Fantastical

Fantastical Kristen Ashley




Resenhas - Fantastical


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Lorena 28/02/2015

4,5
comentários(0)comente



Day 13/05/2017

"Caraca, tão incrivelmente legal"
Aaaaaaaaah que delícia de livro!
Nossa, to apaixonada por essa série, totalmente!!!
Eu amo que essa autora usa palavras tão do meu dia a dia, que me sinto dentro do livro dizendo palavrões e surtando pra caramba o tempo todo com gírias.
Amei a Cora, ela foi a mais fofa e inocente, do coração sensível, quando ela chorava eu sentia a dor dela tb, tadinha!
E o Tor, ESSE HOMEM É A PERFEIÇÃO! Apaixonei por ele demais, demais!
Amei que a trama se deu nos dois mundos e ver o Tor tirando de letra, ah que homem Divo, lindo, príncipe fodão!
Amei esse terceiro livro de Fantasyland, já to desesperada pelo próximo, Apolo *----*
Vai ser demais ver que quem "odeia" nesse, é a mocinha.
E vem Tretas por ae com bruxas malditas, Baldur FDP e uma Coracobra egoísta, socorro, já quero ler todos!
Ps1: quero um Salem pra mim!
Ps2: quero mais do Noctorno do mundo sem fantasia... Amei ele!
Ps3: Cadê o Meu Dax Lahn do mundo real tb? Quero!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



flaflozano 06/07/2019

A litlle taste
De toalha, ele caminhou para o pátio e, juro por Deus, parecia diretamente saído de um filme, com o quarto cheio de velas atrás dele, as finas cortinas azuis que esvoaçavam com a brisa leve e ele sendo tão sexy.
Lutei para encontrar minha voz, a encontrei e perguntei:
?Onde é que você tomou banho?
Sua cabeça se sacudiu e notei, tardiamente, que ele estava olhando muito atentamente para o meu corpo e minhas palavras o arrancaram de um devaneio.
Seus olhos desviaram para o meu rosto, e respondeu: ? Meu banheiro.
?Você tem um banheiro? ? Perguntei quando ele se aproximou.
?Sim.
?É em outro lugar do castelo? ? Perguntei, pensando que era estranho e também pensando nele andando pelos vastos salões da sua casa só de toalha e deixando empregadas desmaiando em seu rastro.
?Não ? respondeu, parando na minha frente, as mãos grandes indo até a minha cintura. ? Tenho uma casa de banho privativa e você tem uma casa de banho privativa. Elas são separadas. Usei a minha? ? seus olhos deslizaram sobre o meu cabelo molhado ? e, aparentemente, você usou a sua.
Nós dois tínhamos nossas próprias casas de banho? Uau. Demais!
?Legal ? sorri para ele.
Suas mãos deslizaram até as minhas costelas.
? Você comeu?
?Sim, e você?
?Sim.
?A comida estava realmente boa. ? Informei a ele.
?Excelente ? respondeu. ? Agora, suba na minha cama.
Pisquei. ? O quê?
?Se não quer que eu a tome na varanda, precisa levar, agora, essa sua bela bunda para a minha cama.
Minha barriga tremeu e meus joelhos ficaram fracos. Oh, oh.
?Tor ? sussurrei e seus dedos roçaram as minhas costelas enquanto seu corpo se aproximava um centímetro.
?Agora, Cora ? ordenou em voz baixa.
?Humm?
?Eu disse agora.
Apoiei minhas mãos levemente nos seus bíceps e sugeri:
?Acho que, talvez, devemos tomar alguns momentos para discutir onde isso vai dar, humm? entre você e eu e todas as ramificações disso, humm? considerando, você sabe, que eu posso ser catapultada de volta ao meu mundo, a qualquer momento.
?E, querida, acho que você deve decidir o quanto gosta dessas encantadoras roupas que está usando, pois, se não se mover em direção à minha cama em três segundos, enquanto as despe, estarei rasgando-as de você.
Calor inundou minhas bochechas e entre as minhas pernas.
Oh, oh!
?Tor ? sussurrei, ? Isso está ficando complicado. Nós precisamos conversar.
?Um.
Oh, céus.
?Querido, podemos estar fazendo uma enorme?
?Dois.
Olhei para ele e soube pelo olhar determinado em seu belo rosto que estava, bem? determinado.
E eu tinha uma forte suspeita de que quando o príncipe Noctorno estava determinado a conseguir alguma coisa, ele conseguia.
E isso me incluía.
E por mais que tentasse, naquele instante, depois dos últimos quatro dias, não poderia encontrar forças em mim para não dar isso a ele.
Portanto, implorei: ? Por favor, não rasgue as minhas roupas. Eu gosto muito delas.
?Três ? respondeu, me preparei, mas ele não rasgou as minhas roupas. Abaixou um ombro, então fui levantada e ele estava marchando para a cama.
Oh, Deus. Agora, o que eu fiz?
Tinha que pará-lo, a fim de definir algumas regras básicas.
Não lutei, mas passei os dedos ao redor da cintura dele.
Deus, sua pele era suave, mas seus músculos eram duros e ele era quente por toda parte.
Merda!
?Não tenho certeza que estou pronta para isso ? disse para as suas costas.
?Não se preocupe, amor, vou deixá-la pronta. Oh, Jesus.
?Acho que nós deveríamos? oh!
Gritei porque me jogou por cima do ombro e caí de costas nos lençóis aveludados da cama macia.
Ele se elevou sobre mim, imóvel como uma estátua, exceto pelos olhos que viajaram pelo meu corpo, seu olhar queimando minha pele como se fosse uma coisa física.
Oh, Deus, eu estava em apuros.
?Tor.
?Tire o robe ? ordenou.
Minhas sobrancelhas se juntaram. ? Meu-? ? Comecei a perguntar.
?Tire, Cora, ou eu vou tirar e não vou ser gentil.
Caraca.
Me apoiei nos cotovelos.
? Tor!
Ele tirou a toalha de banho.
Comecei a hiperventilar.
Não estava errada. Ele tinha coxas magníficas. E havia algo mais sobre ele que também era magnífico. Tão grande, que só de olhar para ele em toda a sua glória, esqueci que estava nervosa, com medo ou querendo saber qual futuro estava à minha frente.
Só queria tudo aquilo para mim.
E ia conseguir. Soube disso quando ele caiu para a frente, esticando o braço para controlar sua queda, apoiando a mão ao meu lado, aterrissando a maior parte do corpo em cima de mim.
Mas manteve o corpo afastado e fez isso para desatar a faixa de cetim do meu robe, dando um puxão não muito suave que sacudiu meu corpo inteiro com ele.
O calor entre as minhas pernas se intensificou e fiquei molhada.
Ou mais molhada ainda. Oh, Deus.
?Humm? ? comecei.
?Quieta ? ordenou, empurrando o robe para o lado.
?Acho que? ? tentei de novo.
?Quieta ? ele repetiu, em seguida, puxou a camisola para cima.
Oh? meu.
?Humm?
Ele se acomodou em cima de mim.
?Não gosto desse cheiro ? grunhiu, uma mão deslizando pelo meu lado. ? Isso me lembra quem você costumava ser. Troque-o.
?Uh, tudo bem ? sussurrei e estremeci.
?Coloque suas mãos em mim ? ordenou, o joelho pressionando entre as minhas pernas.
Oh, meu!
?Humm, certo ? sussurrei de novo e deslizei as mãos até os seus braços e ao redor dos seus ombros.
Deus, ele era bom.E seu cheiro era muito bom, também.
Sândalo.
?Você tem um cheiro bom. ? Estava sussurrando, mas ele não respondeu.
Ele olhou enquanto sua mão se movia sobre as minhas costelas, começou a subir, prendi a respiração, então mudou de direção e deslizou para baixo da minha barriga.
Minha respiração saiu em um só fôlego e então ficou rápida, irregular e pesada.
Eu o queria. Agora. Deus, de repente, ansiava por ele. E nem mesmo teve que me beijar.
?Tor ? sussurrei, seus olhos vieram até os meus e eram abrasadores.
Comecei a ofegar.
?Se você não estiver molhada, neste instante, eu vou saber ? grunhiu, a voz mais profunda, áspera, rouca.
?Você vai saber o? o quê? ? Gaguejei.
Seus dedos deslizaram para dentro da minha calcinha, deslizando direto através do meu calor.
Meu pescoço arqueou, minhas costas arquearam e agarrei os ombros dele com os meus braços.
?Deuses ? ele gemeu, pressionando o pênis duro contra a minha coxa. ? Encharcada.
Os dedos de uma das minhas mãos deslizaram para o seu cabelo e arqueei contra a mão que estava no meio das minhas pernas, enquanto inclinava meu queixo para baixo e tentava focar nele.
?Preciso de você ? arfei.
Seus olhos brilharam. ? Agora?
Balancei a cabeça. ? Agora.
Ele não precisou de mais nenhum estímulo. Rolou um pouco para o lado e tirou a minha calcinha. Então deslizou para baixo, abri as pernas enquanto isso, e seus quadris abaixaram completamente. Levantei os joelhos, suas mãos ergueram os meus quadris, sua boca veio até a minha, não para me dar um beijo, mas parecia mais íntimo ter sua respiração pesada e quente se misturando com a minha e, então, senti a ponta dele.
Em seguida, o empurrou. Oh, meu Deus.
Mágico.
Eu o puxei para mais perto e arqueei as costas novamente, sussurrando: ? Sim.
Ele me montou, me penetrando profundamente, as estocadas rápidas, ritmadas, fantásticas e, além disso tudo, seus olhos estavam fixos nos meus, os lábios a um sussurro de distância, nossas respirações se misturando.
Movi as pernas, pressionando meus calcanhares nas suas costas para levantar meus quadris e ter mais dele, firmando meus braços nos seus ombros, minha mão agarrando seu cabelo. Não conseguia desviar meu olhar da beleza dos olhos dele e não queria.
?Caramba, você é primorosa ? murmurou, me erguendo mais ainda, empurrando com mais força, penetrando mais profundamente.
?Oh, meu Deus ? sussurrei diante das suas palavras e suas estocadas fizeram meu sexo começar a convulsionar.
Ia gozar agora mesmo.
?Caramba ? resmungou.
?Tor?
?Goze para mim, Cora.
Oh, ele ia conseguir isso, certamente.
?Tor! ? Gritei.
?Goze para mim, é meu por direito ? grunhiu, tirando uma mão do meu quadril para segurar a parte de trás do meu cabelo.
Gozei para ele, que estava certo, dias antes.
Foi uma explosão. Um orgasmo com um poder que nunca tinha experimentado antes. Não havia nenhuma maneira de descrevê-lo. Queimou através de mim tão completamente, que estava acabada e não dava a mínima se seria aniquilada por um orgasmo.
Gritei bem alto e o agarrei com cada músculo do meu corpo, meu pescoço arqueando e, em seguida, lançando meu rosto para a frente. Enterrei-o no pescoço dele e gemi através do prazer.
Quando terminou, ele puxou meu cabelo suavemente, minha cabeça caiu de volta na cama, seus olhos encontraram os meus novamente e continuou se movendo dentro de mim, sua respiração áspera e dura, forçando os músculos do pescoço.
Levantei a cabeça novamente e o beijei, deslizando minha língua para dentro, dando a ele tudo o que tinha, para tentar retribuir um pouco do que ele tinha acabado de me dar.
Seu profundo gemido de prazer entrou na minha garganta enquanto seu pênis me penetrava.
Inacreditável!
Ele assumiu o controle do beijo, suavizou-o enquanto deslizava para dentro e para fora lentamente, em seguida, seus lábios deslizaram pelo meu rosto até o meu pescoço, em seguida, beijou minha orelha e me penetrou profundamente, mas parou de se mover dentro de mim.
?Continuando a sua educação, querida, é assim que uma princesa deixa seu marido fodê-la ? murmurou no meu ouvido, meu corpo lânguido, quente e feliz se acalmou sob o peso do dele, também quente, e em seguida comecei a rir.
Senti sua boca se afastar do meu ouvido e acalmei minha alegria quando senti a mão no meu rosto, o polegar
acariciando minha bochecha. Meus olhos se abriram para ver a boca se curvando em um pequeno sorriso, sexy e satisfeito, e seus olhos eram abrasadores.
Deus, oh, Deus, isso estava acontecendo. Tudo. Tudo
isso.
Eu estava me apaixonando por um príncipe de conto de
fadas.
Merda.
Para disfarçar o meu pânico, sussurrei: ? Gosto do seu castelo.
Seu pequeno sorriso ficou maior.
? Fico feliz.
?E gosto dos seus aposentos.
?Fico feliz com isso também.
Então, me toquei.
Este era o agora. Era o meu agora. E era um agora mágico.
E, foda-se, ia aproveitar e me preocupar com o mais tarde? mais tarde.
Prendi a respiração, em seguida, brinquei: ? Sabe, estou sempre pronta se tiver qualquer instrução adicional sobre como ser uma princesa para me transmitir?
Seu sorriso se tornou suave e tão sexy, que o senti em todos os lugares.
?Bom saber ? murmurou.
?Aprendo rápido ? prometi.
?Percebi isso.
?E é importante, já que sou uma princesa, que eu saiba tudo sobre ser princesa.
Tor não respondeu, apenas roçou o polegar sobre o meu lábio inferior.
Bom.
?E ? continuei ? é importante que eu aprenda a fazer as coisas direito.
?Sou um professor paciente ? me informou.
?Você não pareceu tão paciente há dez minutos.
Suas pálpebras baixaram enviando aquele olhar sexy e sem comparação, em seguida, abaixou a cabeça e roçou sua boca contra a minha, mas não afastou os lábios quando falou.
?Vou ser mais paciente da próxima vez.
?Próxima vez?
?Sim, da próxima vez, ? respondeu, se virou, então estava de costas e eu em cima dele, sua mão foi até o meu cabelo, que caía ao lado da minha cabeça, deslizando-a para que os seus dedos envolvessem a minha nuca e colocou pressão sobre ela, trazendo o meu rosto mais perto do dele ? o que começa exatamente? bem? ? meus lábios tocaram os dele ? agora.
Então, me beijou.
Então demorou bastante tempo me mostrando uma outra maneira de ser a melhor princesa que eu podia ser.
E foi incrivelmente mágico.
comentários(0)comente



Mands 04/02/2020

AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
Kristen Ashley é incrível e só escreve livros incríveis e maravilhosooos!!!!!
Leria qualquer coisa que ela escrevesse
comentários(0)comente



R.Alice 11/04/2020

Agradável
Um livro de leitura rápida e fácil, personagem principal foi de longe a mais chatinha das 3 kk?k porém não é uma coisa que impeça a leitura, foi uma boa leitura um bom livro mais nada que se compare com as outras histórias da saga.
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6