreditar que já passou da idade para encontrar o homem de sua vida. As noitadas com a melhor amiga Lou já não fazem tanto sentido. A última esperança de encontrar um amor verdadeiro é depositada em uma agência de relacionamentos, a Mesa para Dois. Ao preencher uma ficha com tudo aquilo que procura em um parceiro, Kate será encaminhada para uma série de jantares com homens que são compatíveis com o perfil dela. Bem, conseguem imaginar o quanto isso será interessante? O problema é que Kate é exigente demais, ela está à procura de um homem perfeito que não existe.

Lou é a personagem mais extrema aqui. Promíscua e oferecida. Para ela a internet é lugar para comprar sapatos, e não conhecer possíveis namorados. Aliás, não existe um homem que não seja seu tipo. Sempre maquiada e de meia-arrastão, ela mantém um caso com o chefe e perceberá aos poucos o quão é inferiorizada por não se valorizar. Os capítulos de Lou são tão curtos quanto às rapidinhas que ela dá com desconhecidos.

Alice é a apaixonante e apaixonada funcionária da Mesa para Dois. Livre de qualquer vaidade, ela veste cardigãs e calças de veludo para trabalhar. Seu meio de transporte é uma bicicleta surrada. Apesar da aparência desleixada, ela é a melhor casamenteira da agência. Sonhadora convicta, ela acredita em príncipes encantados e se dedica ao máximo para encontra-los e combiná-los com suas exigentes clientes. Talvez ela esteja se esquecendo de cuidar de si mesma, do próprio coração, mas o belo jardim que cultiva em casa, repleto de flores de espécies diversas, é sua verdadeira paixão. Não há homem capaz de substituir isso.

Audrey é a rabugenta chefe de Alice. Com uma vida entediante e solitária, ela se ocupa com as fofocas que sua agência de relacionamentos proporciona. Ao mesmo tempo que senti pena, também senti raiva dela. Pena por ela ter 51 anos e ser sozinha no mundo, não ter amigos ou um namorado. E raiva por ser uma escrota sem limites. Ela se irrita pelo simples fato de Alice existir e ser melhor que ela como casamenteira. Apesar da experiência de vida, Audrey se mostra sem faro algum para juntar casais, é revoltante tamanha poupa injustificada.

O baile da Associação das Agências de Relacionamento cruzará a vida de Alice e Audrey de uma forma inesperada. O misterioso e recluso marido de Audrey, que só dá as caras uma vez ao ano, defenderá Alice de ser ridicularizada no evento. A partir daqui, uma série de revelações sobre ele e Audrey espantará os leitores menos atentos. Audrey perde cada vez mais razão ao passar dos capítulos. Apesar de ser uma viciada em romance, Alice não saberá lidar com as complicações de um amor real.


Entre segredos, fofocas e encontros amorosos, a disputa entre as agências de relacionamento rendem boas reviravoltas na trama. A busca pessoal de cada protagonista por um par perfeito é recheada de medos e riscos. As surpresas ficam por conta das sacadas rápidas e referências inteligentes que a autora insere nos diálogos. É o que sempre digo, Chic Lit é aquele gênero maravilhoso que sempre vai me render leituras rápidas e alguns sorrisos.

site: http://www.ohmydogestolcombigods.blogspot.com.br/2014/12/resenha-par-perfeito-eleanor-prescott.html
comentários(0)comente



Claudia 25/02/2015

Comecei a ler e logo achei que ia ser super divertido, com tiradas espertas, etc. Aquela personagem Lou, adorei, mas infelizmente bem secundária e não apareceu muito. Mas então me decepcionei, um livro muito previsível. Eu adoro romances, adoro essas histórias que sei que acontecem apenas em livros, e é por isso que eu leio, mas sério, como uma pessoa se apaixona por outra por apenas ver que ela foi esculachada na frente de um bando que não se importou? Acho que faltou mais "razão" para Alice e John formarem um par, faltou um "quê". Pra mim, não foi um bom livro, ficou longe de ser, simplesmente não desceu.
Sel 18/07/2015minha estante
Concordo! A autora criou "esteriótipos" e não personagens. Tentando encaixar as várias faixas etárias e "tipos" de leitores: a mulher de trinta ingênua e sonhadora/a de trinta workaholic/ a "periguete" que no fundo só quer um amor pra chamar de seu/a da terceira idade solteira e amarga mas que tem um sonho de amor...Blargh! Achei fraco, condescendente, uma decepção.Não recomendo. E sinceramente ser apaixonada por chick lit e escrever bem o gênero, tem uma grande distância. :(




Nana 02/09/2015

Franquinho
Ai, com esse me decepcionei..
Poxa, adoro comédia romântica, mas essa não gostei, faltou comédia.
O romance que era para ser água com açúcar, tinha muito açúcar.
comentários(0)comente



João 19/08/2015

A coisa está feia!! Kate já passou dos trinta e até agora nada de um namorado!
Desiludida com os homens ela procura ajuda na agência de relacionamentos "Mesa para Dois".Nessa agência trabalha Alice,uma moça com um péssimo gosto pra se vestir mas com um talento excelente pra encontrar um par perfeito para seus clientes.Mas Alice tem uma pedra em seu caminho:Audrey,sua chefe cinquentona,não suporta Alice e seu maior sonho é demitir a pobre moça.
Audrey também tem uma inimiga mortal:Sheryl,dona de uma agência de relacionamentos rival e que tem um par de seios capaz de chamar a atenção de qualquer homem.
Lou é a melhor amiga de Kate e diferente da amiga o que ela quer dos homens é sexo.
E no meio de toda essa loucura aparece John,um homem que arrasa corações por onde passa.

Dizer que esse livro é bom seria pouco!!
O livro é fantástico!!
Divertido,bem-humorado me fez dar muita risada com as situações em que os personagens se envolvem.A autora me prendeu do começo ao fim do livro com seus diálogos divertidos e personagens bem construídos. Não tem como não gostar.
Agora entro na questão chick lit.Esse gênero de leitura é voltado para as mulheres.Mas falando francamente:desde quando um livro tem gênero?
Acho que as pessoas deviam julgar os livros apenas se são bons ou ruins!!
Não acredito nesse tipo de coisa de leitura voltada para homens,ou mulheres ou adolescentes e bláblablá.
Pra mim o que realmente conta é a diversão que um livro traz.Não importa se é pra um gênero ou outro.Se fosse seguir esse padrão teria deixado de ler muitos livros excelentes.Ainda bem que sigo só um caminho:leio qualquer tipo de livro.
Esse livro foi uma das minhas melhores leituras do ano.
Viva o chick lit!!!
Excelente leitura!


Clã 31/01/2015

Clã dos Livros - Par Perfeito
Alice Brown é uma dedicada funcionária da agência de relacionamentos Par Perfeito. Uma moça romântica, inteligente, de bom coração e sensível, com uma chefe amarga, mau-humorada e que se acha a última bolacha do pacote.

Alice ama seu trabalho, e se dedica muito para encontrar o melhor par para seus clientes. Com sua bicicleta, seu cardigã e seu tênis, não pode ser considerada uma mulher glamourosa, mas também sonha em encontrar o seu par perfeito.

Sua mais nova cliente, Kate está desesperada. Não que ela seja uma mulher feia, ou chata, ou que tenha qualquer outro defeito que a atrapalhe na difícil arte de encontrar um par. Na verdade, ela gasta tempo demais no trabalho e acredita que existe uma data limite para se casar e ter filhos, por isso seu tempo está acabando.

"Aparentemente, teremos um futuro sombrio, com mais horas de trabalho, aposentadoria mais tardia e sem nenhuma das coisas boas, como bebês, família e um marido para complementar a previdência."

Alice tem uma sensibilidade incomum e é também uma amante das plantas e jardins. É fácil ver a moça com os olhos fechados ou com o olhar perdido, como se estivesse desligada do mundo. Na verdade a casamenteira está pensando na combinação perfeita para seus clientes.

"Criar pares bem-sucedidos era o que povoava seus sonhos à noite. E o perfume de romance era o que tornava seus dias mágicos."

É claro que muitas vezes ela precisa marcar encontros ruins para que as pessoas percebam que a felicidade não tem uma receita pronta e nem sempre está onde nós imaginamos. Com esses encontros e desencontros nos divertimos bastante.

Par Perfeito é um livro lindo, delicado, romântico e engraçado.
Nele vemos vários personagens verossímeis, cheios de defeitos e qualidades humanas, com narrações em terceira pessoa e diálogos ótimos.

Lou a amiga um tanto promíscua de Kate e suas aventuras. Audrey a chefe rabugenta e rancorosa que maltrata a pobre Alice. Kate a cliente desesperada para ter bebês. John o homem maduro e lindo que tem um envolvimento misterioso com Audrey. Sheryl a dona de outra agência de relacionamentos que usa de todos os meios para aparecer.

A autora conseguiu escrever um livro gostoso e irresistível, daquele tipo que ficamos imaginando nas telonas!

Será que Alice e Kate conseguirão seu par perfeito?

"- Olha Alice, eu gosto de você. Gostei de você desde o instante em que te conheci. Você foi especial naquele baile; linda e natural. Você brilhou em meio ao batom e as punhaladas nas costas. Depois que foi embora não consegui mais parar de pensar em você. E, então, quando me encontrei com você na Dedos verdes, de jeans e cabelo despenteado, gostei mais ainda. "

Para descobrir você vai ter que se aventurar pelas páginas deste divertido Chick Lit de Eleanor Prescott.

Amei e recomendo!

site: http://cladoslivros.blogspot.com.br/2015/01/resenha-par-perfeito-de-eleanor.html
comentários(0)comente



Pri Belato 29/07/2014

Par Perfeito é um chicklist bem divertido e super leve, historia de estréia da autora Eleanor Prescott aonde ela soube direitinho como hipnotizar o leitor com sua escrita deliciosa, foi incrível a forma como comecei a ler o livro assim que chegou e não conseguia largar sem saber o que iria acontecer na página seguinte. No livro encontramos a historia de quatro mulheres, Kate e Lou duas amigas que logo no principio nos deparamos com elas em uma palestra para obter dicas de como encontrar o par perfeito e Alice e Audrey que trabalham em uma agência de relacionamentos.

http://garotaagridoce.com/2014/07/24/par-perfeito-eleanor-prescott/

site: http://garotaagridoce.com/2014/07/24/par-perfeito-eleanor-prescott/
comentários(0)comente



Arca Literária 29/03/2017

resenha disponivel a partir do dia 04/04 no link http://www.arcaliteraria.com.br/par-perfeito-eleanor-prescott/

site: http://www.arcaliteraria.com.br/par-perfeito-eleanor-prescott/
comentários(0)comente



Amanda Ribeiro 01/06/2015

Doce e leve
Alice é uma casamenteira que trabalha em uma agência de relacionamentos e tem uma chefe que, digamos, não é a pessoa mais simpática do mundo, pra não dizer coisa pior. Ela é super romântica e acredita em amor verdadeiro. Por isso se dedica ao máximo quando clientes como a adorável Kate procuram seus serviços em busca do grande amor da vida. Porém, Kate está procurando o Homem Perfeito (coisa que todas as criaturas do sexo feminino deveriam saber que não existe) e é dever de Alice mostrar a ela que nem sempre o que a gente quer, é o que precisamos realmente. Alice ainda precisa encontrar seu próprio parceiro ideal. É aí que se envolve numa complicação ao olhar com olhos que não deveria para o "marido" maravilhoso de sua chefe rabugenta.
A Alice é extremamente fofa. Me deu a sensação de que o mundo seria um lugar melhor se pessoas como ela existissem aos montes. Só que em alguns momentos da aquela vontadezinha de entrar no livro e gritar: "menina, não seja tão ingênua! Fala umas verdades na cara dessa sua chefe jararaca!!"
A chefe em questão, Audrey, é realmente detestável, principalmente em relação ao modo como trata Alice. Mas, ao decorrer da trama, vai dando pena dela e a gente consegue ver que tudo o que ela precisa é de companhia e carinho.
Kate e sua melhor amiga, Lou, são praticamente opostas. Enquanto Kate é viciada em trabalho, comportada e sonha em construir sua própria família padrão americano, Lou é festeira, pega geral e quer é beber, beber e beber mais um pouco, se for possível. Ela detesta o fato de Kate ter contratado uma empresa de relacionamento para arrumar um marido. Gostei muito de Kate. Ela é super gente boa e traz a tona inseguranças que muitas mulheres também sentem.
Os personagens masculinos não me convenceram muito. Me apaixonar pelo mocinho é uma parte muito importante. Porque aí eu me envolvo mesmo, entro na estória e acaba ficando mais fácil curtir o livro. Infelizmente, isso não aconteceu dessa vez.
De qualquer forma, as personagens femininas foram muito bem construídas e a autora conseguiu trazer a tona uma verossimilhança sólida. Deu aquela impressão de que eu poderia conhecer qualquer uma daquelas mulheres na vida real.
O livro é narrado em terceira pessoa e a escrita da autora flui com facilidade. Assim, a leitura se torna super rápida e ideal pra quem quer relaxar ou está de ressaca literária. Não tem grandes dramas e o final é bem previsível.
OBS.: Achei que o final não ficou muito bem amarrado. O que aconteceu com alguns personagens não foi relatado e uma certa senhora detestável, Sheryl (rival de Audrey), só fez merda o livro todo e não recebeu castigo nenhum no fim das contas.
Bom, é um livro que não lerei novamente mas recomendo para quem curte um chick-lit tranquilinho.
Beijinhos ?
comentários(0)comente



ricardo_22 28/08/2014

Resenha para o blog Over Shock
Par Perfeito, Eleanor Prescott, tradução de Sibele Menegazzi, 1ª edição, Rio de Janeiro-RJ: Valentina, 2014, 352 páginas.

Alice Brown trabalha em uma agência de relacionamentos e tem como objetivo ajudar seus clientes a encontrar o par perfeito, por isso ela é considerada uma grande sonhadora e tem obrigação de acreditar em Príncipes Encantados. Ela até busca seu próprio príncipe, mas enfrenta certa dificuldade. Essa dificuldade só não existe quando precisa encontrar alguém para seus clientes.

A nova cliente de Alice é Kate, uma mulher que quer encontrar o amor da sua vida e formar uma família antes dos 35 anos – o que está se aproximando. O problema é que Kate está fora dos padrões e busca um homem dos sonhos, ou seja, perfeito. O desejo da cliente dificulta o trabalho de Alice, que ainda precisa enfrentar sua patroa e ser uma profissional exemplar, além de conviver com outros clientes e levar uma vida no mínimo normal.

“Por mais que tentasse se concentrar em números, não podia evitar imaginar o rosto de um homem. Não qualquer homem. O homem. O perfeito para ela. Ainda não o conhecera, mas ele estava lá fora em algum lugar, disso ela tinha certeza. Era indispensável acreditar nisso, pelo menos no meu ramo, ponderou. Era preciso acreditar em Príncipes Encantados” (pág. 26).
Não se deve julgar um livro pela capa não é apenas uma frase usada em uma das cenas de Par Perfeito. A capa da obra de Eleanor Prescott pode até passar a impressão de ser mais um livro adolescente, que retrata esse universo e não tem muito de novo para transmitir. Porém, o livro está mais para uma comédia romântica destinada exclusivamente ao público adulto, provando mais uma vez que realmente não se deve julgar.

Como toda comédia romântica, o tema central não é o mais original: mulheres com problemas de relacionamento, mais precisamente da falta dele, e que no fundo estão desesperadas para encontrar o par perfeito. Com esse pano de fundo, a autora nos apresenta pelo menos cinco personagens bem particulares e narra a história de cada um deles através de uma narrativa em terceira pessoa.

A ótima construção de cada personagem é a grande responsável por nada ser confuso. Mas, ao mesmo tempo em que as personagens são bem construídas, elas também podem ser vistas como estereotipadas. São pessoas que vivem uma ilusão; com problemas de autoestima; sem tempo para relacionamentos ou sem forças para seguir em frente após enfrentar problemas no passado; ou até mesmo vergonha de revelar sua verdadeira personalidade.

site: http://www.overshockblog.com.br/2014/08/resenha-270-par-perfeito.html
comentários(0)comente



Fernanda 21/07/2014

Resenha: Par Perfeito
Resenha: “Par perfeito” é um chick-lit muito divertido, bem estruturado e ainda mais enérgico. O mais interessante é poder acompanhar as aventuras arriscadas dos personagens em busca de algumas mudanças significativas em suas vidas, nem que isso signifique encontrar um novo romance nos lugares mais inusitados.


CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG SEGREDOS EM LIVROS:

site: http://www.segredosemlivros.com/2014/07/resenha-par-perfeito-eleanor-prescott.html
comentários(0)comente



Loouiz & Dóia 25/10/2014

Surpreendente ! - Resenha por Dóia
Uma deliciosa e diferenciada CHICK LIT !

Confesso que andei alguns anos afastada desse gênero de literatura por conta de experiências frustrantes com os livros da Becky Bloom. Par Perfeito, porém, me chamou por conta de sua capa bem trabalhada e sua sinopse tão light que me deixou com vontade de ler um romance açucarado daqueles. Não deu outra: saí com meu exemplar e após terminar o livro em andamento engrenei nesta maravilhosa comédia romântica.

A autora possui uma forma de escrita surpreendente. A leitura é intercalada entre o ponto de vista de diversos personagens e a similaridade deles com a vida real é fantástica. Em momento algum senti a história forçada ou mal explicada.

As personalidades são extremamente bem construídas neste livro sem, porém, deixar a leitura pesada. Os cenários são bem trabalhados e os sentimentos dos personagens tão palpáveis que a autora consegue fazer com que o leitor sinta as diversas emoções presentes na trama e suas intensidades.

Também gostaria de incluir uma observação: nunca havia lido uma trama do tipo e fiquei surpresa. É claro que existem diversos livros que abordam o mundo das agências de relacionamentos, mas posso afirmar que a história provavelmente vai se mostrar uma surpresa para quem se der a oportunidade de ler.

Fiquei maravilhada com este livro de estreia de Eleanor Prescott e posso afirmar que lerei diversos outros que ela lançar, vale a pena.

Recomendo o livro para todos os que desejam uma leitura leve, atual e com uma boa dose de divertimento !
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 27/01/2018

Sabe aquele ditado que diz “Nunca julgue um livro pela capa” - deveria servir para títulos também !

Já tem um tempo que eu solicitei a parceira Ed. Valetina o livro "Par Perfeito" de Eleonor Prescott esse Chick lit foi o livro de estreia dessa autora, nesse estilo literário e fez muito sucesso nos EUA.

Em Par Perfeito somos apresentados a uma agência de casamentos com o nome de “Mesa para Dois” e vários personagens que vão compondo a trama que se desenrola por capítulos narrados por pessoas diferentes, mostrando assim os sentimentos e sonhos de cada um deles, mas não deixando de focar na principal personagem - Alice Brown.



Casamenteira por profissão, Alice, acredita que todos os clientes da empresa "Mesa para Dois" devem ser entendidos e direcionados á aquela pessoa que realmente os completa, mesmo que para isso ela não mande para o encontro o tipo de pessoa que o cliente descreve como seu estilo.

Sonhadora ela acredita que cada pessoa tem sua outra metade e tende a viajar olhando para a janela enquanto monta os casais em sua cabeça e sonha com o dia em que encontrara o cara certo.

Audrey a dona da empresa é uma mulher com quarenta anos ou mais, que apesar de ter criado uma agência de casamentos bem sucedida, nunca encontrou sua felicidade. Kate é uma jovem de 30 anos que se tornou cliente da Mesa para Dois acreditando que conseguira achar seu par ideal. Já Lou (melhor amiga de Kate) aposta que "saindo a caça" pode achar o cara legal, porém enquanto isso não acontece - ela vive uma noite de cada vez.



Comecei a ler Par Perfeito achando que iria me identificar de cara, amo Chick lit, porém me peguei parando a leitura várias vezes e não conseguindo sair das primeiras cinquenta páginas por muitos dias. Simplesmente não consegui criar nenhum tipo de empatia pelos personagens ou me identificar com nenhuma de suas características, a narrativa ficava tão cansativa ao longo dos capítulos que eu me perdia totalmente em quem era quem.

Então eu parava pensando que a leitura ficaria menos difícil depois de algumas páginas e eu começaria a não me perder tanto nas mudanças de narrativa. E isso até aconteceu em alguns capítulos e a partir da página 100 eu consegui entrar na história e até mesmo gostar de alguns momentos, por exemplo a parte em que a Alice diz que usar roupas chiques e salto alto dava ela a impressão de parecer um travesti. Mas eram poucos os momentos que conseguia me divertir com a leitura e achar que o livro estava fluindo, em outros eu somente queria que acabasse, e como eu raramente abandono uma leitura, continuei firme e forte torcendo para um final de parar o coração.

Não teve o final de parar o coração :(, mas tiveram cenas marcantes e realmente uma ideia do final de cada personagem, alguns bons e outros não, para quem fez por merecer, fiquei feliz pelo desfecho da Alice e abismada pelo da Audrey de quem tomei uma antipatia desde as primeiras vezes.

Talvez eu não estivesse no clima desse livro ou por eu ter achado que seria mais o lado romance da personagem e menos sobre seu trabalho e todas as picuinhas ao redor que a história acabou não me convencendo. Só sei que se avaliasse meus livros com notas esse não teria passando de 2,5 em 5, mesmo com o trabalho incrível de diagramação da editora e forma simples de escrever da autora.

Por: Leh Pimenta
http://www.coisasdemineira.com/2015/02/leitura-par-perfeito-de-eleonor-prescott.html
comentários(0)comente



Poesia na Alma 06/02/2015

Resenha - Par perfeito
Par Perfeito, de Eleonor Prescott, Editora Valentina, 351 páginas, traz algumas questões sobre relacionamentos, ou o início deles, relevantes. Problematizadas ou não. A exemplo das primeiras páginas, com Kate e Lou, que vão a um evento - palestra - para conseguir o par perfeito. As duas travam um discurso interessante, sobre como seria esse par, visões extremas e opostas, que, por vezes, fizeram-me lembrar de Sex and the city.
“- É tudo culpa daquele maldito jornal, o Daily post, - Kate acompanhou sua taça de vinho e tomou um gole, com raiva. – Se eles não ficassem o tempo todo falando de como é impossível engravidar depois dos 35, nós não estaríamos nem sequer pensando no assunto.”
Devo concorda com a Kate, a mídia passa o tempo todo com determinismo. Parte desse determinismo se configura num machismo e o ataque a mulher é certeiro. Colocam a mulher num patamar de ‘prazo de valide’. Além desse prazo, que vai normalmente até os trinta, existem os doentios padrões de beleza. Essa história de data certa para ter filho não existe. Não é regra. Em 1900 e blá, blá, blá, minha avó teve seu último filho aos 40 e está viva para contar história, com quase 100 anos. Muito linda por sinal. Enfim, se fosse dizer tudo que penso, daria infinitos livros. Voltemos a resenha.
Alice é o tipo romântica superficial, mas é gente boa. Trabalha na Mesa para dois, empresa que realizou o congresso que a Kate e Lou foram. Sua chefa, Audrey, é um pé no saco. O fato é que tanto Alice quanto Audrey são vítimas de seus próprios sonhos impostos pela mídia machista. Enquanto a primeira, abertamente, sonha com o par perfeito, a outra faz as escondidas. Kate precisa dos serviços casamentos da empresa e pede ajuda de Alice. Eu acho que Alice terá muito trabalho quanto a isso... Sério... quem ler vai entender.
Mas, estamos falando do amor no capitalismo, e uma outra personagem que ama o dinheiro, Sherryl, também comporá a história. Ela é a dona da Pombinhos, empresa rival de Mesa para dois. Ela joga baixo e será uma pedra no sapato para Audrey e quem mais sonhar em ser sua concorrente.
Apesar de o livro mostrar uma pequena parte da realidade de um universo feminino, de maneira geral, a autora teve uma sacada inteligente, que foi de deixar pistas que a maioria das coisas que muitas mulheres fantasiam não passam de imposição do machismo e da mídia. Foram essas pequenas sacadas que me conquistaram na leitura. Gente, sou uma mulher de trinta e não acredito no que a mídia diz. Mas essa é uma desconstrução diária, que vai de nos amarmos enquanto mulheres até um bate-papo informal na mesa do bar com amigas enquanto paqueramos.
É um livro juvenil bem interessante. Divertido. Com uma narrativa rápida para alegra aquele fim de semana de tédio. Para quem não gosta de curtir o carnaval (não é o meu caso), fica essa ótima dica. São vários personagens, será que encontrarão seu par perfeito? E você, acredita no par perfeito? Quanto a Alice, será que encontrará seu grande amor? Apesar de ser uma personagem infantil, Alice é mega gente boa.
O que mais gostei nela é a maneira como ela se veste, simples. A bicicleta é mega fofinha. O jeito despojado dela é a parte mais linda do livro. Alice vai sofrer um pouco, principalmente na mão da Audrey e da Sherryl. É no meio dessa tortura que ela conhece o Jonh, que todos acreditam serem o marido da Audrey, mas que na verdade é um ‘garoto de aluguel’. Em termos bonitos: um acompanhante. Como essa galera vai resolver toda essa confusão? Tem que ler o livro, gente.
Beijos poéticos para todas e todos!
comentários(0)comente



Anna 22/05/2016

Ruim demais!
Personagens estereotipados, diálogos infantis e desconexos, história desestruturada. Eu não gostei do livro, e não recomendo.
comentários(0)comente



Ivanice 01/06/2016

Gostei dos protagonistas (maduros e com personalidades fortes) e da história de fundo, mas achei que o livro se prolongou demais em algumas coisas sem importância e não foi a fundo de outras mais importantes. O que era para ser uma história leve e divertida, ficou deprimente e chata em muitas partes. Minha personagem preferida foi a Alice, honesta, romântica e com um ótimo intuito de casamenteira e o que aconteceu com a Audrey no final foi muito abrupto e nada plausível na minha modesta opinião.
comentários(0)comente



29 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2