Cinder

Cinder Marissa Meyer


Compartilhe


Resenhas - Cinder


159 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Jéssica || @luadelivros 27/01/2019

Cinder
💬 Cinder é uma Ciborgue. Após um acidente com um aerodeslizador precisou ser submetida a uma cirurgia que substituiu varias partes do seu corpo por peças mecânicas e, por esse motivo, é considerada uma aberração. ⠀

💬 Porém após o destino cruzar a sua vida com a do príncipe Kai e ser acusada pela madrasta de ser a responsável por uma doença letal que afligiu sua meia-irmã, a vida de Cinder tomará um rumo que ela jamais sequer se permitiu imaginar.⠀

• A história é muito leve e a narrativa é fluida. Apesar de ser um reconto de “Cinderela”, o plot é completamente diferente, mantendo poucos elementos de fundo da história que já conhecemos. ⠀

• Gostei muito da construção do mundo dessa história e amei odiar a vilã (😂). ⠀

• Apesar de ter pego um BAITA spoiler do final do livro, não tive a minha experiência de leitura comprometida. Não fui surpreendida, mas foi muito legal acompanhar a trajetória da personagem até a revelação final. ⠀

• Estou bastante curiosa para ler a sequência e descobrir como a autora vai conectar a historia dos personagens, já que o segundo volume, aparentemente, vai contar a história de outra personagem. ⠀

• “Cinder” é uma história envolvente, com as doses certas de mistério e romance, e que quando você terminar, será impossível não desejar o segundo livro.

site: http://www.instagram.com/luadelivros
comentários(0)comente



Camila Justi | @JustiBooks 14/01/2019

Cinder
Cinder é uma ciborgue e trabalha como mecânica no mercado de Nova Pequim. É a melhor no que faz por entender como os sistema dos robôs funciona. ⠀⠀⠀⠀
Órfã, ela mora com sua madrasta e as duas meio-irmãs e não sabe quase nada do seu passado.⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀
Quando o filho do Imperador, príncipe Kai, leva sua androide pessoal para o conserto na oficina de Cinder, as coisas deixam de se tornar monótonas e um turbilhão de acontecimentos vai surgindo na história.⠀
⠀⠀⠀⠀
Uma peste chamada Letumose assombra a população e a vítima mais recente foi Peony, a irmã de Cinder. Sua madrasta acaba enviando Cinder ao laboratório para servir de cobaia para os testes da peste que são feitos em ciborgues voluntários. Lá ela conhece o Dr. Erland que ao testar seu DNA descobre coisas surpreendentes. ⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀
💬Muito mais do que um reconto de fadas, essa leitura é uma mistura de muitos gêneros em um livro só. Temos uma pitada de romance, mistério, fantasia e ficção científica. Cinder é o tipo de personagem fácil de se apegar e torcer para que seja respeitada e reconhecida. Príncipe Kai é gentil e preocupado com o bem de seu povo. Além de protagonistas maravilhosos, a autora criou um universo bem diferente do que estamos acostumados a ver mas que é fácil de compreender. Um livro viciante, fluído e que deixa aquele enorme gancho para o próximo que é Scarlett. Recomendo muito! ⠀

site: https://www.instagram.com/justibooks/
comentários(0)comente



Jully 13/01/2019

Cinder é a tipica gata borralheira, uma excelente e dedicada mecânica que sustenta a madrasta e duas duas meia-irmãs. Uma ciborgue de passado misterioso que vive num mundo dividido onde muitos humanos menosprezam e humilham pessoas como ela, por serem considerados inumanos. Do dia para noite sua monótona vida dá uma guinada, aparece em sua oficina um jovem e encantador príncipe com seu androide quebrado, sua meia-irmã mais nova adoece com uma enfermidade incurável, sua madrasta a culpa por isso e agora ela tem que ser cobaia de um experimento que promete revelar muito do obscuro passado.

Texto completo no blog

site: https://comentandolivroslidos.blogspot.com/2019/01/cinder.html
comentários(0)comente



Nanda {@talvezumaleitura} 17/12/2018

Cinder
Pelas estrelas o que foi esse livrooooo???!!!! SOS que mundo, já apaixonada! Querendo mais...
comentários(0)comente



Man 20/11/2018

O livro é legal, foi difícil visualizar esse mundo, os ciborgues e androides, mesmo tendo visto vários filmes.
Gostei de ver a Cinderela não tão submissa, gostei de saber que ela ter vários defeitos visíveis, faz parecer mais real.
Achei bem parado o livro, logo no começo você descobre que Cinder é a princesa, não teve nenhum suspense em relação a isso, mas lá no final as coisas ficam mais emocionantes, mas tb não tão arrebatador, só emocionantes.
Espero muito que o segundo livro seja melhor.
comentários(0)comente



Suellen vieira 27/09/2018

Cronicas Lunares: Cinder
Cinder tem uma historia interessante, a ideia de cyborgues, humanos e Lunares é diferente dos outros livros de distopia que conhecemos, como Legend, Divergente ou Jogos Vorazes, a critica em relação ao preconceito muito forte, afinal a forma como a personagem principal Cinder se via, ou a forma como as pessoas viam e tratavam os cyborgues era de forma excludente, como se os humanos fossem superiores aos robôs, sem falar dos Lunares, visto como as piores pessoas do universo levanta a historia, porem as viradas que ocorrem são previsiveis você consegue descobrir antes da virada acontecer, o que torna esse livro, na minha opinião inferior as distopias ja citadas.
A Historia fala sobre Cinder, que vivem em um mundo dividido entre cyborgus e humanos e Lunares, em que os lunares tem poderes especiais e estão querendo declarar guerra a terra, para dominar o mundo e por isso o imperador da terra, Kai esta tentando um acordo com os Lunares para evirar que isso aconteça, do outro lado, depois que a filha dos donos de Cinder fica doente, a sua vida muda e ela passa a lutar por sua sobrevivência.
comentários(0)comente



50livros 19/09/2018

Livro bom para imaginar o futuro
Muito já tinha ouvido falar desse livro, mas sempre via ele lá no Kindle Unlimited e acabava não pegando para ler. Por conta do projeto da Bienal e da Fantastona 2018, acabei colocando ele na TBR. Não me arrependi nem um pouco.

Lembra o que eu disse a respeito de Corte de Espinhos e Rosas, sobre o problemas de se recontar uma história e ela acabar usando muitos elementos manjados? Te garanto que Cinder não cai nesse buraco. Com elementos originais e uma boa narrativa, o livro consegue ser excepcionalmente original.

O enredo mistura elementos de diversos gêneros literários, como distopia, fantasia, romance, young-adult e até ficção científica e conto de fadas. Essa união de conceitos tão heterogêneos funciona tão bem que chega a ser impressionante.

Há um romance minúsculo no livro que eu mais consideraria crush do que realmente uma história de amor. A fantasia é algo mais para aproximar da real história recontada do que realmente ser uma fantasia. A ficção científica é o que realmente chama a atenção e de uma maneira muito positiva.

Lógico que o livro tem clichês, afinal de contas, é um YA baseado em uma história muito conhecida, mas nem assim deixa de surpreender. Me vi envolvida 100% com a trama, além da escrita da autora ser incrível e muito sensorial, toda a angústia que a personagem principal passa, a Cinder, você consegue sentir na pele enquanto lê. Deixou meu coração apertado uma centena de vezes, só que sem perder a atenção do leitor. Um trabalho incrível.

Ah, e temos representatividade nesse volume! Toda a história se passa em uma cidade chamada Nova Pequim, a capital de um conglomerado de antigos países e povos orientais. Ou seja, a cultura é bem oriental e os personagens de apoio são de fenótipo oriental (tirando Cinder). Apesar de não ficar exatamente claro, a nem menção dos Estados Unidos já cria um ambiente completamente novo para o leitor. Super ponto a favor para a autora.

"Cinder" foi uma leitura deliciosa, cheia de surpresas e que me cativou intensamente. Com certeza lerei os demais volumes da série.

site: www.50livros.com/single-post/2018/07/10/RESENHA-de-Cinder-Série-Crônicas-Lunares-de-Marissa-Meyer---PROJETO-PREPARADA-PARA-A-BIENAL-e-FANTASTONA2018
comentários(0)comente



Mayhara 14/09/2018

Interessante!
É mais uma mistura de Cinderella com Sailor Moon, logo no começo peguei nuances de Sailor Moon, até que eu li no final que a autora era fã do anime.

É uma releitura não tão releitura assim, você pega algumas semelhanças mas nada de muito importante. Assim como em Corte de Espinhos e Rosas, a importância da história não está no conto original, mas sim no mundo criado pela autora e suas ramificações.

Confesso que me incomodei um pouco pelo fato da Cinder ser uma ciborgue é bem fora do padrão, talvez seja isso que deixa a história tão interessante.

Infelizmente não consegui distinguir muito da personalidade da Cinder ou do Kai, mas poxa vida, amei o Dr. Erland (e não é pq o primeiro nome é Dimitri, juro), é um personagem secundário muito bem explorado.

Estou ansiosa pelas continuações, que pelo que percebi serão novas releituras e sequencia dessa história. Dá um medinho, pela bagunça que pode virar...mas, a premissa é muito massa!
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 06/09/2018

Cinder
Esse é o segundo contato inspirado nos contos de fadas que tenho esse ano. O primeiro foi com a Saga das Encantadas, e posso dizer com certeza que um não tem nada a ver com o outro. A Saga das encantadas vai recontar a história tradicional mudando algumas coisas, já a série das Crônicas Lunares, vai se inspirar na história, usando apenas os elementos principais, mudando completamente o contexto e o background.

Fui com muitas expectativas pra esse livro e curti bastante a leitura, porém tenho uma ressalva muito importante. O livro possui 450 páginas e eu, juntando as pontas, já na página 100/130 tinha sacado toda a moral da história, o que fez com que as mais de 300 páginas restantes parecessem bem desnecessárias.

Eu entendo que era preciso desenvolver e explicar melhor a história, mas não eram necessárias 450 páginas pra isso. Então, apesar de história ser super legal e o livro fluir super bem acho que peca um pouco na enrolação, já que saquei logo nas primeira páginas a revelação que só vai aparecer nas últimas 50. Fora isso, super recomendo o livro e é claro que não sei se todo mundo vai juntar as peças logo no início também, então vai do quanto a pessoa está mergulhada na história.

Scarlet já saiu aqui no Brasil, assim como Cress. Quero muito ver como a autora vai juntar e intercalar as histórias e ainda manter a trama interessante.

site: http://resenhandosonhos.com/resenha-cinder-marissa-meyer/
comentários(0)comente



One Books Oficial 05/09/2018

#ResenhaOneBooks
?Uma garota. Uma máquina. Uma aberração.?

Em uma recontagem da Cinderela com uma inovada total no plot twist, Marissa Meyer nos apresenta um livro diferente, divertido e muito envolvente.

Cinder é uma garota de 16 anos e é a melhor mecânica da cidade de Nova Pequim, mas o seu maior segredo é que ela é uma ciborgue.
Em uma nova era, num mundo pós quarta guerra mundial, onde os humanos convivem com ciborgues e com androides, com o governo ameaçado, pois o Imperador Rikan pegou uma grave doença, a Letumose, uma febre azul que é a epidemia mundial, que passa por diversos estágios até que leve a morte. Uma cura está sendo testada, e os ciborgues são os únicos voluntários.

Mas Cinder não quer ser voluntária, até que sua meia irmã Pheony e única amiga humana é afetada pela doença e a guardiã de Cinder acuse ela em causar a doença na irmã e por ser sua guardiã legal a envia para ser voluntária, querendo ou não, ela pertence a Adri ? sua madrasta.


Um dia Principe Kai vai até a vila disfarçado e pede que Cinder consegue seu androide real, um androide que contém informações preciosas.
E com a ida de Cinder para o laboratório do Dr. Erland que fica dentro do palácio, ela começa a conhecer mais sobre si mesma, mas as coisas são bem mais complexas que ela poderia imaginar, e isso pode significar uma guerra política e intergaláctica.
Mas além de tudo isso, ela vai travar uma guerra contra si mesma e os novos sentimentos crescendo dentro dela, inclusive se tratando de um certo príncipe.


Gente, que livro! Um enredo completamente envolvente, que mistura ficção cientifica, distopia e fantasia em um só livro. Além de ser uma viagem futurística, onde carros são sucatas ultrapassadas e aerodeslizadores são o atual meio de locomoção. O que me surpreendeu foi a politica retratada de forma tão ultrapassada por ser um livro futurístico, e me incomodou um pouco que o romance foi deixado bem de lado para poder entrar bastante no novo universo criado e isso deixou um pouco a desejar.
Com uma escrita fluida e em 3ª pessoa, a autora intercala a narrativa com alguns personagens principais nos permitindo conhecer melhor suas versões e isso fez muita diferença na leitura.
O livro foi incrível e me apaixonei por Cinder e Kai, mas o final me decepcionou um pouco, acredito que por haver continuações a autora deixou bem aberto o ? final ? e só posso dizer o quanto estou ansiosa pelos outros livros da serie. Mas eu indico muito, principalmente pra quem gosta de todos os elementos que citei na resenha.
comentários(0)comente



Carol Santos 19/08/2018

Que surpresa foi esse conteúdo!
Antes mesmo de começar Cinder, tinha altas expectativas sobre a história e Marissa Meyer conseguiu cumprir todas. A mistura de distopia com contos de fadas dá certo e nos deixa antenados com o enredo, fazendo com que ele flua de maneira rápida e de modo que queremos ler mais. Dei o pontapé inicial para a série Crônicas Lunares.

Cinder não caberia em um vestido de baile, de qualquer jeito. Mesmo que encontrasse luvas formais e sapatos em que pudesse esconder suas monstruosidades de metal, seu cabelo sem graça nunca iria segurar um cacho, e não sabia nada sobre maquiagem. Ela acabaria ficando fora da pista de dança, tirando sarro das meninas que desmaiavam para chamar a atenção do príncipe Kai, fingindo que não estava com ciúmes. Fingindo que não a incomodava. E, agora, o príncipe a conhecia, mais ou menos. Ele tinha sido gentil com ela no mercado. Talvez ele a chamasse para dançar. Por educação. Por cavalheirismo, quando a visse sozinha. Essa fantasia desmoronou tão rapidamente quanto tinha começado. Era impossível. Não valia a pena pensar. Ela era um ciborgue, e nunca iria ao baile.

Parado na minha estante desde 2016, aproveitei a vinda da autora para a Bienal e li o primeiro volume. E que surpresa! Temos um desenvolvimento que mistura elementos como fantasia, contos de fadas e romance de forma que todo o conteúdo fica interessante. Traz as informações necessárias para o entendimento do universo criado, e a sutileza que o conto Cinderela está inserido é sensacional. É nítido as cenas que mostra de onde foi baseado mas ao mesmo tempo não deixa de ter características próprias, características de um novo mundo desenhado do zero. Gostei das explicações, da ambientação vindo de modo dinâmico, pois assim conhecemos os assuntos a medida que eles são abordados.

Confesso que inicialmente fiquei confusa com a definição de ciborgue usada pela autora, porém como falei, as situações iam se desenrolando e de acordo com que elas apareciam, era melhor explicado de fato quem é essa personagem e suas definições. Temos diversos plot twist e reviravoltas pontuais que basicamente não me surpreenderam, contudo me deixaram criando expectativas quando estas fossem reveladas. A linha de desenvolvimento é clara para quem está lendo, por isso é fácil absorver e esclarecer os próximos passos. E isso não torna a história monótona, pelo contrário: cria ansiedade em ver as reações das pessoas da quando descobrem os mistérios.

"E talvez estivesse certa em fazer aquilo. Talvez fosse o dever de Cinder como ciborgue sacrificar-se para que todos os seres humanos normais pudessem ser curados. Talvez disse usar os humanos que já haviam sido adulterados. Mas Cinder sabia que nunca perdoaria Adri pelo que fizera." pág. 150

Cinder é uma protagonista que cativa instantaneamente, por conta do seu passado, da sua ligação a uma princesa conhecida e também por conta da personalidade. Não vi um crescimento elevado durante a narrativa — e espero maiores amadurecimentos nos sucessores — entretanto isso não atrapalha o seu carisma. Para o príncipe Kai, o outro protagonista principal, faltou algo. Ele possui falas maravilhosas, cenas interessantes, e até conquista um pouco só que faltou alguma coisa. Talvez algo maiormente elaborado pudesse ter agradado. Espero ver uma linha de crescimento dele.

Sobre o fundo distópico, ele é destacável. É bem definido, sendo fácil de ser visualizado na nossa cabeça. Pensei que seria algo leve, focado no romance, e para minha surpresa é justamente ao contrário: o romance é leve e a distopia se sobressai. Temos um jogo político que vai para o primeiro plano constantemente.

Acho que o único ponto negativo é não ter pesquisado antes e ficar sabendo apenas quando terminei que não é uma série independente. Tem um final aberto que necessita da leitura do segundo volume, Scarlet, onde teremos a entrada de novos protagonistas dando continuidade as ações iniciadas em Cinder. E este personagens serão baseados em A Chapeuzinho Vermelho.

De uma forma geral, saio encantada e querendo me aprofundar nessa mistura fantástica. É uma leitura rápida porque realmente nos instiga a terminá-lo fervorosamente, leve e que aquece o coração. Recomendadíssimo aos fãs do gênero, aos que gostam de romance e recontos.

"Se o dr. Erland estivesse certo, então tudo que ela sabia sobre si mesma, sua infância, seus pais, estava errado. Uma história inventada. Uma garota inventada." pág. 206

Na parte física, a capa revela o que esperamos encontrar na parte interna e é representativa. Acho simples e bonita, o que deixa um ar de mistério. A diagramação é simples simultaneamente que tem detalhes nos inícios de capítulos, na divisão das partes, ou seja, com pormenores que enriquecem a edição. A narrativa é feita em terceira pessoa pelo ponto de vista da Cinder.

site: https://diariasleituras.blogspot.com/2018/07/resenha-cinder-marissa-meyer-serie-cronicas-lunares-editora-rocco.html
comentários(0)comente



Daiane 05/08/2018

Conto de fadas? Ciborgue? Pandemias?
Se essa é uma das melhores histórias baseadas em contos de fadas? Tenho certeza. Como dizer, Cinder é uma adolescente ciborgue, sua mão e perna são robóticas: enfim, 36,28% dela é inumano, o que a torna alguém "rejeitado" pela sociedade. Ela é a melhor mecânica de Nova Pequim, que faz parte da Comunidade, algo criado depois da 4ª Grande Guerra: o mundo em 6 conglomerados. Mas aqui temos mais do que somente a Terra, a Lua também é um lugar habitado: pelos lunares, uma espécie humana evoluída que possui o dom (ou maldição?) de poder controlar as pessoas: fazê-las verem ou sentirem coisas. Aqui temos a vilã mais gatona (#sqn), Levana, que é praticamente uma tirana no seu trono. Nesse novo mundo, a nova guerra é travada com a "febre azul", uma pandemia mundial que tem matado muitas pessoas e Levana, essa rainha que quer dominar tudo.

Como Cinderela, Cinder é totalmente odiada pela madrasta, que conta que foi obrigada a criá-la depois que seu marido adotou a pobre órfã de 11 anos. Porém, temos o beneficio que, dessa vez, das duas irmãs, só uma a odeia, a outra, Peony é um amorzinho.

Porém, Peony fica doente, e Adri, sua mãe associa que a culpa de seu marido e sua filha ficarem doente é de Cinder, uma vez que ela estava no meio deles com os acontecimentos, então Adri, como guardiã legal de Cinder, envia a menina para ser cobaia de testes para antídotos, aproveitando que o reino estava recrutando-os. Mas ao ser testada, Cinder descobre sua relação com a doença. Ela é imune, mas por quê?

Paralelamente, temos um inicio de romance com o príncipe Kai, que enfrenta grandes problemas; Problema 1: Seu pai, o imperador, está doente. Com seu pai doente terminal, Kai terá que assumir o trono. Mas ele está preparado para isso? Problema 2: Rainha Levana. Como dito, a rainha Levana ameaça frequentemente a União Terráquea. Durante anos, é tentado uma aliança de paz, porém o que ela deseja não é muito bom: quer se casar com Kai, tornando-se assim, imperatriz. Que decisões Kai irá tomar? Casar com Levana? Ou continuar a busca pela sobrinha de Levana, princesa Selene, que a história diz que foi morta pela própria tia, mas as lendas e boatos dizem que ela está viva. Se estiver? Poderia destronar Levana?

Embarque nessa história envolvente, com muita ação, reviravoltas e descobertas que te prendem na leitura e fazer desejar pelo próximo livro.
comentários(0)comente



Isabela | @sentencaliteraria 01/08/2018

Resenha originalmente postada no IG @sentencaliteraria
Cinder / @editorarocco / 5 ⭐️’s

Em um mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é um pouco de cada. Uma adolescente com um passado misterioso e cidadã de segunda classe, ela é vista com desprezo por todos. A garota foi adotada por um homem, e deixada com sua madrasta e as duas filhas desta, depois que ele morreu. Cinder trabalha como mecânica, no centro da Comunidade das Nações Orientais, em Nova Pequim, e vive seus dias sendo humilhada.

Nova Pequim é assolada há anos com uma peste chamada Letumose, doença que não escolhe vítimas certas, e que em poucos dias mata quem a contrai. Por ser parte androide, Cinder é levada contra a sua vontade para ser cobaia no centro médico do palácio, e receber doses de um suposto antídoto contra a doença. Mas esse é o menor dos problemas da jovem. Temos uma guerra que se aproxima, entre a Terra e os cidadãos de Luna e sua sobrerana, a Rainha Levana. Os lunares são seres que vivem na lua e tem o poder de controlar a mente dos humanos. Com a chegada da Rainha Levana à Nova Pequim, os ânimos ficam exaltados.

Quando o caminho de Cinder se cruza com o do charmoso príncipe Kai, futuro imperador da Comunidade, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica. E parece que a única solução para todos os problemas é encontrar a herdeira legítima de Luna, e sobrinha da Rainha Levana, a princesa Selene. Ela foi declarada morta em um acidente que aconteceu há anos, mas se especula que talvez a jovem ainda esteja viva, e possa acabar com a tirania que sua tia impôs. Mas será que ainda há esperança?

🌿 ❝Mesmo no futuro a história começa com ‘Era Uma Vez’❞

Cinder é uma história que mistura conto de fadas com ficção distópica. Como eu AMO releituras de contos de fadas, não podia deixar de ler essa série, que tem livros baseados em contos, como Cinderela e Rapunzel. Adorei esse mundo fantástico que a autora criou. Aqui temos personagens convincentes, e uma vilã que promete trazer vários problemas para os mocinhos.

Também adorei o fato de que apesar de a história ter romance, esse não ser o foco do livro. A autora fala mais sobre as dificuldade que Cinder passou e passa, do que sobre o casal, e isso me agradou demais. Estou super animada para continuar a série, e depois de ler o segundo livro, posso dizer que cada vez a história melhora 😍

site: https://www.instagram.com/sentencaliteraria/
comentários(0)comente



Mandy 21/07/2018

Fantasia e ficção na dose certa
Confesso que me surpreendi com a leitura. O enredo, a narrativa, os personagens... me cativaram de tal maneira que necessito ler o próximo livro.
comentários(0)comente



Theuzinho 19/07/2018

What the heck is going on here?
comentários(0)comente



159 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |