O império do sol

O império do sol J. G. Ballard




Resenhas - O Império Do Sol


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Aline ig @escape.abacharel 21/09/2021

Leitura importante, não só para entretenimento!
Mais um livro terminado em leitura conjunta no projeto 1001 livros para ler antes de morrer. E mais uma vez foi uma LC maravilhosa e engrandecedora!

Esse é um livro de ficção, mas que aborda acontecimentos trágicos e reais da segunda guerra mundial, mais especificamente a guerra dos japoneses contra os países Aliados, como a Inglaterra e os Estados Unidos.

Jim é um menino de onze anos que vive com sua família na cidade chinesa de Xangai. Ele mora em um bairro de relativa segurança, com vários serviçais chineses e uma vida que passa tranquilamente com o tempo, mas isso até acontecer o ataque japonês à base naval de Pearl Harbor.

É iniciado o conflito entre os Estados Unidos e o Japão, e assim, a China, que estava no meio de tudo isso, também é um dos países que sofre essas graves consequências da guerra.

Jim, então, no meio do caos após o ataque a Pearl Harbor, acaba se perdendo dos pais. O menino tem que viver sozinho em um país onde ele é visto como inimigo por todos.

O livro O império do sol é cheio de acontecimentos e se passa, em grande parte, em um dos campos de concentrações onde se mantém os prisioneiros ingleses, americanos e de outros países considerados inimigos do Japão.

As condições em que Jim vive são narradas de uma maneira tão impactante que faz com que esse livro não seja esquecido por um bom tempo, mesmo após o término da leitura. E falo isso para todas as condições, a fome, o medo, a solidão, as condições sanitárias e de higiene, tudo é mostrado como foi de fato: uma situação tão degradante e horripilante que nos faz pensar o quanto de humanidade ainda nos resta depois dessas guerras.

É um livro que indico para quem gosta de contextos históricos. Ainda mais tendo em vista que foi um lado da guerra pouco retratado em obras literárias.

site: https://www.instagram.com/p/CUFTUi-LMb5/
comentários(0)comente



Simone 08/09/2021

De passagem
Terminei de ler o livro há uma semana, mas estava ainda digerindo as informações. É um livro cheio de detalhes, eu diria que até meio repetitivo, mesmo assim me prendeu e eu li em dois dias.

Jamie (Jim) é um menino inglês que vive na China em 1941 com seus pais que tem boas condições financeiras. Em um dia normal em que Jim ia à escola o Japão invade a China, no ataque japonês uma verdadeira multidão corre pelas ruas e Jamie acaba ficando separado de seus pais tragicamente.

A partir desse momento ele luta sozinho para sobreviver enquanto busca os pais o tempo todo. Não teve um dia se quer que ele não falou dos pais.

Jim, com seu conhecimento sobre todos os tipos de avião impressiona, assim como o respeito que ele tem pelos pilotos que é contagiante.

Tem os momentos que Jim admira os americanos, mas fica com raiva dos conterrâneos britânicos, os americanos namoricam só sentados reclamando e lembrando de tempos passados, pensam no futuro, diferente dos britânicos. Só que Jim não percebe a maldade das pessoas, os americanos só estão interessados em explorar os semelhantes, eu diria levar a melhor e em seu alojamento um parece querer ser melhor do que o outro para conseguir regalias.

O início e o fim do livro são bem parecidos, com Jim em sua casa em Amherst, só que agora o final nos indica o fim de um ciclo que ele passou assim como a do início nos indica o início do ciclo de vida das pessoas com a entrada do Japão na China.
comentários(0)comente



Larissa 31/01/2021

O Império do sol - J G Ballard
Jim é um menino inglês, de família abastada, que mora com os pais em Xangai quando a 2ª GM chega até ele. Acompanhamos suas aventuras e privações durante alguns anos, enquanto cresce em um campo de prisioneiros e encontra-se sozinho. Apesar da premissa interessante de acompanhar uma criança, não tão dependente, por volta dos 11 anos, através dos horrores da guerra, o ritmo do livro é lento demais e acaba por não nos envolver. As muitas descrições presentes (inclusive citando nominalmente diferentes aeronaves) cansam. Também achei que faltou um pouco de carisma no personagem principal para que houvesse uma maior conexão com os leitores. Por fim, pareceu que sua situação de prisioneiro por si só seria o suficiente para manter o interesse da leitura durante todo o romance. Não é um livro ruim, mas também não é um grande destaque.
comentários(0)comente



Mateus 01/03/2015

Uma decepção ballardiana
Lançado há quase 30 anos, o filme O Império do Sol, de Steven Spielberg, marcou o âmbito dramático da Segunda Guerra Mundial, sobretudo pela fantástica atuação do jovem Christian Bale. Considerando que esbarrei com o filme há vários anos atrás, pouco me lembro de seu enredo atualmente. Ainda assim, algumas cenas marcaram de forma intensa minha infância, fazendo com que guardasse alguns flashes em minha mente, as quais me envolveram e chocaram durante muito tempo. Dentre elas, posso compartilhar especialmente a cena de um jovem garoto se perdendo dos pais em meio a uma multidão que fugia desesperada, e esse mesmo garoto, anos depois, tentando exorcizar a imagem do rosto dos pais em sua mente, memória que ia perdendo pouco a pouco.

Tais flashes, desconexos e sem sentido em meus pensamentos, viram a oportunidade de ordenação quando me deparei com o livro que deu origem ao filme, obra de J. G. Ballard. O que percebi durante a leitura, porém, foi algo completamente diferente. Minhas lembranças foram destruídas durante todo o desenrolar do livro, gerando apenas uma grande decepção e uma certeza clara: O Império do Sol mais promete do que cumpre.

Para visualizar o restante da resenha, acesse o blog!

site: http://mateuscalazans.blogspot.com.br/2015/03/uma-decepcao-ballardiana.html
comentários(0)comente



Luciane 22/01/2014

É um bom livro, mas achei muito cansativo, são quase 400 páginas, com muitas descrições e pouca ação. Demorei muito para terminar...
Este livro é do Grupo Livro Viajante.

site: http://www.skoob.com.br/topico/grupo/1284
comentários(0)comente



Angela 17/10/2012

Maravilhosamente perturbador.
Antes de falar propriamente de O Império do Sol, quero explicitar o quão é diferente as vivências, visões e consequências de uma guerra que assolou todo um mundo.
Eu vi em A Chave Para Rebeca uma guerra de conspirações, trapaças, jogos de sedução em que as grandes perdas e as grandes vitórias se conseguiam através do quanto você é inteligente, sagaz, endinheirado e o quanto vc se dava bem com a população nativa.
No livro de J. G. Ballard tudo e todos são atingidos por uma guerra apocalíptica.
Somos levados a entrar nas atrozes experiências de um rico e mimado garoto inglês que, iniciada a guerra com a invasão japonesa na China, se perde dos pais e se vê rodeado pelas mais profundas e perturbadoras visões de miséria humana.
É um livro emocionalmente difícil, pois, pelo menos em mim, deixou muitas reflexões acerca do quanto é estranho o ser-humano e suas prerrogativas.
Como é estranho o acostumar-se humano.
Em ambos os livros é a mesma guerra, porém neste de Ballard, ela é mais visceral, mais nua, tem pus.
No livro de Ken Follet a guerra até parece um grande espetáculo de esgrimistas.
Temos de levar em conta o temperamento do povo. No de Follet temos os egipcios, indolentes, malandros, negociantes... na descrição até se assemelham um pouco com o povo brasileiro.
Agora em Xangai, os chineses são um povo destroçado, arruinado, apáticos e são levados de acordo com quem está no poder. Os ingleses os maltratam, depois os japoneses, depois os norte-americanos e, por fim, os próprios chineses através da ascensão dos kuomitang e da reforma.
Sei que fiz muita digressão, mas afirmo que este livro deve ser lido, relido, pensado e repensado.
As memórias de guerra de Jamie são excruciantes e o são porque vemos uma criança e, após os anos, um pré-adolescente enlouquecer aos poucos ao ponto de se acostumar com a destruição que o cerca.
Jim, aos poucos, se transforma em um prisioneiro que, após anos sobrevivendo preso e acorrentado ao suplício, quando se livra disso não vê sentido na vida.
Vale a pena demais ser lido.
Recomendadíssimo.

comentários(0)comente



Lisa 14/06/2012

A guerra vista por um garoto
Tive um começo bem complicado com esse livro: eu comecei a lê-lo, só que ele fazia tanta referência a navios, aviões de guerra, batalhas, que me sentia meio perdida, então resolvi começar de novo, dessa vez fazendo uma pesquisa paralela sobre algumas coisas que encontrava.

Obviamente, passei mais tempo fazendo pesquisa no google do que lendo o livro, a leitura não estava rendendo, apesar de eu acabar descobrindo histórias interessantes.

Desisti das pesquisas e li o livro direto. O que mais me marcou foi a angústia de não saber como seria o dia seguinte do Jim. Qualquer coisa poderia acontecer. A fome, comer só batatas e trigo também foi uma parte bem triste.

O livro é cativante a ponto de você entender porque Jim não quer que a guerra acabe, mesmo vivendo de modo precário.

Bom, terminei a leitura e fui ver o filme (tem completo, legendado no youtube): http://www.youtube.com/watch?v=vdrp9O59oKU

Fiquei super fã do Christian Bale! Ele está muito bem no filme, uma interpretação maravilhosa. É até mais simpático que o Jim do livro. Ele comendo com a mão, faminto, é de cortar o coração. Mesmo Baise, interpretado por John Malkovich, com aquela voz macia, é bem mais simpático do que o do livro.

A cena do piloto e a manga é emocionante! E até a Sra. Victor ganha uma meiguice da qual é desprovida no livro.

Uma das melhores adaptações de livro para filme que já vi na minha vida. Super recomendado: leia o livro e veja o filme (leia primeiro para entender nuances que aparece no filme).

Boa leitura!

JUN/2012
Édison Eduarddo 08/08/2015minha estante
Resenha perfeita!
No meu caso, quis ler o livro por ter ficado muito bem impressionado com o filme que hoje está na lista dos meus 10 melhores que já assisti...
Há algumas diferenças entre filme e livro. O roteiro cinematográfico mudou algumas passagens e, na minha opinião, resolve muito bem, amarrando a história e causando maior emoção aos acontecimentos.
Como já conhecia o filme e os personagens, levei alguns anos arrastando a leitura do livro, por fim, termino-o agora com grande satisfação e querendo rever o filme.




Nat 04/04/2012

O menino Jim vive em Xangai,em plenos tempos de guerra. Mais especificamente em tempos da II Guerra Mundial. Ele se perde dos pais durante um ataque japonês. O menino tenta voltar para casa e quando consegue tudo que encontra são as roupas e pertences da mão revirados e a casa totalmente vazia. O ataque japonês a Pearl Harbor já havia acontecido e os dias seguintes são um caos. Ele passa a perambular e a viver sozinho nas casas de amigos e conhecidos que fugiram, sobrevivendo das lembranças e da escassa comida que encontrava. Até finalmente ser preso. A partir daí, ele observa e vivencia todos os horrores de uma das maiores guerras da história.

Um livro muito interessante. Não faz o meu gênero por ser livro sobre guerra, ainda mais sobre a II Guerra Mundial (pois eu considero esse conflito um dos piores que já ocorreram). Mas o livro prende a atenção porque é também uma biografia. O autor vivenciou os acontecimentos descritos no livro, então mesmo escrito na terceira pessoa, a descrição das pessoas e dos lugares e da situação política na época prendem a atenção do leitor (talvez porque o livro, além de biografia, também seja um romance). Leitura muito recomendada, que mostra de que forma todas as pessoas foram e sempre são afetadas pela guerra.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2012/04/o-imperio-do-sol-de-jg-ballard-dl-2012.html
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR