A Turma

A Turma Alissa Grosso




Resenhas - A Turma


11 encontrados | exibindo 1 a 11


lavinia.pontes 21/06/2017

Fui lendo o livro e achando muito estranho porque todas as meninas da turma odivam a Hanna, e ainda eram amigas delas. Ou melhor, porque tentavam tanto pintar ela como uma pessoa má,pois pra mim não parecia nada disso. Outro ponto que havia me incomodado foi Alex, o namorado, sair dando em cima de todas as amigas. Até que aquela página vira e tudo começa a fazer sentido. Achei curioso o ponto de vista de Alex sobre a situação e a forma como foi tratado e achei bem bacana o final, mesmo que não seja um final como muitos podem desejar. As únicas coisas que fiquei sem entender foram por que a mãe de hanna odeia tanto alex, e gente, quem era Jasmine na fila do pão?
comentários(0)comente



Mariáh 05/11/2015

Sobre o livro:
Esse livro é simplesmente maravilhoso, adoro livros que tem alguns segredos que as personagens trazem como traumas, e esse não foi diferente, me prendeu a cada instante, terminei o livro em um dia é só tenho elogios para a autora e o livro, o final apesar de incerto mostra algo como superação, e o segredo, apesar de eu ter adivinhado antes de ele ser revelado é ótimo, faz você ficar chocada de como uma garota pode enganar os outros e se enganar, sou apaixonada por todas as personagem, mas principalmente por Patrícia, ela sempre vai ser minha favorita, mas porque também me lembra um pouco mais a Jane…
No inicio, achei Alex um safado, mas a cada instante que passava o via com os olhos diferente, ele se mostrava muito apaixonado por Hanna para ser tão cretino como as meninas da Turma mostravam, e ele me mostrou ser simplesmente o cara mais apaixonado por uma garota com sérios problemas !
Amei o livro, recomendo muito, vocês vão amar cada página.
comentários(0)comente



Bianca.Gimenis 22/07/2015

*preciso ser eu mesma*
Comecei esse livro pensando que seria uma história romântica entre dois jovens no ensino médio e seus amigos. Demorei para me apegar ao livro, os personagens eram todos muito legais, mas não tinha muita história, tudo girava em torno de uma lista e do fim do ensino médio e era um pouco repetitivo. Chegando ao fim da primeira parte (o livro é dividido em dois) as coisas começam a ficar confusas, o que deixa tudo mais interessante.
Mesmo imaginando qual seria o segredo de Hanna quando estava quase no fim do livro, isso não deixou estragar o fim da história, já que as coisas vão se ligando e você começa a se apegar mais aos personagens. Superou minhas expectativas para este livro.
comentários(0)comente



Nats 22/07/2015

Dica da colega que leu
Não pretendo fazer aquele breve resumo do livro e falar minhas impressões, como geralmente todos fazem. Mas vou falar minha opinião sobre o livro de maneira sincera.
Sabe aquele livro que você começa a ler e pensa '' livro bobinho, fútil e blábláblá'' então, tive este pensamento!!!! No entanto, com um pouco de persistência a gente chega no final e de repente na última página a gente olha para ela e chora... Chora de verdade, por ter acabado. Aí em seguida vem o pensamento '' Caramba como não li este livro antes?! Cadê o troféu para a autora de maior genialidade?''
Bom, esta foi minha impressão sobre o livro e aí vai uma sugestão: Se parecer bobo demais, então vá até o fim!!! E depois, me conte se só eu engasguei de surpresa no final foda que tem o livro, ou venha me dizer se é bobo mesmo.
comentários(0)comente



fernanda.hahne 21/07/2015

Diferente!
Terminei hoje esse livro. Achei que iria abandonar no começo, pois estava um pouco chato. Tem narração de seis personagens diferentes, todos adolescentes, e fala de situações tipicas de colégio, como festas, jogos, baile de formatura, tudo contado pela garota mais popular do colégio e suas amigas. Os draminhas narrados no inicio do livro são um pouco entediantes, cada personagem dá sua visão sobre quem deve ser convidado para tal festa, como deve ser a decoração, esse tipo de coisa. Mas, lá pela metade do livro, quando entra a narração do Alex, namorado da garota popular, as coisas começam a fazer mais sentido e a historia até que fica bem interessante. Está longe de ser um dos melhores livros que li, mas se você aguentar ler até a metade ou um pouco mais da metade, pode se surpreender.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Camis 30/11/2014

A Turma
Hanna Best é uma garota linda e delicada, e também a mais popular de todo o Colégio. Porém tem aquelas amigas que querem roubar a popularidade da Hanna.
Gilda é um pouco estranha e está sempre mal-humorada. Olivia é engraçada e cínica. Sheila se preocupa de mais com as aparências. Patrícia é a mais tímida.

Todas tem um objetivo, conseguir o lugar da Hanna e tentar derruba-la pra ter sua grande popularidade.
Porém o ensino médio está prestes a acabar e Hanna não esta nem um pouco feliz com isso, pois ela sabe bem, que os amigos, colegas de classe sempre vão embora. Porém seu namorado Alex, esta ali pra lhe ajudar, e é no final do ano que as coisas começam a mudar, Hanna Best tem um grande segredo, que apenas Alex conhecia. Surtos acontecem, reviravoltas, problemas psicológicos estão todos amontoados nos sentimentos de Hanna.

Comentário: Galera, super me apaixonei por esse livro. Pelo fato de acharem que ele é bobinho, que só fala sobre ensino médio, namorados e blábláblá. Mas não, esse tal segredo da Hanna, é o grande "TCHAN" de toda a história dela, se você adora um romance, ou adora quando os namorados fazem de tudo pra ficar com a garota amada, leia esse livro. Ele não é 100% romance, mas pelo fato do Alex existir nesse livro, faz com que no começo você tenha ódio dele. Mas no final é totalmente ao contrário.





Editora: Gutenberg
Páginas: 286
Autora: Alissa Grosso

site: http://our-owncollection.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Nathalia 04/08/2014

Decepção.
Recebi esse livro de minha prima,antes já havia me avisado que não houvera gostado dele,me senti muito curiosa,com o fato de nunca ter lido um livro que me desse essa sensação eu o li,de inicio a história era boa,mas logo na metade do livro,você ia duvidando de certas coisas,e com o passar de páginas,já desistia de lê-lo,eu me confundi,mas logo achei o fio na meada,e me decepcionei,a autora não explicou ao certo o problema que a personagem principal passava,o que aconteceu deixando o livro confuso e estranho,posso afirmar que a sensação de não ter o que se esperava do desfecho não é nem um pouco acolhedora.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Psychobooks 20/05/2013

www.psychobooks.com.br

- Premissa e primeiras impressões

"A Turma", da autora Alissa Grosso, conta a história da Hanna e suas quatro amigas, Gilda, Olivia, Patrícia e Sheila. Hanna é o centro das atenções, como se fosse a Abelha Rainha do colégio, e tudo gira em torno dela e das festas que dá no decorrer do ano.
Esse é o último ano para elas juntas na mesma escola, e será um ano cheio de surpresas para todas conforme os dias vão passando e as meninas se veem envolvidas em intrigas.

Como peça chave de todos os acontecimentos, está Alex, o namorado de Hanna, que ninguém consegue entender muito bem como fisgou a garota mais popular da escola. Ele é tímido, desengonçado, mas Hanna o idolatra.

Assim conhecemos a turma e começamos a entender o que move cada um dos seus integrantes.

De início parece uma história corriqueira sobre popularidade no colégio e dúvidas sobre faculdades e términos de namoro. Mais a frente o livro se mostra bem mais complicado do que isso. Mas primeiro vamos à:

- Narrativa e desenrolar do enredo

A narrativa escolhida por Alissa foi a em primeira pessoa, pelo ponto de vista de todas as meninas e mais à frente pelo ponto de vista de Alex. Vamos conhecendo as características de cada uma delas e seu papel n'A Turma de Hanna. Hanna escolhe todas suas amigas a dedo, todas se sentem deslocadas por ali estarem e ao mesmo tempo honradas e ofuscadas pela personalidade forte e impositiva da líder do grupo.
O livro é divido em duas partes: Parte 1 "A Turma" e Parte 2 "Alex".
Nessa primeira parte do livro, os acontecimentos vão se desenrolando aos borbotões, sem muito sentido.

As meninas estão em aula, mas nem tudo é mostrado. O foco fica mesmo na parte social da vida delas e na lista de convidados que Hanna monta a cada festa. A escola gira em torno desses convites, bem como "A Turma".

Essa primeira parte eu achei realmente enfadonha, com alguns acontecimentos se atropelando. O foco do livro apenas na parte social tira um pouco o gosto da leitura e a intriga entre as meninas, percebida por inúmeros pontos de vista, fica um pouco confusa.
Alex flana durante essa primeira parte e não entendemos bem quais são suas motivações, até que ele revela tudo na segunda parte do livro, mas o sentimento de estranheza não me largou mesmo assim.

- Surpreendente, mas raso

Em dado momento, há uma reviravolta fenomenal na história, que infelizmente não foi bem-aproveitada. A autora a aborda de forma rasa e sem muito nexo. Há uma preocupação constante em reviver fatos para que entendamos alguns pontos, mas sinceramente achei tantas explicações desnecessárias, já que a grande revelação do texto fala por si só.
Houve a tentativa de surpreender o leitor e depois desenrolar a história por outra abordagem, mas sinceramente, acredito que faltou mais pesquisa à autora.

- Vale a pena, Alba?

É um livro morno, de leitura rápida. O assunto abordado é interessante, mas longe de tocar o leitor. Uma boa história, mas nem um pouco marcante.
Recomendo, com parcimônia.

"Nós, sim, que somos dignas de pena, pois o fim do ensino médio significa o fim da turma, e, para suas integrantes, isso significa o fim dos poderes aparentemente divinos de Hanna sobre nossas vidas. (...)"
Raquel Moritz 03/09/2013minha estante
Nossa, super concordo. Estou terminando de ler ele agora e achei um saco justamente nos mesmos pontos que você citou: é muito, muito, muito raso. Parece um livro de briguinhas sociais, e lá no final tem o real 'problema' (que colocou o livro na lista de sicklits). Achei fraquíssimo.


Alba 10/09/2013minha estante
Oi, Raquel!
Bem isso que senti, mesmo... A ideia foi tão boa, porque não encurtar aquele começo e se prolongar no final =/
Beijos!




Ana Luiza 11/05/2013

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
Hanna é a garota mais popular da escola. Linda, inteligente e amigável, todos a amam, desde professores a alunos. Apesar de ser gentil com todos, Hanna tem um seleto e variado grupo de amigas. Suas quatro melhores amigas: Olivia, Gilda, Patrícia e Sheila, são completamente diferentes uma da outra. Olivia, a amiga mais antiga da Hanna, é uma garota sarcástica, que sempre tem uma resposta na ponta da língua, e está interessada em um atleta da escola. Gilda é a mais arredia de todas, está sempre mal humorada e não entende porque a Hanna a escolheu, já que não faz o tipo “popular” como a amiga. Patrícia também não entende o que a Hanna viu nela, já que é uma garota muito tímida, sem nada de especial e que adora fotografia. Sheila, diferentemente das outras, não foi escolhida pela Hanna. A garota se mudou durante o segundo ano e, como era popular em sua outra escola, logo se anexou a garota mais popular do lugar, Hanna. Apesar de suas diferenças e conflitos, as garotas são amigas unidas.

Com a chegada do último ano, as garotas percebem que Hanna está um pouco diferente. Seu namorado, o estranho e pouco popular Alex, também parece estar percebendo mudanças em sua namorada. Hanna está muito nervosa e melancólica por esse ser seu último ano na escola, ela tem medo do que virá depois, afinal, a rotina de garota popular que leva é a única vida que ela conhecesse.

“Se Hanna Best pretende fazer uma saída, então fará do seu jeito. Nunca fui de me esconder ou ficar nas sombras. Não faz sentido começar agora. (...) De uma forma ou de outra, terei de ir embora, mas não será silenciosamente. Eles saberão. Não terão escolha.” Hanna (Pág. 110)
O comportamento de Hanna também chama a atenção dos outros alunos quando uma lista de convidados bem estranha é divulgada. A garota é conhecida por suas festas, mas, para essa, alunos nada populares foram convidados e alguns muito populares foram deixados de fora. Todos comentam sobre a estranha lista de Hanna, e alguns até ficam bravos, inclusive algumas de suas amigas. Conforme o ano vai passando e outras festas, com convidados cada vez mais incomuns, também acontecem, as garotas começam a se desunir. Hanna está cada vez mais estranha e as outras meninas começam a nutrir sentimentos pouco amigáveis em relação a ela.

“Odeio ela. Se eu não fosse tão covarde, simplesmente me livraria dela de uma vez por todas, para me libertar e viver minha própria vida. Tenho medo. Tenho medo da Hanna e tenho medo de ficar sozinha, sem ela.” Olivia (Pág. 143)

Sheila está cansada de ser ofuscada pela Hanna e planeja tomar seu posto de garota mais popular. Olivia também não suporta mais o comportamento da melhor amiga e também planeja acabar com sua popularidade. Patrícia, por ser um ano mais nova, não sabe como será sua vida quando a Hanna e as outras se formarem e tenta descobrir quem é sem a Turma. Gilda parece não se importar muito com as mudanças nas amigas, mas, quando tem uma conversa esclarecedora com Alex, acaba desejando o namorado da melhor amiga. Na verdade, todas as garotas da Turma parecem se envolver com Alex, exceto Hanna. Enquanto a garota fica cada vez mais distante do namorado, Sheila acha que ele é a chave para a destruição de Hanna, Olivia começa a repensar seus sentimentos quando ele se diz apaixonado por ela, Gilda acha que ele é seu destino e Patrícia começa a se apaixonar por ele por causa de sua personalidade tão estranha quanto à dela.

“Foi por isso que ela criou a turma, e a gente sempre esteve lá pra ajudar. Mas não se pode ser criança pra sempre. Quando você se torna um adulto, as pessoas esperam que você consiga se virar sozinha. A Hanna não sabe ficar sozinha.” Gilda (Pág. 244)

Conforme a Turma vai se desunindo, as coisas, assim como as garotas, ficam cada vez mais confusas. Todas começam a se envolver cada vez mais com Alex, o que gerará mais confusão. Entretanto, é justamente o garoto que guarda a resposta para tantas perguntas. Alex é único que sabe do mais profundo segredo de Hanna que, de certa maneira, acaba sendo revelado. Uma face completamente nova da inatingível Hanna mostrará que, até mesmo a garota mais linda, popular e, aparentemente, feliz, pode ser vítima de uma infância difícil e da sua própria mente.

“Minha namorada, a perfeita Hanna Best, não era tão perfeita assim. A garota mais popular do colégio possuía problemas que iam além dos desvios de personalidade considerados normais.” Alex (Pág. 208)

“A Turma” é um livro envolvente e surpreendente. Dividido em duas partes, a primeira é narrada pelas garotas e a segunda por Alex. O começo foi meio confuso, já que a cada um dos pequenos capítulos é narrado por uma garota diferente. Entretanto, conforme aprofundamos mais na história e em cada personagem, fica mais fácil perceber quem é quem. A autora conseguiu, em sua excelente narração em primeira pessoa, transmitir as características distintas de cada garota, o que foi muito importante para a trama. Apesar de tão diferentes, todas as garotas tinham, no fundo, um pouco da Hanna, o que é essencial para entender como todas elas estão relacionadas, o que só é possível quando o segredo da Hanna é revelado.

Algo que me agradou bastante foi o modo como a autora deixou pequenas pistas, por assim dizer, durante a primeira parte do livro, o que nos intrigava a ir adiante. Conforme avançava na história, cada vez mais curiosa sobre o que viria a seguir, fiquei imaginando qual seria o segredo da Hanna e fui surpreendida quando ele foi revelado, ao mesmo tempo em que percebi que ele estava ali o tempo todo. O que quero dizer é que toda a trama é bem amarrada, cada pequeno detalhe é essencial para a história. A autora soube narrar os fatos e criar personagens de uma maneira que nos intrigasse, mas que fizessem sentido na história como um todo.

Todos os personagens possuem características próprias e papel na trama, destaque, claro, para as garotas da Turma e, posteriormente, para Alex. De todos, a que menos me agradou foi Sheila, achei-a muito antipática, uma das principais características da personagem. Olivia também não me conquistou muito, sua personalidade não era tão marcante quanto a das outras. Gilda foi uma personagem interessante e adorei seu jeito mal humorado, de quem não se importa com nada, mas que no fundo revelam uma garota como outra qualquer. Patrícia foi a minha segunda favorita, com a qual mais me identifiquei, por causa de sua personalidade tímida, artística e meio deslocada. Mas sem sombra de dúvida, a Hanna foi a favorita, que despertou em mim todos os tipos de sentimentos. Confesso que no início a odiei, seu jeito de garota popular e modo como tratava o Alex me irritaram. Entretanto, o modo como tratava as amigas e todos os conflitos que estavam escondidos por debaixo da sua superfície de garota mais popular da escola, fizeram com que eu acabasse amando a personagem. Hanna é uma garota complexa e, ao mesmo tempo, simples. Todos os problemas, por mais profundos que sejam, são apenas reflexos de uma garota que queria as mesmas coisas que qualquer outra. Hanna queria ser feliz, queria deixar o passado conturbado para traz e ser alguém completamente diferente. Ao mesmo tempo em que queria ser a garota linda e popular, queria ser a garota tímida e frágil, mas que é profundamente amada. Hanna queria, como todos nós, ser é amada e feliz. Então, é impossível não se identificar e se encantar pela personagem. Outro personagem que adorei foi Alex. Como a Hanna, não gostei dele no início e seu comportamento me deixou confusa. Entretanto, na parte dois, narrada por ele, percebemos o quanto ele é doce, atencioso e apaixonado pela Hanna. Alex é uma cara sensível, que apenas queria o melhor para a garota que ele amava. Mas, como a Hanna, ele também estava confuso, também queria ser amado e feliz. O que, ele só conseguiria ao lado dela.

A editora fez um bom trabalho com o livro. A diagramação estava boa, assim como a tradução, mas não entendi porque mudaram o nome das garotas. Originalmente, elas são: Olivia (único nome mantido igual), Zelda (Gilda), Nordica (Patrícia), Shelly (Sheila) e Hamilton (Hanna). Confesso que os nomes são estranhos e os da nossa edição soam bem melhor, mas achei meio estranho a editora modificar o nome das personagens. Outra coisa que a tradução deixou passar foi um trocadilho com o nome “Gabriel”, o atleta que Olivia gostava. Os personagens usam o nome em expressões como “dar uma Gabriel” que, honestamente, não fizeram nenhum sentido em português. É possível entender as frases pelo contexto, mas o trocadilho perdeu o sentido, então penso que poderia ter sido excluído. A capa do livro é bonita e combina perfeitamente com a história.

“A Turma” é uma história intrigante, tocante e surpreendente. Apesar do início aparentemente bobo e juvenil, o livro guarda uma trama inteligente e bem amarrada que, além de nos emocionar, nos faz refletir e perceber em nós um pouco de cada personagem. Amei cada um deles e, assim como a história, eles ficarão na minha cabeça por um longo tempo. Agradeço a editora pela oportunidade de ler o livro e espero ver outras obras da autora por aqui, Alissa Grosso já me conquistou. Recomendo “A Turma” para todos, principalmente para quem gosta de tramas completas, aparentemente simples, mas que guardam personagens reais e cativantes e histórias maravilhosas.

Autora da resenha: La Mademoiselle

Resenha do blog Mademoiselle Love Books - http://mademoisellelovebooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



11 encontrados | exibindo 1 a 11