Todas as Mulheres

Todas as Mulheres Fabrício Carpinejar




Resenhas - Espero Alguém


27 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Thalita 27/03/2021

Melancolia em poesia
Em "Todas as mulheres" encontramos uma grande poesia interligada cheia de angústia e melancolia. Qual a sensação de morrer sozinho? Quem estará ao meu redor na hora de minha despedida?
A realidade é que todos que já pensaram no momento da morte, já imaginaram como seria essa despedida. É mórbido, cheio de incertezas.
Ao ler, só conseguia pensar: o que eu sou para as pessoas que amo?
Cada verso carrega despedidas, dores e esperança.
comentários(0)comente



larilopes11 21/01/2021

foi bom e acabou rápido
eu tenho esse livro comigo desde 2018, já havia lido algumas páginas e ele não me chamou atenção... mas agora eu gostei, fiz algumas marcações no livro de frases que achei muito boas e acho que é isso, mais um livro de poema que eu acabei numa sentada pra aliviar a leitura anterior e me preparar para a próxima...

o livro em si não fala só sobre relacionamento, mas também sobre o que é o amor, família e a morte, e em suas 112 páginas explica como tudo isso está ligado e mexe com a gente.
comentários(0)comente



Andreia.Kohut 09/01/2021

Depois de uma vida de vários amores, fica a pergunta... quem foi o verdadeiro, quem foi aquele que estará ao seu lado na morte? Livro rápido de ler, que traz verdades vividas por muitos!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ronnayse 27/12/2020

Indagações sobre relacionamentos (e porque não sobre si mesmo?).
O que fazer e o que esperar de um relacionamento e/ou do outro na relação (e após ela)? Como seria se fosse diferente? Se acaba, como seria (com) a próxima pessoa?
comentários(0)comente



Quel Magda 31/08/2020

Esse é o primeiro livro do Carpinejar que leio e, particularmente, não curti muito.
Algumas frases são marcantes, mas eu esperava mais.
comentários(0)comente



Karine.Medeiros 02/08/2020

Razoável
Algumas crônicas são show, mas outras possuem tons machistas. As primeiras crônicas falam de perda do amor e depois de fatos particulares do autor. Achei meio sem sentido...
comentários(0)comente



Radmila.Ribeiro 26/04/2020

Livro para pensar nos relacionamentos que construimos. Não virou meu favorito, mas uma leitura boa e rápida
comentários(0)comente



Rose 14/06/2019

Em um mundo cada vez mais veloz, onde os relacionamentos podem durar apenas uma noite, Carpinejar chega com seus poemas cheios de sentimentos e questionamentos.
Com crônicas interligadas entre si, ele aborda os amores e suas dores, assim como sua visão sobre as mulheres. Mostrando a redescoberta de amores vividos (?), enquanto procura ou espera (?) a chegada do que será o seu último e mais importante amor.


site: http://fabricadosconvites.blogspot.com
comentários(0)comente



Letícia 14/05/2019

Envolvente
Neste livro repleto de poesias seguindo a mesma indagação, Carpinejar prende o seu leitor com angústia e euforia.
Envolto de sentimento e desejos, esse livro roubou todo meu coração.
comentários(0)comente



Nivartan 02/01/2019

Comum.
Pra ser sincero este livro não me tocou em nada. É criativa a história, mas muito simples. Não posso julgar se é bom ou ruim, talvez seja do agrado de alguns leitores, mas para mim foi bem abaixo do esperado.
comentários(0)comente



day 25/05/2018

Bom!
Um livro sobre amores,dor de cotovelo e relacionamentos.

Bem ao jeitinho Carpinejar de ser,são poesias interligadas e sensíveis.

Gostei bastante,é um livro bem curtinho que da pra ler em horas.

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br
comentários(0)comente



@estantedatah 10/01/2018

Poucas palavras
Para mim, o pior livro lido em 2018! Fim
comentários(0)comente



Rebeca 20/12/2016

Um livro para ler rapidamente.
Um poema sobre relacionamentos, sobre amares, sobre mulheres e sobre o próprio autor. Um texto simples, leve e descontraído, do jeitinho peculiar do querido Carpinejar!
comentários(0)comente



Elizandra 26/10/2016

"Aprendo a amar amando, para entender que a maior declaração ainda não é o "eu te amo". É quando alguém confessa: "Não consigo mais viver sem você."
Devido ao título esperava que fosse falar sobre solteirice, solidão, desilusão, essas coisas, mas as crônicas abordam muito mais. As crônicas falam sobre o amor e a dor de cotovelo, e também falam sobre relações de um modo geral. Devido a própria característica da crônica fiquei me perguntado se tudo o que foi escrito Fabrício viveu de verdade na vida dele. O autor é sensível, suas crônicas são românticas sem ser piegas.
A escrita, mesmo que seja poética é bem simples e lembrou muito a Martha Medeiros.
comentários(0)comente



27 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2