O Livro da Loucura e das Curas

O Livro da Loucura e das Curas Regina O’Melveny




Resenhas - O Livro da Loucura e das Curas


38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Fernanda 21/10/2013

Resenha: O Livro da Loucura e das Curas
Resenha: “O livro da loucura e das curas” de Regina O’Melveny , é uma intrigante e dramática história sobre valores, sentimentos únicos e comoventes diante de uma época convencional e muito difícil em todos os padrões.

Em 1590, Gabriella Mondini está longe de seu pai – que viajou para fazer novas descobertas sobre doenças diversas e as mais variadas curas – e de suas orientações, porém a paixão pela profissão da medicina se torna cada vez mais forte. A jovem médica não é permitida a atuar sem ele, e por esse motivo, parte em uma jornada árdua em busca do pai e o que vai lhe ajudar nesse caminho são exatamente as cartas enviadas por ele.

O estilo de narrativa da autora é poético e convincente, e faz com que a trama tenha um ponto de vista diferente e critico para com o leitor com referencias as doenças e remédios. Não é uma leitura maçante, porém é necessário ter extrema atenção para conseguir adentrar num ambiente inteligente e muito bem explorado.

Gabriella se apresenta dedicada, sonhadora e forte. É notável como tem fé e é convicta em sua própria ética profissional. É um exemplo de mulher desafiadora, que tenta fazer o máximo que pode e tenta ultrapassar seus próprios limites em uma sociedade rígida e sem tantas escolhas.

O enredo também cita uma mistura rica de culturas, captura as essências dessas tradições e ainda trabalha de forma envolvente com essas características. A pesquisa da autora se mostra claramente em todo o livro, justamente por fazer descrições tão vívidas e intensas nos relatos, dos lugares visitados, alimentos e ingredientes utilizados. Claro que há várias cenas em que o próprio leitor se questiona e pensa sobre a dimensão de tal loucura. E acredito que este seja o principal objetivo do livro: examinar cada ação e fazer uma avaliação minuciosa sobre as decisões e conseqüências dos atos, baseando-se nas normas sociais. E por isso mesmo cria uma expectativa real sobre os personagens e de como se baseiam suas atitudes mais ousadas.

O ritmo da leitura é um pouco acelerado e talvez fosse interessante se fosse mais explorado os pacientes e outras pessoas que passaram pela vida da protagonista. Em outra visão, é uma leitura agradável, com pontos de vistas perspicazes e um processo de interações sociais bem construídas. O desfecho foi rápido e ainda assim muito completo e peculiar, sem nenhuma dúvida ou suposição.


site: http://www.segredosemlivros.com/2013/10/resenha-o-livro-da-loucura-e-das-curas.html
comentários(0)comente



House of Chick 13/10/2013

Vários dias depois de ter terminado "O livro da loucura e das curas", de autoria de Regina O'Melveny, ainda me encontro anestesiada. Não há outra palavra para definir este título que não "arte". Regina, em seu romance de estreia, consegue centralizar inúmeros sentimentos em uma única obra. Apesar de este ser o primeiro romance da norte-americana, ela tem experiência com a escrita de poesias, o que talvez tenha colaborado para a criação dessa prosa tão delicada.

A história contada é a de Gabriella Mondini, uma médica impedida de exercer sua profissão simplesmente por ser mulher - a trama se passa na Itália do século XVI, época na qual o gênero era fator limitante para que uma pessoa fosse ou não considerada cidadã. O pai de Gabriella foi quem a ensinou o ofício, mas agora a protagonista se encontra sem seu maior guia: seu pai embarcou em uma viagem com o objetivo de conhecer e catalogar as mais diversas doenças conhecidas e desconhecidas, e, por meio de uma carta, anuncia que não pretende retornar para a família. Sem esse amparo masculino, porém, Gabriella não pode ser considerada médica. E ela, decidida a não permitir que isso ocorra, parte em busca de seu pai com o objetivo de fazê-lo voltar.

Gabriella é singular. Confesso que não esperava toda essa rebeldia e determinação por parte de uma personagem feminina em um contexto tão patriarcal. Ela ilustra o espírito guerreiro compartilhado por inúmeras mulheres que sobrevivem aos mais devastadores meios. Ela é forte o suficiente para demonstrar que cultura alguma domina, efetivamente, as mulheres. Além de Gabriella, outros dois personagens conquistam a atenção do leitor: Olmina e Lorenzo, criados de sua residência e, posteriormente, seus companheiros de viagem.

Procurando por seu pai, Gabriella passa por muitas cidades. Um recurso sensacional oferecido pelo livro é um mapa que ocupa duas páginas, auxílio que se mostra como em excelente diferencial. Ao acompanhar seu trajeto, o leitor conhece várias doenças que hoje são consideradas sentimentos, tais como angústia e inveja. Esses trechos convidam a uma interessante reflexão sobre sensações ruins e suas implicações não somente físicas, mas também psicológicas.

O viés histórico também é impactante: "O livro da loucura e das curas" permite que tenhamos contato com uma realidade pouquíssimo habitual, na qual mulheres cheias de importantes e úteis conhecimentos são condenadas e taxadas de bruxas. É muito interessante ter contato com esta época através da perspectiva de Gabriella, tão visionária, tão a frente de seu tempo.

A Novo Conceito mais uma vez não decepciona com a diagramação deste volume. Não tenho receio de dizer que a capa desse livro tem a melhor textura que já conheci, dotada de uma sensação fantástica e muito atrativa. O papel utilizado na impressão também é de excelente qualidade, as páginas amareladas facilitam a leitura e deixa o aspecto ainda mais bonito.

"O livro da loucura e das curas", apesar de voltado para um público mais maduro, é recomendado para todos que querem se envolver em uma trama muitíssimo bem construída, repleta de elementos históricos. Recomendo especialmente para o público feminino, para que as mulheres aprendam a cada vez mais que esse conceito de sexo frágil é absurdamente ultrapassado - mulheres, sem importar a cultura na qual estão inseridas, podem ser absolutamente o que elas quiserem ser.

Quotes:

"Tornei-me tão transparente quanto o vidro através do qual espiava, perigosamente invisível até para mim mesma. Foi então que percebi que deveria colocar minha vida em movimento, caso contrário, eu desapareceria." (Página 17)

"Não mandarei ninguém atrás de você, meu pai, decidi naquela noite. Eu mesma irei." (Página 28)

>> Comentários nessa resenha concorrem a prêmios!

site: Confira essa e outras resenhas no blog: www.houseofchick.com
Beth 13/10/2013minha estante
Muito bom a história e vou adorar acompanhar a trajetória da nossa personagem na busca pelo pai. Tomara que o encontre e ela possa conseguir realizar o seu sonho de ser médica. Beijos.
elizabethmsalles@hotmail.com
?Chance Extra ? Estou participando da fan page da Editora Novo Conceito?.


Leila 14/10/2013minha estante
Que capa linda! Acho que esse livro é indicado para mim... Adorei a resenha e estou morrendo de vontade de ler o livro!
@Leila_C_S
Leila


"Ana Paula" 14/10/2013minha estante
Outro livro que tenho e ainda não li! Olha, já li várias resenhas deste livro, mas, poxa, a sua ficou fantastica!!!!! Adorei mesmo! Deu até vontade de começar a lê-lo agora! Adoro histórias assim, onde a personagem é forte e enfrenta seus obstáculos!

bjo^^


Tatielle 18/10/2013minha estante
Eu amo em evolver com os livros pra ver se esqueço meus problemas e esse ai parece uma trama que não deixaria eu dormir a noite pq eu leria td de uma vez! EU QUERO PARTICIPAR! - fro_thielly@hotmail.com e curtos as paginas da novo conceito e da house of chick


Fabrício Rufino 18/10/2013minha estante
Quero conhecer mais esse livro, parece ser bastante calmo para se ler num dia chuvoso, me interessei sobre que antigamente alguns sentimentos eram tratados como doenças.. alem de poetico parece ser um livro emocionante!:-)

Participando da fan page da editora novo conceito e da house of chick no skoob




@APassional 11/08/2013

O Livro da Loucura e das Curas * Resenha por: Rosem Ferr * Arquivo Passional
Inexplicavelmente Magnífico.

Minha primeira impressão intuitiva deste tomo foi sua capa, a textura dela é feito pele humana quando deslizamos suavemente os dedos sobre ela, experimentem, sintam e me digam.

Ainda estou sob efeito colateral da aventura que nos proporciona la caríssima Gabriella Mondini, que nos guia gentilmente a uma jornada ao mundo interior feminino.

Denso, sensível, envolvente, profundo.

Regina O' Melveny, faz sua entrada na literatura com chave de ouro, seu romance condensa todos elementos que uma excelente jornada do herói, no caso heroína, devem conter e muito mais. Iremos caminhar com Gabriella, com ela vamos nos angustiar, emocionar, teimar, conhecer, duvidar, desvelar, afrontar o desconhecido e até nos apaixonar...

Uma aventura renascentista entre médicos e curandeiros,
bordada com todos os tons da época.

Um caleidoscópio de sentidos, cheiros, sabores, sensações, é o que desfrutamos a cada novo capítulo curto, leve, efêmero como a vida, como a morte que Gabriella em sua atividade de médica e curadora desafia, ao registrar as doenças e suas curas no livro que carrega, juntando pedaços de esperança em um mundo que o simples fato de ser mulher já era uma afronta à Inquisição.

O Pai como representação do eu.

Na busca de seu pai perdido, Gabriella vai descobrindo aos poucos, que está em busca de si mesma, é a sua cura que busca na ênfase de curar ao outro, por que o outro é o si mesmo. Olmina e Lorenzo estabelecem as polaridades para a descoberta de seu equilíbrio e, neste ponto, suas escolhas irão levá-la à encontros e perdas, epifanias e silêncios, de sonhos proféticos a pesadelos agourentos, mas ela como toda grande heroína segue determinada em busca de seu centro, suas origens.

Cartas sensoriais, contos em forma de diagnóstico,
fragmentos do passado como receituário.

E um amor... UAU, dos sonhos... ahhhh mulheres...

Uma leitura para ser saboreada aos poucos, equiparando-se à mágica escrita de meu amado Italo Calvino, esse notável romance nos remete em seus belíssimos capítulos finais ao contexto de “O céu que nos Protege” de Bertolucci!

Inesquecível! Encontro com a “Arte”.
Regina é sem dúvida uma irmã da “tradição”.
Aventurem-se também.

Beijos Lunares!
Rosem Ferr:.

Resenha publicada no Blog Arquivo Passional em 09/08/2013.

site: http://www.arquivopassional.com/2013/08/resenha-o-livro-da-loucura-e-das-curas.html
comentários(0)comente



Saleitura 05/11/2013

Veneza, 1590. Gabriella Mondini havia perdido o marido, tinha um péssimo relacionamento com a mãe que não aceitava a forma como ela vivia, bem diferente das outras mulheres, e seu pai, o único que a entendia, que era seu tutor na medicina e com quem escrevia um livro sobre as doenças, havia partido há 10 anos e lhe escrevia de vez enquando.

"Ele era meu pequeno telescópio, minha lente de aumento, gentil, instrutor e médico austero”

Naquela época, para uma mulher exercer a Medicina, era necessário ter a supervisão de um homem. Com a partida de seu pai ficou sem ninguém e por isso o Conselho de Médicos de Veneza a proibiu de exercê-la. Gabriella decide ir em busca de seu pai usando suas cartas como pistas para encontrá-lo. Leva consigo Olmina, uma serva que na verdade foi a mãe que teve, que lhe amamentou e deu carinho, e seu marido Lorenzo, também servo. Dois personagens muito interessantes, diferentes e que vão ajudá-la a encontrar seu equilíbrio. Viajarão por muitos lugares e muitos personagens entrarão e sairão da história.

Em sua viagem nessa busca, Gabriella vai descobrindo muito mais do que poderia imaginar, há segredos de família, doenças e curas diversas, que ela vai anotando em seu livro e principalmente, vai em busca da própria cura, cura essa que ela acaba encontrando no amor.

"Alguns podem pensar que o vazio é algo oco, mas mão, é um fardo invisível, penetrante, atmosférico e quase esquecido, até que alguém seja golpeado inesperadamente por sua força."

Logo nas primeiras páginas vemos que não é um livro para ser lido rápido, é preciso um pouco de calma para ir absorvendo tudo que nos mostra. Quem está acostumado a só ler romances e aventuras, com certeza, vai estranhar a narrativa mais lenta. Linda capa, e história contada na primeira pessoa, o que gosto muito, pois me faz sentir mais perto da personagem e seus sentimentos.

"Algumas mulheres pensam no amor como algo em elevação, mas eu sempre o conhecera como decrescente, onde poderia perder a mim mesma ou ao meu amado. Um encantamento e depois a separação, pior do que a solidão original. Assim sendo, eu temia a felicidade."

Gosto muito de histórias de época e nessa podemos ver muitas das dificuldades que as mulheres tinham, principalmente ao abraçar profissões que deveriam ser exercidas apenas por homens. Apesar de achar que a história poderia ter rendido mais e o final, mesmo tendo gostado, poderia ser melhor, gostei muito. Sendo o primeiro livro da autora, está de parabéns e acredito que ótimas histórias poderão vir por aí.


Resenha feita por Luci Cardinelli
http://www.skoob.com.br/estante/livros/todos/377269/page:1

site: http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2013/11/resenha-de-o-livro-da-loucura-e-das.html
Maristela 08/12/2013minha estante
O título desse livro desperta uma curiosidade enorme. Porque livro da loucura e das curas? Espero que ao ler, eu encontre resposta para esse título. Gostei da resenha.


Pandora 08/12/2013minha estante
Livros históricos sempre me chamam a atenção, embora também me deixem com um pé atras... sinto por esse livro um misto de curiosidade e medo que me atraí para ele... Será que ganho?!?!


Cinthia 08/12/2013minha estante
Sempre quis ler esse livro e ainda não tive oportunidade. Por se tratar de um tabu de época, a mocinha não pode mais exercer sua profissão por causa do acompanhar de um homem, e as descobertas dela sobre ela e a família dela.


Rayme 09/12/2013minha estante
o livro parece ser ótimo e muito marcante
é difícil imaginar uma mulher submissa assim, sendo que hoje em dia a coisa é um pouco diferente...
ouvi falar isso mesmo: que o livro deve ser lido lentamente, pois ele é bem carregado.
pretendo ler ele sim, mas não sei quando. espero que em breve :D


Fernanda @condutaliteraria 09/12/2013minha estante
Esse livro me chamou a atenção desde o primeiro momento.
Gosto muito de histórias de épocas e gostei que esse mostra as dificuldades da mulheres tinham na época.


Cris 09/12/2013minha estante
Essa história parece ser muito forte. Eu também gosto muito de histórias de épocas, serve pra gente comparar os acontecimentos com os tempos atuais.


Thicy 13/12/2013minha estante
Na primeira vez que vi esse livro não fiquei muito interessada, mas depois de ler a resenha, acho que eu vou gostar de lê-lo!!


Gladys 26/12/2013minha estante
Esse livro dividiu as opiniões, só lendo para tirar as dúvidas.




Mallu 26/01/2014

Extravagante!
Confesso que a opinião do Publishers Weekly na capa do fundo do livro me chamou bastante atenção e foi o que me fez criar expectativas para com o livro.

“O romance de estreia de O’Melveny é uma composição lírica, parte epístola entre pai e filha, parte diário da aristocracia renascentista, um pouco guia de viagem para aventureiros e um pouco compêndio alegórico de doenças... Os leitores vão se deliciar com o estilo extravagante de Regina O’Melveny.”


Extravagante é apelido!

A capa é linda, a diagramação é linda, a ideia e a história são boas e até bastante originais... Mas o sentimento que eu tenho é que talvez, nas mãos de outro autor, ela fosse melhor desenvolvida.

Posso resumir a história de maneira breve: Gabriella mora em Veneza com a mãe e o seu pai a abandonou 10 anos antes do momento em que a história começa. Seu pai era médico e resolveu sair em busca de novas doenças e suas respectivas curas para completar um livro que está escrevendo, o "Livro das Doenças". Gabriella tem um estranho dom de cura, porém sem o pai como tutor ela não pode praticar a medicina. (Estamos no séc. XVI, completamente compreensível à proibição da participação das mulheres em algumas profissões.) Bom, o fato é que ela não quer ficar sem fazer o que mais gosta e decidi sair em busca do pai com seus dois criados, se guiando por meio de cartas que ela veio recebendo nesse tempo da ausência dele.

"Alguns viajantes gostam de ler sobre os locais que visitam, sobre os companheiros de estrada que fizeram registros agradáveis ou admiráveis. Outros gostam de ler o trabalho de pessoas famosas que moraram nesses municípios ou cidades nas quais chegarão. Outros ainda divertem-se com as histórias locais compartilhadas nas tavernas e estalagens. Eu lia e relia as cartas de meu pai para descobrir em que estrada ou cidade adiante poderia achá-lo.”


Existe num grande contexto histórico por trás e isso é a grande riqueza do livro... Você consegue ser transportado para a Europa de 1590. E passar por isso na pele de uma mulher (a narração é em 1ª pessoa) foi uma ideia ainda mais inteligente da autora.

Eu adorei o começo, mas confesso que depois de um tempo acaba ficando bastante maçante... O livro acaba pegando uma rotina e nada mais surpreende: Ela chega num lugar, acha um médico conhecido do pai, fica um tempo hospedada, eles conversam sobre o pai dela e é basicamente só isso. Cada capítulo é uma pista que não faz nenhum sentido e você não sabe onde exatamente a escritora quer chegar.

No decorrer da história, algumas coisas fantasiosas como algumas doenças que não existem, mas isso não interfere na essência da história. Não pode ser enquadrado no gênero de fantasia, por assim dizer. O final é um pouquinho previsível, mas não deixa a desejar!

Recomendo para quem tem paciência com narrativas longas e lentas, para quem tem interesse em histórias que se passam em um momento histórico ou para quem quer se distrair com uma leitura cheia de loucura e curas!

Aqui tem alguns trechos que me chamaram atenção:

"Se você não se livrar do passado, nunca mais terá uma vida no presente! (...) O amor precisa de uma terra queimada para receber as novas sementes."

"Alguns podem pensar que o vazio é algo oco, mas mão, é um fardo invisível, penetrante, atmosférico e quase esquecido, até que alguém seja golpeado inesperadamente por sua força."

"A escuridão não era ruim. Somente os homens a consideram assim. Meu pai se sentava no escuro para pensar, pois todas as criações têm início na sombra."

"Tornei-me tão transparente quanto o vidro através do qual espiava, perigosamente invisível até para mim mesma. Foi então que percebi que deveria colocar a minha vida em movimento, caso contrário, eu desapareceria."



site: http://livrocomdieta.blogspot.com.br/2013/10/resenha-o-livro-da-loucura-e-das-curas.html
comentários(0)comente



Val 15/06/2014

Livro "O Livro da Loucura e das Curas"
Gabriella é médica, e seu pai saiu de casa quando ela ainda menor, em busca de mais sabedoria sobre medicina. Agora, já maior, ela resolve ir atrás do pai, para trazê-lo de volta para casa!
O livro começa com um mapa mostrando a viagem que Gabriella irá enfrentar em sua busca. Todo o trajeto dea é retratado com muitos detalhes, cada pessoa que ela conhece, cada lugar que ela passa... O que foi um ponto bom para nos sentirmos mais na cena, mas ruim pois isso fez a estória ficar bem demorada e em certa parte do livro você se pega perguntando: "Qual era o propósito da viajem dela mesmo?".
O livro mostra bem como amulher na época tinha seus direitos restringidos, mas mostra Gabriella não tendo medo das consequências de suas atitudes.
O fim da estória me deixou bem surpresa, mas eu esperava mais. Esperava algo maior e que fosse ser bem diferente do que foi. Esperava encontrar algo grande, diferente, surpreendente..



Você já leu o livro? O que achou?

site: http://www.revistagalaxy.com/2014/06/resenha-o-lado-mais-sombrio.html
Andréia 17/06/2014minha estante
Adorei a resenha....esse livro é minha cara!!! Quero ler ele logo
Beijos


Beth 28/06/2014minha estante
Não sei se leria este romance agora. Ele me pareceu meio conturbado e chato. Vou pensar...


Julielton 08/07/2014minha estante
Livro de época?! Tem uma preguiça com livros com essa temática, geralmente eles se prendem muito em narrações desnecessárias para provar que realmente o tempo da história é algo em um passado remoto, as vezes se prendem na narração do figurino (Alma? - prova isso) ou mesmo em cenários e acontecimentos reais da época, e isso torna a leitura monótona e arrastada. Além disso, a resenha e a premissa de uma medica em pleno seculo 16 estabelece uma possível leitura agradável.




Bru_af 30/06/2013

Não sou de desistir de uma leitura facilmente, mas esse livro me decepcionou!! Pela resenha achei que iria encontrar uma semelhança com o Livro de Noah Gordon O físico, mas que engano!!!
Leitura truncada e que não progride, uma pena tinha tudo pra ser agradável e fluida!
Quem sabe numa segunda oportunidade!!!
comentários(0)comente



Fabi Brandes 16/07/2014

O Livro da loucura e das curas

Gabriella Mondini é uma mulher que, em pleno século XVI, sofre com as regras que a sociedade impunha na época. No cenário dramático, mas muito romântico de Veneza, a protagonista se vê perdida de tantas dúvidas e mediocridade, inclusive, da própria mãe.

Médica, ofício que aprendeu com seu pai, Gabriella vê seu mundo cair ao não poder exercer sua profissão pelo simples fato de ser mulher. Nasce aí uma garra em poder recuperar sua carreira e seu amor maior: a medicina. A personagem torna-se então, uma feminista para a época.

Não somente isso, a protagonista vai em busca não somente de seus direitos, mas também de seu pai, que saiu de cada há dez anos, e agora, somente manda cartas pelas cidades por onde passa. E ela resolve então, que deverá passar por essas cidades descritas nas cartas de seu pai.

O engraçado, é justamente isso: buscar uma pessoa que não quer ser encontrada.
Além da busca, cabe lembrar que o livro dança entre lugares magníficos, pessoas horrorosas e poemas belíssimos. Gabriella vive relendo as cartas de seu pai, para então, situar o leitor do que se passou com a família Mondini.

Num contexto geral, o romance de estreia da autora Regina O'Melveny é bem estruturado, e, embora seja destinado ao público mais maduro, pode ser lido e servir de reflexão para todas as idades.

Confesso que não é o tipo de leitura que me atrai, mas sim, é um livro que recomendo para quem gosta de romances de época, mas quem não lê romance de época por conta do vocabulário rebuscado, deve dar uma chance a esse livro, já que ele é de época mais possui vocabulário simples.

site: www.amoreselivros.blogspot.com
comentários(0)comente



Clara Beatriz 25/11/2013

Capa bonitinha, caixa bonitinha, brinde bonitinho (e delicioso - um pote tipo de remédios com um discos de chocolate, chamado Dulce Remmedio). Uma premissa interessante. Esse livro tinha tudo pra ser bem trabalhado, mas a autora se perdeu.

O pai da Dra. Gabriella Mondini sumiu. A moradora de Veneza cansou de esperar por respostas e de ter que tolerar os médicos da sua cidade. Decide partir e seguir os passos de seu pai, tentando descobrir o que, afinal, aconteceu com ele. O livro todo é a viagem dela, o que se tornou extremamente chato. Não havia um nó para ser solucionado, um clímax, nada. Um livro sem estória. Como isso é possível? Ela vai de um país a outro, viajando, se vestindo de homem, falando com pessoas que encontraram seu pai, tudo isso para um final totalmente sem sentido. Se o livro me decepcionou? Não sei se é a palavra certa, pois pela sinopse do Skoob, esperava também críticas à Igreja Católica, já que o tipo de Medicina praticada era diferente, quase como uma bruxaria, então não esperava amá-lo.

As únicas partes interessantes eram as que falavam sobre as doenças um tanto quanto diferentes, causados pela vinda de um tipo de Lua ou brisas, o que eu achei meio estranho, também. Definitivamente, era uma medicina mais puxada pra feitiçaria. Sem falar de que foi legal sentir o clima do Renascimento.

Bem, é realmente uma pena. Esse livro de 350 páginas poderia ter sido muito mais trabalhado. Mas como vi em um blog, é o primeiro livro da autora, então espero que ela desenvolva melhor futuramente.

site: http://maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br/2013/07/resenha-o-livro-das-loucuras-e-das.html
Alexsandra.Vieira 01/12/2015minha estante
Concordo com o seu comentário. Achei o mesmo e cansativo!




Samantha 25/07/2013

Samantha Monteiro - Word in My Bag
O mundo estava errado. Havia vazio por todos os lugares.

Gabriella Mondini é uma jovem veneziana com 30 anos que dedica-se à Medicina, seguindo a profissão do pai, em plena Europa do século XVI. Uma mulher ruiva que trabalha com ervas e curas neste período é vista como bruxa e herege. A avó da garota, que era parteira e entendia de ervas medicinais chegara a ser acusada de bruxaria.

O pai de Gabriella saíra de casa quando ela tinha 20 anos com o intuito de estudar sobre as doenças e suas curas, podendo assim concluir seu ambicioso livro, O Livro das Doenças.

Após esperar 10 anos pelo retorno do pai, aos consolos de cartas enviadas por ele durante este período, Gabriella resolve trazê-lo de volta para casa. Ela viaja com sua mãe de leite e atual criada, Olmina, e Lorenzo, esposo dela. Seguindo as pistas de seu paiatravés de suas cartas e amigos que fizera durante a viagem, Gabriella arrisca-se pelos Alpes da Suíça, pelos campos da Alemanha e Marrocos, encontra-se com os médicos e estudiosos mais renomados da Europa, aprende e ensina não apenas sobre cura, mas também sobre a vida.


A capa deste livro é muito charmosa, o título me ganhou antes mesmo de eu ler a sinopse.

Durante a narração em primeira pessoa é pessível deparar-se com a leitura de algumas cartas do pai de Gabriella e as anotações dela sobre as doenças. A jovem apresenta preferências por descrever as doenças da mente e da alma.

A escrita de Regina OMelveny é encantadora e chega a romantizar os pensamentos dos personagens, talvez por ela já ter habilidade com a poesia. De maneira envolvente, viajamos com os personagens às ruas lamacentas da Europa do século XVI, onde era comum o cheiro de corpos queimados devido a caça às bruxas. A estória poderia ser uma aventura épica, uma jornada inesquecível ou algo absurdamente grandioso, mas a autora nos deixa em uma narrativa realista mostrando os infortúnios e desprazeres de uma viagem naquela época. A mistura desde realismo descritivo com a visão romantizada quando se trata das ideias trouxe um ar ainda mais agradável à leitura.

Os personagens são bem construídos. Lorenzo, cheio de sabedoria popular e mestre no trato com os animais. Olmina, a ama que entende de ervas medicinais, sensível e sensitiva, dedicou sua vida a cuidar da menina ruiva. Gabriella, determinada, inteligente e apaixonada pelas coisas da vida.

É estranho como Gabriella permanece em um constante estado de negação quando o assunto é a duvidosa sanidade de seu pai, por mais que todos relatem acontecimentos e façam comentários a respeito da mente adoecida dele, a jovem insiste em não acreditar nisto.

O Livro da Loucura e das Curas é um bom livro, mas não supriu tudo o que eu esperava dele. Ao longo da leitura ele mostrou-se cansativo, talvez pelo ciclo dos acontecimentos (chegar em uma cidade, se hospedar, conhecer algumas pessoas, estudar um pouco, escrever, descobrir uma nova pista, algumas vezes com um pouquinho de confusão e, então, partir para outra cidade), mas o final é surpreendente.

site: http://www.wordinmybag.com.br/2013/07/o-livro-da-loucura-e-das-curas-regina.html
comentários(0)comente



Lore 09/03/2018

Que livro!
A meu ver, uma das questões mais interessantes do livro é perceber que a autora teve grande cuidado em pesquisar o contexto para construir sua narrativa. Nota-se isso através das diversas descrições: das paisagens (cidades, rios, montanhas, vilas, florestas, mar) nas diferentes estações do ano; construções das casas; práticas econômicas; a vida cotidiana nos diferentes lugares por onde a protagonista passa; as formas de viajar; os cheiros dos lugares; os sentimentos dos personagens e sua percepção sobre os lugares por onde passam; concepções sobre as mulheres; noções médicas da época e de quem praticava a cura no período; os centros de estudo da medicina na Europa e Norte da África, etc.

A forma como isso tudo é descrito é bem viva, permitindo um "mergulho nesse contexto"; a narrativa é construída tentando ao ritmo da vida na época. E isso é ao mesmo tempo um dos pontos positivos e negativos do livro. O início pode parecer um pouco cansativo, mas conforme as viagens vão ocorrendo, a narrativa vai ficando mais e mais interessante.

Outro ponto positivo é a tipologia das doenças e as concepções acerca de suas causas e formas de cura. Ao mesmo tempo que reconhecemos algumas enfermidades, também percebemos que muitas vezes a definição do que era doença e saúde no período era distinta da nossa.

Quanto ao lado negativo do livro, o que mais me incomodou foi o final. Um livro tão bom merecia uma conclusão mais bem feita. Tudo ocorre muito rápido, parecendo até o capítulo final de uma telenovela.

Com tudo isso, fiquei curiosa em saber qual a bibliografia consultada pela autora RS. Também senti falta de uma nota esclarecendo sua motivação em escrever o livro e a forma pela qual optou fazê-lo. Não sei se a edição original possui esses itens. Pesquisando no YouTube, encontrei uma pequena entrevista com a autora na qual ficamos sabendo alguns dos motivos que a levaram a escrever essa história - The Book of Madness and Cures exclusive author interview (https://www.youtube.com/watch?v=q4UvfODbW-Y).
comentários(0)comente



Resumo 22/11/2013

Resenha do blog Resumo de Letras
Por Luciana M.

Gabriella Mondini é uma médica no fim do século XVI que foi proibida de praticar medicina por ser mulher. Somando o fato de seu pai estar desaparecido, foram motivos o suficiente para ela fazer uma viagem a procura dele. Particularmente penso que o maior motivo foi a chatice de sua mãe, eu mesma já não aguentava mais essa mulher.

Gabriella era uma mulher muito forte, e à frente de seu tempo, pois mulheres médicas não eram bem vistas naquela época, mas ela era muito boa, só que não vi muito ela praticando durante a viagem. Enquanto ela escrevia o seu Livro das Doenças, ela relembrava pacientes que ela havia tratado, ou o pai, mas durante a viagem teve lugares que ela não podia dar as suas consultas, isso eu entendo, mas quando pôde, não houve muitos detalhes, tirando um paciente ou outro, todos os outros não receberam muita atenção. Eu senti falta disso na viagem. Pois teve muito enfoque nas horas que ela passou estudando para escrever sobre as doenças no livro, e a prática recebeu pouca importância.
Outra coisa que me incomodou, foi que demorou um pouco o começo da viagem, teve confusão logo no começo, e apesar das primeiras paradas terem parecido curtas, no livro parece que duraram mais que as últimas que tiveram meses de estadia.

Tirando isso, os lugares por onde Gabriella e seus fiéis empregados, o casal Olmina e Lorenzo passaram foram interessantes, deu para perceber o que cada lugar estava passando na época, por exemplo, caças as bruxas numa determinada cidade. Ver os lugares que se tinham um pouco mais de liberdade para viver. Pessoas interessantes que contribuíram para o conhecimento das doenças e das curas para Gabriella.

Não tem romance nesta história, porém não poderia faltar pretendentes a essa doutora, mas o foco ficou no objetivo da viagem, que era encontrar o seu pai. Eu gostei do desfecho do livro, acho que foi o mais adequado que poderia acontecer na época em que se passa.
Recomendo para quem gosta de ler histórias de época e para quem gosta de personagens fortes.

site: http://resumodeletras.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Nath @biscoito.esperto 15/08/2013

"E que vida vale a pena ser vivida quando nos afastamos daqueles que nos proporcionam amor e consolo?"
O Livro da Loucura e das Curas conta a história de Gabriella, uma mulher de 30 anos que vive na Itália e trabalha como médica no ano de 1590. No entanto, por ser mulher, ela está sendo impedida de praticar a profissão. Seu pai, também médico, está desaparecido há dez anos, tendo saído de casa para fazes pesquisas para seu livro, O Livro das Doenças, e mandando ocasionais e vagas cartas.

Cansada da censura que sofre, Gabriella decide sair em busca de seu pai Europa afora, apenas com a companhia de Olmina e Lorenzo, seus criados.

A cada cidade onde para, Gabriella acaba sofrendo acidentes, se hospedando em lugares peculiares, conhecendo pessoas mais peculiares ainda e escreve sobre doenças malucas que, para mim, poderia ser classificadas basicamente como fobias e doenças mentais no geral, sem tratamento possível com ervas. Não sou insensível à "magia" e ingenuidade científica da época, só estou falando. As doenças, com nomes pomposos, poderiam ser simplesmente "claustrofobia" ou "antropofobia".

Achei as viagem de Gabriella interessantes e os personagens, tanto médicos como estudantes, tanto mendigos como comerciantes, muito interessantes e até divertidos em alguns momentos. A angústia, amor e saudade que Gabriella sente são palpáveis, e achei muito importante ressaltar que mesmo vivendo literalmente como homem em vários momentos, Gabriella tem seu lado sensível e feminino, que busca pelo pai e pelo direito de ser feliz.

Mas ainda acho que faltou algo, um climax. Mesmo o final feliz não me convenceu. Eu queria algo, ação, qualquer coisa, mas não houve nada. O livro é lindo, emocionante, mas em alguns momentos se torna maçante. No entanto eu recomento a leitura para qualquer um que aprecie um bom drama, que não goste de supresas, e que goste de romances de época.

"Alguns podem pensar que o vazio é algo oco, mas não, é um fardo invisível, penetrante, atmosférico e quase esquecido, até que alguém seja golpeado inesperadamente com sua força".

site: www.nathlambert.blogspot.com
Pekena Val 29/11/2016minha estante
Tb n gostei desde livro Nath!!!




Priscila 26/06/2015

O Livro da Loucura e das Curas
Resenha:
Livro: O Livro da Loucura e das Curas
Autor: Regina O' Melveny
Edição: 2013
Paginas: 352
Editora: Novo Conceito

O Livro da Loucura e das Curas, um belo dia chego na Livraria Curitiba aqui no Shopping Aricanduva em SP e vejo uma super promoção de livros como não conhecia os títulos parti da primeira impressão A Capa "Nossa que capa Linda", ai foi ler a sinopse e pronto esse eu vou levar Também kkkk. Escolha muito bem sucedida o livro é muito bom e nos conta a historia de Gabriella Mondini uma mulher em pleno século XVI, numa sociedade onde as mulheres não tinham Voz, mora em Veneza com seus Pais.
Ela é Médica, paixão que aprendeu com seu pai, Gabriella Se vè perdida ao descobrir que em uma das cartas de seu pai que ele não voltaria nunca mais para casa e com a noticia do conselho de Médicos de que ela não pode exercer sua profissão por ser mulher. Começa ai a sua luta em busca de seu pai e do direito de exercer a Medicina, carreira que escolheu anda menina e que é seu amor maior.
E ela resolve então, que deverá passar por todas as cidades descritas nas cartas que pai lhe escrevera, mesmo que nestas ele tenha dito para não mandar ninguém procura-lo
Em sua viajem cheia de dificuldades, ela sempre re-lê as cartas do pai, e com isso nos ajudando a entender o que se passou com a família Mondini.
O romance de estreia da autora Regina O'Melveny é bem estruturado, com momentos de drama,romance e reflexão
É um livro que recomendo para quem gosta de romances de época, e uma boa dose de mistério, pois nos envolve de uma forma que é impossível parar a leitura. Muitos mistérios envolvem a Família de Gabriella e a cada capitulo uma surpresa e com um final que eu não esperava e que realmente amei.


site: www.leituraecia.com.br
comentários(0)comente



Vanessa Sueroz 29/10/2013

Neste livro conhecemos Gabriella Mondini, uma médica impedida de exercer sua profissão, guerreira, batalhadora e aventureira. Adivinhem porquê? Porque ela é mulher. Gabriella vive na Itália no século XVI, época que sabemos que existia muito preconceito contra a mulher, o que se desenvolve toda a trama do livro.

“Tornei-me tão transparente quanto o vidro através do qual espiava, perigosamente invisível até para mim mesma. Foi então que percebi que deveria colocar minha vida em movimento, caso contrário, eu desapareceria.”

O pai de Gabriella também era médico, daí a paixão da moça pela medicina. Ele foi seu pai, seu tutor, seu professor e lhe ensinou tudo que sabe, porém o mesmo está ausente em sua vida no momento, ele embarcou para uma viajem longa tentando conhecer e catalogar outras doenças e Gabriella para a sua infelicidade recebe uma carta do pai que comunica que não irá retornar a família, o problema fica ainda pior para Gabriella, porque sem o pai por perto ela não é mais considerada médica pela sociedade e por todos os problemas que tudo isso causa ela parte em busca do pai tentando convencê-lo a voltar para casa.

Resenha completa:

site: http://blog.vanessasueroz.com.br/o-livro-da-loucura-e-das-curas/
comentários(0)comente



38 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3