O Bebê de Rosemary

O Bebê de Rosemary Ira Levin




Resenhas - O Bebê de Rosemary


87 encontrados | exibindo 76 a 87
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Eu Mesmo 24/08/2013

Perfeito
Simplesmente o melhor livro Suspense/Terror.
Se acha que existe outro melhor, por favor me mostre!
De inicio já digo que sempre achei o livro "As Possuídas", o melhor livro de Ira Levin, mas agora que li este livro, fico com vergonha em dizer que tinha outros do gênero como preferido.
Sem enrolar, o livro já se inicia intrigante quando os relatos sobre o prédio Bramford nos atingi logo de cara.
O livro é muito curto e bem direto, o objetivo do livro é contar o que o próprio nome diz, mas sempre mostrando o lado oculto do que poderia ser belo e perfeito.
Cheio de paginas que nos faz ter raiva de Rosemary e até chama-la de burra em voz alta, alem de rir com o belo humor que o autor nos trás em certas paginas.
Enfim ressumindo, você tem que ler e assistir ao filme (recomendo o livro primeiro). Este já se tornou um dos livros que nem sequer deixarei lerem sem a minha presença lol
Recomendo demais.
Logo uma resenha mais detalhada estará no meu blog.

site: http://donskedar.blogspot.com
comentários(0)comente



Aluizio 29/04/2013

Livro ótimo!
Um dos melhores livros de terror/suspense que já li.
frisaboy 12/08/2013minha estante
A simplicidade estarrecedora da linguagem de Ira Levin faz-nos ficar frente à frente com uma trama que sabemos estar sendo tecida de maneira inexorável e satânica.

A contraposição de elementos díspares, como a antiguidade e as velhas superstições relacionadas ao local onde a ação se desenrola e a quase maioria dos personagens em idade avançada, complementa-se à perfeição aos maneirismos comportamentais da década de 60, remetendo-nos, com isso, à um grau de realismo inequívoco.

Não há elaborada construção psicológica. Os diálogos, antecedidos sempre com austeras e precisas caracterizações de situações ou personagens, ditam, dão o tom e fornecem-nos o único e seguro guia cronológico, conduzindo-nos, com mãos firmes, ao que já sabemos irá suceder, mas que, até o último e derradeiro momento, não queremos acreditar.

Grande livro.




Fer 26/01/2013

Tá aí um livro que me deixou nervosa do começo ao fim, sem nenhum exagero! Acho que foi um dos poucos que eu li sem conhecer a história que seria contada ou procurar qualquer sinopse ou resenha! Esse fato criou uma certa expectativa e sim, um certo nervosismo em consequência da minha ansiedade incontrolável de ver spoilers!

Apesar disso, adorei a trama criada por Iran Levin, fiquei com uma raiva gigante de certos personagens (acho que quem lê já sabe), pois a todo momento eu me sentia na pele de Rosemary, sendo engananda e passada para trás diversas vezes!

Em alguns momentos, queria entrar no livro e tentar avisar Rosemary acerca de todos os perigos que ela possivelmente enfrentaria e mostrá-la em quem confiar (uma coisa difícil de achar naquela situação).

O final me deixou triste, angustiada, queria que ela tivesse feito o que inicialmente acometeu-lhe a mente. Porém, adorei o livro e acredito que todo o nervosismo tenha sido válido!
comentários(0)comente



Leo 24/08/2012

Amor de Mãe
No começo da paixão, toda aquela empolgação de construir uma vida nova, um casal se muda para um apartamento em que coisas um tanto... Estranhas vem acontecendo. Uma dona de casa singela e prendada. Um ator em início de carreira. Vizinhos intrometidos e esquisitos. Não poderia dizer que se trata de uma típica estória americana comum. Não quando a protagonista, Rosemary, acorda no meio da noite ouvindo canções estranhas, ou quando os tais vizinhos começam a extrapolar na hospitalidade. E em certa noite, depois de um sonho, quase que real, segundo a mesma... Um bebê é gerado. Sim, Rosemary grávida! E as coisas começam a se complicar.

A gravidez mais louca já vista, dores terríveis a atormentam, o médico é suspeito, o marido não fica atrás, os vizinhos já tomaram conta da sua casa. Mentiras, suspeitas, medo. Rosemary se depara com fatos estranhos, como a morte de um bom amigo, tão intrigado quanto ela, com todos os sintomas estranhos da gravidez. O marido começa a fazer um sucesso repentino e suspeito. E então a feitiçaria é colocada em questão.

Ira Levin conseguiu escrever uma história de terror, que levanta questões como a mulher era vista perante a sociedade na década de 60. Claramente representada pela devoção e subssimividade de Rosemary ao marido. Além de enfocar o satanismo, que é um tema um tanto... Atrativo para os mortais que adoram um bom romance que envolva ocultismo e magia negra. O Bebê de Rosemary é uma trama clássica, foi pra telona e mostrou o quanto o amor de uma mãe pode ser grande por seu filho. Uma mensagem dessas em um suspense de terror torna a história ainda mais bárbara.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rafael Michalski 26/07/2012

Um sonho que se transforma em um pesadelo indescritível ...
O Bebê de Rosemary é incrível, leve e ágil. A escrita de Ira Levin, bastante cinematográfica, cria uma ansiedade, um desejo, uma agonia de prosseguir a história, ele seduz e te faz acompanhar cada página, cada linha, com os cabelos arrepiados... É talvez um dos melhores livros de horror psicológico já escritos, mostra toda a classe do terror pois a história garante horas de tensão sem derramar uma gota de sangue e mesmo assim o medo nos acompanha constantemente durante a leitura.
Em O Bebê de Rosemary, Ira Levin nos apresenta um casal normal da década de 60, Rosemary e Guy. Ela é uma dona de casa, jovem, saudável e feliz; ele um ator carismático e ambicioso. Quando encontram o lar que tanto almejavam em West Side, Manhattan, pensam que seus problemas acabaram, o apartamento espaçoso e ensolarado é muito mais do que imaginaram de sua "casa dos sonhos". Porém esse apartamento esconde uma passado bastante obscuro, lá moraram satanistas, bruxas, canibais e Deus sabe o que mais...
Isso não afeta o casal que se muda e acaba conhecendo seus vizinhos idosos ( e desagradáveis) Minnie e Roman. Após um jantar inicial bastante problemático Rosemary está pronta para cortar os laços com eles mas seu marido parece gostar do velho casal então relutante ela os "aceita".
Então Rosemary engravida, não da maneira romântica e apaixonante que achou que seria mas de forma brutal e animal, ela foi praticamente estuprada por Guy e as marcas de arranhões em suas costas provam isso... É aí que a paranoia começa, na noite em que o bebê foi feito Rose tinha ido jantar na casa de Minnie e ligando os pontos chega a conclusão de que foi drogada e que querem roubar seus bebê... Enquanto a gravidez avança, sua desconfiança cresce com a barriga, seu marido começa a agir estranho e os casal de idosos torna-se assustador. Guy começa a passar bastante tempo na casa dos vizinhos e de lá sons estranhos podem ser ouvidos. Todos ficam contra ela até o dia do nascimento, onde todo o suspense chega ao clímax e ficamos chocados, horrorizados, sem acreditar no que nossos olhos leem...
comentários(0)comente



Tulliu Cardia 10/07/2012

A ideia é fantástica, mas o livro é meio enrolado para apenas no final ficar eletrizante. De modo geral eu gostei, apesar de ser um tanto enrolado.

Galera, se tiverem interesse, leiam meus livros e contos, disponíveis no Wattpad (gratuito)! Vocês vão curtir! Valeu!



site: https://www.wattpad.com/user/TulliuCardia
comentários(0)comente



Ana 10/12/2011

Freak.

Vi primeiro o filme: Mia Farrow interpretando maravilhosamente nossa querida e frágil Rosemary, e os outros personagens também muito condizentes com as descrições que, posteriormente, eu veria no livro. E eu tinha avaliado muito bem o longa... Ou seja, fui com generosas espectativas pro livro.

Sem tornar-se prolixo, é posto em jogo todo o emaranhado de sentimentos que passava pela cabeça da protagonista, deixando o leitor tão dividido quanto ela mesma perante a situação. E o fim... Bem, eu esperava algo diferente, mas foi interessante.

É tão improvável e esquisito que me fez ficar pensando no tema mesmo depois do término da leitura.
comentários(0)comente



Aninha de Tróia 29/05/2011

???
Ah? Eu acho que não entendi. Acabou assim? Desse jeito? Assim eu não aguento!

O livro é legalzinho. Tem um suspense interessante - o que para mim está ótimo, pois sou uma medrosa completa! Mas esse final, sei não, acho que ficou faltando umas páginas... Tô pasma! Sem palavras! Não acredito!


Na dúvida, colega, leia. Leia e depois me conte, só para eu saber se o final do seu livro foi igual ao meu.
Aline 11/05/2014minha estante
Baixei pra ler e achei que minha versão é que faltava páginas...




Glaucio Viana 14/10/2010

Nota mil
De longe é o melhor livro de suspense e terror psicológico que eu já eu li na vida. (Embora eu seja suspeito pra falar, pois sou fã do gênero)

Infelizmente eu li em arquivo pdf. (E isso só mostra o quanto um livro precisa ser bom para te deixar sentado e desconfortável durante horas em frente às suas "páginas").

Se tem uma coisa que Ira Levin sabe fazer é te levar junto. Te fazer acompanhar cada página, cada linha. Te criar uma ansiedade, um desejo, uma agonia de prosseguir na história. E te dar medo, muito medo!
Eu lembro que lia de madrugada, quando chegava do trabalho, e o computador ficava perto da cozinha. Eu tinha que deixar a luz acesa, pois qualquer barulho me assustava. E isso é muito!

O filme também não fica para trás. A adaptação faz juz a essa obra prima maravilhosa! E eu estou cansado de pessoas esperando bebês demoníacos saltarem na tela molhados de sangue.

E por falar em sangue. Onde ele está?

Precisa ser muito bom para descarregar profundo terror, sem derramar uma gota!

Nota dez!

Irei reler mais vezes, com certeza!
Juninho 22/03/2011minha estante
tambem o achei um otimo livro...
Iran Levin sabe colocar medo nas historias...
flw
OMNIA VINCIT




San... 11/07/2010

Um clássico imperdivel para quem curte terror, ocultismo. Não tem a excelência de "O Exorcista" de William Peter Blatty ou de "O cemitério" de Stephen King, mas vale a leitura.
comentários(0)comente



Matheus. 03/07/2010

Adorei o livro. A escrita do Ira é bem simples, leve, quase cinematográfica - e isso geralmente é um ponto negativo pra mim. Mas não sei, a história toda é tão curiosa e tão assustadora que é impossível não ficar preso ao livro e todas aquelas passagens no mínimo instigantes. A todo momento fiquei angustiado, junto a personagem, de viver ao redor de toda aquela "conspiração" no Bramford. O que não me agradou totalmente foi a conclusão final, esperava algo mais assustador, mais espantoso - algo que talvez a história já estivesse guiando pra acontecer, mas terminou de forma diferente - minha opinião, claro. Mas eu gostei, sim... acho que o escritor soube como guiar toda a trama. E, tirando como prova, é um livro pra ser lido de forma bem cautelosa pra quem já não gosta dos seus vizinhos, haha.
comentários(0)comente



87 encontrados | exibindo 76 a 87
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6